Você está na página 1de 10
AutismoAutismo Alexandre Costa e Silva Psicólogo Diretor Técnico da Casa da Esperança Diretor de Relações
AutismoAutismo
Alexandre Costa e Silva
Psicólogo
Diretor Técnico da
Casa da Esperança
Diretor de Relações públicas da ABRA
Associação Brasileira de Autismo
EstruturaEstruturaççãoão dodo MMóódulodulo • Sexta-feira de 19:00 às 22:00: Histórico e Caracterização •
EstruturaEstruturaççãoão dodo MMóódulodulo
• Sexta-feira de 19:00 às 22:00: Histórico e
Caracterização
• Sábado de 9:00 às 12:00: Tratamento
• Sábado de 14:00 às 18:00: Manejo de
situações emergenciais, exposição de casos,
perguntas, avaliação do módulo
AutismoAutismo HistHistóóriaria ee CaracterizaCaracterizaççãoão Alexandre Costa e Silva Psicólogo Diretor
AutismoAutismo
HistHistóóriaria ee CaracterizaCaracterizaççãoão
Alexandre Costa e Silva
Psicólogo
Diretor Técnico da
Casa da Esperança
Diretor de Relações públicas da ABRA
Associação Brasileira de Autismo
HistHistóóricorico • Etimologia: Autòs – si mesmo • Primeiro uso do termo na psiquiatria: Em
HistHistóóricorico
• Etimologia: Autòs –
si mesmo
• Primeiro uso do
termo na psiquiatria:
Em 1911, os 04 “A”
de Bleuler
• 1943: Leo Kanner
• 1944: Hans Asperger
HistHistóóricorico • Hipótese psicogênica • Francis Tustin • Bruno Bettelheim • Na atualidade • Marie
HistHistóóricorico
Hipótese
psicogênica
• Francis Tustin
• Bruno Bettelheim
• Na atualidade
• Marie Christine
Laznik
• Alfredo
Jerusalinsky
CaracterizaCaracterizaççãoão atualatual • DSM IV – TR: Transtornos Invasivos do Desenvolvimento • Transtorno
CaracterizaCaracterizaççãoão atualatual
• DSM IV – TR: Transtornos Invasivos do
Desenvolvimento
• Transtorno Autista
• Transtorno de Rett
• Transtorno Desintegrativo da Infância
• Transtorno de Asperger
• Transtorno Invasivo do Desenvolvimento Sem
Outra Especificação.
OO EspectroEspectro AutAutíísticostico EspectroEspectro HumanoHumano EspectroEspectro HumanoHumano AutismoAutismo
OO EspectroEspectro AutAutíísticostico
EspectroEspectro HumanoHumano
EspectroEspectro HumanoHumano
AutismoAutismo comcom retardoretardo
O Espectro Autístico
T.T. dede KannerKanner
T.T. dede AspergerAsperger
SubclSubclíínicosnicos
CondiCondiççãoão HumanaHumana NormalNormal versusversus Transtorno:Transtorno:
Sofrimento clinicamente significativo ou prejuízo significativo no funcionamento
Social, ocupacional ou em outras áreas importantes do indivíduo.
(DSM IV-TR, APA, 2002)
CaracterizaCaracterizaççãoão (Topografia)(Topografia) • Três grupos de transtornos: • Interação Social –
CaracterizaCaracterizaççãoão (Topografia)(Topografia)
• Três grupos de transtornos:
• Interação Social – Desadaptativa, inadequada,
bizarra, demonstrando desconhecimento das
regras sociais
• Comunicação Social – Expressiva e
Compreensiva
• Foco de Interesse – restrito, repetitivo,
estereotipado.
CaracterizaCaracterizaççãoão (Topografia)(Topografia) • Sintomas presentes no primeiro ano de vida • Bebês
CaracterizaCaracterizaççãoão (Topografia)(Topografia)
• Sintomas presentes no primeiro ano de vida
• Bebês “comportados” demais ou chorando sem
motivo aparente
• Preferem estímulos físicos aos sociais
• Repelem contato físico
• Sorriso social ausente. Riso não social
DiagnDiagnóósticostico ClClííniconico • Geralmente acontece no 30ª. Mês de vida; • Peregrinação dos pais
DiagnDiagnóósticostico ClClííniconico
• Geralmente acontece no 30ª. Mês de vida;
• Peregrinação dos pais
• Luto e desamparo
• Necessidade de intervenção precoce
• Inadequacidade dos serviços públicos de
saúde
CaracterizaCaracterizaççãoão FuncionalFuncional • Três níveis de Seleção • Filogenético (seleção natural)
CaracterizaCaracterizaççãoão FuncionalFuncional
• Três níveis de Seleção
• Filogenético (seleção natural)
• Ontogenético (seleção por contingências)
• Cultural (seleção cultural)
• Porque um reforçador reforça? (Skinner, CCH)
• Interação, complementação,
futuramente fusão AC
Ciências Biomédicas
PorquePorque umum reforreforççadorador reforreforççaa • Respostas podem ser encontradas: • Na genética, na
PorquePorque umum reforreforççadorador reforreforççaa
• Respostas podem ser encontradas:
• Na genética, na fisiologia e na bioquímica
cerebral (primeiro nível de seleção)
• Na história contingencial (segundo nível de
seleção)
• Nos modelos culturais a que um indivíduo teve
acesso (terceiro nível de seleção)
ReforReforççoo SocialSocial • Primário, incondicionado • Característico das espécies gregárias • Vital para
ReforReforççoo SocialSocial
• Primário, incondicionado
• Característico das espécies gregárias
• Vital para a sobrevivência da espécie
humana
• É precocemente emparelhado com outros
reforços primários, aumentando sua força.
EE oo autismo? autismo? • Funcionalmente, em diferentes graus, é a refratariedade ao reforço social
EE oo autismo? autismo?
• Funcionalmente, em diferentes graus, é a
refratariedade ao reforço social
• A partir de ser refratário ao RS, não adquire
modelos adequados de conduta
• Frequentemente se associa a distúrbios
sensoriais, oscilação descontextualizada do
limiar de excitabilidade
ModeloModelo FuncionalFuncional dodo AutismoAutismo • Interação Social: Depende da aprendizagem de modelos de
ModeloModelo FuncionalFuncional dodo AutismoAutismo
• Interação Social: Depende da aprendizagem de
modelos de conduta
• Comunicação: Depende da aprendizagem de
modelos de conduta
• Foco de interesse: depende tanto dos modelos
sociais incorporados ao repertório quanto do grau
de variabilidade descontextualizada do limiar de
excitabilidade
LimiarLimiar dede ExcitabilidadeExcitabilidade variabilidade contextualizada do limiar de excitabilidade Modulação
LimiarLimiar dede ExcitabilidadeExcitabilidade
variabilidade contextualizada do limiar de excitabilidade
Modulação Sensorial Normal
Em função do contexto
S
O organismo não sente
R
O organismo sente
LimiarLimiar dede ExcitabilidadeExcitabilidade variabilidade contextualizada do limiar de excitabilidade Modulação
LimiarLimiar dede ExcitabilidadeExcitabilidade
variabilidade contextualizada do limiar de excitabilidade
Modulação Sensorial Normal
Em função do contexto
S
O organismo não sente
R
O organismo sente
NoNo AutismoAutismo variabilidade desdescontextualizada do limiar de excitabilidade Transtorno de Modulação Sensorial
NoNo AutismoAutismo
variabilidade desdescontextualizada do limiar de excitabilidade
Transtorno de Modulação Sensorial
S
O organismo não sente
R
O organismo sente
TratamentoTratamento • Medicamentoso • Educacional • Pais e familiares • Pessoa autista • Comportamental
TratamentoTratamento
• Medicamentoso
• Educacional
• Pais e familiares
• Pessoa autista
• Comportamental
• Intervenções Estruturadas
• Intervenções Semi-Estruturadas
• Intervenções Emergenciais
EE istoisto serseráá O Tema da aula de amanhã!!! Perguntas e Comentários:
EE istoisto serseráá
O Tema da aula de amanhã!!!
Perguntas e Comentários:
alexandre.psi@gmail.comalexandre.psi@gmail.com