Você está na página 1de 30

Do PPooççoo à

Do P P o o ç ç o o à R R e e f f

RReeffiinnaarriiaa

Solo Cascalho Rocha impermeável Rocha + gás natural PETRÓLEO

2.2 PERFURAÇÃO

2.2 PERFURAÇÃO

Sistema de Sustentação de Cargas

É o conjunto de equipamentos que tem como função sustentar e realizar a movimentação vertical de cargas como tubulações e brocas entre outros.

O sistema de sustentação constitui-se por:

Torre, Subestrutura e Base de Fundação.

Torre ou mastro – Estrutura de aço especial, cuja forma é piramidal, de forma que

sua configuração permita as chamadas manobras.

Subestrutura – Formada de vigas especial de aço, trata-se do espaço de trabalho

sob a plataforma, no qual são instalados os equipamentos de segurança.

Base de Fundação – São estruturas em concreto, apoiadas sobre o solo, suportam

com segurança as deflexões vibrações e deslocamentos provocados pela sonda.

Sistema de geração e transmissão de energia

Trata-se do sistema que gera e transmite a energia elétrica que irá possibilitar todas as atividades de perfuração.

que irá possibilitar todas as atividades de perfuração. Esse sistema é formado por um conjunto de

Esse sistema é formado por um conjunto de motores diesel que movimentam geradores de corrente alternada e contínua que permitirão o funcionamento de bombas de lama, motores da mesa rotativa, guincho, iluminação do campo de exploração e o funcionamento de muitos outros equipamentos. Turbinas a Gás são comuns na Perfuração em alto mar.

Sistema de movimentação de carga

Os principais componentes do sistema são:

Guincho – Recebe a energia mecânica necessária, para a movimentação de cargas através da transmissão principal. Compõe-se de: tambor principal, tambor auxiliar, freios, molinetes e embreagens. Bloco de Coroamento – Conjunto estacionário de 4 a 7 polias montadas em linhas num eixo suportado por dois mancais de deslizamento. O bloco tem como principal finalidade suportar todas as cargas que lhe são transmitidas pelo cabo de perfuração. Catarina – É um conjunto de 3 a 6 polias móveis montadas em um eixo, que se apóia nas paredes externas da própria estrutura da Catarina. Cabo de perfuração - É um cabo de aço trançado em torno do núcleo, o cabo proveniente do carrossel é passado e fixado em uma âncora que fica próximo da torre. Elevador - É utilizado para movimentar elementos tubulares: tubos de perfurações e comandos.

Sistema de Rotação

Equipamentos que permitem a rotação da coluna de perfuração, incluindo: mesa rotativa, o Kelly e a cabeça de injeção.

Mesa rotativa – Transmite rotação à coluna de perfuração permitindo o livre deslizamento do Kelly no seu interior. Kelly – Transmite rotação proveniente da mesa rotatória a coluna de perfuração. Cabeça de injeção (swivel) – É o equipamento que separa os elementos rotativos daqueles estacionários na sonda de perfuração.

rotativos daqueles estacionários na sonda de perfuração. Foto da mesa rotativa Esquema alternativo à mesa rotativa:

Foto da mesa rotativa

daqueles estacionários na sonda de perfuração. Foto da mesa rotativa Esquema alternativo à mesa rotativa: top
daqueles estacionários na sonda de perfuração. Foto da mesa rotativa Esquema alternativo à mesa rotativa: top

Esquema alternativo à mesa rotativa: top drive

Etapas de uma conexão Etapas de uma manobra

Etapas de uma conexão

Etapas de uma manobra
Etapas de uma manobra

Sistema de Circulação

Este sistema visa circular e tratar a lama (ou fluido) de perfuração. O fluido de perfuração é bombeado através da coluna de perfuração até a broca.

a lama (ou fluido) de perfuração. O fluido de perfuração é bombeado através da coluna de

Sistema de Circulação (tratamento da lama)

A lama assim que é extraída do poço segue diretamente para um tanque, depois para uma peneira vibratória onde sofre a primeira separação, em seguida passa por um equipamento desareiador, um dessiltador, por um mud cleaner e por centrífugas onde ocorre a separação final de sólidos e líquidos, para que em seguida o fluido seja bombeado novamente para a coluna de perfuração.

seja bombeado novamente para a coluna de perfuração. Dessiltador+peneira 8 a 12 Hidrociclones (4-5”) 2 a

Dessiltador+peneira

8 a 12 Hidrociclones (4-5”)

2 a 4 Hidrociclones (8 – 20”)

Sistema de Segurança do Poço

Possibilita o fechamento e controle do Poço.

Os principais elementos do sistema de segurança são:

Cabeça do poço – Permitem a ancoragem e vedação das colunas de revestimento na superfície. Preventores – Permitem o fechamento do espaço anular e podem ser de dois tipos:

preventor anular e preventor de gaveta.

- Prevenção do Kick = fluxo indesejável do fluido contido numa formação para dentro do poço

do fluido contido numa formação para dentro do poço - Prevenção do Blowout = poço fluindo

- Prevenção do Blowout = poço fluindo totalmente sem controle

Importante!!!!

BLOWOUT PREVENTER (BOP) Conjunto de válvulas que permite fechar o poço, desviando os influxos para os tanques de lama

Sistema de Monitoramento (ou monitoração)

Permite controle e o gerenciamento das atividades de perfuração. É composto de:

- Manômetros (pressão de bombeio)

- Indicadores de peso (gancho e sobre a broca)

- Torquímetro (torque na coluna de perfuração)

- Tacômetro (velocidade da mesa rotativa e da bomba de lama)

- Indicador do nível dos tanques.

- Taxa de penetração da broca

(velocidade da mesa rotativa e da bomba de lama) - Indicador do nível dos tanques. -

!" # $ %& ' ()* !" + $ &)*

, - .

! !" /0 / 1 / 1 ! 2 !3 0 - !4 5 0 6 !4 !

!"
!"

!"

!4 5

!

! - ! 2 6 !8

!

7

! . %) ' &) 9 : ; )<9 ()<9 % %= <

! %)) ' >)) 9 : ; ()<9 % <

! / %))) ' ?))) 9 : ; % <

! 9 : ; @<9 A<

! 9

Plataformas de perfuração e produção

Plataformas de perfuração e produção Solo Cascalho Rocha impermeável Rocha + gás natural PETRÓLEO S S

Solo Cascalho Rocha impermeável Rocha + gás natural PETRÓLEO

SSoonnddaa ddee ppeerrffuurraaççããoo tteerrrreessttrree

#$

#$ BOP na superfície BOP no fundo do mar Unidades Flutuantes
#$ BOP na superfície BOP no fundo do mar Unidades Flutuantes
#$ BOP na superfície BOP no fundo do mar Unidades Flutuantes

BOP na superfície

BOP no fundo do mar

Unidades Flutuantes

SONDA TERRESTRE PLATAFORMA MARÍTIMA
SONDA TERRESTRE
PLATAFORMA MARÍTIMA

%

% Plataforma fixa de Namorado 1 na Bacia de Campos Plataforma fixa de Vermelho 3 na

Plataforma fixa de Namorado 1 na Bacia de Campos

Plataforma fixa de Vermelho 3 na Bacia de Campos

%

% Plataformas geminadas de Pargo 1A e 1B no Pólo Nordeste da Bacia de Campos

Plataformas geminadas de Pargo 1A e 1B no Pólo Nordeste da Bacia de Campos

& '( &"

& '( &"
& '( &"

' ) $

' ) $ Plataforma semi-submersível P.18 no Campo de Marlim na Bacia de Campos - RJ

Plataforma semi-submersível P.18 no Campo de Marlim na Bacia de Campos - RJ

Chegada da Plataforma P.40 ao Rio de Janeiro

Chegada da Plataforma P.40 ao Rio de Janeiro

* '

* '

* '

* '

+, - + &"

+, - + &" =B ' % > C 8 ()) B 4 ' () C

=B ' % > C 8 ())

B 4 ' () C 8 ())& 9 D 6 E/ >@%& ())&

1

. * / 0 0 1

1 . * / 0 0 1