Você está na página 1de 24

Publicação da ESCOLA SECUNDÁRIA DR. JÚLIO MARTINS www.esec-dr-julio-martins.rcts.

pt Dezembro 2008

Ponto Final. Paragrafo


Ano III - nº 1 - DEZEMBRO 2008

www.esb3-drjuliomartins.edu.pt
1
Ponto Final. Parágrafo
Ponto Final. Parágrafo Dezembro 2008

Edição de Inverno

2 Editorial

3 Notícias da Escola
Editorial 6 Exercício de Evacuação

9 Suplemento
Chegou ao fim o 1º Período. Cursos Profissionais, os interve-
Como tal, levamos ao conhecimen- nientes na avaliação e as suas 13 Viver com Qualidade

to da comunidade escolar o conjun- competências estão estabelecidos 14 Speaker’s Corner


to de realizações mais relevantes nos Art.ºs 14 a 18 da Portaria n.º
17 Poemas de Natal
que desenvolvemos. 550-C/2004 de 21 de Maio.
Esta primeira etapa do ano esco- A avaliação sumativa a efectuar 18 En Français
lar permite aos intervenientes no no final do primeiro período, no
20 Humor
processo ensino/aprendizagem - Ensino Básico, resulta da avaliação
alunos, professores e pais - aferir o formativa efectuada ao longo do
cumprimento de metas intermédias, mesmo e traduz-se num juízo glo-
proporciona o ajuste de métodos e balizante, sobre o desenvolvimento
técnicas de ensino e de informação dos conhecimentos e competências
aos pais/encarregados de educa- reveladas pelos alunos, tomando
ção, com o objectivo de os compro- como referência os objectivos curri-
meter com o percurso educativo culares deste ciclo de ensino, bem
dos seus educandos. Neste senti- como os objectivos formulados
do, o Conselho Pedagógico enten- para cada disciplina.
de a avaliação no final do primeiro No Ensino Secundário, esta mes-
período como sendo, sobretudo, ma avaliação resulta da avaliação
um contributo essencial para uma formativa efectuada ao longo do
prática lectiva integrada, permitindo período e traduz-se num juízo glo-
a recolha de informações e a toma- balizante, sobre o desenvolvimento
da de decisões adequadas às dos conhecimentos, capacidades,
necessidades e capacidades dos competências e atitudes reveladas
alunos. pelos alunos e assume carácter
Ponto final. Parágrafo
A classificação atribuída aos alu- motivador.
nos, nos termos do n.º 27 do Des- Pela importância que a avaliação
pacho Normativo n.º 1/2005 de 5 assume na motivação de todos - www.esb3-drjuliomartins.edu.pt
de Janeiro, no caso de alunos do alunos, professores, pais - consti-
Ensino Básico, nos termos do n.º 2 tuindo mesmo uma alavanca para o
e 4 do Art.º 15º da Portaria n.º 550- empenho nas aprendizagens a
D/2004 de 21 de Maio, no caso dos efectuar nos períodos subsequen- Redacção/Coordenação
Biblioteca Escolar
alunos do Ensino Secundário tes do ano lectivo, reservamos-lhe
Centro de Recursos Educativos
Regular e, nos termos do n.º 2 e 4 a maior importância.
do Art.º 17º da Portaria n. 550- Desejamos que todos venham a Colaboração
A/2004 de 21 de Maio, para alunos obter os melhores resultados neste Comunidade Educativa
dos Curso Tecnológicos, é da res- 1.º período. da Escola Secundária
Dr. Júlio Martins
ponsabilidade conjunta e exclusiva A todos desejo um Santo Natal e
dos professores que compõem o um Novo Ano repleto de sucessos. Edição Gráfica
Conselho de Turma, único órgão Prof. António Costa

com competência na matéria. Nos Francisco Chaves de Melo Tiragem


500 Exemplares

2
Dezembro 2008 Ponto Final. Parágrafo

E ntre os dias dezanove e vinte e


quatro de Outubro, os professores
Jorge Humberto, Francisco Melo, Luís Geraldes e
Henrique Fonseca participaram em reuniões de
trabalho na Polónia, no âmbito do Programa de
Aprendizagem ao Longo da Vida. A escola de
acolhimento foi o Gimnazium nrº 21 , localizado
em Lodz.
O projecto apresentado pela Escola à
Agência Nacional para os Programas Sócrates e
Leonardo da Vinci, subordina-se ao tema Natio-
www.esb3-drjuliomartins.edu.pt (Continua na página 4)

N o passado dia 11 de Novembro, dia de S. Martinho, os funcionários da Escola Secundária Dr.


Júlio Martins juntaram-se na cantina da escola para comemorar este dia .Além das castanhas
assadas, da jeropiga e de algo bem docinho, não faltou a boa disposição entre colegas e o Conselho Executivo.
Esperamos continuar com momentos como este, de confraternização.
Zélia Neves

3
Ponto Final. Parágrafo Dezembro 2008

(Continuação da página 3)

nal Heroes - Cultural and Inter-


national Identity to get Active
European Citizenship , e será
desenvolvido entre os anos 2008-
2010, envolvendo professores de
várias áreas disciplinares e alunos
de diferentes níveis de ensino.
Neste primeiro encontro,
cujo objectivo foi programar todo o
trabalho a desenvolver durante os
próximos dois anos, o planeamento
da ordem de trabalhos esteve a
cargo da professora Anna Dwor-
niak, vice-presidente da escola anfi-
triã na Polónia, e contou com a par-
ticipação de docentes de diversos
países - Itália, Grécia, Turquia, Por-
tugal e Polónia.
A lista das escolas partici-
pantes é a seguinte:
Publiczne Gimnazjum Nr 21
(Polónia-Lodz)
Burak Bora Anadolu Lisesi (Turquia
-Istanbul)
Escola Secundaria Dr. Júlio Martins
(Portugal-Chaves)
Istituto D'istruzione Secondaria Matemática, Inglês, Artes, Quími- projecto, para apresentação do
Di IIgrado "Vito Capialbi" ca e Natação. trabalho realizado, incluindo a
(Itália -Vibo Valentia) exposição pelos alunos, de um
Mousic School of Karditsa
Uma aula de Matemática estudo sobre um herói nacional,
(Grécia -Karditsa) Visitaram ainda os monu- em língua inglesa.
mentos mais importantes e apre- No final deste primeiro ano
Participantes no Projecto ciando o ambiente cultural desta do projecto, o trabalho até então
Para além da programação magnífica cidade, com cerca de realizado será publicado através de
de todo o trabalho a desenvolver, um milhão de habitantes. Portefólio comum na Internet, bem
os representantes das escolas como no site de cada escola partici-
partilharam experiências educati- Está previsto para o mês pante.
vas e informações sobre o fun- de Março um novo encontro em
cionamento dos sistemas de Istambul, na Turquia, com a par- (1) Programa de Aprendizagem ao
ensino dos países participantes . ticipação de professores e alu- Longo da Vida. Agência Nacio-
Assistiram também a aulas de nos dos países parceiros neste nal para os Programas Sócrates

4
Dezembro 2008 Ponto Final. Parágrafo

e Leonardo da Vinci http://


www.socleo.pt/old/menu/socrates/
novidades.htm

(2) http://www.gim21.edu.lodz.pl/ Ser poeta ...

(3) Heróis Nacionais - Identidade Cultu-


Ser poeta é ter lápis e papel,
ral e internacional para promover
Escrever e pensar com sentimentos;
uma Cidadania Activa.
(4) O Sistema de Ensino na Polónia, É partilhar sempre! É transmitir!
http://www.apagina.pt/arquivo/ É ler, é compreender momentos.
Artigo.asp?ID=3890

Ser poeta é ser um farol da sociedade,


Que muitas vezes hesita! Fraqueja!
É alguém que luta pela verdade,
Não é apenas alguém que verseja.

Ser poeta é ser luz na escuridão!


É conhecer! É curiosidade, despertar;
Apelar constante à razão e ao coração,
É cultura! É prazer partilhar.

Ser poeta é ser persistente,


É estudar! É todos os dias lutar!
Dar pequenos passos! Ver mais à frente!
É a arte de sonhar e amar.

Ser poeta é ter alma! Talento.


É gostar da vida! Compreender o povo;
É agarrar sempre e em cada momento,

O Conselho Executivo da
Uma oportunidade para um Mundo novo.

Escola Secundária Dr. Júlio


Martins Ser poeta é tentar ser feliz…
deseja a todos

Ana Catarina Silva Souto


8.º A n.º 3

5
Ponto Final. Parágrafo Dezembro 2008

desenvolver um trabalho continuado de sensibilização e de res-


É fundamental ponsabilização na escola para a problemática da segurança na
área da protecção civil, envolvendo toda a comunidade educativa.
Por maior perfeição técnica que os planos de emergência apresentem, se a comunidade educativa não inte-
riorizar a finalidade dos mesmos e cada elemento não se consciencializar da importância das suas tarefas/ procedi-
mentos, os objectivos que se pretende atingir muito dificilmente serão alcançados.
Os exercícios de evacuação devem envolver todos os ocupantes da escola, para a criação de rotinas de com-
portamento e de actuação em caso de sinistro.

Objectivos
Sensibilizar todos os ocupantes da
Escola: Alunos, professores e pes-
soal não docente;
Reconhecer o sinal sonoro de alar-
me: Um sinal sonoro claramente
audível em toda a escola, perfeita-
mente identificável por todos os
ocupantes (não confundível com o
toque para sinalizar os tempos lec-
tivos). O seu toque indica a organi-
zação imediata e obrigatória da
evacuação;
Cumprir as instruções: Indicam o INSTRUÇÕES porta da sala e é o último a sair;
comportamento a ter e devem ser PARA OS PROFESSORES 5. Dirigir os alunos para as saídas
Procedimentos a adoptar em caso indicadas na planta de emer-
afixadas em todos os pisos e
de incêndio: gência, orientando a sua deslo-
salas;
1. No início de cada aula o Profes- cação para os pontos de encon-
Formar para a evacuação; sor pede ao Delegado de Turma tro (campo de jogos/recreios
Criação de rotinas de comporta- para escrever no quadro o dos alunos);
mento e de actuação válidas em número de Professores e Alu- 6. Não deixar os alunos regressar à
todas as circunstâncias da vida. nos presentes na sala; sala sob qualquer pretexto (o
Finalidades 2. Ao sinal de alarme o Professor material escolar fica na sala de
INFORMAR; ENVOLVER; IDENTI- deverá repetir a ordem de eva- aula);
cuação, com voz calma e autori- 7. Verificar, no ponto de encontro
FICAR; CONHECER; ADQUIRIR
tária, de forma a evitar o pânico; se falta algum dos alunos que
UMA CULTURA DE SEGURANÇA
3. Ordenar a um aluno da turma (o estavam presentes na sala, con-
que estiver mais próximo da tando o número de alunos;
ALARME porta), para abrir a porta da sala 8. Permanecer com os alunos no
Sinal sonoro de evacuação: e formar uma fila, sendo esta ponto de encontro, até receber
Toque repetido da encabeçada por este aluno instruções das entidades com-
(Chefe de Fila) e encerrada pelo petentes;
sineta Professor (Cerra-Fila); 9. Prever a assistência aos alunos
4. O Professor fecha as janelas e a com dificuldades de mobilidade.

6
Dezembro 2008 Ponto Final. Parágrafo
INSTRUÇÕES
PARA OS ALUNOS
1. Ao ouvires o toque repetido da
sineta segue as instruções do teu
professor;
2.Não te preocupes com o teu
material escolar. Deixa-o sobre a
carteira.
Sai e deixa a porta aberta;
3. Segue as setas de saída em
silêncio. Não corras;
4. Desce as escadas encostado à
parede.
Não voltes para trás;
5.Não pares na porta de saída.
Esta deve permanecer livre;
6 Já no exterior dirige-te para o
local de reunião que o teu profes-
sor indicar, para se apurar que
não falta ninguém.

Pontos de encontro

Salas
1.1, 1.2, 1.3, 1.4, 1.5
Recreio principal, junto
à entrada principal da escola.

Salas
1.6,1.7,1.8,1.9,
1.10, 1.11, 1.12, 1.13
Recreio exterior, ao lado do
parque de estacionamento auto-
móvel.

Sala de Estudo e de Trabalho


de professores ; Sala TIC; Audi-
tório; 2.3
Recreio principal, junto à
entrada principal da escola.

INSTRUÇÕES Funcionários dos Pisos,


Oficinas
Recreio principal, junto à PARA FUNCIONÁRIOS Oficinas, Pavilhão, Ginásio,
entrada principal da escola. Biblioteca e Secretaria
Todos os funcionários terão que Após o toque repetido da sineta, os
3º Piso respeitar o toque repetido da sine- funcionários que se encontrem nos
Recreio principal, junto à ta, devendo disponibilizar-se, ime- pavilhões, ginásio e Secretaria
entrada principal da escola.
diatamente, para colaborar nos gru- devem:
po/turma, mesmo que estejam na 1º. Abrir imediatamente as portas
sua hora de descanso. (Continua na página 8)

7
Ponto Final. Parágrafo Dezembro 2008

É Natal!
Faz a árvore da tua vida
Ilumina de amor
Teu amigo, teu irmão…
(Continuação da página 7) as linhas telefónicas ocupadas e Que o ódio que alimenta
de saída para o exterior, disponibilizá-las para o Conse- teu coração
2°. Um funcionário deverá perma- lho Executivo;
E envenena tua alma,
necer junto ao telefone e 2°. Aguardar, no seu local de tra-
aguardar instruções do Conse- balho, ordens do Conselho Exe- Se transforme em oração
lho Executivo; cutivo. Tanto luxo, tanta cobiça
3°. Verificar se dentro de qualquer Tantas luzes de ambição
sala de aula ou outra depen- Funcionário da Portaria
dência se encontra alguém; Após soar o toque repetido da É Natal!
4°. Abandonar o seu local de tra- sineta o funcionário em serviço Faz a vitrina da tua vida
balho, depois de se ter certifi- deverá:
Expõe carinho
cado que todas as salas e 1°. Fechar o portão da escola,
não permitindo a entrada de Amizade e dedicação
compartimentos estão vazios;
5°. Dirigir-se para os pontos de qualquer elemento sem ordem E na hora da confraternização
encontro (campo de jogos/ expressa do Conselho Executi- Não mudes de opinião
recreios dos alunos), onde vo;
2°. Aguardar orientações do Dá presentes com emoção
aguardam ordens superiores;
6°. Os funcionários do Pavilhão Conselho Executivo quanto à Abraça teu amigo, teu irmão
devem abrir o a portão que dá sua actuação; Trata a todos por igual
acesso ao estacionamento de 3°. Manter-se no seu posto de
E neste Natal…
viaturas. trabalho, até ordem do Conse-
lho Executivo; Limpa tua alma
Funcionários da Cantina 4°. Só permitir a entrada de E oferece-a ao Pai Celestial!
Os funcionários que se encontrem socorros depois de autorizado
Zélia Neves
nestas instalações devem: pelo Conselho Executivo;
1º. Fechar as válvulas e sistema 5°. Não prestar declarações
de segurança de gás; para o exterior da escola.
2°. Fechar as portas das suas ins-
talações, depois de verificar que Elementos Exteriores à Escola
não se encontra ninguém no Todas as pessoas estranhas à A equipa
seu interior; escola, que no momento do soar do
da
3°. Orientar os alunos, que aí se alarme se encontrem nas suas ins-
encontram, para os pontos de talações, deverão dirigir-se para os BE/CRE
encontro (campo de jogos/ pontos de encontro (campo de
jogos/recreios dos alunos), e aí deseja a todos
recreios dos alunos).
permanecer. os leitores
Funcionários do PBX
Após soar o toque repetido da sine- Trabalho realizado por:
ta o funcionário do PBX deverá: Clube de Segurança
1°. Libertar imediatamente todas

8
Dezembro 2008 Ponto Final. Parágrafo

9
Ponto Final. Parágrafo Dezembro 2008

CRITERIOS DE AVALIAÇÃO/ORIENTAÇÕES ENSINO BÁSICO - 2008/2009

Conselhos de Turma do 3o Ciclo do Ensino Básico - 1o Período

0 Conselho Pedagógico define, de acordo com o disposto no Despacho Normativo 1/2005, de 5 de Janeiro, com
as alterações introduzidas peio Despacho Normativo n° 18/2006, de 14 de Março e pelo Despacho Normativo
5/2007, de 10 de Janeiro, no Decreto-Lei n° 6/2001, com as alterações introduzidas pelo Decreto-Lei n° 209/2002,
de 17 de Outubro, no Despacho Normativo n° 50/2005, de 20 de Outubro - cuja leitura recomenda -, os seguintes
critérios gerais de avaliação/orientações a ter em conta, nas reuniões de avaliação do primeiro período, do ano
lectivo de 2008/2009:

1. A avaliação do final do primeiro período é, sobretudo, um contributo essencial para uma prática lectiva integra-
da, permitindo a recolha de informações e a tomada de decisões adequadas às necessidades e capacidades dos
alunos.
2. A avaliação sumativa a efectuar no final do primeiro período, resulta da avaliação formativa efectuada ao longo
do mesmo e traduz-se num juízo globalizante, sobre o desenvolvimento dos conhecimentos e competências reve-
ladas pelos alunos, tomando como referência os objectivos curriculares do Ensino Básico, bem como os objectivos
formulados para cada disciplina.
3. A avaliação sumativa do final do primeiro período tem uma função essencialmente informativa para todos os
alunos e respectivos encarregados de educação e assume um carácter motivador, especialmente, em relação aos
alunos que revelem assiduidade, vontade de trabalhar e empenhamento na sua progressão.
4. No início da reunião, o Conselho de Turma, deve proceder à sua caracterização em termos de comportamento,
aproveitamento e assiduidade. Os alunos eventualmente perturbadores do normal funcionamento das actividades
lectivas, devem ser identificados na acta da reunião. Para tais alunos, o Conselho de Turma deve definir uma
estratégia de alteração comportamental. O mesmo tipo de procedimento deve ser adoptado para os alunos que
revelem significativas dificuldades de aprendizagem
5. Sempre que, no final do 1.° Período, um aluno obtenha três ou mais níveis inferiores a três, deve o conselho de
turma elaborar um plano de recuperação para o aluno. (ver artigos 2o e 6o do Despacho Normativo n.° 50/2005, de
20 de Outubro).
6. Na primeira semana do 2.° Período, o plano de recuperação é dado a conhecer, pelo Director de Turma, aos
pais e encarregados de educação, procedendo-se de imediato à sua implementação.
7. O Conselho de Turma deve proceder à avaliação dos planos de apoio a decorrer, nomeadamente, no caso dos
alunos com retenção repetida e, se for caso disso, reformulá-los. (ver art. 3o do Despacho Normativo n,° 50/2005,
de 20 de Outubro - Plano de Recuperação).
8. No caso de o Conselho de Turma considerar que algum/alguns alunos revela/revelam capacidades excepcio-
nais de aprendizagem deve proceder à elaboração de planos de desenvolvimento, submetendo-os à Direcção
Executiva. (ver art. 5o do Despacho Normativo n.° 50/2005, de 20 de Outubro).
9. Recomenda-se, finalmente, que cada professor entenda esta primeira fase avaliativa como um momento de
avaliação de metas intermédias, de ajuste de métodos e técnicas de ensino e de informação aos pais/
encarregados de educação, com o objectivo de os comprometer com o processo de ensino/aprendizagem dos
seus educandos. A auto-avaliação, a realizar nas últimas aulas de cada período, insere-se nessa preparação.

Escola Secundária Dr. Júlio Martins, 5 de Dezembro de 2008


O Presidente do Conselho Pedagógico

(Francisco António Chaves de Melo)

10
Dezembro 2008 Ponto Final. Parágrafo

CRITERIOS DE AVALIAÇÃO/ORIENTAÇÕES ENSINO SECUNDÁRIO - 2008/2009

Conselhos de Turma de Avaliação do Ensino Secundário - 1 o Período

0 Conselho Pedagógico define os seguintes critérios gerais/orientações a ter em conta, nas reuniões de
avaliação ao primeiro período, do ano lectivo 2008/2009:

1. A avaliação do final do primeiro período é, sobretudo, um contributo essencial para uma prática lectiva
integrada, permitindo a recolha de informações e a tomada de decisões adequadas às necessidades e
capacidades dos alunos.
2. A avaliação sumativa a efectuar no finai do primeiro período, resulta da avaliação formativa efectuada ao
longo do mesmo e traduz-se num juízo globalizante, sobre o desenvolvimento dos conhecimentos,
capacidades, competências e atitudes reveladas pelos alunos e assume carácter motivador.
3. A avaliação sumativa do final do primeiro período tem uma função essencialmente informativa para todos
os alunos e respectivos pais/encarregados de educação.
4. No início da reunião, o Conselho de Turma deve proceder à caracterização da turma em termos de
comportamento, aproveitamento e assiduidade globais. Os alunos eventualmente perturbadores do normal
funcionamento das actividades lectivas devem ser objecto de registo na acta da reunião. Para tais alunos,
o Conselho de Turma deve definir estratégias que propiciem mudanças a esse nível. O mesmo tipo de
procedimento deve ser adoptado para os alunos que revelem dificuldades significativas de aprendizagem.
5. Os professores que obtenham, na sua disciplina, mais de 50% de classificações inferiores a 10 dez)
valores, devem indicar as possíveis razões para o insucesso e apresentar estratégias de recuperação, nos
termos dos artigos 10° e 8o das Portarias 550-A/2004 e 550-D/2004 de 21 de Maio, respectivamente.
6. Recomenda-se, finalmente, que cada professor entenda esta primeira fase avaliativa como um momento
de avaliação de metas intermédias, de ajuste de métodos e técnicas de ensino e de informação aos
encarregados de educação, com o objectivo de os comprometer com o processo de ensino/aprendizagem
dos seus educandos. A auto-avaliação a realizar nas últimas aulas de cada período, insere-se nessa
preparação.
7. Deve ser observado o disposto no artigo 17° n° 4 da Portaria n° 550-A/2004 e no artigo 15° n° 4 da
Portaria 550-D/2004, de 21 de Maio, que estatui o seguinte: "A decisão quanto à classificação final a
atribuir a cada aluno é da competência do conselho de turma que para o efeito, aprecia a proposta
apresentada por cada professor as informações que a suportam a situação global do aluno.

Escola Secundária Dr. Júlio Martins, 5 de Dezembro de 2008


O Presidente do Conselho Pedagógico

(Francisco António Chaves de Melo)

11
Ponto Final. Parágrafo Dezembro 2008

HORÓSCOPO HISPANO
ARIES TAURO GÉMINIS

21/03 a 20/04 21/04 a 20/05 21/05 a 21/06


SALUD: Semana favorable, ya que la buena SALUD: Semana muy activa e interesante porque SALUD: Semana sólo pasable para el conjunto
influencia del elemento de fuego, el signo de dispondrás de una mayor libertad de movimientos del signo. Tus vías respiratorias están en un punto
Sagitario, ayudará a fortalecer tu organismo que te permitirá reorganizar tu agenda y dedicarte a bajo y debes protegerlas, quizás sería una buena
notablemente. DINERO: Ahora te librarás de temas pendientes. Puedes viajar. DINER: Deberás idea vacunarte. DINERO: En el área laboral se te
algunas presiones materiales o de ciertas depen- pisar fuerte en este terreno si quieres resurgir y no presentarán numerosas dificultades o un cambio
dencias molestas que te agobiaban. Buen mo- dejarte avasallar por las exigencias de los demás, en radical al que deberás adaptarte. Tampoco el azar
mento para que ganes cantidades extras de dinero especial, por las de las personas con las que te estás te ofrecerá la compensación que necesitas.
o que la suerte te acompañe. AMOR: te situarás relacionando últimamente. AMOR: Quizás no aca- AMOR: De lo más profundo de tu ser emergerán
en un terreno bastante más sólido y podrás tener bes de sentir esa pasión que ya conoces de antes, no sensaciones extrañas o un sentimiento de culpabi-
satisfacciones afectivas, sentimentales y sexua- obstante, con un poco de tesón la recuperarás. Buen lidad que no tienes por qué cobijar. Piensa en lo
les, según cada caso en particular. Juega un momento para los amores que empiezan. bueno que te ofrece la vida y disfrútelo.
poquito, no te cortes.

CÁNCER LEO VIRGO

22/06 a 22/07 23/07 a 23/08 24/08 a 23/09


SALUD: Semana positiva, aunque tendrás algu- SALUD: Semana movida, dadas las circunstancias SALUD: Semana estimulante ya que casi todas
nas molestias y sin importancia. Gracias a la por las que pasarás y que de no actuar con celeridad las situaciones desfavorables tienden a cambiar.
movilidad lunar nada te suele durar demasiado y podrías tener problemas. No te cortes ni un pelo a la Si tu desánimo es consecuencia de tu vida emo-
podrás remontarte enseguida. DINERO: Puede hora de seguir tus intuiciones. DINERO: Dale im- cional, trata de encauzarla rápidamente. DINE-
que te asalte un ligero temor por un futuro incier- pulso tanto a tu área laboral como económica, pues RO: Tu prestigio social o laboral aumentará
to. Para superarlo, lo mejor es que dejes que el parece que tienes Algunas oportunidades a la vista. mejorando notablemente tus intereses. Es proba-
tiempo pase, conserves la calma y sigas tu intui- Puedes confiar en que todo lo que ha salido de la ble que te concedan un crédito o que te rebajen
ción. AMOR: También aquí podrías pasar por normalidad vuelva a su cauce. AMOR: Aquí tam- una deuda que te venía atormentando. AMOR:
algún pequeño ciclo de dudas o de miedo a per- bién se podrían producir cambios en tus relaciones Buenas sensaciones en esta área lo que te venía
der a seres queridos o a quedarte solo/a. Mira más íntimas y se prevén discusiones diversas que a atormentando. AMOR: Buenas sensaciones en
hacia el futuro con el ánimo firme y te corres- la larga te beneficiarán, aunque ahora no lo parezca. esta área lo que te ayudará a clarificar tus senti-
ponderán. mientos e incluso estimulará tu vida sexual. No te
fíes de ciertas personas que hablan de ti por
detrás.

LIBRA ESCORPIÒN SAGITARIO

24/09 a 23/10 24/10 a 22/ 23/11 a 21/12


SALUD: Semana moderada, ya que no serás de SALUD: Semana con vaivenes, aunque tus malesta- SALUD: ¡Felicidades! Estás arriba en la escala
los signos más afortunados en este setenio y res no revestirán importancia si tu tema natal es de valoración, pero como los aspectos generales
deberás esperar tiempos mejores. Buen momento bueno. DINERO: Estos asuntos podría no seguir una del cosmos no son demasiado armónicos, debes
para los tratamientos. DINERO: No abordes en marcha correcto y transcurrir por unos derroteros evitar contagios y viajes innecesarios. DINERO:
estas jornadas los asuntos que requieren que te bastante inestables. Será necesario disponer de una No te fíes de la suerte hasta que sea claro que te
arriesgues y espérate a que el panorama se haya gran imaginación e incluso de lógica. Amor: Te irá ha visitados y deja los temas importantes para
despejado y veas las cosas más claras. En el bien si no pones a tu pareja a prueba, ya que la cosa más adelante. De todas formas, puedes participar
terreno deudor deberás insistir. AMOR: Si pones podría terminarlas no demasiado bien. Será mejor moderadamente en el azar. AMOR: Si huyes de
a tu pareja a prueba no conseguirás lo que quie- que evites las sorpresas y que si tienes una cita a las situaciones problemáticas, la semana transcu-
res, así que abstente. A los que no tiene pareja, ciegas la suspendas. No es el momento de arriesgar- rrirá bien. Debes alejar de tu lado a las personas
sólo les esperan pequeñas aventuras. Conflictos se. que quieren presionarte en su beneficio.
con los hijos.

CAPRICORNIO: ACUARIO: PISCIS:

20/01 a 20/03
22/12 a 20/01 21/01 a 19/02 SALUD: Semana bastante favorable, que no
SALUD: Semana variable para quienes hayan SALUD: Semana positiva en la que podrías librarte evitará que te sientas bastante ansioso/a. Aprende
nacido en el mes de enero y mejor para los de de alguna presión familiar y disfrutar un poco. Trata a relajarte si quieres estar en paz. Los viajes,
diciembre. No es el momento idóneo para que de componértelas ingeniosamente cuando quieran aunque sean para atender asuntos urgentes, no
viajes lejos ni te desplaces demasiado. DINERO: fastidiarte los demás. DINERO: Sin disponer de son aconsejables. DINERO: La improvisación
A tus iniciativas les faltará popularidad, es decir, grandes fondos de reserva ni de un crédito excesivo, será la tónica semanal, pero con tu ingenio imagi-
que podrías tener mala prensa y fracasar. Para podrás tapar los agujeros que te han quedado en el nativo te las apañarás bien. Sondea otras áreas
lograr triunfar, deberás esperar un poco. AMOR: aire. Jornadas muy adecuadas para darte un respiro. laborales para saber si hay posibilidad de un
En el área sentimental tampoco habrá solidez y AMOR: En este terreno, si tienes pareja o disfrutas cambio rentable. AMOR: Alguna persona podría
será mejor que sigas evitando cualquier enfrenta- de buenos amigos, te sentirás relajado/a y feliz. Esta venir a animar tus actividades sociales, así que no
miento. A las personas nuevas que conozcas les situación también te será de gran ayuda para mejorar te encierres en casa ni en lo que ya conoces de-
faltará ese gancho de otras veces, no insistas. tu auto confianza. masiado. Emitirás un gran magnetismo.

12
Dezembro 2008 Ponto Final. Parágrafo

N um mundo cada vez mais


doente, as pessoas sentem
longos anos.
Frutas, cereais integrais, nozes tomate é um puro alimento para o
necessidade de recorrer à medicina e verduras são quatro classes de coração. O cacho de uvas tem for-
natural, de carácter preventivo e alimentos que a terra nos dá e que, ma de coração. Comer uvas consti-
sem quaisquer efeitos secundários se forem bem combinados, dão boa tui um alimento vitalizador para o
O ar que respiramos é poluí- disposição, força, vigor e resistência coração.
do. Por isso, temos que procurar o São os alimentos de que necessita- As nozes têm forma de um
ar puro. O nascer do Sol é o melhor mos para gozarmos uma vida longa pequeno cérebro e ajudam o fun-
momento para aspirar o hálito da e com saúde! cionamento do mesmo. O feijão
vida. A técnica é assim: encher os Existem alguns alimentos que parece um rim e ajuda a manter a
pulmões de ar e reter a respiração não fazem parte da vida dos homens função renal. As cebolas parecem
o máximo que puder. Ao expelir o devido à falta de informação ou por células do corpo. As investigação
ar, expele juntamente as toxinas, maus hábitos. Sabia que o melão actual mostra que a cebola ajuda à
as preocupações, as doenças e regulariza as funções intestinais, uri- limpeza dos materiais excedentes
toda a carga negativa. O tempo nárias e renais? Sabia que a salsa é de todas as células corporais.
gasto para inspirar somado ao tem- diurética e anti-diabética e tem 7 Se quer ter saúde, não coma
po da retenção deve ser igual ao vezes mais vitamina A que a cenou- nada frito, não use o micro-ondas e
tempo da expiração. Este exercício ra? Sabia que o alho é o melhor levante-se da mesa ainda com
respiratório deve ser praticado de desinfectante vegetal alimentar e que alguma vontade de comer.
manhã, antes do pequeno-almoço. tonifica o fígado e os rins? Sabia que Se não fumar, não beber
O local deve ser tranquilo e agradá- a alface combate a insónia e o ner- venenos, não comer cadáveres,
vel, de preferência na pureza da vosismo? Sabia que o café com leite não perder noites, não respirar ar
floresta. é indigesto e nocivo à saúde? Sabia viciado e viver sempre ao ar livre,
Um dos segredos de um bom que a laranja é o melhor laxante então sim gozará de óptima saúde
equilíbrio alimentar reside numa natural? e uma vida de qualidade!
alimentação variada em que predo- Há frutos que têm um formato Estes ensinamentos foram-
minam os alimentos vivos, isto é, semelhante ao dos órgãos do nosso me ensinados, ao longo dos últimos
as saladas e as frutas cruas. É nes- corpo e que são aconselhados como 15 anos, pela sabedoria do meu
tas que se encontram as vitaminas medicamentos naturais. A fatia da amigo “médico de família”, Frei
e os sais minerais. Quando cozi- cenoura parece um olho humano e Augusto de Matos Almeida, concei-
das, perdem grande parte do seu fortalece a circulação sanguínea e o tuado naturista do Convento Fran-
valor nutritivo. No princípio da funcionamento dos olhos. Diz o dita- ciscano do Montariol, na cidade de
humanidade e antes da descoberta do popular que a cenoura põe os Braga.
do fogo, os homens alimentavam- olhos bonitos! O tomate tem quatro Benjamim Andrade
se exclusivamente de alimentos câmaras e é vermelho. O coração é (Professor de Filosofia)
crus, tinham óptima saúde e viviam vermelho e tem quatro câmaras. O

13
Ponto Final. Parágrafo Dezembro 2008

Teachers’ message

Well, here we are again!


This time we surely have a very small “Speaker’s Corner”… Sign of the times, we believe. We haven’t had the
time and quietness we need to perform our tasks the best way possible and as our main point is the preparation of
classes and materials, we didn’t have much time to motivate you to write for the newspaper. It was our fault and we
apologise for that.
Anyway, our big “Thank You” to Naomi, pseudonym for an 11th grade student who didn’t want to be identified.
She made this issue possible. We all together will be able to make the next one!

Mariana Mesquita

A long the times the women had


no rights, only duties, and
seen in life, they have more than
five children and are forced to raise
show off, but if women are to do it,
they are immediately criticised.
were treated worse than a dog or them alone. But not only these Why can men have everything and
an object. Many women were killed countries does this happens, in w o m e n c a n n o t ?
at the time of the Renaissance. Ac- many places women are treated Many are those that demonstrate
cused of being witches, they were even worse. Some are exploited for our superiority, but no use. Are we
stoned to death, put in a cage and prostitution or sold, others have smarter? Mostly, yes. Are we more
thrown into the river, or died in the lower wages than men, because responsible and organized? Mostly,
bonfire tied to a post. they say they are less productive, yes. Yes, we have top scores. But
Over the centuries many things many professions just let men come even so, still not enough, for what
have changed, but others continue in. Many people (men) think that we see…
to prevail. In several places in the women should stay at home, to per-
world in various countries many form domestic work and raise their
women have no right whatsoever. children, but many times we
In some countries, women do not (women) do the things better than
leave the street without being ac- most men. Some women are
companied by a man of the family abused; some are killed by their
and have to be hidden under the own husbands. Many are rejected
burkas. In addition to being forced and set aside. There are many
to marry a man they had never things that men do evil and just to

14
Dezembro 2008 Ponto Final. Parágrafo

P sychological factors affect


changes in appetite and soci-
ety in the moderation of body com-
Fear of being fat or increasing
weight, even though it is too low;
Disruption of how deep the experi-
ters, vomit) or the practice of violent
exercise;
Repeated episodes of purgative
position in self assessment of body enced weight and silhouette are, and restrictive actions and episodes
image. The importance of these lack of ability to understand how to of eating too much, at least twice
factors varies. However, today we accept low body weight and the weekly for three months;
can identify three diseases resulting denial of the seriousness of the Independent of anorexia, but occa-
from serious deviations of individual situation; sionally connected or in alternation.
attitudes towards food. Their preva- Amenorrhea, at least in three con- Obesity is characterized by:
lence in the consumer society secutive cycles. People with obesity go on eating
grows alarmingly. Two of these ill- Bulimia is characterized by: too much food with fat, mainly what
nesses, anorexia and bulimia, are Repeated episodes of compulsive is really bad for our health, for ex-
well characterized. A third is being bulky food intake, much higher than ample: cakes, pizza, burgers, bis-
defined. normally supported by normal peo- cuits with chocolate, desserts, hot
Anorexia is characterized by: ple, as a result of conscious inability dogs, chips and so on.
Refusal to maintain the desirable to stop eating;
weight for age and height; Misunderstanding of the correct
Persistent desire to keep the weight way to lose weight and repeated
down; refusal to restrictive behaviour (e.g.:
fasting) and purgative (e.g.: clys-

T he breadth of the
“DRUG” reflects its long evo-
lution, referring to a large number of
term You cannot say that there is one
single reason leading to drug use
but several factors can influence
tion, of which stands out the curios-
ity, the desire to belong to a group,
the desire for the fun, the fear of
substances with different effects on the consumption or non consump- exclusion from the group, the avail-
perception, thought, state of mind tion. These factors may be individ- ability of drugs, the illusion of re-
or emotions and with a different ual, social, family, environmental solving a problem, a positive image
capacity to produce dependency and inherent to each substance. of substances, among others.
and different meanings for those There are different forms of con- Anyway, in each case there are
that consume. sumption with different meanings always a number of factors that
The history of drugs is the history and the reasons that lead people to should be examined by a technical
of mankind. They have made an try a drug are different from the rea- expert in order to set an appropriate
essential part of their culture, reli- sons that lead them to become de- therapeutic scheme.
gious rituals and human relation- pendent.
ships…evolving at the same time At first, namely at a phase of ex-
that men and women have con- perimentation, there are a number
sumed them. of factors that can lead to consump-

15
Ponto Final. Parágrafo Dezembro 2008

T
But
he air is essential to the sur-
vival of many living things.
with technological develop-
ments, tackling air pollution has
acquired enormous significance
because we need to improve the air
quality.
The pollution causes the reduction
of the ozone layer, global warming
and acid rain. Industries, agricul-
ture, products of combustion fusil-
iers (coal, oil), deforestation, in-
tense trafficking, with successive
traffic jams along the major cities,
household activities, these and In recent decades the water in the five million people die each year

many other interfere with air quality atmosphere has been polluted by due to water.

not only locally but also throughout gases that are emitted by various The water is polluted when its com-

the planet. sectors of human activity. These position is altered by natural sub-

The increase in the average level of gases combine with water in the stances or forms of energy that pre-

seawater occurs because of in- atmosphere, forming acid solutions vent its normal use.

creased temperatures and so ani- that can reach the earth’s surface in Water pollution can be caused by

mals migrate to other places to be the form of rain or snow. physical (warm water), biological

able to feed themselves. In the Arc- Acid rain generally affects heavily (viruses, bacteria) and chemical

tic, the polar bear is endangered industrialized areas, causing devas- (oil, detergents, and oil slicks) pol-

because of the melting of ice caps tating effects on both terrestrial and lutants.

(due to global warming) which does aquatic ecosystems. By mixing with As for the pollution of soil, although

not allow them to hunt their prey the water from lakes and streams it less visible but equally disturbing,

(seals). Their territory is shrinking acidifies them, causing the death of soil contamination has been hap-

rapidly. fish and other aquatic beings. Large pening in recent decades, not only

The ozone layer is disappearing forest areas have also been de- because of the infiltration of pol-

because there are emissions of stroyed and several monuments luted waters but also for the accu-

CFCs into the atmosphere. As a degraded. mulation of solid waste in many

consequence there is an entry of There is no life without water, but places.

ultraviolet rays. now it is estimated that more than

16
Dezembro 2008 Ponto Final. Parágrafo

O Natal Quadras de Natal


Algo especial e sentimental
Momento de alegria No Natal há muita alegria,
Passado com boa companhia. amor, e paz e harmonia.
Não há outro dia
Época bonita com tanta fantasia.
Com muita cor, muito amor
Altura de solidariedade A árvore vamos enfeitar
E muita amizade. com bolas e fitinhas.
Não esquecendo as luzes
Deixemos de ser egoístas, nem debaixo as prendinhas.
Unamos nossos corações com fitas.
Há prendas para trocar O Natal é especial
E alegria para dar! porque há carinho para dar
tal como abraços
Gosto do Natal e miminhos para entregar.
Há uma magia tal
Existe uma especial harmonia Há luzinhas, fitinhas.
Que linda esta fantasia! No Natal há harmonia
E paz… e amor…
Nicole Fernandes 9º D É noite de magia.

Ana Rita Gonçalves Nº1 9ºA

A solidariedade Natalícia
Na noite de Natal Na época de Natal
Há pinheiros há que solidário ser,
e há prendinhas, pois é muito especial
Temos de juntar dinheiro dar e receber.
P´ra ajudar as criancinhas.
É época de ajudar,
Crianças desfavorecidas pois há pessoas a necessitar,
Crianças abandonadas que não têm um lar
Vamos dar um contributo nada para festejar.
Para não se sentirem isoladas.
O meu vizinho está sozinho,
O mundo, hoje em dia, porque bebe muito vinho.
É um mundo muito ingrato Este ano vai ser diferente
Há crianças abandonadas, e ele vai ficar contente.
Abandonadas num orfanato.
No próximo Natal,
Nesta época especial Vem para a nossa companhia
Não pode haver medo nem tristeza, Dar-lhe-emos alimento…
Vamos todos contribuir Emoção, paz e alegria.
Para acabar com a pobreza.
Sabina Rodrigues nº17 9ºD
E agora para terminar Margarida Cabeleira nº22 9ºD
Uma coisa vamos dizer
Vamos todos ajudar
P´ra mais ninguém sofrer.

Alexandra Silva Nº1 11ªA


Sara Fernandes Nº19 11ºA

17
Ponto Final. Parágrafo Dezembro 2008

L ’architecte David Fisher conduira la construction d’une tour de 30 étages qui


tournera sur sa base à Dubai. Les travaux de construction ont déjà commencé et
ils seront terminés en 2010.

Funtionnement de l’immeuble
L'immeuble utilisera l'énergie solaire pour effectuer une lente rotation qui
lui permettra d'accomplir un tour complet par semaine. La tour de 30 étages tourne-
ra sur sa base et comprendra 200 appartements. La rotation sera faite de manière
indépendante à 360 degrés pour offrir à ses occupants la première vue panorami-
que du monde.
Le bâtiment de 80.000 tonnes reposera sur un système de roulement à billes géant de 30 mêtres de diamêtre.
Vingt petits moteurs électriques feront tourner le gratte-ciel de quelques degrés chaque heure.
Constitution de la tour
Les 21 premiers niveaux seront consacrés à des bureaux, un hôtel de luxe 6 étoiles occupera ensuite l'espace
entre le 21ème et le 35ème étage puis des appartements se répartiront jusqu'au 70ème étage. Les dix derniers niveaux
seront dédiés à des villas grand luxe avec terrasse et piscine. Au 64ème étage un héliport rétractable permettra aux
habitants d'atterrir en hélicoptère comme il se doit.
Travail réalisé par: Alicia Pereira, Nº1-11ºE; Sónia Pereira, Nº14- 11ºE; João Costa, Nº7- 11ªF

L'île d'AZ
P ersonne n'aurait pu rêver pareille construction... personne à part
peut être Jules Verne qui avait imaginé en 1895 dans son roman
"L’île à hélice" une cité flottante sur les océans.
Cette idée très futuriste a été reprise par l’architecte français Jean-Philippe
Zoppini en partenariat avec les bureaux d'études du service innovation du
chantier naval d'Alstom, pour l'île "AZ", une petite ville flottante d’une su-
perficie de 10 hectares avec son lagon, son port, ses immeubles, sa gale-
rie commerciale, son casino…
A mi chemin entre le paquebot de luxe et l'île flottante, l'île d'AZ sera évidemment réservée à une clientèle
fortunée. A comme Alsthom, Z comme Zoppini, voici comment a été choisi le nom de l'île.
Entre Jean-Philippe Zoppini et la mer, c’est une longue histoire. En 1981, il imaginait déjà une ville flottante
(Continua na página 20)

18
Dezembro 2008 Ponto Final. Parágrafo

L e tunnel sous la Manche


(en anglais: The Channel
Tunnel ou Chunnel) est un tunnel
Tunnel sous la Manche

ferroviaire reliant la Grande-


Bretagne et la France. Il est long de

L e Queen Mary 2 (« QM2 »)


est un paquebot transatlan-
tique britannique de la Cunard
49,7 kilomètres, dont 37 sous la
Manche entre Coquelles et Folkes-
tone. Il fut inauguré le 6 mai 1994.
mis en service en 2004 pour as-
Le tunnel a été construit par
surer la ligne régulière Europe-
TransManche Link (TML), consor-
Amérique du Nord. Il fut à sa
tium de dix entreprises de BTP,
construction le paquebot à plus
cinq françaises et cinq britanniques, Carte du Tunnel sous la Manche
fort tonnage du monde.
créé en 1986. Il est exploité par la
En mai 1998, les dirigeants
société franco- britannique Eurotun-
de Carnival Cruises demandent à
nel. Type Tunnel ferroviaire
l'architecte naval Stephen Payne
La traversée (voitures, auto-
de réfléchir à la conception d'un
cars, motos, camions) assurée par Eurotunnel Shuttle
transatlantique destiné à rem- Eurostar
des navettes ferroviaires dure envi- Exploitant
EWS
placer le Queen Elizabeth 2 au SNCF
ron 33 minutes de quai à quai. Les
sein de la flotte de leur filiale
navettes s'appellent officiellement
Cunard. Stephen Payne définit la Traversée la Manche
«Eurotunnel». Le transport ferro-
ligne générale d'un navire de 345
viaire des voyageurs sans véhicule
mètres de long, 41 mètres de lar- France
est assuré par la ligne Eurostar qui Pays
ge et 72 mètres de hauteur (soit Angleterre
utilise des rames de type TGV mo-
l'équivalent de 23 étages).
difiées pour s'adapter aux contrain-
Le projet du bâteau a été Longueur du tunnel 50,450 km
tes du tunnel (rames sécables) et
lancé en 1998, mais il a été cons-
du réseau britannique (gabarit, cap-
truit le 4 juillet de 2002 en Angle- Nombre de tubes 2+1
tage du courant par troisième rail).
terre. Son lancement à la Mer
Le tunnel est relié au réseau
c’est déroulé le 21 Mars de 2003. Nombre de voies par tube 1
grande vitesse français (LGV Nord)
Caractéristiques du
au sud et se prolonge par la ligne Début des travaux Décembre 1987
Queen Mary 2 :
grande vitesse High Speed 1 jus- Fin des travaux 10 décembre 1993
-Propulsion: 4 propulseurs éléctri-
qu'à Londres (Gare de Saint-
ques ; Ouverture à la circulation 6 mai 1994
Pancras) du côté britannique.
-Vitesse: 30 noeuds environ;
Travail réalisé par :Eva Silva-11º E
-Nombres de passagers qu’il peut Bruna Fernandes-11ºE
embarquer : 2620 passagers et
Hugo- 11ºF
1253 membres de sa tripulation;

(Continua na página 20)

19
Ponto Final. Parágrafo Dezembro 2008

(Continuação da página 19)


-Le Queen Mary a coûté : 900 millions
de livres;
-Nombres de téléfones à son bord : La bûche
8000;
-Nombres de marches (d’escaliers): de
5000;
-Portes incendies : 1100 ; Noël
-extincteurs automatiques : 8350 ;
Il a été construit pour une moyenne
d’endurance de vie de 40 ans de nave-
gation.
Travail réalisé par:
José Manuel Calvão nº11 11ºE
Gaspar Anjos nº8 11ºE
L a bûche est le dessert de Noël typiquement français. Pâtis-
sière (gâteau roulé napé de crème), glacée (au lait et au
Grand-Marnier), ou en purée de marrons au chocolat, elle présen-
Nélio Santos nº13 11ºF
te toujours une forme allongée et circulaire, rappelant ainsi la bûche
de bois que l'on fait brûler dans la cheminée pour Noël.
Les pâtissiers décorent souvent leurs bûches avec de petits ob-
(Continuação da página 18) jets en plastique ou comestibles, représentant des éléments de Noël
luxueuse, "Isula", dont les abords (un Père-Noël, du houx, une scie, un sapin, une rose, un nain de
étaient protégés de la houle par une jardin, un champignon ou même des bougies miniatures). Cette tou-
structure circulaire mais "Isula" ne vo-
che finale donne tout l'intérêt à ce dessert peu commun, exclusive-
guait pas alors l’île AZ pourra se dé-
ment dégusté à Noël.
placer à la vitesse de 10 nœuds, ce
qui correspond à la vitesse minimale Travail réalisé par: Sónia Pereira 11ºE Nº14
pour se dérouter en cas de typhon, et
ce qui permettra à l'île de faire des
escales en Méditerranée, en Polyné-
sie, aux Antilles... destinations très
prisées.
La viabilité économique du pro-
jet n'est pas avérée et Alsthom hésite
à promouvoir ce projet qui sort du ca-
dre habituel de la construction de ba-
teaux, Jean-Philippe Zoppini espère
bien voir le projet aboutir. Il estime son
coût à 2 milliards d’euros, à comparer
aux 780 millions du plus grand paque-
bot du monde actuel: le "Queen Mary
II" également construit par Alsthom.
Proportionnellement à la surface pro-
posée, l’île AZ serait moins chère au
mètre carré. Actuellement en négocia-
tion, en particulier avec l’émirat de Du-
baï, il a espoir de concrétiser son idée
en 2008 ou 2009.
Travail réalisé par : Manuel, nº9; 11ºF;
Marcel, nº1; 11ºF; Philippe, nº14; 11ºF

20
Dezembro 2008 Ponto Final. Parágrafo

O Tonecas não parava de coçar a cabeça.


Então, a professora pergunta:
- Por que não paras de te coçar, Tonecas ?
Conversavam dois malucos sentados no jardim do - Porque tenho um piolho morto na cabeça.
manicómio. Diz um deles: - Mas, se está morto não faz comichão.
- Sabes, o padre da igreja sofreu um acidente. - Isso, é o que a "Setora" diz !
- O que foi que aconteceu? É que veio a família toda ao funeral !
- Parece que caiu de um escadote e partiu uma perna.
- Caiu de um escadote? E o que é um escadote?
- Sei lá eu! Já há muito tempo que não vou à missa.

Um marido viúvo de duas mulheres comenta com o amigo:


- A minha primeira mulher morreu, depois de ter comido
cogumelos.

Que fizeste de manhã na escola? - Ah, foi? E a segunda?

Aprendi as vogais. - Morreu com uma pancada na cabeça.


E de tarde? - Coitada, retorquiu o amigo, e como foi que isso aconteceu?
Esqueci-as. - Não queria comer cogumelos, respondeu o viúvo.

21
Ponto Final. Parágrafo Dezembro 2008

22
Dezembro 2008 Ponto Final. Parágrafo

23
Ponto Final. Parágrafo Dezembro 2008

24