Você está na página 1de 3

EXCELENTSSIMO SENHOR DOUTOR DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO EGRGIO TRIBUNAL DE JUSTIA DO ESTADO DE SO PAULO

Rodrigo Malta, j devidamente qualificado nos autos do HC n. ..., inconformado com a deciso deste Egrgio Tribunal de Justia, que denegou a ordem do Habeas Corpus, no qual era paciente, vem, respeitosamente, perante Vossa Excelncia, por meio de seu advogado que esta subscreve (instrumento de mandato incluso fl. ...), interpor RECURSO ORDINRIO CONSTITUCIONAL, com fulcro no art. 105, II, a, da Constituio Federal e no art. 30 da Lei 8.038/90. Requer que seja recebido e processado, que os autos, com as razes inclusas, sejam encaminhados ao Colendo STJ. Neste termos, pede deferimento. Local, 07/09/2010 Advogado ... OAB n...

RAZES DO RECURSO ORDINRIO CONSTITUCIONAL RECORRENTE: RODRIGO MALTA RECORRIDO: JUSTIA PBLICA HC N.: ...

Superior Tribunal de Justia, Colenda Turma, Douto Procurador da Repblica.

Apesar do brilho que se reveste o Egrgio Tribunal de Justia do Estado de So Paulo, o acrdo que denegou a ordem merece ser reformado pelas razes de fato e de direito a seguir expostas.

I. DOS FATOS O Recorrente foi preso em flagrante, como incurso nos art. 14, caput, e art. 16, pargrafo nico, IV, ambos da Lei 10.826/2003. O advogado pleiteou a Liberdade Provisria, que foi indeferido pelo juiz. Inconformado, impetrou Habeas Corpus no Tribunal de Justia, que manteve a deciso, denegando a ordem. Insatisfeito com a deciso do Egrgio Tribunal, interps o presente Recurso Ordinrio Constitucional.

II. DO DIREITO de se enfatizar que o art. 21 da Lei 10.826/2003, que versa sobre a impossibilidade de Liberdade Provisria nos crimes dos artigos 16, 17 e 18 da referida Lei, inconstitucional, conforme o STF, na ADIn 3.112-1. Superado esse obstculo, de destacar que para priso cautelar indispensvel a indicao dos requisitos previstos no art. 312 do Cdigo de Processo Penal, e a sua correlacionada e devida fundamentao, como determina o inciso IX do art. 93 da Constituio Federal. Observa-se que a deciso que indeferiu o pedido de Liberdade Provisria no s no indicou os requisitos do art. 312 do CPP, com, tambm, no deu a devida fundamentao e, ainda, embasou-se na mera gravidade em abstrato dos crimes, o que segundo a jurisprudncia do Supremo e do Superior, no fundamentao idnea para a priso preventiva. Ademais, o Recorrente primrio, possui bons antecedentes, compareceu a todos os atos em que foi intimado, seja pelo juzo seja pela delegacia, e no demonstrou quaisquer indcios de evadir-se do distrito da culpa. Assim, conforme o pargrafo nico do art. 310 do Cdigo de Processo Penal, no h qualquer ocorrncia dos requisitos que permitiriam priso cautelar, devendo ser concedida a liberdade provisria.

III. DO PEDIDO Diante do exposto, requer que seja conhecido e provido o presente recurso, deferindo a liberdade provisria e expedindo o respectivo alvar de soltura em benefcio do Recorrente, como medida de Justia. Nestes termos,

pede deferimento. Local, 07/09/10 Advogado ... OAB n. ...

Você também pode gostar