Você está na página 1de 12

Proceedings of the XXVI Iberian Latin-American Congress on Computational Methods in Engineering CILAMCE 2005 Brazilian Assoc. for Comp. Mechanics & Latin American Assoc. of Comp. Methods in Engineering

Guarapari, Espírito

Santo, Brazil, 19 th –21 st October 2005

Paper CIL 01-0533

UM SISTEMA CAD/CAE NO PROJETO DE ESTRUTURAS METÁLICAS PLANAS, FORMADAS POR PERFIS TUBULARES.

Maurício Guilherme Quilez Souza João Alberto Venegas Requena maurigq@yahoo.com requena@fec.unicamp.br Laboratório de Mecânica Computacional - LabMeC - Departamento de Estruturas - DES - Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo - FEC - Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP. Av. Albert Einstein, 951, Cidade Universitária "Zeferino Vaz", CP 6021, CEP 13083-852, Campinas - SP - Brasil.

Resumo. Este trabalho irá apresentar um conjunto de programas de computador, que estão em desenvolvimento no LabMeC - DES - FEC - UNICAMP, que têm o objetivo de automatizar e otimizar projetos de estruturas metálicas tubulares. O trabalho apre- sentará um sistema CAD/CAE formado por rotinas criadas dentro do software AutoCAD, usando-se a linguagem de programação AutoLISP, que irão realizar a representação grá- fica do sistema geral tridimensional de contraventamentos da estrutura, exportar esses dados para um programa integrado que realiza um processo otimizado de toda a análise estrutural e dimensionamento, e finalmente, retornar os dados processados ao ambiente

CAD, para realizar o detalhamento automático das ligações da estrutura treliçada ana- lisada. As estruturas lançadas automaticamente a partir dos dados de entrada do usuá- rio serão estruturas de coberturas com treliças planas de diferentes tipos: duas águas, banzos paralelos e arcos circulares, formadas por perfis tubulares laminados sem costu-

O desenvolvimento desses programas

contribui para a disseminação desses perfis, auxiliando os engenheiros a utilizá-los ade-

quadamente em seus projetos, tendo em vista que resultam em estruturas mais leves e de fácil fabricação. Todos os procedimentos adotados para automação dos projetos seguem recomendações de normas técnicas brasileiras principalmente a NBR8800.

ras da Vallourec & Mannesmann do Brasil S. A

Keywords: CAD/CAE, Automação de Estruturas, Estruturas Metálicas, Projeto Estrutu- ral, Perfis Tubulares.

CILAMCE 2005 – ABMEC & AMC, Guarapari, Espírito Santo, Brazil, 19 th – 21 st October 2005

1. INTRODUÇÃO

Com o objetivo de automatizar o projeto de treliças metálicas planas constituídas de barras com perfis tubulares laminados, de acordo com a Norma Brasileira NBR 8800 (ABNT 1986), está em desenvolvimento um pacote de programas computacionais no La- boratório de Mecânica Computacional - LabMeC, do Departamento de Estruturas - DES, da Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo - FEC da Universidade Esta- dual de Campinas - UNICAMP, em convênio com a empresa Vallourec & Mannesmann do Brasil S.A A principal intenção deste trabalho foi desenvolver uma ferramenta computacional

que facilitasse a apresentação dos conceitos estruturais para que os calculistas de estrutu- ras metálicas e estudantes de engenharia adquirissem familiaridade em projetos de estru- turas metálicas planas, utilizando os referidos perfis tubulares. O que está sendo desenvolvido no LabMeC - DES - FEC - UNICAMP é um sistema CAD/CAE, que automatiza a criação das geometrias de estruturas planas reticuladas for- madas por perfis tubulares além de representações gráficas do sistema geral da estrutura de cobertura com seus respectivos contraventamentos - CAD; exporta os dados para um programa integrado que realiza um processo otimizado de toda a análise estrutural e todo

o dimensionamento - CAE e, finalmente, o retorno dos dados processados no CAE de

volta para o ambiente CAD, que realiza o detalhamento automático das ligações da es- trutura treliçada analisada. As estruturas lançadas automaticamente a partir dos dados de entrada do usuário serão estruturas de coberturas com treliças planas de diferentes tipos:

duas águas, banzos paralelos e arcos circulares, formadas por perfis tubulares laminados sem costuras da Vallourec & Mannesmann do Brasil S. A Para o desenvolvimento deste pacote foram utilizadas duas linguagens de progra- mação: o Object Pascal, através do software Delphi5, e o AutoLISP, linguagem nativa do AutoCAD. O primeiro programa tem como objetivo principal desenvolver o sistema CAE, para análise estrutural e o segundo programa tem como objetivo desenvolver o sis- tema CAD, para definições e representações gráficas. Ao todo, no ambiente CAD, foram desenvolvidas três rotinas diferentes: treliças de duas águas, treliças de banzos paralelos e treliças de arcos circulares. Todas elas baseam- se no mesmo princípio de armazenar os dados de entrada do usuário e realizar o projeto automaticamente em função desses dados. Primeiramente, é realizada a geração da geo- metria de uma treliça plana, indicando o arranjo das barras da treliça, além do posiciona- mento das terças e pilares na mesma; caso o usuário aceite o resultado, as rotinas passam para a próxima fase, que é o projeto do plano de contraventamentos com seus respectivos

cortes. Esses dados serão exportados para um programa de dimensionamento estrutural, feito na linguagem Delphi5, que foi desenvolvido através de uma parceria entre a UNI- CAMP e a empresa Vallourec & Mannesmann do Brasil S. A. chamado “AutoMETAL

1.01 - V&M do Brasil - UNICAMP”, que permite realizar todas as tarefas de projeto com

o auxílio da integração com o sistema CAD. Este programa tem a capacidade de importar

os dados geométricos de uma estrutura metálica, em arquivos de extensão dxf, gerados no programa feito em AutoLISP, e realizar as tarefas de automação dos carregamentos, análise estrutural e otimização do dimensionamento. A partir deste ponto, o programa realiza a exportação dos resultados, em arquivo texto, de volta ao sistema CAD, para a

CILAMCE 2005 – ABMEC & AMC, Guarapari, Espírito Santo, Brazil, 19 th – 21 st October 2005

realização do detalhamento automático da estrutura.

O programa desenvolvido em Delphi5 e o programa em AutoLISP trabalham de

forma integrada, para que o objetivo final de automação e otimização de projetos seja alcançado de forma ágil, precisa e amigável, permitindo que em pouco tempo de trabalho

o

projetista possa estudar diversas soluções e escolher a mais adequada.

2.

DESENVOLVIMENTO

2.1

Geração Automática das Geometrias

O sistema CAD/CAE que está em desenvolvimento inicia-se dentro do software Au-

toCAD. Para que as rotinas sejam carregadas automaticamente, é necessário copiá-las no

diretório raiz do AutoCAD, juntamente com o arquivo acad.lsp. Toda vez que o Auto- CAD se inicia, automaticamente ele busca no seu diretório raiz o arquivo acad.lsp. Se encontrá-lo, o AutoCAD vai carregá-lo e seguir as orientações que estão detalhadas neste arquivo. Neste trabalho, foi desenvolvido um arquivo acad.lsp que automaticamente re- aliza o carregamento das rotinas de geração das coberturas. Dessa forma, não será ne- cessário ao usuário carregar as rotinas toda vez que iniciar o AutoCAD; ao invés disso,

o próprio CAD se encarrega desta operação. Também foi criado um toolbar (barra de

ferramentas), ilustrado na Fig. 1,que facilita a execução das rotinas criadas na linguagem

AutoLISP.

a execução das rotinas criadas na linguagem AutoLISP. Figura 1: Barra de ferramentas do programa. Assim

Figura 1: Barra de ferramentas do programa.

Assim que o usuário clica em uma das rotinas, uma dialog box (caixa de diálogo) é

aberta, pedindo os dados de entrada ao usuário. As dialog boxes explicam claramente ao usuário quais dados são necessários, com suas respectivas unidades. Os dados de entrada para treliças de duas águas são: vão livre da estrutura, em me- tros; ângulo de arranque da estrutura, em graus; inclinação do banzo superior, em graus; inclinação do banzo inferior, em graus; altura projetada do primeiro montante, em metros; máxima distância entre terças, em metros e finalmente, a altura dos pilares, em metros. Para treliças de banzos paralelos, os dados são: vão livre; ângulo de arranque; inclinação dos banzos da treliça; distância entre banzos; máxima distância entre terças; altura dos pilares e tipo da treliça a ser realizada, 1 ou 2. A diferença entre o tipo 1 e o tipo 2 é o arranjo das barras no centro da treliça. Os dados de entrada para treliças de arcos circulares são: vão livre da estrutura, em metros; ângulo de arranque da estrutura, em graus; relação flecha / vão (f/L) da estrutura; distância entre banzos, em metros; máxima distância entre terças, em metros, e finalmente, altura dos pilares, em metros.

A Figura 2 ilustra diferentes tipos de geometrias gerados automaticamente, após a

insersão dos dados de entrada pelo usuário.

CILAMCE 2005 – ABMEC & AMC, Guarapari, Espírito Santo, Brazil, 19 th – 21 st October 2005

Santo, Brazil, 19 t h – 21 s t October 2005 Figura 2: Tipos de geometria
Santo, Brazil, 19 t h – 21 s t October 2005 Figura 2: Tipos de geometria
Santo, Brazil, 19 t h – 21 s t October 2005 Figura 2: Tipos de geometria
Santo, Brazil, 19 t h – 21 s t October 2005 Figura 2: Tipos de geometria

Figura 2: Tipos de geometria gerados automaticamente.

A automação da geometria é realizada de acordo com alguns parâmetros básicos da estrutura, como por exemplo, tipo de treliça plana de cobertura, vão livre e distância máxima entre terças. As rotinas criadas usando a linguagem AutoLISP são capazes de gerar as geometrias mais adequadas às informações impostas pelo calculista. Com os dados de entrada do usuário, as rotinas do programa realizam uma série de testes para verificar a validade e interferências dos dados do usuário. Caso os dados estejam incorretos ou incoerentes, ou seja, que não seja possível executar o desenho da geometria a partir dos dados fornecidos, o programa é encerrado com uma mensagem de erro.

Alguns casos podem possuir uma solução matemática para a geometria da estrutura, mas por alguma razão, essa solução pode não ser a mais econômica ou a mais construtiva. Nesses casos, essas respostas não são indicadas como solução do problema. Dessa forma,

o programa automaticamente realiza alterações no arranjo das barras, que proporcionam seu melhor aproveitamento. Um desses casos acontece na geração de treliças de arcos

circulares, quando a distância entre banzos é pequena e a máxima distância entre banzos

é relativamente grande. A primeira tentativa do programa é colocar duas diagonais entre

as terças (ou seja, o programa encontra uma solução matemática). No entanto, o ângulo entre as barras seria muito pequeno (inferior à 40 o ). Dessa forma, a solução matemática não é a mais recomendada. Então o programa automaticamente cria mais duas diago- nais, respeitando a máxima distância entre terças, que distribuirão os esforços com mais eficiência. A Fig. 3 ilustra esse caso.

CILAMCE 2005 – ABMEC & AMC, Guarapari, Espírito Santo, Brazil, 19 th – 21 st October 2005

Santo, Brazil, 19 t h – 21 s t October 2005 Figura 3: Novo arranjo das

Figura 3: Novo arranjo das diagonais, quando o ângulo entre elas é inferior à 40 o .

Os critérios de projeto seguem especificações e limitações impostas por normas téc- nicas de dimensionamento, fabricação e montagem dessas estruturas. Além das recomen- dações normativas, o programa leva em consideração a forma otimizada de geometrias em busca de melhores soluções para obtenção dos menores esforços nas barras da estrutura em função das posições dos carregamentos. No momento que o programa exibe a geometria, uma dialog box perguntará ao usuá- rio se ela corresponde às suas necessidades. Dessa forma, o usuário tem a opção de retornar à caixa de diálogos anterior e fornecer novos dados de entrada, que já vêm pre- enchidas com os últimos dados digitados, facilitando possíveis correções.

2.2 Geração Automática do Sistema Geral da Estrutura

No momento que o usuário aceita a geometria da treliça, o programa dá continuidade,

e irá realizar o sistema geral da estrutura, que contém as posições das treliças, das terças, dos contraventamentos e seus respectivos cortes. Da mesma maneira que na geração da treliça, uma dialog box irá pedir ao usuário alguns dados de entrada para que o programa tenha condições de realizar o projeto. Em todas as rotinas desenvolvidas, os dados de entrada são os mesmos: comprimento total da estrutura e distância entre pilares, ambos em metros. Além disso, é perguntado se

o fechamento das duas fachadas da estrutura serão feitas em alvenaria ou em estrutura

metálica. O fechamento em estrutura metálica é um sistema constituído por terças e contraventamentos para a sustentação de um fechamento feito, em geral, através de telha

metálica. Esse sistema é bastante usado quando o projetista prevê futuras ampliações na

CILAMCE 2005 – ABMEC & AMC, Guarapari, Espírito Santo, Brazil, 19 th – 21 st October 2005

edificação. A resposta do usuário nesse campo é um dado importante no arranjo das barras de contraventamento da estrutura. O programa armazena e manipula os dados e apresenta o desenho na forma de prancha de projeto no AutoCAD, compreendendo o desenho da geometria da treliça, o desenho do sistema geral da estrutura com os contraventamentos, terças, linhas de corrente e com seus respectivos cortes. Todo esse trabalho gráfico que é apresentado como resposta do programa desenvol- vido é mostrado na tela do microcomputador em poucos segundos. A Fig. 4 ilustra um sistema geral de uma estrutura gerada a partir das rotinas do programa. Esta tela do AutoCAD mostra o resultado de uma estrutura formada por uma treliça em banzos pa- ralelos, com 20.0 metros de vão livre, 90.0 o de ângulo de arranque (ângulo do primeira montante), inclinação dos banzos de 10.0 o , distância entre banzos de 0.8 metro, distância máxima permitida entre terças de 2.0 metros, altura de pilares de 5.0 metros, comprimento da estrutura de 50.0 metros e distância entre pilares de 5.0 metros. A fachada frontal será em alvenaria, enquanto que a outra fachada será em estrutura metálica.

enquanto que a outra fachada será em estrutura metálica. Figura 4: Sistema geral da estrutura gerado

Figura 4: Sistema geral da estrutura gerado no AutoCAD.

Para fazer o desenho, as rotinas seguem algumas características fixas, indicadas por recomendações de projeto. No caso da Fig. 4, vê-se que o programa criou uma fileira de contraventamentos do meio da estrutura, além das já definidas nas extremidades, dimi- nuindo o espaço entre módulos não contraventados na estrutura de sete para três. Como a fachada frontal será em alvenaria, a fileira de contraventamentos foi deslocada. O contraventamento do banzo superior foi realizado de duas em duas barras da treliça na posição das terças, assim como o contraventamento do banzo inferior, mostrado nos cortes da Fig. 4.

CILAMCE 2005 – ABMEC & AMC, Guarapari, Espírito Santo, Brazil, 19 th – 21 st October 2005

Para o contraventamento da primeira montante participante do fechamento lateral, a primeira tentativa do programa foi um contraventamento em “X”. Como o ângulo resul- tante foi inferior a 15 o , o programa criou um sistema treliçado, aumentando a rigidez da estrutura. Para as linhas de corrente, o programa cria uma ou duas linhas, dependendo da dis- tância entre as treliças. Caso a distância seja inferior a seis metros, o programa cria apenas uma linha de corrente; caso contrário, duas linhas de corrente são criadas. Todos os pontos de contraventamento, definidos automaticamente na estrutura, serão de extrema importância para as definições dos comprimentos de flambagem das barras da estrutura exigidos no programa de análise estrutural - CAE, integrado no procedimento de desenvolvimento de projeto, para o dimensionamento estrutural.

O próximo passo do sistema CAD/CAE é transmitir as informações geradas no CAD

para o CAE, e isso é feito através de arquivos de extensão dxf. O AutoCAD é capaz de salvar os dados da estrutura nesses arquivos, que serão lidos pelo AutoMETAL 1.01 - V&M do Brasil - UNICAMP.

3. INTERPRETAÇÃO DOS DADOS NO CAE

Em 2001, REQUENA et al apresentaram o programa AutoMETAL 1.01 - V&M do Brasil - UNICAMP. Este software permite gerar geometrias otimizadas, lançar automati- camente os carregamentos, calcular os esforços na estrutura e também verificar e dimen- sionar os perfis das barras de acordo com a Norma NBR8800/1986 - Projeto e Execução de Estruturas de Aço em Edifícios, obtendo o peso final de cada treliça metálica. Esta versão foi feita com o apoio da siderúrgica Vallourec & Mannenmann do Brasil

S.A. e é orientada a realizar o dimensionamento das estruturas utilizando os perfis tubula- res laminados de seção circular do catálogo da V&M do Brasil, seguindo a mesma linha de automação proposta nas outras versões do software.

O AutoMETAL 1.01 - V&M do Brasil - UNICAMP permite importar e exportar ge-

ometrias feitas no programa AutoCAD em arquivos de extensão dxf. Todos os dados dos projetos podem ser salvos, em qualquer instante, em arquivos compatíveis com os softwa- res SAP 90 e SAP 2000. Os carregamentos na estrutura (peso próprio, cargas de vento e sobrecargas) também são automatizados no programa. Com a treliça desenhada e com os carregamentos devidamente posicionados, o programa calcula a estrutura e dimensiona seus perfis, apresentando a lista dos perfis ao final. Este programa desenvolvido tem a capacidade de importar os dados geométricos de uma estrutura metálica, em extensão dxf, gerados no programa feito em AutoLISP, e reali- zar as tarefas de automação dos carregamentos, análise estrutural e otimização do dimen-

sionamento. A partir deste ponto, realiza a exportação dos resultados, em arquivo texto, de volta ao sistema CAD para a realização do detalhamento automático da estrutura.

4. EXEMPLO NUMÉRICO

O exemplo numérico será um galpão estrutural formado por uma treliça metálica em

arco circular, com os seguintes dados de entrada:

CILAMCE 2005 – ABMEC & AMC, Guarapari, Espírito Santo, Brazil, 19 th – 21 st October 2005

Vão livre da estrutura: 20.0 metros;

Ângulo de arranque da estrutura: 90.0 o ;

Relação flecha / vão: 0.15

Distância entre banzos: 0.5 metros;

Máxima distância entre terças: 1.3 metros;

Altura dos pilares: 5.0 metros;

Comprimento total da estrutura: 45.0 metros;

Distância entre treliças: 5.0 metros;

Fachada frontal feita em estrutura metálica, a outra feita em alvenaria.

Utilização de perfis tubulares circulares de aço da Vallourec & Mannesmann do Brasil - VMB 250 cor.

Entrando com os dados no programa, o resultado é apresentado na Fig. 5, em que se observa a distribuição automática dos nós da treliça. São também definindos os com- primentos das barras do banzo superior, assim como seus comprimentos de flambagem:

no seu respectivo plano (x x), igual a 1,29 metros, e perpendicular ao seu plano (y y), igual a 3,28 metros. Esses dados, juntamente com outros referentes à geometria da tre- liça, são exibidos na tela do programa com o objetivo de questionar o usuário se a treliça proposta corresponde às suas exigências.

se a treliça proposta corresponde às suas exigências. Figura 5: Geometria da treliça gerada a partir

Figura 5: Geometria da treliça gerada a partir dos dados de entrada.

CILAMCE 2005 – ABMEC & AMC, Guarapari, Espírito Santo, Brazil, 19 th – 21 st October 2005

Na concordância do usuário, através da confirmação na caixa de mensagem ilustrada na Fig. 5, o processamento prossegue, apresentando o plano de contraventamentos e seus cortes, ilustrado na Fig. 6.

de contraventamentos e seus cortes, ilustrado na Fig. 6. Figura 6: Sistema geral da estrutura, com

Figura 6: Sistema geral da estrutura, com os contraventamentos e cortes.

Após a representação gráfica do sistema geral da estrutura, a rotina salva um arquivo de extensão dxf que será importado pelo AutoMETAL 1.01 - V&M do Brasil - UNI- CAMP. A Fig. 7 ilustra a importação dos dados no ambiente CAE.

CILAMCE 2005 – ABMEC & AMC, Guarapari, Espírito Santo, Brazil, 19 th – 21 st October 2005

Santo, Brazil, 19 t h – 21 s t October 2005 Figura 7: Tela do AutoMETAL

Figura 7: Tela do AutoMETAL com a importação dos dados do AutoCAD.

No programa AutoMETAL, foi realizada a análise linear e o dimensionamento da estrutura, ilustrado pela Fig. 8.

e o dimensionamento da estrutura, ilustrado pela Fig. 8. Figura 8: Dimensionamento realizado no AutoMETAL. Após

Figura 8: Dimensionamento realizado no AutoMETAL.

Após o dimensionamento, o programa AutoMETAL executa a transferência dos da- dos encontrados de volta ao ambiente CAD, via arquivo texto (extensão “txt”). Nesse ambiente, outra rotina realiza o detalhamento da estrutura, conforme a Fig. 9.

CILAMCE 2005 – ABMEC & AMC, Guarapari, Espírito Santo, Brazil, 19 th – 21 st October 2005

Santo, Brazil, 19 t h – 21 s t October 2005 Figura 9: Detalhamento das ligações,

Figura 9: Detalhamento das ligações, no ambiente CAD.

O desenho apresentado na Fig. 9 é gerado automaticamente, em extensão dwg, dentro

do AutoCAD. Por ser um arquivo do CAD, ele pode ser complementado futuramente pelo usuário, conforme suas necessidades de especificações e lista de materiais.

5. CONSIDERAÇÕES FINAIS

O pacote de programas de computador CAD/CAE, apresentado neste trabalho, repre-

senta uma grande contribuição para a disseminação de estruturas de aço constituídas de

treliças planas com barras tubulares, de acordo com a Norma Brasileira NBR8800. Estas estruturas ainda pouco utilizadas no Brasil têm um grande potencial de uso no mercado nacional. Outros programas no sistema CAD/CAE já estão sendo desenvolvidos na FEC - UNICAMP como novas ferramentas computacionais de fácil utilização para uso tanto de alunos de engenharia civil quanto de profissionais da área de estruturas metálicas.

6. AGRADECIMENTOS

A equipe de desenvolvimento do programa agradece a Vallourec & Mannesmann do

Brasil S.A. e a UNICAMP pelo incentivo e apoio ao desenvolvimento desta tecnologia.

Referências

[1] ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS ABNT. Projeto Execu- ção de Estruturas de Aço de Edifícios NBR8800/1986, Rio de Janeiro, 1986.

[2] AUTODESK, 1993. AutoLISP Programmer’s Reference. AutoDesk, E.U.A.

CILAMCE 2005 – ABMEC & AMC, Guarapari, Espírito Santo, Brazil, 19 th – 21 st October 2005

[3] AUTODESK, 1993. AutoCAD Reference Manual. AutoDesk, E.U.A.

[4] BEER, S. C.; REQUENA, J. A. V. Automação do Projeto de Estrutura Metálica para Edificação com Cobertura em Arco. 1999. Relatório Final de Iniciação Cientí- fica da FAPESP sob Orientação do Prof. Dr. João A. V. Requena, FEC-UNICAMP, Campinas, SP, 1999.

[5] BERTOLINO JUNIOR, R. Sistema Integrado para Análise, Dimensionamento, Detalhamento e Desenho de Estruturas de Aço. 1998. 60f. Tese (Livre Docência) - Universidade Estadual de São Paulo - UNESP, Ilha Solteira, São Paulo, 1998.

[6] BRANCO, R. H. F.; TARDIN, A. S.; REQUENA, J. A. V. Automação do Di- mensionamento de Elementos Estruturais Constituídos de Perfis Laminados de Aço de Acordo com as Normas NBR8800/86, LRFD/94 e EUROCODE 3/93. Congresso Ibero Latino-Americano de Métodos Computacionais para Engenharia 2001 - XXII CILAMCE, Campinas, SP, Novembro de 2001.

[7] BRANCO, R. H. F.; REQUENA, J. A. V.; SOUZA, M. G. Q. Automação do Projeto de Estruturas Metálicas Planas Utilizando Perfis Tubulares. XXI Jornadas Sudamericanas de Ingeniería Estrutural, Mendoza, Argentina, Maio de 2004.

[8] GAÁL, J. A. Curso de AutoLISP. Campinas: DeseCAD Computação Gráfica Ltda,

1997.

[9] REQUENA, J. A. V.; BEER, S. C.; CALLEJAS, I. J. A. Automação e Dimensi- onamento de Estrutura Metálica para Arcos Circulares Treliçados. Congresso Ibero Latino-Americano de Métodos Computacionais para Engenharia - CILAMCE 2000, Rio de Janeiro, RJ, Dezembro de 2000.

[10] SALMON, C. G.; JOHNSON, J. E. Steel Structures: Design and Behavior. Nova Iorque: Harper & Row, 1980.

[11] SCHULTE, H.; YAGUI, T. Estruturas Metálicas - 1 a Parte: Elementos. São Car-

los: Serviço de Publicações e Encadernação da Escola de Engenharia de São Carlos,

1969.

[12] SILVA, N. C.; REQUENA, J. A. V.; ASSAN, A. E. Análise e Automação de Treliças Metálicas Planas Considerando Não-Linearidade Física. Congresso Ibero Latino-Americano de Métodos Computacionais para Engenharia - CILAMCE 2000, Rio de Janeiro, RJ, Dezembro de 2000.

[13] SOUZA, M. G. Q.; REQUENA, J. A. V.; BRANCO, R. H. F. Automação e Otimização CAD/CAE no Projeto de Estruturas Metálicas Planas, Utilizando Per- fis Tubulares. Congresso Ibero Latino-Americano de Métodos Computacionais para Engenharia - CILAMCE 2004, Recife, PE, Novembro de 2004.