Você está na página 1de 35

FACULDADES OSWALDO CRUZ CURSO DE COSMETOLOGIA

Ana Paula de Araújo Bernardes Camila Vargas Borges Daniella Lima Barbosa Flávia Neri Fazza Luciano Fernandes Silva

XAMPU E CONDICIONADOR PARA CABELOS DANIFICADOS

Brasília

2009

Ana Paula de Araújo Bernardes Camila Vargas Borges Daniella Lima Barbosa Flávia Neri Fazza Luciano Fernandes Silva

XAMPU E CONDICIONADOR PARA CABELOS DANIFICADOS

Orientador: Profª. Gláucia Yoshida

Brasília

2009

Monografia apresentada à

Faculdades Oswaldo Cruz como

parte dos requisitos exigidos para

a conclusão do Curso de

Cosmetologia.

AGRADECIMENTOS

Agradecemos as nossas famílias, aos professores das Faculdades Oswaldo Cruz e aos nossos colegas de turma, especialmente a nossa orientadora Profª. Gláucia Yoshida e a todos aqueles que contribuíram para o sucesso deste trabalho.

RESUMO

O cabelo é constituído de proteínas, água, lipídeos, aminoácidos sendo basicamente composto de

queratina e de pigmentos sendo a queratina constituída por carbono, oxigênio, hidrogênio, nitrogênio e enxofre. Dentre os quatro tipos de cabelos: oleosos, normais, secos e danificados, foi

escolhido este último devido a alta procura e pouca diversidade de produtos específicos disponíveis

no mercado.

Xampus são produtos que se destinam à limpeza e conseqüentemente higiene e embelezamento dos cabelos e couro cabeludo. Podemos classificá-los da seguinte forma:

Xampus líquidos: Transparentes, Opacos: com ou sem brilho pérola.

Xampus cremosos: com ou sem brilho pérola.

Xampu gel: Transparentes, Opacos - perolados ou não.

O xampu para cabelos danificados proposto possui uma fórmula mais suave, contém um complexo

ativo de plantas, formado pelos extratos de verbena e tomilho. Além, desses componentes naturais incorporamos o D–pantenol e a queratina, juntos esses ativos irão proporcionar uma restauração, hidratação a cutícula, protegendo os fios da raiz às pontas, trazendo maciez, brilho e resistência capilar. Condicionador é uma associação de diversos produtos que apresentam certas características as quais complementam o tratamento do cabelo. Chamamos Condicionadores aos produtos de caráter catiônico acrescido de aditivos, proporcionando um produto final mais elaborado. Condicionador para cabelos danificados feito para promover reconstrução dos fios, fortalecimento, hidratação em fios quebradiços e danificados. Deixando o cabelo com brilho especial, macio e aparência uniforme.

Palavras-chave: cabelo, xampu, danificados.

ABSTRACT

The hair is composed of protein, water, lipids, amino acids are primarily composed of keratin and the keratin and pigment consisting of carbon, oxygen, hydrogen, nitrogen and sulfur. Among the four types of hair: oily, normal, dry and damaged, the latter was chosen due to high demand and

limited range of specific products available. Shampoos are products that are designed to clean and therefore hygienic and beautification of the hair and scalp. We can classify them as follows:

liquid shampoos: transparent, opaque, with opaque or pearl.

shampoos Cream: with or without bright pearl.

Shampoo gel: transparent, opaque - pearl or not.

The shampoo for damaged hair has proposed a more gentle formula contains an active plant complex formed by extracts of verbena and thyme. In addition, these natural components incorporate the D-pantenol and keratin together these assets will provide a restoration, moisturizing the cuticle, protecting the wires from the root to tip, bringing softness, shine and hair strength. Conditioner is a combination of several products that have certain characteristics which complement the treatment of hair. We conditioning for products of nature plus cationic additives, providing a final product more elaborate. Conditioner for damaged hair done to promote re-wire, strengthening, moisturizing in brittle and damaged wires. Leaving the hair with special luster, soft and uniform appearance.

Key words: hair, shampoo, damaged.

Figura 1 – página 17 Figura 2 – página 17 Figura 3 – página 18 Figura 4 – página 31 Figura 5 – página 31 Figura 6 – página 38 Figura 7 – página 38

LISTA DE FIGURAS

SUMÁRIO

Introdução

10

Capítulo I

Cabelos

17

Capítulo II

Xampus

22

Capítulo III

Condicionadores

28

Capítulo IV

O produto

31

Capítulo V

Marketing

37

Conclusão

40

Referências bibliográficas

41

INTRODUÇÃO

Os cabelos danificados apresentam como primeiros sinais de deteriorização da estrutura dos

fios as alterações da cor e o ressecamento. Muitas são as causas que contribuem para danificá-los, podendo ser elas físicas (os raios ultravioletas da radiação solar, a secagem incorreta, a poeira, o vento, a falta de umidade do ar.) ou químicas (xampu com grande concentração de detergente, descolorações que é o processo químico que mais danifica o cabelo, pois, além de destruir os pigmentos, oxida os aminoácidos, sendo que de 15 a 45% da cisteína é destruída, alisamentos, tinturas, cloro da piscina.). Quando a cutícula está danificada pelo rompimento das escamas, o brilho do fio, que é a reflexão da luz, diminuirá. Quanto mais danificado o cabelo, mais poroso e mais opaco fica. A elasticidade do fio também se alterará, sendo que, se racionado, o cabelo romperá facilmente. Os sinais mais imediatamente visíveis são: textura áspera, porosidade excessiva, secura e quebra que são geralmente causados por danos ao e sobre a extensão da camada folicular da haste capilar. Isto pode ser causado pelo uso do secador de cabelos, vento, xampus muito fortes e tratamentos químicos, assim como outros métodos utilizados para arrumar os cabelos e fatores ambientais. Utilizar condicionadores de pH balanceado, enriquecidos com proteínas e que restaurem a hidratação permite que você suavize o folículo capilar e proteja a haste capilar de maiores danos. Quando os cabelos estão danificados é importante utilizar um bom tratamento de hidratação e condicionamento toda semana, até que os resultados apareçam. Para isso foi criada uma linha composta de xampu e condicionador, rica em elementos que ajudarão a recuperar e hidratar os fios, elaborada especialmente para as pessoas que enfrentam esse problema de possuir cabelos danificados. O xampu para cabelos danificados proposto possui uma fórmula mais suave, contém um complexo ativo de plantas, formado pelos extratos de verbena e tomilho. Além, desses componentes

naturais incorporamos o D–pantenol e a queratina, juntos esses ativos irão proporcionar uma restauração, hidratação a cutícula, protegendo os fios da raiz às pontas, trazendo maciez, brilho e resistência capilar.

O extrato glicólico de tomilho (Thymus vulgaris L.) possui propriedades anti-séptica,

adstringente e estimulante. Por isso, é altamente indicado para fortalecimento dos cabelos. O extrato glicólico de Verbena auxilia o cabelo danificado, com a reconstrução da cutícula do fio protegendo os cabelos do ressecamento, reduzindo o volume proporcionando uma maior maciez, beleza, resistência e vitalidade constituída por um delicado filme desembaraçador. A resistência apresentada pela queratina é quimicamente explicada pela presença de muitas ligações enxofre-enxofre entre as cadeias de polipeptídio, essas cadeias estão muito próximas

fazendo com que a queratina promova uma resistência natural por fechamento das cutículas do cabelo.

O D-PANTENOL, ou pró-vitamina B5, é o precursor do ácido pantotênico, uma vitamina

importante na manutenção da saúde da nossa pele e cabelos. Este é capaz de penetrar na pele, cabelos e unha humanos, onde é convertido a Ácido pantotênico, imprescindível para o funcionamento normal dos tecidos epiteliais. Sua deficiência resulta em várias desordens fisiológicas e dermatológicas, como cornificação, despigmentação e descamação. O D-PANTENOL proporciona aos fios uma hidratação de longa duração, melhora sua maleabilidade, espessa os fios, reduz a formação de pontas duplas, melhora a condição dos cabelos agredidos e danificados e proporciona brilho. Ao contrário do que acontece com outros hidratantes utilizados em produtos para os cabelos, D-PANTENOL penetra lentamente através da haste capilar, acumulando-se nos

fios e chegando a atingir a raiz dos cabelos, onde é metabolizado a ácido pantotênico. Embora se recomende o uso contínuo de formulações contendo D-PANTENOL, uma única aplicação é

suficiente para se observar os benefícios que ele confere aos cabelos (o uso contínuo proporciona resultados melhores e mais duradouros). O condicionador proposto foi desenvolvido para regenera a estrutura dos fios proporcionando brilho, maciez e super hidratação. Formulado com água purificada enriquecida com Manteiga de Karite, Silicone de alta purificação além de Extratos Glicólicos naturais.

A manteiga de Karite Composta por uma mistura de ácidos graxos (Ácido Oléico: 40 a

55%; Ácido Esteárico: 35 a 45%; Ácido Palmítico: 3 a 7%; Ácido Linoleico: 3 a 8%) e por uma fração insaponificável composta por tocoferóis, triterpenos, esteróides e hidrocarbonetos, a MANTEIGA DE KARITÉ possui várias propriedades que a tornam um princípio ativo bastante interessante para uso cosmético:

Rica em Ácido Cinâmico, a MANTEIGA DE KARITÉ atua como um filtro solar natural, auxiliando na proteção da pele e dos cabelos contra a radiação UV;

tem

Por

conter

uma

boa

quantidade

de

Tocoferóis,

a

MANTEIGA

DE

KARITÉ

propriedades antioxidante;

A MANTEIGA DE KARITÉ é um excelente emoliente, e tal como as gorduras vegetais,

ela exerce uma ação protetora sobre os cabelos, prevenindo contra o ressecamento. Os silicones são emolientes de alta estabilidade térmica e química, de baixa tensão superficial, bom perfil reológico a baixas temperaturas e repelência à água. Proporciona lubrificação, facilidade de espalhamento, sedosidade ao toque e brilho, sem possuírem efeito comedogênico. Emoliente, somam características como formação de filme e alta resistência à água e ação condicionante

capilar.

OBJETIVOS

Esse trabalho tem como objetivo a apresentação de uma linha cosmética composta por xampu e condicionador, direcionada para pessoas, especialmente mulheres, com cabelos danificados, visando como resultado final cabelos tratados e saudáveis refletindo assim a satisfação do público alvo.

CAPÍTULO I – CABELOS

História Muçulmanos raspavam os cabelos deixando somente uma mecha no centro da cabeça; já os gregos cortavam seus cabelos para poder oferecê-los aos deuses, utilizando-os assim como objeto de superstição. Arquivologistas descobriram em papiros egípcios, fórmulas datadas de 4000 a.C. para combater a calvície. Dentre elas, três se destacavam:

Cozinhar pata de cachorro com casco de asno e fazer uma mistura com óleo;

Mistura de partes iguais de gordura de leão, hipopótamo, crocodilo, ganso, cobra e cabrito montês;

Dente de asno triturado em óleo.

Estas fórmulas eram usadas friccionando diretamente no couro cabeludo. Cleópatra não gostava da calvície de Júlio César, e o obrigava a usar fórmulas à base de rato doméstico cozido, dente de cavalo, gordura e medula de cervo e Hipócrates, em seu respectivo tempo, receitava para quadros iniciais massagens de óleo de rosa, linho ou de oliva verde. Em casos mais avançados prescrevia cataplasma à base de cominho, alho socado e urtiga. Por toda a Idade Média, vários medicamentos foram sugeridos, inclusive urina de cachorro, infusões de inúmeros vegetais e até rituais de exorcismo. Porém, uma fórmula que se tornou muito famosa foi idealizada por volta do ano de 1600, e era feito de várias plantas medicinais, vinho, semente de rabanete, bago de uva, óleo de linhaça, trigo etc. Obviamente as portas foram abertas para a exploração comercial e não deixaram de existir os aproveitadores, charlatões, curiosos e inúmeras outras modalidades de promessas de cura para a doença.

charlatões, curiosos e inúmeras outras modalidades de promessas de cura para a doença. Figura 1 Figura
charlatões, curiosos e inúmeras outras modalidades de promessas de cura para a doença. Figura 1 Figura

Definição

Conjunto de pêlos que recobrem a cabeça humana; Modificação córnea das células

epidérmicas; Fibra natural, sendo uma proteína denominada queratina.

Composição

O cabelo é constituído de proteínas, água, lipídeos, aminoácidos sendo basicamente

composto de queratina e de pigmentos sendo a queratina constituída por carbono, oxigênio,

hidrogênio, nitrogênio e enxofre.

A química do cabelo

Os maiores constituintes do córtex, matriz e cutícula do cabelo são proteínas e

polipeptídios, lipídios, glicídios e sais minerais.

Principais aminoácidos que compõe a queratina são:

Cistina 17,5%;

Serina 11,7%;

Ácido glutâmico 11.1%;

Treonina 6,9%;

Glicina 6,5%;

Arginina 5,6%.

O cabelo humano possui três distintas regiões morfológicas:

1-

medula

2-

córtex

3-

cutícula

O cabelo humano possui três distintas regiões morfológicas: 1- medula 2- córtex 3- cutícula Figura 3

Figura 3

Medula:

É a camada central do fio de cabelo sendo que a substância medular é diferente da encontrada no córtex e na cutícula. Esta possui queratina mais flexível e junto com a queratina flexível encontram-se fibrilas e espaços de ar que ocupam grande parte da medula, sem oferecer prejuízo.

Córtex:

É a camada intermediária do cabelo representando 90% da estrutura do cabelo e é composto basicamente de queratina. Contém correntes de polipeptídio que são aminoácidos. Consiste de diversas fibras torcidas de proteínas de queratina, que correm uma paralela a outra. Produtos alcalinos afetam diretamente a córtex, pois possui ligações de enxofre; O córtex determina a cor do cabelo, nele que encontramos os pigmentos naturais, a melanina. Nesta região encontramos as seguintes ligações químicas:

Ligação salina: no simples ato de molhar o cabelo sua extensão é aumentada.

Ligação de hidrogênio: a deformação acontece quando transformamos temporariamente o cabelo

Ligação de enxofre: só é rompido através de química e sua transformação é permanente

Córtex da fibra capilar Estrutura do fio:

Glicídeos

Lipídeos

Proteínas

Vitaminas

Melanina

Cutícula:

Camada externa do fio, formada de escamas incolores e translúcidas, é hidrofílica, ou seja, gosta de água.

Formada por várias camadas que variam de 4 a 18. Em cabelos claros e finos pode haver somente quatro camadas, em cabelos grossos e escuros pode haver até 18 camadas. Sua função é proteger o fio de cabelo contra as influências do meio como, raios solares,

oxidação, poluição, evitando a perda de substâncias capilares. A cutícula sofre agressões externas

(sol, chuva, poluição

ver a cor do fio de cabelo.

agressões mecânicas (escovar, pentear).Por ser transparente nos permite

),

Tipos de cabelo:

Podemos dividir os tipos de cabelos em:

Elástico

Poroso

Impermeável

Normal

Cilíndrico

Prismático

Elasticidade:

Um cabelo saudável é elástico e sua elasticidade varia conforme a quantidade de água absorvida, pois a água atua como lubrificante intermolecular.

Porosidade:

Os cabelos porosos possuem escamas abertos, não possuem boa elasticidade e são geralmente secos. No cabelo impermeável, as escamas são fechadas. Os cabelos normais ficam em um nível intermediário, entre o poroso e o impermeável.

Cilíndricos e Prismáticos:

Cilíndricos são os cabelos lisos; pismáticos são os cabelos ondulados e crespos.

Podemos classificar os cabelos, ou couro cabeludo em:

1. oleosos

2. normais

3. secos

4. danificados

Cabelos oleosos Apresentam atividade excessiva da glândula sebácea; São gordurosos, pesados, sem volume

e geralmente finos.

Além da hereditariedade, o stress, as alterações emocionais, descompensação hormonal e alimentação desequilibrada, aceleram a produção de secreção das glândulas sebáceas, influenciando

a oleosidade. Cabelos oleosos devem ser lavados diariamente ou sempre que sentir necessidade.

Cabelos normais Apresentam controle ideal da glândula sebácea, que libera apenas oleosidade suficiente para lubrificar naturalmente o fio; Macios, sedosos, brilhantes, com volume e saudável.

Cabelos secos Possuem pouca atividade da glândula sebácea, acarretando pouca produção de sebo para lubrificar os fios; Sem brilho, difícil de pentear (embaraçam com facilidade), áspero aspecto elétrico, pontas quebradiças e ásperas ao toque.

Danificados:

Quebradiços apresentam desgaste provocados por produtos químicos mal aplicados, que causam anomalias na disposição da cutícula na estrutura do fio; Cabelos sem brilho e sem resistência.

Cabelos mistos:

São cabelos que possuem a raiz oleosa, por produção excessiva da glândula sebácea e as pontas secas ou danificadas, normalmente por tratamento inadequado ao cabelo. Combinações de fatores externos como: colorações, alisamentos, permanentes, sol em excesso, uso incorreto do secador provoca ressecamento dos fios. Geralmente trata-se de cabelos de comprimento médio ou longo.

CAPÍTULO II – XAMPUS

História

A palavra xampu é a denominação correta na norma ortográfica brasileira (xampô, em

português de Portugal). Xampu é uma tradução da palavra da língua inglesa, que se acredita tenha

sido derivada de uma palavra hindi “chhamma” que quer dizer apertar ou massagear. O uso desse termo data de 1877, quando alguns cabeleireiros Ingleses aqueceram sabão com água, bicarbonato de sódio e algumas ervas, para proporcionar mais aroma aos cabelos. Nos primórdios de seu uso, xampu e sabão eram muitos semelhantes, mas com o passar do tempo e a evolução técnica, as formulações de xampus foram se modificando e tornando-se específicas para limpeza dos cabelos e não do corpo como um todo. Foi então que no século XX que começaram a aparecer xampus para tipos diferentes de cabelos e a estes foi incorporada uma infinidade de princípios ativos, para as mais diversas funções. O cabelo e o couro cabeludo acumulam ampla variedade de impurezas, incluindo oleosidade produzida pela glândula sebácea, células mortas descamadas, resíduos de cosméticos, bem como

sujeira e fuligem do ar. A finalidade de um xampu é limpar os cabelos e ainda deixá-los reluzente e maleável, com aparência saudável.

A necessidade de lavagem freqüente ou não, varia de indivíduo para outro; lavar o cabelo

envolve ação QUÍMICA e FÍSICA;

FÍSICA - quando se efetua a lavagem e o espalhamento do xampu, as impurezas do cabelo e do couro cabeludo, soltam-se em uma ação física;

QUÍMICA - o xampu atrai as partículas e segura-as fora do cabelo e do couro cabeludo, até serem removidas com o enxágüe.

É importante um enxágüe abundante, que remova todos os produtos usados na limpeza.

Definição Produtos que se destinam à limpeza e conseqüentemente higiene e embelezamento dos cabelos e couro cabeludo. Podemos classificá-los da seguinte forma:

Xampus líquidos: Transparentes, Opacos: com ou sem brilho pérola.

Xampus cremosos: com ou sem brilho pérola.

Xampu gel: Transparentes, Opacos - perolados ou não.

Quanto o efeito sobre o couro cabeludo e fios:

Para cabelos normais

Para cabelos oleosos

Para cabelos secos

Para casos especiais

Composição

Quanto às matérias-primas:

Produto base (detergente);

Agente engrossante;

Agente engordurante;

Estabilizador de espuma;

Agente perolante;

Agente conservante;

Essências e corantes,

Aditivos especiais;

Diluente.

Produto base Para a elaboração de xampus os componentes básicos utilizados são as substâncias orgânicas tensoativas isto é, são aquelas que apresentam a propriedade de reduzir a tensão superficial da água e de outros líquidos. A tensão superficial (TS) da água é de 72,6 dinas/cm a 20 graus, pela adição de pequenas quantidades de tensoativos, ela é reduzida para 30-40 dinas/cm. Entendemos como TS a força, medida em dina, necessária para que a superfície de um líquido se espalhe por um centímetro, é resultante das forças de coesão entre as moléculas de um líquido. Como as moléculas da superfície praticamente não sofrem forças de atração pelas moléculas do ar acima do líquido, forma-se uma resultante em direção ao interior deste. Como conseqüência da TS um líquido tenderá a formar sempre a menor superfície de contato possível com o ar. Este fenômeno é exemplificado pela gota d’água sobre uma superfície plana:

Gota sem adição de tensoativo.

Gota após adição e tensoativo.

Os tensoativos apesar de apresentarem uma composição química muito variável, apresentam a característica comum, de sua molécula apresentar um componente hidrófilo e outro hidrófobo. Formas de apresentação dos xampus Estão relacionadas com o estado e o aspecto físico do produto:

Xampus líquidos

Xampus cremosos

Xampu gel

Xampu em pó e tablete

Propriedades ideais de um xampu

Facilidade de aplicação/distribuição;

Poder espumógeno;

Capacidade de limpeza;

Facilidade de enxágüe;

Penteabilidade do cabelo molhado;

Brilho/maciez;

Maleabilidade;

Penteabilidade a seco;

Fragrância agradável;

Baixo poder de irritação

Formulação básica Um xampu pode/deve conter:

Tensoativos: ação detergente é sua principal característica e podem ser classificados em:

iônicos

aniônicos

nfotéricos

não iônicos

Tensoativos:

Os tensoativos mais utilizados em xampus são os aniônicos e os anfóteros; Nos condicionadores os catiônicos; Os não iônicos são utilizados em cremes e loções, sendo utilizados em xampus apenas como tensoativos secundários.

Tensoativos aniônicos:

Os tensoativos aniônicos mais utilizados na formulação de xampus são os alquil sulfatos, alquil éter sulfatos e os sulfonados; Os fosfatos quase não são utilizados pela relação custo benefício. Os tensoativos devem apresentar ótimo poder de dertergência e baixa toxidade, que é dada pelo tamanho da cadeia alquílica; Os derivados do ácido mirístico (C14), são os mais empregados, pois cadeias graxas de 12 e 14 átomos de carbono fornece boa umectação, bom poder de limpeza na lavagem, volume de espuma adequado.O aumento da cadeia graxa, ácido esteárico (C16) e o ácido palmítico (C18) tendem a diminuir a irritabilidade mais diminui também a solubilidade em água; A diminuição da cadeia graxa (C10) cáprico e (C8) caprílico aumenta a solubilidade em água mas torna-os irritantes;Portanto os alquil sulfatos e os alquil éter sulfatos são os detergentes mais utilizados nas formulações.

Alquil sulfatos Encontramos no mercado:

Lauril sulfato de sódio – mais agressivo ao cabelo e pode apresentar 100% de detergência;

Lauril sulfato de trietanolamina – mais suave e menor poder de detergência;

Lauril sulfato de monoetanolamina – utilizados em produtos que exigem alta viscosidade;

Lauril sulfato de amônio – somente é estável no pH 5,5 a 6,5.

Alquil éter sulfatos

Difere do anterior apenas pela reação de etoxilação com um ou mais moles de óxido de etileno;

Essa etoxilação confere ao produto mais suavidade;

Podemos encontrar:

Lauril éter sulfato de sódio – o mais utilizado para xampus;

Lauril éter sulfato de trietanolamina – promove suavidade ao xampu;

Lauril éter sulfato de monoetanolamina;

Lauril éter sulfato de amônio

Tensoativos anfóteros:

São utilizados em xampus, sabonetes líquidos e banho de espuma, xampus infantis, xampus suaves para uso diário. Confere suavidade e leve ação condicionadora, baixo poder espumógeno e baixa reserva de viscosidade. Encontramos: cocoanfocaboxiglicinato, cocobetaína, coco amido propil betaína.

Tensoativos não-iônicos

conferindo

alcalonamidas de ácido graxo de coco, tendo como característica:

São

usados

como

tensoativos

secundários,

suavidade

conferir estabilidade à espuma;

apresentar ação sobreengordurante;

poder espessante;

funcionar como solubilizante de essências.

Formulação básica

à

formulação.

São

Um xampu pode/deve conter:

Agentes sequestrantes: utilizado com a finalidade de reduzir o efeito da água dura, que deposita no fio do cabelo deixando-os opacos e sem vida. Ex.: EDTA e ácido cítrico.

Agentes espessantes:

diestearato de propilenoglicol 6000

cloreto de sódio

hidroxi-etil-celulose

carbômero.

Agentes perolizantes ou opacificantes: bases perolizadas constituídas em sua maioria de lauril éter sulfato de sódio e monoestearato de etileno glicol

Preservantes:

metil parabeno;

metil dibromo-glutaronitrila e fenoxietanol;

isotiazolidonas (mistura sinergética);

imidazolinidil uréia.

CAPÍTULO III – CONDICIONADORES

Histórico Os condicionadores atuais são uma sofisticação dos “cremes” do passado, onde eram empregados gema e clara de ovo, azeite de tutano e vegetais esmagados. Em 1945 iniciou-se o emprego do cloreto de cetiltrimetilamônio, utilizado até hoje.Posteriormente utilizou-se, alquilpiridino, alquildimetilbenzilamônio

Definição É uma associação de diversos produtos que apresentam certas características as quais complementam o tratamento do cabelo. Chamamos Condicionadores aos produtos de caráter catiônico acrescido de aditivos, proporcionando um produto final mais elaborado. Chamamos de Creme Rinse, ao produto que contém somente a base com característica catiônica. O condicionador deverá possuir caráter catiônico, pois isto permite uma afinidade para coma queratina e nesta se fixam, dando certas peculiaridades ao cabelo. Dependendo do tipo de cabelo e do tipo de xampu utilizado previamente, a composição em linhas gerais é a seguinte:

1) apresentar pouco poder aniestático. 2) apresentar certo poder engordurante. 3) apresentar pH ácido.

No item 1 temos que, devido à eliminação da eletricidade estática há uma facilidade no pentear, ficando o cabelo solto e relativamente macio. No item 2, em alguns casos o xampu desengordura em excesso e é necessária a reposição desta gordura sobre o cabelo e couro cabeludo. No item 3, como é conhecido, normalmente o detergente catiônico exerce seu efeito em meio ácido, igualmente, no caso de usar um sabão para a limpeza dos cabelos, este haverá de

modificar o pH do couro cabeludo e por meio de um produto ácido a volta do pH da epiderme será mais acelerada. Observa-se que se deve utilizar um ácido fraco e nunca um ácido forte, que prejudicará os cabelos.

Tensoativos catiônicos:

Maior emprego de Cloreto de cetil trimetil amônio na formulação de rinses, condicionadores e cremes de pentear. O cuidado com os cabelos é uma preocupação constante; Cabelos são compostos de três partes: cutícula, córtex e medula. Os tensoativos catiônicos agem na camada externa, a qual é responsável pela proteção, maciez e brilho dos cabelos.

Propriedades ideais de um condicionador:

Facilidade de aplicação/distribuição;

Capacidade de desembaraçar;

Facilidade de enxágüe;

Penteabilidade do cabelo molhado;

Brilho/maciez;

Maleabilidade;

Penteabilidade a seco;

Fragrância agradável;

Baixo poder de irritação;

Eliminar o efeito Fly away

Formulação básica:

Um condicionador pode/deve conter:

Agentes ou substâncias antiestática: fios de cabelo possuem cargas negativas que se repelem, impedindo a acomodação do penteado; os agentes antiestáticos reduzem essa eletricidade estática, tornando os cabelos mais fáceis de pentear e condicionados; os mais utilizados são: cloreto de cetiltrimetilamônio e cloreto de alquildimetilbenzilamônio.

Agentes sobreengordurantes: substâncias destinadas a repor o teor de oleosidade aos cabelos, atenuando o ressecamento. Ex: óleos vegetais, derivados de lanolina, óleo mineral.

Agentes de consistência: são ceras geralmente sólidas que além de dar corpo ao produto agem como sobreengordurante. Ex: álcool cetílico, álcool estearilico, álcool cetoestearílico.

Conservantes

Corantes

Essência

Regulador de pH

Matérias-primas especiais:

Uma tendência atual é o emprego metasulfato de berrentrimônio, que possui cadeia grande com baixo poder irritativo e efeito leave-on.

Filtro Solar: absorve os raios UVB, protegendo o cabelo dos danos causados pela

exposição solar. Merguard 1200: conservante hipoalergênico, não irritante utilizados em produtos “dermatologicamente testados”.

Outras matérias-primas Utilizamos outras matérias–primas como complemento da formulação ou para dotar o produto final de propriedades específica, como:

Incroquat: é uma cera catiônica obtida a partir da amina, reduz a estática do cabelo, melhora a penteabilidade.

Silicone: microemulsão possui potente ação condicionadora e formadora de filme. É capaz de penetrar na cutícula do fio

Pantenol: é uma pró-vitamina que penetra na raiz e no corpo do cabelo, transformando- se em ácido pantôtenico, regenerando cabelos secos e quebradiços; espessa o cabelo em até 10% do seu diâmetro normal.

CAPÍTULO IV – O PRODUTO

Todos os dias há uma perda natural dessas substancias:

Glicídeos

Lipídeos

Proteínas

Vitaminas

Melanina

As agressões causadas pelos tratamentos químicos e ainda fatores externos, como vento, cloro, sol e água salgada, acabam acelerando ainda mais esta perda.

Cabelo após lavagens

acelerando ainda mais esta perda. Cabelo após lavagens Figura 4 Cabelo Virgem Perfeito Figura 5 Cabelo

Figura 4 Cabelo Virgem Perfeito

ainda mais esta perda. Cabelo após lavagens Figura 4 Cabelo Virgem Perfeito Figura 5 Cabelo Danificado

Figura 5 Cabelo Danificado pelas Lavagens

Tudo acontece da seguinte forma: com ação dos “inimigos”, as escamas superficiais dos fios se abrem, deixando a camada interna exposta. Assim o cabelo perde água, nutrientes, queratina e acaba ressecado, ficando frágil e com pontas duplas.

Fio de cabelo danificado A fibra capilar perde elasticidade, nutrientes e principalmente seu material de construção, a QUERATINA.

FÓRMULA XAMPU

XAMPU PARA CABELOS DANIFICADOS Xampu para cabelos secos, indicado para cabelos danificados. Ajuda na proteção necessária para o dia-a-dia, onde nutre, regenera e hidrata prolongando a vida de cada fio.

Composição: Nipagim, Nipazol, Alkalan Vege, Lauril Éter Sulfato de Sódio, Base Perolizante, Polvgreen Tensolive, Polymer JR30M, Fragrância, Cloreto de Sódio, Germal, Glucamate DOE 125, silicones DC 949, DC 7224, Água Deionizada.

Ativos:

Extrato de Verbena: Adstringente e Calmante

Dosagem: 0.4%

Extrato de Tomilho: Estimulante e Energizante

Dosagem: 0.3%

Queratina: Proteína Hidrolisada que se incorpora naturalmente e reconstrói a fibra capilar;

Dosagem: 0,5%

D-Pantenol: Pró-Vitamina B5 que proporciona nutrição; melhora o brilho, o toque e a flexibilidade e também protege o cabelo contra os danos mecânicos e torna os cabelos mais resistentes.

Dosagem: 1%

BENEFÍCIO: Limpa delicadamente e recupera cabelos frágeis, ressecados e danificados pelos agentes químicos e físicos. A combinação de extrato de verbena e tomilho com queratina e D- Pantenol proporcionam suavidade e proteção. Deixa os cabelos flexíveis, com um brilho natural e aparência saudável.

MODO DE USAR: Massagei o xampu no cabelo molhado e com as pontas dos dedos massageie até forma espuma. Enxágüe com bastante água e aplique o condicionador proposto. Recomenda-se usar o produto duas ou três vezes por semana, alternando com o xampu de uso freqüente, conforme necessário.

FASE 1

Água – Veículo qsp 100%

EDTA – Quelante – 0,1%

FASE 2

Cocoamidopropil betaína – Anfótero (diminui irritabilidade) – 5%

FASE 3

Propilparabeno (Nipazol) – preservante – 0,2%

Metilparabeno (Nipagin) – preservante – 0,1%

Fragrância – perfumar – 0,6%

Imidozolidine Uréia – preservante – 0,6%

FASE 4

Lauril Éter Sulfato de Sódio – Tensoativo aniônico – 25%

FASE 5

FASE 6

Extrato de Jaborandi – Fortificante dos fios – 3%

PROCESSO DE FABRICAÇÃO

Misturar FASE 1 e aquecer

Adicionar FASE 2 sobre FASE 1, homogeneizar

Na FASE 3, solubilizar os parabenos na amida e em seguida adicionar a imidazolidine uréia e a fragrância, agitando após cada adição

Homogeneizar a mistura final

Adicionar FASE 3 sobre FASE 1 + FASE 2

Adicionar FASE 4

Aquecer a FASE 5 a 40°C - 45°C, até ficar uma solução límpida e sem precipitado. Adicionar à fase anterior

Adicionar FASE 6 à fase anterior, homogeneizar

O produto final tem pH 6,0 – 6,5

Medir o pH = 5,0

Adicionar trietanolamina para fazer a correção de pH 5,5 a 6,0

FÓRMULA CONDICIONADOR

CONDICIONADOR PARA CABELOS DANIFICADOS

Condicionador para cabelos danificados feito para promover reconstrução dos fios, fortalecimento, hidratação em fios quebradiços e danificados. Deixando o cabelo com brilho especial, macio e aparência uniforme.

Composição: Álcool Cetoestearílico, Estearato de octila, Polawax, Incroquat Berrenil TMS, BHT, Cloreto de Cetil Trimetil Amônio, Nipagim, Nipazol, Propilenoglicol, Glicerina, Fragrância, Germal, Água Deionizada.

Ativos

Manteiga de Karite: Fonte de ácidos graxos com propriedades emolientes e hidratantes

Dosagem: 1,5%

DC 7224: Silicone amino funcional que atua sobre os cabelos danificados promovendo a

reconstrução da fibra capilar deixando os fios uniformes, macios e sedosos, além de reduzir a carga estática. Dosagem: 1%

o Crodazosoft: Suavizante previne danos na cutícula do cabelo, facilita a liberação de

ativos lipofílicos.

Dosagem: 1,8%

o Extrato de Verbena: Adstringente e Calmante

Dosagem: 0,5%

o Extrato de Tomilho: Estimulante e Energizante

Dosagem: 0,5%

BENEFÍCIO: Condiciona intensamente os cabelos deixando-os macios e flexíveis. A sinergia dos ingredientes ativos (Manteiga de Karite, Silicone, Crodazosof) fortifica e restaura os cabelos além de deixá-los hidratados e bonitos. Sua rica fórmula revigora os cabelos tornando-os saudáveis e com menos volume.

MODO DE USAR: Após lavar os cabelos com o xampu proposto, aplique uma generosa quantidade nos cabelos, massageando-os bem. Deixe agir de 2 a 3 minutos e enxágüe com bastante água.

FASE 1

Álcool ceto-estearílico------------------------------3,00

INCROQUAT BERRENIL------------------------1,00

POLAWAX------------------------------------------1,00

MANTEIGA DE KARITE-------------------------1,50

BHT---------------------------------------------------0,50

NIPAGIN----------------------------------------------0,2

FASE 2

Água deionizada qsp-----------------------------100,00

EDTA-------------------------------------------------0,10

Cloreto de Cetil Trimetil Amônio 50%-----------2,00

Glicerina----------------------------------------------2,00

NIPAZOL----------------------------------------------0,2

FASE 3

Silicone DC 7224------------------------------------1,00

Extrato de Verbena e Tomilho---------------------1,00

Fragrância --------------------------------------------qs

PROCESSO DE FABRICAÇÃO

Aquecer, separadamente, as fases 1 e 2, a 75-80ºC.

Adicionar a fase 2 sobre a fase 1. Emulsionar.

Manter a temperatura e agitação por 10 minutos. Iniciar resfriamento com agitação.

Por volta dos 45ºC, adicionar, um a um, os componentes da fase 3. Misturar bem.

CAPÍTULO V – MARKETING

Formulação de produtos cosméticos:

A definição de um novo produto é baseada em pesquisas mercadológicas, para isso devemos:

Conhecer o perfil do concorrente e as necessidades do público-alvo;

Obter uma visão global do que deve ser o produto desenvolvido.

No desenvolvimento devemos levar em consideração:

Custo

Preço de venda

Forma de apresentação

Função a que se destina

Abordagem de marketing

Cabelo crespo:

São mais frágeis e delicados, necessitando de um tratamento equilibrado, que elimine o acúmulo de resíduos no couro cabeludo, facilitando crescimento, o fortalecimento e a hidratação dos fios até as pontas dos cabelos.

Escamas: são mais abertas que a dos fios lisos, o que reduz a reflexão da luz e dificulta a penteabilidade. Volume: é maior porque os fios ocupam mais espaço que os fios lisos, sobrepondo-se uns aos outros.

Ressecados: produção das glândulas sudoríparas e sebáceas são insuficientes, não permitindo que todo o filme hidrolipídico (proteção dos fios) seja formado por toda a extensão do fio.

Aspecto rebelde: fios frágeis, quebrando próximo a raiz.

Queratina:

A proteína que revitaliza os cabelos

- Equilibrar a porosidade ao longo dos fios de cabelos, aumentando sua força e elasticidade, é a

principal ação da Queratina.

- Proteína encontrada naturalmente nos cabelos, na pele e nas unhas.

- A Queratina representa cerca de 90% da constituição dos fios de cabelo.

- Forma-se a partir de aminoácidos, entre eles a tirosina, responsável por atrair e reter pigmentos e a cistina, que liga as estruturas que dão forma ao fio.

XAMPU REVITALIZANTE CABELOS FRAGILIZADOS

Xampu revitalizante indicado para cabelos tingidos e com permanentes.

• Hidrata e diminui a porosidade do cabelo.

• Protege os fios sensíveis e melhora a fibra capilar a cada aplicação

A linha de Xampu e Condicionador SEMPRE LINDA limpa sem ressecar o cabelo, deixando-o forte e com brilho. Com ele seu cabelo crespo ficará forte, hidratado e bonito. Sua fórmula, enriquecida com D-Pantenol que forma uma película que envolve os fios da raiz até a ponta, ajudando a recuperar a saúde e vitalidade perdidas com a última química, cuidando e protegendo seu cabelo até a próxima química. Também fazem parte da linha o condicionador, o creme para pentear e a máscara de hidratação profunda.

química. Também fazem parte da linha o condicionador, o creme para pentear e a máscara de
química. Também fazem parte da linha o condicionador, o creme para pentear e a máscara de

Figura 6

Figura 7

ANTES

DEPOIS

EMBALAGEM

Embalagem plástica

Opaca

Frasco de 100ml

ASPECTO PRODUTO FINAL

Produto opaco e colorido

PREÇO APROXIMADO

R$ 3,50

PÚBLICO ALVO

Mulheres com cabelos cacheados e quimicamente tratados

CONCLUSÃO

A finalidade do uso de xampus é a limpeza delicada e recuperação dos cabelos frágeis, ressecados e danificados pelos agentes químicos e físicos. A combinação de extrato de verbena e tomilho com queratina e D-Pantenol proporcionam suavidade e proteção. Deixa os cabelos flexíveis, com um brilho natural e aparência saudável. Os xampus foram criados em 1877 e desde o início tiveram uma única finalidade, ajudar na limpeza dos cabelos, lavados até então, apenas com sabonetes. A freqüência do uso de xampus varia de acordo com o tipo de cabelo. Os cabelos secos não precisam, necessariamente, de lavagens diárias, porque conseguem manter a aparência limpa mesmo sendo lavados com menor freqüência. A finalidade dos condicionadores é a nutrição e assentamento dos fios,condicionando intensamente os cabelos deixando-os macios e flexíveis. A sinergia dos ingredientes ativos (Manteiga de Karite, Silicone, Crodazosof) fortifica e restaura os cabelos além de deixá-los hidratados e bonitos. Sua rica fórmula revigora os cabelos tornando-os saudáveis e com menos volume. Os cabelos secos necessitam mais do que os normais e oleosos, do uso de condicionadores. Eles têm a finalidade de nutrir e assentar os fios capilares. O uso de condicionadores sem enxágüe é a melhor indicação para os cabelos secos.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

PEREIRA, J. M. 2001 Introdução à Tricologia - Doenças dos Cabelos e do Couro Cabeludo. São Paulo: Atheneu, 2001.

DAWBER, R. ; VAN NESTE,D. Doenças dos Cabelos e do Couro Cabeludo: Sinais Comuns de Apresentação, Diagnóstico Diferencial e Tratamento. São Paulo: Manole, 1996.

BARATA, E. A. F. A Cosmetologia – Princípios Básicos. São Paulo: Tecnopress, 1995.

MAGALHÃES, J. Cosmetologia. Rio de Janeiro: Rubio, 2000.

BEDIN, V. STEINER, D. Viva bem com

Seu

cabelo. São Paulo: Kalys, 1999.

WICHROWSKI, L. Terapia Capilar - Uma Abordagem Complementar. Porto Alegre: Alcance,

2007.

GOMES, A. L. O Uso da Tecnologia Cosmética no Trabalho do Profissional Cabeleireiro. 2 ed. São Paulo: Senac, 2008.

SEUS CABELOS ESTÃO DANIFICADOS? Como Reconhecer Cabelos Danificados. Brasília. Disponível em: <http://www.hairfinder.com/pt/cabelos_danificados.htm>. Acesso em 01 dezembro

2008.

TRICOLOGIA. Brasília. Disponível em: <http://www.tricologia.com.br>. Acesso em 01 novembro

2008.