Você está na página 1de 7
5 o período Professor: Rogers D e m o n t i Objetivos: MINISTÉRIO DA

5 o período

Professor:

Rogers Demonti

Objetivos:

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA

Disciplina: Eletrônica Aplicada I - TE228

Cálculo térmico em semicondutores

B

Recapitular os conceitos da propagação do calor.

Realizar o cálculo térmico para dissipação de calor em semicondutores.

Referências

PAULA, Luciano Severino de. Apostila de Eletrônica Aplicada. Federação dos Círculos Operários do Rio Grande do Sul. Escola Técnica Santo Inácio. 2008.

Cálculo térmico em semicondutores

Introdução

As potências manejadas pelos dispositivos semicondutores, transistores, TRIAC, MOSFET, Reguladores de tensão etc., tem em muitos casos uma magnitude considerável. Além disso, o problema se agrava tendo em conta que o tamanho de tais dispositivos é muito pequeno, o que dificulta a transferência do calor produzido. Um corpo que conduz uma corrente elétrica perde parte de energia em forma de calor por efeito Joule. No caso dos semicondutores, manifesta-se principalmente na junção PN, e se a temperatura aumenta o suficiente, produz-se a fusão térmica da junção, inutilizando o dispositivo. Os dispositivos de potência reduzida, dissipam o calor através de seu encapsulamento para o ambiente, mantendo um fluxo térmico suficiente para evacuar todo o calor e evitar sua destruição. Nos dispositivos de maior potência, a superfície do encapsulamento não é suficiente para poder evacuar adequadamente o calor dissipado. Recorre- se para isso aos radiadores (heatsinks), que proporcionam uma superfície adicional para o fluxo térmico.

Propagação do calor

O calor se transmite mediante três formas conhecidas: radiação, convecção e condução.

Por radiação recebemos os raios do Sol. A radiação não precisa um meio material para propagar-se, pode fazê-lo através do vácuo. Todo corpo com uma temperatura superior ao zero grau absoluto (kelvin) produz uma emissão térmica por radiação que neste caso é de uma

magnitude desprezível e portanto não levamos em conta a emissão por radiação. A convecção é um fenômeno que ocorre nos fluidos, tais como o ar ou o água. Este fenômeno favorece a propagação do calor nestes corpos, que são muito bons isolantes térmicos. Um corpo quente submerso em ar faz que as zonas próximas ao mesmo se esquentem, o que a sua vez ocasiona uma diminuição de sua densidade, e por isto se deslocará esta massa de ar quente para níveis mais elevados dentro do recinto. Imediatamente, o "oco" que deixou este ar é ocupado por ar mais frio, e assim se repete o ciclo, gerando correntes convectivas que facilitam o fluxo térmico. Este mesmo fenômeno se dá na água, ou em qualquer líquido ou gás.

A transmissão por condução se manifesta em corpos sólidos. Curiosamente os corpos que

são bons condutores elétricos, também o são térmicos. Isso se explica a nível subatômico. O cobre, a prata, níquel, alumínio, ouro, etc., são excelentes condutores. Se aplicamos uma chama a uma barra de cobre, em seguida notaremos o calor pelo extremo que o agarramos. Este calor se propagou por condução.

a uma barra de cobre, em seguida notaremos o calor pelo extremo que o agarramos. Este
3
3
3
4
4
4
5
5
5
6
6
6

Perfis típicos de dissipadores - Semikron

Perfis típicos de dissipadores - Semikron 7