Você está na página 1de 5
SENSORES DE TEMPERATURA

SENSORES DE TEMPERATURA

1 - INTRODUÇÃO

A temperatura é a variável física mais mensurada em comparação a qualquer outra variável, principalmente pois é uma grandeza que não esta apenas inerente nos processos industriais, mas no dia a dia, no controle dos refrigeradores, em diagnósticos clínicos, entre outros.

Os sensores de temperatura, são instrumentos que utilizam basicamente o princípio físico como a dilatação ou contração de materiais (líquidos ou sólidos), variação de propriedades elétricas e ópticos de alguns materiais.

Para a medida da temperatura de um corpo com um termômetro, é preciso esperar o equilíbrio térmico, isto é, quando em contato com o corpo, precisamos esperar alguns minutos para que o termômetro e o corpo estejam a mesma temperatura, e assim, podemos medir seu valor.

2 - DEFINIÇÕES E CONCEITOS

Antes de mensurarmos a temperatura, precisamos entender o que vem a ser temperatura e calor. Toda substância, independente do estado físico que se encontra (liquido, gasoso ou solido), são constituídas por pequenas partículas, moléculas. A agitação dessas partículas definem a temperatura, quanto mais agitado estiver, maior a temperatura, e quanto mais lento, menor a temperatura. Um bom entendimento desse fenômeno é através da análise os fornos micro-ondas, ao ter a passagem de micro-ondas pelo alimentos, vibram as moléculas e transforma em calor. Com isso defini-se temperatura como sendo:

Temperatura - É o grau de agitação térmica das moléculas.

SENSORES DE TEMPERATURA

SENSORES DE TEMPERATURA

A temperatura é representada em escala numérica, onde quanto maior o seu valor, maior é a energia cinética média dos átomos do corpo em análise.

Dois conceitos que se confundem às vezes com o de temperatura são o de energia térmica e o de calor, que são definidos como sendo:

Energia Térmica – A energia térmica de um corpo é o somatório das energias cinéticas dos seus átomos e, além de depender da temperatura, depende também da massa e do tipo de substância.

Com isso, dois materiais diferentes podem estar na mesma temperatura e ter energia térmica diferentes.

forma de energia que é

transferida através da fronteira de um sistema em virtude da diferença de temperatura.

trânsito ou a

Calor

é

a energia

em

O calor é uma nomenclatura atribuída à energia sendo transferida de um sistema a outro exclusivamente em virtude da diferença de temperaturas entre eles.

SENSORES DE TEMPERATURA

SENSORES DE TEMPERATURA

3 - Escalas de Temperatura

Uma das formas que cientistas, pesquisadores e fabricantes de termômetro utilizaram para resolver o problema encontrado em atribuir valores de forma padronizada foi a criação de escalas reproduzíveis, criando assim as escalas de temperaturas. A escala adotada no Brasil é o Graus Celsius e adotado pelo Sistema Internacional de Medidas (S.I.) para temperatura é o Kelvin.

3.1 - Escala Fahrenheit

O escala Fahrenheit, (°F) foi proposta por Daniel Gabriel Fahrenheit em

1724. É definida com o valor 32 no ponto de fusão do gelo e 212 no ponto de ebulição da água. O intervalo entre estes dois pontos é dividido em 180 partes iguais, e cada parte é um grau Fahrenheit.

Esta escala foi utilizada principalmente pelos países que foram colonizados pelos britânicos, mas seu uso atualmente se restringe a poucos países de língua inglesa, como os Estados Unidos.

3.2 - Escala Celsius

O escala Celsius, (°C) foi proposta pelo astrônomo sueco, Anders Celsius

em 1742. A escala de temperatura Celsius foi concebida de forma a que o ponto de congelação (congelamento) da água correspondesse ao valor zero, e o ponto de ebulição correspondesse ao valor 100, observados a uma pressão atmosférica padrão.

A denominação “grau centígrados” utilizada anteriormente no lugar de

“grau Celsius” não é recomendada, deve ser evitado o seu uso.

SENSORES DE TEMPERATURA

SENSORES DE TEMPERATURA

3.3 - Escala Kelvin

O escala Kelvin (K) é a escala de temperatura mais importante por ser a

padronizada pelo Sistema Internacional de Unidades (SI) para a grandeza temperatura termodinâmica. O Kelvin é a fração 1/273,15 da temperatura termodinâmica do ponto triplo da água. Possui a mesma divisão da Celsius, isto é, um grau Kelvin é igual a um grau Celsiu, porém o seu zero se inicia no ponto de temperatura mais baixa possível, 273,15 graus abaixo do zero da escala Celsius. Utiliza-se o referencial 0K como sendo o zero absoluta, menor temperatura possível que uma substância não apresenta mais movimento das suas moléculas.

3.4 - Escala Rankine

A escala Rankine (R) é uma escala de temperatura assim chamada em

homenagem ao engenheiro e físico escocês William John Macquorn Rankine, que a propôs em 1859. Como a escala Kelvin, o 0R (Rankine) tem seu referencia como sendo o zero absoluto, igual a escala Kelvin, mas as variações

em graus Fahrenheit são utilizadas. Assim, a variação de um grau R equivale a variação de um grau F.

as variações em graus Fahrenheit são utilizadas. Assim, a variação de um grau R equivale a
SENSORES DE TEMPERATURA

SENSORES DE TEMPERATURA

3.5 - Conversão e Comparação de Escalas

Pela tabela abaixo, podemos comparar as escalas de temperatura

existentes:

Escala de

Ponto de Ebulição da Água

Ponto de Fusão da Água

Zero Absoluto

Temperatura

 

Escala Absoluta

 

Rankine (R)

671,67 R

491,67 R

0

Kelvin (K)

373,15 K

273,15 K

0

 

Escala Relativa

 

Celsius (ºC)

100ºC

0ºC

-273,15ºC

Fahrenheit (ºF)

212ºF

32ºF

-456,67ºF

Da comparação podemos retirar algumas relações básicas entre as

escalas através da equação genérica:

C = F 32 = K 273

5

9

5

Onde C, F e K são as temperaturas em Graus Celsius, Fahrenheit e Kelvin

respectivamente.

Exemplo: O ponto de ebulição do oxigênio é -182,86ºC. Transformar esta

temperatura em graus Kelvin e Graus Fahrenheit:

Graus Celsius para Graus Kelvin:

C

= K 273

182,86 = K 273

5

5

5

5

K = 90,14 K

Graus Celsius para Graus Fahrenheit:

C

= F 32

182,86 = F 32

5

9

5

9

F = 297,14 ºF