Você está na página 1de 19

CURSO ON-LINE – REGIMENTO INTERNO DO SENADO FEDERAL PROFESSOR: TELMO

Olá pessoal, é um prazer estar com vocês e poder colaborar com o aprendizado do Regimento Interno do Senado Federal. Espero contribuir para que consigam obter preciosos pontos neste certame que, provavelmente, será um dos mais concorridos dos últimos tempos. Nossa matéria é, tradicionalmente, cobrada para todos os cargos oferecidos; desta forma, nosso curso é voltado para todos que almejam uma vaga no Senado, seja Consultor, Analista ou Técnico.

Permitam que me apresente. Meu nome é Telmo Rocha, tenho 28 anos, sou Servidor do Tribunal Superior do Trabalho, órgão no qual ingressei no concurso de 2007 alcançando o terceiro lugar para o cargo de Técnico Judiciário. Fui aprovado, também, nos últimos concursos do TSE e TJDFT, mas abri mão de ambos. Antes de entrar no TST fui militar de carreira do Exército Brasileiro, instituição na qual permaneci durante quase oito anos. Lá exerci durante cerca de seis anos a função de administrador de redes e assistente-chefe de CPD. Durante esses anos tive oportunidade de, coordenar e lecionar vários cursos, sobretudo na área de informática. Agora pretendo mudar um pouco meu foco e embarcar nesta empreitada, usando minhas experiências de concurseiro e estudioso das atividades legislativas, para simplificar o entendimento do Regimento do Senado e tornar seu estudo o mais fácil possível.

Como vocês sabem, os Regimentos Internos da casas legislativas são assunto certo nos editais de concursos de tais órgãos e, muitas vezes, os pontos alcançados com as questões relacionadas a essa matéria trazem um diferencial decisivo para

1

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ON-LINE – REGIMENTO INTERNO DO SENADO FEDERAL PROFESSOR: TELMO

a aprovação do candidato, afinal ninguém gostaria de perder um cargo no Senado Federal por não ter acertado uma simples questão de Regimento. Sendo assim, aconselho que não subestimem nenhuma matéria, principalmente uma tão específica como a nossa.

A proposta do nosso curso é fazer com que vocês entendam a essência do regimento, traduzindo da maneira mais fácil possível todas as regras e termos que, muitas vezes, não são bem claros para quem não está ambientado com o processo legislativo e com outras normas constantes no regimento interno.

Abordaremos a matéria na seqüência original, dando ênfase a pontos mais interessantes e que, por conseqüência, tem maior chance de serem cobrados em nosso concurso. Realizaremos, também, os exercícios dos concursos anteriores com os respectivos comentários para que vocês fixem melhor o entendimento da matéria e fiquem habituados à maneira que os assuntos são cobrados. Por outro lado, faremos algumas remissões necessárias a outros conteúdos, sobretudo na esfera do direito constitucional que está diretamente ligado à nossa matéria.

Nosso curso será composto por seis aulas (esta aula demonstrativa + cinco) e obedecerá ao seguinte cronograma:

Aula zero: Conceitos Iniciais, do Funcionamento, Dos Senadores (Da Posse).

2

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ON-LINE – REGIMENTO INTERNO DO SENADO FEDERAL PROFESSOR: TELMO

Aula 01: Dos senadores (continuação), Da Mesa, Dos Blocos Parlamentares, Da Maioria, Da Minoria, Das Lideranças e Da Representação Externa.

Aula 02: Das Comissões e Das Sessões.

Aula 03: Das Proposições e Das Proposições Sujeitas a Disposições especiais.

Aula 04: Das Atribuições Privativas, Convocação e Do Comparecimento De Ministro De Estado.

Aula 05: Da Alteração Ou Reforma Do Regimento Interno Da Questão De Ordem Dos Documentos Recebidos Dos Princípios Gerais Do Processo Legislativo.

Para que vocês tenham idéia da quantidade de vagas que, provavelmente, serão ofertadas em nosso concurso alvo, segue abaixo o link do DOU de 24 de setembro de 2010, onde há o Quadro de Pessoal do Senado Federal com os cargos que se encontram vagos atualmente. A quantidade de vagas é bem animadora (e as remunerações dos cargos também, rsss). Veja o quadro que o Senado divulgou:

Cargo

Total de vagas em 2010

Consultor Legislativo

15

Advogado

1

Analista (varias áreas)

212

Técnico (várias áreas)

228

Fonte: Diário Oficial da União – 24/09/2010.

http://www.in.gov.br/visualiza/index.jsp?data=24/09/2010&jornal=2&pagina=58&totalArquivos=72

3

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ON-LINE – REGIMENTO INTERNO DO SENADO FEDERAL PROFESSOR: TELMO

Tenho certeza que trabalhar no Senado Federal é o sonho de muita gente. Sendo assim, não desistam dos seus sonhos, afinal:

“O homem é do tamanho do seu sonho.” Fernando Pessoa

Sem mais delongas, conto com vocês nessa jornada e que nossos esforços sejam parte do diferencial que os conduzirá ao sucesso.

Vamos em frente.

REGIMENTO INTERNO DO SENADO FEDERAL

1 - DO FUNCIONAMENTO

1.1 - DA SEDE

Esta é uma parte bastante simples, mesmo assim vale fazer algumas observações. O Senado tem sede no Palácio do Congresso Nacional, em Brasília, ou seja, na CAPITAL FEDERAL, não podemos confundir a cidade que é a Capital da Republica Federativa, com Distrito Federal, ente da federação.

4

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ON-LINE – REGIMENTO INTERNO DO SENADO FEDERAL PROFESSOR: TELMO

Note que, em determinadas situações, o Senado poderá funcionar em qualquer outro local. O Regimento Interno exemplifica, de forma não exaustiva, situações em que isso poderá acontecer (caso de guerra, de comoção intestina, de calamidade pública ou de ocorrência que impossibilite o seu funcionamento na sede). A autorização para que o Senado funcione em outro local depende de determinação da Mesa Diretora da casa que deve ser motivada por requerimento da maioria dos senadores (note que é apenas maioria, NÃO É MAIORIA ABSOLUTA).

1.2 - DAS SESSÕES LEGISLATIVAS

Iniciaremos este tópico trazendo algumas definições básicas sobre o significado de determinados termos. É interessante que sejam bem compreendidos para que não se incorra em confusões e interpretações erradas. São eles:

I - Legislatura

II - Sessão Legislativa (ordinária e extraordinária)

III - Sessão

I - Legislatura: Segundo o parágrafo único do Art. 44 da Constituição Federal, “Cada legislatura terá a duração de quatro anos. Desta forma, entende-se que legislatura é um intervalo de quatro anos de atividade legislativa. No caso dos deputados, o mandato coincide exatamente com a legislatura.

5

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ON-LINE – REGIMENTO INTERNO DO SENADO FEDERAL PROFESSOR: TELMO

Em se tratando do Senado Federal, que é nosso alvo, verifica-se que cada mandato de senador engloba duas legislaturas. Cada legislatura possui quatro sessões legislativas ordinárias.

II - Sessão Legislativa: é o intervalo de tempo em que ocorrem os trabalhos legislativos. A Sessão Legislativa pode ser ordinária ou extraordinária.

Sessão Legislativa Ordinária: É quando acontecem os trabalhos de maneira ordinária (normalidade). Ela se inicia no dia 02 de fevereiro de cada ano e vai até o dia 22 de dezembro, frisando-se que ocorre um intervalo entre o dia 17 de julho e 1º de agosto. Observe que, com a interrupção que ocorre na sessão legislativa ordinária faz com que esta se divida em dois períodos.

SESSÃO LEGISLATIVA ORDINÁRIA

SESSÃO LEGISLATIVA ORDINÁRIA

1º Período

2 de fevereiro a 17 de julho

2º Período

1º de agosto a 22 de dezembro

Essas datas sofreram uma alteração um tanto recente devido à promulgação da emenda constitucional nº 50. Antes da referida modificação o a sessão legislativa ordinária tinha a seguinte configuração: funcionamento de 15 de fevereiro a 30 de junho e de 1º de agosto a 15 de dezembro, sendo assim, pelo menos em tese, os nossos parlamentares passaram a trabalhar mais (rssss).

6

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ON-LINE – REGIMENTO INTERNO DO SENADO FEDERAL PROFESSOR: TELMO

OBSERVAÇÃO!

Cabe ressaltar uma questão bastante cobrada em concursos a respeito do tópico em comento é o seguinte:

CF,

Art.

57,

§

-

A

sessão

legislativa

não

será

interrompida sem a aprovação do projeto de lei de diretrizes orçamentárias.

Preste bastante atenção: o congresso nacional, englobando as duas casas, não poderá interromper a sessão legislativa enquanto não aprovar a lei de diretrizes orçamentárias – LDO, sendo assim, não vacile na hora da prova.

Foi cobrado em prova:

(CESPE – ANALISTA ADMINISTRATIVO – ANCINE - 2006) A sessão legislativa não pode ser interrompida antes da aprovação do projeto de lei de diretrizes orçamentárias, o qual deve ser encaminhado até 8 meses antes do encerramento do exercício financeiro, ou seja, até o dia 30 de abril e devolvido até 30 de junho para sanção.

Gabarito : Errado

A questão, apesar de se referir corretamente em relação à impossibilidade de interrupção da sessão legislativa sem a aprovação da LDO, possui erros. Em primeiro lugar o projeto da

7

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ON-LINE – REGIMENTO INTERNO DO SENADO FEDERAL PROFESSOR: TELMO

LDO deve ser enviado ao Congresso pelo presidente até 8 meses e ½ antes do encerramento do exercício financeiro – ou seja, 15 de abril; em relação à devolução para a sanção, deverá ser feita até 17 de julho.

Sessão Legislativa Extraordinária: ocorre quando o Congresso é convocado a trabalhar nos períodos em que se encontra de recesso, ou seja, entre 17 de julho e 1º de agosto e entre 22 de dezembro e 2 de fevereiro.

Com relação à sessão legislativa extraordinária cabe fazermos algumas observações importantes. Segundo a CF:

Art 57.

§ 6º A convocação extraordinária do Congresso Nacional far-se-á:

I - pelo Presidente do Senado Federal, em caso de decretação de estado

de defesa ou de intervenção federal, de

pedido de autorização para a decretação

de estado de sítio e para o compromisso e

a posse do Presidente e do Vice- Presidente da República;

II - pelo Presidente da República,

pelos

Presidentes

da

Câmara

dos

Deputados e

do

Senado

Federal

ou

a

8

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ON-LINE – REGIMENTO INTERNO DO SENADO FEDERAL PROFESSOR: TELMO

requerimento da maioria dos membros de ambas as Casas, em caso de urgência ou interesse público relevante, em todas as hipóteses deste inciso com a aprovação da maioria absoluta de cada uma das Casas do Congresso Nacional.

§

7º Na sessão legislativa extraordinária,

o

Congresso Nacional somente deliberará

sobre a matéria para a qual foi convocado, ressalvada a hipótese do § 8º deste artigo, vedado o pagamento de parcela

indenizatória, em razão da convocação.

§ 8º Havendo medidas provisórias em vigor na data de convocação extraordinária do Congresso Nacional, serão elas automaticamente incluídas na pauta da convocação.

Verificamos, então, que existirão, basicamente, duas formas de convocação do congresso:

1

deliberação):

a) caso seja decretado estado de defesa ou de intervenção federal;

Pelo

Presidente

do

Senado

(independente

de

-

9

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ON-LINE – REGIMENTO INTERNO DO SENADO FEDERAL PROFESSOR: TELMO

b) para apreciar pedido de autorização para a decretação de

estado de sítio; e

Vice-

Presidente da República.

c) para o compromisso

e

a

posse do

Presidente e do

2 – Pelo Presidente da República, pelos Presidentes da Câmara dos Deputados e do Senado Federal ou a requerimento da maioria dos membros de ambas as Casas em caso de urgência ou interesse público relevante, entretanto, nesses casos, mediante deliberação em plenário, com aprovação por maioria absoluta de cada uma das casas do congresso.

Vejam um detalhe interessante:

Se o Congresso é convocado para sessão legislativa extraordinária, ele deverá deliberar (discutir e votar) apenas a matéria que ensejou a sua convocação. Porém há uma exceção: caso exista medida provisória em vigor, ou seja, pendente de deliberação, ela será automaticamente incluída na pauta de convocação.

III - Sessão: a definição de sessão é bastante simples. Trata- se das reuniões que ocorrem, tanto no âmbito do plenário da casa legislativa quanto no âmbito das comissões que a compõem. Observe como o regimento interno do senado especifica as suas sessões:

Art. 154. As sessões do Senado podem ser:

I – deliberativas:

10

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ON-LINE – REGIMENTO INTERNO DO SENADO FEDERAL PROFESSOR: TELMO

a) ordinárias;

b) extraordinárias;

II – não deliberativas; e III – especiais.

Nesta ocasião iremos ficar apenas com a classificação das sessões, mais adiante, no momento oportuno, iremos nos aprofundar detalhadamente nesse tópico.

1.3 - DAS REUNIÕES PREPARATÓRIAS

Para que fique mais fácil a observação de alguns detalhes transcreverei abaixo esse trecho do Regimento:

Art. 3º A primeira e a terceira sessões

legislativas ordinárias de cada legislatura serão

precedidas de reuniões preparatórias, que

obedecerão às seguintes normas:

I – iniciar-se-ão com o quorum mínimo de

um sexto da composição do Senado, em

horário fixado pela Presidência, observando-se,

nas deliberações, o disposto no art. 288;

II – a direção dos trabalhos caberá à Mesa

anterior, dela excluídos, no início de

legislatura, aqueles cujos mandatos com ela

houverem terminado, ainda que reeleitos;

III – na falta dos membros da Mesa

anterior, assumirá a Presidência o mais idoso

dentre os presentes, o qual convidará, para os

11

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ON-LINE – REGIMENTO INTERNO DO SENADO FEDERAL PROFESSOR: TELMO

quatro lugares de Secretários, Senadores

pertencentes às representações partidárias mais

numerosas;

IV – a primeira reunião preparatória

realizar-se-á:

a) no início de legislatura, a partir do dia

1º de fevereiro;

b) na terceira sessão legislativa ordinária,

no dia 1º de fevereiro;

V – no início de legislatura, os Senadores

eleitos prestarão o compromisso regimental na

primeira reunião preparatória; em reunião

seguinte, será realizada a eleição do Presidente

e, na terceira, a dos demais membros da Mesa;

VI – na terceira sessão legislativa ordinária,

far-se-á a eleição do Presidente da Mesa na

primeira reunião preparatória e a dos demais

membros, na reunião seguinte;

VII – nas reuniões preparatórias, não será lícito

o uso da palavra, salvo para declaração

pertinente à matéria que nelas deva ser tratada.

(Grifei)

As reuniões preparatórias ocorrem em duas ocasiões durante cada legislatura: uma vez antecedendo o início da primeira sessão legislativa ordinária, que coincide com o início do mandato dos senadores recém eleitos (não se esqueçam que um mandato de senador abrange duas legislaturas) e outra vez antecedendo o início da terceira sessão legislativa ordinária. Tais reuniões possuem, basicamente, duas finalidades:

12

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ON-LINE – REGIMENTO INTERNO DO SENADO FEDERAL PROFESSOR: TELMO

- realizar as eleições dos membros da mesa diretora; e

- dar posse aos senadores recém eleitos.

Como requisito para o início da reunião, exige-se a presença mínima de um sexto da composição do Senado, ou seja, necessita-se que estejam presentes, pelo menos 14 senadores (81 : 6 = 13,5 arredondando=14).

Para que se iniciem os trabalhos das reuniões preparatórias é

necessário que um colegiado de senadores conduza os trabalhos e o regimento faz as seguintes especificações no que tange a esta tarefa:

1- Os trabalhos serão conduzidos pela mesa diretora anterior, entretanto não farão parte dela os senadores que tenham findado o seu mandato na legislatura anterior, mesmo que tenham sido reeleitos;

2- Caso não haja membros da mesa anterior, o Senador mais

idoso (o mais velho) assumirá a função de presidente da

reunião e convidará quatro senadores que sejam membros das representações (partidos ou blocos) mais numerosos para exercerem as funções de secretários; 3- No início de legislatura, ou seja, na primeira sessão legislativa ordinária, a primeira reunião preparatória se realizará a partir do dia 1º de fevereiro;

4- Na terceira sessão legislativa ordinária a primeira reunião

preparatória se realizará no dia 1º de fevereiro; 5- No início de legislatura (primeira sessão legislativa ordinária), os Senadores eleitos prestarão o compromisso regimental na primeira reunião preparatória; em reunião

13

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ON-LINE – REGIMENTO INTERNO DO SENADO FEDERAL PROFESSOR: TELMO

seguinte, será realizada a eleição do Presidente e, na terceira, a dos demais membros da Mesa; 6- Na terceira sessão legislativa ordinária, a eleição do Presidente da Mesa será realizada na primeira reunião preparatória e a dos demais membros, na reunião seguinte; 7- Nas reuniões preparatórias, os senadores não poderão fazer uso da palavra (fazer declarações, pronunciamentos, etc), a não ser para fazer declaração pertinente à matéria que nelas deva ser tratada.

Pessoal, com relação ao detalhes sobre as eleições da Mesa Diretora, irei esmiuçar detalhadamente esse assunto no tópico referente a tal matéria. Por hora ressalto que os membros da Mesa possuem um mandato de 2 anos, por isso ocorrem as reuniões preparatórias na primeira e na terceira sessões legislativas ordinárias.

2 – DOS SENADORES 2.1 – DA POSSE

Para tomar posse no mandato de Senador o cidadão deverá, anteriormente, apresentar o diploma expedido pela justiça eleitoral que comprova a sua situação (eleito como titular ou suplente de senador, se for o caso). A apresentação de tal diploma poderá ser feita pelo diplomado, pessoalmente, por ofício ao Primeiro-Secretário, por intermédio do seu Partido ou de qualquer Senador.

14

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ON-LINE – REGIMENTO INTERNO DO SENADO FEDERAL PROFESSOR: TELMO

A posse é um ato público por meio do qual o Senador se investe no mandato. A posse será realizada perante o Senado, durante reunião preparatória, sessão deliberativa ou não deliberativa. A situação mais comum é que a posse ocorra na primeira reunião preparatória da primeira sessão legislativa ordinária, que ocorre no dia 1º de fevereiro. É posse geral, quando normalmente todos os recém eleitos tomam posse. A cada eleição geral, que ocorre a cada quatro anos (estamos, inclusive, em ano de eleição) o senado tem o seu quadro renovado em 1 e 2 terços, nas atuais eleições (2010) serão eleitos 2 terços dos membros que tomarão posse em 2011. Então, para que fique mais claro vejamos como podem ocorrer as posses dos Senadores.

Posse Coletiva: ocorre na primeira reunião preparatória da primeira sessão legislativa ordinária, que ocorre no dia 1º de fevereiro. É posse geral, quando normalmente todos os recém eleitos tomam posse. Como são diversos os Senadores a tomar posse, um dos Senadores empossados, durante a solenidade prestará o compromisso proferindo os seguintes dizeres: “Prometo guardar a Constituição Federal e as leis do País, desempenhar fiel e lealmente o mandato de Senador que o povo me conferiu e sustentar a união, a integridade e a independência do Brasil”; os demais, ao serem cha- mados, dirão: “Assim o prometo”.

Posse Individual: pode ocorrer no caso do senador que não tomar posse na cerimônia coletiva e no caso de ser

15

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ON-LINE – REGIMENTO INTERNO DO SENADO FEDERAL PROFESSOR: TELMO

convocado o suplente que, por ventura, venha a tomar

posse como senador, em caráter temporário ou definitivo,

a depender da situação. Ocorrendo a posse individual

durante Sessão Legislativa Ordinária, o Presidente designará três Senadores para receber o empossando para

introduzi-lo no plenário e conduzi-lo até a Mesa, onde, es- tando todos de pé, prestará o compromisso. Ressalto que

o suplente que for convocado para assumir o mandato

somente proclamará o juramento na primeira vez que assumir o cargo, as demais vezes o Presidente do Senado apenas comunicará à Casa a volta daquele ao exercício do mandato.

Vejamos um exemplo:

Suponha que o Senador X tomou posse como senador no dia 1 0 de fevereiro de 2011 e dez dias depois, foi nomeado para o cargo de Ministro de Estado da Fazenda. Para que isso seja possível ele pega licença do mandato (prática extremamente comum no Brasil). Como conseqüência o seu primeiro suplente (senador é eleito com 2 suplentes) é convocado a assumir o mandato. Nessa situação ocorrerá a posse individual, nos moldes que mencionei acima, inclusive prestando o compromisso. Um ano após a nomeação o Presidente da república, por algum motivo político, resolveu exonerar o Senador X do cargo de ministro e, devido a isso, ele teve que retornar ao mandato de senador e o suplente, em decorrência, voltou ao “banco de reservas”. Seis meses depois, o Presidente resolve dar uma segunda chance ao nosso Senador X e o

16

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ON-LINE – REGIMENTO INTERNO DO SENADO FEDERAL PROFESSOR: TELMO

nomeia para o Ministério de Estado da Pesca e Aquicultura e, novamente X aceitou. Nessa segunda ocasião o suplente assumirá (feliz da vida) de novo o mandato, mas desta vez não haverá posse e nem prestação do compromisso. O presidente do Senado apenas comunicará à Casa a volta daquele ao exercício do mandato. Espero que tenha ficado bem explicado.

PRAZOS PARA TOMAR POSSE

O Senador deverá tomar posse dentro de noventa dias, contados da instalação da sessão legislativa, ou, se eleito durante esta, contados da diplomação, podendo o prazo ser prorrogado, por motivo justificado, a requerimento do interessado, por mais trinta dias. Passados os noventa dias, se o Senador não tomar posse nem requerer sua prorrogação, será considerado que este renunciou ao mandato, e será convocado o primeiro Suplente.

O primeiro Suplente, que for convocado para a substituir Senador licenciado (veremos todas as licenças mais adiante), terá o prazo de trinta dias improrrogáveis para prestar o compromisso, e, nos casos de vaga ou de afastamento (para assumir cargo de Ministro de Estado, de Governador de Território, de Secretário de Estado, do Distrito Federal, de Território, de Prefeitura de Capital ou de chefe de missão diplomática temporária) o prazo será de sessenta dias, que poderá ser prorrogado, por motivo justificado, a requerimento do referido suplente, por mais trinta dias. Se, dentro dos prazos acima descritos

17

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ON-LINE – REGIMENTO INTERNO DO SENADO FEDERAL PROFESSOR: TELMO

o Suplente não tomar posse e nem requerer sua prorrogação, será considerado que este renunciou ao mandato, e será convocado o segundo Suplente, que terá, em qualquer hipótese, trinta dias para prestar o compromisso.

Pessoal, este negócio de prorrogação para tomar posse funciona da seguinte forma: nos casos em que é permitida a prorrogação, o interessado, seja o titular eleito ou suplente, desde que haja motivo justificado para não tomar posse dentro dos prazos previstos, poderá, ainda na vigência do prazo inicial, requerer a prorrogação do prazo para tomar posse. Este requerimento de prorrogação deve ser aprovado pelo Senado (mera formalidade), no entanto, se o prazo inicial se esgotar sem que o referido requerimento seja votado, será automaticamente considerada como concedida a prorrogação do prazo. Tudo ok?

Pessoal, por hoje é só. Espero vocês na nossa jornada rumo ao Senado Federal. Lembrem-se que todas as dúvidas que possam surgir poderão ser sanadas através do nosso fórum.

Abraços, Telmo Rocha.

18

www.pontodosconcursos.com.br

CURSO ON-LINE – REGIMENTO INTERNO DO SENADO FEDERAL PROFESSOR: TELMO

Questões desta aula

(CESPE – ANALISTA ADMINISTRATIVO – ANCINE - 2006) A sessão legislativa não pode ser interrompida antes da aprovação do projeto de lei de diretrizes orçamentárias, o qual deve ser encaminhado até 8 meses antes do encerramento do exercício financeiro, ou seja, até o dia 30 de abril e devolvido até 30 de junho para sanção.

Gabarito: Errado

BIBLIOGRAFIA CONSULTADA

Regimento

Interno

do

Senado

Federal,

disponível

em

http://www.senado.gov.br/legislacao/regsf/RegSFVolI.pdf

19

www.pontodosconcursos.com.br