Como mobilizar a comunidade escolar em torno da construção de seu Projeto Político-pedagógico?

Este pequeno texto se destina a reunir algumas estratégias mobilizadoras da comunidade escolar em torno da construção de seu Projeto Político-Pedagógico. O Dicionário Eletrônico Houaiss define mobilizar como “por (se) em ação (um conjunto de pessoas) para uma tarefa, uma campanha, etc. Conclamar pessoas a participarem de uma atividade social, política ou de outra natureza, insuflando-lhes entusiasmo, vontade, etc.” Conforme a explicação do verbete é necessário instigar as pessoas da comunidade escolar para a construção do Projeto, despertando-lhe o entusiasmo, suas energias; envolver-lhes mais que fisicamente. Emocionalmente. O grupo de sistematização do documento tem como atribuição “animar” os participantes, tornando o trabalho vivo, produtivo, criativo. Este trabalho encontra suporte teórico em dois documentos que inspiram as atividades democráticas no eixo da educação: Plano Municipal: documento norteador para a elaboração de plano municipal de educação1 e Como promover a construção coletiva do Projeto Pedagógico da escola?2. Na verdade, o elenco de atividades aqui descritas não pretende ser um manual de atuação de equipes sistematizadoras do Projeto Político Pedagógico – P.P.P – mas ilustrar como algumas escolas ou órgão de educação podem insuflar sua comunidade em torno de seus objetivos, aproximando-se mais da coletividade. Guardadas as proporções as equipes de sistematização podem adotar diversas estratégias mobilizadoras (BRASIL, 2005, P. 80-82): a) Criação de várias equipes temáticos com a finalidade de descentralizar as ações; b) Utilização dos meios comunicação disponíveis (rádios, jornais, cartazes,
1

BRASIL, Ministério da Educação.SEB. documento nortedor para elaboração do plano

municipal de educação –PME/elaboração Clodoaldo José de Almeida Souza. – Brasilia: secretaria da Educação Básica, 2005. 98 p.
2

MARÇAL, Juliane Corrêa. Progestão: Como promover a construção coletiva do projeto

pedagógico da escola? Módulo III; coordenação geral Maria Aglaê de M.M. Brasília: CONSED – Conselho Nacional de Secretários Estaduais de Educação, 2001.

A autora elenca algumas atividades viáveis: visitas as pessoas mais idosas no intuito de resgatar memórias sobre a escola.) e realização de encontros. e) Realização de assembleia geral para apresentação do diagnóstico. A termo de encerramento desse levantamento de estratégias. discussão. clara e objetiva é preciso discutir as concepções dos vários segmentos e definir uma linha de ação compartilhada que traduza aquilo que o grupo considera prioritário para o trabalho da escola. diversas reuniões com professores para discussão das práticas pedagógicas e outros fatores interferentes. c) Convocação da sociedade civil (associações comunitárias. d) Promoção de um dia de mobilização e discussão na escola. estudantil. faço minhas as preocupações de Marçal (2001. formulação e definição de propostas. criação de conselho de representantes de turma. . culturais. com realização de estudos temáticos em formato de oficinas.faixas outdoor. funcionários técnico-administrativos e de apoio. discussão em sala.70-71): a preocupação fundamental deve ser levantar as concepções do coletivo da escola em relação ao trabalho pedagógico como um todo. p. realização de fóruns ou ciclo de debates envolvendo professores. De forma simples. Marçal (2001. organizações religiosas. alunos. distribuição e coleta de informações junto aos pais. visando propor inovações ao seu cotidiano. serviço de som móvel). p.60-71) detalha de forma mais pedagógica as ações participativas da coletividade. gestores e representantes da comunidade para discussão dos problemas potenciais da escola. etc.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful