Formação de Pregadores – Módulo 1

A Pregação no Grupo de Oração
A pregação no grupo de oração é um assunto que há muito tempo nos desafia.

1. 2. 3.

Devido às nossas próprias limitações. A dinâmica do grupo é exigente. O grupo recebe toda espécie de filhos de Deus.

para levar-lhes somente um ensinamento doutrinário. Tal atitude excluiria quase 100% das pessoas. ainda que fosse perfeito do ponto de vista teológico. então?  . Seria ilusão ignorar os problemas relacionados com a humanidade dos freqüentadores do grupo de oração. O que fazer.

SEGUIR O EXEMPLO DE JESUS .

 A conversão  O Espírito Santo  A comunidade. como fruto do Espírito Santo .PREGAÇÃO QUERIGMÁTICAS Pregações querigmáticas são todas aquelas relacionadas com os seguintes temas:  O amor de Deus  O pecado  A salvação  A fé.

15) . (Mc 16.Conceito de Pregação e Ensino a) Pregação b) Ensino c) Distinção entre ensinos e pregações Ide por todo o mundo. e pregai o evangelho a toda criatura.

DISTINÇÃO ENTRE PREGADOR E FORMADOR a) Pregador b) Formador .

OBJETIVOS DE PREGAÇÕES E ENSINOS a) Pregação Deus falou uma vez. duas vezes ouvi isto: que o poder pertence a Deus (Salmos 62:11) b) Ensino .

EFEITOS DA PREGAÇÃO E DO ENSINO NAS PESSOAS QUE OS OUVEM .

Em temas querigmáticos (para todas as situações) .Em temas catequéticos (para muitas pessoas.EMPREGO DE PREGAÇÕES E ENSINOS a) b) Pregação .Para temas catequéticos ministrados a pouca gente = “Pouca gente”. para encontros abertos). . Ensino . expressão entendida como uma quantidade de pessoas que possibilite a aplicação de dinâmicas e o emprego de variadas técnicas de ensinos.

. É importante usar pregação e ensino como estilos diferentes. Em temas querigmáticos não é bom combinar pregação e ensino. pregar ensinando e ensinar pregando. como formas de variação. principalmente quando se prega nos grupos de oração. e às vezes ideal.PREGAÇÕES E ENSINOS MISTOS - - É possível.

At 9. conduzida pelo Espírito (cf. prega com o poder no espírito. é pessoa . de coração simples. íntima de deus. busca o dom da fé. que é membro do Corpo Místico de Cristo. paciente e perseverante diante das perseguições (cf. 41). o zelo pelo Evangelho. Gal 1. a visão do plano de Deus (Ef 3. 17-19. batizada no espírito (cf. que está inserida na realidade de seu povo.Características do perfil do pregador         O pregador é uma pessoa de fé e de oração. 6-10). aceita e pratica os dons carismáticos. vive o que prega. At 16. fala a verdade. 1516). . 17). O pregador leva as pessoas a Jesus. que testemunha a ressurreição de Jesus. busca a formação. At 5. que é responsável. ama e perdoa as traições e perseguições dos irmãos.

paciente e perseverante C) O Pregador é intimo de Deus D) O pregador é pessoa de fé E) O Pregador é Homem de Bem-Aventuranças F) O Pregador usa dos carismas G) O pregador é membro do corpo místico de Cristo H) O Pregador tem visão do Plano de Deus .REFLEXÃO Como você tem reagido diante das características anteriores? A) O Pregador é inserido na realidade de seu povo B) O Pregador é responsável.

2. 3. 5.REFLEXÃO 1. Você está inserido na realidade do seu Grupo? É responsável no Grupo ou com os compromissos que assume? Tem buscado ser intimo de Deus pela oração pessoal? A sua fé está fundamentada na Doutrina da Igreja? Tem exercitado as bemaventuranças? . 4.

30). porém. 15. 3. 24). Mas eu me empenho em conquistála. que busquemos possuir um perfil semelhante ao deles para que. Caminho da cruz e da renuncia de si mesmo (Mt 16. possamos dizer como São Paulo: “Não pretendo dizer que já alcancei (esta meta) e que cheguei à perfeição. A sagrada Escritura fornece o caminho que devemos percorrer para a formação do nosso perfil. 6) e da busca da santidade:  Caminho da Cruz e da Renuncia  Consagração  Conversão . 2. Não. da conversão (At 9. uma vez que também eu fui conquistado por Jesus Cristo. É necessário. Jô 3. Quase tão difícil é assemelhar-se a Paulo ou Apolo. da consagração total (Lc 1. 12).Forjando nosso perfil  Igualar-se a Jesus é tarefa sobre-humana.” (Fil 3. através da força do Espírito Santo.

saber onde nos empenharmos com mais esforço.Avaliando o nosso Perfil Alguns critérios para avaliar o nosso perfil. Esses critérios são:  amor. .  aceitar que Jesus seja a motivação das pessoas  formar outros pregadores. para podermos inclusive.  prontidão.

.Considerações 1º) Exórdio:(princípio) a) Introdução b) Motivação inicial 2º) O Desenvolvimento: a) Enunciado b) Argumentação c) Aplicação 3º) Conclusão a) Resumo b) Imperativo c) Oração Final.Como organizar a pregação Primeiro .

ITEM (idéia chave) a) Subitem b) Subitem c) Subitem 2. ORAÇÃO FINAL . ITEM (idéia chave) a) Subitem b) Subitem c) Subitem III – CONCLUSÃO 1.ESQUEMA GERAL I – INTRODUÇÃO (parte única) II – DESENVOLVIMENTO 1. ITEM (idéia chave) a) Subitem b) Subitem c) Subitem 3. PERORAÇÃO (parte final da pregação) 2.

Geografia. Documentos da Igreja. História. Fontes Auxiliares: Experiência própria. Sociologia. Meios de acesso às fontes: . Botânica. Psicologia.recordação do que aprendemos .Livros espirituais . Natureza. Sagrada Tradição. experiência dos irmãos. Medicina. Ciências Modernas (Antropologia. Zoologia).Moção . criatividade. inteligência) . Fatos da Vida.Como organizar a pregação Segundo – A inspiração          Fontes Primárias: Sagrada Escritura.inspiração do Espírito Santo Deus age através da nossa natureza (imaginação.revelação privada .

1. 3. Ver se as idéias estão de acordo com a sagrada Escritura. Esperar a resposta de Deus. louvor). 2. mas que não se enquadram na definição de profecia). Organizar com o Dom da sabedoria o que foi anotado.inspirações (idéias que recebemos do Espírito Santo. Formas de resposta de Deus: . colocando em nós desejo de fazer algo.através dos dons carismáticos (ciência. a Tradição da Igreja.Recordação: do que sabemos ou lemos. Anotar tudo o que pensamos que pode ser de Deus Discernir para saber o que é de Deus. nos impele por meio da nossa natureza. Dependência total do Espírito Santo de Deus. de diversos livros espirituais. . com a Doutrina. profecia. Na preparação do ensino ele nos impele para textos da Sagrada Escritura. . o Magistério e se vai faze bem a comunidade. de documentos da Igreja. imagens / visualizações) .moções (o Espírito Santo nos move. para fotos da vida. Perguntar a Deus o que ele quer que preguemos.Como organizar a pregação Preparação da pregação: Estar em sintonia com Deus (oração mental. É parecido com intuição. . enfim para qualquer uma das fontes já citadas).

Como pregar a mensagem Primeiro .Antes da pregação. a) Apresentação física b) Reconciliar-se com Deus c) Tempo .

a) b) c) d) e) f) g) h) i) Tomar autoridade A voz Os olhos O rosto As mãos O corpo Os pés A respiração Tempo .Segundo – Durante a pregação.

9. 10. 18. 3. 17. 15. 16. 13. 7. Saudar a assembléia Apresentar-se Oração inicial Anunciar o tema Ter um esquema básico Ser direto Ser atual Falar claro Usar bem a expressão corporal Ter um tom de voz variado Usar a Bíblia Chamar a atenção da assembléia (Não é bronca) Comunicar-se Ser favorável na dicção Testemunho de vida pessoal Cumprir o tempo (não ser prolixo) Atingir o objetivo proposto Levar a assembléia a comprometer-se. 8. . 12.Critérios para a avaliação da pregação 1. 6. 2. 5. 4. 11. 14.