O VESTIDO AMARELO Michelle

Dias atuais Meu nome é Kira e, desde criança tenho a mania de me trancar no quarto, ligar o rádio e folhear revistas. Bem, isso não é muito interessante, mas como minha vida também não é... Eu escolho alguma foto e viajo na música, criando uma estória com aqueles personagens. Estava tocando no rádio a música do Fábio Junior “Só Você” e, olhando para aquela foto comecei a viajar no tempo, na vida que seria a daqueles dois que estavam ali na revista. “Demorei muito pra te encontrar, agora eu quero só você. Seu jeito todo especial de ser, eu fico louco com você.” E então, as idéias foram surgindo... Um bom tempo atrás Cecília estava sentada em uma cadeira, admirando o salão de baile. As belas damas que dançavam divinamente com seus lindos e finos vestidos lançavam sorrisos para arrebatar os cavalheiros que as acompanhavam. Ela não se encaixava naquele baile. Era pobre e não tinha muito a oferecer. Era desastrada, tinha 21 anos, baixinha e ainda por cima tinha cabelos vermelhos e sardas no rosto. O que a salvava um pouquinho eram os lindos olhos azuis, mas já estava conformada que iria ser uma solteirona que ajudaria a cuidar da casa do irmão Jamie. Jamie era o oposto dela, alto, moreno, olhos e cabelos castanhos, tinha 27 anos. Era imponente e muito bem educado. Apesar de serem pobres, muitas mães queriam casar suas belas filhas com ele. Ele sempre ia aos bailes, para manter os contatos e, é por isso que Cecília estava ali. Eles eram muito amigos e ele sempre queria a opinião dela e também gostava de sua companhia. Cecília estava perdida em seus pensamentos quando escutou Jamie chamando. Levantou-se tão rápido que não percebeu que um cavalheiro passava por ela naquele momento. Tropeçou no sapato do homem e a taça de vinho que ele segurava se derramou no decote do vestido dela. Ela não conseguiu se conter e começou a rir. -Maldição! O vinho está gelado. – Fez uma careta, o que fez ele rir também. - Peço-lhe desculpas, senhorita. Devia ter prestado mais atenção no caminho. - Eu que peço desculpas senhor. Levantei muito rápido, não havia como o senhor me evitar. Além disso, minhas palavras não foram muito educadas. Jamie já estava chegando para socorrê-la. – Ciça, você está bem? – Ele olhou para seu vestido, todo manchado de vinho. Ainda bem que era uma cor escura, assim ela não ficaria muito envergonhada. – Com licença senhores, vou ao toalete me limpar. Quando voltou, Jamie ainda conversava com o homem. Ela aproveitou para observá-lo, nem havia perguntado seu nome para pedir-lhe desculpas respeitosamente, como uma boa dama. Ele era alto, tinha os cabelos castanhos claro, quase loiros e lindos olhos castanhos. Usava roupas elegantes, sinal de que era rico. Sua pose também o denunciava. Olhando para ele e o irmão conversando o viu dar um sorriso. “Que belo homem, fará uma mulher muito feliz. Com certeza. Quem me dera fosse eu.” Perdida nestes pensamentos não percebeu que ele a estava observando. Ele sorriu para ela e, sem saber muito o que fazer, pois ficou sem graça por aqueles pensamentos que acabara de ter , acabou soltando um sorriso que se pareceu mais com uma careta. - Vendo a cara estranha que o homem fazia, Jamie se virou e viu Cecília. Chamou-a. -Cecília, deixe-me apresentá-la ao Sr Payton Grayer, conde de Saltburg. – Ela fez uma reverencia a ele. – Milorde, peço-lhe desculpas mais uma vez. Sou muito atrapalhada, Senhor. – Ele ri. Ela fica mais sem graça. -Não se apegue a isso, senhorita Cecília. – Ele lhe lança outro sorriso. “Meu Deus, por que ele sorri tanto para mim. Pare de sorrir. Jamie, tire-me daqui”. Como se lesse os pensamentos dela, Jamie a chama para irem embora, já que seu vestido está todo molhado. Pedem licença a Payton e vão ao encontro de sua carruagem.

-O que aconteceu lá dentro? Você fazia caretas sem parar. – Ela enrubesce, mas decide não falar o por que. – Ah! Estava incomodada com o vinho gelado na minha pele. Estou toda melada, sabia?! – Jamie não se convence, mas decide não insistir. Mas, Cecília resolve perguntar. – Então, nunca havia visto o senhor Payton nos bailes. – Ele tem uma história triste. Estava noivo e prestes a se casar, ela ficou doente e morreu. E, apesar da maioria dos casamentos serem acordos, o dele era por amor. Então, depois disso resolver não se casar e ficou um pouco recluso. – Ele é muito bonito. Muitas damas devem tentar chamar a atenção dele. – Sim. Também é muito rico, o que chama mais atenção ainda. “É, ele nunca se casaria comigo.”. Alguns dias se passaram. Cecília estava sentada à sala, lendo um livro, enquanto Jamie examinava como iam as finanças deles. Alguém bate à porta. Pearson, o ajudante deles, vai atender. – Boa tarde, esta é a residência dos Albersen? – Sim. Pois não? – Esta é uma encomenda para Lady Cecília. Ouvindo aquilo, Cecília se levanta e vai até a porta. Lá está um rapaz com uma caixa enorme. Ele lhe entrega a caixa. – Lorde Payton pediu para levar uma resposta para o cartão. Cecília abre o cartão que está em cima da caixa e o lê. “Lady Cecília, como desculpas pelo vestido arruinado, lhe presenteio com outro. A senhorita e Lorde Jamie compareceriam a um chá em minha casa amanhã? Cordialmente, Lorde Payton.” – Jamie, Lorde Payton nos convida para tomar chá amanhã na casa dele. – Claro que iremos. Cecília se vira para o rapaz. – Diga a Lorde Payton que nos encontramos amanhã. Cecília volta para o sofá e abre a grande caixa. – Meu Deus! É um lindo vestido. – Abre um sorriso. Jamie olha para ela e sorri. – Bem, vejo que chamou a atenção de Lorde Payton. – Cecília ruboriza. – Vou guardar o vestido. Levantase e sobe as escadas com a grande caixa. Na tarde seguinte, chegam a enorme casa de Lorde Payton. São recebidos pelo mordomo e encaminhados para uma grande sala, onde Lorde Payton já os aguarda juntamente com uma linda dama. Loira, corpo esbelto, usa um lindo vestido verde, para combinar com seus olhos. Cecília não pode deixar de notar como Jamie arregalou os olhos. Sinal de que gostou dela. – Deixe-me apresentar-lhes minha querida prima. Lady Ashley, estes são meus convidados, Lorde Jamie Albersen e sua irmã, Lady Cecília. – Muito prazer. – Após se cumprimentarem Payton se aproxima de Cecília. – Fico feliz que tenha gostado do vestido. Achei que combinava com o tom de seus cabelos. – Obrigada Lorde Payton, é muito bonito, foi muita gentileza sua. – Eu tinha de lhe compensar o vestido arruinado. – E realmente, o vestido era o mais lindo que tivera, amarelo, de tafetá e realmente combinava com seus cabelos. Lady Ashley se aproxima deles. – Gostaria de passear pelos jardins? – Claro! – Com licença. As duas passeiam pelos imensos jardins, enquanto os dois homens conversam na sala. Cecília está admirada com tanta beleza. Ashley se vira para ela. – Meu primo ficou encantado com você. Havia muitos anos que não convidava ninguém para visitá-lo. É muito reservado. – Cecília ruboriza. – Não sei o que dizer. – Não diga nada. Apenas aprecie. Acho que ele gostou de você por não estar atrás dele por seu dinheiro, como muitas damas o fazem. Mas... – O que foi? Cecília fica sem graça. – Acho que ele gostou de você de verdade. Eu cheguei para visitá-lo há dois dias e, desde então ele não para de falar de você e seu irmão Jamie. Contou-me como se conheceram e me pediu ajuda em como se desculpar por seu vestido estragado. – Mas a culpa foi minha. Sou uma desastrada. Não o vi e ele acabou derramando o vinho sobre mim. – Elas chegam a uma fonte, que fica no meio do jardim. Cecília para admirando como é bonita. – Tudo aqui é muito belo. Veja esta fonte, como é linda. – As senhoritas já querem tomar o chá? – Assustada com aquela repentina interrupção, Cecília se vira rapidamente e seu vestido, lindo, amarelo, se prende a um dos sapatos e ela acaba caindo dentro da fonte, espalhando água para todos os lados. Ashey, Payton e Jamie rapidamente a tiram da água, mas o estrago já está feito. O vestido e os cabelos estão ensopados. Ela olha para eles sem graça e diz. – Oh, sou mesmo um desastre. – Todos a olham e ela não se contem e começa a rir. Todos a acompanham. – Venha, vamos lhe tirar este vestido molhado! Um pouco depois elas descem a escadaria. Cecília veste um vestido de Ashley, cor de rosa. Payton se aproxima dela. – Mais uma vez lhe causei desconforto. Peço-lhe desculpas. Juro que da próxima vez anunciarei minha chegada fazendo bastante barulho, ok?! – Ela olha para ele e começam a rir. – Sim senhor. Acho mais prudente, visto que não quero me molhar novamente. Toda a tarde é muito agradável. Jamie conversa com Payton, mas sempre de olho na

bela Ashley, enquanto conversa com Cecília. Quando vão embora, Lorde Payton pergunta se eles poderiam se encontrar no baile dos Bingley, no próximo domingo. Jamie responde de pronto que sim. E assim passam a se encontrar, com freqüência. Jamie está cortejando Ashley desde então. Mas está um pouco desiludido, pois ela partirá dentro de uma semana. Ele realmente se encantou por ela. E pelo que parece ela também. – Ciça! Você acha que devo pedir Lady Ashley em casamento antes que parta? – Jamie, mas o que está perguntando. Logo para mim, que sou uma solteirona e nunca irei me casar? Sei que se encantou por ela desde que a conhecemos. Também acho que ela gostou de você. Mas será que seus pais permitirão? – Jamie se decepciona um pouco. – Você tem razão. Mas se eu não tentar, nunca irei saber. Além de tudo, você não vai ficar solteirona para sempre. Logo irá se casar. – Cecília bufa. – Até parece, já tenho 21 anos, nenhum dote a oferecer, nenhuma beleza para conquistar. Quem em sã consciência se casaria comigo?! – Jamie ri. – Não seja boba. Lorde Payton está apaixonado por você. – Não brinque com as palavras Jamie. Você mesmo disse que ele não se casaria mais, depois do que lhe aconteceu. – Sim, eu disse. Mas quem saberia que ele se apaixonaria de novo. – Pare de brincar com isso Jamie. Payton não tem nenhum interesse em mim. E, se tem a intenção de pedir Ashley em casamento, sugiro comprar uma aliança. – Sim, vamos, venha me ajudar a escolher. Na casa de Payton, Jamie está nervoso, anda de um lado para o outro. – Pare Jamie, você está parecendo um louco. – Não sabia que os pais dela estariam aqui para buscá-la. Agora não tenho idéia de como agir. – Aja como o cavalheiro que é. Peça primeiro a ela, e caso o aceite, peça ao pai dela, como deve ser. – Jamie olha para Ashley e vai até ela. – Lady Ashley, poderia me acompanhar aos jardins? Ela faz que sim e enlaça seu braço ao dele. Payton percebe, olha para Cecília, que faz um leve movimento com a cabeça, confirmando seus pensamentos. Ele então lança um novo assunto aos tios, para dar tempo aos pombinhos. Cerca de 20 minutos depois, Jamie e Ashley voltam para a sala com olhos brilhantes, exalando felicidade. Ashley com o anel no dedo. Sentam-se no sofá e Jamie resolve falar. – Lorde Dimpsey, gostaria de ter um particular com o Sr, é possível? – Sr Dimpsey olha para a filha que diz sim com um enorme sorriso no rosto e se levanta. Eles seguem para o escritório de Payton, onde se acomodam em duas cadeiras. – Sr, desde que conheci sua filha, me encantei por ela. Desde então, nos encontramos várias vezes e comecei a cortejá-la. Como irá partir em breve, decidi que não poderia perdê-la. A pedi em casamento e ela aceitou. Mas não seria cavalheiro de minha parte se não lhe pedir permissão. – Sr Albersen. Minha filha já havia nos alertado a respeito do interesse do Sr. E do dela também. Sei que o Sr não tem muitas posses, mas nossa família não baseia seus casamentos no interesse, e sim no amor. Já que vocês já tomaram a decisão, só me resta abençoar a união. Espero que sejam felizes e que nos dêem muitos netos. – Obrigada Sr Dimpsey, seremos felizes, tenho certeza. Depois daquele dia, tudo se voltou aos preparativos do casamento de Jamie e Ashley. Cecília se sentia mais só do que nunca. Agora que Jamie iria se casar, ela tinha certeza que nunca se casaria. Mas não permitiria que aquela amargura estragasse a felicidade do irmão que tanto amava. Ela estava empenhada em ajudar Ashley e sua mãe em toda a organização, que já durava um mês. Sempre se encontrava com Payton, mas não se deixava aproximar muito, pois estava cada vez mais apaixonada por ele e sabia que aquela paixão não era correspondida. No dia do casamento de Jamie, Cecília está maravilhosa. Com um vestido azul claro, cabelos presos. Ela ajuda Ashley a se aprontar. Depois do casamento, ela sai para caminhar nos jardins. Para em frente aquela fonte, onde caiu alguns meses atrás. Ouve um barulho atrás de si. – Estou chegando. – Anuncia Payton. Ela ri e se vira devagar. – Desta vez não irei cair. Os dois riem. – Se caísse desta vez, eu me jogava com você. – Ele lhe dá um beijo no rosto. Ela olha desconcertada para ele. – Por que fez isso? – Por que me evita? – Não evito você. – Evita sim. Desde que Jamie e Ashley ficaram noivos você não me deixa ficar perto de você e evita conversar comigo. – Isso não é verdade. Apenas estava ocupada ajudando nos preparativos do casamento. – Payton se aproxima dela e a segura pelos braços. Olha para ela. “Meu Deus, o que ele vai fazer! Me beija! Me beija!” Ele encosta de leve sua boca na dela. Afasta-se. – Cecília, não posso... não posso mais ficar sem você. Eu demorei muito para te encontrar. Agora só quero você. Você me conquistou com esse teu jeito todo especial de ser. Não posso mais viver sem você. Desde o dia em que nos conhecemos me encantei por você. Esse seu jeito desastrado, mas sempre graciosa, linda. E quando a vi com o vestido amarelo que lhe dei, soube que estava perdidamente apaixonado por você. Mas você nem sequer me deu uma chance. Sempre que tentei me aproximar se afastava. Quero você para mim. Um fogo arde dentro de mim

todas as vezes que a vejo e que penso em você. Mas sinto como se entrasse em uma banheira gelada todas as vezes que me repele. Não sou um homem desejável? Não quer ficar comigo? Cecília está estupefata. Jamais esperava que ele a quisesse. Que a desejasse como ela o deseja. Como aquele vulcão que entra em erupção todas as vezes que o vê. Ela olha para ele e, com medo que as palavras não saiam apenas acena firmemente com a cabeça. Ele avança sobre ela, colando seus lábios carnudos nos rosados dela. Ensaiam um toque ao outro. Ela se assusta quando sente a língua dele ir de encontro a sua, mas relaxa e se entrega aquela nova experiência. Ficam ali, se beijando, se acariciando, fazendo o fogo crescer ainda mais dentro deles. Eles param para tomar fôlego. Olham-se, sorriem. – Quero lhe mostrar o tamanho da minha paixão. – Ele a pega pela mão e seguem em direção ao quarto, onde à paixão irão se entregar.

Só Você
Fábio Jr.
Demorei muito pra te encontrar Agora eu quero só você Teu jeito todo especial de ser Eu fico louco com você Te abraço e sinto coisas Que eu não sei dizer Só sinto com você Meu pensamento voa De encontro ao teu Será que é sonho meu? Tava cansado de me preocupar Quantas vezes eu dancei E tantas vezes que eu só fiquei Chorei, chorei... Agora eu quero ir fundo Lá na emoção Mexer teu coração Salta comigo alto E todo mundo vê Que eu quero só você Eu quero só você [2x] Te abraço e sinto Coisas que eu não sei dizer Só sinto com você Meu pensamento vôa De encontro ao teu Será que é sonho meu? Tava cansado de me preocupar Quantas vezes eu dancei E tantas vezes que eu só fiquei Chorei, chorei... Agora eu quero ir fundo Lá na emoção Mexer teu coração Salta comigo alto E todo mundo vê Que eu quero só você [2x] Só você Eu quero só você [4x]

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful