SIMULADO – DIREITO PENAL

O GABARITO DESTE SIMULADO SERÁ DISPONIBILIZADO PARA A TURMA F NO GRUPO FECHADO DO FACEBOOK NESTE PRÓXIMO DOMINGO (22/05/12). BONS ESTUDOS! Qualquer dúvida podem entrar em contato: RAPHAELLA MARTINS raphaella.lm@gmail.com
1 - Q221593 Constituem crimes contra a liberdade pessoal, exceto: • a) Constrangimento ilegal. • b) Ameaça. • c) Sequestro. • d) Redução à condição análoga a de escravo. • e) Violação de domicílio. 2 - Q207721 Assinale a opção correta a respeito dos crimes contra a honra. • a) Conforme a jurisprudência do STF, o advogado tem imunidade profissional, não constituindo injúria, difamação ou desacato puníveis qualquer manifestação de sua parte, no exercício de sua atividade, em juízo ou fora dele. • b) Conforme a jurisprudência do STJ, não há crime de calúnia, injúria ou difamação, se perceptível primus ictus oculi que a vontade do agente está desacompanhada da intenção de ofender, exceto se praticou o fato com animus narrandi ou animus criticandi. • c) As penas cominadas aos delitos de calúnia, difamação e injúria aumentam-se de um terço, se qualquer dos crimes for cometido contra pessoa maior de sessenta anos de idade ou portadora de deficiência. • d) Se a injúria consistir na utilização de elementos referentes à raça, cor, etnia, religião, origem ou à condição de pessoa idosa ou portadora de deficiência, aumenta-se a pena de metade. • e) A imunidade parlamentar material dos congressistas incide de forma absoluta quanto às declarações proferidas no recinto do parlamento, dispensando-se a presença de vínculo entre o conteúdo do ato praticado e a função pública parlamentar exercida. 3 - Q201809 Dos crimes contra a honra. Calúnia, Difamação e Injúria. A honra, objetiva (julgamento que a sociedade faz do indivíduo) e subjetiva (julgamento que o indivíduo faz de si mesmo), é um direito fundamental do ser humano, protegido constitucional e penalmente. Destarte: • a) Do almoxarifado de empresa de energia elétrica foi subtraído 1.300 quilogramas de fio de cobre. Ao Almoxarife Francinaldo, falecido dois meses antes de descoberta a falta, • •

Tiburcio, seu substituto, atribuiu-lhe a autoria. Procedidas às investigações, resultou constatado ter sido um dos motoristas quem efetuou a subtração. Por ser punível a calúnia contra os mortos, Francinaldo é o sujeito passivo do crime; b) Ainda que falsa a imputação atribuída por Tiburcio ao morto, por ser admitido na lei penal a exceptio veritatis, está ele, via do instituto, compelido a provar ser ela verdadeira; c) Por Márcio haver dito em assembléia estudantil que Maurício, seu colega de faculdade, é afeminado e desonesto, por este foi interposta ação penal privada, a qual, ao ser julgada, absolveu o agressor por não haver a vítima provado ser falsa a imputação; d) No crime de calúnia, o querelado ou réu não pode ingressar com a exceptio veritatis, pretendendo demonstrar a verdade do que falou, quando o fato imputado à vítima constitua crime de ação privada e não houve condenação definitiva sobre o assunto.

4 - Q197024 Assinale a opção correta acerca dos crimes contra a honra. • a) Tratando-se do delito de injúria, admite-se a exceção da verdade caso o ofendido seja funcionário público, e a ofensa, relativa ao exercício de suas funções. • b) Caso o querelado, antes da sentença, se retrate cabalmente da calúnia ou da difamação, sua pena será diminuída. • c) Caracterizado o delito de injúria, o juiz pode deixar de aplicar a pena, no caso de retorção imediata, que consista em outra injúria. • d) O pedido de explicações em juízo é cabível nos delitos de calúnia e difamação, mas não se aplica ao de injúria. 5 - Q177442 Dentre as hipóteses de formas qualificadas dos crimes de injúria, calúnia e difamação, NÃO se incluem os crimes cometidos • a) mediante promessa de recompensa. • b) contra Governador de Estado. • c) contra chefe de governo estrangeiro. • d) na presença de várias pessoas. • e) contra funcionário público, em razão de suas funções. 6 - Q150810 No que tange à parte especial do Código Penal, julgue os itens a seguir. O roubo nada mais é do que um furto associado a outras figuras típicas, como as originárias do emprego de violência ou grave ameaça. • ( ) Certo ( ) Errado 7 - Q148704 Em que circunstância o crime de injúria admite a exceção da verdade? • a) A exceção da verdade será admitida em crime de injúria se o ofendido for funcionário público; • b) A exceção da verdade será admitida em crime de injúria no caso de tentativa de tal delito;

Augustus percebeu a ação delituosa e perseguiu Cícero. material e instantâneo. • b) Somente as proposições II e IV estão corretas.Q119663 É certo afirmar: I. com intenção de furtar. Cláudio. É correto. • d) furto e de lesões corporais. de forma secundária. 12 . Nessa situação. apenas o autor do disparo responderá por latrocínio. O furto admite o concurso material e formal. o concurso de duas ou mais pessoas é causa de aumento de pena do furto e circunstância qualificadora do roubo.Q100791 Em relação ao crime de roubo e suas modalidades. Cícero responderá por crime de • a) roubo impróprio. é aplicável somente ao roubo próprio. • b) furto simples. III. • ( ) Certo ( ) Errado • 11 . e) A exceção da verdade será admitida em crime de injúria quando o ofendido for menor de idade. O roubo é considerado crime complexo. o estatuto penal protege a propriedade. d) A exceção da verdade não será admitida em crime de injúria em nenhuma circunstância. a propriedade. ainda que o valor não exceda a quota a que tem direito o agente. apenas. III. III. • b) Somente as proposições II e III estão corretas. como uma tesoura. • d) Somente as proposições II e IV estão corretas. O roubo distingue-se do furto qualificado porquanto nele a violação é praticada contra pessoa. Nessa situação. pois o Código Penal protege a posse. porquanto incompatível com tal delito. o que se afirma em • a) I • b) II • c) III • d) I e II • e) II e III 9 . amedrontando as vítimas. • c) Somente as proposições I e III estão corretas. de dano. enquanto no furto qualificado ela é empregada contra a coisa. 157 do Código Penal. como garantia de dívida. • d) Somente as proposições II e III estão corretas. pode-se afirmar: • a) Somente as proposições I e IV estão corretas. uma das vítimas vem a falecer. pode-se afirmar: • a) Somente as proposições I e III estão corretas. No entanto. descritas no art. que configura o latrocínio. seguida de uma assertiva a ser julgada. A qualificadora da morte.Q121650 Cícero entrou no automóvel de Augustus e subtraiu-lhe um computador portátil que estava no banco traseiro. e acionou o motor por meio de uma chave falsa na ignição do veículo. • c) furto qualificado pela destreza.• • • c) A exceção da verdade será admitida em crime de injúria quando ocorrer o perdão judicial. a integridade física. • b) a prática do crime em concurso com adolescente inimputável não implica reconhecimento da qualificadora do concurso de agentes. cada um dos itens subseqüentes apresenta uma situação hipotética. O crime de furto classifica-se como crime comum quanto ao sujeito. Cláudio responde por crime de furto simples. documento que pode dar causa a procedimento criminal contra a vítima ou contra terceiro caracteriza o crime de extorsão indireta. • ( ) Certo ( ) Errado 10 . durante a fuga.Q99543 Marcelo. e de acordo com a jurisprudência do STJ. após a subtração. de forma livre. de posse do aparelho subtraído. 8 . assim logrando êxito em subtrair o veículo. cuja porta estava destravada. . doloso. no furto de coisa comum. a ameaça proferida em seguida para assegurar a subtração caracteriza o crime. Marcelo deve responder por crime de roubo. 14 . subtraiu para si dois aparelhos celulares. abusando da situação de alguém. assinale a alternativa correta: • a) o emprego de arma imprópria. • d) subtraído o bem sem que a vítima se aperceba. Analisando as proposições. II. A objetividade jurídica imediata do furto é a tutela da posse. A competência para julgar o crime de latrocínio é do juiz singular através do procedimento sumário.Q99542 Acerca dos crimes contra o patrimônio. • c) Somente as proposições I e IV estão corretas. a saúde e a liberdade individual. em concurso formal. II. atingida por disparo involuntário de um dos agentes. 13 . IV. II. IV. no que se refere aos crimes contra o patrimônio: I. • e) apropriação indébita. simulando portar arma de fogo. Analisando as proposições. O prazo decadencial do direito de queixa começa a contar da data da consumação do delito. Cícero causou ferimentos leves em Augustus. mas não admite o nexo de continuidade. com o qual entrou em luta corporal. e conseguiu fugir do local.Q120550 Considere as seguintes assertivas.Q118811 É certo afirmar: I. não qualifica o crime. comissivo. é punível a subtração de coisa comum fungível. • c) se. pertencentes a pessoas diversas. exigir ou receber. entrou no carro de Vagner.

onde alguém exerce profissão ou atividade. tornou a conduta atípica em face da desistência voluntária. utilizando a chave original que deixara de entregar ao tesoureiro. posto que. convidando a namorada Jussara para auxiliá-lo na subtração. • e) Túlio não praticou crime. conforme o caso. Nestor ingressa na empresa. • b) furto tentado. mas duplamente qualificado.Q97115 Jorge. não há exclusão da tipicidade. sob grave ameaça. 16 . Trata-se de • a) concurso formal de roubos.Q95748 Túlio furtou determinado veículo. • c) o juiz pode deixar de aplicar a pena quando o ofendido. empregada doméstica.Q105112 Mara.Q88880 Acerca de diversos institutos de direito penal. ao devolver voluntariamente o veículo.Q100904 Quanto à violação de domicílio é INCORRETO afirmar que: • a) dá-se de forma qualificada quando cometida durante a noite. • c) Nestor responde por invasão de domicílio e Jussara. cada um dos próximos itens apresenta uma situação hipotética. Acerta com ela todos os detalhes da empreitada. • c) não admite tentativa. pois o constrangimento à liberdade da vítima caracteriza ameaça. empregou violência contra a vítima a fim de . • c) furto consumado. de forma reprovável. ao contrário do que se dá nas hipóteses de aplicação deste último. deixando sua comparsa e namorada. em decorrência de dívidas de jogo. • b) na difamação admite-se a exceção da verdade se o ofendido é funcionário público e a ofensa é relativa ao exercício de suas funções. Com relação a essa situação hipotética. e sua tipicidade. que vem a ser presa por policiais chamados por um vigilante de outra empresa que desconfiou das atitudes da dupla. • c) concurso material de roubos. é INCORRETO afirmar que: • a) no crime de calúnia ou de difamação contra o presidente da república ou contra chefe de governo estrangeiro.. • d) Túlio deverá responder por roubo.Q88707 Acerca dos crimes contra o patrimônio. foge por uma porta dos fundos.. • d) um único crime de roubo. logo depois da ação. Considerando a assertiva. sem violência. • b) Ambos respondem por violação de domicílio. seguida de uma assertiva a ser julgada. • b) um único crime de roubo com uma qualificadora. pois. porém. ou em lugar ermo. 141 do Código Penal. Determinado agente subtraiu. teve subtraídos bens próprios e de terceiros que ele guardava. Por esse motivo.• e) somente se consuma a infração quando o agente se locupleta com a subtração do bem. e mantêm-se presentes os elementos do crime. e tenta abrir o cofre. 19 . por tentativa de furto. No entanto. Dora deu pela falta das joias e chamou a polícia que realizou busca no imóvel e encontrou o esconderijo onde Mara as havia guardado. julgue os itens que se seguem. mas deverá ter sua pena reduzida em face do arrependimento posterior. 22 . No dia seguinte. o ofendido não tenha sido condenado por sentença irrecorrível. pensando serem tiros. 17 .Q100022 Nestor. auxiliar da tesouraria de uma empresa. sendo irrelevante a devolução do veículo na medida que houve a consumação do crime. subtraiu joias de sua empregadora Dora. resolve subtrair dinheiro do pagamento dos empregados. assinale a opção correta. Mara responderá por • a) apropriação indébita. • e) estelionato. cabendo à Jussara a vigília da porta. assinale a alternativa correta.Q100902 Nos crimes contra a honra previstos no Código Penal. ainda que a pena ao final aplicada seja tão somente de multa. 20 . a carteira de um pedestre. • a) Túlio cometeu furto. tratando-se de crime comum. Por qual(ais) delito(s) Nestor e Jussara respondem? • a) Nestor responde por tentativa de furto duplamente qualificado e Jussara. Quando chegou em casa. • d) na calúnia admite-se a prova da verdade desde que. Entretanto. colocando-as numa caixa que enterrou no quintal da residência. • d) Ambos respondem por tentativa de furto duplamente qualificado. constituindo o fato interpretado crime de ação privada. constatou que no banco de trás encontrava-se uma criança dormindo. ao ver apontados contra si dois revólveres empunhados por dois agentes delituosos. incide a causa de aumento de pena prevista no art. • d) a expressão casa compreende compartimento não aberto ao público. Nesse caso. O furto privilegiado não se confunde com a aplicação do princípio da bagatela. 18 . ao escutar o estouro de um foguete. • ( ) Certo ( ) Errado 21 . • b) Túlio praticou furto. • e) roubo continuado. • b) é crime comissivo e omissivo. Túlio resolveu devolver o carro no local da subtração. • c) Túlio cometeu furto e sequestro culposo. ficando isento de pena em face do arrependimento eficaz. por tentativa de furto qualificado pelo concurso de pessoas. • d) roubo. provocou diretamente a injúria. 15 .

pois a ofendida (filha do síndico) não estava presente na reunião. a não ser que prove o que disse (exceção da verdade). cometeu crime de difamação. substâncias entorpecentes.Q82779 Assinale a opção correta a respeito dos crimes contra o patrimônio. Avalie o contexto e assinale a alternativa CORRETA: I. não se computando os inimputáveis. em ônibus coletivo. 29 .Colocar uma caveira à porta de alguém. • a) Não há delito de roubo quando a res sobre a qual recai a conduta delituosa do agente constitui objeto ou substância proibida pelo ordenamento jurídico brasileiro.assegurar a detenção definitiva da carteira.Q83941 Analise as proposições e assinale a única alternativa correta: I . • b) Antônio cometeu crime de calúnia. diz ao síndico que ele deveria se preocupar com sua própria família. certa importância em dinheiro. relativos aos crimes contra a pessoa. Há furto em concurso material com roubos em concurso formal. Há concurso formal de furto e roubo.Q84272 Em relação ao crime de constrangimento ilegal. • d) Apenas uma das proposições é falsa. pois sempre era vista em casa noturna suspeita da cidade. É inadmissível aplicar. que era acusado de fazer barulho durante a madrugada. • c) As assertivas II e IV estão corretas. A subtração de energia elétrica pode tipificar o crime de furto. II . II. III. Nessa situação. julgue os itens seguintes. e subtraiu dele. • b) O entendimento firmado na jurisprudência dos tribunais superiores e na doutrina em relação ao crime de roubo majorado por uso de arma é que o termo arma deve ser concebido em seu sentido próprio. Cometeu furto em concurso material com roubo continuado.Q88310 Durante reunião de condomínio. eventual majorante do delito de roubo. que não admite a exceção da verdade. Paulo • a) não responderá por crime contra o patrimônio. sem que João percebesse. era prostituta.Constitui constrangimento ilegal compelir a vítima a dar fuga ao agente em seu automóvel. • a) Antônio cometeu crime de calúnia. por ausência da potencialidade lesiva. IV. • c) O roubo majorado pelo concurso de pessoas impõe que os agentes sejam capazes. o agente deverá responder pelo delito de furto. assinale a alternativa correta: • a) Não admite a forma tentada. saca de uma arma de fogo. • d) Antônio cometeu crime de difamação. • a) Apenas a assertiva I está correta. durante a qual Antônio.Q84539 Antônio sentou-se ao lado de João. • b) Apenas a assertiva IV está correta. com a presença de diversos moradores. • c) O sujeito ativo impõe à vítima uma conduta indeterminada.A retenção de paciente em hospital para recebimento de honorários constitui delito de cárcere privado. porque a filha mais velha dele. • ( ) Certo ( ) Errado 23 . pelo concurso de agentes. Há roubo em concurso formal com furto em continuidade delitiva. 31 . independentemente de o fato narrado ser. • e) Antônio. • b) Todas as proposições são falsas. ameaça Pedro e Paulo. a não ser que prove o que disse (exceção da verdade). como. caracteriza delito de ameaça. • ( ) Certo ( ) Errado 24 . • d) Apenas a assertiva II está correta. verdadeiro. pois a violência só foi empregada em momento posterior à subtração. • c) Apenas uma das proposições é verdadeira. um dos condôminos. Assinale a alternativa correta dentre as adiante mencionadas. • d) A distinção entre roubo próprio e roubo impróprio. ou não.Q94325 A respeito dos crimes contra o patrimônio. Após deslocar-se para outro lugar do coletivo. o roubo praticado com arma desmuniciada não autoriza a incidência da majorante. • c) responderá por crime de furto. III . subtraindo de cada um deles 1 (um) celular e 1 (um) relógio de ouro. a administração pública e a ordem tributária. • b) responderá por crime de estelionato. • ( ) Certo ( ) Errado 27 . • ( ) Certo ( ) Errado 25 . por exemplo. 28 . • d) responderá por crime de roubo. • d) O fato somente é punido autonomamente se não constitui elemento ou circunstância agravante especial de outro tipo penal. 26 . • e) responderá por crime de apropriação indébita. • a) Todas as proposições são verdadeiras. refere-se ao uso de violência . pois a energia elétrica é bem de uso comum. segundo a doutrina e a jurisprudência. que não estava presente na reunião. 30 . • b) O crime é sempre punido autonomamente. Dessa forma. no furto qualificado. inicia-se discussão acalorada.Q94324 O indivíduo que fizer uso de violência após subtrair o veículo de outro cometerá o denominado roubo próprio.Q92840 Julgue os itens subsequentes.Q87509 Paulo fez uma ligação clandestina no relógio de seu vizinho e subtraiu energia elétrica para a sua residência. • c) Antônio não cometeu crime algum. o patrimônio.

É correto o que se afirma em • a) II. . configurando-se o primeiro quando a vítima é confinada em recinto fechado. • e) A ameaça grave integra a conduta que tipifica o crime de constrangimento ilegal. de acordo com o nosso direito positivo. 34 . • c) I e II. • b) furto simples. O empregador injuria o empregado se o chama de cachaceiro. IV e V estão incorretas. Sabe-se que "A" não tem porte de arma e que a arma lhe foi emprestada pelo policial civil "C" especificamente para a prática do crime sob comento. foi surpreendido por "B" que lhe opôs resistência. ameaçando-o e viabilizando sua fuga. incidindo na segunda ou na terceira fase de sua fixação. • b) No furto. na modalidade de empréstimo. apenas. tem pena aumentada se praticado durante o repouso noturno. dependendo. desse modo.Q76237 O crime de furto. II. • c) A ameaça e o constrangimento ilegal são considerados crimes subsidiários. III e IV estão corretas. assinale a alternativa INCORRETA. mas fazendo gestos de que estaria armado.Q82511 Sobre os crimes contra a liberdade pessoal. incidente na terceira fase de aplicação da pena. 36 . assinale a alternativa falsa: • a) O crime de ameaça se processa mediante ação penal privada. • e) I. Diante disso. • b) III. Jeremias responderá por crime de • a) roubo qualificado pelo emprego de arma. • e) apropriação indébita. "A". e) O delito de roubo majorado por uso de arma absorve o delito de porte de arma. "A" apontou uma arma de fogo para "B". II. "C".Q81510 "A" ingressou clandestinamente na residência de "B". uma vez que apenas são puníveis como crimes autônomos quando não integram outro delito. enquanto que no seqüestro e no cárcere privado busca-se proteger a liberdade física. tem pena aumentada se praticado por funcionário público. O empregador calunia o empregado se lhe atribui falsamente a conduta de embriagar-se habitualmente ou em serviço. • d) II e III. O empregador difama o empregado se lhe atribui a conduta de embriagar-se habitualmente ou em serviço. Diante disso. • d) O crime de cárcere privado é uma espécie da qual é gênero o seqüestro. do oferecimento de queixa-crime por parte do ofendido. e) "A" responderá como autor de crime de furto noturno e ameaça. O empregado difama o empregador se o chama de sonegador. com a finalidade de subtrair as joias de sua esposa. • d) A reparação do dano faz nascer direito público subjetivo de redução da pena. II e III estão corretas. contendo dinheiro e documentos. ainda que seja ela um meio para a obtenção de um outro fim. 37 . • • b) "A" e "C" serão responsabilizados. • d) As assertivas II. • b) As assertivas II. do art. 33 . Acontece que. no segundo. • b) Nos crimes de ameaça e de constrangimento ilegal. IV. subtraiu a carteira do motorista. o concurso de pessoas será circunstância majorante. é qualificado se praticado mediante o concurso de duas ou mais pessoas. • c) As assertivas I. • c) furto qualificado.• no primeiro e. • c) A instigação de pessoa não-punível ao cometimento de crime agrava a pena. II e III. d) Ambos serão responsabilizados como coautores dos delitos de roubo impróprio e ameaça. 35 . quando estava saindo do local do crime. conforme o caso. a utilização da grave ameaça contra a pessoa. V. • d) roubo simples. apenas. o bem jurídico tutelado é a liberdade psíquica de agir.Q75079 Poderá ser concedido perdão judicial para o autor do crime de injúria no caso de • a) não ter resultado lesão corporal da injúria real. depois. III. • a) No roubo. • a) "A" e "C" serão responsabilizados como coautores de roubo.Q78877 Jeremias aproximou-se de um veículo parado no semáforo e. o concurso de pessoas sempre será circunstância qualificadora. III e V estão incorretas. como autor de porte ilegal de arma. I. 38 . como autor de roubo. apenas. III. 155 do Código Penal. O empregado calunia o empregador se lhe atribui falsamente a conduta de alterar a escrita contábil da firma para enganar o Fisco. incidindo na terceira fase de sua fixação. assinale a alternativa CORRETA. embora não portasse qualquer arma. • a) As assertivas I. conseguindo o seu intento. enquanto "C" será responsabilizado como partícipe desses delitos. assinale a alternativa CORRETA: I. • e) As assertivas I. com reflexo na primeira fase de aplicação da pena. enquanto "C" será responsabilizado como partícipe do mesmo delito. • • 32 . apenas. c) "A" será responsabilizado como autor de roubo impróprio. II e IV estão corretas.Q78577 Acerca da natureza das circunstâncias jurídico-penais.Q82032 Analise as assertivas abaixo e.

o ofendido não foi condenado por sentença irrecorrível.Q66271 Relativamente aos crimes contra o patrimônio. utiliza uma pedra de mármore para quebrar o crânio da empregada. artística ou científica.2ª Etapa / Direito Penal / Dos Crimes Contra a Pessoa . Assinale: • a) se somente a afirmativa I estiver correta. A figura cárcere privado caracteriza-se pela manutenção de alguém em recinto fechado. pedindo a Marcos que fique vigiando e avise se alguém aparecer. • ( ) Certo ( ) Errado 42 . Ambos decidem ali mesmo repartir os bens que pegaram na casa e seguir em direções opostas. • d) No delito de injúria.2009 . ) Assinale a proposição incorreta: • a) É punível a calúnia contra os mortos. • e) João: furto qualificado e estupro. se o criminoso é primário. Estado. • c) É impunível a calúnia contra os mortos. • d) se somente as afirmativas II e III estiverem corretas.741/2003. Município. o juiz pode substituir a pena de reclusão pela de detenção. assinale a alternativa correta.• • • • b) ter sido a ofensa irrogada em juízo. na discussão da causa. c) ter sido a opinião desfavorável emitida em crítica literária. 40 . Considera-se qualificado o dano praticado com violência à pessoa ou grave ameaça. a exceção da verdade somente se admite se o ofendido é funcionário público e a ofensa é relativa ao exercício de suas funções. acuse o juiz de prevaricação. 39 . o juiz poderá deixar de aplicar a pena se o ofendido. e a coisa furtada é de pequeno valor.Q64067 ( Prova: FUNIVERSA .Defensor Público / Direito Penal / Dos Crimes Contra a Pessoa contra a liberdade individual. analise as afirmativas a seguir: I. constituindo o fato imputado crime de ação privada. 43 . Marcos: furto simples e homicídio qualificado. o crime de calúnia estará amparado pela imunidade judiciária. 41 . provocado diretamente a ofensa. • c) João: furto simples e estupro.Juiz . estupro e homicídio simples. Marcos: furto simples e homicídio qualificado.TRT 9ª REGIÃO (PR) . d) ter sido o conceito desfavorável emitido por funcionário público. e) ter o ofendido. na constância da sociedade conjugal.1ª Prova . Horas depois. • a) João: furto qualificado e estupro. distinguem-se as figuras sequestro e cárcere privado. com emprego de substância inflamável ou explosiva (se o fato não constitui crime mais grave). João escala a parede e entra na casa. Vigiam o local até que os proprietários deixem a casa. É isento de pena quem comete qualquer dos crimes contra o patrimônio em prejuízo do cônjuge. II. não constitui injúria ou difamação punível. • e) se todas as afirmativas estiverem corretas. Marcos: furto qualificado. pela parte ou por seu procurador.Q64873 ( Prova: CESPE .PC-DF Delegado de Polícia .2010 .DPU . Tentam forçar as janelas e verificam que todas estão bem fechadas. ) Acerca dos crimes contra a honra. de forma reprovável. Logo após consumar a conjunção carnal. • b) A exceção da verdade. este o chama de tarado e diz que nunca teria concordado com o que João fizera. afirmando-se que o primeiro é o gênero do qual o segundo é espécie. União. não se admite a retratação. pela parte ou por seu procurador. João vai até a empregada (uma moça de 35 anos) e decide constrangê-la. é admitida se.Q64056 ( Prova: MS CONCURSOS .Q66289 João e Marcos decidem furtar uma residência. provocou diretamente a injúria. estupro e homicídio qualificado. Usando sua habilidade. ambos são presos com os objetos. mediante grave ameaça. • c) se somente a afirmativa III estiver correta. Assinale a alternativa que identifica os crimes que cada um deles praticou. definição esta mais restrita que a de sequestro. estupro e homicídio simples. • e) Caso um advogado. a ter conjunção carnal com ele. III. João termina de pegar os objetos de valor e vai ao encontro de Marcos. desde que não haja emprego de grave ameaça ou violência à pessoa ou que a vítima não seja idosa nos termos da Lei 10.Objetiva / Direito Penal / Dos Crimes Contra a Pessoa . sem amplitude de locomoção.contra a honra. com a empregada e deixá-la amarrada e amordaçada (mas sem sofrer qualquer outro tipo de lesão corporal). contra o patrimônio da . • d) João: furto simples. • a) Nos crimes de calúnia e difamação. estupro e homicídio qualificado. • b) No delito de difamação.contra a honra. Marcos: furto qualificado e homicídio qualificado. com exceção de uma janela no terceiro andar da casa. • c) A ofensa irrogada em juízo. na discussão da causa. João escuta um barulho e percebe que a empregada tinha ficado na casa e estava na cozinha bebendo água. mas que agora uma outra realidade se impunha e era preciso silenciar a testemunha. • b) se somente a afirmativa II estiver correta. • b) João: furto qualificado. na discussão da causa durante uma audiência. • d) A legislação penal admite a retratação nos crimes de calúnia e difamação. Ao contar o que fez a Marcos. Marcos: furto qualificado. no crime de calúnia. ) Na doutrina. Enquanto está pegando os objetos de valor.2009 . empresa concessionária de serviços públicos ou sociedade de economia mista ou ainda por motivo egoístico ou com prejuízo considerável para a vítima. No crime de furto. em apreciação ou informação prestada no cumprimento de dever do ofício. de forma reprovável. Marcos retorna à casa e mesmo diante dos apelos de João que tenta segurá-lo.

Q60610 ( Prova: CESPE . que se configura independentemente de qualquer resultado lesivo para a vítima. mediante grave ameaça com arma de fogo. que veio a falecer. seguindo-se a fuga de A e B.Juiz / Direito Penal / Crimes Contra o Patrimônio.TJ-SP .2009 . pressentindo a subtração. pode configurar • a) injúria.TJ-SP . • d) O objeto jurídico da injúria é a honra objetiva da vítima.Q59956 ( Prova: FCC .Parte II / Direito Penal / Dos Crimes Contra a Pessoa . todavia. • e) As penas cominadas aos delitos contra a honra aplicam-se em dobro. • d) o fato é atípico. • b) Segundo o Código Penal. • a) A calúnia consiste em imputar falsamente a alguém fato definido como crime ou contravenção penal.2008 .2009 . • c) especialidade. Nesse caso. Esse fato configura • a) roubo tentado e lesão corporal seguida de morte.Juiz . sendo certo que o delito se consuma ainda que o agente tenha agido com simples animus jocandi. relação das unidades condominiais com encargos financeiros em atraso. a conduta de Fulano. • c) Furto agravado pela dissimulação. • b) roubo tentado e homicídio consumado. Supondo-se que tal imputação seja falsa. 48 . 50 . na parte comum do edifício.Defensor Público / Direito Penal / Crimes Contra o Patrimônio. • c) roubo simples. • c) calúnia se a informação divulgada for falsa. ) Por qual crime deve responder o agente que se aproxima sorrateiramente.contra a honra.2008 . Quando B encostou sua arma no corpo de C. Fulano referiu-se a Sicrano.2009 . • b) Furto simples. • d) peculato. A calúnia é crime formal. se esta. comete crime de • a) difamação. põe-se em perseguição àquele na tentativa de reaver a res. utiliza. caso o crime tenha sido cometido mediante promessa de recompensa. • b) receptação dolosa. assinale a opção correta.o para viagem de turismo e depois o abandona em frente à residência da vítima. • d) fato atípico. diretamente envolvido com essa prática ilícita. • c) furto qualificado pelo concurso.2010 . II. 49 . ) Determinada pessoa recebeu em proveito próprio coisa alheia móvel cuja subtração específica previamente encomendara a outrem. • d) Latrocínio.contra a vida. 52 . com arrombamento em casa habitada.TJ-SP . ) No que concerne aos crimes contra a honra.Q60325 ( Prova: VUNESP .2009 . ) A e B. 51 . • d) subsidiariedade. ) O síndico que afixa. comete • a) violência arbitrária. A jurisprudência tem entendimento de que a . apontaram revólveres para C exigindo a entrega de seus bens. 46 .TJ-SP . previsto no Código Penal. 47 . • e) favorecimento pessoal.TRT .DPE-MT . • c) difamação.Juiz / Direito Penal / Dos Crimes Contra a Pessoa . bate a carteira do bolso traseiro da calça da vítima e empreende fuga. ) O crime de furto. 45 . 44 . • b) consunção. a chamada exceção da verdade é admitida apenas nas hipóteses de calúnia. Assim.1ª REGIÃO (RJ) . absorve os delitos de dano e invasão de domicílio. • e) roubo qualificado.Juiz / Direito Penal / Crimes Contra o Patrimônio.Juiz / Direito Penal / Crimes Contra o Patrimônio. a arma portada por Bdisparou e o projétil atingiu C.• e) A injúria preconceituosa confunde-se com o crime de racismo. • e) alternatividade. recusando a entrega da "res furtiva". • b) roubo de uso. • b) calúnia. subtrai um automóvel de um particular.contra a honra.Q60426 ( Prova: VUNESP . • d) favorecimento real.Q56657 ( Prova: FCC .contra a honra. Dos Crimes Contra a Pessoa .Q60338 ( Prova: VUNESP . este reagiu entrando em luta corporal com A e B. sem levar coisa alguma de C. agindo de comum acordo. cometeu o delito de • a) furto simples. • c) Aquele que difama a memória dos mortos responde pelo crime de difamação.Q56424 Considere as seguintes proposições: I.Juiz / Direito Penal / Dos Crimes Contra a Pessoa .Q60435 ( Prova: VUNESP .TJ-GO . • d) homicídio consumado. • c) latrocínio. • b) injúria. em tese. Nesse entrevero.Q56655 O funcionário público que. o conflito aparente de normas foi solucionado pelo princípio da • a) legalidade. acaba atropelada e morre em conseqüência dos ferimentos suportados? • a) Furto qualificado pela destreza. ) Agindo dolosamente. dizendo tratar-se de indivíduo que exercia atividade contravencional como banqueiro do jogo do bicho.

• b) Apenas as proposições I e II estão corretas. • c) furto qualificado pela fraude. • c) difamação. porque se passaram mais de três meses entre a data do fato e a data do oferecimento da inicial por José da Silva. para fim de prova perante a Previdência Social. • e) Apenas as proposições I. Assinale a alternativa correta: • a) Há apenas uma proposição correta • b) Há apenas duas proposições corretas • c) Há apenas três proposições corre • d) Todas as proposições estão corretas • e) Todas as proposições estão incorretas 54 . "burro" e "tarado". que contava vinte e cinco anos de idade. • c) Houve decadência do direito de queixa. em virtude do perdão concedido por José a Maria. Maria e Manoel. se a vítima for funcionário público e a ofensa for relacionada à função. etnia. com expressões como "otário".Q53449 A respeito dos crimes contra a honra. mulher mal afamada na cidade. III e IV estão corretas. desafeto de "B"(taxista). agradeceu e foi embora. • b) injúria. já que estava clara a estupidez de seu genitor. • d) a injúria só pode ser cometida por gesto e palavras. A vendedora colocou sobre a mesa diversos anéis. no exercício de suas funções. confecciona e expõe em rua movimentada um "outdoor" com a seguinte frase: "Cuidado! 'B' é ladrão".Na difamação é sempre cabível a exceção da verdade. 55 . na conduta acima descrita. IV . é tipificada como crime de injúria. na presença de várias testemunhas. examinou o anel que estava na vitrine. Passados três anos da morte de sua mulher. Nesse caso. antes da sentença. na discussão da causa. Em seguida. • b) estelionato. • d) apropriação indébita. salvo se o ofendido é servidor público e a ofensa se deu em razão da função. embora de ação pública. que lhe perdoa. Considerando os fatos descritos e a disciplina legal dos crimes contra a honra. Informados de que o casamento ocorreria dentro de dois meses e inconformados com a decisão de seu pai.Q51442 José da Silva é um viúvo que possui dois filhos. • d) Apenas a proposição I está correta. 56 . se do crime imputado. III . • e) roubo. Maria e Manoel ofendem seu pai publicamente. José decide processar criminalmente os filhos. Não constitui calúnia. José da Silva ajuíza então a queixa-crime unicamente contra Manoel.Não há previsão legal de crime de injúria qualificada. • e) admite-se a exceção da verdade no crime de injúria. • b) Houve a extinção da punibilidade de Manoel. levando no bolso a joia que havia apanhado. o ofendido não foi condenado por sentença recorrível. se retratar cabalmente da injúria. A inicial é rejeitada pelo Juiz de Direito. . porque José da Silva não poderia constituir Messalina como advogada no processo que moveria contra o filho. • b) constitui difamação punível a ofensa irrogada pela parte em juízo. 57 . Ocorre que Maria comparece ao casamento e se reconcilia com o pai. Valendo-se desse momento de descuido da vendedora.O crime cometido por "A. entre outras. Após examiná-los. • c) Apenas as proposições II. A advogada que assina a petição é Messalina. é correto afirmar que • a) é punível a calúnia contra os mortos. • c) é isento de pena o querelado que. a pedido de terceiro. • d) calúnia. V . com o intuito de prejudicar a imagem deste.Q53817 Admite-se a exceção da verdade no crime de • a) calúnia. chefe de governo estrangeiro ou funcionário público no exercício de suas funções. mas muito caro. • e) calúnia. se o crime foi cometido contra o Presidente da República. II . mas somente após a celebração de sua boda. comete crime de falsificação de documento particular. IV. abriu a vitrine e retirou o anel. se o ofendido é funcionário público e a ofensa é relativa ao exercício de suas funções. se a ofensa consistir na utilização de elementos referentes a raça. III. injúria ou difamação punível a ofensa irrogada em juízo. Assinale a alternativa correta: • a) Todas as proposições estão corretas. 53 . razão pela qual a conduta é atípica. cor. o acusado for absolvido por sentença irrecorrível. Quatro meses depois do dia em que sofreu as ofensas. anota na carteira de trabalho deste contrato de trabalho inexistente. pela parte ou por seu procurador. Pedro disse que lhe agradou mais uma peça que estava exposta no canto da vitrine e que queria vê-la. admite exceção da verdade. trinta a menos do que José. • d) Houve perempção. disse que era bonito. é correto afirmar que: I . na defesa da causa.Na injúria não se admite a exceção da verdade.Q56176 "A". nunca pela prática de vias de fato.pessoa jurídica pode ser sujeito passivo de crime de difamação.Q55899 Pedro ingressou numa joalheria e afirmou que pretendia adquirir um anel de ouro para sua esposa. Quem. A vendedora voltou-lhe as costas. José decide casar-se novamente com a advogada Messalina. Pedro apanhou um dos anéis que estava sobre a mesa e colocou-o no bolso.A ofensa contra servidor público. Qual fundamento jurídico o juiz poderia ter alegado para justificar sua decisão? • a) Manoel tinha razão ao xingar o pai. III e IV estão corretas. religião ou origem. se constituindo o fato imputado crime de ação privada. Pedro responderá por • a) furto simples.

o furto de bens supérfluos. querendo matar a vítima. • c) No crime de roubo impróprio. é possível falar em tentativa de latrocínio quando a vítima morre. após subtrair os pertences da vítima com grave ameaça. e o sujeito ativo não consegue subtrair os seus bens. • d) Ocorre crime de latrocínio se. a prova testemunhal não supre a ausência da perícia. é possível o instituto da exceção da verdade no crime de calúnia e no crime de injúria. em sua sala. há concurso formal entre os crimes de extorsão e roubo. contra o patrimônio. • e) não deverá responder por nenhum delito. é apenas da pessoa jurídica (rede de supermercados). assinale a opção correta. 60 .Q47012 Considera-se famulato o furto • a) praticado em estado de extrema miserabilidade. no caso. • e) O crime de roubo e o crime de extorsão são crimes materiais. mesmo que tenha havido disparo da arma de fogo. deve responder pelo crime de • a) roubo simples. • a) Para doutrina majoritária. • e) Não constitui calúnia. Nessa situação. isto é.00 em espécie. segundo o Código Penal. João responderá por crime de roubo qualificado pelo emprego de arma. é apresentada uma situação hipotética acerca da parte especial do direito penal. • 58 . • c) furto simples. de bens pertencentes ao empregador. restará sempre configurado o furto qualificado pelo abuso de confiança. 155 § 1°) não pode ser aplicada nas hipóteses de furto qualificado (art. . • b) roubo com causa especial de aumento de pena. pois. • d) não deverá responder por nenhum delito.Q45962 Com relação aos crimes contra o patrimônio. consequentemente. • c) poderá responder pelo delito de injúria. apenas os dois encontravam-se no recinto. • b) poderá responder pelo delito de difamação. no crime de furto. e) de bens de uso comum do povo. que possam ter algum valor econômico. não admite os institutos da retratação e do perdão judicial. o chefe • a) poderá responder pelo delito de calúnia. Nessa situação. difamação ou injúria a ofensa irrogada em juízo. João subtraiu de uma pessoa o relógio e a carteira contendo documentos pessoais. Durante a ofensa. na discussão da causa. 63 . devendo o porte ou a posse da arma de fogo ser considerado uma única vez. pela parte ou por seu procurador.Q47019 Assinale a opção correta com referência aos crimes contra o patrimônio. para fins de afastar a tipicidade do roubo de uso.Q39216 Em cada um dos itens a seguir. não se incluindo no conceito. • d) Segundo o Código Penal. • e) apropriação indébita. • d) furto qualificado. 62 . • d) Para o supremo tribunal federal. o sujeito ativo primeiro ameaça a vítima para depois efetuar a subtração. Com a utilização de uma arma de brinquedo. aproveitando-se de tal situação. uma vez que a responsabilidade criminal. o autor do crime responde por roubo simples. o agente atinge seu comparsa. mediante grave ameaça praticada com a utilização de arma de brinquedo. d) de energia elétrica. uma vez que os crimes contra a honra só se consumam quando terceiros tomam conhecimento do fato.Q49298 Quem subtrai para si coisa alheia móvel de valor significativo. c) praticado pelo empregado. 155 § 4°). para evitar perigo maior decorrente da ausência de alimentação. • b) O crime de injúria. se a arma não é apreendida e.Q45961 Com relação aos crimes contra a honra. 59 . espalhados por currais. a ação penal passa a ser pública incondicionada. 64 . 61 . com a intenção de ofender-lhe o decoro. logo após a subtração da coisa pretendida. por aberractio ictus.Q49301 O chefe de uma equipe de vendedores de uma grande rede de supermercados exigiu a presença. indique a alternativa correta. • c) Quando a injúria consiste na utilização de elementos referentes à raça e à cor deve ser afastado o Código Penal e aplicada a lei específica que trata do crime de racismo. pois são crimes da mesma espécie. tratando-se de crime não transeunte. • a) Segundo o Código Penal. obriga-a a entregar o cartão do banco e a fornecer a respectiva senha. de um subordinado que não havia cumprido a meta de vendas do mês e. A decisão está errada e a queixa deveria ter sido recebida. com ânimo de assenhoramento definitivo pelo autor do crime. de acordo com o entendimento do Superior Tribunal de Justiça (STJ). • c) Inexiste concurso material entre os delitos de quadrilha armada e o roubo qualificado pelo emprego de arma. não pode ser submetida a perícia. cartões de crédito e R$ 300. • e) Se o agente. quando da injúria real (ou qualificada) resulta lesão corporal. entretanto. • b) A jurisprudência tem aplicado analogicamente o entendimento já consolidado quanto ao crime de furto. chamou-o de burro e incompetente. • • • situação em que há estado de necessidade. a causa de aumento de pena do repouso noturno (art.• e) Nenhum fundamento. sob pena de bis in idem. • b) Na hipótese do empregado subtrair um objeto do seu empregador. • a) No crime de roubo. portanto a consumação só ocorre com a produção do resultado. seguida de uma assertiva a ser julgada. b) de gados pertencentes a terceira pessoa.

desta vez enviada por Lúcio. • e) falso testemunho e crime de furto qualificado pelo concurso de agentes. • d) I. 66 . se colocada em bebidas e ingerida. difamação e injúria aumentam-se de um terço se qualquer dos crimes é cometido contra pessoa maior de 60 (sessenta) anos ou portadora de deficiência. em concurso formal com o crime de falso testemunho.Q38733 Paulo enviou carta a todos a alunos da classe de seu desafeto Gabriel.Q37082 Considere as seguintes assertivas sobre os crimes contra a honra: I. • c) roubo qualificado pelo resultado. 67 . Carlos responderá pelos crimes de roubo e homicídio. Cinderela. • e) roubo simples e crime de lesões corporais graves. Depondo como testemunha no inquérito policial instaurado a respeito dos fatos. respectivamente. outra carta. • c) II e III. 70 . III. e o abordou. Fernando desferiu-lhe vários golpes com uma barra de ferro. Fernando cometeu crime de • a) furto e crime de lesões corporais graves. funcionando. • e) injúria e calúnia. em continuação. No crime de difamação. tem os dizeres: "Gabriel furtou R$ 50. por hipótese. descobrindo-se. pode deixar a pessoa semi ou completamente inconsciente. sendo. observa um indivíduo que. em seguida. • e) extorsão. em concurso material com o crime de falso testemunho. se o ato é praticado mediante internação da vítima em casa de saúde ou hospital ou se a privação da liberdade dura mais de . em concurso material. ou conjunto de drogas. escrito ou gesto. por testemunhas. falsa a imputação. • b) falso testemunho e crime de furto qualificado pelo abuso de confiança. • e) I e III. • b) roubo impróprio. Considerando. em concurso material. usando de rapidez e destreza. não tem chances de evitar o fato. o vigilante.Q31556 Carlos praticará o crime de roubo se. • d) furto tentado e crime de lesões corporais graves. que o enquadrará no crime de • a) furto. II e IV. • d) denunciação caluniosa e comunicação falsa de crime. causando-lhe ferimentos graves. valendo-se do sono de Maria. III e IV. • b) roubo. em continuação. • c) furto qualificado pelo concurso de agentes. No que se refere a Pedro. Admite-se a prova da verdade no crime de calúnia se o fato é imputado a chefe de governo estrangeiro. normalmente. As penas cominadas aos crimes de calúnia. Seu colega de classe Gabriel é ladrão!". a exceção da verdade somente se admite se o ofendido é funcionário público e a ofensa é relativa ao exercício de suas funções. dirigindo o veículo subtraído. Paulo e Lúcio cometeram. II. mediante cárcere privado. • ( ) Certo ( ) Errado 71 . se apodera do relógio de um transeunte. II . o qual. • ( ) Certo ( ) Errado 72 . o juiz pode deixar de aplicar a pena quando o ofendido.• ( ) Certo ( ) Errado 65 . ou qualquer outro meio simbólico.A pena cominada para o crime por privar alguém de sua liberdade. • c) estelionato. o meliante será arrolado com base no artigo 155 do Código Penal. Soube. usada no golpe conhecido como boa-noite. em virtude de ter resultado lesões corporais graves. que o autor da subtração foi Fernando. No crime de injúria. No dia seguinte. localizou-o numa via pública do bairro. que Carlos tenha posto essa substância entorpecente na bebida de Maria e esta tenha entrado em sono profundo. que não disse a verdade. no mesmo local e para as mesmas pessoas.Q38737 Francisco teve seu carro furtado. como um potente sonífero. Se Maria vier a falecer em razão da ingestão da citada substância entorpecente. • b) difamação e injúria. De acordo com o Código Penal. está correto o que consta APENAS em • a) II. de causarlhe mal injusto e grave. porém. posteriormente. de forma reprovável. os crimes de • a) comunicação falsa de crime e difamação. 68 . com os seguintes dizeres: "Cuidado. deverá este responder pelo crime de • a) furto qualificado pelo concurso de agentes. em sua área de responsabilidade. ameaçar alguém. deixando. provocou diretamente a injúria. afirmou nunca tê-los visto anteriormente.Q38730 Pedro forneceu a seus amigos Gilberto e Mário o horário de abertura do cofre do banco em que trabalhava. seus pertences. por palavra. na forma qualificada. não constitui crime. Diante disso. • d) dano. intencionalmente subtrair-lhe. • c) calúnia e denunciação caluniosa.Q31365 No que se refere aos crimes contra a liberdade pessoal.Q36555 Partindo do princípio jurídico de que qualquer pessoa do povo pode e a autoridade policial tem o dever de prender quem seja pego em flagrante delito. Após detido para ser entregue à autoridade policial. assinale a proposição correta: I .Por ausência dos requisitos necessários à tipificação. pego de surpresa.00 que se encontravam dentro da bolsa de Maria". • d) furto qualificado pelo concurso de agentes. mas possível ofensa moral. o local com o automóvel que subtraíra.Q31557 A droga. IV. 69 . • b) I e IV. para possibilitar-lhes a subtração dos valores nele guardados. pode ser fixada entre dois e cinco anos. em concurso material. No dia seguinte. a seguir. julgue os itens a seguir.

76 .Q14619 Sobre os delitos contra o patrimônio. • c) somente as proposições II. no entanto. se o crime resulta à vítima. se o crime for cometido contra criança ou adolescente ou por motivo de preconceito de raça. do local de posse do dinheiro subtraído. • c) Deoclides responderá por latrocínio e Odilon pelo crime de furto. o assistente de acusação Paulo afirmou para os jurados que o promotor fora subornado pela família do réu para pedir sua absolvição. Quando estava saindo do local. • e) qualificado pelo emprego de chave falsa. arrombou a gaveta e subtraiu R$ 3. por qualquer meio. • c) Há tentativa punível de furto se a desistência ocorreu em razão do funcionamento do sistema de alarme do imóvel. efetivamente. aproveitando-se dos atos já executados. § 4º. V . 157. a fechadura da porta de um veículo que ato contínuo subtrai para si. Nessa situação. • d) Se a desistência quanto ao furto foi voluntária. • c) roubo impróprio. Marque a alternativa CORRETA. No interior do escritório. Enquanto Odilon furtava os bens que se encontravam na área externa. em razão de maus-tratos ou da natureza da detenção. enquanto Odilon apenas pelo furto. 74 . 155. • b) somente as proposições I e III estão corretas. apossar-se do carro. etnia. porém desiste de cometer a subtração. julgue os itens seguintes. • b) Há desistência voluntária em relação ao furto se o agente não foi coagido. • d) somente as proposições III. Os dois entram na casa. grave dano moral ou à sua imagem. arma-se de um revólver carregado com 02 cartuchos. fugindo.15 (quinze) dias. em seguida. IV e V estão corretas. sem danificar. • d) furto simples. Durante o julgamento de um homicídio consumado. para subtrair o veículo da vítima. responde por latrocínio consumado (art. observada a condição social da mesma. marque a alternativa CORRETA. Deoclides. III . resolveu fugir. Paulo não deve responder por crime contra a honra. • a) todas as proposições estão corretas. tentou detê-lo.Q17181 Quanto aos crimes contra a honra e contra o patrimônio.Q23055 Quem utiliza uma tesoura para fazer girar e abrir. do CP. IV . sua locomoção em razão de dívida contraída com o empregador ou preposto. quer sujeitando-o a condições degradantes de trabalho. José responderá por • a) furto qualificado pela fraude e pelo arrombamento.A pena de reclusão pode ser aumentada entre três e nove anos. comete crime de furto • a) qualificado pela fraude. pelo crime de invasão de domicílio. para a segurança de ambos. religião ou origem. José. • a) Podem ser objeto do delito de furto as coisas abandonadas. o agrediu e o deixou desacordado e ferido no solo.00 do seu interior. pelas partes e pelos procuradores.000. sem consentimento. IV. praticado em concurso de pessoas e durante a madrugada em residência com moradores repousando sofrerá a incidência da qualificadora do concurso de pessoas (art.Q29975 A ingressa na residência de B. Sem o conhecimento de Odilon. • d) qualificado pelo rompimento de obstáculo. o segurança. 155 do CP). cor.preitada criminosa e. quer submetendo-o a trabalhos forçados ou a jornada exaustiva. a capitulação adequada à conduta seria a de roubo majorado pela causa especial de aumento prevista no § 2º. I do art. IV e V estão erradas. quer restringindo. • e) estelionato.Q14611 Deoclides e Odilon deliberam a prática conjunta de furto a uma residência. . § 1º. 157. é aumentada de metade. moral ou materialmente. 75 . • e) Não há desistência voluntária se o agente suspendeu a execução do furto e continuou a praticá-lo. tira-lhe também a vida. posteriormente.Constitui crime o fato de reduzir alguém a condição análoga à de escravo. o agente responderá. • c) qualificado pela destreza. Considere a seguinte situação hipotética. pois a ofensa irrogada em juízo. na discussão da causa. • b) O crime de furto (art. do CP). apenas. em razão de trabalho escravo. à interrupção do iter criminis. Sobre essa hipótese é INCORRETO afirmar que: • a) Há desistência voluntária em relação ao furto se o agente pressentiu a impossibilidade de êxito da em. Nesse caso. do CP). • e) todas as proposições estão erradas. • b) Os dois responderão por latrocínio. • a) Deoclides responderá pelo latrocínio e pelo furto. do CP) e da causa especial de aumento do repouso noturno (art. • ( ) Certo ( ) Errado 77 . 157 do CP) em que o agente. • c) Caracterizada a hipótese de roubo (art. não constitui crime contra a honra punível. 155. • b) furto qualificado pela fraude.A pena pela restrição de liberdade. simulando portar arma de fogo (com a mão por baixo da camisa para parecer que está armado) ameaça a vítima de morte para subtrair-lhe a carteira. por esse motivo. 73 . Deoclides é surpreendido com a presença de um morador que reage e acaba sendo morto por Deoclides. alertado pelo barulho. 78 . § 3º. • d) O agente que. sendo que o segurança não lhe obstou o acesso porque estava vestido de faxineiro e portando materiais de limpeza.Q23092 José ingressou no escritório da empresa Alpha. mesmo que não tenha conseguido. • b) simples.

IV e V. III. há mera atribuição de qualidade negativa ao ofendido. Na injúria há imputação de fato ofensivo à dignidade ou ao decoro da vítima. • c) II. IV e V. A difamação caracteriza-se pela imputação falsa de fato definido como crime. • e) falsa comunicação de crime. . José cometeu crime de • a) calúnia. • c) difamação. A calúnia e a difamação distinguem-se da injúria porque. • d) denunciação caluniosa. Para caracterizar a calúnia. • b) injúria. A calúnia e a difamação ofendem a honra objetiva da vítima. pelo furto e pelo porte ilegal de arma. analise: I. II e IV. enquanto Odilon apenas pelo furto. na última. II. ao passo que a injúria atinge a honra subjetiva. há imputação de fato desonroso enquanto. 79 . É correto o que consta APENAS em • a) I. IV. Nesse caso. nas duas primeiras. • d) IV e V. bastando que seja falso e ofensivo à reputação da vítima. V. • b) I e III. o fato imputado não precisa ser criminoso. 80 .Q1266 Em tema de crime contra a honra. • e) III.• d) Deoclides responderá pelo latrocínio. gritou em altos bravos que o mesmo era "traficante de entorpecentes".Q12056 José na janela da empresa em que seu desafeto Pedro trabalhava.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful