Escaravelho Esta história começa pelo fim. Mas não acaba no princípio.

Acaba também no fim… Salomé - Isso não faz sentido nenhum! Escaravelho (suspirando e acenando com a cabeça negativamente) Vou começar outra vez: “Era uma vez um príncipe e uma princesa que se casaram e foram felizes para sempre” Salomé – Não é assim! Era uma vez um rei que tinha três filhas… Escaravelho: (interrompendo-a) Vou explicar-te t-u-d-o m-u-i-t-o d-e-v-a-g-a-r-i-n-h-o… como se tu não percebesses nada de nada… (em tom forte) Esta história começa pelo fim. Logo, essa parte do rei, das filhas, do príncipe já foi! Já se conheceram, já namoraram, já casaram e agora são felizes. Salomé – Quer dizer que já não há beijos?! Escaravelho: (respira fundo e faz o gesto típico do Ioga) Ooommmm… Ooommmm…. Tu não estás aqui… (respira fundo) Recomeçando… Salomé: (entre dentes) Só se recomeça, o que já se começou… Escaravelho: Bem. Agora é que é! Era uma vez um príncipe e uma princesa que se casaram e foram felizes para sempre. Mas “para sempre” é muito tempo e, com o passar dos anos, a felicidade do príncipe e da princesa começou a ter uma sabor estranho e a tornar-se, como hei-de dizer?... um pouco aborrecida! Escaravelho – Bem, certo certo é que eles estavam cansados de ser felizes para sempre. Dara – Isso não faz sentido. Ninguém se aborrece com a felicidade! [Entra a Princesa] Princesa: Ouve lá, ó menina! O que sabes tu da felicidade? (pausa) Ui! Que saudades eu tenho de quando era guardadora de patos! Salomé- Isso não faz mesmo sentido nenhum … Tu eras guardadora de patos?! Princesa: Quem és tu criatura insignificante? Salomé: … continue… peço desculpa… [Entra o Príncipe] Príncipe: … e eu que saudades tenho de quando era sapo e esperava que tu chegasses e me beijasses para quebrar o feitiço… (dá beijinhos para o ar) Salomé: Eu? Queria beijar-me?! Príncipe (para a princesa): Quem é esta? Princesa: Não sei, não sabia que entrava na história… Salomé (respira fundo e encolhe os ombros) … continue… peço desculpa… Princesa: Lembras-te quando perdi o sapato e a tua mãe me deu uma maçã envenenada para comer? Príncipe: Isso não é desta história Lembro-me de quando íamos de lua de mel e o barco se afundou… Princesa: Andas a ver muitos filmes…. Isso é o Titanic! Príncipe: Tu não tinhas 7 filhos?

Princesa: Isso era a tua irmã Borralheira! Ou era a Branca de Neve? Salomé: Ó realezas… não têm tomado a medicação? Princesa: Se sabes a nossa história, conta-a! Que a idade não perdoa e já nos esquecemos de muuuuuita coisa! Salomé: … deixe estar, não vale a pena… Escaravelho: Ponto de ordem! Aqui quem conta histórias sou EU! Eu é que mando na história. Dara: Pois, está bem! Escaravelho: Conta tu, então, se sabes tanto. Dara: Era uma vez uma princesa sem príncipe e um príncipe sem princesa. Conheceramse, beijaram-se, casaram e são felizes até hoje! Salomé: AHHH! Afinal há beijos! Princesa: Foi mais ou menos assim, foi… (pausa) Ó „mor, há quanto tempo somos felizes? Príncipe: Há tanto tempo que já nem me lembro do que é ser infeliz… Princesa: Gostava tanto de ser infeliz…. Salomé - Isto não faz sentido nenhum! Príncipe: A minha princesinha é que sabe… se ela quer ser infeliz… vamos fazê-la infeliz! Ó escaravelho, conta-nos coisas tristes. Conta! Conta! Conta! Escaravelho: Há muito, muito tempo eu tive uma conjuntivite…. Princesa: Isso não é triste! É parvo! Mónica: Fui às compras e nada me servia. Princesa: Não consegues contar nada que seja mesmo triste? Mónica: Um dia perdi as chaves de casa…. Princesa: Isso é triste? Mónica: … e estava a chover. Príncipe: E isso é triste? Mónica: …para mim é… estava a chover muito… e eu tinha uma conjuntivite! Princesa: Isso não é triste! É parvo! Príncipe: Eu dava tudo por um bocadinho de tristeza! Princesa: Pois claro… Assim nem sabemos se somos felizes ou não! (pausa) Olha, tu não tinhas uma madrinha que era Fada? Príncipe: Ter tinha, mas reformou-se…. E ela não ia ajudar, era uma fada das boas, não tinha autorização para fazer maldades! Princesa: E o bobo? Ai, ele bem que podia fazer uma maldade…. Príncipe: Tu e o bobo… Tu queres que ele te faça uma maldade?! Olha que eu não acho piada nenhuma a isso… Eu ainda me lembro de quando tu andavas vai, não vai, para ficar com ele. Eras tu uma guardadora de patos! Princesa: (corada) Coisas da juventude! [aparece o Bobo] Bobo: Alguém chamou por mim?

Príncipe: Faz uma maldade já. Se faz favor. Bobo: Não sei fazer isso… Aliás, acho que é impossível! Nós, neste reino estamos rodeados de felicidade. Príncipe: Faz-te à vida, Bobo! Salta o muro da felicidade e vai à procura de uma tristeza qualquer! Escaravelho: Para atalhar a história… O Bobo foi atrás da tristeza para Qualquer-Sítio e meteu-se num buraco, mas como estava muito gordo, mas mal se enfiou no buraco, ficou preso pela barriga, sem poder continuar, nem voltar para trás. Salomé: E depois? Dara: Foram-se as vacas e ficaram os bois… Salomé: Não estou a falar contigo. E depois, Escaravelho? Escaravelho: Depois o príncipe e a princesa deram pela falta do Bobo e ficaram muito aflitos, porque eram muito amigos dele. E, apesar de todos os esforços, ele não aparecia! Salomé: E depois? Escaravelho: Nessa noite ao jantar, a Princesa ficou contente porque estava triste! Dara: Isso não faz sentido! Escaravelho: Bem, quem é que está a contar a história? Se sabes tanto, inventa tu uma. Esta é a minha história. Princesa: Calem-se lá…. O meu coração está cada vez mais pequeno. Príncipe: E o meu também… Princesa e Príncipe: (de mão dada e aos saltos) Estamos tristes! Estamos tristes! Estamos tristes! Estamos tristes! Estamos tristes! Finalmente estamos tristes! Dara: Esta realeza é muito estranha ficam contentes por estarem tristes! Escaravelho: Continuando, que a história é minha. Os príncipes ficaram contentíssimos por estarem tristes, mas, ao mesmo tempo ficaram tristes, porque continuavam sem saber o que tinha acontecido ao Bobo. Dara: Se calhar morreu! Princesa: Não sejas má! (e começa a chorar) Príncipe: Não faças chorar a minha princesa! (e começa a chorar) Princesa (parando de chorar) São salgadas. Príncipe: As saladas? Princesa: As lágrimas… Escaravelho: Nas semanas seguintes, como o Bobo continuava sem aparecer, o príncipe e a princesa passaram dias terríveis de tristeza e aflição. Princesa e Príncipe (os dois estão a chorar ao fundo). Escaravelho: Até que, o Bobo, como passou muito tempo sem comer, metido num buraco, emagreceu… e conseguiu sair do buraco, e foi recebido em grandes festas! Todos: Vitória, Vitória acabou-se a história!

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful