Você está na página 1de 2

ÁREA DE PROTEÇÃO AMBIENTAL DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO JAPUÍBA:

Planejando o Uso e a Conservação do Meio Ambiente com responsabilidade.

A Área de Proteção Ambiental da Bacia Hidrográfica do rio Japuíba (APA Japuíba) é uma unidade de conservação da natureza de uso sustentável garantida pela Lei nº 9.995/00, que criou em nível federal o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza. A APA Japuíba, foi criada pela Lei Municipal nº 1.888/07 e tem a finalidade de organizar o uso da área rural da bacia hidrográfica do rio Japuíba, estabelecendo critérios de uso do solo e dos recursos naturais e criando garantias para a perpetuidade do recurso ambiental mais precioso do planeta: a água.

do recurso ambiental mais precioso do planeta: a água. Foto: Visão panorâmica da cadeia montanhosa da

Foto: Visão panorâmica da cadeia montanhosa da APA Japuíba (Foto: Edmar Tavares).

A bacia hidrográfica do rio Japuíba é formada na sua grande parte de florestas do bioma Mata Atlântica em excelente estado de conservação, mesclando diversidade de ambientes com equilíbrio ambiental e garantindo a existência de rica fauna e flora, porém em algumas de suas áreas, encontramos precárias condições de conservação do solo, das florestas e dos recursos hídricos, uma vez que a ocorrência de focos de poluição hídrica, promovida pelo descarte irregular de esgotos de residências e sítios economicamente pouco produtivos, promovem destruição do meio ambiente, ameaçando os mananciais de água municipal com poluição orgânica e desmatamentos, e colocando em risco a biodiversidade local.

A bacia hidrográfica do rio Japuíba é

formada por apenas dois rios principais: o

rio Japuíba e o rio Cabo Severino. A água

destes dois rios somados é responsável pelo abastecimento de cerca de 66% das residências e estabelecimentos comerciais

do Centro Administrativo de Angra dos Reis, representando condições adequadas

ao desenvolvimento econômico municipal.

adequadas ao desenvolvimento econômico municipal. Foto: Rio Cabo Severino: água límpida e desimpedida de

Foto: Rio Cabo Severino: água límpida e desimpedida de poluição. (Acervo Paulo Carvalho Filho).

Sob responsabilidade administrativa da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano da Prefeitura de Angra dos Reis, tem no seu Administrador, o compromisso de implantar um eficiente

sistema de gestão que possa garantir para

a área, melhores formas de uso dos

recursos ambientais sem comprometer a

qualidade do meio ambiente.

A APA Japuíba foi criada pelo Poder

Executivo Municipal depois de vários anos

de estudos e vistorias técnicas de campo,

que reuniram conhecimentos práticos sobre o meio ambiente local e serviram a proposição de criação da unidade de

conservação.

a proposição de criação da unidade de conservação. Foto: Briófitas recobrindo tronco arbóreo em meio a

Foto: Briófitas recobrindo tronco arbóreo em meio a floresta (Acervo Paulo Carvalho Filho).

O conhecimento de espécies da fauna e flora da Mata Atlântica local e de locais de interesse turístico de alto potencial de aproveitamento que merecem ser cuidadosamente explorados e conservados a fim de não permitir a sua degradação é um dos resultados efetivos obtidos.

Muitos locais de rara beleza em meio à floresta, podem ser encontrados com facilidade, como é o caso do Poço da Borboleta Azul e tantos outros, formados por rica vegetação atlântica em

e tantos outros, formados por rica vegetação atlântica em Foto: Carvalho Filho). Poço da Borboleta Azul.

Foto:

Carvalho Filho).

Poço

da

Borboleta

Azul.

(Acervo

Paulo

consorciação a uma estrutura geológica característica das regiões atlânticas da Serra do Mar e a nascentes, rios e cachoeiras em meio a caminhos e estradas vicinais e viadutos da linha férrea Angra- Lídice que corta toda a área da unidade de conservação, reservando beleza ímpar ao local.

unidade de conservação, reservando beleza ímpar ao local. Foto: Viaduto da linha férrea Angra-Lídice (Acervo Paulo

Foto: Viaduto da linha férrea Angra-Lídice (Acervo Paulo Carvalho Filho)

Além

ocorrem

dos

na

problemas

área,

outros

citados

não

que

menos

importantes também são encontrados e dizem respeito na maior parte das vezes a questões fundiárias e a falta de infraestrutura administrativa da prefeitura municipal, que auxilie na fiscalização da área com eficiência e dinamismo.

Por ser uma unidade de conservação da natureza de uso sustentável, concilia o uso com a conservação do ambiente, permitindo que propriedades, na maior parte das vezes constituídas por posses antigas, permaneçam na área, sem que existam regulamentos de uso estabelecidos em forma de um plano de manejo, que possa garantir o uso dos recursos naturais, com responsabilidade social e ambiental.

A administração da APA está em vias de implantar o Conselho Gestor da unidade reunindo diversos setores da sociedade angrense, porém a precariedade administrativa, impõe lentidão nas decisões e a falta de infraestrutura apropriada e de pessoal para atuar na fiscalização da área, requer dos fiscais um grande esforço pessoal para conter os desmatamentos e os usos indevidos.

Para melhor gerir a APA Japuíba é necessário que o Poder Público municipal priorize a aquisição de equipamentos, que sirvam a fiscalização e ao planejamento, implantando um centro de gestão, que auxilie na fiscalização e na educação ambiental, orientando a população visitante na preservação dos ambientes e garantindo o uso sustentável da área, através de um programa de utilização turística.

Autoria: Paulo Carvalho Filho Especialista em Planejamento Ambiental e MSc em Geociências área de concentração em Gestão Ambiental.