Você está na página 1de 3

Estruturas Algbricas

Moiss Toledo 12 de maio de 2012

Soluo de exerccios 7,8,9 - Pgina 215

Exerccio 7. Seja G um grupo nito de ordem m. Seja n N tal que MDC{n, m} = 1. Mostre que todo elemento g de G pode ser escrito na forma g = xn para algum x G Demonstrao. (i) Seja n N tal que (n, m) = 1, ento existe a, b N tal que an + bm = 1 (identidade de Bzout). (ii) Seja g G ento g = g1 = g an+bm = (g a )n (g m )b = (g a )n , pois |G| = m

(iii) Assim dado g G existe xg G tal que g = xn (neste caso xg = g a ). g Observao. O resultado obvio se G um grupo cclico (considerando x o gerador do grupo). Assim para todo g G fazemos uso do mesmo x. Se G no cclico, ento para cada g G existe um xg G (dependendo do g) satisfazendo a propriedade. Exerccio 8. Seja G =< a > um grupo cclico nito e u N. Mostre que O(au ) = O(a)/MDC{O(a), u}. Demonstrao. Sejam n = O(a) e m = M DC{n, u}. Mostraremos que O(au ) = (i) Seja O(au ) = t, ento (au )t = e.
Universidade

n . m

Federal da Paraba

Estruturas Algbricas

Pgina 2

(ii) Como (au )n/m = (an )u/m = e, ento t | (n/m). (iii) Notemos que t | n (pois (au )n = (an )u = e) e m | n (pois m = M DC(n, u)). (iv) Pela identidade de Bzout, existe r, s N tais que rm+sn = 1 (pois (m, n) = 1). (v) Assim n = n 1 = n(rm + sn) = nmr + n2 s, como tm | (nmr) e tm | (n2 s) ento tm | n. (vi) Por tanto do fato que (n/m) | t e t | (n/m) temos t = O(au ) = Exerccio 9. Faa os seguintes itens: a) Seja G um grupo e sejam a, b G tais que ab = ba. Suponha que a e b tenham ordem nita, digamos O(a) = n e O(b) = m. (i) Mostre que O(ab) | MMC(n, m). (ii) Mostre que se MDC(n, m) = 1 ento O(ab) = nm. b) Seja G = GL2 (Q) (grupo das matrizes 22 invertveis com entradas em Q). Sejam a= 0 1 1 0 e b= 0 1 1 1
n . m

Mostre que O(a) = 4, O(b) = 3 e que o produto ab no tem ordem nita. Demonstrao. Os resultados so imediatos quando a = e ou b = e, assim podemos assumir a, b = e. Fixamos notao: r = M M C(n, m) e O(ab) = t. a) Mostraremos que t | r. Pela denio de mnimo comum mltiplo temos que n | r e m | r isto r = n = m. Assim (ab)r = (ar br ) = (an ) (bm ) = e logo t | r. b) Mostraremos que t = nm. Temos que t | nm, pois (ab)nm = (an )m (bm )n = e. Assim nm = t, N. Suponhamos que nm t ento1 : n t ou m t, sem perda de geralidade podemos supor que n t ento n | isto = n assim nm = tn logo t | m. assim (ab)m = am bm = am = e, ento n | m isto M DC(n, m) = n = 1 o qual um absurdo pois como a = e ento O(a) = 1. Por tanto do fato que t | nm e nm | t temos t = nm.
1 Aqui

usamos a contra recproca de: a | c, b | c ab | c, o qual a c, b c ab c

Estruturas Algbricas

Pgina 3

c) Um clculo direto mostra que O(a) = 4, O(b) = 3. Tambm ab = 1 1 0 1 (ab)n = 1 n , n N 0 1

Assim (ab)n = I22 , n N (aqui I22 a matriz identidade de dimenso 2), isto a ordem de ab no nita.

Você também pode gostar