Você está na página 1de 16

LIGANTES HIDRÓFILOS

CIMENTOS

PRINCIPAIS COMPONENTES DO CRÚ E DO CLÍNQUER PORTLAND

LIGANTES HIDRÓFILOS CIMENTOS PRINCIPAIS COMPONENTES DO CRÚ E DO CLÍNQUER PORTLAND 1
1
1

LIGANTES HIDRÓFILOS

CIMENTOS

COMPONENTES DA MATÉRIA-PRIMA

Inicial

HIDRÓFILOS CIMENTOS COMPONENTES DA MATÉRIA-PRIMA Inicial Após perder água e CO 2 no forno Principais C

Após perder água e CO 2 no forno

Principais

Inicial Após perder água e CO 2 no forno Principais C → S → A →

C

S

A

F

Outros

perder água e CO 2 no forno Principais C → S → A → F →

_

S

H H 2 O

2

LIGANTES HIDRÓFILOS

CIMENTOS

COMPONENTES DA MATÉRIA-PRIMA

Objectivos: Módulos os símbolos referem-se às %s de óxidos na totalidade do cimento • regularidade
Objectivos:
Módulos
os símbolos referem-se às %s de
óxidos na totalidade do cimento
• regularidade de composição
e de propriedades
Relações antes da cozedura
Hidráulico (VICAT)
Alumino-férrico
ou de fundentes
Silícico
MTO IMP.
Para cimentos c/ >
resist. Química e calor
de hidratação baixo
Para não permitir a
formação de
aluminatos tricálcicos
Grau de saturação
em cálcio
de aluminatos tricálcicos Grau de saturação em cálcio Caso os módulos não respeitem os limites a

Caso os módulos não respeitem os limites a matéria-prima tem de ser corrigida

3

LIGANTES HIDRÓFILOS

CIMENTOS

COMPONENTES DA MATÉRIA-PRIMA

Componentes principais do Clínquer

DA MATÉRIA-PRIMA Componentes principais do Clínquer Matéria-prima T = 1260ºC T ≤ 100ºC 700 < T
Matéria-prima T = 1260ºC T ≤ 100ºC 700 < T ≤ 900ºC Evaporação da água
Matéria-prima
T = 1260ºC
T ≤ 100ºC
700 < T ≤ 900ºC
Evaporação
da água livre
- Aparece a fase líquida
- Alite
- Formação dos óxidos de
Ca e (Mg)
100 < T ≤ 450ºC
- início da formação de
Belite
Aluminato de cálcico
Aluminoferrato bicálcico
900 < T ≤ 1200ºC
450 < T ≤ 700ºC
Saída da água
adsorvida
Activação dos
silicatos
Belite
Aluminato tricálcico
Celite
4

LIGANTES HIDRÓFILOS

CIMENTOS

COMPONENTES DA MATÉRIA-PRIMA

Componentes do Clínquer não aparecem puros Contêm metais alcalinos, ferro, magnésio, etc.
Componentes do Clínquer
não aparecem puros
Contêm metais alcalinos,
ferro, magnésio, etc.
(CELITE)
(CELITE)

Representação esquemática dos principais componentes do clínquer de cimento Portland

Análise químicaquímica do Clínquer pouco diz acerca dos componentes formados durante a fusão e cristalização subsequente

formados durante a fusão e cristalização subsequente Belite Celite Alite 5 Celite dá a cor cinzenta
formados durante a fusão e cristalização subsequente Belite Celite Alite 5 Celite dá a cor cinzenta

Belite

Celite Alite 5
Celite
Alite
5

Celite dá a cor cinzenta ao cimento

Cimento branco não tem Celite

LIGANTES HIDRÓFILOS

CIMENTOS

COMPONENTES DA MATÉRIA-PRIMA

Natureza e estrutura do Clínquer

Natureza e estrutura do Clínquer
Natureza e estrutura do Clínquer
Natureza e estrutura do Clínquer
Natureza e estrutura do Clínquer
Natureza e estrutura do Clínquer
DA MATÉRIA-PRIMA Natureza e estrutura do Clínquer Dominam as propriedades do cimento Clínqueres com

Dominam as propriedades do cimento

Clínqueres com composições químicas idênticas Podem ter características diferentes Natureza do material na
Clínqueres com composições
químicas idênticas
Podem ter características diferentes
Natureza do material na
pedreira diferente
+
Contribuem para alterar
a estrutura do Clínquer
História térmica do clínquer
Dimensões e forma das partículas do cru
Variações acidentais da composição química do cru
Enorme variabilidade nas propriedades do cimento
Não explicada apenas pela análise química

LIGANTES HIDRÓFILOS

CIMENTOS

COMPONENTES PRINCIPAIS DO CIMENTO PORTLAND

Composição potencial ou composição de Bogue

A partir das quantidades de óxidos determinados por análise química
A partir das quantidades de óxidos determinados por análise química
A partir das quantidades de óxidos determinados por análise química
A partir das quantidades de óxidos determinados por análise química

A partir das quantidades de óxidos determinados por análise química

A partir das quantidades de óxidos determinados por análise química
quantidades de óxidos determinados por análise química PRESSUPOSTO: Composição do clínquer arrefecido = à
quantidades de óxidos determinados por análise química PRESSUPOSTO: Composição do clínquer arrefecido = à
PRESSUPOSTO: Composição do clínquer arrefecido = à composição de um estado de equilíbrio total entre
PRESSUPOSTO: Composição do clínquer arrefecido = à composição de um estado de equilíbrio total entre

PRESSUPOSTO:

PRESSUPOSTO: Composição do clínquer arrefecido = à composição de um estado de equilíbrio total entre os
PRESSUPOSTO: Composição do clínquer arrefecido = à composição de um estado de equilíbrio total entre os
PRESSUPOSTO: Composição do clínquer arrefecido = à composição de um estado de equilíbrio total entre os
PRESSUPOSTO: Composição do clínquer arrefecido = à composição de um estado de equilíbrio total entre os
PRESSUPOSTO: Composição do clínquer arrefecido = à composição de um estado de equilíbrio total entre os
PRESSUPOSTO: Composição do clínquer arrefecido = à composição de um estado de equilíbrio total entre os
Composição do clínquer arrefecido = à composição de um estado de equilíbrio total entre os
Composição do clínquer arrefecido = à composição de um estado de equilíbrio total entre os

Composição do clínquer arrefecido = à composição de um estado de equilíbrio total entre os componentes cristalizados como se estivessem à temperatura de clinquerização

ANÁLISE QUÍMICA

(NP EN 196-2 (1996))

ANÁLISE QUÍMICA (NP EN 196-2 (1996))
ANÁLISE QUÍMICA (NP EN 196-2 (1996))
ANÁLISE QUÍMICA (NP EN 196-2 (1996))
ANÁLISE QUÍMICA (NP EN 196-2 (1996))
à temperatura de clinquerização ANÁLISE QUÍMICA (NP EN 196-2 (1996)) + COMPOSIÇÃO POTENCIAL OU DE BOGUE
à temperatura de clinquerização ANÁLISE QUÍMICA (NP EN 196-2 (1996)) + COMPOSIÇÃO POTENCIAL OU DE BOGUE

+

+
+
+
+
+
à temperatura de clinquerização ANÁLISE QUÍMICA (NP EN 196-2 (1996)) + COMPOSIÇÃO POTENCIAL OU DE BOGUE
à temperatura de clinquerização ANÁLISE QUÍMICA (NP EN 196-2 (1996)) + COMPOSIÇÃO POTENCIAL OU DE BOGUE

COMPOSIÇÃO POTENCIAL OU DE BOGUE

7

LIGANTES HIDRÓFILOS

CIMENTOS

COMPONENTES PRINCIPAIS DO CIMENTO PORTLAND

CIMENTOS COMPONENTES PRINCIPAIS DO CIMENTO PORTLAND Outros métodos difracção de raios X microscopia

Outros métodos

COMPONENTES PRINCIPAIS DO CIMENTO PORTLAND Outros métodos difracção de raios X microscopia óptica MEV

difracção de raios X microscopia óptica MEV dissolução selectiva análise termo gravimétrica método de Bogue aperfeiçoado

8

LIGANTES HIDRÓFILOS

CIMENTOS

HIDRATAÇÃO Presa, Endurecimento e Hidratação

HIDRATAÇÃO

HIDRATAÇÃO Presa, Endurecimento e Hidratação
Presa, Endurecimento e Hidratação
Presa, Endurecimento e Hidratação

Presa, Endurecimento e Hidratação

0 – água + cimento (amassadura) 1 – período dormente ou de indução 3 –
0 – água + cimento (amassadura)
1 – período dormente ou de indução
3 – fim de presa
2 – início de presa
Fluidez ± constante
Umas horas depois de 2
2 a 4h depois 1 (T normais)
• Inicia rigidificação
• Resistência mto baixa
• Inicia rigidificação • Resistência mto baixa 4 – endurecimento mto rápido nos primeiros 2 dias,
4 – endurecimento

4 – endurecimento

4 – endurecimento
4 – endurecimento
4 – endurecimento
4 – endurecimento
mto rápido nos primeiros 2 dias, cada vez + lento à medida que o tempo
mto rápido nos primeiros 2 dias,
cada vez + lento à medida que o tempo passa
resistência aumenta continuamente

9

LIGANTES HIDRÓFILOS

CIMENTOS

HIDRATAÇÃO

Presa, Endurecimento e Hidratação

Reacções de hidratação Presa e início de endurecimento exotérmicas Resulta: da hidratação dos 4 componentes
Reacções de hidratação
Presa e início de endurecimento
exotérmicas
Resulta:
da hidratação dos 4 componentes
principais do cimento
da interacção entre os produtos da
hidratação
A
• dura apenas alguns mn
• deve-se à hidratação inicial à
superfície das partículas
Período dormente – 2/3 horas
B
• início do endurecimento
(reactividade máxima de hidratação)
C
10
• pode ocorrer 1 ou 2 dias depois de B

LIGANTES HIDRÓFILOS

CIMENTOS

HIDRATAÇÃO

Presa, Endurecimento e Hidratação

CIMENTOS HIDRATAÇÃO Presa, Endurecimento e Hidratação Presa rápida ou instantânea (pico A) Explicação
CIMENTOS HIDRATAÇÃO Presa, Endurecimento e Hidratação Presa rápida ou instantânea (pico A) Explicação

Presa rápida ou instantânea (pico A)

Explicação Simplificada

Aluminato tricálcico

(pico A) Explicação Simplificada Aluminato tricálcico 1 Retardação da reacção Adição de gesso 2 etringite
1
1
Retardação da reacção Adição de gesso 2
Retardação da reacção
Adição de gesso
2
1 Retardação da reacção Adição de gesso 2 etringite Período dormente precipita sobre C 3 A
etringite
etringite
etringite
etringite

etringite

etringite
1 Retardação da reacção Adição de gesso 2 etringite Período dormente precipita sobre C 3 A
Período dormente precipita sobre C 3 A
Período dormente
precipita sobre C 3 A
gesso 2 etringite Período dormente precipita sobre C 3 A • Desaparecimento da camada de protecção

Desaparecimento da camada de protecção de C 3 A Início da formação de produtos de hidratação a partir dos componentes do cimento

de protecção de C 3 A • Início da formação de produtos de hidratação a partir
de protecção de C 3 A • Início da formação de produtos de hidratação a partir
de protecção de C 3 A • Início da formação de produtos de hidratação a partir
A • Início da formação de produtos de hidratação a partir dos componentes do cimento Fim

Fim do Período dormente

11

LIGANTES HIDRÓFILOS

CIMENTOS

HIDRATAÇÃO

Presa, Endurecimento e Hidratação

Explicação Simplificada (cont.)

Gesso totalmente consumido 3 etringite monosulfoaluminato 1 C 3 A remanescente
Gesso totalmente consumido
3
etringite
monosulfoaluminato
1
C 3 A remanescente
totalmente consumido 3 etringite monosulfoaluminato 1 C 3 A remanescente máximo C se C 3 A
totalmente consumido 3 etringite monosulfoaluminato 1 C 3 A remanescente máximo C se C 3 A

máximo C se C 3 A > 12%

12

LIGANTES HIDRÓFILOS

CIMENTOS

HIDRATAÇÃO

Presa, Endurecimento e Hidratação

CIMENTOS HIDRATAÇÃO Presa, Endurecimento e Hidratação Explicação Simplificada (cont.) Hidratação do

Explicação Simplificada (cont.)

Hidratação do aluminoferrato tetracálcico (C 4 AF) Aluminato tricálcico hidratado ferro monocálcico hidratado 4 5
Hidratação do aluminoferrato tetracálcico (C 4 AF)
Aluminato tricálcico hidratado
ferro monocálcico hidratado
4
5
tricálcico hidratado ferro monocálcico hidratado 4 5 ferrato tricálcico hidratado Em simultâneo com a

ferrato tricálcico hidratado

Em simultâneo com a hidratação do C 3 A

C 3 A protegido contra os sulfatos

do C 3 A C 3 A protegido contra os sulfatos Cimentos resistentes aos sulfatos >>

Cimentos resistentes aos sulfatos >> C 4 AF

13

LIGANTES HIDRÓFILOS

CIMENTOS

HIDRATAÇÃO

Presa, Endurecimento e Hidratação

CIMENTOS HIDRATAÇÃO Presa, Endurecimento e Hidratação Explicação Simplificada (cont.) C 3 S (alite) 6

Explicação Simplificada (cont.)

C 3 S (alite)

6 Parte em solução Parte cristaliza Bissilicato tricálcico hidratado Vulgarmente designado por silicato de
6
Parte em solução
Parte cristaliza
Bissilicato tricálcico
hidratado
Vulgarmente designado por silicato
de cálcico hidratado (CSH)
40% dos produtos de
hidratação da alite
hidratado (CSH) 40% dos produtos de hidratação da alite Responsável pela resistência atingida no cimento

Responsável pela resistência atingida no cimento endurecido

pela resistência atingida no cimento endurecido Somente estável em soluções saturadas de hidróxido de

Somente estável em soluções saturadas de hidróxido de cálcio com 12,2 < pH < 12,34

É a reacção + rápida > contribuição para o pico B

hidróxido de cálcio com 12,2 < pH < 12,34 É a reacção + rápida ⇒ >

14

LIGANTES HIDRÓFILOS

CIMENTOS

HIDRATAÇÃO

Presa, Endurecimento e Hidratação

CIMENTOS HIDRATAÇÃO Presa, Endurecimento e Hidratação Explicação Simplificada (cont.) C 2 S (belite) 7

Explicação Simplificada (cont.)

C 2 S (belite)

7
7
Explicação Simplificada (cont.) C 2 S (belite) 7 outro silicato de cálcico hidratado ( CSH )
outro silicato de cálcico hidratado ( CSH )
outro silicato de cálcico hidratado ( CSH )
outro silicato de cálcico hidratado ( CSH )
outro silicato de cálcico hidratado ( CSH )

outro silicato de cálcico hidratado (CSH)

outro silicato de cálcico hidratado ( CSH )
outro silicato de cálcico hidratado ( CSH )
outro silicato de cálcico hidratado ( CSH )
outro silicato de cálcico hidratado ( CSH )
(belite) 7 outro silicato de cálcico hidratado ( CSH ) + estável do que o bissilicato

+ estável do que o

bissilicato tricálcico hidratado

reage + lentamente do que C 3 S (alite) produtos da reacção idênticos (CSH) contribuição reduzida para o calor de hidratação

( CSH ) • contribuição reduzida para o calor de hidratação 18% dos produtos de hidratação
( CSH ) • contribuição reduzida para o calor de hidratação 18% dos produtos de hidratação

18% dos produtos de hidratação da belite

15
15

LIGANTES HIDRÓFILOS

CIMENTOS

HIDRATAÇÃO

Presa, Endurecimento e Hidratação

Quadro resumo das reacções

equações

16
16

6

7

1

4

5

2

3