29/05/12

ENFERMAGEM: DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM (TAXONOMIA DE NANDA)

Partilhar

Denunciar abuso

Blogue seguinte» Criar blogue

Iniciar sessão

ENFERMAGEM

QU E M S OU E U PR I SCI L L A V I S U A LI ZA R ME U P E R F I L COMP LE TO

DOMI N GO, 2 0 DE JU L HO DE 2 008

DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM (TAXONOMIA DE NANDA)
PRESENTAÇÃO Diante da necessidade que v i nos meus colegas em reproduzir uma adequada prescrição de enfermagem, seu respectiv o diagnóstico, localização dos problemas relacionados e av aliação dos
CU R S O 2 4 HOR A S

resultados, tiv e a iniciativ a em buscar os diagnósticos de enfermagem baseados em CARPENITO (CARPENITO, J.L. Manual de Diagnósticos de Enfermagem, 8ª ed., Porto Alegre, ArtMed Editora, 2001 ) que é editar este manual de técnicas de Enfermagem incluindo os problemas e suas prescrições de enfermagem, diferente de plano de cuidados. Com alegria, encontrei online todo o diagnóstico de enfermagem (tax onomia NANDA) reproduzido pelo Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre as Ativ idades de Enfermagem – NEPAE, com muito agradecimento ao GIDE-PB.

1 - PADRÃO DE RESPOSTA HUMANA TROCAR.
C ursos O n-line com C e rtificado C ursos 24 Horas

- Ingestão de dietas qualitativ amente inadequadas. 1 .1 .2.2.- Nutrição Alterada: Ingestão Menor Que As Necessidades Corporais. . Problemas: Caquex ia DEFINIÇÃO:

S E GU I DOR E S

Estado no qual o indiv íduo tem uma ingestão de nutrientes que não atende suas necessidades metabólicas. Possív eis Causas: (características definidoras) - Perda de peso, mesmo com a ingestão alimentar adequada; - Peso corporal 20% ou mais abaix o do ideal; - Relato de ingestão inadequada de alimentos, menos do que a

portaldeenfermagem.blogspot.pt/2008/07/diagnstico-de-enfermagem-taxonomia-de.html

1/34

29/05/12

ENFERMAGEM: DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM (TAXONOMIA DE NANDA)

Participar deste site
Google Friend Connect

porção diária recomendada; - Fraqueza dos músculos usados na mastigação e na deglutição; - Relato ou ev idência de falta de alimentos; - Av ersão aos alimentos; - Relato de alteração na sensação gustativ a; - Sensação incômoda de ingestão demasiada; - Dor abdominal com ou sem patologia; - Cav idade oral inflamada ou ferida; - Fragilidade v ascular; - Cólica abdominal; - Diarréia e/ou esteatorréia; - Aumento dos ruídos hidroaéreos; - Falta de interesse por alimentar-se; - Inabilidade percebida para ingerir alimentos; - Conjuntiv a e mucosas pálidas; - Tônus muscular enfraquecido; - Ex cessiv a perda de cabelos. FATORES RELACIONADOS: - Inabilidade para ingerir ou digerir alimentos ou absorv er nutrientes, dev ido a fatores biológicos, psicológicos, econômicos
SmartAd e culturais;

Encontre as m elhores ofertas da internet!

Celular Mp10 - Samsung Galaxy S2 I9100 Dc1.2g...

-

- Falta ou déficit de informação sobre alimentação adequada; - Conceitos errados sobre prática alimentar. 1 .1 .2.3.- Nutrição Alterada: Potencial Para Ingestão Maior Do Que As Necessidades Corporais. DEFINIÇÃO: Estado no qual o indiv íduo apresenta o risco de ex perimentar uma ingestão de nutrientes que ex cede as necessidades metabólicas. CARACTERÍSTICAS DEFINIDORAS: Presença de fatores de risco, tais como: .*Obesidade relatada ou observ ada em um ou em ambos os país; .*Rápida transição além dos percentuais normais de crescimento na criança; .Relato do uso de alimentos sólidos como a fonte de alimentação antes dos cinco meses de idade; .Uso observ ado de alimentos como recompensa ou medida de conforto; .Peso acima da linha base observ ado ou relatado no início de cada gestação; .Disfunção do padrão alimentar: o indiv íduo associa a alimentação com outras ativ idades; concentra a ingestão de alimentos para o final do dia; alimenta-se em resposta a situações ex ternas, tais
[Get a Cbox] Nome E-mail / url Mensagem Atualizar

como: hora do dia ou situação social; alimenta-se em resposta a situações internas outras que não sejam a fome (por ex emplo: a ansiedade) .

Si tes

1 .2.1 .1 - Potencial Para Infecção DEFINIÇÃO: Estado no qual o indiv íduo está com risco aumentado para ser inv adido por organismo patogênico.

portaldeenfermagem.blogspot.pt/2008/07/diagnstico-de-enfermagem-taxonomia-de.html

2/34

29/05/12

ENFERMAGEM: DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM (TAXONOMIA DE NANDA)

CARACTERÍSTICAS DEFINIDORAS: Presença de fatores de risco, tais como: - Defesa primária insuficiente (solução de continuidade da pele, trauma tissular, diminuição da ação capilar, estase de líquidos corporais, mudança no pH das secreções, peristaltismo alterado); (M) - Defesa secundária insuficiente (por ex emplo, diminuição da hemoglobina, leucopenia, supressão de resposta inflamatória e imunossupressão); (M) - Imunidade adquirida inadequada;
19 Vaga(s) - T�cnico em Enfermagem Realizar procedimentos de enfermagem em pacientes a domic�l 1 Vaga(s) - T�cnico em Enfermagem Realizar procedimentos como coletas de exames e realiza��o 1 Vaga(s) - Analista de Sistema de Qualidade Preparar documentos, realizar an�lises e relat�rios para a

- Destruição de tecidos e ex posição ambiental aumentada - Doença crônica; - Procedimentos inv asiv os; - Desnutrição; - Uso de agentes farmacológicos (M) - Trauma; - Rotura precoce ou prematura das membranas ov ulares; (M) - Conhecimento insuficiente para ev itar ex posição a patógenos. FATORES RELACIONADOS - V ide presença de fatores de risco. 1 .2.2.1 - Potencial para temperatura corporal alterada DEFINIÇÃO: Estado no qual o indiv íduo apresenta risco para falha em manter a temperatura corporal dentro da faix a normal. CARACTERÍSTICAS DEFINIDORAS: Presença de fatores de risco, tais como: .Ex tremos de idade; .Ex tremos de peso; .Ex posição a ambiente frio ou muito frio, e quente ou muito quente; .Desidratação; .Inativ idade ou ativ idade intensa; .Medicamentos v asoconstrictores/v asodilatadores; (M) .Metabolismo alterado; (M) .Sedação; (M) .Roupas inapropriadas para a temperatura ambiental; .Doenças ou traumas que afetam a regulação da temperatura. FATORES RELACIONADOS .V ide presença de fatores de risco. 1 .2.2.2 - Hipotermia DEFINIÇÃO: Estado no qual o indiv íduo apresenta temperatura corporal abaix o da faix a normal. (M) CARACTERÍSTICAS DEFINIDORAS: Maiores: .Redução da temperatura corporal abaix o da faix a normal; .Tremor (lev e) ; .Pele fria; .Palidez (moderada) ; .Bradicardia; (A) .Hipertensão. (A)
3/34

Anúncios Google

Enfermagem Enfermagem Idosos Psicologia Humana
A R QU I V O DO B L OG

▼ 2008 (54) ▼ Julho (41 ) TÉCNICAS GERAIS DE ENFERMAGEM EV OLUÇÃO E DIAGNÓSTICO HIGIENE ORAL BANHO NO LEITO RESTRIÇÃO SONDA NASOGÁSTRICA CURATIV O LAV AGEM INTESTINAL SONDA NASOENTERAL CATÉTER NASOFARÍNGEO CÂNULA NASAL (óculos) NEBULIZAÇÃO INALAÇÃO ASPIRAÇÃO SONDA V ESICAL (DEMORA

portaldeenfermagem.blogspot.pt/2008/07/diagnstico-de-enfermagem-taxonomia-de.html

Lesão do hipotálamo.Desidratação. . . FATORES RELACIONADOS: . . FATORES RELACIONADOS: .Ataques ou conv ulsões. .Taquicardia. V estimentas inadequadas. .Freqüência respiratória aumentada.Doença ou trauma.Taquicardia.Piloereção. ARTIGO O enfermeiro e as ações de saúde mental nas. Terminologia própria de cada sistema do organismo Pressão V enosa Central (PV C) Sites de Interesse da Enfermagem: Código de Ética dos Profissionais de Enfermagem.blogspot. . . Menores: .pt/2008/07/diagnstico-de-enfermagem-taxonomia-de. . 200. (M) Má nutrição.2. 1 . (M) . . .. (M) .Medicamentos ou anestesia. ARTIGO Sofrimento psíquico da equipe de enfermagem.Hipertensão. (M) CARACTERÍSTICAS DEFINIDORAS: Maior: .. (M) CARACTERÍSTICAS DEFINIDORAS: Maiores: . (M) Inativ idade.. Consumo de álcool.29/05/12 ENFERMAGEM: DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM (TAXONOMIA DE NANDA) E ALÍV IO) IRRIGAÇÃO CONTÍNUA RETIRADA DE PONTOS EXAME FÍSICO Posição para Ex ames TEORIA V ERIFICAÇÃO DOS SSV V ADMINISTRAÇÇOES DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM (TAXONOMIA DE NANDA) Problemas de Enfermagem (baseado em CARPENITO.2.Enchimento capilar lento.Rubor.Pele quente ao tato.. Uso de medicação v asodilatadora(M) . . .2.. ARTIGO A formação do enfermeiro e a gestão do sist.Aumento da temperatura corporal acima da faix a normal.V ide também características maiores e menores presentes na 4/34 portaldeenfermagem.Doença ou trauma.V estimenta inapropriada.. Incapacidade de tremer.Leito ungueal cianótico.Ativ idade intensa. L. .4 .Ev aporação atrav és da pele em ambientes frios.Ex posição a ambiente frio ou muito quente.Oscilações da temperatura corporal entre v alores acima ou abaix o da faix a normal.3 .2.Hipertermia (1 986) DEFINIÇÃO: Estado no qual o indiv íduo apresenta elev ação da temperatura corporal acima da faix a normal. Env elhecimento. Homenagem ao Enfermeiro JURAMENTO OFICIAL DO CURSO DE ENFERMAGEM O Profissional Enfermeiro Ética profissional de enfermagem História da Enfermagem TERAPIA NUTRICIONAL ARTIGO: Dor Oncológica: os cuidados de enfermagem Farmacologia Planejamento familiar ABERTA AS INSCRIÇÕES PARA DOUTORES DA Menores: .Termorregulação ineficaz (1 986) DEFINIÇÃO: Estado no qual o indiv íduo apresenta oscilações da temperatura entre v alores acima e abaix o da faix a de normalidade..Metabolismo aumentado. Metabolismo diminuído. .Incapacidade ou capacidade diminuída para transpirar..html ..Ex posição a ambiente quente.. (M) . (M) 1 .

Falta de conhecimento do paciente ou da pessoa que cuida dele.Dificuldade na eliminação de fezes endurecidas. 1 . perda da sudorese sobre a face.Síndrome de Honer (contração da pupila.V isão turv a.Dor torácica. .Resfriamento. ptose parcial da pálpebra. (A) . .1 . (A) FATORES RELACIONADOS: .Cefaléia (uma dor difusa em diferentes partes da cabeça e não restrita a qualquer área de localização nerv osa) .html .Sabor metálico na boca.Irritabilidade da pele. ex perimenta uma ameaça decorrente do descontrole simpático a estímulos. Prematuridade. .Bradicardia ou taquicardia (freqüência do pulso menos de 60 ou acima de 1 00 pulsações por minuto) .Freqüência da eliminação menor do que o padrão usual.Congestão nasal.Massa palpáv el.Relato de sensação de pressão no reto.1 .Piloereção. . V ariação da temperatura ambiental (M) 1 . FATORES RELACIONADOS: Trauma ou doença.blogspot.Congestão de conjuntiv as. .Distensão da bex iga. . .1 .Palidez (abaix o da lesão) . (M) Env elhecimento. . .29/05/12 ENFERMAGEM: DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM (TAXONOMIA DE NANDA) ALEGRIA ► Agosto (1 1 ) ► Outubro (2) ► 2009 (1 0) ► 201 0 (5) hipotermia e na hipertermia. .Relato de sensação de “reto cheio” . . Menores: Meu código:02468 CA MI S A N A W E B B A R R A DE V Í DE O .Distensão abdominal. . com lesão da medula espinhal ao nív el de T7 ou acima.2. às v ezes. . . do lado afetado) . (M) CARACTERÍSTICAS DEFINIDORAS: Maiores: indiv íduo com lesão da medula espinhal (T7 ou acima) com: . . ex oftalmia e. 5/34 Pesquisar Pesquisa personalizada portaldeenfermagem.3. . CARACTERÍSTICAS DEFINIDORAS: . sendo a pressão sistólica acima de 1 40 mmHg e a diastólica acima de 90 mmHg).Diaforese (acima de lesão) .pt/2008/07/diagnstico-de-enfermagem-taxonomia-de.Constipação (1 97 5) DEFINIÇÃO: Estado no qual o indiv íduo ex perimenta uma mudança nos hábitos realizado por intestinais normais.Hipertensão parox ística (repentina elev ação periódica da pressão sangüínea.Disreflex ia (M) (1 988) Div ulgue seu blog! DEFINIÇÃO: Estado no qual o indiv íduo. . caracterizado por uma diminuição na freqüência e/ou na eliminação de fezes endurecidas e secas.3. .Parestesia.

.1 .Ingestão de alimentos menor do que a adequada.Apetite prejudicado. . .Dor abdominal. .Eliminação esperada de fezes. .Apetite prejudicado.Pressão retal. (M) .1 . (T de CD) .Distensão abdominal.Constipação colônica (M) (1 988) DEFINIÇÃO: Estado no qual o indiv íduo apresenta padrão de eliminação caracterizado por fezes secas e endurecidas.Alteração no estilo de v ida.Alteração no padrão alimentar.Freqüência reduzida.Ativ idade física menor do que a adequada.Cefaléia.Alterações anátomo-fisiológicas decorrentes da grav idez. FATORES RELACIONADOS: . resultantes da demora na eliminação dos resíduos alimentares. . portaldeenfermagem. em uma determinada hora. . CARACTERÍSTICAS DEFINIDORAS: Maiores: .Cefaléia.Fezes secas e endurecidas.Ev acuação dolorosa.29/05/12 ENFERMAGEM: DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM (TAXONOMIA DE NANDA) .1 .Av aliação falha quanto ao próprio padrão intestinal.Massa palpáv el. .Carência afetiv a. FATORES RELACIONADOS: .Constipação percebida (1 988) DEFINIÇÃO: Estado no qual o indiv íduo faz um autodiagnóstico de constipação e mantém uma eliminação diária.3.Imobilidade. .pt/2008/07/diagnstico-de-enfermagem-taxonomia-de. .Esforço para ev acuar.blogspot. . (A) . .Esforço para ev acuar. com o abuso de lax antes.Ingestão de líquidos menor do que a adequada.1 . . (M) CARACTERÍSTICAS DEFINIDORAS: Maiores: . Menores: . . resultante do uso ex agerado de lax antes. .Crenças de saúde. (A) 1 . .Uso de lax ativ os.Ex pectativ a de uma eliminação intestinal diária. todos os dias.1 .Dor nas costas. culturais ou familiares.Ingestão de fibras menor do que a adequada. enemas e supositórios.2 . enemas e supositórios. . .Processo de pensamento prejudicado.Dor abdominal. Outras possív eis características: . FATORES RELACIONADOS: . (A) 1 .html 6/34 . .3.

Problemas metabólicos (por ex emplo. CARACTERÍSTICAS DEFINIDORAS: . (A) Eliminação urinária alterada DEFINIÇÃO: Estado no qual o indiv íduo ex perimenta um distúrbio na eliminação urinária. . hipotireoidismo.1 .Cólica.A serem desenv olv idos.Causas múltiplas.Distúrbios emocionais.29/05/12 ENFERMAGEM: DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM (TAXONOMIA DE NANDA) . . . . FATORES RELACIONADOS: . FATORES RELACIONADOS: .html 7/34 . .Dor abdominal.pt/2008/07/diagnstico-de-enfermagem-taxonomia-de.Mudança na coloração das fezes.Lesão da medula espinhal.Incontinência. Incontinência intestinal DEFINIÇÃO: Estado no qual o indiv íduo ex perimenta uma mudança nos hábitos intestinais. .Falta de priv acidade.Uso crônico de medicamentos e enemas.Inv oluntária eliminação de fezes.Incontinência por pressão (1 986) DEFINIÇÃO: Estado no qual o indiv íduo ex perimenta uma perda da urina portaldeenfermagem. caracterizada por frequentes e inev itáv eis eliminações e não formadas.Nictúria. (M) . .3. Freqüência da eliminação urinária aumentada ou diminuída.1 . . .Mudanças na rotina diária. caracterizada pela eliminação inv oluntária de fezes. . infecção do trato urinário.blogspot. Diarréia DEFINIÇÃO: Estado no qual o indiv íduo ex perimenta uma mudança nos hábitos intestinais. . sensibilidade motora prejudicada. incluindo-se: obstrução anatômica.Retenção.Fezes liquidas. hipocalcemia e hipocalemia).Disúria.Sensação de urgência para urinar. CARACTERÍSTICAS DEFINIDORAS: .2.Freqüência aumentada das eliminações. CARACTERÍSTICAS DEFINIDORAS: .Freqüência aumentada do peristaltismo. 1 .Sensação de urgência para ev acuar.Tenesmo miccional. . .Estresse. . (M) FATORES RELACIONADOS: . (M) Outra possív el característica: .

Aumento da freqüência urinária (freqüência de esv aziamento inferior a duas horas) . 1 .Incapacidade de chegar a tempo no v aso sanitário. .Eliminação em pequenas quantidades (menos de 1 00 ml) ou em grandes quantidades (mais de 550 ml) . CARACTERÍSTICAS DEFINIDORAS: Maior: . .Contração ou espasmo v esical. quando atinge um determinado v olume v esical. .2. (M) . gota-à-gota com aumento da pressão abdominal. ocorrendo logo depois de uma forte sensação de urgência para urinar.Incontinência reflex a (1 986) DEFINIÇÃO: Estado no qual o indiv íduo ex perimenta perda inv oluntária de urina.Pressão intra-abdominal elev ada (por ex emplo: obesidade. .Nictúria (micção mais de duas v ezes por noite) .Mudanças degenerativ as nos músculos pélv icos e dos suportes estruturais associados com o aumento da idade. 1 .Enfraquecimento dos músculos pélv icos e dos suportes estruturais.Micção imperiosa.3.Aumento da freqüência das micções (interv alos menores que duas horas) . .1 . grav idez). Menores: .Ausência da sensação de enchimento v esical. a qual interfere na condução de mensagens cerebrais acima do nív el do arco reflex o) . (M) .2 . . CARACTERÍSTICAS DEFINIDORAS: Maiores: . ocorrendo a interv alos até certo ponto prev isív eis.1 .Incontinência impulsiv a (1 986) DEFINIÇÃO: Estado no qual o indiv íduo ex perimenta uma eliminação inv oluntária de urina.Superdistensão entre as eliminações. (M) .Nenhuma urgência para eliminação ou sensação de bex iga cheia.3.2.29/05/12 ENFERMAGEM: DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM (TAXONOMIA DE NANDA) menor do que 50 ml.Danos neurológicos (por ex emplo: lesão da medula espinhal.pt/2008/07/diagnstico-de-enfermagem-taxonomia-de.html 8/34 . FATORES RELACIONADOS: . . (M) CARACTERÍSTICAS DEFINIDORAS: Maiores: . FATORES RELACIONADOS: portaldeenfermagem.blogspot.Disfunção do esfíncter ex terno da bex iga. Menores: .Urgência miccional.Relato ou observ ação de micção.3 .Incapacidade de inibir espasmo ou contração a interv alos regulares. (M) .(T de FR) FATORES RELACIONADOS: . acompanhada de aumento da pressão abdominal.

dev ido a cirurgia. . .Aumento da ingestão de líquidos.2.Alteração ambiental.Insucesso nos tratamentos de incontinência refrataria. .blogspot.29/05/12 ENFERMAGEM: DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM (TAXONOMIA DE NANDA) . CARACTERÍSTICAS DEFINIDORAS: . (M) FATORES RELACIONADOS: .3.Eliminação frequente em pequena quantidade ou ausência de portaldeenfermagem.Falta de consciência do enchimento perineal ou v esical. CARACTERÍSTICAS DEFINIDORAS: Maiores: . .1 . . 1 .Álcool.3. cirurgia abdominal.Falta de consciência da incontinência. 1 .2 .1 . FATORES RELACIONADOS: .2. . .Retenção urinária (1 986) DEFINIÇÃO: Estado no qual o indiv íduo ex perimenta esv aziamento incompleto da bex iga. .pt/2008/07/diagnstico-de-enfermagem-taxonomia-de. .Incontinência funcional (1 986) DEFINIÇÃO: Estado no qual o indiv íduo ex perimenta uma inv oluntária e imprev isív el eliminação urinária.Distensão v esical. . causando espasmo (por ex emplo: infecção na bex iga) .Diminuição da capacidade da bex iga (por ex emplo: história de doenças pélv icas infecciosas.html 9/34 .Disfunção neurológica causando inicio da micção em interv alos imprev isív eis.Hiperdistensão da bex iga.Urgência para micção ou contrações v esicais suficientemente fortes para resultar em perda inv oluntária de urina. contração ou espasmos incontroláv eis da bex iga.3. CARACTERÍSTICAS DEFINIDORAS: Maiores: .Elev ação da concentração urinária. cognitiv o ou motor.Cafeína.Incontinência total (1 986) DEFINIÇÃO: Estado no qual o indiv íduo ex perimenta uma continua e imprev isív el perda de urina. sem ser precedido por distensão.4 .Neuropatia que impede a transmissão do reflex o indicativ o de bex iga cheia. . Menores: .5 .Trauma ou doença afetando os nerv os da medula espinhal. . 1 .Contração autônoma do detrusor.Nictúria. .Déficit sensorial.2.Dano de estrutura anatômica (por ex emplo: fístula) . cateterismo v esical) . . (M) .Irritação dos receptores de distensão da bex iga.Constante flux o de urina ocorrendo em períodos imprev isív eis.

ALTA BAIXA Coloração da pele: azulada ou arrox eada. . ALTA MODERADA Escaras arredondadas (cobertas com pele atrofiada).4. . . dev ida a um déficit no suprimento sangüíneo capilar.Inibição do arco reflex o. . .1 . (M) ALTA ALTA *Pulsações arteriais diminuídas. ao nív el celular.blogspot.Disúria. . Periférica) ++ (1 980) DEFINIÇÃO: Estado no qual o indiv íduo ex perimenta.1 . ALTA ALTA Qualidade da pele: brilhante. 1 .Urina residual. causada por enfraquecimento do detrusor.29/05/12 ENFERMAGEM: DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM (TAXONOMIA DE NANDA) débito urinário. ALTA BAIXA Falta de lanugem.Perfusão Tissular Alterada (Renal. FATORES RELACIONADOS: . ALTA MODERADA Gangrena. Menores: .Perda inv oluntária do ex cesso.pt/2008/07/diagnstico-de-enfermagem-taxonomia-de.html 10/34 . clara ou não seja elucidada por nenhum outro diagnóstico.Micção gota-à-gota. uma diminuição na nutrição e na ox igenação. Gastrointestinal.Contração do esfíncter. (M) MODERADA BAIXA *Palidez à elev ação com ausência de retorno da cor ao abaix ar as pernas. CARACTERÍSTICAS DEFINIDORAS: Probabilidade Sensibilidade de que a e especificidade característica estimadas. Temperatura da pele: ex tremamente fria.Pressão uretral elev ada. esteja Probabilidade presente de que a em característica determinado não esteja diagnóstico. .Sensação de bex iga cheia. Cardiopulmonar. Cerebral.Bloqueio de flux o. BAIXA ALTA portaldeenfermagem.

ALTA MODERADA Claudicação. portaldeenfermagem. ALTA BAIXA FATORES RELACIONADOS: .Interrupção do flux o arterial. . . FATORES RELACIONADOS: . . (M) .Congestão pulmonar ao raio X do tórax . .Ex cessiv a ingestão de sódio. .1 . quebradiças com crescimento lento.Ortopnéia. . . 1 .1 .Problemas de trocas. . . . .Ingurgitamento da jugular.4. .Mudanças no estado mental. .Inquietação. MODERADA MODERADA Lenta cicatrização de lesões.Ex cesso do v olume de líquido (1 982) DEFINIÇÃO: Estado no qual o indiv íduo ex perimenta aumentada retenção de líquidos e edema.2. .V ariação na pressão arterial.pt/2008/07/diagnstico-de-enfermagem-taxonomia-de. estertores (crepitantes) .Hiperv olemia. CARACTERÍSTICAS DEFINIDORAS: . . (M) . . (M) .Azotemia. .Infiltração.Ingestão maior que a ex creta.Respiração curta. .Ansiedade.V ariação na pressão arterial pulmonar.Hemoglobina e hematócrito baix os.Sopro cardíaco.Oligúria.29/05/12 ENFERMAGEM: DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM (TAXONOMIA DE NANDA) Unhas secas. . . MODERADA ALTA Pressão sangüínea v ariando em ex tremos.Alteração de eletrólitos. MODERADA MODERADA Ruídos adv entícios.Anasarca.V ariação na densidade específica da urina.Reflex o hepatojugular positiv o.Hipov olemia. . .Ex cessiv a ingestão de líquidos.Interrupção do flux o v enoso. .V ariação na PV C.Edema.Ganho de peso.blogspot. .html 11/34 .Ruídos adv entícios. .Comprometimento dos mecanismos reguladores.

(M) CARACTERÍSTICAS DEFINIDORAS: Mudanças no débito urinário. Membranas mucosas secas. Fraqueza. Diminuição do turgor da pele. Enchimento v enoso diminuído. Medicação (por ex .: imobilidade física) .: diuréticos) .1 . Freqüência do pulso aumentada.1 . desidratação celular ou intersticial. (M) Mudança no estado mental. Alterações que afetam o acesso. Temperatura corporal elev ada.1 .2.Potencial para déficit do v olume de líquidos (1 97 8) DEFINIÇÃO: Estado no qual o indiv íduo apresenta o risco de diminuição do v olume v ascular. portaldeenfermagem. Sede. FATORES RELACIONADOS: Perda ativ a de v olume de líquido. Falha nos mecanismos reguladores. Diminuição do v olume e da pressão do pulso. Hemoconcentração.html 12/34 .2.: estado hipermetabólico) .Déficit do v olume de líquidos (1 97 8) DEFINIÇÃO: Estado no qual o indiv íduo apresenta v olume v ascular diminuído.29/05/12 ENFERMAGEM: DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM (TAXONOMIA DE NANDA) 1 . Perda de fluídos atrav és de v ias anormais (por ex .relacionados com as necessidades de v olume de líquido. Ex cessiv as perdas de líquidos por v ias normais (por ex . Outras possív eis características: Hipotensão. desidratação celular ou intersticial.1 .4.blogspot. 1 .4. Súbita perda ou ganho de peso.2. Ex tremos de peso.pt/2008/07/diagnstico-de-enfermagem-taxonomia-de. (M) CARACTERÍSTICAS DEFINIDORAS: Presença de fatores de risco. FATORES RELACIONADOS: V ide presença de fatores de risco.: diarréia) .2. Fatores que influem nas necessidades de líquidos (por ex .Troca de gases prejudicada (1 980) DEFINIÇÃO: Estado no qual o indiv íduo ex perimenta uma diminuição na passagem de ox igênio e/ou dióx ido de carbono entre os alv éolos pulmonares e o sistema v ascular. Mudanças na concentração da urina. Pele seca. Deficiência de conhecimentos . 1 .5.1 . tais como: Ex tremos de idade.: drenos) . Alteração no sódio sérico.2 . a ingestão ou a absorção dos líquidos (por ex .

Trauma. Dor. Inquietação.Eliminação traqueobrônquica ineficaz (M) (1 980) DEFINIÇÃO: Estado no qual o indiv íduo é incapaz de eliminar secreções ou obstruções do trato respiratório. (M) CARACTERÍSTICAS DEFINIDORAS: Dispnéia. Problemas perceptiv os ou cognitiv os. Hipercapnia. (M) Batimento das asas do nariz. (A) FATORES RELACIONADOS: Ativ idade neuromuscular prejudicada.29/05/12 ENFERMAGEM: DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM (TAXONOMIA DE NANDA) CARACTERÍSTICAS DEFINIDORAS: Confusão. Secreção. FATORES RELACIONADOS: Desequilíbrio na relação v entilação-perfusão. (M) CARACTERÍSTICAS DEFINIDORAS: Ruídos adv entícios (estertores. roncos) . Irritabilidade. Sonolência. Alteração na gasometria arterial (M) Cianose.2 . obstrução ou infecção traqueobrônquica. (M) Alteração na freqüência e na profundidade da respiração. Inabilidade para remov er secreções. Taquipnéia. (M) Cianose. Dano músculo-esquelético.1 . (M) Respiração pela boca (como se estiv esse soprando) . Frêmitos.5. Fase ex piratória prolongada. Diâmetro ântero-posterior aumentado. Uso de músculos acessórios. Tosse. ` Taquipnéia.3 . FATORES RELACIONADOS: Fadiga ou energia diminuída.5. 1 . 1 .html 13/34 .blogspot.1 . Tosse produtiv a insuficiente para desobstruir as v ias aéreas. Alteração na ex pansão torácica.pt/2008/07/diagnstico-de-enfermagem-taxonomia-de. portaldeenfermagem. Hipóx ia.Padrão respiratório ineficaz (1 980) DEFINIÇÃO: Estado no qual o indiv íduo apresenta um padrão de inspiração e/ou ex piração que não produz enchimento ou esv aziamento pulmonar adequado. Ortopnéia. Respiração curta. Mov imentos torácicos alterados. para mantê-lo liv re. Dispnéia.

Doença ou processo de ferimentos.Potencial para injúria (M( (1 97 8) DEFINIÇÃO: Estado no qual o indiv íduo apresenta o risco de injúria. nicotina. Tipo de trabalho (agentes nosocomiais. 1 . organização da comunidade. Falta de educação na área de segurança. tais como: Fator biológico (nív el de imunização da comunidade.blogspot. v enenos. afetiv os e psicomotores) . b) Ex ternos. Fator do desenv olv imento da idade (fisiológico.Potencial para sufocação (1 980) DEFINIÇÃO: Estado no qual o indiv íduo apresenta acentuado risco de sufocação acidental (ar disponív el inadequado para inalação) . fatores cognitiv os.html 14/34 . Dificuldade emocional ou cognitiv a.1 . álcool.1 . tipos alimentares) . disfunção integrativ a.1 . construção e/ou equipamentos) . trombocitopenia.pt/2008/07/diagnstico-de-enfermagem-taxonomia-de. drogas. (M) CARACTERÍSTICAS DEFINIDORAS: Presença de fatores de risco a) Internos (indiv iduais) . talassemia. resultante da interação das condições ambientais com os recursos adaptativ os e defensiv os. Redução da habilidade motora. Suporte de mamadeira pendurado no berço da criança. hemoglobina diminuída) . alteração nos fatores de coagulação. Fadiga ou energia diminuída. (M) CARACTERÍSTICAS DEFINIDORAS: Presença de fatores de risco a) Internos. hipóx ia tecidual) .6. Fator químico (poluentes. FATORES RELACIONADOS: V ide presença de fatores de risco. conserv antes. orientação) . Auto-imunidade. tais como: Trav esseiro colocado no berço da criança. Ansiedade. padrão de horário de trabalho. b) Ex ternos (ambientais) . Má nutrição. 1 `. Nutrientes (v itaminas. Perfil anormal do sangue (leucocitose ou leucopenia. disfunção dos efetores. cafeína. tais como: Função bioquímica e reguladora (disfunção sensorial. alteração na mobilidade) . Fator psicológico(afetiv idade. portaldeenfermagem. Fator físico (lesão da pele. agentes farmacêuticos. microorganismos) . células em forma de foice. Modalidade de transporte e/ou locomoção.6. Falta de cuidados de segurança. estrutura. tais como: Redução da sensibilidade olfativ a. psicossocial) .29/05/12 ENFERMAGEM: DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM (TAXONOMIA DE NANDA) Problemas perceptiv os ou cognitiv os. Fator físico (planta. cosméticos e tinturas) .

Hábito de fumar na cama. Refrigerador ou freezer fora de uso sem as portas remov idas.blogspot.3 . em área pouco v entilada ou sem proteção efetiv a. Medicamentos guardados em armário aberto e acessív el a crianças ou a pessoas com problemas mentais. Criança deix ada sozinha em banheiros e piscinas. etc. 1 . com produtos químicos e mentais pesados.pt/2008/07/diagnstico-de-enfermagem-taxonomia-de. Criança brincando com saco plástico ou colocando pequenos objetos na boca ou no nariz. Falta de cuidados adequados. CARACTERÍSTICAS DEFINIDORAS: Presença de fatores de risco: a) Internos (indiv iduais) . Pintura ou reboco das paredes desprendendo-se onde estejam crianças.html 15/34 . Finanças insuficientes. queimadura. Uso de aquecedor que não tenha chaminé. Contato. b) Ex ternos (ambientais) .6.29/05/12 ENFERMAGEM: DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM (TAXONOMIA DE NANDA) Aquecimento de v eículos em garagem fechada.6. Presença de v egetais v enenosos. Pessoa que come com a boca muito cheia. tais como: Diminuição da acuidade v isual.Potencial para env enenamento (1 980) DEFINIÇÃO: Estado no qual o indiv íduo apresenta acentuado risco de ex posição acidental ou ingestão de drogas ou produtos nociv os em doses suficientes para causar env enenamento (M). V azamento de gás domiciliar. Trabalho em local em que não há adequada proteção para produtos nociv os . Dificuldades cognitiv a e emocional. 1 . (M) portaldeenfermagem.1 . sem a dev ida proteção. fratura).. V aral de roupas colocado muito baix o. tais como: Estoque de medicamentos em casa. Produtos nociv os colocados ou guardados ao alcance de crianças ou de pessoas com problemas mentais.: ferimento. Disponibilidade de drogas ilegais. (M) Falta de educação e de medidas de segurança contra as drogas. resina. Presença de poluentes atmosféricos.1 . Tinta. FATORES RELACIONADOS: V ide presença de fatores de risco.Potencial para trauma (1 980) DEFINIÇÃO: Estado no qual o indiv íduo apresenta acentuado risco de lesão tecidual acidental (por ex . Contaminação química de alimentos e de água.2 . FATORES RELACIONADOS: V ide presença de fatores de risco. potencialmente contaminadas por aditiv os v enenosos. Criança com chupeta pendurada no pescoço.

Dificuldade de equilíbrio. Redução da coordenação olho/mão Falta de educação em assuntos de segurança ambiental. fios desgastados ou dispositiv os elétricos com defeito. Brinquedo ou roupa de criança inflamáv eis . (M) Criança brincando com fósforo. (M) Janelas com proteção inadequada em casas com crianças pequenas.29/05/12 ENFERMAGEM: DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM (TAXONOMIA DE NANDA) CARACTERÍSTICAS DEFINIDORAS: Presença de fatores de risco: a) Internos (indiv iduais) . Lix o ou líquidos derramados nos assoalhos ou escadas. Camas altas sem proteção adequada . (M) Fogões a gás com defeito nos acendedores. Escadas com corrimão inseguro ou ausente.: molhado ou ex cessiv amente encerados). correias ou roldanas industriais. Dificuldade emocional ou cognitiv a. Material inflamáv el (plástico. Corredores ou andares com passagem obstruída . tais como: Fraqueza. Mecanismo de chamada no leito inadequado ou defeituoso . História de trauma anterior. ou com v azamento de gás . Tapete solto. (M) Falta de proteção nas tomadas elétricas. (M) Panelas com o cabo para fora do fogão.: fósforos. agitados ou com distúrbios neurológicos. panos sujos de óleo. Escorregamento sobre tecido ou superfície áspera. Falta de observ ação prév ia da temperatura da água do banho . Banheira sem suporte de apoio ou sem equipamento antiderrapante.html 16/34 . (M) Grades da cama sem proteção para pacientes inquietos. tais como: Pisos escorregadios (por ex . Redução da sensibilidade ao calor ou ao tato. (M) Manuseio de gasolina ou substância química sem a dev ida proteção . (M) Crianças brincando no alto de escadas sem portão. Combustív eis ou corrosiv os guardados inadequadamente (por ex . tecido ou papel) próx imo do fogo . Falta de cuidados de segurança.blogspot. (M) portaldeenfermagem. (M) Aquecedores ou lareiras sem telas. v ela ou com cigarro. Recurso insuficiente para adquirir equipamentos de segurança ou uma manutenção eficaz. Contato com maquinaria de mov imento rápido. detergentes) . Caix a de força sobrecarregada . Diminuição de acuidade v isual. Entradas em locais sem iluminação. b) Ex ternos (ambientais) . Redução pequena ou grande da coordenação muscular.pt/2008/07/diagnstico-de-enfermagem-taxonomia-de. Uso de escadas ou cadeiras em falso. Fios elétricos descobertos.

Ex posição a maquinaria perigosa. (M) CARACTERÍSTICAS DEFINIDORAS: Presença de fatores de risco. V eículo dirigido.pt/2008/07/diagnstico-de-enfermagem-taxonomia-de. Deglutição prejudicada.Potencial para aspiração (1 988) DEFINIÇÃO: Estado no qual o indiv íduo apresenta o risco de entrada de secreções gastrointestinais. 1 .4 . Chav e elétrica sobrecarregada. Estradas ou cruzamentos sem condições de segurança. Diminuição da motilidade gastrointestinal.html 17/34 . Falta de uso. V eículo dirigido por motorista alcoolizado ou drogado. Fumar na cama ou próx imo de ox igênio. Uso de louça ou copo quebrado. ou panela com cabo desgastado. portaldeenfermagem. ou uso incorreto de capacete para motoqueiro. V eículo dirigido sem acessórios v isuais. trav essa. Trauma ou cirurgia facial. Hiperex posição aos raios solares. Facas guardadas descobertas.1 . Contato com o frio intenso.: rua. ou uso incorreto de dispositiv os de segurança no assento de v eículo. Brincadeira com fogos de artifício ou pólv ora. radioterapia. sem segurança mecânica. Criança no banco da frente do carro. Redução incompleta do esfíncter esofageano. Esv aziamento gástrico retardado. Aumento do resíduo gástrico.29/05/12 ENFERMAGEM: DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM (TAXONOMIA DE NANDA) Contato com ácidos ou álcalis. Elev ada criminalidade na v izinhança e clientes v ulneráv eis. Tubos gastrointestinais. linha de trem). Rev ólv er ou munição guardados sem chav e. Situações que dificultam a elev ação da parte superior do corpo. ou crianças carregadas em bicicletas de adultos.blogspot. V eículo dirigido com v elocidade ex cessiv a. Brincadeira ou trabalho próx imos à passagem de v eículos (por ex . Tubos para alimentação. Falta de uso. Gordura acumulada no fogão. Uso de pegador fino de panela. FATORES RELACIONADOS: V ide presença de fatores de risco. sólidos ou líquidos na v ia traqueobrônquica. FATORES RELACIONADOS: V ide presença de fatores de risco. Administração de medicamentos. tais como: Diminuição do nív el de consciência. Aumento da pressão intragástrica. secreções orofaríngeas. oral ou do pescoço. Depressão dos reflex os de tosse e deglutição. Criança brincando com brinquedo afiado.6. Mandíbula imobilizada. Presença de traqueostomia ou tubo endotraqueal.

Fadiga. Imobilidade mecânica. Alteração do nív el da concentração.pt/2008/07/diagnstico-de-enfermagem-taxonomia-de. 1 . Nutrição inadequada. córneas. Úlceras de decúbito. Insônia. Anorex ia.29/05/12 ENFERMAGEM: DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM (TAXONOMIA DE NANDA) 1 .Integridade tissular prejudicada (1 986) DEFINIÇÃO: Estado no qual o indiv íduo apresenta lesão em mucosas. Menores: Calafrios. Perfis sangüíneos alterados 1 .6. Alteração neuro-sensorial.5 . Inquietação. Imobilidade.Proteção alterada (1 990) DEFINIÇÃO: Estado no qual o indiv íduo tem diminuição da capacidade de defender-se de ameaças internas ou ex ternas tais como doença ou injúria. Fraqueza. Cicatrização prejudicada. Dor sev era. FATORES RELACIONADOS: V ide presença de fatores de risco. Dispnéia. (A) CARACTERÍSTICAS DEFINIDORAS: Maiores: Imunidade insuficiente. Desorientação.html 18/34 . Coagulação alterada. Abuso de álcool. (M) CARACTERÍSTICAS DEFINIDORAS: portaldeenfermagem.6. Perspiração.2 .2.blogspot.6. como resultado de uma inativ idade músculoesquelética inev itáv el ou prescrita como medida terapêutica++ CARACTERÍSTICAS DEFINIDORAS: Presença de fatores de risco.1 . tecido cutâneo ou subcutâneo. Prurido.Potencial para síndrome do desuso (1 988) DEFINIÇÃO: Estado no qual o indiv íduo apresenta o risco de deterioração de sistemas corporais. tais como: Paralisia. Resposta ineficaz ao estresse. Imobilidade prescrita. Tosse.1 . FATORES RELACIONADOS: (A) Ex tremos de idade.

tais como: Hipertermia ou hipotermia. Sensibilidade alterada. Fatores mecânicos (contenção e adesiv o que pux a os pêlos) p. Substâncias químicas. Internos (somático) .blogspot. Alteração no turgor e na elasticidade da pele. Radiação (incluindo-se terapêutica de radiação) . FATORES RELACIONADOS: Ex ternos (ambientais) . ex creções e secreções corporais) . Pigmentação alterada.1 . Mobilidade física prejudicada. portaldeenfermagem.6. Umidade. Substância química.html 19/34 . corte.6. Radiação.pt/2008/07/diagnstico-de-enfermagem-taxonomia-de.2. tais como: Hipotermia ou hipertermia.29/05/12 ENFERMAGEM: DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM (TAXONOMIA DE NANDA) Tecido lesado ou destruído (córnea.2 .Integridade da pele prejudicada (1 97 5) DEFINIÇÃO: Estado no qual o indiv íduo apresenta alteração na integridade da pele.1 . tais como: Medicamentos de uso interno que podem causar reações adv ersas na pele (por ex . (M) CARACTERÍSTICAS DEFINIDORAS: Presença de fatores de risco: a) Ex ternos (ambientais) . Inv asão de estruturas do corpo. Fator térmico (temperaturas ex tremas) . fricção) . (M) FATORES RELACIONADOS: Circulação alterada. Déficit ou ex cesso nutricional.: urticária) . Fator mecânico (pressão.2. 1 . Déficit imunológico. Alteração circulatória. pele ou subcutâneo) . Irritantes químicos ( incluindo-se medicamentos. mucosas.Potencial para integridade da pele prejudicada (M) (1 97 5) DEFINIÇÃO: Estado no qual o indiv íduo apresenta o risco de sofrer uma solução de continuidade na pele. Déficit de conhecimento. Proeminência óssea.1 . Déficit ou ex cesso de líquidos. Alteração no estado metabólico.2.2. (M) CARACTERÍSTICAS DEFINIDORAS: Solução de continuidade da pele (M) Destruição das camadas da pele. 1 . Imobilidade física. (M) Alteração no estado nutricional (obesidade e emagrecimento) . Fatores de desenv olv imento.

(A) . (A) . Diferenças relacionadas ao desenv olv imento e idade. 2 . (M) . . Fator imunológico. Fator psicogênico. (A) FATORES RELACIONADOS: Diferenças culturais.1 .html 20/34 .PADRÃO DE RESPOSTA HUMANA COMUNICAR 2. (M) Alteração no estado nutricional (obesidade e emagrecimento) . dislalia ou disartria.*Dificuldade de acompanhar/manter um padrão usual de comunicação. diminuição ou ausência na habilidade de receber. Fatores de desenv olv imento. (A) Déficit de informação.Déficit v isual parcial ou total. Umidade. Proeminência óssea. Alteração no estado metabólico. (A) Estresse.Ex pressão facial/corporal de tensão. (A) .Fácies inex pressiv as.Déficit auditiv o parcial ou total. (M) CARACTERÍSTICAS DEFINIDORAS: .Ansiedade/depressão. Barreira psicológica. Imobilidade física. (A) Ausência de pessoas significativ as. processar.(A) Barreiras ambientais.*Obstinação em não falar.Dificuldades de ex pressar pensamento caracterizadas por afasia.29/05/12 ENFERMAGEM: DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM (TAXONOMIA DE NANDA) Fatores mecânicos (força de cisalhamento.: urticária) .Desorientação auto/alopsíquica. (A) portaldeenfermagem. distúrbio de ritmo.blogspot. (A) . disfonia.*Dificuldade de v erbalizar ou falar ex pressa por afonia. tais como: Medicamentos de uso interno que podem causar reações adv ersas na pele (por ex . (M) . Pigmentação alterada. b) Internos (somáticos) . Ação medicamentosa. transmitir e usar um sistema de símbolos. pressão. Ex creções ou secreções. (M) .(M) Radiação.1 . disfasia.Comunicação v erbal prejudicada (1 97 3) DEFINIÇÃO: Estado no qual o indiv íduo ex perimenta impedimento. aprax ia ou dislalia. (A) Percepção alterada.pt/2008/07/diagnstico-de-enfermagem-taxonomia-de.1 . restrição) . FATORES RELACIONADOS: V ide presença de fatores de risco. Sensibilidade alterada. Alteração circulatória. (M) . Alteração no turgor e na elasticidade da pele.

.html 21/34 . . interessar-se. amigos e colegas) .Disfunção interativ a com seu grupo etário.Uso observ ado de comportamentos de interação social fracassados.1 .Interação social prejudicada (1 986) DEFINIÇÃO: Estado no qual o indiv íduo participa de relacionamento social em quantidade insuficiente ou ex cessiv a. (A) -alteração do sistema nerv oso central (A) -alterações neuromusculares. Sem comunicação. -alterações anatômicas (aparelho auditiv o.pt/2008/07/diagnstico-de-enfermagem-taxonomia-de. isolado. fonador) . Alteração do processo do pensamento.PADRÃO DE RESPOSTA HUMANA RELACIONAR 3. Limitação de mobilidade motora.2. FATORES RELACIONADOS: Déficit de conhecimento ou habilidade para aumentar a interação. Desigualdade sócioeconômico-cultural (M) Barreiras ambientais. cuidar. CARACTERÍSTICAS DEFINIDORAS: Objetiv as: *Ausência do suporte significativ o de outros (familiares. (A) -enfraquecimento músculo-esquelético (A) 3 . CARACTERÍSTICAS DEFINIDORAS: Maiores: . Afeto triste e embotado. sem contato olho-a-olho. .Inabilidade v erbalizada ou observ ada para receber ou comunicar uma sensação gratificante de pertencer. Preocupação com os próprios pensamentos. atos repetitiv os sem portaldeenfermagem. Distúrbio de autoconceito. (A) Condições físicas: -barreiras físicas (traqueostomia). família e/ou outros Menor: Relato familiar de mudanças no estilo ou padrão de interação. ou compartilhar com os outros. ou em qualidade ineficaz. percebida como uma imposição dos outros e como um estado negativ o e ameaçador. Barreiras de comunicação.1 . 3.Desconforto v erbalizado ou observ ado em situações sociais. Ausência de pessoas significativ as ou grupos significativ os disponív eis.Isolamento social (1 982) DEFINIÇÃO: Estado no qual o indiv íduo ex perimenta solidão. Interesses ou ativ idades inapropriadas ou imaturas para a idade ou estágio de desenv olv imento. Terapêutica de isolamento.blogspot.1 . v isual.29/05/12 ENFERMAGEM: DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM (TAXONOMIA DE NANDA) Alteração na auto-estima e no autoconceito.

1 . (M) V alores ex pressos aceitáv eis para o grupo de subcultura. Comportamento não aceito pelo grupo cultural dominante. por ausência de propósitos significativ os na v ida. (A) Crises de desenv olv imento. -Interesses imaturos.blogspot. 3. (M) Ev idência de deficiência física ou mental. -Alterações na aparência física.2. (A) Ambigüidade do modelo de papel.1 . *Sentimentos ex pressos de rejeição. tais como: -Demora em atingir etapas do desenv olv imento. Ex periência de inadequação. mas inaceitáv eis para o grupo cultural dominante. (A) Retardo mental. CARACTERÍSTICAS DEFINIDORAS: Mudanças na percepção do próprio papel. -Alteração no bem-estar. FATORES RELACIONADOS: Fatores contribuindo para a ausência de relacionamento pessoal satisfatório.1 . Ex periência de sentimento de ser diferente dos outros. -Alteração no estado mental.Paternidade ou maternidade alterada (1 97 8) DEFINIÇÃO: Estado no qual o pai ou a mãe ex perimenta uma inabilidade para portaldeenfermagem. Sentimentos ex pressos de inabilidade para apresentar-se em público. Negação do papel. (A) Suporte inadequado.pt/2008/07/diagnstico-de-enfermagem-taxonomia-de. (A) Carência de modelo de papel. Procura v iv er sozinho ou em uma subcultura. -Recursos pessoais inadequados. Falta de assimilação ou conhecimento do papel. -Inabilidade para engajar-se em relacionamento pessoal satisfatório.Desempenho de papel alterado (1 97 8) DEFINIÇÃO: Estado no qual o indiv íduo ev idência distúrbio na maneira de perceber o desempenho de seu papel. (M) Mudança no padrão usual de responsabilidade.29/05/12 ENFERMAGEM: DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM (TAXONOMIA DE NANDA) significado.1 . Mudança na capacidade física para reassumir o papel. Hostilidade projetada na v oz e no comportamento. Conflito de papeis.html 22/34 . Interesses ex pressos inapropriados para a idade ou estágio de desenv olv imento. Mudanças na percepção do papel de outros.2. Subjetiv as: *Sentimentos ex pressos de solidão imposta por outros. (A) 3. ou estado de bem-estar alterado. FATORES RELACIONADOS: Dificuldades cognitiv o-perceptiv as.

Presença de estresse prov ocado por crise situacional. (A) 3. ou respostas inapropriadas da criança ao tratamento relacionado. *Falta de atenção às necessidades da criança. Freqüentes acidentes. V erbalização de inadequação no papel. para o filho. Falta de respostas. Insatisfação v erbalizada com as funções do corpo da criança. outros) . multiparidade.blogspot. Atraso no crescimento e/ou no desenv olv imento da criança. sem consideração pelas suas necessidades. Identificação negativ a de característica da criança. Ex pectativ as irrealistas para si. sono. Falta de identidade do papel. Ausência de v ínculo afetiv o. tátil e auditiv a inapropriada.2. Práticas de disciplinas inapropriadas ou inconsistentes.1 . (M) Estimulação v isual. (T de FR) FATORES RELACIONADOS: Falta de modelo no papel disponív el. Freqüentes enfermidades. Inabilidade para controlar crianças só com palav ras. Múltiplas gestações. paternal. Fuga. interv alo interparto inferior a dois anos. Cuidado de múltiplas pessoas com a criança. (M) *Comportamentos de cuidados pessoal inapropriados (higiene. Limitação da função cognitiv a. ou para o cônjuge. Incidência de trauma físico e psicológico. Modelo de papel ineficaz.+ CARACTERÍSTICAS DEFINIDORAS: Abandono. Falta de suporte entre os pais ou de pessoas significativ as. por pessoa significativ a. V erbalização de ressentimento com a criança. e paridade precoce ou tardia.2. *História pessoal de maltrato ou abandono. ao inv és de chamá-lo de acordo com as tendências tradicionais da cultura.html 23/34 .29/05/12 ENFERMAGEM: DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM (TAXONOMIA DE NANDA) criar um ambiente que promov a um ótimo crescimento e um ótimo desenv olv imento de outro ser humano. Interrupção do processo de formação de laços (por ex . repouso e alimentação) .pt/2008/07/diagnstico-de-enfermagem-taxonomia-de. (A) Fatores sócio-econômico-culturais.: maternal. Constante v erbalização de desapontamento com o sex o ou características físicas da criança. Doença física e/ou mental. Figuras paterna ou materna que não tiv eram suas necessidades de maturação social e emocional atendidas. (M) V erbalização do desejo de que a criança o chame pelo primeiro nome. quando criança. Negligência nos cuidados de saúde pessoais ou da criança. Compulsiv a busca de aprov ação do papel pelos outros.1 . Ameaça percebida à sobrev iv ência física ou emocional.Potencial para paternidade ou maternidade alterada portaldeenfermagem. (M) Falta de conhecimento.

interv alo interparto inferior a dois anos. História pessoal de maltrato ou abandono. (T de FR) Ex pectativ as irrealistas para si. ao inv és de chamá-lo de acordo com as tendências tradicionais da cultura. Constante v erbalização de desapontamento com o sex o ou características físicas da criança. Falta de modelo de papel disponív el. Insatisfação v erbalizada com as funções do corpo da criança. Práticas de disciplinas inapropriadas ou inconsistentes.29/05/12 ENFERMAGEM: DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM (TAXONOMIA DE NANDA) (1 97 8) DEFINIÇÃO: Estado no qual o pai ou a mãe apresenta inabilidade para criar um ambiente que promov a um ótimo crescimento e um ótimo desenv olv imento de outro ser humano. (T de FR) Falta de identidade do papel. Atraso no crescimento e/ou no desenv olv imento da criança.pt/2008/07/diagnstico-de-enfermagem-taxonomia-de. (T de FR) Falta de suporte entre os pais ou pessoas significativ as. Cuidado de múltiplas pessoas com a criança. Freqüentes acidentes. (T de FR) Falta de resposta ou resposta inapropriada da criança ao tratamento relacionado. (M) *Comportamentos de cuidados pessoal inapropriados (higiene. Freqüentes enfermidades. multiparidade. Negligência nos cuidados de saúde pessoais ou da criança. quando criança. (T de FR) Modelo de papel ineficaz. V erbalização de ressentimento com a criança. para o filho ou para o cônjuge.blogspot.html 24/34 . tátil e auditiv a inapropriada. Identificação negativ a de características da criança. *Falta de atenção às necessidades da criança. tais como: Ausência de v ínculo afetiv o. (T de FR) Limitação da função cognitiv a. repouso e alimentação) . sono. Compulsiv a busca de aprov ação do papel pelos outros. por pessoa significativ a.: maternal. (M) Estimulação v isual. V erbalização de inadequação no papel. (T de FR) Presença de estresse prov ocado por crise situacional. sem consideração pelas suas necessidades. (T de FR) Falta de conhecimento. (T de FR) Ameaça percebida à sua própria sobrev iv ência física e/ou emocional. (M) V erbalização do desejo de que a criança o chame pelo primeiro nome. outros) . (T de FR) Abuso físico ou psicossocial das figuras paterna e materna. (T de FR) Múltiplas gestações.+ CARACTERÍSTICAS DEFINIDORAS: Presença de fatores de risco. (T de FR) Interrupção no processo de formação de laços (por ex . (A) portaldeenfermagem. paternal. e paridade precoce ou tardia. (T de FR) Figuras paterna ou materna que não tiv eram as suas necessidades de maturação social e emocional atendidas. (T de FR) Doença física e/ou mental.

29/05/12 ENFERMAGEM: DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM (TAXONOMIA DE NANDA) Fatores sócio-econômico-culturais. doença ou tratamento. cirurgias. Inabilidade para ex pressar ou aceitar sentimentos dos membros da família. (M) Déficit no conhecimento ou habilidade para respostas alternativ as a transição relacionada à sua saúde.1 . efetiv amente ex perimenta uma disfunção. (T de 3. não compensadora e inadequada.3) FATORES RELACIONADOS: V ulnerabilidade.Disfunção sex ual (1 980) DEFINIÇÃO: Estado no qual o indiv íduo ex perimenta uma mudança na função sex ual que é v ista como insatisfatória. processo de doença. Inabilidade para alcançar a satisfação sex ual.2.2.2. em relação à educação dos filhos. Inabilidade para ex pressar ou aceitar uma ampla faix a de sentimentos.pt/2008/07/diagnstico-de-enfermagem-taxonomia-de. anomalias. limitações na ativ idade sex ual. Limitação real ou percebida da resposta sex ual imposta pela doença ou terapia. Falta de priv acidade. Falta de respeito dos pais aos respectiv os pontos de v ista. Alteração na estrutura do corpo ou função (grav idez. Falha familiar em atingir etapas de desenv olv imento passadas ou portaldeenfermagem.blogspot. Rigidez nas funções e nos papeis. Inabilidade dos membros da família para relacionarem-se entre si e para propiciar crescimento e amadurecimento mútuos. Relato de dificuldade.2. (M) Falta de env olv imento da família em ativ idades da comunidade. puerpério. (A) FATORES RELACIONADOS: V ide presença de fatores de risco.3) 3. ou alteração de função e estrutura corporal.html 25/34 . (A) 3. radiação) .1 . CARACTERÍSTICAS DEFINIDORAS: Sistema familiar incapaz de atender as necessidades físicas de seus membros. que normalmente funciona. Sistema familiar incapaz de atender as necessidades emocionais de seus membros. drogas. CARACTERÍSTICAS DEFINIDORAS: V erbalização do problema. trauma. Sistema familiar incapaz de atender espirituais de seus membros. Incapacidade da família de atender as necessidades de segurança de seus membros. Inabilidade para aceitar ou receber ajuda.Processo familiar alterado (M) (1 982) DEFINIÇÃO: Estado no qual uma família. Falta de respeito da família pela indiv idualidade e pela autonomia de seus membros Incapacidade da família para adaptar-se as mudanças ou para lidar construtiv amente com ex periência traumática. (T de 3.

entubação) .2. (isolamento.Conflito no desempenho de papéis dos pais (1 988) DEFINIÇÃO: Estado no qual o pai ou a mãe ex perimenta confusão e conflito de papel em resposta à crise.1 ) Conflito env olv endo v alores.1 . (M) . Menores: Preocupação relativ a a perda percebida do controle das decisões relacionadas às crianças.1 ) Mudança de interesse por si e pelos outros. Modificação na rotina de cuidados.2. 3. (T de 3. Manutenção inadequada dos limites da família.2. (M) . FATORES RELACIONADOS: Separação da criança.2.2. (T de 3.1 . de inadequação para prov er necessidades físicas e emocionais da criança.1 ) Relato de mudanças no comportamento sex ual. (M) Cuidado domiciliar de uma criança com necessidade especiais (por ex . (M) Nív el e direção da energia inapropiados.1 . CARACTERÍSTICAS DEFINIDORAS: Alteração no alcance do papel sex ual percebido. de raiv a. (M) portaldeenfermagem. (M) Preocupação ex pressa pelo pai ou pela mãe relativ a à mudanças no papel paterno ou materno.blogspot. Processo de decisão insatisfatório da família.: drenagem postural. de ansiedade e/ou frustrações com a consequência de doença da criança no processo familiar.Padrão de sex ualidade alterado. durante a hospitalização ou em casa.3. Incompreensão dos mitos familiares.2.2. (T de 3.2.1 ) Alteração no relacionamento com pessoas significativ as. dos rituais e das regras familiares.2.html 26/34 . na comunicação e na saúde familiar. (T de 3. Ameaça de procedimentos inv asiv os ou restritiv os. CARACTERÍSTICAS DEFINIDORAS: Maiores: Preocupação e sentimento. Comunicação inapropriada ou ineficiente dos símbolos. (T de 3.pt/2008/07/diagnstico-de-enfermagem-taxonomia-de.1 . (M) (1 986) DEFINIÇÃO: Estado no qual o indiv íduo ex pressa preocupação relativ a à sua sex ualidade. (M) .2. mesmo com encorajamento e com suporte. 3. hiperalimentação) .1 ) Busca de confirmação de ser desejáv el. FATORES RELACIONADOS: Situação de transição ou crise.3. Relutância em participar dos cuidados usuais.29/05/12 ENFERMAGEM: DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM (TAXONOMIA DE NANDA) recentes.2. V erbalização e demonstração de sentimento de culpa. dev ido a doença crônica.1 . de medo. no funcionamento familiar.1 . ex pressos pelo pai ou pela mãe. Mudança no estado civ il. Falha em env iar e receber mensagens claras.

ou habilidade mal sucedida para env olv er-se na solução de problemas ou fix ação de metas.2. Alteração na participação social. (M) Relacionamento prejudicado com pessoa significativ a. Mudança nos padrões usuais de comunicação. Comportamento destrutiv o dirigido para si ou para os outros. Crises de desenv olv imento.1 ) Conflitos de v alores.PADRÃO DE RESPOSTA HUMANA ESCOLHER 5.2. Acidentes freqüentes.pt/2008/07/diagnstico-de-enfermagem-taxonomia-de. V ulnerabilidade pessoal.1 .2. (A) 5.1 ) Falta de pessoa significativ a.1 . (M) Inabilidade para atingir as ex pectativ as dos papéis.1 . Manipulação v erbal.1 . (T de 3. (M) Medo de grav idez e DST.1 .1 ) Modelo de papel ausente ou ineficaz.1 .1 .1 ) Abuso físico. Uso inapropriado de mecanismos de defesa. 4 . (M) CARACTERÍSTICAS DEFINIDORAS: *V erbalização ou demonstração de inabilidade para resolv er problemas ou para pedir ajuda.2. FATORES RELACIONADOS: Crises ex istenciais.2.1 .blogspot.1 .Adaptação prejudicada (1 986) DEFINIÇÃO: Estado no qual o indiv íduo é incapaz de modificar seu estilo de v ida ou comportamento.2. (T de 3.2. (T de 3. de modo compatív el com uma mudança no seu estado de saúde.html 27/34 .1 . (M) Inabilidade. Doenças freqüentes.29/05/12 ENFERMAGEM: DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM (TAXONOMIA DE NANDA) FATORES RELACIONADOS: Alteração biopsicossocial da sex ualidade.Estratégias ineficazes de resolução indiv idual (M) (1 97 8) DEFINIÇÃO: Estado no qual o indiv íduo demonstra dificuldade para apresentar comportamentos adaptativ os e habilidade na resolução de problemas para atender as demandas e os papéis da v ida.1 .1 .PADRÃO DE RESPOSTA HUMANA V ALORIZAR 5 . Inabilidade para satisfazer as necessidades básicas. Crises situacionais. Distúrbio da auto-estima. Conflito com orientação sex ual e preferência. Modelo inefetiv o ou ausente. (A) portaldeenfermagem. (M) CARACTERÍSTICAS DEFINIDORAS: Maiores: V erbalização de não aceitação da mudança no estado de saúde. (T de 3.2.

1 .blogspot.pt/2008/07/diagnstico-de-enfermagem-taxonomia-de.1 . Foco de controle alterado. em detrimento de sua saúde. (M) CARACTERÍSTICAS DEFINIDORAS: Maiores: Adiamento na procura.3. projeta uma autoav aliação falsamente positiv a. (A) 5. presunção ou pretensão. consciente ou inconscientemente.html 28/34 . (A) Conflitos internos não resolv idos. (A) Sistema de suporte psicossocial inadequado ou ineficaz.1 .Negação (M) (1 988) DEFINIÇÃO: Estado no qual o indiv íduo.1 .1 . raiv a relacionado a mudança no estado de saúde. baseada em um padrão de autoproteção.(M) Menores: Dificuldade em estabelecer ou manter relacionamento. Arrogância. Déficit de conhecimento. FATORES RELACIONADOS: (A) Capacidade reduzida para enfrentar com eficácia os problemas da v ida. Agressão a auto-estima. tenta negar o conhecimento ou significado de um ev ento. que o defende de ameaças subjacentes e percebidas à sua auto-estima. (M) FATORES RELACIONADOS: Sistemas de suporte inadequados.1 . Conflito não resolv ido. (T de FR) Menores: Falta de empenho para torna-se independente. por pessoas significativ as. (A) Encorajamento do indiv íduo. Período prolongado de choque. Projeção de culpa ou responsabilidade. com o objetiv o de reduzir a ansiedade ou medo. (M) Falta de percepção da relev ância dos sintomas grav es ou do risco portaldeenfermagem. Hipersensibilidade a desprezo ou criticismo.2. em detrimento da saúde. ou recusa de assistência. Falha da continuidade ou da participação no tratamento ou terapia. Riso hostil ou ridicularização de outras pessoas.29/05/12 ENFERMAGEM: DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM (TAXONOMIA DE NANDA) Inabilidade para efetuar mudanças no estilo de v ida. (M) Ausência de planos para o futuro. (M) Dificuldades nos testes de percepção da realidade.Estratégias defensiv as de resolução (M) (1 988) DEFINIÇÃO: Estado no qual o indiv íduo. Racionalização de fracassos. para solucionar simbolicamente os problemas. (M) Sobrecarga sensorial. (M) CARACTERÍSTICAS DEFINIDORAS: Maiores: Negação de problemas ou fraquezas óbv ios. repetidamente. 5. traduzido por relações interpessoais insatisfatórias.

2. (A) Conflitos internos não resolv idos. incluindo ex trema negação sobre a ex istência ou grav idade da doença. efetiv amente. de uma atitude de desamparo e dependência total. Fuga. (M) FATORES RELACIONADOS: Pessoas significativ as com sentimentos crônicos e não ex pressos portaldeenfermagem. Deslocamento da fonte dos sintomas para outros órgãos.pt/2008/07/diagnstico-de-enfermagem-taxonomia-de. Apropriação dos sintomas da doença do cliente.1 .html 29/34 . enfrentar questões essenciais à adaptação de ambas ao desafio da saúde. ou no tratamento da doença. (A) Encorajamento do indiv íduo. para solucionar simbolicamente os problemas. FATORES RELACIONADOS: (A) Capacidade reduzida para enfrentar com eficácia os problemas da v ida. (M) Intolerância. (A) 5. Incapacidade de admitir o impacto da doença no padrão de v ida. Continuidade das rotinas usuais. (M) Agitação. (A) Sistema de suporte ineficiente. (A) Crises situacionais.1 . por pessoas significativ as. (M) Deslocamento do medo do impacto da situação. desconsiderando-se as necessidades do cliente. (M) Reestruturação prejudicada de uma v ida pessoalmente significativ a. (M) Negação do medo da morte ou da inv alidez. (M) Demonstração de afeto inadequado.29/05/12 ENFERMAGEM: DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM (TAXONOMIA DE NANDA) pessoal. Rejeição. agressiv idade ou hostilidade. Decisões e ações da família que são prejudiciais ao seu bem-estar econômico e social. (M) (1 980) DEFINIÇÃO: Estado no qual pessoa significativ a (membro da família ou outra pessoa) demonstra comportamento primário que anula as suas próprias capacidades e as do cliente para. (M) Menores: Uso de automedicação para aliv iar sintomas. (M) Distorção da realidade relacionada ao problema de saúde do cliente.1 . Gestos ou comentários indicando rejeição. ao falar sobre ev entos desagradáv eis. Negligência no relacionamento com outros membros da família.Estratégias ineficazes de resolução familiar: incapacidade. Desenv olv imento. Super-preocupação prolongada pelo cliente. Indiv idualidade prejudicada. depressão. Psicossomatização.blogspot. Abandono. (M) CARACTERÍSTICAS DEFINIDORAS: Negligência no atendimento às necessidades humanas básicas do cliente. no cliente. Minimização de sintomas.

(M) Pouco suporte dado pelo cliente. (M) CARACTERÍSTICAS DEFINIDORAS: Subjetiv as: Preocupação ou queix a do cliente sobre a resposta de pessoas significativ as ao seu problema de saúde. (M) Arbitrária conduta de resistência da família ao tratamento. ansiedade. está prov endo apoio. etc.1 . os quais interferem nos comportamentos de apoio ou na assistência efetiv a. incapacitada para atuar efetiv amente no atendimento às necessidades do cliente. que tende a solidificar a estratégia defensiv a e não permite a resolução adequada da ansiedade subjacente. ou assume comunicação limitada ou temporária com o cliente.2.blogspot. por isso. usualmente de apoio. ou descrição ou confirmação de base inadequada de conhecimento. assistência ou encorajamento insuficientes. para pessoa significativ a.29/05/12 ENFERMAGEM: DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM (TAXONOMIA DE NANDA) de culpa. Preocupação de pessoa significativ a com a sua reação pessoal (por ex . inefetiv os ou comprometedores.Estratégias ineficazes de resolução familiar: comprometedoras. que v iv ência conflitos emocionais ou problemas pessoais e está. hostilidade. Dissonante discrepância entre pessoas significativ as e o cliente (ou entre pessoas significativ as) .html 30/34 . (M) Doença prolongada ou incapacidade progressiv a que esgota a capacidade de apoio das pessoas significativ as.: temor. ou por outra crise situacional ou de desenv olv imento) . (A) 5. ou situaçõesproblema que pessoa significativ a possa estar enfrentando. Objetiv os: Pessoa significativ a tenta comportamentos de assistência e apoio com resultados não satisfatórios. culpa.2.Estratégias de resolução familiar: potencial para portaldeenfermagem. (M) FATORES RELACIONADOS: Informação ou compreensão inadequada ou incorreta de pessoa significativ a. Descrição ou confirmação de entendimento. (M) Temporária desorganização familiar e mudanças de papéis. por seu turno. Outras crises situacionais ou de desenv olv imento. desespero. (M) Preocupação temporária de pessoa significativ a. Pessoa significativ a se isola. (M) (1 980) DEFINIÇÃO: Estado no qual uma primária (membro da família ou amigo íntimo) . (M) 5. os quais podem ser necessários para o cliente resolv er ou superar tarefas adaptativ as relacionadas ao seu problema de saúde. conforto.1 .2. em momento de necessidade. (M) Conhecimento inadequado sobre a doença ou o tratamento. ansiedade pela doença ou deficiência do cliente.2.1 .pt/2008/07/diagnstico-de-enfermagem-taxonomia-de. (M) Pessoas significativ as demonstram comportamento protetor desproporcional (muito pouco ou demais) à habilidade ou à necessidade de autonomia do cliente. nas formas de agir para enfrentar tarefas adaptativ as. pesar antecipado.

3. de forma indiv idual ou em grupos de ajuda. (M) CARACTERÍSTICAS DEFINIDORAS: Membro da família tenta descrev er a dimensão do impacto da crise sobre seus próprios v alores.2.html 31/34 . prioridades. Falha no comparecimento às consultas. (M) FATORES RELACIONADOS: Necessidade básica suficientemente satisfeita e tarefas adaptativ as abordadas de maneira eficaz. com outra pessoa que tenha v iv enciado uma situação similar. perda ou desafio aos v alores pessoais.Conflito de decisão (especificar) (1 988) DEFINIÇÃO: Estado no qual o indiv íduo v erbaliza ou demonstra incerteza a respeito do curso de ação a ser tomado. que dá apoio e acompanha processos de maturação. não aderir a recomendação terapêutica. Testes objetiv os rev elando o não seguimento da terapêutica (medidas fisiológicas.1 .1 .pt/2008/07/diagnstico-de-enfermagem-taxonomia-de. ex aminado e negociando programas de tratamento. (M) Membro familiar direcionando-se para um estilo de v ida de melhoria e promoção da saúde. influências culturais. (M) CARACTERÍSTICAS DEFINIDORAS: *Comportamento indicativ o de falha em aderir a terapêutica recomendada (por observ ação direta. (M) Pessoa ex pressando interesse em manter contato.blogspot. detecção de marcadores) . deliberadamente. Ev idência de ex arcerbação dos sintomas. ou por afirmação do paciente ou de outras pessoas significativ as) . possibilitando a emergência de metas de auto-realização. (M) 5. quando a escolha entre ações competitiv as env olv e risco. e escolhendo ex periências que optimizam o bemestar. v alores espirituais.1 .1 .29/05/12 ENFERMAGEM: DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM (TAXONOMIA DE NANDA) crescimento (M) (1 980) DEFINIÇÃO: Estado no qual membro da família env olv ido com problema de saúde do cliente ex erce efetiv o domínio em questões adaptativ as. (M) FATORES RELACIONADOS: Sistema de v alores do paciente: crenças sobre saúde. tanto em relação a si próprio quanto ao cliente. (M) Ev idência do desenv olv imento de complicações. (M) 5. Relacionamento inadequado estabelecido entre o cliente e o profissional. e demonstra desejo e disposição para promov er a saúde e o crescimento. (M) Falha na ev olução. (M) CARACTERÍSTICAS DEFINIDORAS: Maiores: portaldeenfermagem.Recusa (especificar) (1 97 3) DEFINIÇÃO: Estado no qual o indiv íduo resolv e. metas ou relacionamentos.

(A) Ex cesso de dados sobre a situação. (M) FATORES RELACIONADOS: Sistema de v alores e crenças pessoais não claros. (M) V acilação entre escolhas alternativ as. ao tentar uma decisão. tensão muscular aumentada.1 . (A) 5. (M) portaldeenfermagem. (M) Menores: V erbalização de sentimento de angústia durante o processo de tomada de decisão. Distúrbio da auto-estima. (M) 6 . Adiamento da tomada de decisão. Questionamento de v alores pessoais e crenças.1 . (M) Sinais físicos de angústia ou tensão (freqüência cardíaca aumentada. Falta de informações relev antes. (M) Concentração em si mesmo. (M) Manifestação de preocupação relativ a a influência das condições ambientais prev alecentes sobre o estado da saúde. para atingir um nív el mais elev ado de saúde. inclusiv e no leito.29/05/12 ENFERMAGEM: DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM (TAXONOMIA DE NANDA) V erbalização de incerteza a respeito das escolhas.) .blogspot.Mobilidade física prejudicada (1 97 3) + DEFINIÇÃO: Estado no qual o indiv íduo ex perimenta uma limitação na habilidade para mov imentos físicos independentes. (M) Desejo ex presso ou observ ado de conhecer comportamentos de promoção da saúde.+ (M) CARACTERÍSTICAS DEFINIDORAS: Maiores: Desejo ex presso ou observ ado de empenhar-se em alcançar um nív el mais elev ado de bem-estar.4. efetiv amente. Sistema de suporte deficiente. etc. (M) Desejo ex presso ou observ ado de buscar maior familiaridade com os recursos de bem-estar comunitários.PADRÃO DE RESPOSTA HUMANA MOV ER 6. Relutância em tentar mov imentar-se. buscando formas de alterar hábitos pessoais de saúde ou do meio-ambiente. V erbalização de conseqüências indesejadas de ações alternativ as que estão sendo consideradas. aumentando práticas de controle de saúde.html 32/34 . (M) Percepção de ameaça ao sistema de v alores.Comportamento para elev ar nív el de saúde (especificar) (1 988) DEFINIÇÃO: Estado no qual o indiv íduo em boas condições de saúde está.1 . Fontes de informações múltiplas ou div ergentes.pt/2008/07/diagnstico-de-enfermagem-taxonomia-de. Amplitude limitada de mov imento. inquietação. Falta de ex periência ou interferência no modo de decidir. transferência e deambulação. CARACTERÍSTICAS DEFINIDORAS: Inabilidade para mov imentação significativ a dentro do ambiente físico.

estão controlados. Sinais e sintomas de doença. Desconforto ou dispnéia de esforço. 6.Intolerância à ativ idade (1 982) DEFINIÇÃO: Estado no qual o indiv íduo tem energia psicológica ou fisiológica insuficiente para desempenhar ou completar as ativ idades diárias requeridas ou desejadas. (M) Coordenação prejudicada. (A) FATORES RELACIONADOS: Repouso no leito ou imobilidade. O cliente relata boa ou ex celente saúde. Fraqueza generalizada. fraqueza ou desânimo. FATORES RELACIONADOS: Intolerância `ativ idade física. 2 = Requer ajuda de outra pessoa para assistência.2. Depressão ou ansiedade sev era. como prefácio deste diagnóstico. + É importante dizer. se estão presentes. Enfraquecimento músculo-esquelético.pt/2008/07/diagnstico-de-enfermagem-taxonomia-de. em resposta à ativ idade.blogspot. (M) Depressão. retenção ou infecção do trato urinário. trombose. portaldeenfermagem. Alterações eletrocardiográficas refletindo arritmia ou isquemia. Hipotensão ortostática. + Sugestão de código para classificação do nív el funcional: 0 = Completamente independente. Dor ou desconforto. razões médicas ou mecânicas. (M) Força e resistência diminuídas. (M) Alteração da freqüência cardíaca ou da pressão sangüínea. Enfraquecimento neuro-muscular. constipação. superv isão ou ensino.29/05/12 ENFERMAGEM: DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM (TAXONOMIA DE NANDA) Força. alteração da imagem corporal e impotência. Desorientação. em geral é um processo de amadurecimento normal que ev idência comportamentos de enfermagem de prev enção de problemas potenciais e promoção da saúde. estase de secrreções pulmonares. diminuição da amplitude dos mov imentos das articulações. Estilo de v ida sedentária.html 33/34 .1 . Desequilíbrio entre suprimento e demanda de ox igênio e glicose. 1 = Requer uso de equipamento ou aparelho. (A) ++ Complicações de imobilidade podem incluir úlcera de pressão. + Boa condição de saúde é definida como idade apropriada para atingir medidas de prev enção de doença. controle ou massa muscular diminuídas.1 . Dano perceptual ou cognitiv o. CARACTERÍSTICAS DEFINIDORAS: *V erbalização de fadiga. resistência ou força diminuída. que o ajustamento para paternidade ou maturidade. Letargia ou indiferença. Restrição dos mov imentos impostas por prescrição.

Quero agradecer.ferreiras@hotmail.7 4-31 07 . Nov ember 1 97 4) P OS TA DO P OR P R I S CI LLA À S 1 9 :1 0 1 CO ME NT ÁRI O S : Anônimo disse. Patient Classification for LongTerm Care: User’s Manual. Jones et al. não participa da ativ idade. (Código adaptado de E.com 5 de m ai o de 2009 14:56 Postar u m com en tári o L INKS PARA E S T A POS T AGE M Cri ar u m l i n k Postagem mais recente Início Postagem mais antiga Assinar: Postar comentários (Atom) portaldeenfermagem. OBRIGADA silv ia.29/05/12 ENFERMAGEM: DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM (TAXONOMIA DE NANDA) 3 = Requer ajuda de outra pessoa e uso de equipamento ou aparelho. Publication No HRA . 4 = Dependente.html 34/34 .blogspot.pt/2008/07/diagnstico-de-enfermagem-taxonomia-de. HEW... adorei. tenho muitas dúv idas sobre diagnóstico de enfermagem.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful