MAIO 2012 Contrato de Gerenciamento SESAU e Pró Saúde - TO

RELATÓRIO DE DESEMPENHO

CONTRATANTE: SECRETARIA DE SAUDE DO ESTADO DO TOCANTINS CONTRATADA: PRÓ SAUDE ASSOCIAÇÃO BENEFICENTE DE ASSISTÊNCIA SOCIAL E HOSPITALAR DIRETORES OPERACIONAIS PELA ORGANIZAÇÃO SOCIAL: MARCUS HENRIQUE WÄCHTERE ROGÉRIO VANDERLEI KUNTZ COORDENADORES OPERACIONAIS PELA ORGANIZAÇÃO SOCIAL: ALLAN JACQUESON BARBOSA LOBO, EDEMIR BELTRAME, JEFERSON MACHADO PEREIRA, MARCELO PADOIN CANAZARO. COORDENADORES MÉDICOS PELA ORGANIZAÇÃO SOCIAL: DRA. MARGARETH SENA E CÉSAR BORTOLUZO. ENTIDADES GERENCIADAS
1-ENTIDADE GERENCIADA: HOSPITAL GERAL PÚBLICO DE PALMAS DR. FRANCISCO AYRES CNPJ: 24.232.886/0115-25 ENDEREÇO: AV NS 01S/N CONJ 02 LOTE 01 201 SUL - PALMAS/TO RESPONSÁVEL (IS) PELA ORGANIZAÇÃO SOCIAL: RONALDO FOLONI 2- ENTIDADE GERENCIADA: HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE ARAGUAÍNA CNPJ: 24.232.886/0100-49 ENDEREÇO: R 13 DE MAIO, 1336 - CENTRO - ARAGUAINA/TO. RESPONSÁVEL (IS) PELA ORGANIZAÇÃO SOCIAL: EDSON GONÇALVES PRIMO 3- ENTIDADE GERENCIADA: HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE GURUPI CNPJ: 24.232.886/0103-91 ENDEREÇO: AV JUSCELINO KUBITSCHEK, 1641- CENTRO -GURUPI/TO. RESPONSÁVEL (IS) PELA ORGANIZAÇÃO SOCIAL: VALDEMIR FERNILLE GIRATO 4- ENTIDADE GERENCIADA: HOSPITAL E MATERNIDADE PÚBLICA DONA REGINA SIQUEIRA CAMPOS CNPJ: 24.232.886/0106-34 ENDEREÇO: R NE cinco S/N QUADRA104 NORTE LOTE 31 A 41 – PALMAS/TO RESPONSÁVEL (IS) PELA ORGANIZAÇÃO SOCIAL: ALBA LÚCIA DE MENEZES SÁ MUNIZ 5- ENTIDADE GERENCIADA: HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE PARAÍSO DR. ALFREDO O. BARROS CNPJ: 24.232.886/0109-87 ENDEREÇO: R 03, S/N QUADRA02 LOTE 01 AOS 19 - SETOR AEROPORTO - PARAISO DO TOCANTINS/TO.

Página | 2

RESPONSÁVEL (IS) PELA ORGANIZAÇÃO SOCIAL: MARCEL AUGUSTO DE OLIVEIRA 6- ENTIDADE GERENCIADA: HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE MIRACEMA CNPJ: 24.232.886/0112-82 ENDEREÇO: AV IRMA EMMA RUDOLFH NAVARRO, S/N -SETOR UNIVERSITARIO- MIRACEMA DO TOCANTINS/TO. RESPONSÁVEL (IS) PELA ORGANIZAÇÃO SOCIAL: FLÁVIO MARCONSINI DE SOUZA 7- ENTIDADE GERENCIADA: HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE PORTO NACIONAL CNPJ: 24.232.886/0110-10 ENDEREÇO: AV MURILO BRAGA, 1592 – CENTRO - PORTO NACIONAL/TO. RESPONSÁVEL (IS) PELA ORGANIZAÇÃO SOCIAL: OMAR DIETRICH JUNIOR 8- ENTIDADE GERENCIADA: HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE GUARAÍ CNPJ: 24.232.886/0114-44 ENDEREÇO: R 03, 1516 – CENTRO – GUARAI/TO. RESPONSÁVEL (IS) PELA ORGANIZAÇÃO SOCIAL: DEBORAH WORTMANN 9- ENTIDADE GERENCIADA: HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE ARRAIAS CNPJ: 24.232.886/0117-97 ENDEREÇO: AVENIDA PARANÃ S/N – BURITIZINHO – ARRAIAS/TO RESPONSÁVEL (IS) PELA ORGANIZAÇÃO SOCIAL: RODRIGO FRANCO 10- ENTIDADE GERENCIADA: HOSPITAL PÚBLICO DE DOENÇAS TROPICAIS CNPJ: 24.232.886/0102-00 ENDEREÇO: AV JOSE BRITO SOARES, 1015 – ANHANGUERA – ARAGUAINA/TO. RESPONSÁVEL (IS) PELA ORGANIZAÇÃO SOCIAL: BRUNO FERREIRA REZENDE 11- ENTIDADE GERENCIADA: HOSPITAL MATERNO INFANTIL PÚBLICO TIA DEDE CNPJ: 24.232.886/0105-53 ENDEREÇO: R RAQUEL DE CARVALHO, 420 – CENTRO - PORTO NACIONAL/TO. RESPONSÁVEL (IS) PELA ORGANIZAÇÃO SOCIAL: REMÍDIO VIZZOTTO JÚNIOR 12- ENTIDADE GERENCIADA: HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE DIANÓPOLIS

Página | 3

CNPJ: 24.232.886/0118-78 ENDEREÇO: R 10, S/N QUADRA34 LOTE um - NOVA CIDADE – DIANOPOLIS/TO. RESPONSÁVEL (IS) PELA ORGANIZAÇÃO SOCIAL: CARLOS BARBOZA

13- ENTIDADE GERENCIADA: HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE PEDRO AFONSO CNPJ: 24.232.886/0113-63 ENDEREÇO: R NUMERIANO BEZERRA DE CASTRO, S/N QUADRA5 LOTE 5 - PEDRO AFONSO/TO. RESPONSÁVEL (IS) PELA ORGANIZAÇÃO SOCIAL: RICARDO BARBOSA 14- ENTIDADE GERENCIADA: HOSPITAL INFANTIL PÚBLICO DE PALMAS CNPJ: 24.232.886/0116-06 ENDEREÇO: R NS B, S/N LOTE 09 202 SUL – PALMAS/TO. RESPONSÁVEL (IS) PELA ORGANIZAÇÃO SOCIAL: GIOVANI LUÍS PADÃO MERENDA 15- ENTIDADE GERENCIADA: HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE ARAGUAÇU CNPJ: 24.232.886/0104-72 ENDEREÇO: AV NOVA MATINHA, S/N QUADRA13 LOTE A1/12 – ARAGUAÇU/TO. RESPONSÁVEL (IS) PELA ORGANIZAÇÃO SOCIAL: LAFAETE TEIXEIRA JUNIOR 16- ENTIDADE GERENCIADA: HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE ARAPOEMA CNPJ: 24.232.886/0099-70 ENDEREÇO: R FRANCISCO FURTUOSO DE AGUIAR, 411 – CENTRO – ARAPOEMA/TO. RESPONSÁVEL (IS) PELA ORGANIZAÇÃO SOCIAL: REJANE XAVIER SOARES 17- ENTIDADE GERENCIADA: HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE ALVORADA CNPJ: 24.232.886/0108-04 ENDEREÇO: AV JK, 715 CENTRO – ALVORADA/TO. RESPONSÁVEL (IS) PELA ORGANIZAÇÃO SOCIAL: FULVIO E. BASSOLI

Página | 4

Sumário 1. ANÁLISE GLOBAL DOS HOSPITAIS ................................................................................. 6 1.1 METAS CONTRATUAIS ................................................................................................ 6 1.1.1METAS QUANTITATIVAS ............................................................................................................ 6 1.1.2 METAS QUALITATIVAS ........................................................................................................... 16 2. ANÁLISE INDIVIDUAL DOS HOSPITAIS ......................................................................... 22 2.1 HOSPITAL GERAL PÚBLICO DE PALMAS................................................................... 22 2.2 HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE ARAGUAÍNA .................................................... 40 2.3 HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE GURUPI ............................................................. 52 2.4 HOSPITAL E MATERNIDADE PÚBLICA DONA REGINA ............................................. 74 2.5 HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE PARAÍSO ........................................................... 90 2.6 HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE MIRACEMA ..................................................... 101 2.7 HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE PORTO NACIONAL ......................................... 128 2.8 HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE GUARAÍ .......................................................... 144 2.9 HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE ARRAIAS ......................................................... 164 2.10 HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE DOENÇAS TROPICAIS ................................... 181 2.11 HOSPITAL TIA DEDÉ .............................................................................................. 192 2.12 HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE DIANÓPOLIS ................................................. 218 2.13 HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE PEDRO AFONSO ........................................... 240 2.14 HOSPITAL INFANTIL PÚBLICO DE PALMAS .......................................................... 254 2.15 HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE ARAGUAÇU .................................................. 273 2.16 HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE ARAPOEMA .................................................. 283 2.17 HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE ALVORADA .................................................. 313 ANEXO I – RELATÓRIO DA ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO....................................... 325 ANEXO II – ATAS DE REUNIÃO DAS COMISSÕES .......................................................... 325

Página | 5

1. ANÁLISE GLOBAL DOS HOSPITAIS

1.1 METAS CONTRATUAIS

1.1.1METAS QUANTITATIVAS

Abaixo apresentamos os números de saídos de cada hospital gerenciado e o posicionamento nas metas do 2º quadrimestre, tendo como base o plano estatístico mensal.

Hospital Geral Público de Palmas Saídos X Metas
1600 1400 1200 1000 800 600 400 200 0 mai/12 jun/12 Meta jul/12 Saídos ago/12 QUADRI 3 1097 1365 1097 1097 1097 1.365 1.097

Página | 6

Hospital Regional Público de Araguaína Saídos X Metas
1200 1000 800 600 400 200 0 mai/12 jun/12 Meta jul/12 Saídos ago/12 QUADRI 3 955 975 955 955 955 955 975

Hospital Regional Público Gurupi Saídos X Metas
900 800 700 600 500 400 300 200 100 0 mai/12 jun/12 Meta jul/12 Saídos ago/12 QUADRI 3 856,5 713 856,5 856,5 856,5 857 713

Página | 7

Hospital e Maternidade Pública Dona Regina Saídos X Metas
900 800 700 600 500 400 300 200 100 0 mai/12 jun/12 Meta jul/12 Saídos ago/12 QUADRI 3 699 807 699 699 699 699 807

Hospital Regional Público Paraíso Dr. Alfredo O. Barros Saídos X Metas
600,0 580,0 560,0 540,0 520,0 500,0 480,0 460,0 440,0 mai/12 jun/12 Meta jul/12 Saídos ago/12 QUADRI 3 501 501 589,0 589,0 589,0 589,0 589,0

Página | 8

Hospital Regional Público Miracema Saídos X Metas
455 450 445 440 435 430 425 420 415 410 405 mai/12 jun/12 Meta jul/12 Saídos ago/12 QUADRI 3 421 421 450 450 450 450 450

Hospital Regional Público de Porto Nacional Saídos X Metas
600 531 500 400 300 200 100 0 mai/12 jun/12 Meta jul/12 Saídos ago/12 QUADRI 3 270 270 270 270 270 531

Página | 9

Hospital Regional Público Guaraí Saídos X Metas
500,0 450,0 400,0 350,0 300,0 250,0 200,0 150,0 100,0 50,0 0,0 mai/12 jun/12 Meta jul/12 Saídos ago/12 QUADRI 3 196 196 459,0 459,0 459,0 459,0 459,0

Hospital Regional Público de Arraias Saídos X Metas
300 250 200 162 150 100 50 0 mai/12 jun/12 Meta jul/12 Saídos ago/12 QUADRI 3 162 267 267 267 267 267

Página | 10

Hospital Público de Doenças Tropicais de Araguaína Saídos X Metas
180 160 140 120 100 80 60 40 20 0 mai/12 jun/12 Meta jul/12 Saídos ago/12 QUADRI 3 125 125 165 165 165 165 165

Hospital Materno Infantil Público Tia Dedé Saídos X Metas
340,5 340 339,5 339 338,5 338 337,5 337 336,5 336 335,5 mai/12 jun/12 Meta jul/12 Saídos ago/12 QUADRI 3 337 337 340 340 340 340 340

Página | 11

Hospital Regional Público de Dianópolis Saídos X Metas
450,0 400,0 350,0 300,0 250,0 200,0 150,0 100,0 50,0 0,0 mai/12 jun/12 Meta jul/12 Saídos ago/12 QUADRI 3 265 265 382,5 382,5 382,5 382,5 382,5

Hospital Regional Público de Pedro Afonso Leôncio de Sousa Miranda Saídos X Metas
300 250 200 150 100 50 0 mai/12 jun/12 Meta jul/12 Saídos ago/12 QUADRI 3 225 274 225 225 225 225 274

Página | 12

Hospital Infantil Público de Palmas Saídos X Metas
350 300 250 200 150 100 50 0 mai/12 jun/12 Meta jul/12 Saídos ago/12 QUADRI 3 238 238 238 238 238 312 312

Hospital Regional Público de Araguaçu Saídos X Metas
200,0 180,0 160,0 140,0 120,0 100,0 80,0 60,0 40,0 20,0 0,0 mai/12 jun/12 Meta jul/12 Saídos ago/12 QUADRI 3 182,5 183 182,5 182,5 182,5 183 183

Página | 13

Hospital Regional Público Arapoema Saídos X Metas
200,00 180,00 160,00 140,00 120,00 100,00 80,00 60,00 40,00 20,00 ,00 mai/12 jun/12 Meta jul/12 Saídos ago/12 QUADRI 3 128 128 179,500 179,500 179,500 179,500 180

Hospital Regional Público de Alvorada Saídos X Metas
105 100 100 95 90 85 80 75 mai/12 jun/12 Meta jul/12 Saídos ago/12 QUADRI 3 83,5 83,5 83,5 83,5 84 100

Página | 14

Total Geral Hospitais do Tocantins - Pró-Saúde Saídos X Metas
8.000 7.000 6.000 5.000 4.000 3.000 2.000 1.000 0 mai/12 jun/12 Meta jul/12 Saídos ago/12 QUADRI 3 7.439 7.395 7.439 7.439 7.439 7.439 7.395

Conforme observado nas informações acima, o mês de maio apresenta importantes variações de produção para este primeiro mês do 3º quadrimestre. Embora a produção total do grupo de hospitais esteve dentro faixa de limite contratual, alguns hospitais estiveram abaixo. Destacamos como maiores motivos dessa alteração na produção, principalmente a: - Esvaziamento das ações por indefinições no encerramento do contrato entre a Pró Saúde SESAU; - Não contratação de médicos por parte da SESAU para compor as escalas faltantes; - Atraso no pagamento de produtividade médica e plantões extras; - Limitações estruturais; - Não Repactuação e reordenamento de metas e valores e, - Irregularidades no pagamento. Destacamos que todos estes pontos foram levados ao conhecimento da SESAU em tempo hábil. No consolidado geral a produção total do grupo de hospitais esteve em 99,41%, com variação média acumulada de 42,70% (Arapoema) a 196% (Regional de Porto Nacional) sendo que HGPP, Dna Regina, Infantil de Palmas, Regional de Araguaina, Pedro Afonso, Araguaçu, Alvorada e Regional de Porto, apresentaram produção superior a 100%. Miracema, Paraíso e Tia Dedé posicionaram-se dentro do limite contratual e HPDT, Guaraí, Arapoema, Dianópolis, Arraias e Gurupi não atingiu a meta. Página | 15

1.1.2 METAS QUALITATIVAS

O contrato de gerenciamento das unidades hospitalares prevê metas qualitativas de desempenho, divididas por quadrimestre. O quadro 01 abaixo exposto representa o cronograma proposto para implantação dos itens que compõem os indicadores qualitativos conforme contrato de gerenciamento firmado entre Estado do Tocantins – Secretaria de Estado da Saúde e Pro-Saúde - ABASH. O quadro 2 expõe, conforme determina o quadro1, a relação de membros constituintes de cada comissão e do Serviço de Atenção ao Usuário. Legenda para quadro 2: C: comissão constituída. I: item em fase de implantação

Página | 16

Quadro 1
INDICADORES QUALITATIVOS DE ACOMPANHAMENTO HOSPITALAR

Peso Percentual Foco do Indicador Dados Exigidos 1º Quadrim. 2º. Quadrim. 3º. Quadrim.

Constituição da Comissão de Ética: Documento com nome e função dos componentes da Comissão de Ética Comissão de Ética Funcionamento Regular da Comissão de Ética: Relatório mensal de reuniões realizadas pela Comissão de Ética

15

10

10

Constituição da Comissão de Farmácia e Terapêutica: Documento com nome e função dos componentes da Comissão de Farmácia e Terapêutica Comissão de Farmácia e Terapêutica Funcionamento Regular da Comissão de Farmácia e Terapêutica: Relatório mensal de reuniões realizadas pela Comissão de Farmácia e Terapêutica

20

10

10

Constituição da Comissão de Óbitos: Documento com nome e função dos componentes da Comissão de Óbitos Comissão de Óbitos Funcionamento Regular da Comissão de Óbitos: Informação mensal do nº de óbitos institucionais analisados e nº de óbitos maternos.

15

10

10

Constituição da Comissão de Prontuários: Documento com nome e função dos componentes da Comissão de Prontuários Comissão de Prontuários Revisão mensal de pelo menos 10% dos prontuários pela Comissão. 90% dessa amostra devem conter cópia, assinada pelo usuário, do Relatório de Alta ou Informe de Atendimento completo

15

10

10

Constituição da Comissão de Controle de Infecção Hospitalar: Documento com o nome e função dos componentes da Comissão de Controle de Infecção Hospitalar

20

Comissão de Controle de Infecção Hospitalar

Relatório mensal de análise dos indicadores (Densidade de Infecção Hospitalar em UTI PEDIÁTRICA, Densidade de Infecção Hospitalar em corrente sanguínea associada a cateter venoso central em UTI PEDIÁTRICA e Densidade de Infecção Hospitalar em corrente sanguínea associada a cateter venoso central ou cateter umbilical na UTI PEDIÁTRICA) e medidas tomadas pela Comissão de Controle de Infecção Hospitalar quando necessário.

20

20

Apresentação de documento contendo o nome e função dos componentes, estruturas e rotinas do S.A.U Serviço de Atendimento ao Usuário Resolução de 80% das queixas apresentadas ao Serviço de Atendimento ao Usuário

15

10

10

Apresentação das Autorizações de Internação Hospitalar (AIH): a porcentagem de AIH apresentadas deve corresponder a 100% ou mais em relação ao nº de saídas hospitalares do mês.

10

10

Qualidade da informação

Pontualidade no preenchimento dos dados de atividade e financeiros: o envio dos dados de atividade assistencial e financeira pela SESAU/TO deverá obedecer, rigorosamente, aos prazos definidos em contrato. Código de residência dos pacientes corretos: deverão ser informados no sistema AIH de forma correta e de acordo com o Código de Endereçamento Postal (CEP) e compatível com o código IBGE do município.

10

10

10

10

TOTAL

100

100

100

Página | 17

Quadro 2 Comissões ProntuáÓbitos SAU Qualidade da Informação CEP resiI I I I I I I I I I I I I I I I I Envio de dência dados

C.F.T.

rios CCIH

HGP de Palmas HRP de Araguaína HRP de Gurupi

C C C

C C C C C C C C C C C C C C C C C

C C C C C C C C C C C C C C C C C

C C C C C C C C C C C C C C C C C

C C C C C C C C C C C C C C C C C

C C C C C C C C C C C C C C C C C

I I I I I I I I I I I I I I I I I

AIHs

Ética

SAU

I I I I I I I I I I I I I I I I I

HM Pública Dona Regina C HRP de Paraíso HRP de Miracema HRP de Porto Nacional HRP de Guaraí HRP de Arraias HPDT Araguaína HMP Tia Dede HRP de Dianópolis HRP de Pedro Afonso HIP de Palmas HRP de Araguaçu HRP de Arapoema HRP de Alvorada C C C C C C C C C C C C C

Página | 18

SAU
Serviço de Atendimento ao Usuário

A planilha a seguir visa atender a Meta Contratual pactuada entre a Pró-Saúde e o Estado, apresentando os indicadores que se referem ao “Registro de Opinião”, onde o usuário manifesta-se através do preenchimento do formulário, descrevendo suas sugestões, reclamações e elogios, objetivando avaliar a Satisfação do usuário e tomar as providencias necessárias para maximizar a qualidade no atendimento dos usuários que procuram os nossos serviços. De acordo com os descritivos dos hospitais, apresentamos a quantidade de ocorrências registradas, elogios, sugestões e a porcentagem de tratativas resolvidas em relação às reclamações. No decorrer do mês, como resultado das ações de melhoria contínua aos serviços prestados nos hospitais atingimos um percentual de 93,29% de queixas resolvidas. Além de alcançarmos um considerável marco de 50,83% dos Registros realizados pelos usuários foram elogios às equipes. Esse indicador é muito mais do que um “alcançar de metas”, representa para nós a confirmação do trabalho sério e consciente, de buscar conhecer a opinião do usuário para melhor servi-lo e poder alcançar a qualidade dos serviços, o reconhecimento dos profissionais e satisfação do usuário.

MAPA DE REGISTROS DE OPINIÃO
HOSPITAL Hospital e Maternidade Dona Regina Hospital Geral Público de Palmas Hospital Infantil Publico de Palmas Hospita Materno-Infantil Tia Dedé Hospital Regional Público de Miracema Hospital Regional Público de Araguaína Hospital de Doenças Tropicais – Araguaina Hospital Regional Público de Arapoema QUEIXAS
3 15 1 38 5 10 6 7

SUGESTOES
0 3 3 -

ELOGIOS
2 4 29 1 5 2

QUEIXAS RESOLVIDAS
3 15 1 37 5 10 6 7 100,00% 100,00% 100,00% 97,37% 100,00% 100,00% 100,00% 100,00%

Página | 19

Hospital Regional Público de Guarai Hospital Regional Público de Paraíso Hospital Regional Público de Pedro Afonso Hospital Regional Público de Alvorada Hospital Regional Público de Araguaçu Hospital Regional Público de Arraias Hospital Regional Público de Dianopolis Hospital Regional Público de Gurupi Hospital Regional Público de Porto Nacional

3 9 2 36 10 4

18 2 2

1 3 119 7 10

3 9 2 29 8 4

100,00% 100,00% 100,00% 80,56% 80,00% 100,00%

SOMATORIA GERAL TOTAL DE REGISTROS PERCENTUAL

149

28 360

183

139

93,29%

41,39%

7,78%

50,83%

Segue abaixo análise comparativa da Satisfação por Hospital, onde podemos observar a evolução de Março a Maio/2012, nos setores Ambulatório, Internação, Pronto Socorro e SADT.

SATISFAÇÃO - SISTEMA ELETRÔNICO " PESQUISA RÁPIDA" MÉDIA GERAL AMBULATORIO HOSPITAL Hospital e Maternidade Publica Dona Regina Siqueira Campos Hospital Geral Publico de Palmas Dr. Francisco Ayres MAR 2012 78,14% ABR 2012 81,36% MAI 2012 72,14% MAR 2012 67,69% INTERNAÇÃO ABR 2012 66,41% MAI 2012 24,03% PRONTO SOCORRO MAR 2012 77,78% ABR 2012 84,64% MAI 2012 84,99% MAR 2012 78,50% SADT ABR 2012 MAI 2012 90,93%

77,12%

61,68%

72,72%

74,63%

81,49%

90,37%

84,47%

75,12%

75,41%

65,80%

81,20%

74,82%

78,40%

Página | 20

Hospital Publico Infantil de Palmas Dr. Hugo da Rocha Silva Hospital Materno Infantil Tia Dede Publico

81,33%

85,14%

84,90%

83,81%

85,77%

81,37%

74,39%

79,44%

72,06%

84,87%

87,55%

87,60%

81,23% 81,38% 62,45% 98,50% 90,05%

100,00% 96,40% 92,54% 86,77% 97,59% 90,34%

75,40% 88,57% 63,77% 92,17% 97,59% 90,26%

77,89% 89,22% 76,01% 93,18% 98,15% 91,20%

55,71% 87,80% 81,76% 92,13% 97,60% 91,97%

77,86% 93,56% 70,07% 90,33% 97,60% 78,50%

75,08% 80,64% 55,62% 76,62% 97,93% 79,61%

87,53% 85,36% 59,27% 87,53% 99,46% 83,10%

77,56% 86,83% 53,63% 83,34% 99,46% 81,90%

83,03% 79,63% 71,82% 40,00% 99,66% -

73,08% 83,87% 70,62% 82,38% 100,00% -

73,65% 85,60% 71,20% 84,98% 100,00% 83,80%

Hospital Regional Público de Miracema Hospital Regional Publico de Araguaina HPDT Hospital Publico Doenças Tropicais de

Hospital Regional Publico de Arapoema Hospital Regional Público de Guarai Hospital Regional Público de Paraíso Dr. Alfredo O. Barros Hospital Regional Público de Pedro Afonso Hospital Regional Público de Alvorada Hospital Regional Publico de Araguaçu Hospital Regional Publico de Arraias Hospital Regional Público de Dianópolis Hospital Regional Público de Gurupi Hospital Regional Público de Porto Nacional MEDIA POR PERIODOS

81,85%

84,76%

80,11%

81,11%

81,91%

75,99%

74,72%

71,27%

74,77%

84,34%

80,95%

72,65%

96,97% 83,74% 74,03% 67,15% 79,88%

94,31% 89,24% 80,00% 68,11% 87,09%

85,06% 92,33% 87,11% 68,30% 82,31%

89,79% 94,79% 90,90% 88,26% 78,00% 78,74% 82,22% 84,85%

87,24% 97,64% 90,71% 96,40% 82,44% 82,79% 87,49% 85,66%

88,91% 96,56% 91,16% 95,97% 85,20% 81,97% 88,81% 82,49%

96,07% 96,29% 92,52% 78,99% 78,93% 75,63% 97,18% 81,36%

86,96% 95,67% 81,40% 90,60% 83,84% 98,07%

85,36% 98,84% 899,70% 76,00% 81,69% 96,86%

96,83% 91,37% 83,19% 67,56% 98,37% 81,46%

88,85% 88,08% 89,87% 81,20% 97,70% 84,01%

80,87% 87,77% 93,21% 81,93% 97,33% 84,66%

84,35% 132,42%

MEDIA SETOR - TRIMESTRE MEDIA GERAL TRIMESTRES MEDIA GERAL MAIO/2012

83,10%

84,33% 87,54% 95,47%

99,38%

83,37%

PERIODO ANTERIOR AMBULATÓRIO HOSPITAL MEDIA POR PERIODOS MEDIA SETOR - TRIMESTRE MEDIA GERAL TRIMESTRES MEDIA GERAL MARÇO/2012 FEV 2012 76,52% MAR 2012 79,88% 81,16% ABR 2012 87,09% FEV 2012 86,81% INTERNAÇÃO MAR 2012 84,85% 85,77% ABR 2012 85,66% PRONTO SOCORRO FEV 2012 82,27% MAR 2012 81,36% 82,66% ABR 2012 84,35% FEV 2012 86,11% SADT MAR 2012 81,46% 83,86% ABR 2012 84,01%

83,36% 85,28%

Página | 21

Percebe-se que no decorrer do período, como resultado dos alinhamentos realizados e acompanhamento dos indicadores, os Hospitais alcançaram uma média de satisfação de 95,47%. Analisando-os em grupo percebe-se que o empenho das equipes com o trabalho realizado, assim como na busca da qualidade dos serviços foi acolhida e percebida pelo usuários nos Hospitais. 2. ANÁLISE INDIVIDUAL DOS HOSPITAIS 2.1 HOSPITAL GERAL PÚBLICO DE PALMAS 2.1.1 METAS CONTRATUAIS

2.1 – INDICADORES DE PRODUÇÃO

1.1 – Nº DE LEITOS POR ESPECIALIDADE;
1.1. Leitos por Especialidade 1.1.1. Clínica Médica 1.1.2. Clínica Pediátrica 1.1.3. Clínica Cirúrgica 1.1.4. Clínica Obstétrica 1.1.5. UTI de Adultos 1.1.6. UTI Infantil 1.1.7. UTI Neonatal 1.1.8. Berçário 1.1.9. Clínica Ortopédica 1.2.10. Outros Total de Leitos Jan 72 0 60 0 26 8 0 0 40 32 238 Fev 72 0 60 0 26 8 0 0 40 32 238 Mar 72 0 60 0 26 8 0 0 40 32 238 Abr 72 0 60 0 26 8 0 0 40 32 238 Mai 72 0 60 0 26 8 0 0 40 32 238 Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 De z 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 360 0 300 0 130 40 0 0 200 160 1190

COMENTÁRIO: Não houve alteração do Total de Leitos, conforme nosso contrato.

Página | 22

1.2 – Nº. DE INTERNAÇÕES POR ESPECIALIDADE;
1.2. Internações por Especialidade 1.2.1. Clínica Médica 1.2.2. Clínica Pediátrica 1.2.3. Clínica Cirúrgica 1.2.4. Clínica Obstétrica 1.2.5. UTI de Adultos 1.2.6. UTI Inf antil 1.2.7. UTI Neonatal 1.2.8. Berçário 1.2.9. Clínica Ortopédica 1.2.10. Outros Total de Internações por especialidade Jan 528 0 508 0 20 9 0 0 184 48 Fev 546 0 401 0 22 4 0 0 204 55 Mar 504 6 458 0 22 12 0 0 249 70 Abr 510 4 407 0 36 14 0 0 220 52 Mai 593 13 386 0 33 25 0 0 282 65 Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 2681 23 2160 0 133 64 0 0 1139 290 6490

1297 1232 1321 1243 1397

COMENTÁRIO: No mês de maio, tivemos um aumento no numero de internações, na clinica médica, devido ao inicio do período seco, aumentando as internações de idosos. Também tivemos um aumento de internações na ortopedia, mas sem um motivo especifico, embora a maioria dos casos ortopédicos, são traumas por conta de acidentes de transito.

1.3 – Nº. DE SAÍDOS POR ESPECIALIDADE
1.3. Nº. de saídos por especialidade 1.3.1. Clínica Médica 1.3.2. Clínica Pediátrica 1.3.3. Clínica Cirúrgica 1.3.4. Clínica Obstétrica 1.3.5. UTI de Adultos 1.3.6. UTI Infantil 1.3.7. UTI Neonatal 1.3.8. Berçário 1.3.9. Clínica Ortopédica 1.3.10. Outros Total de saídos por especialidade Jan 612 0 410 1 18 7 0 1 184 34 Fev 511 0 378 0 26 13 1 0 199 62 Mar 520 3 478 0 23 8 0 0 264 108 Abr 491 2 399 0 30 17 0 0 219 78 Mai 575 2 416 0 17 26 0 0 271 67 Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 2709 7 2081 1 114 71 1 1 1137 349 6471

1267 1190 1404 1236 1374

COMENTÁRIO: Como tivemos maior numero de internações, consequentemente tivemos um maior numero de saídos.

Página | 23

1.4 – PERCENTUAL DE OCUPAÇÃO POR CLÍNICA;
1.4. Porcentage m de Ocupação 1.4.1. Clínica Médica 1.4.2. Clínica Pediátrica 1.4.3. Clínica Cirúrgica 1.4.4. Clínica Obstétrica 1.4.5. UTI de Adultos 1.4.6. UTI Infantil 1.4.7. UTI Neonatal 1.4.8. Outros (Berçário) 1.4.9. Clínica Ortopédica 1.4.10. Outros Porcentagem Geral de Ocupação Jan 77% 0% Fe v Mar Abr 76% 0% Mai 68% 0% Jun 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Jul 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Ago 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Set 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Out 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Nov 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Dez 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% TOTAL 413% 0% 462% 0% 416% 436% 0% 0% 446% 315% 76% 116% 0% 0% 59% 0% 80% 93% 0% 0% 92% 71% 87%

101% 102% 0% 82% 84% 0% 0% 78% 60% 83% 0% 88% 81% 0% 0% 87% 66% 85%

98% 103% 0% 81% 97% 0% 0% 92% 58% 84% 0% 86% 81% 0% 0% 96% 60% 84%

COMENTÁRIO: O percentual de ocupação, no geral se matem estável, porem algumas vezes a clinica médica e clinica cirúrgica, ultrapassam os 100%, conforme demanda.

1.5 – MÉDIA DE PERMANÊNCIA;
1.5. Média de Perm anência 1.5.1. Clínica Médica 1.5.2. Clínica Pediátrica 1.5.3. Clínica Cirúrgica 1.5.4. Clínica Obstétrica 1.5.5. UTI de Adultos 1.5.6. UTI Infantil 1.5.7. Uti Neonatal 1.5.8. Outros 1.5.9. Clínica Ortopédica 1.5.10. Outros Média Geral de Permanência Jan 2,82 0 4,57 0 Fev 3,12 0 4,68 0 Mar 4,97 0 2,29 0 Abr 3,35 0 4,4 0 20,9 13,7 0 0 5,03 8,04 4,68 Mai 2,63 0 4,6 0 40,6 7,77 0 0 4,41 11,2 4,34 Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 16,8839 0 20,5367 0 151,603 94,5368 0 0 24,1288 57,2409

36,61 25,38 28,09 29,86 14,38 28,88 0 0 5,28 0 0 5,08 0 0 4,33 9,26 4,44

17,31 11,40 4,65 4,77

COMENTÁRIO: A média de permanência, mantem-se estável, porem tivemos variações expressivas na média das UTI´s, sendo uma diminuição na UTI pediátrica, devido a contratação de médicos externos, e um aumento na UTI adulto.

Página | 24

1.6 – VOLUME CIRURGICO
1.6. Volum e Cirúrgico 1.6.1. Cirurgias de Urgência 1.6.2. Cirurgias Eletivas Média Geral de Cirurgias Jan 282 438 720 Fev 262 519 781 Mar 326 553 879 Abr 312 483 795 Mai 358 522 880 Jun 0 0 0 Jul 0 0 0 Ago 0 0 0 Set 0 0 0 Out 0 0 0 Nov 0 0 0 Dez 0 0 0 TOTAL 1540 2515 4055

COMENTÁRIO: Superamos a média de 800, procedimentos cirúrgicos, este aumento esta relacionado ao aumento de cirurgias ortopédicas, conforme visto no aumento de internações da especialidade.
1.6.3 – Nº DE CIRURGIAS POR PORTE;
1.6.3. Núm ero de Cirurgias por Porte 1.6.3.1. Cirurgias Grandes 1.6.3.2. Cirurgias Médias 1.6.3.3. Cirurgias Pequenas 1.6.3.4. Curetagens 1.6.3.5. Cesáreas Média Geral de Cirurgias por Porte Jan 113 337 270 0 0 720 Fev 135 327 319 0 0 781 Mar 157 299 423 0 0 879 Abr 143 327 325 0 0 795 Mai 147 313 420 0 0 880 Jun 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 TOTAL 695 1603 1757 0 0 4055

COMENTÁRIO: Ouve um aumento considerável nas cirurgias de pequeno porte em relação a média.
1.6.4 – Nº. DE PARTOS POR TIPO
1.6.4. Núm ero de partos por tipo 1.6.4.1. Normal 1.6.4.2. Cesariana 1.6.3.3. Outros Jan 0 0 0 Fev 0 0 0 Mar 0 0 0 Abr 0 0 0 Mai 0 0 0 Jun 0 0 0 Jul 0 0 0 Ago 0 0 0 Set 0 0 0 Out 0 0 0 Nov 0 0 0 Dez 0 0 0 TOTAL 0 0 0

COMENTÁRIO: Não realizamos partos no HGPP, somente em caso de extrema urgência, que não seja possível encaminhar para o Hospital Dona Regina.

Página | 25

1.7 – SADT’S
1.7. SADT 1.7.1. Laboratório Clínico 1.7.2. Anatomia Patológica 1.7.3. Radiologia 1.7.4. Eletrocardiografia 1.7.5. Fisioterapia (Sessões) 1.7.6. Hemodiálise(Sessões) 1.7.7. Hemodinâmica 1.7.8. Hemoterapia 1.7.9. Endoscopia 1.7.10. Ultrassonografia 1.7.11 Tomografia Computadorizada 1.7.12 Ressonancia Magnética 1.7.13 Mamografia 1.7.14 Citopatologia 1.7.15 Eletroencefalografia 1.7.16 Teste do Pézinho 1.7.17 Diversos 1.7.18 Teste Ergométrico Total Jan 37.091 932 5.434 49 4.836 2.334 96 848 66 495 737 222 0 0 0 0 2.736 0 55876 Fev 36.188 915 4.639 340 4.885 2.268 108 721 90 510 558 352 0 0 0 0 3.109 0 54683 Mar 41.790 978 5.360 333 5.794 2.431 145 728 95 458 730 415 0 0 0 0 3.223 0 62480 Abr 42.210 1.250 5.762 309 4.856 2.246 131 898 69 549 906 294 17 0 0 0 3.438 0 62935 Mai 40.807 915 5.141 0 6.260 2.430 151 543 139 587 1.057 354 26 0 0 0 3.074 0 61484 Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 198086 4990 26336 1031 26631 11709 631 3738 459 2599 3988 1637 43 0 0 0 15580 0 297458

COMENTÁRIO: As variações não são expressivas visto que o numero de pessoas atendidas Hospital, mantem uma constante, somente aumentando devido ao maior numero de atendimentos.
1.8 – AMB ULATÓRIO

1.8. Ambulatório 1.8.1. Consultas 1.8.2. Consultas com Procedimentos 1.8.3. Procedimentos 1.8.4. Procedimentos Cirúrgicos Total

Jan

Fev

Mar

Abr

Mai

Jun 0 0 0 0 0

Jul 0 0 0 0 0

Ago 0 0 0 0 0

Set 0 0 0 0 0

Out 0 0 0 0 0

Nov 0 0 0 0 0

Dez 0 0 0 0 0

TOTAL 17195 0 0 0 17195

3.027 3.080 3.834 3413 3.841 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

3027 3080 3834 3413 3841

COMENTÁRIO: O Ambulatório, só identifica consultas, não classificas em procedimentos e não realiza procedimentos cirúrgicos.

Página | 26

1.9 – ATENDIMENTOS DE URGÊNCIA/EMER GÊNCIA
1.9. Urgência/Emergência 1.9.1. Consultas 1.9.2. Consultas com Procedimentos 1.9.3. Procedimentos 1.9.4. Procedimentos Cirúrgicos Total Jan Fev Mar Abr Mai Jun 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 TOTAL 15658 0 0 0 15658

3.060 3.027 3.195 3.193 3.183 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

3060 3027 3195 3193 3183

COMENTÁRIO: O P.S., não identifica os procedimentos, somente registra o numero de pessoas atendidas.
1.10 – RECURSOS HUMANOS
1.10. Recursos Humanos 1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total 162 729 104 21 218 1234 Janeiro
S e s a u P ró 3º

Fevereiro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Março
T o t a l S e s a u P ró 3º T o t a l S e s a u P ró

Abril
3º T o tal

158 175 35 274 8 650

0 0 58 10 0

320 904 197 305 226

162 729 104 21 218

146 178 37 340 12 713

0 0 59 10 2

308 907 200 371 232

161 725 103 22 220

150 175 37 335 11 708

0 0 60 10 3

311 900 200 367 234

159 722 98 22 222

161 177 37 320 10 705

0 0 59 10 4

320 899 194 352 236

68 1952 1234

71 2018 1231

73 2012 1223

73 2001

1.10. Recursos Humanos
S e s a u P ró

Maio

Junho
T o t a l S e s a u P ró 3º

Julho
T o t a l S e s a u P ró 3º

Agosto
T o t a l S e s a u P ró 3º T o tal

1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total

173 721 98 22 222 1236

151 172 36 314 10 683

0 0 59 10 4

324 893 193 346 236

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

73 1992

1.10. Recursos Humanos 1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total 0 0 0 0 0 0

Setem bro
S e s a u P ró 3º

Outubro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Novem bro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Dezem bro
T o t a l S e s a u P ró 3º T o tal

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

Página | 27

1.11 – NEP

Podemos observar uma queda nas horas de treinamento realizadas no mês de maio. Alguns treinamentos foram desmarcados, devido ao momento ao momento que estamos vivendo entre o Governo e a Pró Saúde. DADOS QUANTITATIVOS
S DDDTATIVO DADOS QUALITATIVOS CURSO NÚMERO DE PARTICIPANTES 12 48 7 5 45 78 39 8 19 67 23 CARGA HORÁRIA 02:00:00 02:30:00 05:00:00 01:00:00 08:00:00 05:00:00 02:00:00 02:00:00 01:30:00 04:00:00 02:00:00 TOTAL DE HORAS 24:00:00 120:00:00 35:00:00 5:00:00 360:00:00 390:00:00 78:00:00 16:00:00 28:30:00 268:00:00 46:00:00

Motivação Aparelho de assistência ventilatória Integração Institucional Integração Admissional SHL Gestão por Processos Palestra - Saúde Bucal Transplantes Treinamento Ventilador Intermed Alinhamento de Processos Integração Acadêmicos Transplantes e Doação

TOTAL
TOTAL DE HORAS NÚMERO TOTAL DE COLABORADORES DO HOSPITAL HORAS/HOMEM

351
1370:30:00 1903 0:43:13

35:00:00

1370:30:00

Página | 28

60:00:00 48:00:00 36:00:00 24:00:00 12:00:00 0:00:00

JAN FEV MAR ABR MAI

DADOS QUALITATIVOS

Integração de novos colaboradores; Preparação da logística do auditório para reuniões, aulas, eventos; Organização do setor (estruturação da biblioteca e controle eletrônico do acervo); Recebimento da frequência dos Internos de medicina; Entrega de tickets alimentação aos Internos de medicina e residentes; Recebimento e encaminhamento de pesquisas para a DGES; Controle de empréstimos e devoluções de livros da biblioteca; Recebimento da frequência dos Internos de medicina; Entrega de tickets alimentação aos residentes; Controle de documentos de estagiários (Termos de Compromissos e Escalas);
1.12 – LOGÍSTIC A

1.13. Estoque
1 3.1 Esto que em dias de co nsumo - M at/med 30 dias .1 .

Jan 44 44,5

Fev 23,7 23,7

Mar 42,0 42,0

Abr 55,1 55,1

Mai 36,6 36,6

Jun 0,0 0,0

Jul 0,0 0,0

Ago 0,0 0,0

Set 0,0 0,0

Out 0,0 0,0

Nov 0,0 0,0

Dez 0,0 0,0

TOTAL 201,9 201,9

Total

COMENTÁRIO: Apesar de termos em relação ao valor total, estoque para 36 dias, temos falta de itens de maior consumo, a redução de abril para maio do estoque, faz parte da orientação da Pró Saúde, devido ao atual momento em que estamos vivendo na relação do contrato com o Estado.

Página | 29

1.13 – CORPO C LÍNIC O

Visita diária pelo Diretor técnico aos setores, com envio de relatório a direção e consultoria médica; Novo coordenador médico para o C.C., sendo nomeado para tal função Dr. Tomé; Cobrança constante quanto ao correto preenchimento de AIH´s.

2 - SAU

1. Registros de Opinião:
Ocorrências Reclamações Sugestões Elogios Total de Questionários Queixas resolvidas Meta Contratual Meta Realizada 15 00 04 19 15 80% 100% Março 2012

Observamos que houve uma numero baixo de reclamações, mas todas foram solucionadas e com satisfação quando ao retorno ao usuário, em todos os setores em que encaminhamos as demandas fomos muito bem recebidos e com o respeito pelo setor de ouvidoria, tratamos também as demandas com a responsabilidade e sigilo necessário.

Página | 30

2. Índices de Satisfação:

Hospital Geral Público de Palmas
100,000 90,000 80,000 70,000 60,000 50,000 40,000 30,000 20,000 10,000 ,000 -10,000 1900ral 74,630 65,800 78,400

AMBULATORI O (%) 63,000 72,720 74,630 18,460%

INTERNAÇÃO (%) 81,590 1900ral 1900ral 3,530%

PRONTO SOCORRO (%) 1900ral 1900ral 65,800 -12,407%

SADT (%) 81,200 78,820 78,400 -3,448%

Março/2012 Abril/2012 Maio/2012 Evolução do Período

Analisando o resultado das pesquisas no gráfico acima, podemos ver a que o ambulatório teve um leve aumento na satisfação, mas percebemos que ainda temos muita insatisfação quanto ao tempo de espera no atendimento e a limpeza do setor, comunicamos ao coordenador do setor e mostramos a pesquisa do mês de maio, para que possa analisar e propor mudanças para obtermos um melhor resultado nas pesquisas. Com relação à internação, considerando que o setor esse mês demonstrou uma leve queda na satisfação, nas pesquisas observamos que essa queda deve-se à limpeza do setor que vem deixando a desejar nos últimos meses. O pronto socorro esse mês teve uma baixa relativa comparando aos últimos meses, isso devese à instalação física, à limpeza e organização e ao tempo de espera no atendimento médico, mas verificamos também uma percentagem muito satisfatória quanto ao atendimento da recepção que vem melhorando a cada mês. O SADT/EXAMES esse mês teve uma leve queda, observamos que as respostas dos nossos usuários estão cada dia menos satisfatória com relação a este setor até a presente data consegui-

Página | 31

mos identificar que a limpeza, o tempo de espera no atendimento, o atendimento técnico e médico e as instalações físicas foram os itens que estão com maior índice de insatisfação.

3 – GERENCIAMENTO DE PROCESSOS
Neste período a Qualidade juntamente com a Diretoria de Apoio deram continuidade aos treinamentos de mapeando dos processos de serviços de apoio, ferramenta SIPOC – (Suppliers, Input, Process, Output, Customers) - (Fornecedores, Entradas, Processos, Saídas, Clientes), este mapeamento auxilia na consolidação e tradução dos processos em Instruções de Trabalho, Procedimentos de Gestão, Fluxogramas e Cronogramas; Na Higienização tivemos a redução significativa no quadro de pessoal, isso está provocando várias dificuldades nos setores onde implantamos cronogramas de limpeza terminal e as concorrentes estão sendo feitas com dificuldades. A Portaria também sofre com número reduzidos de colaboradores e com muitas faltas devido as incertezas do contrato de gestão entre SESAU e Pró-Saúde; A empresa contratada para realizar manutenção preventiva e corretiva no sistema de ar condicionado realizou investimento no Chiller York e solucionando o problema parcialmente, este investimento deveria ter sido realizado pela SESAU conforme contrato de gestão; Na Engenharia Clínica recebeu da SESAU neste mês 10 respiradores da marca Intermed/Inter 7, estes foram revisados, validados e distribuídos pela EC para UTI do HGPP. Abaixo segue a estatística de manutenções do mês:

Página | 32

Balanço Quantitativo das Manutenções Corretivas Maio/2012
MC's Abertas no Mês MC's Fechadas dentre as Abertas no Mês MC's Fechadas de Meses Anteriores Total MC's Fechadas no Mês

1900ral 1900ral 1900ral 1900ral 1900ral 1900ral 1900ral 1900ral

1900ral 1900ral

1900ral

1900ral

1900ral

Página | 33

Manutenções Corretivas Internas X Externas
MC's Fechadas Internamente MC's Fechadas Externamente

1900ral 1900ral 1900ral 1900ral 1900ral 1900ral 1900ral 1900ral

1900ral

1900ral

Acompanhamento das Comissões Obrigatórias (CCIH, Revisão de Prontuários, Revisão de Óbitos, Farmácia e Terapêutica, Comissão de Ética Médica) e outras comissões (Ética de Enfermagem, CIPA); Acompanhamento do Plano de ação para melhoria do fluxo do Prontuário, estatística, e Arquivo; Implantação de Rotinas e Instruções de Trabalho dos Serviços de Limpeza e Higienização; Implantação de Rotinas e Instruções de Trabalho do Serviço de Nutrição e Dietética; Implantação de Rotinas e Instruções de Trabalho de Manutenção Preventiva e Corretiva; Acompanhamento e Monitoramento das Rotinas e Trabalhos do Serviço de Engenharia Clínica; Acompanhamento das Rotinas e Instruções de Trabalho do Serviço de Logística e Suprimentos e adequação a nova politica de suprimentos; Acompanhamento das Rotinas e Instruções de Trabalho Serviço de Atenção ao Usuário; Implantação de Rotinas e Instruções de Trabalho do Serviço de Nutrição e Dietética; Página | 34

Acompanhamento dos trabalhos do PID – Programa de Internação Domiciliar; Participação de 49 setores, no curso de gestão por processo; Mapeamento de 53 Setores com Macroprocessos Críticos e Fluxos; Implementação de 135 indicadores de Qualidade; Consolidação do NEP (LNT Levantamento de Necessidades de Treinamento, e aplicação de treinamentos como rotina);

4 – FATURAMENTO
4.1 - AIH (Quantitativo) 4.2 - Valores (em reais) 1217 1404 1379 1467 1444 0 0,0 0 0,0 0 0,0 0 0,0 0 0,0 0 0,0 0 6911

1913773,4 2085278,1 2258747,1 2370968,1 2.327.700,2

0,0 10956467,0

COMENTÁRIO: O aumento das AIH (quantitativo), seu deu em função do quadro estar completo, e ao fato de existirem em torno de 2.500 AIH, atrasadas, anteriores ao Contrato da Pró-Saúde, as quais estamos recuperando gradativamente.

6 – OBRAS E IMPLANTAÇÃO DE NOVOS SERVIÇOS
Não houve obras e implantação de Novos Serviços.

7 – EQUIPAMENTOS NOVOS
Não houve compra de novas equipamentos.

Página | 35

8 – COMISSÕES
CONTROLE DE REUNIÕES DAS COMISSÕES DO HGPP
CENTRAL DE COMISSÕES

COMISSÕES/ COMITÊ

PRESIDENTE

REUNIÃO/ABRIL

JUSTIFICATIVAS

Comitê Médica

de

Ética Dra. veira

Jussara

de 21/05/2012

reunião foi realizada A conforme cronograma anual. reunião foi realizada A conforme cronograma anual. As reuniões aconteceram em conformidade com cronograma anual.

Souza Martins Oli-

Comitê de Revisão Dra. Maria Dolores 10/05/2012 de óbito são de Prontuários Comissão de Controle de Infecção Dra. Loiziana BarHospitalar - CCIH bosa Barcelos Miranda Comissão de Far- Dr. Atil José de Sou- 09/05/12 mácia e Terapêuti- za ca Neife Galhardo da Silva 25/05/2012 Comissão de Revi- Dr. Álvaro Ferreira 07,13,21 e 28/05

A reunião aconteceu em conformidade com cronograma anual. reunião foi realizada A conforme cronograma anual.

9 – OUTRAS INFORMAÇÕES
- INTERAÇÃO COM A COMUNIDADE 09 Reuniões com acompanhantes;

Página | 36

8 Missas e cultos; 05 Oficinas de Artesanatos; 26 Visitas Programa do Idoso - Diário; 146 Visitas aos Leitos por Voluntários; 90 Visitas aos Leitos Semente do Verbo; Ouvidoria – 06; 06 Escutas Ativas; 04 Brinquedos doados; Participação em reuniões interna e externa; Unção nos leitos 2; Integração de 23 novos servidores. 06 atendimentos na brinquedoteca; Reunião com Direção de Enfermagem. Participação da equipe de gerenciamento de leitos. Realizada apresentação de nova dinâmica na distribuição dos leitos no hospital. Conversado sobre funcionários da pró-saúde, que não poderão realizar mais extras;
iReunião

com encarregados da limpeza e orientado realizar limpeza concorrente duas vezes ao dia

e limpeza terminal de todos os leitos. Finalizada limpeza terminal dos leitos. Mantidas condutas preventivas; Ginastica Laboral;

Comemoração dias das Mães, com desfile;

Página | 37

PID Realização do treinamento para cuidadores, desenvolvido pelas Fisioterapeutas, com tema “Ambiente Saudável”; Visitas domiciliares de rotinas de acordo com a avaliação da equipe; Admissão de 08 pacientes; Alta para 09 pacientes; Recebimento da Visita dos Administradores Hospitalares Marcio e Solange, referente ao concurso da FBAH, onde o PID, recebeu a premiação do terceiro lugar; Suspenso temporariamente o treinamento curso para os colaboradores; Atendimento de Fisioterapia segunda a segunda no programa; Curso da Qualidade, gestão de processos com aula demonstrativa de criação das IT´s; Atendimento semanal das Fonos aos pacientes do PID; Elaboração de novas IT´s, em andamentos.

Página | 38

PALAVRA DO DIRETOR GERAL DO HOSPITAL
Continuamos ao meu ver passando por inúmeras dificuldades, entre elas gostaria de ressaltar novamente, que a nova formatação do organograma definida pelo atual Diretor Geral, vem de certa forma excluído a equipe de diretores da Pró-Saúde, não somos convidados a participar nas reuniões e muito menos nas tomadas de decisões. Continuamos tendo grande dificuldade com a atual situação financeira, estamos tendo muitas dificuldades no comercio local, dificultando assim a compra de inúmeros itens, como exemplo, uma lâmpada, tomada, coisas pequenas, mas sempre de suma importância para que o dia a dia transcorra de forma tranquila. Apesar de já termos sido notificado a respeito do distrato, ainda não temos uma definição clara, para a situação atual do HGPP, dentro do Contrato de Gerenciamento, o que também dificulta as tomadas de decisões. Outro fato, são as inúmeras dificuldades, para conclusão dos mais diversos processos, onde não estamos mais realizando uma simples contratação de um auxiliar de limpeza e ainda já demitimos os que estavam em experiência, a uma aquisição de material para manutenções do dia a dia. Sendo assim, nossas maiores dificuldades, são a falta de definições por parte do estado e falta do recurso financeiro.

Página | 39

2.2 HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE ARAGUAÍNA 2.2.1 METAS CONTRATUAIS

2.1 – INDICADORES DE PRODUÇÃO

2.1.1 – Nº DE LEITOS POR ESPECIALIDADE;
1.1. Leitos por Especialidade 1.1.1. Clínica Médica 1.1.2. Clínica Pediátrica 1.1.3. Clínica Cirúrgica 1.1.4. Clínica Obstétrica 1.1.5. UTI de Adultos 1.1.6. UTI Inf antil 1.1.7. UTI Neonatal 1.1.8. Berçário 1.1.9. Clínica Ortopédica 1.2.10. Outros Total de Leitos Jan 59 0 82 0 19 1 0 0 28 22 211 Fev 59 0 82 0 19 1 0 0 28 22 211 Mar 59 0 88 0 19 1 0 0 28 22 217 Abr 59 0 88 0 19 1 0 0 28 22 217 Mai 59 0 88 0 19 1 0 0 28 22 217 Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 295 0 428 0 95 5 0 0 140 110 1073

COMENTÁRIO: Em março/2012 foi realizada reforma na Quimioterapia e construídos 6 leitos novos. O que possibilitou a liberação mais 8 leitos para cirurgia eletiva.

2.1.2 – Nº. DE INTERNAÇÕES POR ESPECIALIDADE;
1.2. Internações por Especialidade 1.2.1. Clínica Médica 1.2.2. Clínica Pediátrica 1.2.3. Clínica Cirúrgica 1.2.4. Clínica Obstétrica 1.2.5. UTI de Adultos 1.2.6. UTI Infantil 1.2.7. UTI Neonatal 1.2.8. Berçário 1.2.9. Clínica Ortopédica 1.2.10. Outros Total de Internações por especialidade Jan 398 0 236 0 67 0 0 0 137 35 873 Fev 388 0 224 0 83 0 0 0 134 69 898 Mar 421 0 283 0 78 0 0 0 139 58 979 Abr 463 1 247 0 51 0 0 0 146 65 973 Mai 424 0 245 0 87 0 0 0 159 75 990 Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 2094 1 1235 0 366 0 0 0 715 302 4713

COMENTÁRIO: O número de Internações vem crescendo, tendo como reflexo do gerenciamento de leitos realizado no HRPA, onde os leitos fora divididos em Clínicos e Cirúrgicos, evitando o loteamento dos leitos que

Página | 40

impedia muitas internações. Houve um aumento de 22% em relação ao mesmo período do ano de 2011, de 3870 para 4713 internações em 2012.

2.1.3 – Nº. DE SAÍDOS POR ESPECIALIDADE
1.3. Nº. de saídos por especialidade 1.3.1. Clínica Médica 1.3.2. Clínica Pediátrica 1.3.3. Clínica Cirúrgica 1.3.4. Clínica Obstétrica 1.3.5. UTI de Adultos 1.3.6. UTI Infantil 1.3.7. UTI Neonatal 1.3.8. Berçário 1.3.9. Clínica Ortopédica 1.3.10. Outros Total de Internações por especialidade Jan 336 0 234 0 70 0 0 0 128 63 831 Fev 376 0 278 0 84 0 0 0 108 50 Mar 454 0 307 0 81 0 0 0 121 51 Abr 487 0 230 0 60 0 0 0 131 65 973 Mai 416 0 323 0 62 0 0 0 127 50 978 Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 2069 0 1372 0 357 0 0 0 615 279 4692

896 1014

COMENTÁRIO: Tendência de crescimento do número de saídos sendo reflexo do gerenciamento de leitos realizado no HRPA, melhoria dos processos de realização de exames e obtenção dos resultados, definição dos tempos para pareceres, onde superamos as metas contratuais para o quadrimestre. Houve um aumento de 23 % em relação ao mesmo período de 2011, passando de 3817 para 4692 saídos para 2012.

2.1.4 – PERCENTUAL DE OCUPAÇÃO POR CLÍNICA;
1.4. Porcentagem de Ocupação 1.4.1. Clínica Médica 1.4.2. Clínica Pediátrica 1.4.3. Clínica Cirúrgica 1.4.4. Clínica Obstétrica 1.4.5. UTI de Adultos 1.4.6. UTI Infantil 1.4.7. UTI Neonatal 1.4.8. Outros (Berçário) 1.4.9. Clínica Ortopédica 1.4.10. Outros Porcentagem Geral de Ocupação Jan 76% 0% 94% 0% 92% 0% 0% 0% 64% 66% Fev 80% 0% 98% 0% 89% 0% 0% 0% 99% 79% Mar 81% 0% 95% 0% 81% 0% 0% 0% 93% 92% Abr 0% 0% 97% 0% 93% 0% 0% 0% 97% 91% Mai 0% 0% 96% 0% 93% 0% 0% 0% 97% 94% Jun 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Jul 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Ago 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Set 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Out 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Nov 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Dez 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% TOTAL 236% 0% 480% 0% 448% 0% 0% 0% 451% 422%

COMENTÁRIO: Com a melhor tratativa em relação à distribuição dos pacientes no HRPA a tendência de melhoria

Página | 41

da taxa de ocupação é muito positiva, estamos operando mais e internando mais pacientes reflexo nas taxas de ocupação todas acima de 93%.

2.1.5 – MÉDIA DE PERMANÊNCIA;

1.5. Média de Perm anência 1.5.1. Clínica Médica 1.5.2. Clínica Pediátrica 1.5.3. Clínica Cirúrgica 1.5.4. Clínica Obstétrica 1.5.5. UTI de Adultos 1.5.6. UTI Infantil 1.5.7. Uti Neonatal 1.5.8. Outros 1.5.9. Clínica Ortopédica 1.5.10. Outros Média Geral de Permanência

Jan 4,97 0 9,61 0 4,07 0 0 0 4,19 8,16 6,32

Fev 4,35 0 7,9 0 3,07 0 0 0 7,19 11,4 6,07

Mar 3,91 0 7,36 0 3,1 0 0 0 6,46 13,9 6,94

Abr 4,23 0 7.40 0 4,01 0 0 0 7,1 12,4 7,01

Mai 5,32 0 8,3 0 4,03 0 0 0 7,3 12,9 7,53

Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

TOTAL 22,78 0 33,17 0 18,28 0 0 0 32,24 58,83

COMENTÁRIO: Todo processo de Gerenciamento de Leitos reflete muito positivamente na diminuição da media de permanência e isto se deve pelo aumento da rotatividade dos pacientes, aumento do numero de saídos e melhoria dos processos internos. No Mês de maio houve um aumento pouco expressivo da taxa de permanência devido ao perfil dos pacientes internados e algumas ações de infecção que requerem maior tempo de internação.

2.1.6 – VOLUME CIRURGICO
2.1.6.1 – Nº de Cirurgias de Urgência; 2.1.6.2 – Nº de Cirurgias eletivas;

1.6. Volum e Cirúrgico 1.6.1. Cirurgias de Urgência 1.6.2. Cirurgias Eletivas Média Geral de Cirurgias

Jan 258 187 445

Fev 246 183 429

Mar 251 191 442

Abr 268 184 452

Mai 268 196 464

Jun 0 0 0

Jul 0 0 0

Ago 0 0 0

Set 0 0 0

Out 0 0 0

Nov 0 0 0

Dez 0 0 0

TOTAL 1291 941 2232

COMENTÁRIO: Aumento do número de cirurgias se deve ao processo de gerenciamento de leitos, à reorganização do P.S e a redistribuição dos leitos do HRPA em Clínicos e Cirúrgicos, estamos ainda instituindo o sábado como dia cirúrgico. Apresenta-se um aumento de 15% do número de cirurgias em relação ao mesmo período de Página | 42

2011passando de 1951 para 2232 cirurgias em 2012. Nota-se ainda uma aumento de 16% nas Cirurgias Eletivas em relação ao mesmo período de 2011 de 810 para 941 cirurgias eletivas em 2012.

2.1.6.3 – Nº DE CIRURGIAS POR PORTE;

1.6.3. Núm ero de Cirurgias por Porte 1.6.3.1. Cirurgias Grandes 1.6.3.2. Cirurgias Médias 1.6.3.3. Cirurgias Pequenas 1.6.3.4. Curetagens 1.6.3.5. Cesáreas Média Geral de Cirurgias por Porte

Jan 169 165 111 0 0 445

Fev 185 127 117 0 0 429

Mar 181 165 96 0 0 442

Abr 180 169 103 0 0 452

Mai 185 173 106 0 0 464

Jun 0 0 0 0 0 0

Jul 0 0 0 0 0 0

Ago 0 0 0 0 0 0

Set 0 0 0 0 0 0

Out 0 0 0 0 0 0

Nov 0 0 0 0 0 0

Dez 0 0 0 0 0 0

TOTAL 900 799 533 0 0 2232

COMENTÁRIO: Observa-se que as quantidades de cirurgias por portes são bem distribuídas e mantiveram um padrão em relação aos meses anteriores.
2.1.6.4 – Nº. DE PARTOS POR TIPO
1.6.3. Núm ero de Partos 1.6.3.1. Normal 1.6.3.2. Cesáreas 1.6.3.3. Outros Média Geral de Partos Jan 0 0 0 0 Fev 0 0 0 0 Mar 0 0 0 0 Abr 0 0 0 0 Mai 0 0 0 0 Jun 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 TOTAL 0 0 0 0

Página | 43

2.1.7 – SADT’S

1.7. SADT 1.7.1. Laboratório Clínico 1.7.2. Anatomia Patológica 1.7.3. Radiologia 1.7.4. Eletrocardiografia 1.7.5. Fisioterapia (Sessões) 1.7.6. Hemodiálise(Sessões) 1.7.7. Hemodinâmica 1.7.8. Hemoterapia 1.7.9. Endoscopia 1.7.10. Ultrassonografia 1.7.11 Tomografia Computadorizada 1.7.12 Ressonancia Magnética 1.7.13 Mamografia 1.7.14 Citopatologia 1.7.15 Eletroencefalografia 1.7.16 Teste do Pézinho 1.7.17 Diversos 1.7.18 Teste Ergométrico 1.7.19 Outros (Eco, Fono, Psicologia) Total

Jan

Fev

Mar

Abr

Mai

Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

TOTAL 131762 2909 24707 6059 14119 222 0 0 202 1718 6050 578 1998 986 0 0 0 0 9587 200897

25801 23826 28676 27000 26459 461 3441 1152 2657 41 0 0 71 250 957 119 435 187 0 0 0 0 1913 968 3199 1091 2886 44 0 0 79 353 1157 108 368 208 0 0 0 0 1653 1094 6041 1350 2800 54 0 0 6 362 1066 130 379 205 0 0 0 0 1993 239 6065 1182 2942 39 0 0 22 354 1356 131 347 239 0 0 0 0 2021 147 5961 1284 2834 44 0 0 24 399 1514 90 469 147 0 0 0 0 2007

37485 35940 44156 41937 41379

COMENTÁRIO: Houve um aumento de 28% em relação ao mesmo período de 2011, passando de 157.432 para 200.897 mil exames em 2012.
2.1.8 – AMB ULATÓRIO
1.8. Ambulatório 1.8.1. Consultas 1.8.2. Consultas com Procedimentos 1.8.3. Procedimentos 1.8.4. Procedimentos Cirúrgicos Total Jan Fev Mar Abr Mai Jun 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 TOTAL 9910 0 0 0 9910

1713 1544 2177 1728 2748 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

1713 1544 2177 1728 2748

COMENTÁRIO: Nota-se um aumento expressivo na quantidade de consultas. O número de atendimento no Ambulatório aumentou 10% passando de 9.032 consultas para 9910 relação ao mesmo período de 2011.

Página | 44

2.1.9 – ATENDIMENTOS DE URGÊNCIA/EMERGÊNCIA
1.9.1. Consultas 1.9.2. Consultas com Procedimentos 1.9.3. Procedimentos 1.9.4. Procedimentos Cirúrgicos Total 4879 4708 5343 5244 5708 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 10952 0 0 0 25882

4879 4708 5343 5244 5708

COMENTÁRIO: Aumento é reflexo do processo de gestão de leitos e a organização das rotinas do P.S diminuindo o tempo de permanência. Houve um aumento de 50% em relação ao 1° quadrimestre de 2011, passando de 17.148 para 25.882 atendimentos de urgência.
2.1.10 – NEP

FORMULÁRIO RELATÓRIO MENSAL
Código: F.HRPA.NEP.011 Data elaboração:23/04/2012 Revisão: 02 Data revisão:28/05/ 2012 Nº página: 1/1

Maio/2012 NÚMERO DE PARTICIPANTES CAR GA HORÁRIA TOTAL DE HORAS/HO MEM
ME SE S CARGA HORÁRIA TOTAL

CURSO

RESPIRADOR SEGURO - S MAQUETE 28 CUIDADOS COM A PELE E UTILIZAÇÃO DAS COBERTURAS DECURATIVOS EVIDÊNCIA ÁREA LIMPA E ÁREA SUJA (sacos para coleta e roupa limpa) FIXAÇÃO SEGURA 3M COBERTURA DE CURATIVOS ANOTAÇÃO DE ENFERMAGEM ANOTAÇÃO DE ENFERMAGEM ANOTAÇÃO DE ENFERMAGEM UNITARIZAÇÃO DE MEDICAMENTOS 15 18 18 20 22 31 13 18

00:50 :00 01:30 :00 02:15 :00 01:00 :00 03:00 :00 01:30 :00 01:30 :00 01:30 :00 02:00

23:20:00 22:30:00 40:30:00 18:00:00 60:00:00 33:00:00 46:30:00 19:30:00 36:00:00

INFORMAÇÕES PARA O GRÁFICO

JA N FE V MA R AB R MA I JU N JU L AG

19:00 :00 70:00 :00 98:31 :00 195:0 0:00 51:35 :00

Página | 45

ANOTAÇÃO DE ENFERMAGEM GERENCIAMENTO DE PROCESSOS ANOTAÇÃO DE ENFERMAGEM ANOTAÇÃO DE ENFERMAGEM PROCESSOS DE ACIDENTE PARA MEMBROS DA CIPA PROCESSOS DE ACIDENTE PARA MEMBROS DA CIPA PROCESSOS DE ACIDENTE PARA MEMBROS DA CIPA PROCESSOS DE ACIDENTE PARA MEMBROS DA CIPA PROCESSOS DE ACIDENTE PARA MEMBROS DA CIPA SEGURANÇA DO PASCIENTE:COMPROMETIMENTO COM A VIDA ÉTICA E COMUNICAÇÃO EFETIVA NA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM CONEXÃO CORRETAS DE DRENOS E SONDAS,PREVENÇÃO DE QUEDA ÚLCERAS UTILIZAÇÃO DE NOVAS TECNOLOGIASAVANÇOS E DESAFIOS SIRURGIA SEGURA - O PAPEL DA EQUIPE MULTIDICIPLINAR ADMINISTRAÇÃO SEGURA E HEMOCOPONENTES INDENTIFICAÇÃO SEGURA DE SANGUE E HEMOCOMPONENTES HUMANIZAR PARA AMAR

25 50 13 46 32 32 32 32 32 175 175 175 175 175 175 175 175

:00 01:30 :00 04:00 :00 01:30 :00 01:30 :00 04:00 :00 04:00 :00 04:00 :00 04:00 :00 04:00 :00 01:00 :00 01:00 :00 01:00 :00 01:00 :00 01:00 :00 01:00 :00 01:00 :00 01:00 :00

37:30:00 200:00:0 0 19:30:00 69:00:00 128:00:0 0 128:00:0 0 128:00:0 0 128:00:0 0 128:00:0 0 175:00:0 0 175:00:0 0 175:00:0 0 175:00:0 0 175:00:0 0 175:00:0 0 175:00:0 0 175:00:0 0

O SE T OU T NO V DE Z

TOTAL 2665:20:0 0 1.700

1877

51:35 :00

2665:20: 00

TOTAL DE HORAS NÚMERO TOTAL DE COLABORADORES DO HOSPITAL

HORAS/HOMEM

1:34:04

Página | 46

HORAS DE TREINAMENTO
240:00:00 192:00:00 144:00:00 96:00:00 48:00:00 0:00:00 JAN FEV MAR ABR MAI CARGA HORÁRIA TOTAL

DADOS QUALITATIVOS

|As ações de capacitação do Hospital Regional Público de Araguaina, no mês de Abril apresentou um aumento significativo no número de horas em relação o mês anterior,totalizando195 horas com a participação de751 servidores/colaboradores treinados. Para este mês, ainda teremos ações de capacitação.

Página | 47

2. 1. 11 – REC URSOS HUMANOS
1.11. Recursos Humanos
Sesau

Janeiro
P ró 3º T o tal Sesau

Fevereiro
P ró 3º T o tal Sesau

Março
P ró 3º T o tal Sesau

Abril
P ró 3º T o tal

1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total

308 668 25 0 231 1232

160 81 20 180 15 456

0 0 54 0 0

468 749 99 180 246

305 665 25 0 229

160 82 20 219 16 497

0 0 54 0 0

465 747 99 219 245

330 667 54 0 231

166 81 22 222 16 507

0 0 54 0 0

496 748 130 222 247

330 667 54 0 231

167 79 23 226 22 517

0 0 54 0 0

497 746 131 226 253

54 1742 1224

54 1775 1282

54 1843 1282

54 1853

1.11. Recursos Humanos
S e s a u P ró

Maio

Junho
T o t a l S e s a u P ró 3º

Julho
T o t a l S e s a u P ró 3º

Agosto
T o t a l S e s a u P ró 3º T o tal

1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total

327 663 25 11 219 1245

169 71 25 227 22 514

0 0 54 0 0

496 734 104 238 241

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

54 1813

1.11. Recursos Humanos 1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total 0 0 0 0 0 0

Setem bro
S e s a u P ró 3º

Outubro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Novem bro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Dezem bro
T o t a l S e s a u P ró 3º T o tal

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

2.1.12 – LOGÍSTIC A
1.13. Estoque
1 3.1 Esto que em dias de co nsumo - M at/med 30 dias .1 .

Jan 0,0 0,0

Fev 0,0 0,0

Mar 0,0 0,0

Abr 50,0 50,0

Mai 0,0 0,0

Jun 0,0 0,0

Jul 0,0 0,0

Ago 0,0 0,0

Set 0,0 0,0

Out 0,0 0,0

Nov 0,0 0,0

Dez 0,0 0,0

TOTAL 50,0 50,0

Total

2.1.13 – CORPO CLÍNICO

Corpo Clínico bastante coeso com as ações desenvolvidas pela Diretoria do Hospital, temos realizado periodicamente reunião com as coordenações médicas para alinhamento dos processos e envolvimento dos mesmos. Página | 48

O HRPA ainda não possui Diretor Técnico nomeado e existem pendências na especialidade de Cirurgia Plástica, pois somente uma médica concursada e que por limitações físicas não esta operando. Todos os plantões são realizados de acordo com a Portaria SESAU n° 132/2010.

2.2 - SAU
3. Registros de Opinião
Ocorrências Reclamações Sugestões Elogios Total de Questionários Queixas resolvidas Meta Contratual Meta Realizada Maio 2012 10 0 5 15 10 80% 100%

O SAU (Serviço de Atendimento ao Usuário) atende as necessidades do usuário através das queixas: reclamações, sugestões e elogios buscando a melhoria no atendimento ao cidadão que se encontra em dificuldades de acesso aos seus direitos e necessidades, acolhendo e cobrando as reivindicações dos usuários visando a satisfação e bem estar do ser humano. Com esse intuito, das 10 reclamações registradas pelo SAU, 100% foram solucionadas em tempo hábil juntamente com a direção e setores responsáveis.

Página | 49

4. Índices de Satisfação

Hospital Regional Público de Araguaína
1900ral 1900ral 1900ral 1900ral 1900ral 1900ral 1900ral AMBULATORIO (%) Março/2012 Abril/2012 Maio/2012 Evolução do Período 1900ral 1900ral 1900ral -21,639% INTERNAÇÃO (%) 1900ral 1900ral 1900ral -7,815% PRONTO SOCORRO (%) 1900ral 1900ral 1900ral -3,578% 1900ral 1900ral 1900ral

SADT (%) 1900ral 1900ral 1900ral ,821%

Mediante resultado alcançado, avalia-se que o atendimento do HRPA passou por uma mudança não satisfatória, considerando a queda que tivemos do mês de abril para maio, onde no Ambulatório caiu de 92,54% para 63,77%, na Internação caiu de 81,76% para 70,07%, no Pronto Socorro caiu de 59,27% para 53,63%, com exceção apenas do SADT que subiu de 70,62% para 71,20%.

2.3 – GERENCIAMENTO DE PROCESSOS
Elaboração de protocolos junto à coordenação do Pronto Socorro e unidades de internação; Realizado visitas diárias nas unidades assistenciais; Realizado reunião semanal com as coordenações dos setores para adequações nas unidades; Analise de servidores e resolução de problemas relacionados à assistência a pacientes; Criado instrumentos assistenciais para consulta de enfermagem e anotação e ainda estoque mínimo; Inclusão das pastas de Documentos no Interact - Módulo Gestão de Documentos; Verificação e correção das Instruções de Trabalho CME; Verificação e correção das Instruções de Trabalho do setor de Higiene e Limpeza; Página | 50

Verificação e correção das Instruções de Trabalho da Farmácia; Verificação e Correção de IT das Rotinas do Ambulatório de Quimioterapia; Atualizado organograma institucional; Padronização do Protocolo de EMTN; Instrução de trabalho de SHL; Revisão do cronograma de SHL; Revisão cronograma de inventário do SPR; Participação do curso da CIPA; Acompanhamento da manobra troca dos tanques da White Martins; Treinamento gerenciamento de Processos; Acompanhamento do TCE.

2.4 – IMPLANTAÇÃO DE NOVOS SERVIÇOS Não Houveram serviços implantados no mês de MAIO de 2012. 2.5 – FATURAMENTO
5. Faturamento Jan 5.1 - AIH 883 Fev 875 1.869.469 Mar 967 2.098.764 Abr 950 2.115.303 Mai 1092 2.338.481 Jun 0 0,0 Jul 0 0,0 Ago 0 0,0 Set 0 0,0 Out 0 0,0 Nov 0 0,0 Dez 0 0,0 TOTAL 4767 10.338.198

5.2 - Valores 1.916.181

2.6 – OBRAS
Não foram realizadas obras no mês de MAIO de 2012.

2.7 – EQUIPAMENTOS NOVOS
3 150 3 2 1 3
GUINCHO ELETRICO TRANSFER MARCA FREEDOM BIOMBO TRIPLO SL-0100-O MARCA SANTA ARQUIVO EM AÇO COM 04 GAVETAS PARA PASTA SUSPENSA IMPRESSORA MULTIFUNCIONAL HP OFICCE JET J4660 CB786A BALANÇA ANTROPOMÉTRICA DIGITAL COR BRANCA ARQUIVO EM AÇO COM 04 GAVETAS PARA PASTA SUSPENSA

CACON/ALA H/ALA D HRPA

RECURSOS HUMANOS
CC/FARMACIA QUIMIOTERAPIA

AMBULATÓRIO CAC
REABILITO

2.8 – OUTRAS INFORMAÇÕES
Em 18/05/2012 assumiu a direção do Hospital Regional Público de Araguaína o Sr. Alberto, mediante ofício da SESAU, onde determinava tal ação; Página | 51

Realizada a XIII Semana da Enfermagem do HRPA

PALAVRA DO DIRETOR GERAL DO HOSPITAL
Mesmo após o anúncio da rescisão contratual pela SESAU, o Hospital Regional Público de Araguaína ainda tem apresentado uma boa evolução e bons resultados, motivados por bons propósitos, direcionamento de ideias, superamos a meta de saídos, superamos todos os meses em relação ao número de cirurgias, aumentamos o faturamento, aumentamos o número de AIH’s apresentadas.

2.3 HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE GURUPI 2.3.1 METAS CONTRATUAIS

3.1 – INDICADORES DE PRODUÇÃO
3.1.1 – Nº DE LEITOS POR ESPECIALIDADE;
1.1. Leitos por Espe cialidade 1.1.1. Clínica Médica 1.1.2. Clínica Pediátrica 1.1.3. Clínica Cirúrgica 1.1.4. Clínica Obstétrica 1.1.5. UTI de Adultos 1.1.6. UTI Infantil 1.1.7. UTI Neonatal 1.1.8. Berçário 1.1.9. Clínica Ortopédica 1.2.10. Outros Total de Leitos Jan 32 27 29 22 9 0 0 6 0 0 125 Fev 30 27 27 22 19 0 0 6 0 0 131 Mar 30 27 27 22 19 0 0 6 0 0 131 Abr 30 27 27 22 19 0 0 6 0 0 131 Mai 30 27 27 22 19 0 0 6 0 0 131 Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 De z 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 152 135 137 110 85 0 0 30 0 0 649

Após a abertura dos leitos de UTI em janeiro/2012, o hospital aumentou de 125 leitos para 131 leitos ativos.

Página | 52

3.1.2 – Nº. DE INTERNAÇÕES POR ESPECIALIDADE;
1.2. Internações por Especialidade 1.2.1. Clínica Médica 1.2.2. Clínica Pediátrica 1.2.3. Clínica Cirúrgica 1.2.4. Clínica Obstétrica 1.2.5. UTI de Adultos 1.2.6. UTI Inf antil 1.2.7. UTI Neonatal 1.2.8. Berçário 1.2.9. Clínica Ortopédica 1.2.10. Outros Total de Internações por especialidade Jan 138 43 72 249 12 0 0 14 89 13 630 Fev 148 61 126 226 42 0 0 5 76 11 695 Mar 153 78 173 299 46 0 0 10 85 20 864 Abr 93 89 132 276 35 0 0 8 85 18 736 Mai 96 58 144 272 41 0 0 11 79 20 721 Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 628 329 647 1322 176 0 0 48 414 82 3646

Demos continuidade aos trabalhos em Janeiro de 2012, quando fechamos as internações em 630 e no mês Fevereiro fechamos as internações em 695. No mês de Março foram 864 internações e, no mês de abril/2012 fechamos com 736 internações, e para o mês de maio/2012, foram realizados 721 internações.

3.1.3 – Nº. DE SAÍDOS POR ESPECIALIDADE
1.3. Nº. de saídos por especialidade 1.3.1. Clínica Médica 1.3.2. Clínica Pediátrica 1.3.3. Clínica Cirúrgica 1.3.4. Clínica Obstétrica 1.3.5. UTI de Adultos 1.3.6. UTI Infantil 1.3.7. UTI Neonatal 1.3.8. Berçário 1.3.9. Clínica Ortopédica 1.3.10. Outros Total de saídos por especialidade Jan 129 52 69 251 9 0 0 11 83 13 617 Fev 160 55 121 233 37 0 0 8 80 10 704 Mar 142 79 160 307 33 0 0 8 84 18 831 Abr 112 113 220 270 26 0 0 7 0 0 748 Mai 126 59 226 260 36 0 0 6 0 21 734 Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

O Hospital Regional Público de Gurupi conta com 131 leitos. Trata-se de um hospital de Porte III, que tem como meta quantitativa 856 pacientes saídos a partir do mês de maio/2012.

Página | 53

Observa-se que em Janeiro de 2012, foram registrados 617 pacientes saídos, o que representa 83% da meta contratual. Em fevereiro de 2012 foram registrados 704 pacientes saídos, o que representa 95% da meta contratual. Em Março de 2012, foram registrados 831 pacientes saídos, o que representa 112% da meta contratual. Em abril de 2012, foram registrados 748 pacientes saídos, o que representa 101% da meta contratual. Já no mês de maio/2012, foram registrados 734 pacientes saídos, o que representa 99% da meta contratual.

3.1.4 – PERCENTUAL DE OCUPAÇÃO POR CLÍNICA;
1.4. Porcentagem de Ocupação 1.4.1. Clínica Médica 1.4.2. Clínica Pediátrica 1.4.3. Clínica Cirúrgica 1.4.4. Clínica Obstétrica 1.4.5. UTI de Adultos 1.4.6. UTI Infantil 1.4.7. UTI Neonatal 1.4.8. Outros (Berçário) 1.4.9. Clínica Ortopédica 1.4.10. Outros Porcentagem Geral de Ocupação Jan Fev Mar Abr Mai Jun 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Jul 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Ago 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Set 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Out 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Nov 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Dez 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% TOTAL 440% 199% 387% 397% 387% 0% 0% 160% 0% 0%

82,76% 79,77% 91,51% 94,89% 91,29% 29,27% 33,21% 44,65% 56,67% 35,67% 64,52% 72,69% 82,80% 84,20% 82,80% 70,97% 72,80% 84,88% 86,67% 81,85% 93,91% 69,51% 79,29% 67,31% 76,57% 0,00% 0,00% 0,00% 0,00% 0,00% 0,00% 0,00% 0,00% 0,00% 0,00%

55,38% 24,71% 17,20% 29,44% 33,33% 0,00% 0,00% 0,00% 0,00% 0,00% 0,00% 0,00% 0,00% 0,00% 0,00%

64,15% 65,13% 75,19% 69,86% 66,91%

Podemos observar que, a porcentagem geral de ocupação do HRPG tem aumentado a cada mês. Com isso, verificamos que estamos aproveitando mais a capacidade instalada da unidade. Entretanto, para o mês de maio/2012 tivemos uma redução de 2,95%, mas continuamos dentro da média mensal.

Página | 54

3.1.5 – MÉDIA DE PERMANÊNCIA;

1.5. Média de Perm anência 1.5.1. Clínica Médica 1.5.2. Clínica Pediátrica 1.5.3. Clínica Cirúrgica 1.5.4. Clínica Obstétrica 1.5.5. UTI de Adultos 1.5.6. UTI Infantil 1.5.7. Uti Neonatal 1.5.8. Outros 1.5.9. Clínica Ortopédica 1.5.10. Outros (Patológico) Média Geral de Permanência

Jan 6,36 4,71 6,09 1,58 6,89 0 0 0 0 9,36

Fev 4,39 3,33 4,36 1,64 5,55 0 0 0 0 6,14

Mar 5,99 3,33 4,33 1,37 7,08 0 0 0 0 4

Abr 8,13 2,51 5,54 1,66 6,86 0 0 0 0 3,31

Mai 6,74 3,19 3,54 1,56 6,35 0 0 0 0 3,65

Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

TOTAL 31,61 17,07 23,86 7,81 32,73 0 0 0 0 26,46

Após iniciarmos nosso trabalho de gerenciamento de leitos, podemos observar que a média geral de permanência não está passando de 3,5 diárias por clínica. Entretanto, se analisarmos separadamente as clínicas podemos dizer que há uma redução de janeiro para maio, principalmente na Clínica Cirúrgica onde reduzimos de 6,09 para 3,54 respectivamente. Através do gerenciamento de leitos e a redução da permanência do paciente na unidade, conseguiremos em curto prazo reduzir a demanda reprimida de cirurgias eletivas.

3.1.6 – VOLUME CIRURGICO
1.6. Volum e Cirúrgico 1.6.1. Cirurgias de Urgência 1.6.2. Cirurgias Eletivas Média Geral de Cirurgias Jan 106 89 195 Fev 103 124 227 Mar 135 195 330 Abr 97 177 274 Mai 153 193 346 Jun 0 0 0 Jul 0 0 0 Ago 0 0 0 Set 0 0 0 Out 0 0 0 Nov 0 0 0 Dez 0 0 0 TOTAL 594 778 1372

Estamos trabalhando a cada mês para melhorar o número do volume cirúrgico, com a busca e parceria com as Secretarias Municipais dos municípios circunvizinhos que somos referência.

Página | 55

3.1.6.3 – Nº DE CIRURGIAS POR PORTE;

1.6.3. Núm ero de Cirurgias por Porte 1.6.3.1. Cirurgias Grandes 1.6.3.2. Cirurgias Médias 1.6.3.3. Cirurgias Pequenas 1.6.3.4. Curetagens 1.6.3.5. Cesáreas Média Geral de Cirurgias por Porte

Jan 67 82 46 19 66 280

Fev 50 112 65 17 60 304

Mar 105 142 83 19 73 422

Abr 75 136 63 10 60 344

Mai 69 111 74 17 75 346

Jun 0 0 0 0 0 0

Jul 0 0 0 0 0 0

Ago 0 0 0 0 0 0

Set 0 0 0 0 0 0

Out 0 0 0 0 0 0

Nov 0 0 0 0 0 0

Dez 0 0 0 0 0 0

TOTAL 366 583 331 82 334 1696

Podemos observar que no mês de maio, tivemos uma redução no número de cirurgias de médio e grande porte em relação ao mês de abril. Mas mesmo com a redução, fechamos o mês de maio/2012 com aumento em relação ao mês anterior. O que significa que continuamos a realizar as cirurgias eletivas das demandas reprimidas dos municípios.

3.1.6.4 – Nº. DE PARTOS POR TIPO
1.6.4. Núm ero de partos por tipo 1.6.4.1. Normal 1.6.4.2. Cesariana 1.6.3.3. Outros Média Geral de Cirurgias por Porte Jan 89 66 0 155 Fev 83 60 0 143 Mar 116 73 0 189 Abr 91 60 0 151 Mai 97 75 0 172 Jun 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 TOTAL 476 334 0 810

Página | 56

3.1.7 – SADT’S

1.7. SADT 1.7.1. Laboratório Clínico 1.7.2. Anatomia Patológica 1.7.3. Radiologia 1.7.4. Eletrocardiografia 1.7.5. Fisioterapia (Sessões) 1.7.6. Hemodiálise(Sessões) 1.7.7. Hemodinâmica 1.7.8. Hemoterapia 1.7.9. Endoscopia 1.7.10. Ultrassonografia 1.7.11 Tomografia Computadorizada 1.7.12 Ressonancia Magnética 1.7.13 Mamografia 1.7.14 Citopatologia 1.7.15 Eletroencefalografia 1.7.16 Teste do Pézinho 1.7.17 Diversos 1.7.18 Teste Ergométrico Total

Jan 6796 87 2315 81 1747 0 0 0 15 134 33 0 150 0 0 0 21 0

Fe v 7224 217 2374 71 1702 0 0 0 22 170 70 0 155 0 0 0 18 0

Mar 9053 150 3503 97 2186 0 0 0 27 184 90 0 134 0 0 0 26 0

Abr 8.197 154 3038 140 1954 0 0 0 25 186 72 0 162 0 0 0 20 0

Mai 9446 0 3527 244 1728 0 0 0 21 168 72 0 176 0 0 0 25 0

Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

TOTAL 40716 608 14757 633 9317 0 0 0 110 842 337 0 777 0 0 0 110 0 68207

11379 12023 15450

13948 15407

Observamos que, tivemos uma redução de março/2012 para abril/2012, mas no mês de maio/2012 houve aumento novamente e ficamos acima da média mensal.

3.1.8 – AMB ULATÓRIO

1.8. Ambulatório 1.8.1. Consultas 1.8.2. Consultas com Procedimentos 1.8.3. Procedimentos 1.8.4. Procedimentos Cirúrgicos Total

Jan 374 0 0 0 374

Fev 518 0 0 0 518

Mar 688 0 0 0 688

Abr 653 0 0 0 653

Mai 821 0 0 0 821

Jun 0 0 0 0 0

Jul 0 0 0 0 0

Ago 0 0 0 0 0

Set 0 0 0 0 0

Out 0 0 0 0 0

Nov 0 0 0 0 0

Dez 0 0 0 0 0

TOTAL 3054 0 0 0 3054

Com o aumento das cirurgias eletivas referente a demanda reprimida, tivemos um aumento nas consultas ambulatoriais como pode ser observado. Página | 57

3.1.9 – ATENDIMENTOS DE URGÊNCIA/EMERGÊNCIA

1.9. Urgência/Emergência 1.9.1. Consultas 1.9.2. Consultas com Procedimentos 1.9.3. Procedimentos 1.9.4. Procedimentos Cirúrgicos Total

Jan

Fev

Mar

Abr

Mai

Jun 0 0 0 0 0

Jul 0 0 0 0 0

Ago 0 0 0 0 0

Set 0 0 0 0 0

Out 0 0 0 0 0

Nov 0 0 0 0 0

Dez 0 0 0 0 0

TOTAL 20171 0 241 0 20412

3610 3614 4688 4032 4227 0 55 0 0 27 0 0 54 0 0 52 0 0 53 0

3665 3641 4742 4084 4280

Internação X Atendimentos

A comparação entre internação e atendimentos: em Janeiro de 2012 realizamos 3.665 atendimentos e destes, obtivemos 630 internações. No mês de Fevereiro de 2012 realizamos 3.641 atendimentos e destes, obtivemos 695 internações. Já no mês de Março de 2012 realizamos 4.742 atendimentos e destes, obtivemos 864 internações. Já no mês de Abril, realizamos 4.084 atendimentos e destes, obtivemos 736 internações. Já no mês de Maio, realizamos 4.280 atendimentos e destes, obtivemos 721 internações.

Página | 58

3.1.10 – RECURSOS HUMANOS
1.10. Recursos Humanos 1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total 100 380 20 2 68 570 Janeiro
S e s a u P ró 3º

Fevereiro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Março
T o t a l S e s a u P ró 3º T o t a l S e s a u P ró

Abril
3º T o tal

26 73 20 84 2 205

0 0 0 0 0 0

126 453 40 86 70 775

124 354 15 3 68 564

40 81 20 110 3 254

0 0 0 0 0 0

164 435 35 113 71 818

124 351 15 3 68 561

40 81 20 110 3 254

0 0 0 0 0 0

164 432 35 113 71 815

123 350 15 3 70 561

40 81 20 120 3 264

0 0 0 0 0 0

163 431 35 123 73 825

1.10. Recursos Humanos
S e s a u P ró

Maio

Junho
T o t a l S e s a u P ró 3º

Julho
T o t a l S e s a u P ró 3º

Agosto
T o t a l S e s a u P ró 3º T o tal

1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total

109 352 27 2 70 560

87 73 5 98 3 266

0 0 0 0 0 0

196 425 32 100 73 826

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

1.10. Recursos Humanos 1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total 0 0 0 0 0 0

Setem bro
S e s a u P ró 3º

Outubro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Novem bro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Dezem bro
T o t a l S e s a u P ró 3º T o tal

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

3.1.11 – NEP
Neste mês de maio/2012, o Núcleo de Educação Permanente – NEP promoveu várias capacitações, visando qualificar ainda mais a equipe multiprofissional que atua no HRPG.

Página | 59

Página | 60

3.1.12 – LOGÍSTIC A

1.13. Estoque
1 3.1 Esto que em dias de co nsumo - M at/med 30 dias .1 .

Jan 0,0 0,0

Fev 38,0 38,0

Mar 52,0 52,0

Abr 77,0 77,0

Mai 69,0 69,0

Jun 0,0 0,0

Jul 0,0 0,0

Ago 0,0 0,0

Set 0,0 0,0

Out 0,0 0,0

Nov 0,0 0,0

Dez 0,0 0,0

TOTAL 236,0 236,0

Total

Podemos verificar que estamos abastecendo o HRPG no que tange a MAT/MED regularmente e temos estoques suficientes para realizarmos os atendimentos aos usuários.
3.1.13 – CORPO CLÍNICO

O funcionamento clínico do hospital se manteve satisfatório neste mês, os pacientes internados tiveram atendimento medico, farmacológico e assistência de enfermagem. O número de pacientes atendidos alcançou a nossa meta do mês. Estamos em conversações com os médicos para o cumprimento da escala de plantão de corpo presente.

3.2 - SAU 1. Registros de Opinião
Período: 01/05/2012 a 31/05/2012.
Ocorrências Reclamações Sugestões Elogios Total de Questionários Queixas resolvidas Meta Contratual Meta Realizada Maio 2012 10 02 07 19 08 80% 80%

No período atual tivemos uma totalidade de 19 registros, relatando a opinião de alguns de nossos usuários. Das 10 reclamações tivemos êxitos em 08 queixas solucionadas, atingindo a média de 80% nivelando com a contratual que é 80%. O SAU está empenhado

Página | 61

em diagnosticar os tipos de reclamações e solucioná-las, trabalhando para que a cada mês o número de queixas diminua. A participação dos usuários apresentando sugestões chegaram a 02 registros, onde direcionamos a direção do hospital que julgará atendê-las colocando em pauta nas reuniões. Nos elogios tivemos uma manifestação de 07 registros.

2. Índices de Satisfação

Hospital Regional Público de Gurupi
Maio/2012; INTERNAÇÃO (%); 1904ral Maio/2012; PRONTO SOCORRO (%); 1904ral Maio/2012; SADT (%); 1904ral

INTERNAÇÃO (%) Março/2012 Abril/2012 Maio/2012 Evolução do Período 1904ral 1904ral 1904ral 4,102%

PRONTO SOCORRO (%) 1904ral 1904ral 1904ral 8,013%

SADT (%) 1904ral 1904ral 1904ral 21,270%

No período de Maio, obtivemos um percentual de satisfação menor na internação e pronto socorro comparado ao mês anterior. Acredita-se que foi devido a falta justificada de 2 colaboradores e consequentemente desfalcando as pesquisas. Isso resulta em maior cobrança dos mesmos para o mês vindouro.

Página | 62

3.3 – GERENCIAMENTO DE PROCESSOS
Funcionamento do Ponto Eletrônico

No dia 16.05.2012 entrou em funcionamento o Sistema de Registro Eletrônico de Ponto –

SREP para atender aos colaboradores do HRPG.

Atuação do Escritório da Qualidade

Página | 63

Treinamento de Gerenciamento e padronização de Documentos, gerenciamento e mapeamento de Processos e Indicadores para os colaboradores do HRPG

3.4 – FATURAMENTO
4. Faturamento 4.1 - AIH (Quantitativo) 4.2 - Valores (em reais) Jan 652 478.280,67 Fev 684 493.835,65 Mar 836 591.885,21 Abr 753 569.082,88 Mai 740 644.316,44 TOTAL 3.665 2.777.400,85

3.6 – OBRAS E IMPLANTAÇÃO DE NOVOS SERVIÇOS

Realizamos o projeto para implantação nos próximos meses do Banco de Leite Humano e Reforma/Ampliação para instalação de 02 Autoclaves.

3.7 – EQUIPAMENTOS NOVOS
Recebemos neste mês, 03 mesas cirúrgicas para substituição das antigas no Centro Cirúrgico e Centro Obstétrico.

3.8 – COMISSÕES

O Hospital Regional Público de Gurupi, de acordo com legislação pertinente que determina a implantação e o funcionamento de comissões responsáveis pela padronização dos processos inter-

Página | 64

nos e pela qualidade e segurança dos serviços prestados aos nossos clientes, dispõe assim notificar junto aos demais as diversas comissões existente na Unidade Hospitalar.

Comissão de Controle de Infecção Hospitalar – CCIH

Preconiza atividades de prevenção e controle com orientações e supervisão de medidas estabelecidas pelo Serviço de Controle de Infecções Hospitalares – SCIH, em conjunto com as equipes de saúde. Houve 8 reuniões desde a abertura no dia 28 de setembro, em maio de 2012, foi feito uma reunião com Diretoria Administrativa, de Enfermagem e Enf.ª Marília onde tratou-se da mudança do médico responsável e da mudança do farmacêutico.

Comissão de Ética Médica

Eleita pelo corpo clínico, dia 29 de outubro, para investigar as condutas médicas. Embora não possua competência para realizar julgamento nem estabelecer penalidades nas questões éticas, a Comissão de Ética Médica é responsável por levar ao conhecimento do Conselho Regional de Medicina qualquer denuncia ou suspeita de ilícito ético. No mês de maio não houve nenhuma denúncia para ser discutido o caso em reunião.

Comissão de Padronização de Insumos.

Tem como objetivo avaliar e padronizar as solicitações de medicamentos, insumos hospitalares, equipamentos médicos e mobiliários na autarquia, levando em consideração os critérios de eficiência, relação custo/benefício, comodidade posológica e outros fatores envolvidos no seu uso, previamente pesquisados e estudados pelos solicitantes. Com a ausência do profissional Médico e Farmacêutico desde sua criação no dia 26 de setembro de 2011, sem a presença dos mesmo que compõe a Comissão, não houve reunião, pois somente esses profissionais têm a competência para emitir parecer exigido pelo o órgão fiscalizador Vigilância Sanitária do Estado. Página | 65

Comissão de Farmacovigilância

Comissão de Farmacovigilância, formada dia 27 de setembro de 2011, tem por objetivos realizar atividade destinada a identificar, quantificar e informar os efeitos indesejáveis decorrentes do uso agudo e crônico dos medicamentos, sobretudo as reações adversas previamente desconhecidas, identificando seus riscos, tomando medidas reguladoras a respeito e informando aos profissionais de saúde do HRP-GURUPI, fornecedores, a VISA e Anvisa sobre estas questões. Com a ausência do profissional Médico e Farmacêutico não houve reunião, pois somente o mesmo tem a competência para emitir parecer exigido pelo o órgão fiscalizador Vigilância Sanitária do Estado.

Comissão de Ética na Enfermagem

Tem como objetivo o fortalecimento do componente ético dos profissionais de Enfermagem, através da análise das intercorrências notificadas por meio de denúncia formal e/ou auditoria. Apesar de já homologada a Comissão de Ética de Enfermagem não está ativa, pois dependemos do COREN-TO não compareceu para dar posse à chapa vencedora.

Comissão de Revisão de Óbito

Tem como objetivo a análise detalhada de todos os óbitos ocorridos no Hospital. A Comissão de Revisão de Óbito realizou cinco reuniões desde sua implantação, dia 28 de setembro de 2011, no mês de maio da comissão de óbito se reuniu no dia 15 de maio de 2012, informando que no houve 29 óbitos sendo 03 natimortos, não havendo óbito materno.

Comissão de Revisão de Prontuários

Tem como missão a busca da melhoria da qualidade dos registros e anotações necessárias para elaboração do prontuário clínico. Página | 66

A Comissão de Revisão de Prontuário realizou três reuniões desde sua implantação, dia 23 de novembro de 2011, onde não foi realizado no mês de maio 2012, pois não houve quórum. Salientamos que, estamos com dificuldade de manter as comissões ativas devido a falta do profissional médico que só participará mediante o pagamento de plantão extra.

3.9 – OUTRAS INFORMAÇÕES

Interação com a Comunidade

No dia 09.05.2012, o Diretor Geral do HRPG, Valdemir Girato, recebeu a visita do Coordenador de Estágio com Curso de Pedagogia do Centro Universitário Unirg, José Carlos Ribeiro da Silva, e da Coordenadora do Projeto Classe Hospitalar, Marlene Jalles, onde trataram da ampliação desse projeto visando ampliar o leque de opções da humanização nesta unidade de saúde.

Página | 67

HRPG recebe a Cruz Peregrina

No dia 09.05.2012, o HRP recebeu a Cruz Peregrina da JMJ – Jornada Mundial da Juventude do Projeto “Bote Fé”. O Hospital foi agraciado com a visita que tem o tema “Que a saúde se difunda sobre a terra”. O evento religioso é organizado pela diocese de Porto Nacional. O objetivo desta peregrinação é levar a juventude a refletir, em especial, quem sofre problemas sociais.O diretor geral do HRPG, Valdemir Girato, destacou ser uma satisfação receber a Cruz Peregrina e lembrou que a presença deste ícone é um momento para levar todas as pessoas a refletirem e colocar em prática a sua fé, trazendo assim, paz e saúde.

Página | 68

1ª Semana de Enfermagem do HRPG

Nos dias16 e 17, aconteceu a 1ª Semana de Enfermagem do Hospital Regional de Gurupi, no auditório do Instituto Juarez Moreira. O evento foi realizado em parceria com o Centro Universitário UnirG. Na oportunidade, integrantes do hospital realizaram várias palestras

Página | 69

Celebrações Religiosas. Integrando o trabalho de Humanização Hospitalar, acontece, às sextas-feiras, culto evangélico, pela manhã, e missa no período da tarde. As celebrações religiosas são realizadas na Sala de Treinamentos do HRPG, reunindo colaboradores, pacientes e acompanhantes. Trata-se de um momento especial e que tem refletido de forma positiva, principalmente, no restabelecimento de pacientes que encontram uma palavra de conforto num momento difícil de doença.

Integrantes de várias denominações religiosas evangélicas se revezam na celebração dos cultos às sextas-feiras. A realização da missa já é tradicional no HRPG. Religiosos da Paróquia de Santo Antônio e de Nossa Senhora Aparecida coordenam a celebração das missas.

Página | 70

Humanização Hospitalar

Comemoração do Dia das Mães

O Dia das Mães no HRPG foi comemorado no sábado, 12, por meio do Grupo de Trabalho de Humanização em parceria com a Liga Acadêmica de Humanização em Saúde do Centro Universitário Unirg. As mães internadas na unidade, acompanhantes e funcionárias receberam lembrancinhas e carinho especial dos integrantes dessa iniciativa.

Página | 71

Projeto Classe Hospitalar

Colocado em prática numa parceria com a Coordenação de Estágio do Curso de Pedagogia do Centro Universitário Unirg, o Projeto Classe Hospitalar realiza ações pedagógicas, educativas, instrutivas para fins de humanização e construção de espaços de confiança, afetividade e ludicidade, de modo que haja suavização dos efeitos traumáticos da internação para as pessoas hospitalizadas e seus familiares. As crianças internadas na Unidade Pediátrica do HRPG recebem uma atenção toda especial.

Atividades no Dia Nacional de Controle de Infecção Hospitalar
Em comemoração ao Dia Nacional de Controle de Infecção Hospitalar celebrado no dia 15, a Comissão de Controle de Infecção Hospitalar do HRPG e alunos do curso de Enfermagem do Centro Universitário Unirg realizaram na unidade orientações de como evitar uma possível infecção. A equipe fez uma palestra na recepção da unidade explicando que infecção hospitalar é todo contágio que o paciente pode desenvolver durante a internação ou mesmo após a alta. Ocorre por transmissão de germes existentes no ambiente hospitalar.

Página | 72

PALAVRA DO DIRETOR GERAL DO HOSPITAL

Hospital Regional Público de Gurupi possui 131 leitos, dos quais 19 são leitos de UTI adulto um benefício histórico para a Região SUL do Estado do TO, pela criação de mais 10 leitos em janeiro deste ano a direção e todos os funcionários do hospital parabeniza o Governo do Estado do TO.

A Administração do Hospital possui um bom relacionamento com a população, com o Corpo Clínico do Hospital, com todos os funcionários e com os prestadores de serviços.

No mês de maio estamos alavancando com vários projetos como implantação do banco de Leite Humano, instalação de 02 novas autoclaves e climatização do Pronto Socorro Adulto, como vários outros projetos sempre buscando a qualidade de atendimento aos usuários.

A diretoria do hospital está trabalhando junto ao serviço de qualidade e humanização, conscientizando para que todos os funcionários dediquem um atendimento de qualidade para os nossos usuários.

Concluímos, que no dia 17 de maio de 2012, a SESAU informou que não mais será necessário os serviços prestados pela OS, sendo assim estamos passando por um período de transição seguindo orientações de nossa Diretoria e da SESAU.

Página | 73

2.4 HOSPITAL E MATERNIDADE PÚBLICA DONA REGINA 2.4.1 METAS CONTRATUAIS

4.1 – INDICADORES DE PRODUÇÃO

4.1.1 – Nº DE LEITOS POR ESPECIALIDADE;
1.1. Leitos por Especialidade 1.1.1. Clínica Médica 1.1.2. Clínica Pediátrica 1.1.3. Clínica Cirúrgica 1.1.4. Clínica Obstétrica 1.1.5. UTI de Adultos 1.1.6. UTI Infantil 1.1.7. UTI Neonatal 1.1.8. Berçário 1.1.9. Clínica Ortopédica 1.2.10. Outros Total de Leitos Jan 0 0 0 58 0 0 35 6 0 20 119 Fev 0 0 0 58 0 0 20 21 0 20 119 Mar 0 0 0 58 0 0 20 21 0 20 119 Abr 0 0 0 58 0 0 20 21 0 20 119 Mai 0 0 0 58 0 0 20 21 0 20 119 Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 0 0 0 290 0 0 115 90 0 100 595

4.1.2 – Nº. DE INTERNAÇÕES POR ESPECIALIDADE;
1.2. Internações por Especialidade 1.2.1. Clínica Médica 1.2.2. Clínica Pediátrica 1.2.3. Clínica Cirúrgica 1.2.4. Clínica Obstétrica 1.2.5. UTI de Adultos 1.2.6. UTI Infantil 1.2.7. UTI Neonatal 1.2.8. Berçário 1.2.9. Clínica Ortopédica 1.2.10. Outros Total de Internações por especialidade Jan 0 0 0 679 0 0 30 6 0 131 846 Fev 0 0 0 385 0 0 17 200 0 209 811 Mar 0 0 0 526 0 0 26 246 0 125 923 Abr 0 0 0 527 0 0 37 207 0 124 895 Mai 0 0 0 500 0 0 39 150 0 107 796 Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 0 0 0 2617 0 0 149 809 0 696 4271

COMENTÁRIO:observa-se uma redução da procura ratificada pela queda no volume de partos realziados neste mês.

Página | 74

4.1.3 – Nº. DE SAÍDOS POR ESPECIALIDADE
1.3. Nº. de saídos por especialidade 1.3.1. Clínica Médica 1.3.2. Clínica Pediátrica 1.3.3. Clínica Cirúrgica 1.3.4. Clínica Obstétrica 1.3.5. UTI de Adultos 1.3.6. UTI Infantil 1.3.7. UTI Neonatal 1.3.8. Berçário 1.3.9. Clínica Ortopédica 1.3.10. Outros Total de saídos por especialidade Jan 0 0 0 653 0 0 19 5 0 127 804 Fev 0 0 0 597 0 0 24 38 0 171 830 Mar 0 0 0 493 0 0 21 250 0 161 925 Abr 0 0 0 480 0 0 7 233 0 182 902 Mai 0 0 0 445 0 0 11 187 0 161 804 Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 0 0 0 2668 0 0 82 713 0 802 4265

COMENTÁRIO: mantém a proporção histórica em relação ao volume de internações, visto que temos trabalhado intensamente para manter a média de permanência histórica e adequada para as clínicas.

4.1.4 – PERCENTUAL DE OCUPAÇÃO POR CLÍNICA;
1.4.1. Clínica Médica 1.4.2. Clínica Pediátrica 1.4.3. Clínica Cirúrgica 1.4.4. Clínica Obstétrica 1.4.5. UTI de Adultos 1.4.6. UTI Infantil 1.4.7. UTI Neonatal 1.4.8. Outros (Berçário) 1.4.9. Clínica Ortopédica 1.4.10. Outros Porcentagem Geral de Ocupação 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 514% 0% 0% 486% 490% 0% 487% 296%

83% 101% 110% 113% 107% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 92% 0% 0% 80% 0% 0% 94% 91% 0% 98%

105% 114%

94% 102% 103% 100% 0% 0% 0% 0%

66% 109% 102% 112%

87% 105% 104% 105% 101%

COMENTÁRIO: o número de internações na obstetrícia ainda é desproporcional ao número de leitos disponíveis, o que nos obriga em alguns dias abrir leitos extras.

Página | 75

4.1.5 – MÉDIA DE PERMANÊNCIA;
1.5. Média de Perm anência 1.5.1. Clínica Médica 1.5.2. Clínica Pediátrica 1.5.3. Clínica Cirúrgica 1.5.4. Clínica Obstétrica 1.5.5. UTI de Adultos 1.5.6. UTI Infantil 1.5.7. Uti Neonatal 1.5.8. Berçário 1.5.9. Clínica Ortopédica 1.5.10. Outros Média Geral de Permanência Jan 0 0 0 2,31 0 0 39,5 29,2 0 2,91 3,93 Fev 0 0 0 4,31 0 0 33,1 2,9 0 3,29 4,4 Mar 0 0 0 4,02 0 0 28,5 2,67 0 3,9 4,16 Abr 0 0 0 4,11 0 0 68,9 2,7 0 3,68 4,16 Mai 0 0 0 4,31 0 0 53,2 3,18 0 3,78 4,61 Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 0 0 0 19,06 0 0 223,04 40,62 0 17,56 12,49

COMENTÁRIO: mantém-se a média histórica sem alterações significativas, se considerarmos a desproporcionalidade de leitos entre UTI e UI, o que reduz o giro de leitos naquelas unidades.

4.1.6 – VOLUME CIRURGICO
1.6. Volum e Cirúrgico 1.6.1. Cirurgias de Urgência 1.6.2. Cirurgias Eletivas Média Geral de Cirurgias Jan 254 12 266 Fev 251 26 277 Mar 242 65 307 Abr 275 30 305 Mai 238 39 277 Jun 0 0 0 Jul 0 0 0 Ago 0 0 0 Set 0 0 0 Out 0 0 0 Nov 0 0 0 Dez 0 0 0 TOTAL 1260 172 1432

COMENTÁRIO: a redução é justificada pela queda no número de cesáreas, classificadas como cirurgias de urgência.
4.1.6.3 – Nº DE CIRURGIAS POR PORTE
1.6.3. Núm ero de Cirurgias por Porte 1.6.3.1. Cirurgias Grandes 1.6.3.2. Cirurgias Médias 1.6.3.3. Cirurgias Pequenas 1.6.3.4. Curetagens 1.6.3.5. Cesáreas Média Geral de Cirurgias por Porte Jan 15 4 16 42 189 266 Fev 19 4 23 64 167 277 Mar 40 10 24 38 195 307 Abr 27 15 15 52 196 305 Mai 36 11 14 40 176 277 Jun 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 TOTAL 137 44 92 236 923 1432

Página | 76

4.1.6.4 – Nº. DE PARTOS POR TIPO
1.6.4. Núm ero de partos por tipo 1.6.4.1. Normal 1.6.4.2. Cesariana 1.6.3.3. Outros Jan 184 189 0 Fev 189 167 0 Mar 251 195 0 Abr 251 196 0 Mai 224 176 0 Jun 0 0 0 Jul 0 0 0 Ago 0 0 0 Set 0 0 0 Out 0 0 0 Nov 0 0 0 Dez 0 0 0 TOTAL 1099 923 0

4.1.7 – SADT’S
1.7.1. Laboratório Clínico 1.7.2. Anatomia Patológica 1.7.3. Radiologia 1.7.4. Eletrocardiografia 1.7.5. Fisioterapia (Sessões) 1.7.6. Hemodiálise(Sessões) 1.7.7. Hemodinâmica 1.7.8. Hemoterapia 1.7.9. Endoscopia 1.7.10. Ultrassonografia 1.7.11 Tomografia Computadorizada 1.7.12 Ressonancia Magnética 1.7.13 Mamografia 1.7.14 Citopatologia 1.7.15 Eletroencefalografia 1.7.16 Teste do Pézinho 1.7.17 Diversos 1.7.18 Teste Ergométrico Total 9.043 158 468 48 3.787 0 0 145 0 795 0 0 0 0 0 58 10.509 0 0 0 68 8.123 0 8.919 10.124 111 497 23 3.945 0 0 171 0 755 0 0 108 485 20 3.371 0 0 164 0 865 0 0 0 0 0 50 9.301 0 9.305 9.862 73 399 33 78 593 50 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 47253 528 2442 174 17251 0 0 664 0 4207 0 0 0 0 0 306 45405 0 118230

2.747 3.401 0 0 77 0 845 0 0 0 0 0 71 0 0 107 0 947 0 0 0 0 0 59

8.511 8.961 0 0

25011 22612 24488

22061 24058

COMENTÁRIO: o item 1.7.17 Diversos é composto pelo Teste da Orelhinha, Ecocardiografia, Fonoaudiologia, Psicologia,
Cardiotoco, Teste do Olhinho)

4.1.8 – AMB ULATÓRIO
1.8. Ambulatório 1.8.1. Consultas 1.8.2. Consultas com Procedimentos 1.8.3. Procedimentos 1.8.4. Procedimentos Cirúrgicos Total Jan 823 0 0 0 823 Fev 834 0 0 0 834 Mar 878 0 0 0 878 Abr 764 0 0 0 764 Mai 648 0 0 0 648 Jun 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 TOTAL 3947 0 0 0 3947

Página | 77

4.1.9 – ATENDIMENTOS DE URGÊNCIA/EMERGÊNCIA
1.9. Urgência/Emergência 1.9.1. Consultas 1.9.2. Consultas com Procedimentos 1.9.3. Procedimentos 1.9.4. Procedimentos Cirúrgicos Total Jan Fev Mar Abr Mai Jun 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 TOTAL 8855 0 0 0 8855

1.703 1.579 1.897 1.811 1.865 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

1703 1579 1897 1811 1865

4.1.10– RECURSOS HUMANOS
1.10. Recursos Humanos 1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total 81 337 116 11 103 648 Janeiro
S e s a u P ró 3º

Fevereiro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Março
T o t a l S e s a u P ró 3º T o t a l S e s a u P ró

Abril
3º T o tal

36 51 15 108 5 215

0 0 15 4 0 19

117 388 146 123 108 882

61 339 110 5 93 608

41 50 19 97 5 212

0 0 15 0 0 15

102 389 144 102 98 835

60 339 110 5 93 607

50 56 15 108 6 235

0 0 15 0 0 15

110 395 140 113 99 857

60 339 107 5 93 604

50 49 14 108 6 227

0 0 15 0 0 15

110 388 136 113 99 846

1.10. Recursos Humanos
S e s a u P ró

Maio

Junho
T o t a l S e s a u P ró 3º

Julho
T o t a l S e s a u P ró 3º

Agosto
T o t a l S e s a u P ró 3º T o tal

1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total

55 345 113 5 93 611

54 49 14 108 6 231

0 0 15 0 0 15

109 394 142 113 99 857

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

1.10. Recursos Humanos 1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total 0 0 0 0 0 0

Setem bro
S e s a u P ró 3º

Outubro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Novem bro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Dezem bro
T o t a l S e s a u P ró 3º T o tal

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

Página | 78

4.1.11 – NEP
CURSO NÚMERO DE PARTICIPANTES CARGA HORÁRIA TOTAL DE HORAS

II CURSO DE PROCESSAMENTO E CONTROLE DE QUALIDADE DO LEITE ORDENHADO MUTIRÃO DE LAVAGEM DAS MÃOS GESTÃO DE PESSOAS Boas Praticas do Metodo Canguru Capacitação de Bomba Seringa III Semana de Enfermagem do HMPDR
TOTAL
TOTAL DE HORAS NÚMERO TOTAL DE COLABORADORES DO HOSPITAL HORAS/HOMEM

18 44 52 14 5 99 232
808:00:00 885 00:54:47

08:00:00 00:30:00 4:00:00 02:00:00 02:00:00 04:00:00 20:30:00

144:00:00 22:00:00 208:00:00 28:00:00 10:00:00 396:00:00 808:00:00

120:00:00 JAN 96:00:00 72:00:00 48:00:00 24:00:00 0:00:00 FEV MAR ABRIL MAIO

DADOS QUALITATIVOS

As ações de capacitação do Hospital e Maternidade Pública Dona Regina Siqueira Campos, no mês de maio apresentou uma baixa no número de horas, e uma baixa no numero de servidores em relação ao mês anterior. Neste mês totalizamos 20:30:00 horas com a participação de 232 servidores/colaboradores,tendo uma baixa em relação ao mês de abril, sendo que no mês de abril atingimos 20:24:00 em número de horas por colaboradores.

Página | 79

4.1.12 – LOGÍSTIC A

1.13. Estoque
1 3.1 Esto que em dias de co nsumo - M at/med 30 dias .1 .

Jan 48,0 48,0

Fev 64,0 64,0

Mar 48,0 48,0

Abr 60,0 60,0

Mai 51,0 51,0

Jun 0,0 0,0

Jul 0,0 0,0

Ago 0,0 0,0

Set 0,0 0,0

Out 0,0 0,0

Nov 0,0 0,0

Dez 0,0 0,0

TOTAL 271,0 271,0

Total

4.1.13 – CORPO CLÍNICO

Um médico obstetra foi cedido, por ato do Governador, para a Assembleia Legislativa sem a devida reposição.

4.2 - SAU
1. Registros de Opinião Mês de Maio

Ocorrências Reclamações Sugestões Elogios Total de Questionários Queixas resolvidas Meta Contratual Meta Realizada

Janeiro 2012 03 0 02 5 3 80% 100%

Página | 80

2.Analise do Gráfico

Hospital e Maternidade Pública Dona Regina

AMBULATORIO (%) Março/2012 Abril/2012 Maio/2012 1904ral 1904ral 1904ral

INTERNAÇÃO (%) 1904ral 1904ral 1904ral

PRONTO SOCORRO (%) 1904ral 1904ral 1904ral

SADT (%) 1904ral 1904ral 1904ral

Nota-se que no Ambulatório houve uma pequena queda de usuários pesquisados pelo SAU, enquanto que na Internação o declínio foi muito grande, situação que já vem sendo analisada para se ter uma melhora. No Pronto Socorro teve um acréscimo pequeno mais muito importante pelo fato de se dá atenção e orientação ao usuário já no Sadt o número de pessoas entrevistadas pelo SAU aumentou consideravelmente, mostrando assim todo nosso esforço em desempenhar bem nosso trabalho.

4.3 – GERENCIAMENTO DE PROCESSOS Na primeira semana de maio houve uma avaliação do funcionamento do acolhimento com classificação de risco, após 45 dias de funcionamento. Verificou-se que 50,5% das pacientes atendidas foram classificadas como azuis e verdes, ou seja, pacientes de atenção básica. Do total de atendimentos, apenas 17,5% puderam ser classificadas como pacientes de pronto-socorro (17% laranja e 0,5% vermelho). Abertura de leitos extras para acomodar todas as pacientes da obstetrícia. Ocupação da Página | 81

unidade tem ultrapassado 110%, diariamente, mesmo com todas as iniciativas tomadas para otimizar as altas. O motivo da alta ocupação se deve ao aumento do volume de internações; Na semana do dia 07 de maio o HMPDR recebeu visita da consultoria de faturamento, SPP e SESMT, todas com foco no alinhamento dos serviços; reunião do Grupo Condutor da Rede Cegonha para finalização das ações das maternidades prioritárias; desenvolvimento dos projetos descritivos demandados pela Rede Cegonha (CPN, Casa da Gestante, Bebê e Puérpera, reforma do Centro Obstétrico, criação dos leitos de UTI adulto e ampliação dos leitos de UCI Neo; reunião para alinhamento de rotinas entre a enfermagem e logística no referente à dispensação de mat/med por paciente; Na semana do dia 14 de maio houve continuidade das consultorias de faturamento e SPP; A equipe do HMPDR deslocou-se para Araguaína e Gurupi para capacitar as equipes de saúde das maternidades locais em Método Canguru e Banco de Leite; o maior foco desta semana foi evitar o desabastecimento de gêneros alimentícios e materiais/medicamentos; Na semana do dia 21 de maio houve continuidade das consultorias de faturamento e SPP; realização de capacitação para processamento de leite humano ordenhado, com consultoras do Ministério da Saúde; continuidade das atividades a fim de evitar o desabastecimento de gêneros alimentícios e materiais/medicamentos.

4.4 – FATURAMENTO
4.1 - AIH (Quantitativo) 4.2 - Valores (em reais) 1055 1020 1017 1015 903 0 0,0 0 0,0 0 0 0 0 0 0,0 5010 4764000,8

790.828,8 760.331,0 1.218.893,8

1.075.878,3 918.068,9

0,0 0,0 0,0 0,0

4.6 – OBRAS E IMPLANTAÇÃO DE NOVOS SERVIÇOS Sem ocorrências.

4.7 – EQUIPAMENTOS NOVOS
Por extrema necessidade do serviço, foi adquirido o seguinte equipamento: Imobilizado: Página | 82

DATA

NF

FORNECEDOR

DESCRIÇÃO BALANÇA ELETRONICA PEDIATRICA 109E INOX MARCA WELMY.

QTD

V. UNT

V. TOTAL

10/maio/12

CIRUCAM MEDICAL CENTER E HO2273 ME CARE LTDA

01

R$

900,00

R$ 900,00

TOTAL

900,00

01 Balança Eletrônica Pediátrica Inox – Marca Welmy

Recebimento de 03 Camas Cirúrgicas – Marca Baumer

Página | 83

4.8 – COMISSÕES As 05 comissões obrigatórias cumpriram o cronograma de reuniões (mínimo 01 reunião mensal ordinária),
bem como o cronograma de atividades: a) Comissão de Farmácia e Terapêutica: reuniu-se no dia 02 e no dia 09 de maio. Em ambas reuniões foi discutido sobre a padronização dos antimicrobianos. Atas da reuniões em anexo; b) Comissão de Ética Médica: reuni-se ordinariamente no dia 09 de maio, conforme Declaração em anexo, firmada pela Presidente da Comissão, Drα Daniela C. Kaesemodel Nicolak; c) Comissão de Investigação e Revisão de Óbitos: reuniu-se ordinariamente nos dias 28 de abril e 16 de maio. No mês de maio a Câmara Técnica apresentou ao Comitê de Investigação e Revisão de Óbitos a conclusão das investigações realizadas no mês de abril. Neste período foram realizadas 06 investigações de óbitos ocorridos entre os meses de outubro/11 e marco /12, sendo: 02 infantis e 04 fetais. Atas das reuniões e relatórios das análises dos óbitos em anexo; d) Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH): reuniu-se ordinariamente no dia 08 de maio. Foi discutida a avaliação da Campanha da Higienização das Mãos, e demais demandas a serem aplicadas nas rotinas diárias. Foi elaborado relatório dentro dos termos definidos no Anexo II do Contrato de Gestão. Ata e Relatório de Atividades em anexo; e) Comissão de Revisão de Prontuários: reuniu-se ordinariamente no dia 16 de maio. Ata e relatório e atividades em anexo.

4.9 – OUTRAS INFORMAÇÕES 4.9.1. ASSISTÊNCIA AO PACIENTE Abertura de leitos extras para acomodar todas as pacientes da obstetrícia. Encaminhamento de relatório da Direção Técnica à SESAU e ao CRM alertando para a possibilidade de fechamento de leitos da UTI Neonatal, por falta de médicos plantonistas, visto que os profissionais que prestam serviços através de pessoa jurídica estão se recusando a se deslocarem até Palmas dada a falta de previsão de pagamento dos serviços prestados; Encaminhamento à SESAU de ofícios informando sobre a falta de cobertura de hematologia; Encaminhamento à SESAU, ao CRM e ao MP de ofícios informando sobre a falta de cobertura de cirurgião pediátrico;

Página | 84

4.9.2. INTERAÇÃO COM OS COLABORADORES DO HMPDR Escolha do Mascote do Projeto de Acreditação Hospitalar – Super Qualidade; Entrega do prêmio ao vencedor do concurso do Mascote da Qualidade; Realização da oficina de Gerenciamento de Processos; Comemoração do Dia do Trabalho; Comemoração do Dia do Enfermeiro; Comemoração do Dia das Mães, com distribuição de flores e cardápio especial; Participação na Semana de Enfermagem do Hospital Infantil de Palmas; Realização de capacitação para processamento de leite humano ordenhado, com consultores do Ministério da Saúde.

Comemoração do Dia do Trabalho

Página | 85

Comemoração Semana da Enfermagem

Comemoração do Dia das Mães

Página | 86

Participação na Semana de Enfermagem do Hospital Infantil de Palmas

4.9.3. INTERAÇÃO COM A COMUNIDADE Celebração do aniversário de 01 ano do Método Canguru; Realização de café da manhã com as mães nutrizes, em homenagem ao Dia das Mães; Realização do dia da beleza com as mães Nutrizes.

Página | 87

Celebração do aniversário de 01 ano do Método Canguru

Realização de café da manhã com as mães nutrizes, em homenagem ao Dia das Mães

Página | 88

Realização do dia da beleza com as mães Nutrizes

PALAVRA DO DIRETOR GERAL DO HOSPITAL

Maio pode ser considerado mais um mês de atribulações e trabalho continuo. Toda a equipe do hospital trabalhou em conjunto para suprir a alta demanda sem consequências aos pacientes. A maior dificuldade enfrentada no mês descrito foi a falta de abastecimento de gêneros alimentícios, em virtude da falta de pagamento dos fornecedores, assim como materiais e medicamentos. Todas as adversidades têm sido contornadas devido ao empenho e mobilização de toda equipe envolvida no Projeto de Gestão. Estamos tendo toda delicadeza na condução da transição da Gestão, de forma a causar o menor impacto possível aos trabalhadores do HMPDR.

Página | 89

2.5 HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE PARAÍSO

5.1 – INDICADORES DE PRODUÇÃO
5.1.1 – Nº DE LEITOS POR ESPECIALIDADE;

5.1.1 – Nº DE LEITOS POR ESPECIALIDADE
1.1. Leitos por Especialidade 1.1.1. Clínica Médica 1.1.2. Clínica Pediátrica 1.1.3. Clínica Cirúrgica 1.1.4. Clínica Obstétrica 1.1.5. UTI de Adultos 1.1.6. UTI Infantil 1.1.7. UTI Neonatal 1.1.8. Berçário 1.1.9. Clínica Ortopédica 1.2.10. Outros Total de Leitos Jan 15 24 22 8 0 0 0 3 0 0 72 Fev 15 24 22 8 0 0 0 3 0 0 72 Mar 15 24 22 8 0 0 0 3 0 0 72 Abr 15 24 22 8 0 0 0 3 0 0 72 Mai 15 25 22 8 0 0 0 2 0 0 72 Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 75 121 110 40 0 0 0 14 0 0 360

Neste mês foram novamente recontados os leitos do Hospital e atualizado CNES (Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde).

5.1.2 – Nº. DE INTERNAÇÕES POR ESPECIALIDADE
1.2. Internações por Especialidade 1.2.1. Clínica Médica 1.2.2. Clínica Pediátrica 1.2.3. Clínica Cirúrgica 1.2.4. Clínica Obstétrica 1.2.5. UTI de Adultos 1.2.6. UTI Infantil 1.2.7. UTI Neonatal 1.2.8. Berçário 1.2.9. Clínica Ortopédica 1.2.10. Outros Total de Internações por especialidade Jan 98 47 173 114 0 0 0 5 0 0 437 Fev 117 88 139 93 0 0 0 1 0 0 438 Mar 121 100 155 132 0 0 0 1 0 0 509 Abr 113 89 189 135 0 0 0 0 0 0 526 Mai 94 77 187 133 0 0 0 0 0 0 491 Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 543 401 843 607 0 0 0 7 0 0 2401

Página | 90

O quadro de internações evidencia uma diminuição de 6,65% em relação ao mês anterior, refletindo a falta de plantões médicos, principalmente de clínica médica e também de obstetrícia nos finais de semana. Os pacientes de obstetrícia foram transferidos para Miracema.

5.1.3 – Nº. DE SAÍDOS POR ESPECIALIDADE
1.3. Nº. de saídos por especialidade 1.3.1. Clínica Médica 1.3.2. Clínica Pediátrica 1.3.3. Clínica Cirúrgica 1.3.4. Clínica Obstétrica 1.3.5. UTI de Adultos 1.3.6. UTI Inf antil 1.3.7. UTI Neonatal 1.3.8. Berçário 1.3.9. Clínica Ortopédica 1.3.10. Outros Total de saídos por especialidade Jan 143 47 159 80 0 0 0 1 0 0 430 Fev 127 78 128 92 0 0 0 0 0 0 425 Mar 147 103 136 121 0 0 0 0 0 0 507 Abr 129 85 170 126 0 0 0 1 0 0 511 Mai 124 80 159 140 0 0 0 0 0 0 503 Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 670 393 752 559 0 0 0 2 0 0 2376

A meta de produção total de saídos para o 3º quadrimestre é de 2.356, sendo que mensalmente é de 589. Neste mês atingimos a produção de 503 saídos, representando 85,40% da meta. Principais fatores que contribuíram para a meta de produção não realizada: • • • Escala médica incompleta como a falta de médico clínico, ortopedista, pediatra, obstetra, auxilio cirúrgico, auxilio obstétrico, auxilio ortopédico; Médicos que não cumprem a carga horária; Pacientes da clínica obstétrica, principalmente nos finais de semana, foram transferidos para o HRP Miracema.

Página | 91

5.1.4 – PERCENTUAL DE OCUPAÇÃO POR CLÍNICA
1.4. Porcentagem de Ocupação 1.4.1. Clínica Médica 1.4.2. Clínica Pediátrica 1.4.3. Clínica Cirúrgica 1.4.4. Clínica Obstétrica 1.4.5. UTI de Adultos 1.4.6. UTI Infantil 1.4.7. UTI Neonatal 1.4.8. Outros (Berçário) 1.4.9. Clínica Ortopédica 1.4.10. Outros Jan 76% 28% 67% 63% 0% 0% 0% 22% 0% 0% Fev 66% 50% 58% 63% 0% 0% 0% 34% 0% 0% Mar Abr Mai 63% 49% 73% 98% 0% 0% 0% 11% 0% 0% Jun 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Jul 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Ago 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Set 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Out 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Nov 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Dez 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% TOTAL 384% 226% 323% 401% 0% 0% 0% 153% 0% 0%

77% 102% 51% 62% 82% 0% 0% 0% 43% 0% 0% 48% 62% 95% 0% 0% 0% 42% 0% 0%

A taxa de ocupação do Hospital continua na média dos meses anteriores, sendo que na Clínica Cirúrgica tivemos um aumento de 17% pelo aumento de cirurgias realizadas. A diminuição na Clínica Médica se deve ao fato da falta de plantonistas. Fica evidente a baixa ocupação dos leitos disponíveis na pediatria e a necessidade de ofertá-los a outras clínicas conforme necessidade.

5.1.5 – MÉDIA DE PERMANÊNCIA;
1.5. Média de Perm anência 1.5.1. Clínica Médica 1.5.2. Clínica Pediátrica 1.5.3. Clínica Cirúrgica 1.5.4. Clínica Obstétrica 1.5.5. UTI de Adultos 1.5.6. UTI Infantil 1.5.7. Uti Neonatal 1.5.8. Outros 1.5.9. Clínica Ortopédica 1.5.10. Outros Média Geral de Permanência Jan 2,46 4,47 2,89 1,96 0 0 0 20 0 0 Fev 2,24 4,47 2,89 1,58 0 0 0 0 0 0 Mar 2,44 3,69 3,13 1,68 0 0 0 0 0 0 Abr 3,57 4,04 2,39 1,82 0 0 0 38 0 0 Mai 2,56 4,71 3,15 1,74 0 0 0 0 0 0 Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 13,2737 21,3771 14,4539 8,77373 0 0 0 58 0 0

Média de permanência baixa, com algumas oscilações, por ser um hospital de médio porte, sem alta complexidade.

Página | 92

5.1.6 – VOLUME CIRURGICO
1.6. Volum e Cirúrgico 1.6.1. Cirurgias de Urgência 1.6.2. Cirurgias Eletivas Média Geral de Cirurgias Jan 166 48 214 Fev 130 38 168 Mar 148 63 211 Abr 166 69 235 Mai 179 77 256 Jun 0 0 0 Jul 0 0 0 Ago 0 0 0 Set 0 0 0 Out 0 0 0 Nov 0 0 0 Dez 0 0 0 TOTAL 789 295 1084

O Hospital Regional Público de Paraíso apresentou um aumento de 8,94% no número de cirurgias neste mês, sendo de 11,59% nas cirurgias eletivas, reflexo da contratação de um médico cirurgião no mês de março, a escala de cirurgia geral organizada e a regulação do hospital acertada o fluxo.

5.1.6.3 – Nº DE CIRURGIAS POR PORTE
1.6.3. Núm ero de Cirurgias por Porte 1.6.3.1. Cirurgias Grandes 1.6.3.2. Cirurgias Médias 1.6.3.3. Cirurgias Pequenas 1.6.3.4. Curetagens 1.6.3.5. Cesáreas Média Geral de Cirurgias por Porte Jan 23 78 61 7 45 214 Fev 31 57 40 14 26 168 Mar 33 61 40 17 60 211 Abr 50 73 51 9 52 235 Mai 55 99 38 10 54 256 Jun 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 TOTAL 192 368 230 57 237 1084

Hospital de média e baixa complexidade concentra quase 53% das suas cirurgias em médias e pequenas.

5.1.6.4 – Nº. DE PARTOS POR TIPO
1.6.4. Núm ero de partos por tipo 1.6.4.1. Normal 1.6.4.2. Cesariana 1.6.3.3. Outros Média Geral de Cirurgias por Porte Jan 51 45 0 96 Fev 53 26 0 79 Mar 56 60 0 116 Abr 70 52 0 122 Mai 52 54 0 106 Jun 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 TOTAL 282 237 0 519

Neste último mês tivemos uma diminuição de 13% no total de partos, reflexo da falta de plantonistas obstetras nos finais de semana, sendo os pacientes transferidos para o HRP de Miracema.

Página | 93

5.1.7 – SADT’S
1.7. SADT 1.7.1. Laboratório Clínico 1.7.2. Anatomia Patológica 1.7.3. Radiologia 1.7.4. Eletrocardiografia 1.7.5. Fisioterapia (Sessões) 1.7.6. Hemodiálise(Sessões) 1.7.7. Hemodinâmica 1.7.8. Hemoterapia 1.7.9. Endoscopia 1.7.10. Ultrassonografia 1.7.11 Tomografia Computadorizada 1.7.12 Ressonancia Magnética 1.7.13 Mamografia 1.7.14 Citopatologia 1.7.15 Eletroencefalografia 1.7.16 Teste do Pézinho 1.7.17 Diversos 1.7.18 Teste Ergométrico Total Jan 7630 0 1628 167 321 0 0 43 0 367 0 0 0 0 0 55 446 0 10657 Fev Mar Abr Mai Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 24247 0 9375 1154 1681 0 0 234 0 2152 39 20 0 0 0 302 3190 0 42394

4514 4492 4701 2910 0 0 0 0

1603 1909 2136 2099 194 344 0 0 56 0 437 12 6 0 0 0 45 733 0 295 371 0 0 23 0 489 11 2 0 0 0 67 662 0 240 432 0 0 50 0 431 8 6 0 0 0 67 628 0 258 213 0 0 62 0 428 8 6 0 0 0 68 721 0

7944 8321 8699 6773

A diminuição apresentada no Laboratório Clínico se deve ao fato de sua equipe não realizar os cadastros necessários no Sistema MV. Já foram realizadas diversas reuniões e conversas sobre o assunto.

5.1.8 – AMB ULATÓRIO
1.8. Ambulatório 1.8.1. Consultas 1.8.2. Consultas com Procedimentos 1.8.3. Procedimentos 1.8.4. Procedimentos Cirúrgicos Total Jan 767 0 0 0 767 Fev 771 0 0 0 771 Mar 671 0 0 0 671 Abr 939 0 0 0 939 Mai 946 0 0 0 946 Jun 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 TOTAL 4094 0 0 0 4094

Este aumento é representado pelo número de retornos de ortopedia, e aumento do ambulatório de cardiologia e curativos realizados pela equipe de enfermagem.

Página | 94

5.1.9 – ATENDIMENTOS DE URGÊNCIA/EMERGÊNCIA
1.9. Urgência/Emergência 1.9.1. Consultas 1.9.2. Consultas com Procedimentos 1.9.3. Procedimentos 1.9.4. Procedimentos Cirúrgicos Total Jan Fev Mar Abr Mai Jun 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 TOTAL 21069 0 0 0 21069

4032 4126 4395 4428 4088 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

4032 4126 4395 4428 4088

Diminuição de 7,67% no número de atendimentos, reflexo da falta de plantonistas de clínica médica e obstétrica, principalmente nos finais de semana.
5.1.10 – RECURSOS HUMANOS
1.10. Recursos Humanos 1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total 40 179 40 31 32 322 Janeiro
S e s a u P ró 3º

Fevere iro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Março
T o t a l S e s a u P ró 3º T o t a l S e s a u P ró

Abril
3º T o tal

34 8 3 55 3 103

0 0 0 0 0 0

74 187 43 86 35 425

42 183 38 31 36 330

46 8 4 55 3 116

0 0 0 0 0 0

88 191 42 86 39 446

39 191 38 32 35 335

46 8 4 55 4 117

0 0 0 0 0 0

85 199 42 87 39 452

45 194 40 32 35 346

46 8 4 55 4 117

0 0 0 0 0 0

91 202 44 87 39 463

1.10. Recursos Humanos
S e s a u P ró

Maio

Junho
T o t a l S e s a u P ró 3º

Julho
T o t a l S e s a u P ró 3º

Agos to
T o t a l S e s a u P ró 3º T o tal

1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total

58 205 42 26 36 367

38 5 7 67 4 121

0 0 0 0 0 0

96 210 49 93 40 488

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

1.10. Recursos Humanos 1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total 0 0 0 0 0 0

Setem bro
S e s a u P ró 3º

Outubro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Novem bro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Deze m bro
T o t a l S e s a u P ró 3º T o tal

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

Página | 95

5.1.11 – NEP
CURSO Sessão Pipoca- Discussão sobre condutas na área da saúde Ética, Relacionamento Interpessoal Noções básicas de higienização Hospitalar e processo de Rouparia Mudança de Decúbito Manual de Diluição de Medicamentos Estudos de lesão de pele Relacionamento Interpessoal - SHL/ SPR Métodos Contraceptivos - SHL/ SPR Gerenciamento de riscos - Segurança do Paciente Validação do processo de limpeza Infecção Hospitalar- SHL/ SPR Kit de Urgência e Atendimento Central de Material Técnica de punção venosa Técnico de Farmácia Capacitação no Atendimento a vitima com exposição a material biológico Prevenção de lesão de pele TOTAL
TOTAL DE HORAS NÚMERO TOTAL DE COLABORADORES DO HOSPITAL HORAS/HOMEM

NÚMERO DE PARTICIPANTES 29 30 4 129 58 40 16 6 39 41 14 129 25 9 49 14 0 632

CARGA HORÁRIA 02:00:00 04:00:00 02:00:00 01:00:00 01:00:00 01:00:00 02:00:00 02:00:00 02:00:00 01:00:00 01:30:00 02:00:00 01:00:00 02:00:00 08:00:00 01:00:00 00:00:00 33:30:00

TOTAL DE HORAS 58:00:00 120:00:00 8:00:00 129:00:00 58:00:00 40:00:00 32:00:00 12:00:00 78:00:00 41:00:00 21:00:00 258:00:00 25:00:00 18:00:00 392:00:00 14:00:00 0:00:00 1304:00:00

1304:00:00 632 2:03:48

72:00:00 48:00:00 24:00:00 0:00:00

JAN FEV MAR ABR MAI

Página | 96

DADOS QUALITATIVOS

As ações de capacitação do Hospital Regional Público de Paraíso, neste mês apresentou um aumento de 46% de horas de treinamentos realizados em comparação ao mês anterior, realizamos atividades levantadas na LNT e também fora das LNT. Neste mês totalizamos 33:30 horas de treinamento e com a participação de 632 servidores/colaboradores. Não foi possível realizar os treinamentos: Noções Gerais de Utilização de Equipamentos, Curso de Excel, Gestão de Riscos Assistenciais, As Comissões Médicas e suas Competências, devido não conseguir palestrantes. O treinamento em Atendimento á vitima em acidente de material biológico está sendo realizado pelo Dr. Frederico nos dias 23 e 25 de maio. E os da LNT para o próximo mês estão sendo programados. Participamos da feira FLIT promovida pelo Município, semana de enfermagem, (promovida pela gerente de enfermagem), com o Banner da COLSAT, Ginástica laboral, Sessão Pipoca.

5.1.13 – CORPO CLÍNICO

Praticamente todo Corpo Clínico não cumpre a Portaria SESAU 132/2010. Isto influencia diretamente no cumprimento da meta de saídos e principalmente, na qualidade e no próprio atendimento, pois existem dias que não temos plantonista de certas especialidades de plantão. Neste mês ocorreram vários dias falta de plantonistas na clínica médica e obstétrica Repetindo a situação do mês anterior, os prontuários médicos não estão sendo preenchidos, e quando estão, estão inelegíveis e incorretos. Isto está causando um grande transtorno e diminuição das contas faturadas. Outros fatores relevantes: • • • • Não existência do Diretor Técnico; Insistência dos médicos em só atender Urgência e Emergência – falta definição do perfil do hospital; Falta de comprometimento da Diretoria Clínica e de alguns médicos com as diretrizes da SESAU; Falta de escala médica que é sempre entregue com atraso, no meio do mês vigente.

Página | 97

5.2 - SAU
Registros de Opinião Ocorrências Reclamações Sugestões Elogios Total de Questionários Queixas resolvidas Meta Contratual Meta Realizada Maio 2012 09 0 01 10 09 80% 100%

Gráfico da Pesquisa de Satisfação

Hospital Regional Público de Paraíso
90,000 80,000 70,000 60,000 50,000 40,000 30,000 20,000 10,000 ,000 -10,000 80,110 75,990 74,770 72,650

AMBULATORI O (%) 81,850 84,760 80,110 -2,126%

INTERNAÇÃO (%) 81,110 81,910 75,990 -6,312%

PRONTO SOCORRO (%) 74,720 71,270 74,770 ,067%

SADT (%) 84,340 80,950 72,650 -13,861%

Março/2012 Abril/2012 mai/12 Evolução do Período

Página | 98

5.3 – GERENCIAMENTO DE PROCESSOS
• • • • • • • • • • • • • Elaboração de impressos para controle dos produtos para prevenção de lesões de pele (Cavilon creme, spray, fita azul e tegaderm rolo); Implantação dos módulos de agenda ambulatorial e agenda cirúrgica pelo sistema integrado de gestão hospitalar MV; Elaboração do Plano de Investimento para adequação da aquisição dos freezers e arquivos; Distribuição de uniformes e EPIs; Realização da semana de enfermagem: palestras, dinâmicas, fotos, maquiagens, massagens corporais e refeições especiais; Reunião com a nova nutricionista para alinhamentos e repasse de suas atribuições; Definido e comunicado a todos os setores o novo fluxo de trabalho do carro e do motorista administrativo; Reunião com o setor de estatística para ajustes nos relatórios mensais; Participação na Feira Literária do Tocantins: aferição de pressão arterial, testes de glicemia, distribuição de panfletos, dicas e orientações de saúde; Montado kit para atendimento de Urgência (Kit ambú + kit Laringoscópio); Reunião da CCIH e visita pela equipe e direção ao lixão da cidade; Reunião na Central de Regulação para definições e orientações de trabalho com o SISREG; Empresa especializada realizou limpeza e reposição de gás nos aparelhos de ar-condicionado

5.4 – FATURAMENTO
4. Faturamento 4.1 - AIH (Quantitativo) Jan 516 Fev 346 Mar 528 Abr 421 Mai 458 Jun 0 Jul 0 Ago 0 Set 0 Out 0 Nov 0 Dez 0 TOTAL 2269

Aumento de 8,79% no número de prontuários faturados em relação ao mês anterior. Mesmo assim, os prontuários do mês não estão chegando para faturar por falta de preenchi.mento. O aumento tem relação com o acerto do fluxo do setor de faturamento e treinamento das secretárias de ala para melhor organização dos prontuários.

5.6 – OBRAS E IMPLANTAÇÃO DE NOVOS SERVIÇOS
Não possuímos novas obras e serviços em andamento.

5.7 – EQUIPAMENTOS NOVOS
Recebidos através da SESAU os seguintes equipamentos no mês de maio: • 02 respiradores; Página | 99

• • •

02 carrinhos para os respiradores; 01 monitor multiparâmetro; 02 mesas cirúrgicas.

5.8 – COMISSÕES
• • A Comissão de Óbito se reuniu no dia 18 de maio de 2012 e analisaram 6 atestados de óbitos intra-hospitalar e 9 óbitos externos; A Comissão de Controle de Infecção Hospitalar esteve reunida no dia 16 de maio de 2012. Durante a reunião foram discutidos assuntos sobre a desinsetização da cozinha, acidentes com perfuros cortantes e marcado a visita da comissão ao lixão da cidade, para verificar as condições de acondicionamento do lixo hospitalar; A Comissão de Fármaco-vigilância se reuniu no dia 16 de maio de 2012 e trataram de assuntos como: diluição da medicação Tenoxican e sobre a falta do protocolo clínico para padronização dos antibióticos; A Comissão de Prontuário Médico se reuniu no dia 16 de maio de 2012 e analisou 45 prontuários; A Comissão de Ética Médica esteve reunida no dia 17 de maio de 2012.

• •

PALAVRA DO DIRETOR GERAL DO HOSPITAL
Neste mês de maio, analisando os dados estatísticos, encontramos variação negativa principalmente no atendimento de urgência/emergência. Isto se deve ao fato da falta de plantonistas de clínica médica e de obstetrícia. As escalas destas clínicas são confeccionadas com dois plantonistas por dia. Então, junto com o corpo clínico reduzido, em muitos dias as escalas apresentaram lacunas, deixando os usuários sem atendimento. Ponto positivo para a clínica cirúrgica, que mais organizada e comprometida, juntos com as cirurgias ginecológicas, conseguiram aumentar o número de cirurgias. Outro ponto positivo foi a melhor organização em todo processo de faturamento que, mesmo não atingindo os níveis necessários de fechamento das contas por falta de preenchimento correto dos prontuários, conseguiram aumentar este número. Isto reafirma que existindo comprometimento de todos, os usuários deste Hospital serão atendidos conforme suas necessidades e com qualidade e o resultado tende a ser satisfatório para todos.

Página | 100

2.6 HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE MIRACEMA 2.6.1 METAS CONTRATUAIS

6.1 – INDICADORES DE PRODUÇÃO
6.1.1 – Nº DE LEITOS POR ESPECIALIDADE;
1.1. Leitos por Especialidade 1.1.1. Clínica Médica 1.1.2. Clínica Pediátrica 1.1.3. Clínica Cirúrgica 1.1.4. Clínica Obstétrica 1.1.5. UTI de Adultos 1.1.6. UTI Infantil 1.1.7. UTI Neonatal 1.1.8. Berçário 1.1.9. Clínica Ortopédica 1.2.10. Outros Total de Leitos Jan 16 19 17 15 0 0 0 4 0 0 71 Fev 16 19 17 15 0 0 0 4 0 0 71 Mar 16 19 17 15 0 0 0 4 0 0 71 Abr 16 19 10 15 0 0 0 4 7 0 71 Mai 16 19 10 15 0 0 0 4 7 0 71 Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 80 95 71 75 0 0 0 20 14 0 355

Durante o mês de maio de 2012 não ocorreram alterações quanto a distribuição dos leitos nas especialidades atendidas no Hospital, e o total de leitos também permaneceu inalterado, conforme cadastro no CNES.

6.1.2 – Nº. DE INTERNAÇÕES POR ESPECIALIDADE;
1.2. Internações por Especialidade 1.2.1. Clínica Médica 1.2.2. Clínica Pediátrica 1.2.3. Clínica Cirúrgica 1.2.4. Clínica Obstétrica 1.2.5. UTI de Adultos 1.2.6. UTI Inf antil 1.2.7. UTI Neonatal 1.2.8. Berçário 1.2.9. Clínica Ortopédica 1.2.10. Outros Total de Internações por especialidade Jan 82 46 42 55 0 0 0 0 0 0 225 Fev 72 53 104 40 0 0 0 1 0 0 270 Mar 92 83 47 49 0 0 0 0 0 0 271 Abr 93 106 121 74 0 0 0 1 0 0 395 Mai 106 81 152 78 0 0 0 0 0 0 417 Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 445 369 466 296 0 0 0 2 0 0 1578

Continuando com o processo de reorganização dos Serviços de Cirurgia Geral, Ortopedia, Obstetrícia e Anestesiologia, no mês de maio obtivemos um aumento de aproximadamente 6% no número de internações Página | 101

em relação ao mês de abril de 2012. Mas se compararmos com a média do 1º quadrimestre do ano, atingimos um acréscimo de aproximadamente 44%, o que é um aumento bastante expressivo.

6.1.3 – Nº. DE SAÍDOS POR ESPECIALIDADE;
1.3. Nº. de saídos por especialidade 1.3.1. Clínica Médica 1.3.2. Clínica Pediátrica 1.3.3. Clínica Cirúrgica 1.3.4. Clínica Obstétrica 1.3.5. UTI de Adultos 1.3.6. UTI Infantil 1.3.7. UTI Neonatal 1.3.8. Berçário 1.3.9. Clínica Ortopédica 1.3.10. Outros Total de Saídos por especialidade Jan 87 45 35 57 0 0 0 0 0 0 224 Fev 84 56 105 39 0 0 0 0 0 0 284 Mar 112 85 47 45 0 0 0 0 0 0 289 Abr 100 111 115 67 0 0 0 0 0 0 393 Mai 122 73 149 77 0 0 0 0 0 0 421 Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 505 370 451 285 0 0 0 0 0 0 1611

No mês de maio de 2012 atingimos o total de 421 pacientes saídos, o que representa 94% da nossa meta para o mês que é de 450 saídos. E a previsão para o mês de junho é que tenhamos uma redução pelo processo de transição que estamos passando e pela saída dos obstetras dos finais de semana. Ainda, se compararmos o total de saídos do mês de maio com o mês de abril de 2012 atingimos um aumento de 7%. Já com relação a média do 1º quadrimestre do ano, obtivemos um acréscimo de aproximadamente 42%.

Página | 102

6.1.4 – PERCENTUAL DE OCUPAÇÃO POR CLÍNICA;
1.4. Porcentagem de Ocupação 1.4.1. Clínica Médica 1.4.2. Clínica Pediátrica 1.4.3. Clínica Cirúrgica 1.4.4. Clínica Obstétrica 1.4.5. UTI de Adultos 1.4.6. UTI Infantil 1.4.7. UTI Neonatal 1.4.8. Outros (Berçário) 1.4.9. Clínica Ortopédica 1.4.10. Outros Porcentagem Geral de Ocupação Jan 77% 30% 30% 14% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 36% Fev 67% 34% 51% 14% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 39% Mar 64% 48% 32% 17% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 39% Abr 76% 56% Mai 76% 41% Jun 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Jul 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Ago 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Set 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Out 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Nov 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Dez 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% TOTAL 360% 209% 267% 119% 0% 0% 0% 0% 0% 0%

50% 104% 35% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 52% 38% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 51%

Apesar de estarmos trabalhando para utilizar o máximo possível da capacidade instalada do Hospital, ainda temos um taxa de ocupação mediana em torno de 50%, o que mostra que temos capacidade de apoiar ainda mais o rede. Mas fica claro vendo os números apresentados, que temos dificuldades em aumentar nossa participação na especialidade de cirurgia geral, pois estamos trabalhando de forma estrangulada com percentuais acima de 100%, e na clínica médica que em muitos momentos trabalhamos com 100% de ocupação. O espaço que teríamos para crescer seria na clínica obstétrica e pediatria, que apresentam baixa demanda devido a conjuntura atual (falta de profissionais nestas especialidades, falta de padronização na prestação de serviços, qualificação profissionail, etc).

Página | 103

6.1.5 – MÉDIA DE PERMANÊNCIA;

1.5. Média de Perm anência 1.5.1. Clínica Médica 1.5.2. Clínica Pediátrica 1.5.3. Clínica Cirúrgica 1.5.4. Clínica Obstétrica 1.5.5. UTI de Adultos 1.5.6. UTI Infantil 1.5.7. Uti Neonatal 1.5.8. Outros 1.5.9. Clínica Ortopédica 1.5.10. Outros Média Geral de Permanência

Jan 4,39 3,91 4,48 1,51 0 0 0 0 0 0 3,57

Fev 3,73 3,34 2,48 1,56 0 0 0 0 0 0 2,86

Mar 2,84 3,29 3,64 1,84 0 0 0 0 0 0 2,95

Abr 3,64 2,88 2,22 2,37 0 0 0 0 0 0 2,79

Mai 3,1 3,3 2,17 2,29 0 0 0 0 0 0 2,66

Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

TOTAL 17,7 16,72 14,99 9,57 0 0 0 0 0 0

A Média de Permanência do Hospital Regional Público de Miracema, no mês de maio de 2012 continuou com a tendência de queda pelo fato do aumento do número de cirurgias eletivas com baixa permanência, elevando ainda mais a rotatividade dos leitos, fechando o mês em 2,66 dias. Um decréscimo de 5% com relação ao mês de abril de 2012 e 13% com relação a média do 1º quadrimestre de 2012.

6.1.6 – VOLUME CIRURGICO
6.1.6.1 – Nº de Cirurgias de Urgência; 6.1.6.2 – Nº de Cirurgias eletivas;

1.6. Volum e Cirúrgico 1.6.1. Cirurgias de Urgência 1.6.2. Cirurgias Eletivas Média Geral de Cirurgias

Jan 18 6 24

Fev 50 42 92

Mar 25 5 30

Abr 69 31 100

Mai 77 101 178

Jun 0 0 0

Jul 0 0 0

Ago 0 0 0

Set 0 0 0

Out 0 0 0

Nov 0 0 0

Dez 0 0 0

TOTAL 239 185 424

No mês de maio de 2012 com a regularização das atividades do centro cirúrgico, atingimos um aumento de 78% em relação ao mês de abril e 189% com relação a média do 1º quadrimestre de 2012. E somente conseguimos atingir esses números pela oferta de serviços na nossa região de abrangência e o trabalho junto a central de regulação de vagas, para o envio de pacientes para operar em Miracema.

Página | 104

6.1.6.3 – Nº DE CIRURGIAS POR PORTE;

1.6.3. Núm ero de Cirurgias por Porte 1.6.3.1. Cirurgias Grandes 1.6.3.2. Cirurgias Médias 1.6.3.3. Cirurgias Pequenas 1.6.3.4. Curetagens 1.6.3.5. Cesáreas Média Geral de Cirurgias por Porte

Jan 2 5 0 7 10 24

Fev 6 42 34 0 10 92

Mar 13 8 0 3 6 30

Abr 11 41 21 6 21 100

Mai 26 86 42 7 17 178

Jun 0 0 0 0 0 0

Jul 0 0 0 0 0 0

Ago 0 0 0 0 0 0

Set 0 0 0 0 0 0

Out 0 0 0 0 0 0

Nov 0 0 0 0 0 0

Dez 0 0 0 0 0 0

TOTAL 58 182 97 23 64 424

Podemos notar pelos números apresentados que o número de atendimentos, aumentou quantitativamente e qualitativamente, com a realização de procedimentos mais complexos, inclusive no mês de maio criamos o Serviço de Urologia na Hospital Regional Público de Miracema, com a expectativa de atender a toda a demanda da região e drenar pacientes de Palmas, para realizarem seus procedimentos em Miracema. Destacamos o aumento do número de Cirurgias de Grande Porte, passando de 11 em abril para 26 agora em maio, o que representa um acréscimo aproximadamente 136%.

6.1.6.4 – Nº. DE PARTOS POR TIPO
1.6.3. Núm ero de Partos 1.6.3.1. Normal 1.6.3.2. Cesáreas 1.6.3.3. Outros Média Geral de Partos Jan 30 10 0 40 Fev 18 10 0 28 Mar 23 6 0 29 Abr 35 21 0 56 Mai 31 17 0 48 Jun 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 TOTAL 137 64 0 201

Estamos ainda em processo de reorganização do Serviço de Obstetrícia do Hospital Regional Público de Miracema, e no mês de maio tivemos um decréscimo no número de partos realizados na ordem de 14%, o que mostra que apesar de estarmos trabalhando acima dá média que é 38 partos, temos muito que discutir e melhorar. Tanto em relação a formatação da equipe de trabalho, interação com o pré-natal do município, criação de protocolos clínicos e treinamento da equipe.

Página | 105

6.1.7 – SADT’S (DESCREVER VOLUME PRODUZIDO POR EXAME)

1.7. SADT 1.7.1. Laboratório Clínico 1.7.2. Anatomia Patológica 1.7.3. Radiologia 1.7.4. Eletrocardiografia 1.7.5. Fisioterapia (Sessões) 1.7.6. Hemodiálise(Sessões) 1.7.7. Hemodinâmica 1.7.8. Hemoterapia 1.7.9. Endoscopia 1.7.10. Ultrassonografia 1.7.11 Tomografia Computadorizada 1.7.12 Ressonancia Magnética 1.7.13 Mamografia 1.7.14 Citopatologia 1.7.15 Eletroencefalografia 1.7.16 Teste do Pézinho 1.7.17 Diversos 1.7.18 Teste Ergométrico 1.7.19 Outros (Psicologia) Total

Jan

Fev

Mar

Abr

Mai

Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

TOTAL 32169 64 5020 943 0 0 0 16 0 508 0 0 0 0 0 0 0 0 0 38720

6873 6219 6575 5840 6662 2 547 141 0 0 0 4 0 75 0 0 0 0 0 0 0 0 0 11 4 12 35

932 1291 1197 1053 231 0 0 0 2 0 124 0 0 0 0 0 0 0 0 0 207 0 0 0 3 0 106 0 0 0 0 0 0 0 0 0 171 0 0 0 4 0 85 0 0 0 0 0 0 0 0 0 193 0 0 0 3 0 118 0 0 0 0 0 0 0 0 0

7642 7519 8186 7309 8064

No mês de maio todos os serviços tiveram aumento no total de exames realizados em relação ao mês de abril de 2012, com exceção do Serviço de Radiologia que apresentou queda de 12%. A qualidade dos nossos exames e questionável, mas não podemos desconsiderar o nível de financiamento, que inviabiliza os investimentos e a melhoria da qualidade dos exames realizados - Laboratório que é um serviço terceirizado e é remunerado pelos valores da Tabela SUS. As condições de trabalho do Serviço de Radiologia deixam muito a desejar com equipamentos ultrapassados, que dificultam a definição dos diagnósticos.

Página | 106

6.1.8 – AMB ULATÓRIO

1.8. Ambulatório 1.8.1. Consultas 1.8.2. Consultas com Procedimentos 1.8.3. Procedimentos 1.8.4. Procedimentos Cirúrgicos Total

Jan 825 0 0 0 825

Fev 772 0 0 0 772

Mar 969 0 0 0 969

Abr 915 0 0 0 915

Mai 941 0 0 0 941

Jun 0 0 0 0 0

Jul 0 0 0 0 0

Ago 0 0 0 0 0

Set 0 0 0 0 0

Out 0 0 0 0 0

Nov 0 0 0 0 0

Dez 0 0 0 0 0

TOTAL 4422 0 0 0 4422

O Serviço de Ambulatório do Hospital Regional Público de Miracema, resume-se ao Serviço de Fisioterapia e ao Serviço de Psicologia, não tendo consultas médicas eletivas, e trabalhamos dentro de uma normalidade no mês de maio de 2012.

6.1.9 – ATENDIMENTOS DE URGÊNCIA/EMERGÊNCIA

1.9. Urgência/Emergência 1.9.1. Consultas 1.9.2. Consultas com Procedimentos 1.9.3. Procedimentos 1.9.4. Procedimentos Cirúrgicos Total

Jan

Fev

Mar

Abr

Mai

Jun 0 0 0 0 0

Jul 0 0 0 0 0

Ago 0 0 0 0 0

Set 0 0 0 0 0

Out 0 0 0 0 0

Nov 0 0 0 0 0

Dez 0 0 0 0 0

TOTAL 20130 0 0 0 20130

2918 3271 4153 5407 4381 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

2918 3271 4153 5407 4381

No mês de maio atingimos o total de 4381 atendimentos, o que representa uma queda de 19% em relação ao mês de abril de 2012, mas se compararmos com a média do 1º quadrimestre de 2012 produzimos 11% a mais. Vale registrar que no Hospital Regional Público de Miracema todos os médicos cumprem suas cargas horárias normalmente, quem tem 20 horas faz 04 plantões e quem tem 40 horas 07 plantões, todos efetivamente trabalhados.

Página | 107

6.1.10 – RECURSOS HUMANOS
1.10. Recursos Humanos 1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total 34 131 12 29 20 226 Janeiro
S e s a u P ró 3º

Fevere iro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Março
T o t a l S e s a u P ró 3º T o t a l S e s a u P ró

Abril
3º T o tal

29 10 0 41 4 84

0 0 0 12 0 12

63 141 12 82 24 322

34 131 12 29 20 226

29 11 0 47 7 94

0 0 0 0 0 0

63 142 12 76 27 320

34 131 12 29 20 226

30 11 0 47 6 94

0 0 0 0 0 0

64 142 12 76 26 320

34 131 12 29 20 226

30 11 0 47 5 93

0 0 0 0 0 0

64 142 12 76 25 319

1.10. Recursos Humanos
S e s a u P ró

Maio

Junho
T o t a l S e s a u P ró 3º

Julho
T o t a l S e s a u P ró 3º

Agos to
T o t a l S e s a u P ró 3º T o tal

1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total

40 121 12 30 18 221

31 8 0 50 5 94

0 0 9 0 0 9

71 129 21 80 23 324

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

1.10. Recursos Humanos 1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total 0 0 0 0 0 0

Setem bro
S e s a u P ró 3º

Outubro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Novem bro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Deze m bro
T o t a l S e s a u P ró 3º T o tal

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

No dia 02 de maio de 2012 deu início as atividades do Sr. Fernando Ferreira Alves, contratado como Técnico em Segurança do Trabalho.

Página | 108

6.1.11 – NEP

RELATÓRIO NÚCLEO DE EDUCAÇÃO PERMANENTE HOSPITAL REGIONAL PUBLICO DE MIRACEMA M AIO/2012

CURSO Treinamento Segurança do Paciente Mv Sistemas-Faturamento AIH Mv Sistemas-Faturamento BPA Treinamento Manutenção-Ordem de Serviço Regulação Médica das Urgências Agendamento Cirurgico TOTAL
TOTAL DE HORAS NÚMERO TOTAL DE COLABORADORES DO HOSPITAL HORAS/HOMEM

NÚMERO DE PARTICIPANTES 3 3 3 17 1 8 35 80:00:00 324 0:14:49

CARGA HORÁRIA 02:00:00 03:00:00 08:00:00 01:00:00 16:00:00 01:00:00 31:00:00

TOTAL DE HORAS 6:00:00 9:00:00 24:00:00 17:00:00 16:00:00 8:00:00 80:00:00

HORAS DE TREINAMENTO
144:00:00 120:00:00 96:00:00 72:00:00 48:00:00 24:00:00 0:00:00 JAN FEV MAR ABR MAI

DADOS QUALITATIVOS

As ações de capacitação do Hospital Regional Publico de Miracema (HRPM), no mês de Maio de 2012, apresentaram uma queda expressiva referênte ao número de horas em relação ao mês anterior, destacamos que os treinamentos de Gestão da Qualidade e Gerenciamento de Processo, Sistematização de assistência de Enfermagem, Classificação de Riscos e Oficina de Politica de Educação Permanente ao qual estavam programadas para o mês de Maio foram cancelados, pois, não tinhamos recursos financeiros para a realização dos mesmos.Informamos que em reunião junto a Diretoria do HRPM as capacitações que estavam programadas para os meses posteriores, referente ao ano de 2012 foram canceladas, devido ao rompimento de contrato entre pró-saúde e Estado do Tocantins.

Página | 109

6.1.12 – LOGÍSTICA

1.13. Estoque
1 3.1 Esto que em dias de co nsumo - M at/med 30 dias .1 .

Jan

Fev

Mar 65,0 65,0

Abr 52,0 52,0

Mai 52,0 52,0

Jun 0,0 0,0

Jul 0,0 0,0

Ago 0,0 0,0

Set 0,0 0,0

Out 0,0 0,0

Nov 0,0 0,0

Dez 0,0 0,0

TOTAL 588,0 588,0

257,0 162,0 257,0 162,0

Total

Com o término da organização do processo de implantação do sistema de informação já conseguimos notar a normalização dos números apresentados, nos fechamentos dos períodos de trabalho do setor de logística, então a expectativa seria que a partir do mês de julho, pudéssemos ter uma média trimestral mais real, para conseguirmos avaliar os indicadores de qualidade, como a Curva ABC, Estoque para dias de consumo, entre outros, para com isso conseguir definir uma política de gestão de estoque mais adequada para nossa realidade.

6.1.13 – CORPO CLÍNICO

Início das atividades dos médicos residentes de Cirurgia Geral, que irão acompanhar toda a rotina da Clínica Cirúrgica, de segunda a sexta-feira. No dia 09 de maio de 2012, realizamos reunião com Direção Técnica e Serviço de Ginecologia/Obstetrícia para informar que conseguimos fechar escala de pediatria:
• • • • • • 2ªf – Dr. Amaral (Obstetrícia) e Dr. Weldes (Pediatria); 3ªf – Dr. Amaral (Obstetrícia) e Dr. Miguel ou Dr. Weldes (Pediatria); 4ªf – Dra. Rita (Obstetrícia) e Dra. Letícia (Pediatria); 5ªf – Dr. José Martins (Obstetrícia) e Dr. Miguel (Pediatria); 6ªf – Dr. José Martins (Obstetrícia) e Filha do Dr. Raimundo Boi (Pediatria); Sábados e Domingos – Dra. Rita (02 primeiros – Obstetrícia) e Dr. Paulo (02 últimos – Obstetrícia) e Dra. Igara, Dr. Miguel e Dr. Weldes (revezamento na Pediatria).

Ficou definido que as visitas, e evoluções ginecológicas/ obstétricas serão realizadas pelo médico plantonista do dia, e ainda os médicos ficaram de apresentar em até 15 dias, relatório com necessidades e sugestões de melhorias para o serviço de Obstetrícia.

Página | 110

No dia 15 de maio de 2012, deu início as atividades do Dr. Adelmo Aires Negre, Cirurgião Geral e Urologista que atuará no hospital toda terça-feira, e também realizará Consulta Ambulatorial na Policlínica do Município no período da tarde. Apresentado médico á Sra. Maria Sônia Oliveira de Souza, Secretária Municipal de Saúde. No dia 16 de maio de 2012 deu início as atividades da Dra. Viviane Camargo Pires, Pediatra, que atuará nas quartas-feiras e sextas-feiras, realizando atendimento de Pronto-Socorro e Cobertura Sala Parto. A Dra. Adriana (Cirurgiã Geral) apresentou no dia 16 de maio de 2012, a Escala de Estágio Rural do Programa de Residência Médica em Cirurgia Geral. Sendo que desenvolverá suas atividades sempre com Médico Preceptor, de plantão no dia, período da manhã: avaliação de pacientes internados e auxílio nas cirurgias; e período da tarde: ambulatório do pré e pós-operatório. O processo de documentação está em andamento no DGES. No dia 30 de maio de 2012, a Dra. Rita de Cássia Mendes e Dr. Paulo Lázaro, ambos da Ginecologia / Obstetrícia, comunicaram que não irão mais realizar plantões aos finais de semana, a partir desta data. No dia 31 de maio de 2012, enviamos para Dra. Margareth e Dr. Cesar (Pró-Saúde) Relatório Assistencial do Hospital Regional Público de Miracema, contemplando informações referente InfraEstrutura, Equipamentos, Melhorias Implantadas, Dificuldades vivenciadas relacionadas ao Corpo Clínico e Área Assistencial desde o início de nossas atividades.

Página | 111

6.2 - SAU
1. Registros de Opinião
Análise referente aos registros de opinião do período de 01/05/2012 à 31/05/2012: Nº 01 02 03 04 05 06 07 Ocorrências Reclamações Sugestões Elogios Número de questionários Queixas Resolvidas Meta contratual Meta Realizada Total 05 03 01 09 05 80% 100%

No mês de Maio de 2012, conseguimos superar mais uma vez a meta contratual. Tratamos todas as queixas com o máximo de responsabilidade e bom senso possível, buscando a satisfação do usuário e melhorias no que diz respeito ao atendimento prestado à população.

Página | 112

2. Índices de Satisfação

Hospital Regional Público de Miracema
100,000 90,000 80,000 70,000 60,000 50,000 40,000 30,000 20,000 10,000 ,000 88,570 93,560 86,830 85,600

AMBULATORI O (%) 81,230 85,360 88,570 9,036%

INTERNAÇÃO (%) 89,220 87,800 93,560 4,864%

PRONTO SOCORRO (%) 80,640 85,360 86,830 7,676%

SADT (%) 79,630 83,870 85,600 7,497%

Março/2012 Abril/2012 Maio/2012 Evolução do Período

Análise referente aos Índices de Satisfação

Embora ainda não tenha acontecido a reforma prevista nas enfermarias e a estrutura predial esteja precária, houve um pequeno crescimento percentual no mês de Maio. Acreditamos que isso se deu ao fato de que o número de atendimentos foi menor, com relação ao mês passado. Continuamos melhorando os processos, buscando sempre a satisfação de nossos usuários, para que os mesmo tenham um serviço de qualidade.

6.3 – GERENCIAMENTO DE PROCESSOS Dia 02/05 Recebemos a visita do servidor Sr. Charlton Santos de Matos, analista de Controle Interno – NUSCIN/SESAU, para acompanhar e fiscalizar a prestação de serviços na área de abastecimento “Logística”. A visita foi realizada entre os dias 02 e 04 de maio de 2012.
Página | 113

Dia 03/05 Instalamos novamente as 02 impressoras (Recepção e Administrativo) que estavam em manutenção na Exata Copiadora. Realizado reunião ás 17h com o Setor do Faturamento para alinhamento das rotinas pertinentes ao setor mediante utilização de novos sistemas SISREG, e Módulo MV. O Sr. Fernando Ferreira Alves, Técnico em Segurança do Trabalho, verificou a validade dos extintores, identificado necessidade de recarga, porém no momento não realizada devido falta de recursos financeiros. Acompanhamos á Aula 7 – Transpor a Evidência em Cuidados mais Seguros, do curso online Cuidados com a Segurança do Paciente. Dia 04/05 Realizada reunião para discussão do Projeto de Iniciativa para Hospital Amigo da Criança, e fizemos contato com Hospital Dona Regina para agendarmos visita para verificarmos práticas adotadas, e posteriormente recebermos material “didático”. Reorganização da Recepção para prática efetiva do SISREG, devido à necessidade da demanda, disponibilizarmos uma funcionária do SAU (Pró-Saúde) para atuar na recepção no cadastro de atendimento, e assim serão 02 pessoas para atuarem no SISREG (uma exclusiva e outra dividindo com a rotina da recepção); Instalado outra máquina no arquivo da recepção para realização de tal rotina; e Elaboramos Formulário de Justificativa para o SISREG, para preenchimento médico plantonista que solicita a internação do paciente, a fim de anteciparmos as possíveis pendências geradas no sistema e conseqüentemente aumentarmos a número de prontuários digitados.

Página | 114

Dia 07/05 Efetuamos o fechamento das AIH’s referente ao mês de Abril, com a quantidade total de 259, no valor total de R$ 121.590,36. Iniciamos o processo de implantação do Formulário Solicitação de Internação - SISREG, com intuito de reduzir o tempo de autorização. A Direção Técnica além de elaborar Comunicado ao Corpo Clínico, ficou com a responsabilidade de orientar os médicos plantonistas quanto ao preenchimento. Dia 08/05 Realizamos visita na Prefeitura Municipal de Miracema do Tocantins para verificar situação do Processo de Isenção do ISS, e até o presente momento não obtivemos resposta.
Foi realizado treinamento do Módulo MV – Faturamento referente AIH’S, para liderança e colaboradores do setor ministrado pelos consultores Ellis Silva (MV) e Sabrine Varão (MV).

Dia 09/05 Realizamos reunião para organização da Participação na Feira Literária Regional - FLIT, nos dias 17, 18 e 19 de maio de 2012, onde atuaremos em parceria com Colégio Supremo, teremos um “stand” (tenda) onde alunos do Colégio e alguns de nossos profissionais estarão presentes realizando aferição da pressão arterial, verificação da glicemia, cálculo do índice de massa corporal, e dando orientações sobre alimentação saudável, vacinação, e tabagismo. Enviamos ao Coordenador Regional, Sr. Allan Lobo, organograma atualizado com nomes dos profissionais desde à Direção até os cargos de Supervisão. Efetuado aquisição de 02 pneus para substituição dos pneus dianteiros do veículo administrativo (Clio – Placa MVX1876) e também realizado manutenção do motor de partida, autorizado mediante necessidade da urgência.
Página | 115

Dia 10/05 Enviamos aos Coordenadores Regional, Sr. Allan Lobo, e Sr. Edemir Beltrame o relatório do mês de Abril do Sistema SISATIV. E estaremos preenchendo os meses de janeiro a março posteriormente. Realizamos reunião para organização da Semana da Enfermagem, definido cronograma com realização de missa nas dependências do hospital (dia 12/05), vacinas, cuidados com a beleza (maquiagem), presença do boticário e palestras (do dia 15 á 18/05).
Acompanhamos no dia 10 de maio de 2012 á Aula 8 – Tema: Aprofundar o Conhecimento em Segurança do Paciente/Doente. Última aula do curso online Cuidados com a Segurança do Paciente.

Dia 11/05 Reunião Mensal de Diretoria e Lideranças, discutido os seguintes assuntos: apresentação do Sr. Fernando, Técnico em Segurança do Trabalho; implantação do Módulo Faturamento – MV; SISREG – Implantação de Formulário Justificativa de Internação – Dificuldades Encontradas – Fluxo de Prontuário; Organização do Serviço de Obstetrícia/ Pediatria; Reunião com Secretário da Saúde; Relacionamento Pró-Saúde x SESAU; Suspensão de Recursos Financeiros para Investimentos; Treinamento Mapeamento de Processos; Organização do Fluxo Centro-Cirúrgico x Implantação; Formulário de Solicitação de Serviço – Manutenção; Pronto-Socorro x Laboratório; Realização de Ações Sociais - GTH; Semana da Enfermagem; Missa em intenção ao Dia das Mães e Semana da Enfermagem (Dia 12/05 - 08h); e Apresentação Setorial - Segurança do Trabalho. Dia 14/05 Respondido pendências do Sistema MV, inconsistências no estoque. Autorização para aquisições diversas, para suprir o Hospital dos insumos necessários ao seu bom funcionamento.
Página | 116

Reunião com Anestesiologistas Dr. Jobel Egito e Dr. Paulo Márcio, para definição de escala de plantão. Realizado contato com Liana e agendado Oficina para Projeto Hospital Amigo da Criança a ser realizada no HRPM de 18 á 28 de junho de 2012. Recebemos email suspendendo Reunião de Logística, com a presença do Sr. Carlos Gomes, Sra. Mônica Granzo e Reunião Mensal de Coordenação Regional que estavam agendadas para 15/05 no HRPM. Dia 15/05 Recebemos visita do Sr. Marcus Vinicius Alvin de Oliveira, Sra. Luci Gonçalves Campos e Sra. Lucilene Maria Pereira de Oliveira (SESAU), que verificaram juntamente ao Faturamento e Departamento Pessoal, respectivamente, a situação Cadastral do Hospital, BPA e AIH. Aproveitamos a presença para inclusão do serviço da Especialidade de Urologia. Recebemos visita da Sra. Adriana Guimarães Cruz (Diretora Assistente - Guaraí - Pró-Saúde), que verificou as dificuldades encontradas na implantação do SISREG e prática da rotina já implantada. Realização de Ações para Semana da Enfermagem como “Enfermagem Bela” e Regularização de Vacinas. O Sr. João Geraldo Tavares (Gerente de Negócios - White Martins), compareceu ao hospital para informar sobre a transferência de responsabilidade dos cilindros da SESAU para Pró-Saúde. Dia 16/05 Recebemos visita da Sra. Gislene Ferreira (Assistente Social do Município) e Sra. Laura Auxiliadora (Fisioterapeuta do Município) referente nossa visita na Casa do Idoso em 07 de maio, discutimos parceria em Ações Sociais realizada juntamente com GTH. Ficaram de elaborar proposta baseada nas necessidades encontradas no Município e posteriormente apresentar em reunião do GTH.

Página | 117

Iniciado processo de Implantação do Formulário de Solicitação de Serviço Manutenção (OS), entregamos as lideranças setoriais bloco do formulário e orientamos novamente quanto ao uso e fluxo do serviço. Dia 17/05 Reunião Mensal de Coordenação Regional, em Palmas, com Sr. Allan Lobo, para alinhamento e diretrizes. Recebemos email do Sr. Marcos Watcher (Coordenador Operacional) informando sobre Rescisão Contratual do Projeto Tocantins conforme ofício enviado pela SESAU à Pró-Saúde. Realizamos reunião extraordinária com lideranças e alguns colaboradores informando sobre o ocorrido e divulgamos nota da Pró-Saúde nos murais conforme solicitado. Solicitamos ao Sr. Eduardo Pinheiro (Coordenador de SHL - Pró-Saúde) realização de inventário de enxoval e bens dos Serviços de Higienização e Lavanderia.

Dia 18/05 Solicitamos ao Sr. Francisco (SESAU), responsável pelo Patrimônio, relação de Bens adquiridos na gestão Pró-Saúde. Dia 21/05 Entregamos ao Sr. Rafael Aráujo (Cadastro - Pró-Saúde) o backup do Sistema MV conforme solicitado. Dia 22/05 Enviamos Bisturi Elétrico que estava com placa queimada para HOSPTECH para manutenção, recebemos equipamento em condições de uso no dia 23 de maio.
Página | 118

Dia 23/05 Enviamos via email e via malote as Justificativas de Notas Fiscais pendentes para a Sra. Ângela Villas Boas - Escritório Pró-Saúde. Dia 24/05 Enviamos via email para a Sede Pró-Saúde com o arquivos do SISATIV preenchido dos meses de janeiro a março de 2012. Dia 25/05 Enviamos via email, para SESAU conforme solicitado via Ofício o quantitativo dos colaboradores SESAU e Pró-Saúde que atuam no HRPM.

Dia 28/05 Ocorreu a instalação de Blindex no Refeitório e Posto de Enfermagem, aquisição já autorizada no início do mês de Abril. O Sr. Marcel, Diretor Geral de Paraíso, ligou solicitando 01 veículo Ambulância emprestado devido problemas nos seus veículos. Emprestamos Veículo Doblô MXE-1453, até a devida manutenção dos veículos de Paraíso. Carro foi devolvido no dia 31 de maio de 2012. Dia 29/05 Recebemos visita do COREN-TO, na presença do Sr. Roberto Paulo R. de Mesquita e Sra. Elisângela Aparecida G. Praga, ambos Enfermeiros Fiscal, que nesta semana realizarão vistoria referente ao Setor de Enfermagem.

Página | 119

Enviamos via email relatório ao Sr. Allan Lobo, Coordenador Regional, com abertura de novos serviços, reformas, aquisição de equipamentos e implantações de fluxos e rotinas, que foram realizadas desde o início de nossa gestão em 01 de setembro de 2011. Dia 30/05 Recebemos os cartões de abastecimento Brasilcard, referente às 02 ambulâncias, carro administrativo e Cartão Coringa (cartão novamente com nome do Governo do Estado), com orientação do Setor de Transporte do Estado de uso á partir de 01 de junho de 2012. Recebemos Ofício da SESAU - Setor de Patrimônio entregue em mãos, solicitando relação de bens adquiridos pela Pró-Saúde e carta de doação dos mesmos bens ao Governo do Estado, solicitado orientações ao Coordenador Regional. Realizamos reunião com Consultores da MV Sr. Ellis e Sra. Paula Sabrine Varão, e profissionais da recepção e faturamento, com intuito de verificar as dificuldades encontradas, vivenciadas e identificar possibilidade de minimizá-las, após 01 mês de implantação do Módulo Faturamento. Informamos a Sra. Deuza da Policlínica – Secretaria Municipal de Miracema do Tocantins referente à situação da ausência de Ginecologia / Obstetrícia aos finais de semana, e da não possibilidade de realização de cirurgias eletivas ginecológicas, até a regularização da escala de trabalho. Enviamos ao Sr. Allan Lobo, Coordenador Regional, relatório sobre situação da Área Médica, elaborado pelo Diretor Técnico da SESAU, apresentando possíveis problemas que poderão ocorrer no HRPM com a saída da Pró-Saúde. Para posteriormente ser enviado a SESAU pelo ECTO. Enviamos para Sra. Viviane (SESAU) relação de equipamentos para cadastro de Projetos da Rede Cegonha.

Página | 120

Dia 31/05 Implementada nova política de compra, repassado o Fluxograma da Central de Compras SP ao nosso Serviço de Logística. Conforme solicitado pelo Sr. Allan Lobo, Coordenador Regional, inserido informação no televisor de avisos da Recepção, sobre Lei 16.653 de 28 de maio de 2012, referente proibição de solicitação de cheque calção e/ou cheque garantia. 6.4 – FATURAMENTO
5. Faturamento 5.1 - AIH 5.2 - Valores Jan 353 151.844,89 Fev 286 131.731,90 Mar 258 121.617,54 Abr 259 121.590,36 Mai 345 152.141,21 Jun 0 TOTAL 1501

0,0 678.925,90

No mês de maio de 2012 ocorreu a implantação do Módulo de Faturamento do Sistema MV, trazendo mais agilidade para o processamento das AIH’s, mas ainda prejudicado pelo processo de implantação e normalização do SISREG – Sistema de Regulação implantado pela SESAU. O SISREG depende fundamentalmente do preenchimento correto por parte dos médicos, questão que ainda gera muitas dificuldades pela mau hábito do não preenchimento dos documentos por parte de alguns médicos, ficando o processo prejudicado. Mas, a expectativa era que com a implantação do Módulo de Prontuário Eletrônica do Sistema MV, acabaria com grande parte desta problemática, mas avanço esse que ainda não ocorreu.

6.6 – OBRAS E IMPLANTAÇÃO DE NOVOS SERVIÇOS O Sr. José Raimundo Santos Lima, pedreiro da Manutenção, finalizou a reforma, restauração da antiga Sala do Almoxarifado e da antiga Sala de Treinamento do MV, onde seriam realocados respectivamente os Setores de Faturamento / Financeiro; e Setor de RH / DP.

Página | 121

Iniciado em 15 de maio de 2012 o Serviço de Urologia, toda terça-feira, com realização de cirurgias no período da manhã e ambulatório do pré e pós-cirúrgico na Policlínica do Município no período da tarde.

6.7 – EQUIPAMENTOS NOVOS Recebemos da SESAU em 02 de maio de 2012: • 02 Ventiladores Pulmonar Microprocessado de Alta Complexidade, Marca Intermed, Modelo Inter 7 Plus, com Monitor Gráfico colorido de 12”, com tela touchscreen de alta resolução (XGA), com umidificador acoplado; 02 Carro para Transporte de Ventilador Pulmonar; 01 Microcomputador – Marca Lenovo, processador Intel Core 2 VPRO, com gravadora de CD/DVD; 01 Monitor LCD 18.5” – Marca Lenovo; 01 Cadeira Giratória com estrutura em aço; 01 Mesa em melaminico para computador.

• • • • •

No dia 04 de maio de 2012 recebemos uma Autoclave 365 litros, Marca Baumer, Patrimônio nº 366.961, adquirida pela SESAU. O Sr. Deibly Araújo de Lima (TecSaúde – Engenharia Clínica), realizou no dia 09 de maio de 2012 as seguintes atividades: • • • Apresentou parecer de obsolescência dos seguintes equipamentos: Serra de Gesso (Marca Nevoni – Nº de Série 22010); e Eletrocardiógrafo (Marca Ecafix - Nº de Série 534050). Realizou vistoria em todos os setores assistenciais para identificar possíveis demandas e/ou necessidades; Realizou manutenções nos seguintes equipamentos: Incubadora Bacteriológica; Amnioscópio; Bisturi Eletrônico; Foco Cirúrgico; Lâminas para Laringoscópio; Aspirador Cirúrgico; Placa de Bisturi; e Eletrocardiógrafo.

O Sr. Deibly Araújo de Lima (TecSaúde – Engenharia Clínica), compareceu no dia 16 de maio de 2012 e desenvolveu as seguintes atividades:

Página | 122


Realizou manutenções nos seguintes equipamentos: Lâminas de Laringoscópio (C.C.), Oxímetro Dixtal (Emergência), Aspirador Cirúrgico (02 Emergência, e 01 Posto de Enfermagem); Realizou vistoria em todos os setores assistenciais para identificar possíveis demandas e/ou necessidades;

No dia 22 de maio de 2012, recebemos visita do Sr. Lucas Tavares, Engenheiro responsável pela TecSaúde - Engenharia Clínica, para comunicar encerramento das atividades de Engenharia Clínica devido rescisão de contrato entre Pró-Saúde e Governo do Estado do Tocantins. Sendo assim nesta semana não recebemos visita do Sr. Deibly Araújo de Lima (TecSaúde - Engenharia Clínica), a partir desta data estaremos enviando os equipamentos para HOSPTECH, que apresentou contrato renovado com a SESAU. Recebemos da SESAU no dia 29 de maio, os seguintes equipamentos:
• • 01 Mesa Cirúrgica Elétrica Ortopédica Radiotransparente; e 01 Mesa Cirúrgica Elétrica para Obesos de Aço Inox.

6.8 – COMISSÕES Conforme orientação do Coordenador Regional dar continuidade nas atividades das Comissões Contratuais independente da Rescisão Contratual entre Pró-Saúde e Governo do Estado do Tocantins. Comissão de Revisão de Prontuário: reunião realizada em 25 de maio, discutido sobre Implantação de nova rotina para o SISREG, Protocolos de Revisão de Prontuários, Sistematização da Assistência de Enfermagem, e Proposta de Alteração no Fluxo da Revisão do Prontuário, porém decidido manter o atual. Comissão de Farmaco-Vigilância: reunião realizada em 25 de maio, discutido sobre implantação dos Kits Cirúrgicos, Protocolo de Antibioticoterapia, Pendência da Aquisição dos Carros de Emergência, e realização de Hemocultura.

Página | 123

Comissão de CCIH: reunião realizada em 29 de maio, apresentado Relatório Mensal com 0% de Infecção Hospitalar, elegido novo Presidente da Comissão, discutido sobre Regimento Interno da Comissão, Proposta de Antibioticoterapia, padronização das FISPQ’s, notificação de doenças ao NHV/CCIH. Comissão de Óbito: reunião realizada em 30 de maio, discutido sobre fluxograma do preenchimento das Declarações de Óbito e pré-conferência, transferência de pacientes para Palmas, e apresentado Relatório de Óbitos Mensal, com ocorrência de 04 óbitos, sendo somente 02 investigados, e Taxa de Mortalidade de 1,01%. 6.9 – OUTRAS INFORMAÇÕES (SE NÃO HOUVER INFORMAÇÕES, FAVOR EXCLUIR ESTE ITEM.) No dia 04 de maio de 2012, recebemos a Cruz da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) – Rio 2013, com realização de missa nas dependências do Hospital, com participação dos colaboradores, pacientes, acompanhantes e comunidade. O evento foi acompanhado e registrado pelas mídias do Mira Jornal, SESAU, e Jornal do Tocantins. Realizamos visita no dia 07 de maio de 2012, à Casa dos Idosos, conversamos com a Sra. Nathália, diretora da unidade, e nos colocamos a disposição para ajudar conforme possível. Realizada no dia 08 de maio de 2012, reunião com o Sr. Luiz Fernando, Secretário Executivo da SESAU, solicitado resolução da situação das servidoras Sra. Maria Tereza Bertelle (responsável pelo Faturamento) e Sra. Maria Socorro Barbosa (responsável pelo Departamento Pessoal) que haviam sido exoneradas, e para que sejam novamente renomeadas (DAS); verificado questões dos Plantões Extras, Serviço de Ortopedia, Infra-Estrutura e Investimentos. Realizado no dia 12 de maio de 2012, Missa no Estacionamento do Hospital pelo Pe. Ricardo (Igreja Católica) em intenção ao Dia da Enfermagem (12/05) e ao Dia das Mães (13/05) para todos os pacientes, acompanhantes e profissionais de saúde do HRPM. Entre os dias 17 a 19 de maio, participamos da FLIT em Miracema, durante todo evento ocorreu aferição da pressão arterial, verificação da glicemia, cálculo do índice de massa corporal, orientações
Página | 124

sobre alimentação saudável, vacinação, e orientações sobre tabagismo. Também participou como parceira o Colégio Supremo. PALAVRA DO DIRETOR GERAL DO HOSPITAL
No mês de maio de 2012 pode-se notar claramente o quanto ágil podemos ser com relação as melhorias das condições de trabalho e estrutura que concorrem para o bom atendimento dos nossos clientes, com o reestabelecimento da normalidade nas atividades do bloco cirúrgico ocorrido neste mês, conseguimos atingir o total de 421 pacientes saídos, que se compararmos com as médias dos anos de 2010 e 2011, que foram 328 e 325 respectivamente, teremos um acréscimo da ordem de 29% no quantitativo de pacientes atendidos. Ainda, com relação a organização das atividades do bloco cirúrgico, durante os anos de 2010 e 2011, o Hospital Regional Público de Miracema atingiu as médias de 91 e 104 cirurgias/mês respectivamente, e se compararmos com este mês de maio de 2012 que atingimos um total de 178 procedimento cirúrgicos, veremos um acréscimo de aproximadamente 96% em relação a 2010 e 71% em relação ao ano de 2011, mostrando o quanto melhoramos em relação ao atendimento da comunidade. Todas as atividades realizadas pelo Hospital Regional Público de Miracema ocorreram sem maiores problemas durante o mês de maio, e a expectativa é que teremos uma transição bastante tranqüila, assim como foi a nossa chagada em Setembro de 2011.

Página | 125

1. Recebimento da Cruz da Jornada Mundial da Juventude – JMJ 2013, realizado no dia 04 de maio de 2012.

2. Missa de Ação de Graças ao Dia da Enfermagem e Dia das Mães, realizado no dia 12 de maio de 2012.

Página | 126

3. Comemoração em Homenagem ao Dias das Mães na Brinquedoteca do Hospital, realizado no dia 14 de maio de 2012.

4. Semana da Enfermagem, realizada nos dias 15 á 18 de maio de 2012.

5. Participação na Feira Literária – FLIT, realizado nos dias 17 á 19 de maio de 2012.

Página | 127

2.7 HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE PORTO NACIONAL 2.7.1 METAS CONTRATUAIS

7.1 – INDICADORES DE PRODUÇÃO

7.1.1 – Nº DE LEITOS POR ESPECIALIDADE;
1.1. Leitos por E specialidade 1.1.1. C línica M édica 1.1.2. C línica P ediátrica 1.1.3. C línica C irúrgica 1.1.4. C línica O bstétrica 1.1.5. U I de Adultos T 1.1.6. U I Infantil T 1.1.7. U I N T eonatal 1.1.8. B erçário 1.1.9. C línica O rtopédica 1.2.10. O utros T otal de Leitos Jan 41 0 17 0 0 0 0 0 10 0 68 F ev 45 0 21 0 0 0 0 0 5 0 71 Mar 49 0 21 0 0 0 0 0 5 0 75 Abr 51 0 16 0 0 0 0 0 9 0 76 Mai 50 0 17 0 0 0 0 0 9 0 76 Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 S et 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 O ut 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 N ov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 D ez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TO TAL 236 0 92 0 0 0 0 0 38 0 366

COMENTÁRIO: Houve variação no número de leitos da clínica médica e cirúrgica devido reforma e aquisição de camas novas e também a retirada da observação do Pronto Socorro das enfermarias.

7.1.2 – Nº. DE INTERNAÇÕES POR ESPECIALIDADE;
1.2. Internações por E specialidade 1.2.1. C línica M édica 1.2.2. C línica P ediátrica 1.2.3. C línica C irúrgica 1.2.4. C línica O bstétrica 1.2.5. U I de Adultos T 1.2.6. U I Infantil T 1.2.7. U I N T eonatal 1.2.8. B erçário 1.2.9. C línica O rtopédica 1.2.10. O utros T otal de Internações por especialidade Jan 231 0 158 0 0 0 0 0 64 0 453 F ev 204 0 161 0 0 0 0 0 70 0 435 Mar 265 0 191 0 0 0 0 0 101 0 557 Abr 193 0 181 0 0 0 0 0 117 0 491 Mai 228 0 170 0 0 0 0 0 114 0 512 Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago S et 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 O ut 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 N ov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 D ez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TO TAL 1121 0 861 0 0 0 0 0 466 0 2448

COMENTÁRIO: A variedade do número de internações por especialidade se deve à sazonalidade do período.

Página | 128

7.1.3– Nº. DE SAÍDOS POR ESPECIALIDADE
1.3. N de saídos por especialidade º. 1.3.1. C línica M édica 1.3.2. C línica P ediátrica 1.3.3. C línica C irúrgica 1.3.4. C línica O bstétrica 1.3.5. U I de Adultos T 1.3.6. U I Infantil T 1.3.7. U I N T eonatal 1.3.8. B erçário 1.3.9. C línica O rtopédica 1.3.10. O utros T otal de saídos por especialidade Jan 269 0 176 0 0 0 0 0 105 0 550 F ev 256 0 181 0 0 0 0 0 74 0 511 Mar 290 0 177 0 0 0 0 0 147 0 614 Abr 236 0 156 0 0 0 0 0 101 0 493 Mai 251 0 157 0 0 0 0 0 104 0 512 Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago S et 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 O ut 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 N ov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 D ez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TO TAL 1302 0 847 0 0 0 0 0 531 0 2680

COMENTÁRIO: A quantidade de saídos está diretamente ligada ao número de internações.

7.1.4 – PERCENTUAL DE OCUPAÇÃO POR CLÍNICA;
1.4. P orcentagem de O cupação 1.4.1. C línica M édica 1.4.2. C línica P ediátrica 1.4.3. C línica C irúrgica 1.4.4. C línica O bstétrica 1.4.5. U I de Adultos T 1.4.6. U I Infantil T 1.4.7. U I N T eonatal 1.4.8. O utros (B erçário) 1.4.9. C línica O rtopédica 1.4.10. O utros P orcentagemG eral de O cupação Jan F ev Mar Abr Mai Jun 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Jul 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Ago S et 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% O ut 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% N ov 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% D ez 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% TO TAL 437% 0% 375% 0% 0% 0% 0% 0% 379% 0%

98% 83% 85% 88% 83% 0% 0% 0% 0% 0%

78% 65% 80% 78% 74% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0%

26% 81% 96% 98% 78% 0% 0% 0% 0% 0%

COMENTÁRIO: A variação na clínica ortopédica se deve a contratação em regime de PJ de profissionais médicos a partir da segunda quinzena de fevereiro e a queda se dá devido a falta de repasse dos mesmos.

Página | 129

7.1.5 – MÉDIA DE PERMANÊNCIA;
1.5. Média de P ermanência 1.5.1. C línica M édica 1.5.2. C línica P ediátrica 1.5.3. C línica C irúrgica 1.5.4. C línica O bstétrica 1.5.5. U I de Adultos T 1.5.6. U I Infantil T 1.5.7. U N ti eonatal 1.5.8. O utros 1.5.9. C línica O rtopédica 1.5.10. O utros M édia G eral de P anência erm Jan 5.23 0 4.14 0 0 0 0 0 0.78 0 F ev Mar Abr Mai Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago S et 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 O ut 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 N ov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 D ez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TO TAL 19.42 0 20.46 0 0 0 0 0 5.2 0

4.25 4.43 5.51 4,76 0 0 0 0

4.59 6.79 4.94 2,01 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

1.58 1.14 0 0

1.7 1,95 0 0

7.1.6 – VOLUME CIRURGICO
1.6. Volume Cirúrgico 1.6.1. C irurgias de U rgência 1.6.2. C irurgias E letivas M édia G eral de C irurgias Jan 135 73 208 F ev 126 116 242 Mar 169 168 337 Abr 168 108 276 Mai 173 95 268 Jun 0 0 0 Jul 0 0 0 Ago S et 0 0 0 0 0 0 O ut 0 0 0 N ov 0 0 0 D ez 0 0 0 TO TAL 771 560 1331

COMENTÁRIO: A variação das cirurgias eletivas se deve a diminuição da carga horária de um dos cirurgiões por vontade própria do profissional.
7.1.6.3 – Nº DE CIRURGIAS POR PORTE
1.6.3. N úmero de Cirurgias por P orte 1.6.3.1. C irurgias G randes 1.6.3.2. C irurgias M édias 1.6.3.3. C irurgias P equenas 1.6.3.4. C uretagens 1.6.3.5. C esáreas M édia G eral de C irurgias por P orte Jan 26 18 164 0 0 208 F ev 0 45 197 0 0 242 Mar 0 71 266 0 0 337 Abr 0 59 217 0 0 276 Mai 0 34 234 0 0 268 Jun 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 Ago S et 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 O ut 0 0 0 0 0 0 N ov 0 0 0 0 0 0 D ez 0 0 0 0 0 0 TO TAL 26 227 1078 0 0 1331

Página | 130

7.1.6.4 – Nº. DE PARTOS POR TIPO
1.6.4. Núm ero de partos por tipo 1.6.4.1. Normal 1.6.4.2. Cesariana 1.6.3.3. Outros Jan 0 0 0 Fev 0 0 0 Mar 0 0 0 Abr 0 0 0 Mai 0 0 0 Jun 0 0 0 Jul 0 0 0 Ago 0 0 0 Set 0 0 0 Out 0 0 0 Nov 0 0 0 Dez 0 0 0 TOTAL 0 0 0

7.1.7 – SADT’S
1.7. SADT 1.7.1. Laboratório Clínico 1.7.2. Anatomia Patológica 1.7.3. Radiologia 1.7.4. Eletrocardiografia 1.7.5. Fisioterapia (Sessões) 1.7.6. Hemodiálise(Sessões) 1.7.7. Hemodinâmica 1.7.8. Hemoterapia 1.7.9. Endoscopia 1.7.10. Ultrassonografia 1.7.11 Tomografia Computadorizada 1.7.12 Ressonancia M agnética 1.7.13 M amografia 1.7.14 Citopatologia 1.7.15 Eletroencefalografia 1.7.16 Teste do Pézinho 1.7.17 Diversos 1.7.18 Teste Ergométrico T otal Jan F ev Mar Abr Mai Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago S et 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 O ut 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 N ov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 D ez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TO TAL 20369 385 9848 1061 0 0 0 0 116 358 0 0 0 0 0 0 0 0 32137

3697 3876 4574 3930 4292 80 98 95 0 112

1685 1647 2125 2131 2260 215 0 0 0 0 30 46 0 0 0 0 0 0 0 0 231 0 0 0 0 17 75 0 0 0 0 0 0 0 0 223 0 0 0 0 25 86 0 0 0 0 0 0 0 0 213 0 0 0 0 17 62 0 0 0 0 0 0 0 0 179 0 0 0 0 27 89 0 0 0 0 0 0 0 0

5753 5944 7128 6353 6959

7.1.8 – AMB ULATÓRIO
1.8. Am bulatório 1.8.1. Consultas 1.8.2. Consultas comProcedimentos 1.8.3. Procedimentos 1.8.4. Procedimentos Cirúrgicos T otal Jan 229 210 0 0 439 F ev 229 224 0 0 453 Mar 292 240 0 0 532 Abr 439 366 0 0 805 Mai 425 295 0 0 720 Jun 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 Ago S et 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 O ut 0 0 0 0 0 N ov 0 0 0 0 0 D ez 0 0 0 0 0 TO TAL 1614 1335 0 0 2949

COMENTÁRIO: O aumento das consultas ambulatoriais se deve pelo retorno de um profissional médico da ortopedia que estava atendendo somente no HGP.

Página | 131

7.1.9 – ATENDIMENTOS DE URGÊNCIA/EMERGÊNCIA
1.9. Urgência/Em ergência 1.9.1. Consultas 1.9.2. Consultas comProcedimentos 1.9.3. Procedimentos 1.9.4. Procedimentos Cirúrgicos T otal Jan F ev Mar Abr Mai Jun 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 Ago S et 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 O ut 0 0 0 0 0 N ov 0 0 0 0 0 D ez 0 0 0 0 0 TO TAL 17780 2443 0 0 20223

3166 3086 3818 3785 3925 359 0 0 496 0 0 587 0 0 385 0 0 616 0 0

3525 3582 4405 4170 4541

COMENTÁRIO: O número de atendimentos no mês de março foi maior no período devido greve que os médicos dos Postos de Saúde da Família fizeram e os pacientes foram encaminhados ao Pronto Socorro até o retorno dos mesmos.
7.1.10 – RECURSOS HUMANOS
1.10. Recursos Hum anos 1.10.1. A inistração dm 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SA DT 1.10.4. A poio 1.10.5. M édicos T otal 114 235 44 6 41 440 Janeiro
Sesau Pró 3º

F evereiro
Total Sesau Pró 3º

Março
Total Sesau Pró 3º

A bril
Total Sesau Pró 3º Total

52 25 8 56 8 149

0 0 0 0 0 0

166 260 52 62 49 589

100 234 41 5 38 418

59 25 9 73 10 176

0 0 0 0 0 0

159 259 50 78 48 594

100 232 42 5 36 415

58 25 9 73 10 175

0 0 0 0 0 0

158 257 51 78 46 590

101 231 41 5 36 414

60 24 9 79 12 184

0 0 0 0 0 0

161 255 50 84 48 598

1.10. Recursos Hum anos 1.10.1. A inistração dm 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SA DT 1.10.4. A poio 1.10.5. M édicos T otal 101 235 41 5 35 417

Maio
Sesau Pró 3º

Junho
Total Sesau Pró 3º

Julho
Total Sesau Pró 3º

A gosto
Total Sesau Pró 3º Total

60 24 9 73 12 178

0 0 0 0 0 0

161 259 50 78 47 595

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

1.10. Recursos Hum anos 1.10.1. A inistração dm 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SA DT 1.10.4. A poio 1.10.5. M édicos T otal 0 0 0 0 0 0

S etembro
Sesau Pró 3º

O utubro
Total Sesau Pró 3º

N ovembro
Total Sesau Pró 3º

D ezembro
Total Sesau Pró 3º Total

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

Página | 132

7.1.11 – NEP
NÚMERO DE PARTICIPANTES 125 10 13 12 13 14 18 67 17 229 120 20 658 CARGA HORÁRIA 8:00:00 2:00:00 10:00:00 5:00:00 1:00:00 2:00:00 1:00:00 1:00:00 8:15:00 10:00:00 10:00:00 2:00:00 60:15:00 TOTAL DE HORAS 1000:00:00 20:00:00 130:00:00 60:00:00 13:00:00 28:00:00 18:00:00 67:00:00 140:15:00 2290:00:00 1200:00:00 40:00:00 5006:15:00

CURSO

PCR (parada cárdio respiratória ) Avaliação de desempenho Trabalho em Equipe importância do acolher nos processos Atendimento com qualidade Normas Rotinas do HRPPN Critérios autorização dos acompanhantes Fluxograma para os acompanhantes/normas e rotinas Acolhimento/normas e rotinas do HRPPN Eletrocardiógrafo - EP 12 Semana da Enfermagem Semana da Enfermagem Direitos e Deveres dos Farmacêuticos TOTAL

TOTAL DE HORAS NÚMERO TOTAL DE COLABORADORES DO HOSPITAL HORAS/HOMEM

5006:15:00 598 8:22:18

JAN FEV MAR ABR MAI DADOS QUALITATIVOS

Página | 133

Houve um aumento das ações de capacitações do Hospital Regional Público de Porto Nacional, de servidores em relação ao mês anterior. Neste mês totalizamos a participação de 658 servidores/colaboradores e um total de 60:15:00 horas de treinamento.

7.1.12 – LOGÍSTIC A

1 3. Estoque .1 1 3.1 Estoque em dias de consumo - Mat/med 30 dias .1 . Total

Jan 1 06.0 1 06.0

Fev 1 47.0 1 47.0

Mar 1 20.0 1 20.0

Abr 69.0 69.0

Mai 60.0 60.0

Jun 0.0 0.0

Jul 0.0 0.0

Ago 0.0 0.0

Set 0.0 0.0

Out 0.0 0.0

Nov 0.0 0.0

Dez 0.0 0.0

TOTAL 502.0 502.0

7.1.13 – CORPO CLÍNICO

A partir de 01/06/2012 não haverá plantão de ortopedia aos finais de semana devido atraso nos repasses.

7.2 - SAU Registros de Opinião - 01/05/2012 a 31/05/2012
Ocorrências Reclamações Sugestões Elogios Total de Questionários Queixas resolvidas Meta Contratual Meta Realizada Maio 2012 4 2 10 16 4 80,00% 100%

Página | 134

Dentre as reclamações neste mês de Maio podemos citar que algumas não são de responsabilidade do Hospital Regional, como por exemplo, a questão da implantação de uma casa de apoio na cidade e a questão das obras externas, que estão contempladas juntamente à Secretaria de Infra Estrutura (SEINFRA). Uma delas depende de investimento, onde será enviado ofício à Secretaria de Saúde do Estado (SESAU) e a outra é questão de treinamento interno que já foi realizado com nossos colaboradores.

Hospital Regional Público de Porto Nacional Maio/2012; Maio/2012; PRONTO Maio/2012; AMBULATORIO Maio/2012; SADT SOCORRO (%); (%); 68,300 INTERNAÇÃO (%); (%); 97,330 96,860 88,810

AMBULATORIO INTERNAÇÃO (%) (%) Março/2012 Abril/2012 Maio/2012 Evolução do Período 67,150 68,110 68,300 1,713% 82,220 87,490 88,810 8,015%

PRONTO SOCORRO (%) 97,180 98,070 96,860 -,329%

SADT (%) 98,370 97,700 97,330 -1,057%

No serviço prestado do ambulatório houve uma pequena melhora, devido o tempo de espera do usuário devido trabalhos que têm sido realizados para reduzi-lo. A internação teve um aumento significativo, em função da melhoria do atendimento em geral, da alimentação que sempre é bem elogiada, e as instalações físicas, onde foi feito a manutenção dos climatizadores em todas as enfermarias. No Pronto-Socorro teve uma queda no seu índice devido as queixas sobre a limpeza e o atendimento da equipe de enfermagem e médica. SADT teve uma diminuição no seu índice, que está relacionado também a limpeza, sendo que, os outros índices se mantém de forma positiva. Muitas mudanças foram adquiridas através do trabalho do S.A.U., referente à qualidade, satisfação, atendimento humanizado ao usuário tendo como foco a satisfação dos usuários. Página | 135

7.3 – GERENCIAMENTO DE PROCESSOS

Toda quinta-feira é realizada reunião de diretoria com o diretor geral, diretor da SESAU, diretor técnico, diretora administrativa e gerente de enfermagem para discussão e planejamento dos processos inerentes ao hospital.

• • • • • • •

Realizadas reuniões mensais da gerência de enfermagem com o pessoal do centro cirúrgico e prontosocorro para alinhamento dos processos. Planejamento e realização da Semana de Enfermagem com o tema Segurança do Paciente em Ambiente Hospitalar em conjunto com o Hospital Materno Infantil Tia Dedé e com o ITPAC. Implantação em conjunto com SCIH de protocolo de prevenção de pneumonias hospitalares através da higienização oral utilizando clorexidina aquosa para os pacientes imunossuprimidos. Implantação de nova rotina de uso e controle de almotolias no CME, através de método rigoroso de identificação e controle. Revisão das técnicas de higienização e acondicionamento de materiais respiratórios em parceria com o serviço de SCIH e fisioterapia. Visita técnica a Clínica Bioclin de Esterilização com o objetivo de aperfeiçoamento de técnicas de esterilização e orçamentos visando terceirização da higienização e assepsia do aparelho endoscópio. Implantação da Primeira etapa do Processo de Enfermagem: Histórico de Enfermagem conforme resolução do Cofen 272/2002 através do grupo de interesse em Sistematização da Assistência de Enfermagem.

Revisão dos carrinhos de parada respiratória quanto ao quantitativo e acondicionamento conforme recomendação do American Heart Institut, com proposta de adequação, aguardando parecer da Diretoria Técnica.

Treinamento mensal de manobras de ressucitação cardiopulmonar (utilizando bonecos específicos fornecidos pela Pró-Saúde) com foco na atuação da enfermagem no momento da parada e a importância de manter o ambiente tranqüilo e organizado.

• •

Implantação em conjunto com a supervisão da farmácia de formulário para maior organização e controle de dispensação de materiais. Acompanhamento de visita de inspeção do Coren Tocantins para verificação de correção de não conformidades identificadas na visita anterior, através de notificações já solucionadas.

Página | 136

Revisão do dimensionamento de pessoal associando o número de colaboradores com a planilha anual de férias para previsão e planejamento mensal bom como possíveis remanejamentos intersetoriais a fim de evitar desfalques na escala e também levantar a necessidade de cobertura através de plantões extras.

• • • • • •

Reunião para alinhamento de processos e organização de rotinas com o serviço de transporte de pacientes (maqueiros). Reunião mensal com a CCIH para análise de indicadores, alinhamento de processos e possíveis melhorias relacionadas aos processos de controle de infecção. Reunião com a supervisão da farmácia e a equipe MV para adequação dos processos de dispensação, devolução, organização e controle de materiais e equipamentos. Cobertura 24 horas no setor de acolhimento por enfermeiros visando triagem de pacientes em período integral. Elaboração e implantação de cartilha de orientações pré-operatórias pelas enfermeiras do centro cirúrgico visando agilizar e corrigir os processos assistenciais no período pré-operatório. Elaboração de manual prático com fotos coloridas de todo instrumental utilizado no centro cirúrgico objetivando controle e organização das caixas cirúrgicas e também maior agilidade nos processos de manutenção e reposição.

7.4 – FATURAMENTO
4. Faturamento 4.1- AIH (Q uantitativo) 4.2 - Valores (em reais) Jan 345 259,346.8 Fev 481 31 3,558.3 Mar 476 328,768.4 Abr 51 1 Mai 462 Jun 0 0.0 Jul 0 0.0 Ago 0 0.0 Set 0 0.0 Out 0 0.0 Nov 0 0.0 Dez 0 0.0 TOTAL 2275 1 21 241 5.7

339,542.2 274489,92

7.6 – OBRAS E IMPLANTAÇÃO DE NOVOS SERVIÇOS
• A obra em execução pela SEINFRA da Ala A, continua na etapa do Pronto Socorro.

Página | 137

ABRIL 2012

MAIO 2012

ABRIL 2012

MAIO 2012

A obra foi paralisada na semana do dia 13 de março por falta de pagamento da empreiteira, e retornou apenas no dia 19 de abril, sem previsão de entrega. • Reforma do prédio do HEMOTO (hemocentro) para transferência do almoxarifado e alguns setores administrativos. Falta colocação dos aparelhos de ar condicionado, cabos de rede para comunicação MV e internet, porta de acesso ao almoxarifado e mobilização do servidor para a área específica (em andamento).

Página | 138

ANTES

DURANTE REFORMA

ANTES

DURANTE REFORMA

Concluída a obra do abrigo do lixo, após auditoria do Tribunal de Contas do Estado (TCE) e Núcleo Gestor da SESAU.

ANTES

DEPOIS Página | 139

7.7 – EQUIPAMENTOS NOVOS
• • • • • • • Aquisição de 10 esfignomanômetros de coluna portátil (relógio). Aquisição de 06 cadeiras de roda. Aquisição de 04 cadeiras de banho. Aquisição de 01 negatoscópio. Aquisição de 01 contador de célula digital. Aquisição de 15 suportes de soro. Entregue uma mesa cirúrgica e um foco cirúrgico pela Secretaria Estadual de Saúde.

7.8 – COMISSÕES
• A Comissão de Prontuário Médico se reuniu no dia 25 de maio e os prontuários foram analisados criteriosamente pelo presidente da comissão que relatou a coerência entre o diagnóstico e os relatos do prontuário; • • • Apesar de várias cobranças a reunião da Comissão de Ética Médica não ocorreu porque os médicos não se reuniram neste mês; Apesar de várias cobranças a reunião da Comissão de Óbito não ocorreu porque os médicos não se reuniram neste mês; A Comissão de Controle de Infecção Hospitalar se reuniu no dia 09 de maio, onde foi discutido os indicadores de abril mantendo uma constância dos índices, exceto infecções respiratórias que apresentou índice de 37,5% o que justifica a implantação de novos protocolos. Vários outros assuntos foram discutidos na reunião que se encontram na ata em anexo; • A reunião da Comissão de Farmácia e Terapêutica ocorreu no dia 09 de maio sem ocorrências relevantes ao processo.

7.9 – OUTRAS INFORMAÇÕES • Nos dias 03, 04, 05 e 06 de maio o Hospital Regional Público de Porto Nacional juntamente com o Hospital Materno Infantil Tia Dedé participaram da Feira Literária do Tocantins com a montagem de uma tenda com profissionais da enfermagem para aferição de pressão arterial, glicemia e orientações de saúde ao público.
Página | 140

Nos dias 10 e 11 de maio foi realizada Semana de Enfermagem em conjunto com o Hospital Materno Infantil Tia Dedé em comemoração ao Dia Mundial da Enfermagem. O evento contou com mais de 300 pessoas, sendo eles profissionais e alunos de enfermagem.

Página | 141

Comemoração dos aniversariantes do mês.

Em comemoração ao Dia da Mães, foi realizado entrega de lembranças, sorteado brindes as mães colaboradoras, apresentação da Banda Mestre Adelino na sexta-feira (11/05) e entregue lembranças com almoço especial no domingo (13/05) para as mães internadas no hospital.

Página | 142

• •

Continuidade da ginástica laboral para os colaboradores. Toda quinta-feira é realizado corte de cabelo dos usuários para maior comodidade e a fim de elevar a auto-estima dos mesmos.

PALAVRA DO DIRETOR GERAL DO HOSPITAL
No mês de maio o Hospital Regional Público de Porto Nacional passou por algumas dificuldades como nos demais hospitais, devido ao atraso de pagamento de fornecedores conforme ciência do Secretário de Saúde e a rescisão do contrato com a SESAU. Os colaboradores trabalharam com muitas dúvidas de como ficará a Gestão do Hospital e principalmente se os colaboradores contratados pela Pró-Saúde serão aproveitados pela Secretária Estadual de Saúde.

Página | 143

O nosso maior objetivo foi manter as equipes em equilíbrio para que a população não sinta a transição da gestão e trabalhamos constantemente na manutenção dos estoques para que o serviço não perca a qualidade assistencial que por nos é de suma importância. A transição está sendo feita de modo harmonioso, o Diretor designado pela SESAU já absorveu as demandas gerenciais do Hospital. Estamos à disposição do mesmo, para que este processo não perca em qualidade assistencial à nossa população. De modo geral, o hospital passa por dificuldades, porém, a população continua sendo assistida com o maior profissionalismo possível e dedicação da maior parte da equipe que visa fazer o seu trabalho de modo digno e humanizado.

2.8 HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE GUARAÍ 2.8.1 METAS CONTRATUAIS

8.1 – INDICADORES DE PRODUÇÃO

8.1.1 – Nº DE LEITOS POR ESPECIALIDADE;
1.1. Leitos por Especialidade 1.1.1. Clínica Médica 1.1.2. Clínica Pediátrica 1.1.3. Clínica Cirúrgica 1.1.4. Clínica Obstétrica 1.1.5. UTI de Adultos 1.1.6. UTI Infantil 1.1.7. UTI Neonatal 1.1.8. Berçário 1.1.9. Clínica Ortopédica 1.2.10. Outros Total de Leitos Jan 18 13 19 14 0 0 0 4 0 0 68 Fev 18 13 19 14 0 0 0 4 0 0 68 Mar 18 13 19 14 0 0 0 4 0 0 68 Abr 18 13 19 14 0 0 0 4 0 0 68 Mai 13 13 17 12 0 0 0 3 0 0 58 Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 De z 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 85 65 93 68 0 0 0 19 0 0 330

COMENTÁRIO: O Hospital Regional Público de Guaraí atualmente possui 68 leitos cadastrados no Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde, está inserido na Macrorregião de Saúde de Araguaína e compõe juntamente com mais sete municípios, a Região de Saúde Lobo Guará, com população estimada em 58 mil habitantes. Neste mês foi reavaliada a capacidade total de leitos, sendo a mesma de 58 leitos. Nos dias14 e 15 de maio recebemos a visita de técnicos do setor de cadastro da SESAU, os quais confirmaram os dados Página | 144

levantados pela administração e realizaram a adequação do cadastro para posterior atualização no CNES. Desta forma, neste mês, para efeitos estatísticos, está sendo considerada a capacidade instalada de leitos do hospital.

8.1.2 – Nº. DE INTERNAÇÕES POR ESPECIALIDADE;
1.2. Internações por Especialidade 1.2.1. Clínica Médica 1.2.2. Clínica Pediátrica 1.2.3. Clínica Cirúrgica 1.2.4. Clínica Obstétrica 1.2.5. UTI de Adultos 1.2.6. UTI Inf antil 1.2.7. UTI Neonatal 1.2.8. Berçário 1.2.9. Clínica Ortopédica 1.2.10. Outros Total de Internações por especialidade Jan 55 14 75 64 0 0 0 13 0 0 221 Fev 76 35 78 61 0 0 0 13 0 0 263 Mar 68 45 97 63 0 0 0 16 0 0 289 Abr 79 45 74 57 0 0 0 14 0 0 269 Mai 64 13 39 72 0 0 0 10 0 0 198 Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 342 152 363 317 0 0 0 66 0 0 1240

COMENTÁRIO: O mês de maio apresentou uma queda significativa no número de internações, correspondendo a 26% em relação ao mês anterior, sendo as maiores variações percebidas nas clínicas pediátrica e cirúrgica. A queda no número de internações na especialidade de pediatria está diretamente relacionada às férias de uma das duas únicas pediatras que o Hospital Regional Público de Guaraí conta no quadro de profissionais médicos. Desta forma, neste mês apenas uma pediatra esteve disponível, sendo seus atendimentos mais direcionados à unidade intermediária neonatal e alojamento conjunto. A maioria dos casos pediátricos que necessitaram internação, foram encaminhados para outras unidades da rede hospitalar estadual. Também, a redução de internações na clínica cirúrgica pode ser atribuída ao período de férias de um dos cirurgiões, o que interferiu na realização de procedimentos cirúrgicos eletivos, contribuindo para a queda no total de internações.

Página | 145

8.1.3 – Nº. DE SAÍDOS POR ESPECIALIDADE;
1.3. Nº. de saídos por especialidade 1.3.1. Clínica Médica 1.3.2. Clínica Pediátrica 1.3.3. Clínica Cirúrgica 1.3.4. Clínica Obstétrica 1.3.5. UTI de Adultos 1.3.6. UTI Infantil 1.3.7. UTI Neonatal 1.3.8. Berçário 1.3.9. Clínica Ortopédica 1.3.10. Outros Total de saídos por especialidade Jan 96 13 72 26 0 0 0 9 0 0 216 Fev 108 34 76 27 0 0 0 14 0 0 259 Mar 127 37 96 26 0 0 0 12 0 0 298 Abr 104 31 88 30 0 0 0 14 0 0 267 Mai 59 20 40 69 0 0 0 8 0 0 196 Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 494 135 372 178 0 0 0 57 0 0 1236

COMENTÁRIO: Em consequência do menor número de internações ocorridas nesse mês de maio, podemos observar uma redução significativa no registro do número de pacientes saídos em todas as clínicas, à exceção da clínica obstétrica que apresentou número superior de internações, e consequente aumento de pacientes saídos em relação ao mês anterior.

8.1.4 – PERCENTUAL DE OCUPAÇ ÃO POR C LÍNICA;
1.4. Porce ntagem de Ocupação 1.4.1. Clínica Médica 1.4.2. Clínica Pediátrica 1.4.3. Clínica Cirúrgica 1.4.4. Clínica Obstétrica 1.4.5. UTI de Adultos 1.4.6. UTI Infantil 1.4.7. UTI Neonatal 1.4.8. Outros (Berçário) 1.4.9. Clínica Ortopédica 1.4.10. Outros Porcentagem Geral de Ocupação Jan 33% 9% 40% 36% 0% 0% 0% 57% 0% 0% 33% Fev 32% 23% 35% 35% 0% 0% 0% 35% 0% 0% 32% Mar 39% 18% 47% 31% 0% 0% 0% 52% 0% 0% 36% Abr 46% 24% 40% 29% 0% 0% 0% 68% 0% 0% 38% Mai 40% 6% 20% 38% 0% 0% 0% 45% 0% 0% 27% Jun 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Jul 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Ago 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Set 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Out 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Nov 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Dez 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% TOTAL 190% 79% 183% 169% 0% 0% 0% 257% 0% 0%

COMENTÁRIO: O percentual de ocupação no mês de maio apresentou variação considerável, levando-se em conta que o número de internações sofreu uma queda brusca, principalmente nas clínicas pediátrica e cirúrgica, o que está relacionado à ausência, por motivo de férias, de uma das duas únicas pediatras integrantes do corpo clínico do hospital e de um dos cirurgiões que normalmente possui produtividade significativa de cirurgias. A redução da permanência na clínica pediátrica também contribuiu para uma menor taxa de ocupação. A Página | 146

única clínica que apresentou crescimento na taxa de ocupação foi a clínica obstétrica, considerando o aumento de 12% do número de partos realizados neste mês.

8.1.5 – MÉDIA DE PERMANÊNCIA;
1.5. Média de Perm anência 1.5.1. Clínica Médica 1.5.2. Clínica Pediátrica 1.5.3. Clínica Cirúrgica 1.5.4. Clínica Obstétrica 1.5.5. UTI de Adultos 1.5.6. UTI Infantil 1.5.7. Uti Neonatal 1.5.8. Berçário Patológico 1.5.9. Clínica Ortopédica 1.5.10. Outros Média Geral de Permanência Jan 1,93 2,69 3,31 6,04 0 0 0 7,89 0 0 3,18 Fev 1,54 2,5 2,57 5,26 0 0 0 2,93 0 0 2,43 Mar 1,72 1,97 2,88 5,12 0 0 0 5,33 0 0 2,57 Abr 2,38 3,06 2,57 4,1 0 0 0 5,79 0 0 2,97 Mai 2,76 1,15 2,7 2,06 0 0 0 5,25 0 0 2,44 Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 10,33 11,37 14,03 22,58 0 0 0 27,19 0 0

COMENTÁRIO: observa-se uma redução na média geral de permanência no mês de maio, influenciada principalmente pela queda na permanência de pacientes nas clínicas pediátrica e obstétrica. Na clínica pediátrica, dos 13 pacientes internados, 5 foram transferidos para tratamento em outras unidades de saúde da rede estadual, o que influenciou para a queda na permanência nesta clínica. A clínica obstétrica apresentou um percentual de 100% a mais nos partos normais, e uma redução de 8% nos partos cesáreos em relação ao mês anterior, o que contribuiu para a redução na permanência das pacientes desta especialidade.

8.1.6 – VOLUME CIRURGICO;
1.6. Volum e Cirúrgico 1.6.1. Cirurgias de Urgência 1.6.2. Cirurgias Eletivas Média Geral de Cirurgias Jan 44 52 96 Fev 24 61 85 Mar 34 98 132 Abr 44 66 110 Mai 43 28 71 Jun 0 0 0 Jul 0 0 0 Ago 0 0 0 Set 0 0 0 Out 0 0 0 Nov 0 0 0 Dez 0 0 0 TOTAL 189 305 494

COMENTÁRIO: A notável redução na quantidade de cirurgias eletivas no mês de maio está diretamente relacionada à ausência de dois cirurgiões, por motivo de férias e Licença Médica, sendo que um destes apresenta uma produtividade significativa em relação ao total de cirurgias eletivas realizadas neste hospital. O número de cirurgias de urgência apresentou uma leve queda, porém mantendo-se na média em relação aos meses anteriores. Página | 147

8.1.6.3 – Nº DE CIRURGIAS POR PORTE;
1.6.3. Núm ero de Cirurgias por Porte 1.6.3.1. Cirurgias Grandes 1.6.3.2. Cirurgias Médias 1.6.3.3. Cirurgias Pequenas 1.6.3.4. Curetagens 1.6.3.5. Cesáreas Média Geral de Cirurgias por Porte Jan 18 14 28 32 4 96 Fev 15 6 47 2 15 85 Mar 23 18 58 5 28 132 Abr 17 20 31 4 38 110 Mai 11 4 18 3 35 71 Jun 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 TOTAL 84 62 182 46 120 494

COMENTÁRIO: A redução em 51% no número de cirurgias de grande, médio e pequeno porte no mês de maio em relação ao mês de março, está relacionada principalmente à ausência de dois cirurgiões, por motivo de férias e Licença Médica desde o mês de abril, sendo que um destes é o principal responsável pela realização de cirurgias eletivas realizadas neste hospital.

8.1.6.4 – Nº. DE PARTOS POR TIPO;
1.6.4. Núm ero de partos por tipo 1.6.4.1. Normal 1.6.4.2. Cesariana 1.6.3.3. Outros Total de Partos Jan 20 32 0 52 Fev 13 24 0 37 Mar 17 30 0 47 Abr 12 38 0 50 Mai 24 35 0 59 Jun 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 TOTAL 86 159 0 245

COMENTÁRIO: No mês de maio, o Hospital Regional Público de Guaraí apresentou uma redução de 8% nos partos cesáreos e um acréscimo de 100% nos partos normais em relação ao mês anterior, o que influenciou na queda da taxa de cesáreas realizadas nesta unidade hospitalar, sendo que o índice médio reduziu de 67% para 65,11%. Este índice ainda é considerado muito elevado em relação ao preconizado pela Organização Mundial da Saúde, que é de 15% e pelo Ministério da Saúde para o Estado do Tocantins, que é 26% do total de partos da unidade hospitalar, conforme Portaria nº 466/GM, de 14 de junho/2000.

Página | 148

8.1.7 – SADT’S;
1.7. SADT 1.7.1. Laboratório Clínico 1.7.2. Anatomia Patológica 1.7.3. Radiologia 1.7.4. Eletrocardiografia 1.7.5. Fisioterapia (Sessões) 1.7.6. Hemodiálise(Sessões) 1.7.7. Hemodinâmica 1.7.8. Hemoterapia 1.7.9. Endoscopia 1.7.10. Ultrassonografia 1.7.11 Tomografia Computadorizada 1.7.12 Ressonancia Magnética 1.7.13 Mamografia 1.7.14 Citopatologia 1.7.15 Eletroencefalografia 1.7.16 Teste do Pezinho 1.7.17 Diversos 1.7.18 Teste Ergométrico Total Jan Fev Mar Abr Mai Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 11665 290 2326 212 549 0 0 0 9 347 0 0 0 0 0 0 3607 0 19005

2230 2091 2818 2367 2159 58 483 30 0 0 0 0 9 41 0 0 0 0 0 0 887 0 58 263 32 77 0 0 0 0 103 0 0 0 0 0 0 791 0 58 274 45 149 0 0 0 0 84 0 0 0 0 0 0 773 0 58 697 63 126 0 0 0 0 51 0 0 0 0 0 0 588 0 58 609 42 197 0 0 0 0 68 0 0 0 0 0 0 568 0

3738 3415 4201 3950 3701

COMENTÁRIO: O mês de maio apresentou uma redução na quantidade de exames realizados na unidade hospitalar, o que está relacionado à queda no número de pacientes internados neste mês. Os registros estatísticos do hospital demostram que a quantidade de exames realizados para usuários atendidos no setor de urgência/emergência manteve-se dentro da média mensal, apesar da redução na demanda de pacientes para este setor. Neste caso, podemos concluir que o número de exames solicitados por paciente, aumentou. OBS.: Linha 1.7.17 – Diversos: Refere-se aos serviços de Fonoaudiologia e Psicologia 8.1.8 – AMBULATÓRIO;
1.8. Ambulatório 1.8.1. Consultas 1.8.2. Consultas com Procedimentos 1.8.3. Procedimentos 1.8.4. Procedimentos Cirúrgicos Total Jan 12 0 0 0 12 Fev 115 0 0 0 115 Mar 62 0 0 0 62 Abr 63 0 0 0 63 Mai 104 0 0 0 104 Jun 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 TOTAL 356 0 0 0 356

COMENTÁRIO: O Hospital Regional Público de Guaraí atende consultas nas especialidade de cardiologia, cirurgia geral e pediatria. Na especialidade de cardiologia, é referência em atendimento para os municípios que compõem a Região de Saúde Lobo Guará, entre outros. Na cirurgia geral, atende toda a demanda de consultas pré-cirúrgicas regulada pelos municípios da região acima citada. As consultas ambulatoriais na especialidade de Página | 149

pediatria, são restritas a egressos desta Unidade Hospitalar. Após reestruturação física realizada no ambulatório no decorrer do mês de março/2012, o qual dispunha de apenas um consultório, passou a contar com mais uma sala para atendimento. Neste mês de maio percebe-se um aumento na quantidade de consultas realizadas no ambulatório, o que está relacionado ao correto registro, a partir deste mês, para os atendimentos de oftalmologia, que anteriormente eram registrados apenas como atendimentos de urgência.

8.1.9 – ATENDIMENTOS DE URGÊNCIA/EMERGÊNCIA;
1.9. Urgência/Emergência 1.9.1. Consultas 1.9.2. Consultas com Procedimentos 1.9.3. Procedimentos 1.9.4. Procedimentos Cirúrgicos Total Jan Fev Mar Abr Mai Jun 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 TOTAL 13799 0 0 0 13799

2349 3134 2956 2802 2558 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

2349 3134 2956 2802 2558

COMENTÁRIO: O Hospital Regional Público de Guaraí possui plantonista durante 24 horas na urgência/emergência, contando também com atendimento cirúrgico. Porém no mês de maio, em virtude das férias de um dos cirurgiões, a escala esteve diversos dias sem plantonista nesta especialidade. Pode-se observar que neste mês ocorreu redução na demanda para atendimento neste setor, girando em torno de 82 pacientes atendidos diariamente.

Página | 150

8.1.10 – RECURSOS HUMANOS ;
1.10. Recursos Humanos 1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total 28 99 12 9 20 168 Janeiro
S e s a u P ró 3º

Fevere iro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Março
T o t a l S e s a u P ró 3º T o t a l S e s a u P ró

Abril
3º T o tal

32 8 4 32 2 78

2 0 0 0 0 2

62 107 16 41 22 248

28 100 12 9 20 169

41 8 4 34 2 89

2 0 0 0 0 2

71 108 16 43 22 260

30 100 12 9 20 171

41 8 4 34 2 89

1 0 0 0 0 1

72 108 16 43 22 261

22 98 7 22 20 169

41 8 4 34 2 89

2 0 0 0 0 2

65 106 11 56 22 260

1.10. Recursos Humanos
S e s a u P ró

Maio

Junho
T o t a l S e s a u P ró 3º

Julho
T o t a l S e s a u P ró 3º

Agos to
T o t a l S e s a u P ró 3º T o tal

1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total

20 98 7 24 20 169

39 8 4 34 2 87

1 0 0 0 0 1

60 106 11 58 22 257

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

1.10. Recursos Humanos 1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total 0 0 0 0 0 0

Setem bro
S e s a u P ró 3º

Outubro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Novem bro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Deze m bro
T o t a l S e s a u P ró 3º T o tal

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

OBS.: Linha 1.10.4 – Apoio - coluna SESAU, refere-se a servidores das áreas de farmácia, transporte, fisioterapia, fonoaudiologia, psicologia, nutrição e agência transfusional. No mês de maio ocorreu a nomeação de 01 fisioterapeuta, 01 nutricionista e 01 fonoaudióloga. Ainda, a exoneração (a pedido) de um técnico de enfermagem, 01 motorista e 01 auxiliar administrativo (estes se tratavam de servidores contratados por tempo determinado, cujo contrato venceu e não houve renovação).

Página | 151

8.1.11 – NEP RELATÓRIO NÚCLEO DE EDUCAÇÃO PERMANENTE MAIO/2012 CURSO CIPA - Você sabe o que é? Treinamento: Manuseio com Raio X Móvel Marketing Pessoal Campanha Lavagem de Mãos Semana da Enfermagem Limpeza Concorrente, Imediata e Terminal TOTAL NÚMERO DE CARGA PARTICIPANTES HORÁRIA 18 7 10 23 47 9 114 02:00:00 02:00:00 04:00:00 08:00:00 16:00:00 04:15:00 36:15:00 TOTAL DE HORAS 36:00:00 14:00:00 40:00:00 184:00:00 752:00:00 38:15:00 1064:15:00

TOTAL DE HORAS 1064:15:00 NÚMERO TOTAL DE COLABORADORES DO HOSPITAL 257 HORAS/HOMEM 4:08:28

JAN 144:00:00 96:00:00 48:00:00 0:00:00 FEV MAR ABR MAI

O Hospital Regional Público de Guaraí apresentou crescimento no número de horas de treinamento. Tal situação foi o inicio de profissionais contratados e capacitados para ministrarem os cursos, além de uma introjeção da própria necessidade profissional de adequarem-se a normas e rotinas hospitalares dentro de uma mudança de postura em conjunto com a necessidade do mercado cada vez mais estar exigindo qualidade nos serviços prestados à comunidade. O fator multiplicador como ferramenta auxiliar dentro da própria instituição hospitalar, não apenas como facilitador, mas sim na troca de informações entre os próprios servidores, quer seja concursado, contratado ou como prestador de serviços, vislumbra-se tal aprimoramento pessoal e profissional. Página | 152

O NEP do Hospital Regional Público de Guaraí, tendo esta preocupação de estar oferecendo sempre um diferencial aos servidores, busca sempre estar a par de novas perspectivas dentro do mercado laboral, e a partir destas premissas, atingir os objetivos propostos pela Instituição.

8.1.12 – LOGÍSTIC A
1.13. Estoque
1 3.1 Esto que em dias de co nsumo - M at/med 30 dias .1 .

Jan 967,0 967,0

Fev 52,0 52,0

Mar

Abr

Mai

Jun 0,0 0,0

Jul 0,0 0,0

Ago 0,0 0,0

Set 0,0 0,0

Out 0,0 0,0

Nov 0,0 0,0

Dez 0,0 0,0

TOTAL 1299,0 1299,0

64,0 105,0 111,0 64,0 105,0 111,0

Total

COMENTÁRIO: 1. No mês de janeiro o estoque em dias de consumo apresentou erroneamente 967 dias. Foi constatado que a equipe do setor de logística não estava utilizando o sistema adequadamente para realizar os registros e movimentações de estoque. Realizada capacitação da equipe e monitoramento pela Consultoria de logística, tendo sido o estoque devidamente ajustado. Desta forma, a informação correta a ser considerada refere-se à informação do mês de fevereiro. 2. Em virtude de atrasos por parte dos fornecedores e posterior acúmulo das entregas, o estoque em dias de consumo nos meses de abril e maio, aumentou. 3. Podemos também considerar como fator determinante no aumento do estoque em dias de consumo no mês de maio, a baixa ocupação do hospital, o que influenciou diretamente o giro do estoque.

8.1.13 – CORPO CLÍNICO

O Corpo Clínico do Hospital Regional Público de Guaraí é composto por 22 médicos distribuídos da seguinte maneira: Urgência/Emergência: 14 médicos Cirurgias Urgência/emergência e eletivas: 04 Pediatria: 02 Cardiologia: 01 Oftalmologia: 01 O Hospital dispõe de um corpo clínico deficitário no tocante à quantidade de profissionais em algumas especialidades, como por exemplo a pediatria, contando com apenas dois profissionais, o que contribui para a fragilização do serviço nesta especialidade, principalmente quando um deles está afastado por férias, licença, etc. A produtividade na especialidade de cirurgia geral depende basicamente de um profissional, sendo que os demais não possuem disponibilidade para realização de cirurgias eletivas. Página | 153

No dia 18 de maio foi publicado do Diário Oficial, o pedido de exoneração do Diretor Técnico, o qual não teve mais interesse em permanecer frente à diretoria técnica, considerando as dificuldades encontradas em relação à condução do corpo clínico.

8.2 - SAU 1. Registros de Opinião
Ocorrências Reclamações Sugestões Elogios Total de Questionários Queixas resolvidas Meta Contratual Meta Realizada Maio 2012 03 00 00 03 03 80% 100%

Houve uma redução nos números de reclamações em virtude da implementação de práticas de melhoria no atendimento ao paciente, como por exemplo, a triagem da Enfermagem por grau de prioridade; AMBULATORIO 90,05 90,34 90,26 11,45 INTERNAÇÃO 91,20 91,97 78,50 0,05 PRONTO SOCORRO SADT 79,61 83,10 81,90 -1,4 0,0 0,0 83,80 83,80 PERÍODO Março/2012 Abril/2012 Maio/2012 Evolução do Período

Página | 154

Hospital Regional Público de Guaraí
1900ral 1900ral 1900ral 1900ral 1900ral 1900ral 1900ral Março/2012 abr/12 Maio Evolução do período 1900ral 1900ral 1900ral 1900ral 1900ral 1900ral 1900ral 1900ral 1900ral 1900ral 1900ral 1900ral 1900ral 1900ral 1900ral 1900ral 1900ral 1900ral 1900ral 1900ral

- Referente aos serviços de ambulatório: Os números confirmam ao empenho da equipe para oferecer serviços de qualidade aos usuários. - Internação: Referente aos meses de março, abril e maio houve uma redução considerável de pacientes e devido ao momento de transição . - Pronto Socorro: Por dia passam em média mais de 100 pacientes procurando atendimento na Urgência e Emergência do HRPG. E média desses 100 pacientes, 90 podem ser considerados, pacientes ambulatoriais. Ocorre que as Unidades Básicas de Saúde atendem uma quantidade muito pequena de pacientes (14 no período matutino e 14 no período vespertino). Essa demanda é totalmente absorvida pelo Hospital. Considerando o volume e o fato do hospital com perfil de atendimento de, Urgência/Emergência os pacientes caracterizados como tal, têm prioridades de atendimento.

Página | 155

- SADT: Referente aos meses de março e abril a máquina estava com problemas e quanto ao mês de maio os números confirmam o empenho das equipes apesar do momento de insegurança e instabilidade.

8.3 – GERENCIAMENTO DE PROCESSOS
SAE – Sistematização da Assistência de Enfermagem: com a conclusão das várias etapas de capacitação, observa-se uma melhora significativa na elaboração da SAE; Devoluções mat/med: processo em monitoramento, apresentando resultado positivo; Adaptação da CME (área limpa/suja e RPA): implantado novo fluxo de adequação do local do material utilizado no Centro Cirúrgico; Realizada a adaptação da sala de Recuperação Pós-Anestésica; Concluída a revisão das Instruções de Trabalho para a Equipe de Enfermagem; Finalizado o Protocolo de Curativos, para apresentação aos membros da CCIH; Gastos de Sala: alterado o fluxo de reposição do estoque mínimo e processo sendo monitorado pelo Plano de Ação; Auditoria interna da enfermagem nos prontuários do paciente sendo realizada com sucesso. Nãoconformidades sendo pontuadas e a equipe orientada; Treinamento nos dias 07 e 08/05 com a equipe do Faturamento e Consultoria da MV para implantação do módulo de faturamento – pacientes: internados e ambulatoriais; Treinamento nos dias 09 e 10/05, aos colaboradores Assistenciais e de Apoio, para implantação e divulgação do fluxo para a realização do teste rápido para HIV; Em 10/05 foi iniciado o processo de visitação nos Órgãos Públicos para divulgação da Unidade Sentinela e Epidemiológica, localizada nas dependências do Hospital; Em 11/05 foi realizada visita técnica dos alunos do curso de Biomedicina/Faculdade FAG à Agência Transfusional do hospital. No dia 22/05 foi realizada capacitação para colaborador da Recepção, para a implantação do fluxo da regulação do Estado (SISREG) e readequação do espaço físico e de equipamentos para a implantação do fluxo do processo da Central de Regulação do Estado; No dia 23/05 foram montados dois focos cirúrgicos móveis pela empresa Hosptech, os quais foram adquiridos pela SESAU. A empresa ainda realizou a manutenção preventiva nos equipamentos, conforme contrato de manutenção reativado pela SESAU em 17/05/2012. Página | 156

No dia 22 de maio foram encerradas as atividades da engenharia clinica por parte da empresa TecSaude;

8.4 – FATURAMENTO
4. Faturamento 4.1 - AIH (Quantitativo) 4.2 - Valores (em reais) Jan Fev Mar 209 235 282 0,0 0,0 0,0 Abr 284 136.341,4 Mai 0 0,0 Jun 0 0,0 Jul 0 0,0 Ago 0 0,0 Set 0 0,0 Out 0 0,0 Nov 0 0,0 Dez 0 TOTAL 1010

0,0 136.341,4

COMENTÁRIO: Percebe-se o aumento gradativo de AIH’s faturadas no mês de abril, em virtude do envolvimento da equipe na resolução de pendências de prontuários, em conjunto com a Comissão de Prontuário e escriturárias de Ala, o que anteriormente não era prática e gerava acúmulo de AIH’s não faturadas e consequente perda do prazo para apresentação ao Datasus. O fechamento do mês de maio não foi concluído até a presente data (04/06/2012), desta forma não dispomos das informações para lançamento da tabela acima.

8.5 – OBRAS E IMPLANTAÇÃO DE NOVOS SERVIÇOS
No mês de maio não ocorreram obras e implantação de novos serviços.

8.6 – EQUIPAMENTOS NOVOS
Não ocorreram aquisições de novos equipamentos no mês de maio.

8.7 – COMISSÕES
Reunião da CCIH realizada no dia 31 de maio/2012. As demais comissões (Óbitos, Prontuários, Farmácia e Terapêutica) não apresentaram atas de reuniões neste mês. Percebe-se grande dificuldades dos membros integrantes das comissões reunirem-se para realização das reuniões mensais, e após anúncio, no decorrer do mês de maio, da quebra contatual entre SESAU e PróSaúde, esta questão ficou mais evidente. Comissão de Ética Médica - a eleição não foi realizada por falta de candidatos. Como medida preventiva para a manutenção da legalidade desta unidade hospitalar, foi protocolado junto ao Conselho Regional de Medicina, ofício solicitando parecer acerca das medidas cabíveis neste caso, para o qual aguardamos resposta. Página | 157

8.8 – OUTRAS INFORMAÇÕES
TREINAMENTOS: MOTIVAÇÃO E ATENDIMENTO HUMANIZADO VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA Nos dias 02 e 03 de maio foram realizados pela Gerência de Enfermagem, dois treinamentos com os temas “Motivação e Atendimento Humanizado” e “Vigilância Epidemiológica”, no auditório da Faculdade de Guaraí – FAG, ministrados pela gerente de Enfermagem, Enfª Rosali Monteiro, e Enfª Patrícia de Medeiros Cabral, respectivamente. O público alvo foram os funcionários em geral do HRP de Guaraí, onde pôde-se contar com a efetiva participação dos mesmos.

PARTICIPAÇÃO DA DIRETORIA DO HOSPITAL EM CAFÉ DA MANHÃ NO SINE DE GUARAÍ EM COMEMORAÇÃO AO DIA DO TRABALHADOR. A Diretoria do Hospital Regional participou de um café da manhã oferecido pelo SINE de Guaraí no dia 03 de maio em comemoração ao Dia do Trabalhador, ocorrido no dia 01/05, com a presença de diversos trabalhadores, autoridades municipais e estaduais. O evento contou com a presença do Vice-Governador do Estado, Sr. João Oliveira, alguns Secretários de Estado, Deputados Estaduais, representantes do Poder Legislativo e Poder Executivo municipal de Guaraí.

CRUZ PEREGRINA NO HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE GUARAÍ No dia 03 de maio recebemos no Hospital Regional, a passagem da Cruz Peregrina e Ícone de Nossa Senhora, que no brasil recebe o nome de “Bote Fé”, evento ecumênico, aberto a todas as denominações religiosas, idealizado pelo Papa João Paulo II. Os mesmos passaram por toda a cidade em forma de peregrinações, missas e vigílias. O Bote Fé percorre o mundo todo antecedendo os eventos da Jornada Mundial da Juventude, que no ano de 2013 será realizada no Rio de Janeiro.

Página | 158

VISITA ÀS UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE DO MUNICÍPIO DE GUARAÍ No dia 08 de maio a Diretoria Geral do Hospital Regional realizou visita às Unidades Básicas de Saúde do município de Guaraí, acompanhada do Secretário Municipal de Saúde, no intuito de estreitar laços e conhecer a estrutura de saúde do município onde o hospital está inserido.

Página | 159

COMEMORAÇÃO DO DIA DAS MÃES No dia 11 de maio realizamos uma comemoração em homenagem ao Dia das Mães, com sorteio de brindes e distribuição de cartões e bombons aos funcionários do hospital, bem como às mães acompanhantes e internadas.

VISITA DE TÉCNICOS DA SESAU Nos dias 14 e 15 recebemos a visita de três técnicos da SESAU, os quais realizaram a conferência da capacidade instalada do hospital, a fim de atualização do cadastro desta unidade hospitalar no CNES. Ainda, repassaram orientações sobre faturamento do SIA e AIH aos servidores do setor de faturamento.

Página | 160

SEMANA DA ENFERMAGEM Nos dias 17 e 18 de maio foi realizada a Semana de Enfermagem do Hospital Regional Público de Guaraí, a qual contou com 49 participantes no seu total. A abertura oficial aconteceu no dia 17, e o evento foi realizado em espaço cedido pela Maçonaria Mário Bhering, na Loja 8, Rua 3, 1335, no centro de Guaraí. A abertura contou com a presença da Diretoria Geral do hospital, desejando as boas vindas ao evento comemorativo, seguido pela palavras da Gerente de Enfermagem, comunicando sobre o quanto o papel da enfermagem dentro do atendimento é necessários e vital para o processo de cura do paciente. Na continuidade, ocorreu a palestra com Dr. Enf. Erivan Elias Silva de Almeida, tesoureiro e representante do COREN/TO o qual explanou sobre as questões éticas da enfermagem, acesso do profissional ao sistema de consultas e dúvidas quanto ao Conselho de Enfermagem, com demonstração do site e a proximidade que o COREN/TO tem dos profissionais de enfermagem do Estado do Tocantins. No período matutino, ocorreu também a palestra com o Psicólogo Edgar Henrique Hein Trapp, abordando a temática "Quem cuida do cuidador" com participação do público que prestigiou o evento na sua abertura. Após o momento oficial, foi oferecido um coquetel com espaço para troca de informações, conhecimentos e esclarecimentos sobre o que foi divulgado no período matutino do evento. Neste mesmo dia, no período vespertino, em continuidade à programação, foram feitas as palestras com as enfermeiras representantes do COFEN, Drª Enf. Cleide Mazuela Canavezi o qual apresentou a temática "Segurança do Paciente" e Drª Enf. Dorisdaia Carvalho de Humerez abordando "A enfermagem no Contexto Contemporâneo", com fechamento um cofeebrack para discussões, apresentações e esclarecimentos, sendo um momento ímpar do evento. Na continuidade do evento, no dia 18 contamos com a disponibilização do COREN Móvel na área externa do Hospital Regional Público de Guaraí, onde os servidores do hospital, do município e dos municípios que fazem parte da região, tiveram acesso a informações, retiradas de carteiras profissionais, acertos financeiros e demais quesitos de competência do órgão, objetivando a devida regularização dos profissionais junto ao mesmo. A presença do COREN Móvel proporcionou aos profissionais da área de enfermagem, o contato direto com a unidade, sem necessidade de deslocamento à Capital, onde encontra-se a sede do Conselho. Também, no dia 18 foi apresentada uma sessão de cinema dentro do ambiente hospitalar, na qual foi projetado o filme "Mãos Talentosas". No local do evento na Maçonaria, foi ainda disponibilizado o espaço da beleza promovido pela empresa "O Boticário", no qual as profissionais da área de enfermagem tiveram acesso aos cuidados da beleza.

Página | 161

PARTICIPAÇÃO NA FLIT - FEIRA LITERÁRIA DO TOCANTINS No período de 24 a 26 de maio aconteceu em Guaraí, a FLIT – Feira Literária do Tocantins, na qual o Hospital Regional participou apresentando talentos literários dentre os servidores do hospital, e com a apresentação de um vídeo, divulgando aos visitantes da FLIT as melhorias realizadas nas dependências do hospital. Ainda, em parceria com o Grupo Teatral Fenix, de Guaraí, foi apresentada uma peça teatral demonstrando uma situação de urgência/emergência, a fim de esclarecer à população o principal papel do HRP de Guaraí, que é o atendimento às urgências e emergências.

Página | 162

PALAVRA DO DIRETOR GERAL DO HOSPITAL
O mês de maio foi marcado por diversas atividades educacionais, sendo que contamos com a participação efetiva de todos os servidores envolvidos. Neste mês, os atendimentos na especialidade de pediatria ficaram bastante comprometidos, considerando a existência de apenas duas pediatras no corpo clínico do hospital e o fato de uma delas estar de férias. Também esteve prejudicado o atendimento das cirurgias, uma vez que a escala esteve descoberta desta especialidade durante 22 dias do mês, em virtude de férias e licença médica de dois cirurgiões, respectivamente. O número de transferências de usuários para outras unidades esteve relacionada principalmente à especialidade de ortopedia, sendo que 45% dos encaminhamentos realizados foram para esta especialidade, seguidos de encaminhamentos para as especialidade de obstetrícia, pediatria, neurologia e cirurgia geral. De forma geral, estamos conduzindo a unidade hospitalar contribuindo para que a transição para gerenciamento do hospital por parte da SESAU, anunciada em meados de maio, ocorra da forma mais tranquila possível, seguindo as orientações emanadas do Escritório Central, Coordenação e Diretoria Operacional

Página | 163

2.9 HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE ARRAIAS 2.9.1 METAS CONTRATUAIS

9.1 – INDICADORES DE PRODUÇÃO

1.1 – Nº DE LEITOS POR ESPECIALIDADE;
1.1. Leitos por Especialidade 1.1.1. Clínica Médica 1.1.2. Clínica Pediátrica 1.1.3. Clínica Cirúrgica 1.1.4. Clínica Obstétrica 1.1.5. UTI de Adultos 1.1.6. UTI Infantil 1.1.7. UTI Neonatal 1.1.8. Berçário 1.1.9. Clínica Ortopédica 1.2.10. Outros Total de Leitos Jan 16 10 8 8 0 0 0 3 0 6 51 Fev 16 10 8 8 0 0 0 3 0 6 51 Mar 16 10 8 8 0 0 0 3 0 6 51 Abr 16 10 8 8 0 0 0 3 0 6 51 Mai 16 10 8 8 0 0 0 3 0 6 51 Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 80 50 40 40 0 0 0 15 0 30 255

COMENTÁRIO: Após a formatação do quadro de leitos realizada em Dez/2011 o Hospital Regional Publico de Arraias permanece com a distribuição de leitos acima mencionada sem alteração.

1.2 – Nº. DE INTERNAÇÕES POR ESPECIALIDADE;
1.2. Internações por Especialidade 1.2.1. Clínica Médica 1.2.2. Clínica Pediátrica 1.2.3. Clínica Cirúrgica 1.2.4. Clínica Obstétrica 1.2.5. UTI de Adultos 1.2.6. UTI Infantil 1.2.7. UTI Neonatal 1.2.8. Berçário 1.2.9. Clínica Ortopédica 1.2.10. Outros Total de Internações por especialidade Jan 124 13 9 9 0 0 0 0 0 0 155 Fev 131 18 16 16 0 0 0 0 0 0 181 Mar 154 17 11 9 0 0 0 0 0 0 191 Abr 129 15 14 4 0 0 0 0 0 0 162 Mai 110 22 24 5 0 0 0 0 0 0 161 Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 648 85 74 43 0 0 0 0 0 0 850

COMENTÁRIO: O Hospital Regional Publico de Arraias tem em seu foco principal a demanda clinica. A procura por atendimento de clinica. A procura pelo atendimento clinico no mês de Maio/2012 foi inferior ao mês de Abril/2012 porem notamos um aumento significativo na clinica pediátrica que evoluiu 4,55% em relação ao mês Página | 164

de Abril, e na clinica cirurgia o aumento em relação ao mês anterior foi de 130% bastante expressivo, já na clinica obstétrica tivemos 122% de aumento comparado ao mês de Abril/2012.

1.3 – Nº. DE SAÍDOS POR ESPECIALIDADE
1.3. Nº. de saídos por especialidade 1.3.1. Clínica Médica 1.3.2. Clínica Pediátrica 1.3.3. Clínica Cirúrgica 1.3.4. Clínica Obstétrica 1.3.5. UTI de Adultos 1.3.6. UTI Infantil 1.3.7. UTI Neonatal 1.3.8. Berçário 1.3.9. Clínica Ortopédica 1.3.10. Outros Total de saídos por especialidade Jan 131 16 12 10 0 0 0 0 0 0 169 Fev 120 12 15 18 0 0 0 0 0 0 165 Mar 128 35 21 18 0 0 0 0 0 0 202 Abr 115 22 10 9 0 0 0 0 0 0 156 Mai 96 23 23 20 0 0 0 0 0 0 162 Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 590 108 81 75 0 0 0 0 0 0 854

COMENTÁRIO: No mês de Maio/2012 o numero de saídos se manteve praticamente estável no mesmo patamar do mês anterior (Abril/2012), houve um aumento de 3,85% nos pacientes saídos.

1.4 – PERCENTUAL DE OCUPAÇÃO POR CLÍNICA;
1.4. Porcentagem de Ocupação 1.4.1. Clínica Médica 1.4.2. Clínica Pediátrica 1.4.3. Clínica Cirúrgica 1.4.4. Clínica Obstétrica 1.4.5. UTI de Adultos 1.4.6. UTI Inf antil 1.4.7. UTI Neonatal 1.4.8. Outros (Berçário) 1.4.9. Clínica Ortopédica 1.4.10. Outros Jan 53% 11% 14% 9% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Fev 59% 7% 18% 15% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Mar 68% 15% 16% 10% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Abr 56% 11% 13% 4% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Mai 45% 15% 20% 4% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Jun 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Jul 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Ago 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Set 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Out 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Nov 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Dez 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% TOTAL 282% 59% 80% 42% 0% 0% 0% 0% 0% 0%

COMENTÁRIO: No mês de Maio/2012 o percentual de ocupação foi baixo comparado ao períodos dos últimos três meses. A procura por atendimento de Clínica médica foi inferior ao mesmo ao mês de Abril, porem podemos evidenciar um aumento no percentual de ocupação da clinica pediatrica e clinica cirurgica.

Página | 165

1.5 – MÉDIA DE PERMANÊNCIA;
1.5. Média de Perm anência 1.5.1. Clínica Médica 1.5.2. Clínica Pediátrica 1.5.3. Clínica Cirúrgica 1.5.4. Clínica Obstétrica 1.5.5. UTI de Adultos 1.5.6. UTI Infantil 1.5.7. Uti Neonatal 1.5.8. Outros 1.5.9. Clínica Ortopédica 1.5.10. Outros Média Geral de Permanência Jan 1,82 1,89 2,83 2 0 0 0 0 0 0 1,9 Fev 1,99 1,58 2,56 1,94 0 0 0 0 0 0 2,01 Mar 2,37 1,29 1,9 1,25 0 0 0 0 0 0 2,05 Abr 2,14 1,5 3,1 1 0 0 0 0 0 0 2,04 Mai 2,18 2 2,04 0,55 0 0 0 0 0 0 1,95 Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 10,5 8,26 12,43 6,74 0 0 0 0 0 0

COMENTÁRIO: Tivemos um aumento na media de permanência comparado ao mês de Abril/2012 nas clinicas medica e pediátrica ao contrario das clinicas cirúrgica e obstétrica que tiveram uma redução na media de permanecia.

1.6 – VOLUME CIRURGICO
1.6. Volum e Cirúrgico 1.6.1. Cirurgias de Urgência 1.6.2. Cirurgias Eletivas Média Geral de Cirurgias 20 24 22 20 34 Jan 20 Fev 24 Mar 22 Abr 20 Mai 34 Jun 0 0 0 Jul 0 0 0 Ago 0 0 0 Set 0 0 0 Out 0 0 0 Nov 0 0 0 Dez 0 0 0 TOTAL 120 0 120

COMENTÁRIO: E valido ressaltar que após recomendação do Conselho Regional de Medicina, o Hospital Regional Publico de Arraias não realiza mais cirurgia eletiva tendo em vista a falta de retaguarda cirúrgica da unidade. Identificamos uma evolução de 70% no volume cirúrgico do hospital regional Publico de Arraias. Ressalto que as cirurgias realizadas nesta unidade são apenas atos de urgência e emergência o que demonstra a complexidade nos casos absorvidos em Maio/2012 pela unidade hospitalar.
1.6.3 – Nº DE CIRURGIAS POR PORTE;

1.6.3. Núm ero de Cirurgias por Porte 1.6.3.1. Cirurgias Grandes 1.6.3.2. Cirurgias Médias 1.6.3.3. Cirurgias Pequenas 1.6.3.4. Curetagens 1.6.3.5. Cesáreas Média Geral de Cirurgias por Porte

Jan 0 7 5 0 8 20

Fev 3 2 7 3 9 24

Mar 2 2 15 2 1 22

Abr 2 2 11 1 4 20

Mai 3 6 17 1 7 34

Jun 0 0 0 0 0 0

Jul 0 0 0 0 0 0

Ago 0 0 0 0 0 0

Set 0 0 0 0 0 0

Out 0 0 0 0 0 0

Nov 0 0 0 0 0 0

Dez 0 0 0 0 0 0

TOTAL 10 19 55 7 29 120

COMENTÁRIO: Observamos uma evolução no numero de cirurgias correspondentes a 70% comparados ao mês Página | 166

anterior, fato este que nos desperta atenção tendo em vista que estes procedimentos são urgentes/emergentes, passível de uma melhora e adaptação da sala de urgência para recebermos estes pacientes.
1.6.4 – Nº. DE PARTOS POR TIPO
1.6.4. Núm ero de partos por tipo 1.6.4.1. Normal 1.6.4.2. Cesariana 1.6.3.3. Outros Jan 3 8 0 Fev 12 9 0 Mar 9 2 0 Abr 6 4 0 Mai 10 7 0 Jun 0 0 0 Jul 0 0 0 Ago 0 0 0 Set 0 0 0 Out 0 0 0 Nov 0 0 0 Dez 0 0 0 TOTAL 40 30 0

1.7 – S ADT’S
1.7. SADT 1.7.1. Laboratório Clínico 1.7.2. Anatomia Patológica 1.7.3. Radiologia 1.7.4. Eletrocardiografia 1.7.5. Fisioterapia (Sessões) 1.7.6. Hemodiálise(Sessões) 1.7.7. Hemodinâmica 1.7.8. Hemoterapia 1.7.9. Endoscopia 1.7.10. Ultrassonografia 1.7.11 Tomografia Computadorizada 1.7.12 Ressonancia Magnética 1.7.13 Mamografia 1.7.14 Citopatologia 1.7.15 Eletroencefalografia 1.7.16 Teste do Pézinho 1.7.17 Diversos 1.7.18 Teste Ergométrico Jan Fev Mar Abr Mai Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 11017 14 1423 0 527 0 0 0 0 444 0 0 0 0 0 0 41 0

2039 2226 2245 2222 2285 4 268 0 72 0 0 0 0 40 0 0 0 0 0 0 6 0 1 284 0 80 0 0 0 0 89 0 0 0 0 0 0 12 0 1 341 0 120 0 0 0 0 65 0 0 0 0 0 0 7 0 3 268 0 135 0 0 0 0 124 0 0 0 0 0 0 16 0 5 262 0 120 0 0 0 0 126 0 0 0 0 0 0 0 0

COMENTÁRIO: A demanda de exames acabou variando de acordo com o numero de internados, porem alguns casos estratificados no pronto atendimento não necessitaram de exames complementares.

Página | 167

1.8 – AMBULATÓRIO

1.8. Ambulatório 1.8.1. Consultas 1.8.2. Consultas com Procedimentos 1.8.3. Procedimentos 1.8.4. Procedimentos Cirúrgicos Total

Jan 0 0 0 0 0

Fev 217 0 0 0 217

Mar 240 0 0 0 240

Abr 261 0 0 0 261

Mai 318 0 0 0 318

Jun 0 0 0 0 0

Jul 0 0 0 0 0

Ago 0 0 0 0 0

Set 0 0 0 0 0

Out 0 0 0 0 0

Nov 0 0 0 0 0

Dez 0 0 0 0 0

TOTAL 1036 0 0 0 1036

COMENTÁRIO: Quanto as consultas ambulatoriais, tivemos um aumento e 21,84% em decorrência dos atendimentos de ortopedia que após a reunião com o CRM passaram a ser realizados também nas sextas feiras.

1.9 – ATENDIMENTOS DE URGÊNCIA/EMER GÊNCIA

1.9. Urgência/Emergência 1.9.1. Consultas 1.9.2. Consultas com Procedimentos 1.9.3. Procedimentos 1.9.4. Procedimentos Cirúrgicos Total

Jan

Fev

Mar

Abr

Mai

Jun 0 0 0 0 0

Jul 0 0 0 0 0

Ago 0 0 0 0 0

Set 0 0 0 0 0

Out 0 0 0 0 0

Nov 0 0 0 0 0

Dez 0 0 0 0 0

TOTAL 7053 0 0 86 7139

1590 1284 1532 1381 1266 0 0 20 0 0 24 0 0 22 0 0 20 0 0 0

1610 1308 1554 1401 1266

COMENTÁRIO: No mês de maio, constatamos através do fechamento mensal que houve uma queda de 9,08% no numero de atendimentos de urgência e emergência. Tal evolução não nos desperta atenção, pois a variação não foi expressiva.

Página | 168

1.10 – REC URSOS HUMANOS
1.10. Recursos Humanos 1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total 29 73 11 11 12 136 Janeiro
S e s a u P ró 3º

Fevereiro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Março
T o t a l S e s a u P ró 3º T o t a l S e s a u P ró

Abril
3º T o tal

20 2 2 26 0 50

0 0 0 0 0 0

49 75 13 37 12 186

22 73 11 11 12 129

20 2 2 33 0 57

0 0 0 0 0 0

42 75 13 44 12 186

24 73 12 11 12 132

20 2 2 32 0 56

0 0 0 0 0 0

44 75 14 43 12 188

24 73 12 11 12 132

20 3 2 33 0 58

0 0 0 0 0 0

44 76 14 44 12 190

1.10. Recursos Humanos
S e s a u P ró

Maio

Junho
T o t a l S e s a u P ró 3º

Julho
T o t a l S e s a u P ró 3º

Agosto
T o t a l S e s a u P ró 3º T o tal

1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total

24 73 12 11 12 132

20 2 2 33 0 57

0 0 0 0 0 0

44 75 14 44 12 189

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

1.10. Recursos Humanos 1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total 0 0 0 0 0 0

Setem bro
S e s a u P ró 3º

Outubro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Novem bro
T o t a l S e s a u P ró 3º

De zem bro
T o t a l S e s a u P ró 3º T o tal

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

RELATÓRIO GESTÃO DE PESSOAS Departamento de Pessoal Tocantins Escritório Regional Competência: Maio/2012 Dependência: Hospital Regional Público de Arraias Neste mês (Maio/2012) obtivemos 01 (uma) demissão do Coordenador de Enfermagem por término de contrato. Realizamos reunião da comissão de Prontuário. E ainda tivemos 11 (onze) licenças médicas, sem afastamento junto ao INSS.

Página | 169

1. Quantitativo de funcionários ativos por função: N. FUNCIONÁFUNÇÕES RIOS ATIVOS MAIO AGENTE DE PORTARIA ASSIST. ADMINISTR. ASSIST. FINANCEIRO AUX. ALMOXARIFADO AUX. CONTABIL AUX. DEP.PESSOAL I AUX. HIG. LIMPEZA AUX. INFORMATICA AUX. LAVANDERIA COORD. ENFERMAGEM COPEIRO (A) COZINHEIRO (A) DIR. GERAL ENFERMEIRO (A) LIDER DE MANUTENCAO NUTRICIONISTA RECEP. POSSO AJUDAR SUPERV. SAL SUPERV. SPR/SHL TEC EM RADIOLOGIA SUPERVISOR Total Geral

7 8 1 1 1 1 9 1 3 0 7 3 1 2 1 1 3 1 1 2 3 57

Página | 170

2. Quantitativo de funcionários ativos por setor

N. FUNCIONÁSETORES RIOS ATIVOS MAIO ADM. ECTO ADMINISTRACAO DIRETORIA ENFERMAGEM GESTAO DE PESSOAS HIG. E LIMPEZA LAVANDERIA MANUTENCAO PORTARIA RADIOLOGIA S.A.U S.N.D.-SERV. DIET. T.I Total Geral 3. Rotatividade – Histórico de meses anteriores: ROTATIVIDADE ADMISSÃO DEMISSÃO TRANSFERÊNCIAS SÕES) TRANSFERÊNCIAS (ADMISSÕES) AFASTADOS (RESCIset/11 20 0 0 1 0 out/11 4 0 0 1 0 nov/11 13 0 0 1 0 dez/11 8 1 0 0 0 jan/12 4 1 0 0 0 fev/12 8 0 0 0 0 mar/12 0 2 0 0 0 abr/12 2 0 0 0 0 mai/12 2 1 0 0 0 NUT. 2 11 1 2 1 10 3 1 7 2 4 12 1 57

Página | 171

4. Quantitativo atingido das cotas legais - Histórico de meses anteriores: COTAS PNE - PORTADOR DE NECESSIDADE 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 ESPECIAL MENOR APRENDIZ set/11 out/11 nov/11 dez/11 jan/12 fev/12 mar/12 abr/12 mai/12

5. Grau de instrução dos colaboradores ativos – Histórico de meses anteriores: GRAU DE INSTRUÇÃO ANALFABETO ENSINO FUNDAMENTAL INCOMPLETO ENSINO FUNDAMENTAL COMPLETO ENSINO MÉDIO INCOMPLETO ENSINO MÉDIO COMPLETO SUPERIOR INCOMPLETO SUPERIOR COMPLETO ESPECIALIZAÇÃO MESTRADO DOUTORADO Total Geral set/11 1 3 1 0 12 1 3 0 0 0 21 out/11 nov/11 dez/11 1 3 1 0 17 1 3 0 0 0 26 1 3 2 0 26 1 7 0 0 0 40 1 5 2 0 29 1 9 0 0 0 47 jan/12 1 5 2 0 32 1 9 0 0 0 50 fev/12 mar/12 abr/12 mai/12 1 5 2 0 38 1 11 0 0 0 58 1 5 1 0 37 1 11 0 0 0 56 1 6 1 0 37 1 12 0 0 0 58 1 6 1 0 37 1 11 0 0 0 57

Página | 172

1.11 – NEP
RELATÓRIO NÚCLEO DE EDUCAÇÃO PERMANENTE HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE ARRAIAS MAIO-2012

Página | 173

Neste mês houve aumento no número de carga horária de capacitações, devido a realização de Multiplicação de Cursos, bem como participação de servidores em Treinamentos Externos com objetivo de ser um Agente Multiplicador dentro da Unidade Hospitalar.

1.12 – LOGÍS TICA

1.13. Estoque
1 3.1 Esto que em dias de co nsumo - M at/med 30 dias .1 .

Jan 374,6 374,6

Fev 138,3 138,3

Mar 85,1 85,1

Abr

Mai

Jun 0,0 0,0

Jul 0,0 0,0

Ago 0,0 0,0

Set 0,0 0,0

Out 0,0 0,0

Nov 0,0 0,0

Dez 0,0 0,0

TOTAL 860,3 860,3

132,1 130,2 132,1 130,2

Total

1.13 – CORPO CLÍNICO

No mês de Maio/2012 damos segmento a educação continuada para o corpo clinico tivemos a participação de alguns membros nos seguintes treinamentos: • Educação medica continuada: Modulo Pneumologia e Hematologia Não tivemos ações efetivas da diretoria técnica para sanar a assiduidade do corpo clinico. (reuniões etc)

2 - SAU 1.Restrito de Opinião
Durante o período do mês de maio não houve registros de reclamações, sugestões e elogios por parte dos usuários.

2. Índices de Satisfação As pesquisas realizadas com usuários nos setores de: internação, Pronto Socorro, Ambulatório e SADT permaneceram positivas como aos meses anteriores. Os gráficos abaixo apresentam uma evolução nos índices de satisfação.

Página | 174

Hospital Regional Público de Arraias
120,000 100,000 80,000 60,000 40,000 20,000 ,000 AMBULATORIO (%) 83,740 89,240 92,330 10,258% INTERNAÇÃO (%) 88,260 96,400 95,970 8,736% PRONTO SOCORRO (%) 78,990 81,400 89,700 13,559% 92,330 95,970 89,700 93,210

SADT (%) 83,190 89,870 93,210 3,716%

Março/2012 Abril/2012 Maio/2012 Evolução do Período

Ressalto que estes resultados só foram possíveis ser atingidos novamente graças ao grande desempenho de todos servidores do hospital que trabalham diretamente com o atendimento do usuário. 3 – GERENCIAMENTO DE PROCESSOS
Diretoria; • • • • Reunião com a equipe operacional Pro Saude para conferencia do check list das ações voltadas para o atendimento integral das metas contratuais e melhoria continua da unidade; Reuniões periódicas com a equipe de gestão da unidade buscando alinhar os melhores fluxos e processos para unidade e sanar possíveis duvidas quanto ao processos de transição; Elaboração de oficio para o secretario de saúde tendo em vista sanar as dificuldades vivenciadas na unidade hospitalar; Reunião na câmara dos vereadores para tratar das dificuldades vivenciadas na unidade hospitalar com a falta de médios na unidade;

Página | 175

Reunião com o Secretario de saúde com o foco voltado em nos auxiliar em possíveis desassistência na falta de medico na unidade.

Equipe Assistencial: SUPORTE TÉCNICO/ ASSISTÊNCIA AO PACIENTE • • • • • • • • Implementação dos protocolos assistenciais Implementação das rotinas e fluxos do Centro Cirúrgico e CME através de fluxo padrão; Mudança no fluxo assistencial de entrada do paciente no Centro Cirúrgico Palestras sobre informações tipos e cuidados com feridas; Acompanhamento do fluxo de distribuição de materiais e medicamentos no pronto socorro, posto de enfermagem e centro cirúrgico, diminuindo os gastos e desperdícios com a dispensação individual; Seguimento na educação continuada aos servidores capacitações/treinamentos, qualificando, valorizando, dentro do ambiente hospitalar; Acompanhamento no fluxo de pessoas dentro do Hospital de acordo com as normas padronizadas; Reuniões mensais com a equipe de enfermagem onde se avalia os problemas

Setor Financeiro: • Controle sobre o lançamento das notas fiscais no sistema MV visando que cada nota fiscal que entra no hospital seja vistoriada rigorosamente pelo setor financeiro, validada e dado seus destinos para pagamento. Controle em arquivo escrito e digital. Setor de SHL e SPR: • Acompanhamento e controle minucioso do estoque de produtos de limpeza e lavandeira evitando possíveis desabastecimentos. Setor de Nutrição: • Auxilio ao departamento de logística de forma a monitorar os estoques para evitar a falta de produtos de gêneros alimentícios e possíveis desabastecimento da unidade. Logistica: Página | 176

• • •

Monitoramento minucioso do trajeto das notas dentro da unidade garantido que esta seja devidamente cadastrada no sistema MV e chegue o mais rápido ao seu destino final que é o pagamento; Controle minucioso dos estoques com as demais áreas para evitar possíveis desabastecimentos tendo em vista a problemática instalada com o não repasse dos fluxo financeiro; Extração e elaboração de relatórios gerencias evidenciando a real posição do estoque da unidade hospitalar.

TI - Tecnologia da Informação: • • Implantação e auxilio no manuseio do sistema gerencial SISATIV; Auxilio nas rotinas de controles de notas junto ao sistema MV.

4 – FATURAMENTO
4.1 - AIH (Quantitativo) 4.2 - Valores (em reais) 131 29.675,1 132 160 104 150 0 0,0 0 0,0 0 0,0 0 0,0 0 0,0 0 0,0 0 677

30.337,0 43.187,1 27.415,4 34.805,6

0,0 165420,2

COMENTÁRIO: Como estamos na fase de implantação do novo modelo de faturamento via sistema SIS REG III, no mês de Maio/2012 não coseguimos inserir 100% das AIHs faturadas no sistema o que ocasionou um pedido extra para liberação de numeração para o faturamento manual junto a central de regularização do estado. Como estamos com algumas dificuldades na fase implantação do sistema por parte do corpo clinico, agendamos uma reunião com Sr Divino da central de regulação para maiores informações onde passamos todos os pontos que estão impactando no bom andamento na implantação do SISREG.

6 – OBRAS E IMPLANTAÇÃO DE NOVOS SERVIÇOS Implementação dos protocolos assistenciais
Implementação das rotinas e fluxos do Centro Cirúrgico e CME através de fluxo padrão; Mudança no fluxo assistencial de entrada do paciente no Centro Cirúrgico Palestras sobre informações tipos e cuidados com feridas;

7 – EQUIPAMENTOS NOVOS No mês de Maio/2012 gerenciamos a unidade hospitalara com a estrutura já alocada, ou seja, não houve
aquisição de novos equipamentos para unidade.

Página | 177

8 – COMISSÕES
COMISSÃO DE ÓBITOS 1 - Levantamento de óbitos ocorridos no mês de maio de 2012. 2 - Constam 02 óbitos 3 - Diagnósticos dos óbitos. COMISSÃO DE PRONTUÁRIO 1 – Análise de prontuário 2 – Atraso no preenchimento dos prontuários. 3 – Preenchimentos ilegíveis das autorizações de internações hospitalar dificultando a identificação do diagnostico para o faturamento 4 – Saída dos médicos com os prontuários da unidade o que é proibido 5 – Falta do numero do cartão SUS em muitos prontuários. FARMÁCIA TERAPÊUTICA 1 – Manter a atual padronização até que resolva o problema da gestão dos Hospital do Estado. 2 – A falta de mat/mês existente e acompanhamento de perto com a logística a fim de evitar grandes faltas. Neste mês não tivemos reunião na comissão de CCIH e Ética medica a qual solicitamos isenção da obrigatoriedade junto a SESAU seguindo a resolução do CRM que preconiza a instauração da comissão em instituições com o corpo clinico acima de 15 membros (atualmente temos 12 membros)

PALAVRA DO DIRETOR GERAL DO HOSPITAL
A PRÓ-SAÚDE - Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, vem ressaltando a parceria com a secretaria de saúde do estado do Tocantins e vem se doando ao projeto apesar das intempéries que estamos vivenciando pelo fato da renuncia do contrato de gestão porem através deste documento de prestação de contas, demonstramos de forma transparente o resultado das ações realizadas referente ao contrato de gestão para a operacionalização da gestão e execução das atividades e serviços de saúde em especifico no âmbito do Hospital Regional Publico Arraias. Página | 178

O documento transcrito acima é uma demonstração da atuação da PRÓ-SAÚDE nas atividades da área de saúde, com implantação de modernos métodos de gerenciamento e novos modelos de atuação, voltados à gestão hospitalar, baseado no desenvolvimento de atividades administrativas, técnicas e financeiras que otimizem o gerenciamento e promovam a captação de recursos. Desta forma a PRÓ-SAUDE age na viabilização e fortalecimento da relação entre o ente público e a sociedade, possibilitando o avanço e o desenvolvimento da Unidade e o aprimorando na qualidade da prestação de serviços e também na humanização do atendimento. Utilizando a metodologia da gestão transparente e participativa estamos realizando reuniões periódicas com os gestores de modo a identificar as necessidades dos colaboradores frente à assistência. No quesito áreas clinicas, o hospital vem adaptando estas áreas em um formato dinâmico para atender da melhor forma os fluxos internos dos pacientes dentro do hospital e realocando algumas áreas para beneficiar a assistência prestada. Tendo em vista as dificuldades presenciadas com o repasse do fluxo financeiro, no mês de maio estamos elaborando um trabalho bem consolidado para Reestruturação da Logistica padronizando o setor de compras, conduzindo inventários, implementando um modelo de controle para farmácia visando acabar com estoques paralelos e possíveis evasões de medicamentos na unidade, identificar prováveis consumos demasiados, incentivar a padronização de medicamentos, garantir primariamente o fornecimento de insumos aplicados na assistência ao paciente. Adequação de um controle seguro sobre os itens adquiridos e a forma de aquisição, gerar indicadores e relatórios estatísticos para tomada de decisão que orientem a aquisição de insumos garantindo desta forma a acurácia dos estoques. Quanto a questão clinica na unidade, identificamos uma queda geral nos atendimentos e uma elevação no numero de cirurgias de emergências o que mostra uma complexidade nos casos absorvidos pelo hospital regional Publico de Arraias. Informo que o anuncio do termino do contrato de gestão da pro saúde feita pelo secretario de saúde do estado, gerou uma certa desconfiança e incerteza por parte dos servidores o que vem ocasionando um declínio nos serviços prestados. Fazendo menção aos itens contratuais, pelo fato das incertezas geradas com a rescisão, observamos internamente que as comissões estão com dificuldades em atuar e principalmente em se reunir, motivo pelo qual iniciamos um trabalho de conscientização ao servidor para que voltem ao pleno funcionamento. Como nossa gestão mensura todos os dados produzidos na unidade, este relatório discorre sobre alguns índices da unidade hospitalar que foram devidamente pontuados e estratificados fazendo jus a nossa gestão com transparência.

Página | 179

Pontuamos através deste relato técnico e trazemos ao conhecimento os fatores preponderantes pautados abaixo que impactaram no bom andamento da unidade referentes ao exercício da atividade médica assistencial no referido Hospital: • • • Extrema dificuldade para o fechamento da escala mensal de plantões, embora haja carga horária mais que suficiente para tal entre os servidores médicos lotados na unidade; Falta de comprometimento para cumprimento dos horários de entrada e saída nos plantões, com constantes atrasos; Grande número de faltas justificadas por atestados médicos, perfazendo um total de 26 (vinte e seis) ausências em 120 (cento e vinte) dias, de janeiro a abril do corrente ano; ressalte-se que todos os atestados foram encaminhados e aprovados pela Junta Médica do Estado. Sem duvidas que com o comprometimento do corpo clinico, a unidade despontaria em qualidade, porem esta é uma grande dificuldade a ser sanada. Junto à diretoria Técnica do Hospital estamos trabalhando com muita atenção na questão da escala medica a qual vem sendo acompanhada e minuciosamente monitorada para atender de forma exclusiva as necessidades do hospital, pois necessitamos de uma retaguarda médica mais ampla e uma diretoria técnica mais efetiva nas ações com o corpo clinico. Em síntese todas estas ações fazem parte integrante de um plano de ação que periodicamente é monitorado pela nossa Coordenação Operacional de gestão da pro saúde, que alem de acompanhar nos auxilia na tomada de decisões para melhoria da unidade. Atuando desta forma a PRÓ-SAÚDE, têm cumprido um papel fundamental para o desenvolvimento da ciência, tecnologia, cultura e desenvolvimento institucional voltados para área da saúde neste inicio de contrato de gestão, valorizando o capital humano de seus profissionais, e investindo no atendimento diferenciado aos pacientes, demonstrando assim que a saúde pública pode ser bem administrada, e gerida por uma Organização Social.

Página | 180

2.10 HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE DOENÇAS TROPICAIS 2.10.1 METAS CONTRATUAIS

10.1 – INDICADORES DE PRODUÇÃO

10.1.1 – Nº DE LEITOS POR ESPECIALIDADE;
1.1. Leitos por Especialidade 1.1.1. Clínica Médica 1.1.2. Clínica Pediátrica 1.1.3. Clínica Cirúrgica 1.1.4. Clínica Obstétrica 1.1.5. UTI de Adultos 1.1.6. UTI Infantil 1.1.7. UTI Neonatal 1.1.8. Berçário 1.1.9. Clínica Ortopédica 1.2.10. Outros Total de Leitos Jan 36 15 0 0 0 0 0 0 0 0 51 Fev 36 15 0 0 0 0 0 0 0 0 51 Mar 36 15 0 0 0 0 0 0 0 0 51 Abr 36 15 0 0 0 0 0 0 0 0 51 Mai 36 15 0 0 0 0 0 0 0 0 51 Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 180 75 0 0 0 0 0 0 0 0 255

COMENTÁRIO: Não houve variações nos números de leitos por especialidade.

10.1.2 – Nº. DE INTERNAÇÕES POR ESPECIALIDADE;
1.2. Internações por Especialidade 1.2.1. Clínica Médica 1.2.2. Clínica Pediátrica 1.2.3. Clínica Cirúrgica 1.2.4. Clínica Obstétrica 1.2.5. UTI de Adultos 1.2.6. UTI Infantil 1.2.7. UTI Neonatal 1.2.8. Berçário 1.2.9. Clínica Ortopédica 1.2.10. Outros Total de Internações por especialidade Jan 114 46 0 0 0 0 0 0 0 0 160 Fev 96 49 0 0 0 0 0 0 0 0 145 Mar 98 46 0 0 0 0 0 0 0 0 144 Abr 79 40 0 0 0 0 0 0 0 0 119 Mai 86 45 0 0 0 0 0 0 0 0 131 Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 473 226 0 0 0 0 0 0 0 0 699

COMENTÁRIO: Os números de internação mostram um aumento de 10% em relação ao mês de abril variação explicada pela sazonalidade do serviço.

Página | 181

10.1.3 – Nº. DE SAÍDOS POR ESPECIALIDADE
1.3. Nº. de saídos por especialidade 1.3.1. Clínica Médica 1.3.2. Clínica Pediátrica 1.3.3. Clínica Cirúrgica 1.3.4. Clínica Obstétrica 1.3.5. UTI de Adultos 1.3.6. UTI Infantil 1.3.7. UTI Neonatal 1.3.8. Berçário 1.3.9. Clínica Ortopédica 1.3.10. Outros Total de Internações por especialidade Jan 98 49 0 0 0 0 0 0 0 0 147 Fev 103 40 0 0 0 0 0 0 0 0 143 Mar 99 45 0 0 0 0 0 0 0 0 144 Abr 90 38 0 0 0 0 0 0 0 0 128 Mai 81 44 0 0 0 0 0 0 0 0 125 Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 471 216 0 0 0 0 0 0 0 0 687

COMENTÁRIO: Podemos observar que no mês de maio continuou a redução dos números de saídos o que se dá principalmente pela sazonalidade nos atendimentos do hospital. Devido a essa redução no mês de maio não conseguimos bater a meta de 165 saídos, atingindo 125 saídos, o que representa 76% da meta contratual.

10.1.4 – PERCENTUAL DE OCUPAÇÃO POR CLÍNICA;
1.4. Porcentagem de Ocupação 1.4.1. Clínica Médica 1.4.2. Clínica Pediátrica 1.4.3. Clínica Cirúrgica 1.4.4. Clínica Obstétrica 1.4.5. UTI de Adultos 1.4.6. UTI Inf antil 1.4.7. UTI Neonatal 1.4.8. Outros (Berçário) 1.4.9. Clínica Ortopédica 1.4.10. Outros Porcentagem Geral de Ocupação Jan 66% 79% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 70% Fev 72% 80% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 74% Mar 68% 72% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 69% Abr 58% 79% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 64% Mai 49% 83% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 59% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Jun Jul Ago Set Out Nov Dez TOTAL 63% 78% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 67%

COMENTÁRIO: A taxa de ocupação vem reduzindo na clinica médica mês a mês, dado principalmente a redução das internações como podemos observar nas tabelas anteriores. A clinica pediátrica manteve-se estável devido a uma maior demanda em relação a clinica médica, pois as principais internações desse são de crianças com dengue e calazar.

Página | 182

10.1.5 – MÉDIA DE PERMANÊNCIA;
1.5. Média de Perm anência 1.5.1. Clínica Médica 1.5.2. Clínica Pediátrica 1.5.3. Clínica Cirúrgica 1.5.4. Clínica Obstétrica 1.5.5. UTI de Adultos 1.5.6. UTI Inf antil 1.5.7. Uti Neonatal 1.5.8. Outros 1.5.9. Clínica Ortopédica 1.5.10. Outros Média Geral de Permanência Jan 7,48 7,54 0 0 0 0 0 0 0 0 7,5 Fev 7,31 8,65 0 0 0 0 0 0 0 0 7,69 Mar 7,71 7,4 0 0 0 0 0 0 0 0 7,61 Abr 6,91 9,34 0 0 0 0 0 0 0 0 7,63 Mai 6,8 8,77 0 0 0 0 0 0 0 0 7,5 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jun Jul Ago Set Out Nov Dez TOTAL 7,24 8,34 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 7,59

COMENTÁRIO: Podemos observar uma leve redução na média de permanência na clinica médica e uma redução maior na clínica pediátrica, porém esse tempo poderia ser diminuído devido a problemas encontrados na realização de exames diagnósticos o que aumenta a permanência dos pacientes, pois muitas vezes o paciente tem um tempo maior de internação devido a demora em realizar um exame ou esperando o resultado de exames de laboratório que não estão sendo realizados.

10.1.6 – VOLUME CIRURGICO
10.1.6.1 – Nº DE CIRURGIAS ELETIVAS;
1.6. Volum e Cirúrgico 1.6.1. Cirurgias de Urgência 1.6.2. Cirurgias Eletivas Média Geral de Cirurgias Jan 0 55 55 Fev 0 51 51 Mar 0 44 44 Abr 0 42 42 Mai 0 37 37 Jun 0 0 0 Jul 0 0 0 Ago 0 0 0 Set 0 0 0 Out 0 0 0 Nov 0 0 0 Dez 0 0 0 TOTAL 0 229 229

COMENTÁRIO: O hospital não possui bloco cirúrgico, apenas uma sala para pequenos procedimentos.
10.1.6.2 – Nº DE CIRURGIAS POR PORTE;
1.6.3. Núm ero de Cirurgias por Porte 1.6.3.1. Cirurgias Grandes 1.6.3.2. Cirurgias Médias 1.6.3.3. Cirurgias Pequenas 1.6.3.4. Curetagens 1.6.3.5. Cesáreas Média Geral de Cirurgias por Porte Jan 0 0 55 0 0 55 Fev 0 0 51 0 0 51 Mar 0 0 44 0 0 44 Abr 0 0 42 0 0 42 Mai 0 0 37 0 0 37 Jun 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 TOTAL 0 0 229 0 0 229

COMENTÁRIO: São realizadas apenas pequenas cirurgias, principalmente dermatológicas.

Página | 183

10.1.6.3 – Nº. DE PARTOS POR TIPO
1.6.3. Núm ero de Partos 1.6.3.1. Normal 1.6.3.2. Cesáreas 1.6.3.3. Outros Média Geral de Partos Jan 0 0 0 0 Fev 0 0 0 0 Mar 0 0 0 0 Abr 0 0 0 0 Mai 0 0 0 0 Jun 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 TOTAL 0 0 0 0

COMENTÁRIO: O Hospital não realiza partos.
10.1.7 – SADT’S (DES CREVER VOLUME PRODUZIDO POR EXAME)
1.7. SADT 1.7.1. Laboratório Clínico 1.7.2. Anatomia Patológica 1.7.3. Radiologia 1.7.4. Eletrocardiografia 1.7.5. Fisioterapia (Sessões) 1.7.6. Hemodiálise(Sessões) 1.7.7. Hemodinâmica 1.7.8. Hemoterapia 1.7.9. Endoscopia 1.7.10. Ultrassonografia 1.7.11 Tomografia Computadorizada 1.7.12 Ressonancia Magnética 1.7.13 Mamografia 1.7.14 Citopatologia 1.7.15 Eletroencefalografia 1.7.16 Teste do Pézinho 1.7.17 Diversos 1.7.18 Teste Ergométrico 1.7.19 Outros ( especificar) Ecocardigrafia Total Jan Fev Mar Abr Mai Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 36548 188 1057 281 424 0 0 730 31 246 120 19 0 0 0 0 0 0 39 39683

6462 7822 7854 7088 7322 33 130 61 103 0 0 179 5 45 30 4 0 0 0 0 0 0 10 49 281 55 119 0 0 158 13 43 32 5 0 0 0 0 0 0 8 46 209 61 95 0 0 75 6 55 14 5 0 0 0 0 0 0 11 35 227 56 41 0 0 178 3 44 18 3 0 0 0 0 0 0 5 25 210 48 66 0 0 140 4 59 26 2 0 0 0 0 0 0 5

7062 8585 8431 7698 7907

COMENTÁRIO: Não houve variações significativas de SADT em relação ao mês de abril.

Página | 184

10.1.8 – AMB ULATÓR IO
1.8. Ambulatório 1.8.1. Consultas 1.8.2. Consultas com Procedimentos 1.8.3. Procedimentos 1.8.4. Procedimentos Cirúrgicos Total Jan Fev Mar Abr Mai Jun 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 TOTAL 7526 0 0 0 7526

1388 1491 1717 1425 1505 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

1388 1491 1717 1425 1505

COMENTÁRIO: Podemos observar um aumento de 5,6% no número de consultas ambulatoriais em relação ao mês de abril.
10.1.9 – ATENDIMENTOS DE URGÊNCIA/EMERGÊNCIA
1.9. Urgência/Emergência 1.9.1. Consultas 1.9.2. Consultas com Procedimentos 1.9.3. Procedimentos 1.9.4. Procedimentos Cirúrgicos Total Jan 542 0 0 0 542 Fev 490 0 0 0 490 Mar 485 0 0 0 485 Abr 526 0 0 0 526 Mai 524 0 0 0 524 Jun 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 TOTAL 2567 0 0 0 2567

COMENTÁRIO: Não houve variação significativa em relação ao mês anterior, porém se compararmos com maio de 2011 houve um aumento de 77% das consultas de Urgência/Emergência.

Página | 185

10.1.10 – NEP

RELATÓRIO NÚCLEO DE EDUCAÇÃO PERMANENTE HOSPITAL PÚBLICO DE DOENÇAS TROPICAIS MAIO/2012

CURSO Capacitação FFIS - Faturamento Ambulatorial no Sistema MV Capacitação FFIS - Faturamento Ambulatorial no Sistema MV Capacitação FFIS - Faturamento Ambulatorial no Sistema MV Capacitação FFAS - Faturamento AIH no Sistema MV Capacitação FFAS - Faturamento AIH no Sistema MV Capacitação Agendamento Ambulatorial e Cirurgico no Sistema MV Capacitação Agendamento Ambulatorial e Cirurgico no Sistema MV Como Elaborar Instrução de Trabalho Como Elaborar Instrução de Trabalho Como Elaborar Instrução de Trabalho Exelência no Atendimento ao Público Indicadores de qualidade da Assistência e a Análise Crítica Indicadores de qualidade da Assistência e a Análise Crítica Indicadores de qualidade da Assistência e a Análise Crítica Orientação sobre Medição da temperatura de Geladeira - Almoxarifado Integração com Colaboradores Recém Admitidos Oficina Sobre Enfrentamento do Beribéri Curso de Elaboração de Projetos e Captação de Recursos Capacitação de Normas e Rotinas da Farmácia Atualização em Enfermagem com Ênfase em Urgência e Emergência II Módulo TOTAL
TOTAL DE HORAS NÚMERO TOTAL DE COLABORADORES DO HOSPITAL HORAS/HOMEM

NÚMERO DE PARTICIPANTES

CARGA TOTAL DE HORÁRIA HORAS 01:00:00 03:30:00 03:00:00 01:00:00 03:00:00 04:00:00 04:00:00 01:00:00 01:00:00 01:00:00 20:00:00 01:00:00 01:00:00 01:00:00 00:30:00 02:00:00 04:00:00 08:00:00 02:30:00 40:00:00 102:30:00 3:00:00 10:30:00 9:00:00 3:00:00 9:00:00 16:00:00 12:00:00 8:00:00 20:00:00 4:00:00 80:00:00 6:00:00 4:00:00 9:00:00 2:30:00 24:00:00 32:00:00 32:00:00 37:30:00 560:00:00 881:30:00

3 3 3 3 3 4 3 8 20 4 4 6 4 9 5 12 8 4 15 14 135

881:30:00 311 02:50:04

Página | 186

HORAS DE TREINAMENTO
1920:00:00 1680:00:00 1440:00:00 1200:00:00 960:00:00 720:00:00 480:00:00 JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ

DADOS QUALITATIVOS No mês de maio as ações de treinamento do Hospital Público de Doenças Tropicais, apresentaram queda de 35% em relação ao número de horas de treinamento do mês anterior. Essa queda ocorreu devido ao cancelamento de cursos pelos parceiros que ofereceriam cursos externos ETSUS e Fundação de Medicina Tropical.

Página | 187

10.1.11 – RECURSOS HUMANOS
1.10. Recursos Humanos 1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total 40 110 1 27 27 205 Janeiro
S e s a u P ró 3º

Fevereiro
T o t a l S e s a u P ró 3º

M arço
T o t a l S e s a u P ró 3º T o t a l S e s a u P ró

Abril
3º T o tal

35 18 1 56 1 111

0 0 0 0 0 0

75 128 2 83 28 316

31 109 1 25 27 193

36 19 1 66 1 123

0 0 0 0 0 0

67 128 2 91 28 316

30 110 1 25 27 193

36 19 1 67 1 124

0 0 0 0 0 0

66 129 2 92 28 317

30 110 1 25 27 193

36 20 1 71 1 129

0 0 0 0 0 0

66 130 2 96 28 322

1.10. Recursos Humanos
S e s a u P ró

Maio

Junho
T o t a l S e s a u P ró 3º

Julho
T o t a l S e s a u P ró 3º

Agosto
T o t a l S e s a u P ró 3º T o tal

1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total

30 110 1 25 27 193

42 19 1 66 1 129

0 0 0 0 0 0

72 129 2 91 28 322

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

1.10. Recursos Humanos 1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total 0 0 0 0 0 0

Setem bro
S e s a u P ró 3º

Outubro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Novem bro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Dezem bro
T o t a l S e s a u P ró 3º T o tal

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

COMENTÁRIO: Não houve variação no número de colaboradores.
10.1.12 – LOGÍSTIC A

1.13. Estoque
1 3.1 Esto que em dias de co nsumo - M at/med 30 dias .1 .

Jan 0,0 0,0

Fev 0,0 0,0

Mar 41,7 41,7

Abr 64,6 64,6

Mai 24,9 24,9

Jun 0,0 0,0

Jul 0,0 0,0

Ago 0,0 0,0

Set 0,0 0,0

Out 0,0 0,0

Nov 0,0 0,0

Dez 0,0 0,0

TOTAL 131,2 131,2

Total

COMENTÁRIO: Podemos observar que o numero de dias de consumo vem caindo e assim chegando próximo ao ideal que é 15 dias. Essa redução pode ser explicada pela mudança na política de compras passando a ser realizada semanalmente.

Página | 188

10.1.13 – CORPO CLÍNICO

- Elaboração do fluxograma e protocolo de atendimento a violência sexual; - Continuamos sem Diretor Técnico já foi solicitado ao Dr. Nicolau Esteves a nomeação do Dr. Ebert para a função, porém o mesmo protocolou uma carta no dia 03/05 dizendo que não tem mais intenção em assumir a função. -.Elaboração do Manual da Comissão de Nutrição paraenteral. - Elaboração dos seguintes protocolos e fluxogramas de atendimento: Hanseniase, Calazar e Meningite.

10.2 - SAU
ROTEIRO: RELATÓRIO DE MAIO 1. Registros de Opinião ocorridos de 01/05/2012 a 31/05/2012.

Ocorrências Reclamações Sugestões Elogios Total de Questionários Queixas resolvidas Meta Contratual Meta Realizada

MAIO 2012 6 0 0 6 6 80% 100%

Em Maio atingimos 100% de meta realizada, onde passamos retorno imediato ao usuário gerando satisfação. Vale ressaltar que tal meta contou com o empenho da nova equipe do SAU que iniciou os trabalhos dia 14 de maio. Observamos que as reclamações nesse período são caracterizadas pela falta de informação da equipe que presta assistência ao paciente internado.

Página | 189

Índices de Satisfação

HDT Hospital Público de Doenças Tropicais
100,000 80,000 62,450 60,000 40,000 40,000 20,000 ,000 -20,000 AMBULATORIO (%) 62,450 86,770 92,170 47,590% INTERNAÇÃO (%) 93,180 92,130 90,330 -3,059% PRONTO SOCORRO (%) 76,620 87,530 83,340 8,771% 92,170 86,770 93,180 90,330 92,130 87,530 76,620 83,340 82,38084,980

SADT (%) 40,000 82,380 84,980 112,450%

Março/2012 Abril/2012 Maio/2012 Evolução do Período

O índice de satisfação do ambulatório em Maio evoluiu 47,59%. Atribuímos a evolução à implantação do agendamento no sistema MV que diminuiu o tempo de espera no atendimento da recepção. Na internação tivemos um percentual reduzido em relação a Março. Tal involução é justificada pela insatisfação em relação às instalações físicas com média de 64,90%, onde tivemos algumas queixas sobre falta de TV em alguns leitos e também falta de berço. Outro fator que pode ter influenciado é a falta de comunicação da equipe assistente ao cliente conforme queixas registradas. Entretanto a equipe de enfermagem que antes era motivo de algumas queixas vem se destacando no atendimento, avaliada com índice de satisfação 97,90%. No pronto socorro houve evolução de 8,77% com boa avaliação em relação a equipe de enfermagem, equipe médica, organização e limpeza do hospital. O tempo de espera ainda continua impactando na avaliação do pronto-socorro com índice de 66,7%, onde o paciente precisa aguardar liberação de leito na sala de observação (hospital-dia) para internação. Página | 190

No SADT temos uma evolução irreal, pois em março nosso número de pesquisas foi reduzido para avaliação. Grande parte dos usuários reclamam pelo tempo de espera no atendimento do laboratório com índice de 66,7%, e pela falta de atendimento prioritário para idosos e gestantes.

10.3 – GERENCIAMENTO DE PROCESSOS
- Realizado pela Farmacêutica Michelle pedido de Ganciclovir 500 mg injetável ao MS para criança com CMV congênito e já recebido. - Realizada reposição e inspeção de carro de emergência pela coordenadora farmácia. Michelle conforme rotina da farmácia. - Conferido e registrado os medicamentos da Portaria 344/98 da pela coordenadora farmácia. - Reunião sobre agendamento com Enfermeira Carina, Ivete, Ênia, Vânia, Enfª Annallena, Enfª Thaise, Coordenador de enfermagem Diogo para definir novas rotinas de agendamento. - Reunião sobre unificação do agendamento e marcação de exames com Diretor Geral, Diretor Técnico, Drª Claudia, Ivete, Coord. Diogo. - Cadastro das agendas de Dermatologia no sistema MV para orientar a recepção como será a nova forma de atendimento do cliente. - Definição de novo fluxo para faturamento de atendimento ambulatorial. - Alinhado com faturamento quais atendimentos deverão ser cadastrados no sistema MV. - Definido com coordenação de enfermagem a inclusão do sistema de contra - referência no arquivo de prontuário ambulatorial para que o médico possa saber a história do paciente no período em que o mesmo esteve internado. - Inicio do lançamento no MV de todas as agendas de atendimento a partir do dia 07 de maio. - Definição entre a com Coordenação de enfermagem e coordenação de SPP sobre as guias de prontuário de internação que estão voltando para o arquivo ambulatorial, quando na verdade deveriam ser encaminhados ao arquivo médico. - Término do Manual de Técnicas de Enfermagem, mandado para correção e avaliação da qualidade e direção técnica. - Revisão do Protocolo do Perfil dos Paciente a serem atendidos no HPDT, - Reunião na UPA sobre fluxos de referencia e contra referencia junto a direção do HPRA, Municipal, HPDT e UPA Municipal. - Fixação em Murais de escalas de atribuições de enfermagem, controle de temperatura de geladeira e materiais e medicamentos.

10.4 – FATURAMENTO
5. Faturamento 5.1 - AIH 5.2 - Valores Jan 150 Fev 146 Mar 150 Abr 131 Mai 130 Jun 0 0,0 Jul 0 0,0 Ago 0 0,0 Set 0 0,0 Out 0 0,0 Nov 0 0,0 Dez 0 TOTAL 707

57386,0 65580,5 92099,3 55853,9 67211,0

0,0 338130,8

Página | 191

10.6 – OUTRAS INFORMAÇÕES
Participação do HPDT na Ação Global que aconteceu no dia 05/05 no Sesi/CAT, quando foi oferecido a população diagnóstico precoce do HIV e intensificação de ações de prevenção contra as DST/HIV/AIDS e Hepatites B/C.

2.11 HOSPITAL TIA DEDÉ 2.11.1 METAS CONTRATUAIS

11.1 – INDICADORES DE PRODUÇÃO
11.1.1 – Nº DE LEITOS POR ESPECIALIDADE;
1.1. Leitos por Especialidade 1.1.1. Clínica Médica 1.1.2. Clínica Pediátrica 1.1.3. Clínica Cirúrgica 1.1.4. Clínica Obstétrica 1.1.5. UTI de Adultos 1.1.6. UTI Infantil 1.1.7. UTI Neonatal 1.1.8. Berçário 1.1.9. Clínica Ortopédica 1.2.10. Outros Total de Leitos Jan 0 17 2 12 0 0 0 10 0 4 45 Fev 0 17 2 12 0 0 0 10 0 4 45 Mar 0 17 2 12 0 0 0 10 0 4 45 Abr 0 17 2 12 0 0 0 10 0 4 45 Mai 0 17 2 12 0 0 0 10 0 4 45 Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 0 85 10 60 0 0 0 50 0 20 225

Página | 192

11.1.2 – Nº. DE INTERNAÇÕES POR ESPECIALIDADE;
1.2. Internações por Especialidade 1.2.1. Clínica Médica 1.2.2. Clínica Pediátrica 1.2.3. Clínica Cirúrgica 1.2.4. Clínica Obstétrica 1.2.5. UTI de Adultos 1.2.6. UTI Infantil 1.2.7. UTI Neonatal 1.2.8. Berçário 1.2.9. Clínica Ortopédica 1.2.10. Outros Total de Internações por especialidade Jan 0 93 143 43 0 0 0 42 0 35 356 Fev 0 114 0 125 0 0 0 18 0 44 301 Mar 0 95 7 127 0 0 0 34 0 63 326 Abr 0 53 0 182 0 0 0 32 0 62 329 Mai 0 103 11 156 0 0 0 37 0 37 344 Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 0 458 161 633 0 0 0 163 0 241 1656

11.1.3 – Nº. DE SAÍDOS POR ESPECIALIDADE
1.3. Nº. de saídos por especialidade 1.3.1. Clínica Médica 1.3.2. Clínica Pediátrica 1.3.3. Clínica Cirúrgica 1.3.4. Clínica Obstétrica 1.3.5. UTI de Adultos 1.3.6. UTI Infantil 1.3.7. UTI Neonatal 1.3.8. Berçário 1.3.9. Clínica Ortopédica 1.3.10. Outros Total de saídos por especialidade Jan 0 59 16 78 0 0 0 39 0 35 227 Fev 0 90 10 103 0 0 0 17 0 44 264 Mar 0 112 6 133 0 0 0 34 0 63 348 Abr 0 89 2 127 0 0 0 32 0 62 312 Mai 0 94 5 174 0 0 0 12 0 52 337 Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 0 444 39 615 0 0 0 134 0 256 1488

11.1.4 – PERCENTUAL DE OCUPAÇÃO POR CLÍNICA;
1.4. Porcentagem de Ocupação 1.4.1. Clínica Médica 1.4.2. Clínica Pediátrica 1.4.3. Clínica Cirúrgica 1.4.4. Clínica Obstétrica 1.4.5. UTI de Adultos 1.4.6. UTI Infantil 1.4.7. UTI Neonatal 1.4.8. Outros (Berçário) 1.4.9. Clínica Ortopédica 1.4.10. Outros Jan 0% 35% 6% Fev 0% Mar 0% Abr 0% Mai 0% 74% Jun 0% 0% 0% Jul 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Ago 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Set 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Out 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Nov 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Dez 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% TOTAL 0% 186% 59% 116% 0% 0% 0% 44% 0% 124%

38% 40.78% 40% 4%

2% 0.62% 48%

59.79% 58% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0%

58% 59.50% 96.51% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 44% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0%

22% 28.57% 25% 21.13% 77%

Página | 193

11.1.5 – MÉDIA DE PERMANÊNCIA
1.5. Média de Perm anência 1.5.1. Clínica Médica 1.5.2. Clínica Pediátrica 1.5.3. Clínica Cirúrgica 1.5.4. Clínica Obstétrica 1.5.5. UTI de Adultos 1.5.6. UTI Infantil 1.5.7. Uti Neonatal 1.5.8. Outros 1.5.9. Clínica Ortopédica 1.5.10. Outros Média Geral de Permanência Jan 0 7,19 6.57 2,09 4,8 0 0 0 3.65 0 0 2,84 2,59 4,12 0 0 0 0 0 0 2,88 Fev 0 Mar 0 8,35 Abr 0 8,65 Mai 0 3,14 1,76 3,56 0 0 0 3,81 0 0 2,86 Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 0 27,33 7,86 20,49 0 0 0 3,65 0 0 50,87

1,42 3.50 4,22 0 0 0 0 0 0 2,87 3,79 0 0 0 0 0 0 3,18

11.1.6 – VOLUME CIRURGICO
1.6. Volum e Cirúrgico 1.6.1. Cirurgias de Urgência 1.6.2. Cirurgias Eletivas Média Geral de Cirurgias Jan 54 29 83 Fev 41 27 68 Mar 70 12 82 Abr 88 7 95 Mai 163 12 175 Jun 0 0 0 Jul 0 0 0 Ago 0 0 0 Set 0 0 0 Out 0 0 0 Nov 0 0 0 Dez 0 0 0 TOTAL 416 87 503

11.1.6.3 – Nº DE CIRURGIAS POR PORTE;
1.6.3. Núm ero de Cirurgias por Porte 1.6.3.1. Cirurgias Grandes 1.6.3.2. Cirurgias Médias 1.6.3.3. Cirurgias Pequenas 1.6.3.4. Curetagens 1.6.3.5. Cesáreas Média Geral de Cirurgias por Porte Jan 55 2 0 20 53 130 Fev 41 2 0 15 38 96 Mar 51 14 0 21 51 137 Abr 49 30 0 25 49 153 Mai 56 31 0 22 66 175 Jun 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 TOTAL 252 79 0 103 257 691

11.1.6.4 – Nº. DE PARTOS POR TIPO
1.6.4.1. Normal 1.6.4.2. Cesariana 1.6.3.3. Outros Média Geral de Cirurgias por Porte 72 53 0 125 61 38 0 99 75 51 0 126 66 63 0 129 74 66 0 140 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 348 271 0 619

Página | 194

11.1.7 – SADT’S
1.7. SADT 1.7.1. Laboratório Clínico 1.7.2. Anatomia Patológica 1.7.3. Radiologia 1.7.4. Eletrocardiografia 1.7.5. Fisioterapia (Sessões) 1.7.6. Hemodiálise(Sessões) 1.7.7. Hemodinâmica 1.7.8. Hemoterapia 1.7.9. Endoscopia 1.7.10. Ultrassonografia 1.7.11 Tomografia Computadorizada 1.7.12 Ressonancia Magnética 1.7.13 Mamografia 1.7.14 Citopatologia 1.7.15 Eletroencefalografia 1.7.16 Teste do Pézinho 1.7.17 Diversos 1.7.18 Teste Ergométrico Total Jan Fev Mar Abr Mai Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 5467 87 1272 0 5320 0 0 35 0 869 0 0 0 0 0 315 0 0 13365

989 1046 1153 16 122 0 849 0 0 7 0 184 0 0 0 0 0 80 0 0 9 182 0 33 297 0

942 1337 17 337 0 12 334 0

987 1289 1001 1194 0 0 17 0 166 0 0 0 0 0 49 0 0 0 0 7 0 188 0 0 0 0 0 67 0 0 0 0 4 0 152 0 0 0 0 0 57 0 0 0 0 0 0 179 0 0 0 0 0 62 0 0

2247 2456 3034 2510 3118

11.1.8 – AMB ULATÓR IO
1.8. Ambulatório 1.8.1. Consultas 1.8.2. Consultas com Procedimentos 1.8.3. Procedimentos 1.8.4. Procedimentos Cirúrgicos Total Jan 49 0 0 0 49 Fev 40 0 0 0 40 Mar 20 0 0 0 20 Abr 67 0 0 0 67 Mai 42 0 0 0 42 Jun 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 TOTAL 218 0 0 0 218

11.1.9 – ATENDIMENTOS DE URGÊNCIA/EMERGÊNCIA
1.9. Urgência/Emergência 1.9.1. Consultas 1.9.2. Consultas com Procedimentos 1.9.3. Procedimentos 1.9.4. Procedimentos Cirúrgicos Total Jan Fev Mar Abr Mai Jun 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 TOTAL 10264 0 0 0 10264

1546 1667 2460 2223 2368 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

1546 1667 2460 2223 2368

Página | 195

11.1.10 – RECURSOS HUMANOS
1.10. Recursos Humanos 1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total 64 125 31 1 19 240 Janeiro
S e s a u P ró 3º

Fevereiro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Março
T o t a l S e s a u P ró 3º T o t a l S e s a u P ró

Abril
3º T o tal

32 0 9 28 4 73

0 0 0 0 0 0

96 125 40 29 23 313

52 126 30 1 17 226

32 0 9 35 4 80

0 0 0 0 0 0

84 126 39 36 21 306

46 126 30 2 16 220

32 2 9 35 5 83

0 0 0 0 0 0

78 128 39 37 21 303

43 130 31 2 15 221

33 2 9 35 6 85

0 0 0 0 0 0

76 132 40 37 21 306

1.10. Recursos Humanos
S e s a u P ró

Maio

Junho
T o t a l S e s a u P ró 3º

Julho
T o t a l S e s a u P ró 3º

Agosto
T o t a l S e s a u P ró 3º T o tal

1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total

42 129 31 2 15 219

33 2 9 34 6 84

0 0 0 0 0 0

75 131 40 36 21 303

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

1.10. Recursos Humanos 1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total 0 0 0 0 0 0

Setem bro
S e s a u P ró 3º

Outubro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Novem bro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Dezem bro
T o t a l S e s a u P ró 3º T o tal

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

Página | 196

11.1.11 – NEP

CURSO Orientações Periódicas de Desempenho Parada Cardiorrespiratória Evolução e Anotação de Enfermagem Higienização das mãos O que é a CCIH Medidas de Precaução Padrão Infecção Puerperal Processamento e Controle de Qualidade em Banco de Leite Humano Ocorrência e Prevenção de Eventos Adversos O Trabalho em equipe Reanimação Neonatal Segurança do paciente no contexto contemporâneo Orientações para uso do Abocath de segurança Autoguard Indicadores de Enfermagem e Segurança Gerenciamento de Risco e Segurança Cirurgia Segura Pré e Trans e Pós segurança nos processos De Eletrocardiograma e Ritmos de Risco Balanço Hidrico Acolhimento e Classificação de risco Ética – Implicações legais da Iatrogenias Segurança do Paciente Relacionado ao Processo de Enferm Enfermagem e o uso das Ferramentas Virtuais na Segurança TOTAL

NÚMERO DE PARTICIPANTES 32 18 23 30 15 15 15 04 12 46 17 04 42 12 12 12 12 12 12 12 12 12 381

CARGA HORÁRIA 02:00:00 02:00:00 01:00:00 01:00:00 01:00:00 01:00:00 01:00:00 36:00:00 01:30:00 02:00:00 08:00:00 05:00:00 01:00:00 01:00:00 01:00:00 02:00:00 02:00:00 01:30:00 01:00:00 02:00:00 01:30:00 01:00:00 75:00:00

TOTAL DE HORAS 64:00:00 36:00:00 23:00:00 30:00:00 15:00:00 15:00:00 15:00:00 108:00:00 18:00:00 92:00:00 136:00:00 20:00:00 42:00:00 12:00:00 12:00:00 18:00:00 24:00:00 18:00:00 12:00:00 24:00:00 18:00:00 12:00:00 764:00:00

TOTAL DE HORAS NÚMERO TOTAL DE COLABORADORES DO HOSPITAL HORAS/HOMEM

764:00:00 303 2:32:48

Página | 197

HORAS DE TREINAMENTO
1900ral 1900ral 1900ral 1900ral 1900ral JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ CARGA HORÁRIA TOTAL

DADOS QUALITATIVOS

Os treinamentos tiveram aumento significativo de horas comparados as meses anteriores. Isto deve-se também aos cursos relacionados a busca da certificação do Hospital Amigo da Criança. Bem como a comemoração da Semana da Enfermagem com diversos eventos científicos.

Reanimação Neonatal Ministrado pelo Dr. Hélio Maués, Pediatra, o curso na teórico e prático direcionado para o público de enfermagem, sobre os primeiros momentos de vida do paciente.

Página | 198

Trabalho em equipe Recebemos a consultora de Humanização Maria de Fátima, a mesma veio por uma solicitação do Hospital com o foco de integrar a equipe para a realização homogênea do trabalho em equipe, foram inscritos colaboradores de todos os setores do Hospital.

Orientações Saúde

periódicas

de

Desempenho

realizadas

pela

Secretária

de

Página | 199

Parada Cardiorrespiratória

Dia do Combate a Infecção hospitalar

Protocolo de Atendimento a Pessoa em Situação de Violência Sexual

Mortalidade Materna: Como melhorar a assistência na saúde da mulher

Página | 200

Capacitação: Arritmia Cardíaca para o corpo de enfermagem

11.1.12 – LOGÍSTIC A

1.13. Estoque
1 3.1 Esto que em dias de co nsumo - M at/med 30 dias .1 .

Jan 34,7 34,7

Fev 89,7 89,7

Mar 52,7 52,7

Abr 78,6 78,6

Mai 77,0 77,0

Jun 0,0 0,0

Jul 0,0 0,0

Ago 0,0 0,0

Set 0,0 0,0

Out 0,0 0,0

Nov 0,0 0,0

Dez 0,0 0,0

TOTAL 332,7 332,7

Total

11.1.13 – CORPO CLÍNICO

Foi realizado no mês de maio reunião com corpo clínico e foi discutido a padronização de medicamentos, kit de urgência e emergência e enfatizado a todos para prescrever o nome genérico das medicações. Foi solicitado por todos os médicos presentes na reunião inclusive Direção Geral a necessidade de implantação do protocolo de Manchester com classificação de risco. Ficou determinado que serão realizados exames de ultrassonografia somente com solicitações para os pacientes internos. Ficou acertado referente as prescrições médicas, para encaminhar intercorrências e se necessário avisar ao médico assistente. Referente a transferências de pacientes, é importante o repasse das informações para os colegas plantonistas para troca de informações e a procura de nossas unidades de referência para encaminhamento. Ficou estabelecido para passagem de plantão as 7 da manhã, e ficou enfatizado o cumprimento dos horários. Os profissionais do corpo clínico questionam a necessidade de segurança no hospital, os mesmos sentem a necessidade do retorno dos seguranças, a Diretoria Geral enfatizou que não tem mais contrato com a

Página | 201

SESAU. Normatizar apenas um acompanhante para cada paciente a ser atendido, é pauta para a reunião ordinária no mês de junho.

11.2 - SAU

Registros de Opinião Ocorrências Reclamações Sugestões Elogios Total de Questionários Queixas resolvidas Meta Contratual Meta Realizada Maio 2012 38 03 29 70 37 80% 97,37%

Através destes índices podemos observar que houve uma maior resolutividade de queixas no mês de MAIO, porém grande parte das reclamações ainda estão relacionadas a alimentação e tempo de espera para o atendimento médico no PRONTO SOCORRO.

Página | 202

5. Índices de Satisfação

Hospital Materno Infantil Público Tia Dedé 120,000
100,000 80,000 60,000 40,000 20,000 ,000 -20,000 75,400 77,860 77,560 73,650

AMBULATORI O (%) 82,310 100,000 75,400 -8,395%

INTERNAÇÃO (%) 81,930 55,710 77,860 -4,968%

P. S. (%) 79,560 87,530 77,560 -2,514%

SADT (%) 79,700 73,080 73,650 -7,591%

Março. 2012 Abril. 2012 Maio. 2012 Evolução do Período

Com relação ao atendimento prestado no AMBULATÓRIO podemos observar que os usuários sentem-se razoavelmente satisfeitos, porém indicam que o tempo de espera ainda precisa melhorar. Na INTERNAÇÃO percebeu-se que uma maior quantidade de usuários demonstrou interesse em contribuir com as suas opiniões, porém o fator alimentação ainda tem deixado a desejar segundo estes. Já no PRONTOSOCORRO as principais queixas ainda estão relacionadas ao tempo de espera para serem atendidos, mas sentem-se satisfeitos com o atendimento recebido pela enfermagem e equipe médica. O SADT teve um aumento em seu índice principalmente relacionado a equipe técnica, que em relação aos demais itens pesquisados indicam um bom atendimento. Os usuários do Hospital Materno Infantil Tia Dedé tem demonstrado maior satisfação com os serviços prestados nesta instituição, ressaltando a importância e contribuição do S.A.U. para a melhoria da qualidade dos serviços prestados. Gostaria de ressaltar que
Página | 203

neste mês de MAIO tivemos problemas técnicos na máquina de Registro de Opiniões do PRONTO SOCORRO. Desta forma, em substituição, utilizamos a máquina do AMBULATÓRIO.

11.3 – GERENCIAMENTO DE PROCESSOS • • • • • • • • •
Integração entre os setores de compras do HGPP e Tia Dedé; Participação no treinamento de Mapeamento de processo no Hosp. Dona Regina; Visita técnica da Equipe de Segurança do trabalho da Sede da Pró Saúde/SP; Realizada entrevistas para vagas de reposição e índice de segurança técnica para as funções de copeira, técnico de segurança do trabalho, médico obstetra, Auxiliar de Higiene e limpeza e Agente de Portaria; Inicio da APED – Avaliação Periódica de Desempenho dos Servidores; Revisão final do Regimento do Corpo Clínico; Reunião de Corpo Clínico para início da Criação dos protocolos clínicos e implantação da classificação de risco; Criação da Descrição de cargos para Auxiliares de farmácia e Farmacêuticos; Realizada reunião no dia 9/05 nas dependências do Hemocentro de Porto Nacional com a direção do Hemocentro de Palmas para alinhamento das dificuldades encontradas pelo Hemocentro para o Hospital Materno Infantil e Regional. Acertado treinamento promovido pelo Hemocentro de Palmas no dia 30/05/2011. Foram entregues aos pacientes/crianças internadas um jogo de pijama, para não precisarem trazer roupas para o hospital; Foram identificados todos os leitos, enfermarias com placas de acrílico; Foram instalados mais dois quadros brancos de Gestão a vista, um quadro para informativos do RH e um para a Sala da Radiologia; A partir do mês de Maio, foi aberto um Canal Direto com a Diretoria Geral, para que os colaboradores através de um impresso específico, possam elogiar, criticar ou sugerir melhorias no processo de trabalho, o intuito deste canal é saber quais são as necessidades dos colaboradores em relação ao local de trabalho, escalas, alimentação, enfim, no final do dia a Supervisora do SAU recolhe os impressos e os analise em conjunto com a Direção Geral. Transferido do Hospital Dona Regina, uniformes de enfermeiros e técnicos de enfermagem; Conclusão de todos os lançamentos no Sistema de Controle de Patrimônio. Substituição de todos os colchões danificados por colchões novos.

• • • •

• • •

Página | 204

Ações gerenciais de Enfermagem
• As medicações eram realizadas de forma insegura, com anotações em pequenos papéis, sem a conferência com a prescrição médica, hoje é um processo seguro, realizado conforme o que é recomendado cientificamente, checado na prescrição médica. Foram realizados diversos treinamentos relacionados à administração de medicamentos de forma segura, verificando os cinco Certos (horário, medicação, dose, paciente e via), sempre confrontando com as prescrições. • • Todos os pacientes são identificados ao entrar no hospital com pulseiras, o leito tem placas de identificação com observações de alergias e dietas permitidas. Iniciou-se a implantação da Sistematização da Assistência de Enfermagem com treinamentos efetivos sobre as anotações de enfermagem e foi reimplantado o Histórico de enfermagem que estava em desuso. • • • • Há o planejamento para a implantação total do processo de enfermagem, e que por ora encontra-se suspenso. Nos postos de enfermagem foram feitos projetos de padronização de estoques mínimos, reduzindo o sub estoque e a perda de materiais e medicamentos existentes. Foram revisadas as rotinas, construídas Instruções de Trabalho e fluxogramas para diversas atividades assistenciais. Foram substituídos os Carrinhos de Emergência e foi formatado uma padronização de materiais e medicamentos, implantamos uma rotina de checagem diária e mensal, garantindo segurança no atendimento na vigência de emergências. • • • Houve treinamento de todos os funcionários para o atendimento de emergências e uso dos equipamentos. Após o recebimento do equipamento Eletrocardiógrafo, todos os colaboradores do pronto socorro foram capacitados para a realização do exame. Houve padronização no Berçário referente a limpeza de materiais e equipamentos e foram retirados equipamentos que não estavam sendo utilizados. • Foi remanejado no quadro de enfermagem uma Auxiliar de Serviços de Saúde que tem por responsabilidades auxiliar nos serviços administrativos, nas estatísticas relacionadas aos cuidados de enfermagem, prover as unidades de materiais e medicamentos, encaminhar exames, cobrar resultados, entre outras tarefas para auxiliar a equipe. Página | 205

Mantivemos um quadro de enfermeiros reduzido, que não atende a legislação e as normas do Coren, o setor de Acolhimento com classificação de risco e o Pré-parto sem enfermeiros exclusivos. Foi remanejado o quadro de enfermagem conseguindo deixar enfermeiros durante o dia no berçário.

• • • • •

Foi remanejado colaboradoras para organização e controle de exames de laboratório, teste do pezinho e exames de Anatomia Patológica, que detém o registro e encaminhamentos. Foi confeccionado formulário para solicitação de exames de laboratório, bem como a Instrução de trabalho para orientação das equipes. Foi interditada a sala que até então era utilizada para banho do RN, houve troca dos berços para berços em acrílico, as equipes foram orientadas quanto à forma de proceder ao banho do RN. Foi elaborado e entregue a Diretoria Geral, um projeto de reestruturação para o Pronto Socorro, com adequações físicas e reformulação do fluxo de atendimento. Iniciado o projeto para Iniciativa Hospital Amigo da Criança foi elaborado o plano de ação para a execução do projeto, seguindo os 10 passos preconizados pela OMS. O Projeto foi entregue a Diretoria Geral e o Plano de Ação entregue ao Comitê da IHAC para que deem continuidade e tornem-se um Hospital Amigo da Criança.

Identificação dos leitos, enfermarias e demais salas

Página | 206

Participação na I Jornada de Ginecologia e Obstetrícia de Porto Nacional

Realizada a 2º semana do Bebê com o tema “Família, fortaleça esse laço”, em parceria com a prefeitura Municipal de Porto Nacional. No dia 07 de maio pela manhã as autoridades municipais entregaram a primeira criança nascida no dia 07 de maio a chave do município que simboliza o(a) Bebê prefeita (o). Esta criança ao longo de seu desenvolvimento terá seu acompanhamento garantido pelo Programa Saúde da Família do Município simbolizando o acompanhamento realizado as todas crianças nascidas em Porto Nacional.

Página | 207

Inicio da Campanha de Vacinação de Influenza para os colaboradores da Assistência a Saúde;

Realização em parceria Hospital Regional, ITPAC Materno Infantil da Semana da Enfermagem com tema central “Atuação da Enfermagem na Segurança do paciente em Ambiente Hospitalar” foi estipulado que para realizar a inscrição, os participantes teriam que levar fralda geriátrica e fralda pediátrica e assim as mesmas foram entregues para seus respectivos hospitais.

Página | 208

Participação na FLIT com equipe médica

11.4 – FATURAMENTO
4. Faturamento
4.1- A IH (Quantitativo ) 4.2 - Valo res (em reais)

Jan
324 1 67.861 ,1

Fev
328 1 .275,3 61

Mar
31 3 1 57.731 ,7

Abr
31 1 1 54.647,6

Mai
344 1 67.1 2,4 1

Jun
0 0,0

Jul
0 0,0

Ago
0 0,0

Set
0 0,0

Out
0 0,0

Nov
0 0,0

Dez
0 0,0

TOTAL
1 620 808628,1

11.6 – OBRAS E IMPLANTAÇÃO DE NOVOS SERVIÇOS
• Conclusão da reforma da Sala de Prescrição médica e após as 10hs é utilizada pela equipe multiprofissional

Página | 209

Conclusão da reforma do posto de enfermagem

Consultório Obstetrícia

Página | 210

Consultório Pediátrico

Instalação das Telas Milimetradas na cozinha, refeitório e sanitários

11.7 – EQUIPAMENTOS NOVOS RELÓGIO DIGITAL

Página | 211

MESA CIRÚRGICA ELÉTRICA

11.8 – COMISSÕES 11.9 – OUTRAS INFORMAÇÕES
• Dia dos Serviços Gerais

No dia 14/05 é comemorado Dia do colaborador de serviços gerais foi organizado um coffee break e entregue lembranças para prestigiar esses colaboradores.

Página | 212

Dia 15 de Maio é comemorado Dia do Assistente Social , esses colaboradores foram homenageados com mensagens no Televisor na recepção, painel e bolo.

Dia das Mães O Hospital homenageou a todas as mães colaboradoras, usuárias foi montada uma equipe que foram em todos os setores do Hospital para cântico e entrega de lembrança, foi feito um mural com desenhos e fotos dos próprios filhos das mesmas e um coffee break especial.

Página | 213

Festa do Divino Espírito Santo realizado em Porto Nacional no período de 18/05 a 20/05 com o tema: A Saúde pública difundirá sobre a terra, o hospital teve a participação com doação de 100 lanches para a festa.

Página | 214

Aniversariantes do mês de Maio

Reposição de Materiais para o Setor de Radiologia como Chassis, Écrans e Aventais Plubíferos

Página | 215

Aquisição de caixas plásticas com tampa regular

Aquisição de mesas e cadeiras novas para refeitório

Instalação dos suportes de copos

Página | 216

Aquisição caneta monopolar para unidade eletrocirúrgica, eletrobisturi e eletroldo faca reta

Aquisição de placa de bisturi

PALAVRA DO DIRETOR GERAL DO HOSPITAL
O Hospital Materno Infantil Público Tia Dedé, apesar de todas as dificuldades de abastecimento, devido aos atrasos nos repasses financeiros, e o processo de transição, manteve a qualidade de seus serviços e a assistência prestada a população. A Direção Geral – SESAU já assumiu o gerenciamento das áreas, e o processo de transição está ocorrendo de forma harmoniosa. Os colaboradores da Pró Saúde demonstram preocupação de como se dará o processo de transição e aproveitamento dos mesmos pela Secretaria de Estado da Saúde. Os serviços iniciados no mês de Maio, como por exemplo, reforma, foram finalizados a contento, sem prejuízos ao funcionamento da unidade. Com todas as dificuldades encontradas neste momento de transição, a população continua sendo bem assistida, e a equipe demonstra profissionalismo e habilidade na continuidade dos serviços prestados. Página | 217

2.12 HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE DIANÓPOLIS 2.12.1 METAS CONTRATUAIS

12.1 – INDICADORES DE PRODUÇÃO

1.1 – Nº DE LEITOS POR ESPECIALIDADE;
1.1. Leitos por Especialidade 1.1.1. Clínica Médica 1.1.2. Clínica Pediátrica 1.1.3. Clínica Cirúrgica 1.1.4. Clínica Obstétrica 1.1.5. UTI de Adultos 1.1.6. UTI Infantil 1.1.7. UTI Neonatal 1.1.8. Berçário 1.1.9. Clínica Ortopédica 1.2.10. Outros Total de Leitos Jan 17 12 7 7 0 0 0 2 0 2 47 Fev 17 12 7 7 0 0 0 2 0 2 47 Mar 17 12 7 7 0 0 0 2 0 2 47 Abr 17 12 7 7 0 0 0 2 0 2 47 Mai 17 12 7 7 0 0 0 2 0 2 47 Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 85 60 35 35 0 0 0 10 0 10 235

COMENTÁRIO: A quantidade de leitos acima são os leitos ativos na unidade hospitalar.

1.2 – Nº. DE INTERNAÇÕES POR ESPECIALIDADE;
1.2. Internações por Especialidade 1.2.1. Clínica Médica 1.2.2. Clínica Pediátrica 1.2.3. Clínica Cirúrgica 1.2.4. Clínica Obstétrica 1.2.5. UTI de Adultos 1.2.6. UTI Infantil 1.2.7. UTI Neonatal 1.2.8. Berçário 1.2.9. Clínica Ortopédica 1.2.10. Outros Total de Internações por especialidade Jan 103 8 63 38 0 0 0 1 0 0 213 Fev 86 16 71 33 0 0 0 2 0 0 208 Mar 133 20 79 24 0 0 0 6 2 0 264 Abr 119 35 77 34 0 0 0 2 22 0 289 Mai 205 10 27 35 0 0 0 0 2 0 279 Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 646 89 317 164 0 0 0 11 26 0 1253

COMENTÁRIO: O número de internações reduziu devido a falta de anestesista no período de 16 a 31 de maio, o motivo de sua ausência foi um acidente com o filho em Palmas, inclusive foi noticiado na mídia, e o outro anestesista não estava na cidade neste período. Página | 218

1.3 – Nº. DE SAÍDOS POR ESPECIALIDADE
1.3. Nº. de saídos por especialidade 1.3.1. Clínica Médica 1.3.2. Clínica Pediátrica 1.3.3. Clínica Cirúrgica 1.3.4. Clínica Obstétrica 1.3.5. UTI de Adultos 1.3.6. UTI Infantil 1.3.7. UTI Neonatal 1.3.8. Berçário 1.3.9. Clínica Ortopédica 1.3.10. Outros Total de saídos por especialidade Jan 85 9 58 31 0 0 0 1 26 1 211 Fev 93 17 66 36 0 0 0 2 21 0 235 Mar 107 22 83 32 0 0 0 6 14 0 264 Abr 132 35 71 32 0 0 0 2 22 0 294 Mai 196 10 28 34 0 0 0 3 0 4 275 Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 613 93 306 165 0 0 0 14 83 5 1279

COMENTÁRIO: O número de saídos reduziu devido a falta de anestesista no período de 16 a 31 de maio, o motivo de sua ausência foi um acidente com o filho em Palmas, inclusive foi noticiado na mídia, e o outro anestesista não estava na cidade neste período.

1.4 – PERCENTUAL DE OCUPAÇÃO POR CLÍNICA;
1.4. Porcentagem de Ocupação 1.4.1. Clínica Médica 1.4.2. Clínica Pediátrica 1.4.3. Clínica Cirúrgica 1.4.4. Clínica Obstétrica 1.4.5. UTI de Adultos 1.4.6. UTI Infantil 1.4.7. UTI Neonatal 1.4.8. Outros (Berçário) 1.4.9. Clínica Ortopédica 1.4.10. Outros Porcentagem Geral de Ocupação Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Ago Set 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Out 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Nov Dez TOTAL 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 391% 109% 329% 120% 0% 0% 0% 35% 36% 36%

109% 41% 76% 92% 73% 1% 11% 16% 73% 60% 86% 85% 91% 7% 7%

41% 33% 18% 16% 12% 0% 0% 0% 2% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0%

7% 26% 0% 0% 0% 0%

0% 36% 0% 36%

55% 35% 48% 68% 33%

COMENTÁRIO: a taxa de ocupação reduziu devido a falta de anestesista no período de 16 a 31 de maio, o motivo de sua ausência foi um acidente com o filho em Palmas, inclusive foi noticiado na mídia, e o outro anestesista não estava na cidade neste período.

Página | 219

1.5 – MÉDIA DE PERMANÊNCIA;

1.5. Média de Perm anência 1.5.1. Clínica Médica 1.5.2. Clínica Pediátrica 1.5.3. Clínica Cirúrgica 1.5.4. Clínica Obstétrica 1.5.5. UTI de Adultos 1.5.6. UTI Infantil 1.5.7. Uti Neonatal 1.5.8. Outros 1.5.9. Clínica Ortopédica 1.5.10. Outros Média Geral de Permanência

Jan 6,78 0,56 2,26 2,87 0 0 0 1 0 0 2,45

Fev 2,12 2,24 2,55 1,81 0 0 0 2 0 0 2,89

Mar 3,72 2,73 2,23 1,19 0 0 0 2,67 0 0 2,55

Abr 2,11 2,44 1,58 0,77 0 0 0 0 0 0 2,02

Mai 1,44 1,8 1 1,25 0 0 0 1 0 0 1,67

Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

De z 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

TOTAL 16,17 9,77 9,62 7,89 0 0 0 6,67 0 0

COMENTÁRIO: a média de permanência reduziu devido a falta de anestesista no período de 16 a 31 de maio, o motivo de sua ausência foi um acidente com o filho em Palmas, inclusive foi noticiado na mídia, e o outro anestesista não estava na cidade neste período, isto fez com que o número de pacientes cirúrgicos que ocupam por maior tempo os leitos diminuísse afetando o tempo de permanência.

1.6 – VOLUME CIRURGICO
1.6. Volum e Cirúrgico 1.6.1. Cirurgias de Urgência 1.6.2. Cirurgias Eletivas Média Geral de Cirurgias Jan 29 47 76 Fev 17 64 81 Mar 29 50 79 Abr 26 50 76 Mai 6 21 27 Jun 0 0 0 Jul 0 0 0 Ago 0 0 0 Set 0 0 0 Out 0 0 0 Nov 0 0 0 Dez 0 0 0 TOTAL 107 232 339

COMENTÁRIO: O número de cirurgias reduziu devido a falta de anestesista no período de 16 a 31 de maio, o motivo de sua ausência foi um acidente com o filho em Palmas, inclusive foi noticiado na mídia, e o outro anestesista não estava na cidade neste período.
1.6.3 – Nº DE CIRURGIAS POR PORTE;

1.6.3. Núm ero de Cirurgias por Porte 1.6.3.1. Cirurgias Grandes 1.6.3.2. Cirurgias Médias 1.6.3.3. Cirurgias Pequenas 1.6.3.4. Curetagens 1.6.3.5. Cesáreas Média Geral de Cirurgias por Porte

Jan 18 30 28 0 18 94

Fev 10 31 40 0 13 94

Mar 6 46 27 4 18 101

Abr 25 25 26 6 20 102

Mai 0 6 21 0 13 40

Jun 0 0 0 0 0 0

Jul 0 0 0 0 0 0

Ago 0 0 0 0 0 0

Set 0 0 0 0 0 0

Out 0 0 0 0 0 0

Nov 0 0 0 0 0 0

Dez 0 0 0 0 0 0

TOTAL 59 138 142 10 82 431

COMENTÁRIO: O número de cirurgias reduziu devido a falta de anestesista no período de 16 a 31 de maio, o

Página | 220

motivo de sua ausência foi um acidente com o filho em Palmas, inclusive foi noticiado na mídia, e o outro anestesista não estava na cidade neste período.

1.6.4 – Nº. DE PARTOS POR TIPO
1.6.4. Núm ero de partos por tipo 1.6.4.1. Normal 1.6.4.2. Cesariana 1.6.3.3. Outros Média Geral de Cirurgias por Porte Jan 23 18 0 41 Fev 32 13 0 45 Mar 19 18 0 37 Abr 32 20 0 52 Mai 36 13 0 49 Jun 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 TOTAL 142 82 0 224

1.7 – S ADT’S
1.7. SADT 1.7.1. Laboratório Clínico 1.7.2. Anatomia Patológica 1.7.3. Radiologia 1.7.4. Eletrocardiografia 1.7.5. Fisioterapia (Sessões) 1.7.6. Hemodiálise(Sessões) 1.7.7. Hemodinâmica 1.7.8. Hemoterapia 1.7.9. Endoscopia 1.7.10. Ultrassonografia 1.7.11 Tomografia Computadorizada 1.7.12 Ressonancia Magnética 1.7.13 Mamografia 1.7.14 Citopatologia 1.7.15 Eletroencefalografia 1.7.16 Teste do Pézinho 1.7.17 Diversos (Serviço social e Psicologia) 1.7.18 Teste Ergométrico 1.7.19 Outros ( especificar) Fonoaudiologia Total Jan 332 27 428 55 45 0 0 0 0 125 0 0 60 0 0 0 0 0 130 Fev 391 21 492 155 47 0 0 0 0 156 0 0 88 0 0 0 0 0 105 Mar 309 16 733 175 234 0 0 0 0 142 0 0 134 0 0 0 0 0 97 Abr 364 22 546 129 171 0 0 0 0 222 0 0 63 0 0 0 365 0 159 Mai 487 5 584 61 0 0 0 0 0 130 0 0 120 0 0 0 0 0 0 Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 1883 91 2783 575 497 0 0 0 0 775 0 0 465 0 0 0 365 0 491 7925

1202 1455 1840 2041 1387

COMENTÁRIO: O número de exames reduziu devido a falta de anestesista no período de 16 a 31 de maio, o motivo de sua ausência foi um acidente com o filho em Palmas, inclusive foi noticiado na mídia, e o outro

Página | 221

anestesista não estava na cidade neste período isto fez com que o número de cirurgias reduzisse reduzindo também os exames.

1.8 – AMBULATÓRIO

1.8. Ambulatório 1.8.1. Consultas 1.8.2. Consultas com Procedimentos 1.8.3. Procedimentos 1.8.4. Procedimentos Cirúrgicos Total

Jan

Fev

Mar

Abr

Mai

Jun 0 0 0 0 0

Jul 0 0 0 0 0

Ago 0 0 0 0 0

Set 0 0 0 0 0

Out 0 0 0 0 0

Nov 0 0 0 0 0

De z 0 0 0 0 0

TOTAL 9620 6771 326 2046 18763

1812 1721 2084 1667 2336 1264 42 472 956 1389 1173 1989 95 330 78 746 111 453 0 45

3590 3102 4297 3404 4370

COMENTÁRIO: Como podemos constatar no quadro acima nossa equipe atende uma enorme quantidade de ambulatório, porém nossa finalidade é Urgência e Emergência.

1.9 – ATENDIMENTOS DE URGÊNCIA/EMER GÊNCIA

1.9. Urgência/Emergência 1.9.1. Consultas 1.9.2. Consultas com Procedimentos 1.9.3. Procedimentos 1.9.4. Procedimentos Cirúrgicos Total

Jan

Fev

Mar

Abr

Mai

Jun 0 0 0 0 0

Jul 0 0 0 0 0

Ago 0 0 0 0 0

Set 0 0 0 0 0

Out 0 0 0 0 0

Nov 0 0 0 0 0

Dez 0 0 0 0 0

TOTAL 9620 6771 326 2046 18763

1812 1721 2084 1667 2336 1264 42 472 956 1389 1173 1989 95 330 78 746 111 453 0 45

3590 3102 4297 3404 4370

COMENTÁRIO: Nossos atendimentos que deveriam ser de Urgência e Emergência também atende ambulatório devido a cultura da população de procurar o serviço de Urgência e Emergência deixando claro que o serviço de assistência primária precisa melhorar e muito. Porém com estes atendimentos a instituição acaba contribuindo com a população não deixando-a desassistida.

Página | 222

1.10 – REC URSOS HUMANOS
1.10. Recursos Humanos 1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total 40 88 15 8 12 163 Janeiro
S e s a u P ró 3º

Fevereiro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Março
T o t a l S e s a u P ró 3º T o t a l S e s a u P ró

Abril
3º T o tal

8 0 2 33 3 46

0 0 0 1 0 1

48 88 17 42 15 210

29 89 15 8 12 153

10 0 2 38 3 53

0 0 0 1 0 1

39 89 17 47 15 207

30 89 15 9 12 155

10 0 2 37 0 49

0 0 0 1 0 1

40 89 17 47 12 205

32 89 15 9 12 157

12 1 2 37 3 55

0 0 0 1 0 1

44 90 17 47 15 213

1.10. Recursos Humanos
S e s a u P ró

Maio

Junho
T o t a l S e s a u P ró 3º

Julho
T o t a l S e s a u P ró 3º

Agosto
T o t a l S e s a u P ró 3º T o tal

1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total

32 89 15 9 12 157

12 1 2 37 3 55

0 0 0 1 0 1

44 90 17 47 15 213

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

1.10. Recursos Humanos 1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total 0 0 0 0 0 0

Setem bro
S e s a u P ró 3º

Outubro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Novem bro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Dezem bro
T o t a l S e s a u P ró 3º T o tal

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

Página | 223

1.11 – NEP

Curso de Teste Rápido de HIV e entrega de vários certificados principalmente o do curso de liderança para as enfermeiras:

Página | 224

1.12 – LOGÍS TICA
1.13. Estoque
1 3.1 Esto que em dias de co nsumo - M at/med 30 dias .1 .

Jan

Fev

Mar

Abr

Mai 0,0 0,0

Jun 0,0 0,0

Jul 0,0 0,0

Ago 0,0 0,0

Set 0,0 0,0

Out 0,0 0,0

Nov 0,0 0,0

Dez 0,0 0,0

TOTAL 1000,1 1000,1

250,0 276,2 240,7 233,1 250,0 276,2 240,7 233,1

Total

COMENTÁRIO:
1.13 – CORPO CLÍNICO

A Direção Geral e a Direção técnica realizou reunião com a Regulação da SESAU para esclarecimento e alinhamento das informações no SISREG.

2 - SAU
O serviço SAU está em pleno andamento de suas atribuições. Não houve registros de opiniões nesse período.

Os dados abaixo atuam como termômetros para que possamos trabalhar cada dia melhor e estas informações tem tornado nosso trabalho bem mais resolutivo.

Página | 225

Hospital Regional Público de Dianópolis
100,000 90,000 80,000 70,000 60,000 50,000 40,000 30,000 20,000 10,000 ,000 -10,000 87,910 85,200 76,000

AMBULATORIO (%) Março/2012 Abril/2012 Maio/2012 Evolução do Período 74,030 80,000 87,910 18,749%

INTERNAÇÃO (%) 78,000 82,440 85,200 9,231%

PRONTO SOCORRO (%) 78,930 90,600 76,000 -3,712%

Conforme gráfico acima podemos avaliar que o gral de satisfação da população atendida nesta unidade no ambulatório e Internação aumentou, mostrando que as condutas ocorridas no mês obtiveram resultados, no entanto no Pronto Socorro o índice de satisfação caiu devido à morosidade de no atendimento por parte de alguns profissionais médicos e infelizmente diante de toda a situação, o fato foi levado ao conhecimento do Diretor que representa a SESAU nesta unidade para que ele tome as devidas providencias para o bom andamento dos serviços.

3 – GERENCIAMENTO DE PROCESSOS Estão sendo implantados processos em todos os setores do hospital e estes processos estão sendo trabalhados de forma conjunta como todos os profissionais da instituição (limpeza, recepção, lavanderia, médicos, enfermeiros, SND, etc.). 4 – FATURAMENTO
4. Faturamento 4.1 - AIH (Quantitativo) 4.2 - Valores (em reais) Jan 200 109.659,80 Fev 220 118.550,42 Mar 33 14.041,00 Abr 126 57.909,73 Mai 0 0,00 Jun 0 0,00 Jul 0 0,00 Ago Set 0 0,00 0 0,00 Out 0 0,00 Nov 0 0,00 Dez 0 0,00

COMENTÁRIO: Houve redução no faturamento e os motivos forma: Implantação do sistema SIS REG na mesma data em que nosso faturista foi operado devido a uma úlcera e ficamos somente com um profissional o qual era inexperiente. Porém já foram tomadas medidas para resolução do problema e as AIHs pendentes serão faturadas todas em maio do referido ano. Página | 226

6 – OBRAS E IMPLANTAÇÃO DE NOVOS SERVIÇOS
Estão sendo colocadas agora em uma segunda etapa, as portas internas do centro cirúrgico com revestimento de fórmica e visores de vidros transparentes para eliminação de focos de contaminação conforme fotos do antes e depois abaixo: Portas do Centro Cirúrgico Antes:

Página | 227

Portas do Centro Cirúrgico depois:

Página | 228

Obra de desativação de fossas antigas da unidade hospitalar reduzindo o custo com limpeza de fossas e melhorando a qualidade do esgoto da instituição.

Página | 229

A obra depois de pronta ficou com caixas de retenção para fácil manutenção e todas devidamente tampadas e sem risco de contaminação:

Conserto da grade da entrada do pronto socorro onde os havia risco de queda para o paciente e quando chovia devido ao grande volume de agua inundava a recepção do pronto socorro: Grade antes: Página | 230

Fotos durante a reforma:

Página | 231

Fotos depois da reforma:

7 – EQUIPAMENTOS NOVOS
Mesa Cirúrgica Anterior

Página | 232

Mesa Cirúrgica atual

Chegaram também uma autoclave e um foco cirúrgico, porém não foi tirado foto porque não foram instalados ainda.

8 – COMISSÕES
As comissões estão em pleno funcionamento conforme metas contratuais.

9 – OUTRAS INFORMAÇÕES O dia 1º de maio dia do trabalho foi comemorado com atividades realizadas para os funcionários chamado de dia da beleza onde foram feitos maquilagem, penteados, limpeza de pele, sorteios de brindes e entrega de canetas com mensagens que parabenizava o trabalhador, conforme demonstram as fotos abaixo:

Página | 233

Página | 234

Dia das mães: O hospital comemorou o dia com sorteios de brindes patrocinados pelos fornecedores locais e a parceria da vereadora Elacy que veio cantar para os pacientes e funcionários a qual emocionou a todos com suas belas canções. Teve o discurso do Diretor Geral Carlos, da Diretora Técnica Dra. Simone e da Gerente Geral Sônia:

Página | 235

Página | 236

Semana da enfermagem: O evento foi realizado com grande sucesso onde foram realizadas palestras de motivação e humanização, um dia de campo com futebol feminino e masculino e o encerrando com um belo de um churrasco onde houve durante toda a semana a colaboração e envolvimento de todos os funcionários inclusive financeiramente.

Página | 237

Futebol Feminino

Página | 238

Futebol Masculino

PALAVRA DO DIRETOR GERAL DO HOSPITAL Como podemos ver em fotos e realizações acima o hospital tem uma equipe que faz acontecer mesmo com as mídias negativas que sempre aparecem, precisando apenas de motivação para que o serviço se torne ainda melhor.

Página | 239

2.13 HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE PEDRO AFONSO 2.13.1 METAS CONTRATUAIS

13.1 – INDICADORES DE PRODUÇÃO
13.1.1 – Nº DE LEITOS POR ESPECIALIDADE;
1.1. Leitos por Es pecialidade 1.1.1. Clínica Médica 1.1.2. Clínica Pediátrica 1.1.3. Clínica Cirúrgica 1.1.4. Clínica Obstétrica 1.1.5. UTI de Adultos 1.1.6. UTI Infantil 1.1.7. UTI Neonatal 1.1.8. Berçário 1.1.9. Clínica Ortopédica 1.2.10. Outros Total de Leitos Jan Fev Mar Abr Mai Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Se t 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL

341 319 341 330 403 155 145 155 150 155 248 232 248 240 248 186 174 186 180 186
0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

930 870 930 900 992

1734 760 1216 912 0 0 0 0 0 0 4622

COMENTÁRIO: O número de leitos do Hospital sofreu alteração em Maio, passando a 32 leitos, assim distribuídos: 13 de Clínica Médica; 5 de Pediatria; 6 de Obstetrícia e 8 de Clínica Cirúrgica. As variações ocorridas são decorrentes do número de dias de cada mês.

13.1.2 – Nº. DE INTERNAÇÕES POR ESPECIALIDADE;

1.2. Internações por Especialidade 1.2.1. Clínica Médica 1.2.2. Clínica Pediátrica 1.2.3. Clínica Cirúrgica 1.2.4. Clínica Obstétrica 1.2.5. UTI de Adultos 1.2.6. UTI Infantil 1.2.7. UTI Neonatal 1.2.8. Berçário 1.2.9. Clínica Ortopédica 1.2.10. Outros Total de Internações por especialidade

Jan

Fev

Mar

Abr

Mai

Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

TOTAL

112 50 55 55
0 0 0 0 0 0

50 21 29 46
0 0 0 0 0 0

91 40 64 63
0 0 0 0 0 0

104 34 45 57
0 0 0 0 0 0

92 24 50 58

272 146 258 240 224

449 169 243 279 0 0 0 0 0 0 1140

Página | 240

COMENTÁRIO: A partir de abril e maio começamos a apresentar queda no número de internações devido ao fato da maioria dos atendimentos em PS, terem sido da especialidade de Clínica Médica e de casos que não indicaram internação e também porque houve diminuição no número de cirurgias e atendimentos ambulatoriais e de urgência. Além disto houve queda nas internações pediátricas devido a saída da única pediatra do Hospital.

13.1.3 – Nº. DE SAÍDOS POR ESPECIALIDADE

1.3. Nº. de saídos por especialidade 1.3.1. Clínica Médica 1.3.2. Clínica Pediátrica 1.3.3. Clínica Cirúrgica 1.3.4. Clínica Obstétrica 1.3.5. UTI de Adultos 1.3.6. UTI Infantil 1.3.7. UTI Neonatal 1.3.8. Berçário 1.3.9. Clínica Ortopédica 1.3.10. Outros Total de saídos por especialidade

Jan

Fev

Mar

Abr

Mai

Jun

Jul

Ago

Set

Out

Nov

Dez

TOTAL

129 42 46 54 0 0 0 0 11 0

76 24 31 46 0 0 0 0 15 0

106 120 118 40 61 71 0 0 0 0 6 0 37 44 61 0 0 0 0 16 0 28 56 58 0 0 0 0 24 0

0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

549 171 238 290 0 0 0 0 72 0 1320

282 192 284 278 284

COMENTÁRIO: O número de saídos apresentou pequenas variações. Em Maio, apesar da queda nas internações e atendimentos ambulatoriais e de urgência, tivemos ligeira elevação devido ao aumento no número de transferências externas, mais precisamente nas especialidades de ortopedia e clínica médica. Ressalta-se que a meta estipulada para o 1° quadrimestre foi de 217 saídos e para o 2° quadrimestre, de 225 saídos.

Página | 241

3.1.4 – PERCENTUAL DE OCUPAÇÃO POR CLÍNICA;

1.4. Porcentagem de Ocupação 1.4.1. Clínica Médica 1.4.2. Clínica Pediátrica 1.4.3. Clínica Cirúrgica 1.4.4. Clínica Obstétrica 1.4.5. UTI de Adultos 1.4.6. UTI Infantil 1.4.7. UTI Neonatal 1.4.8. Outros (Berçário) 1.4.9. Clínica Ortopédica 1.4.10. Outros Porcentagem Geral de Ocupação

Jan

Fev

Mar

Abr

Mai

Jun 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0%

Jul 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0%

Ago 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0%

Set 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0%

Out 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0%

Nov 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0%

Dez 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0%

TOTAL

93% 63% 99% 107% 76% 61% 35% 63% 61% 47% 36% 59% 43% 56% 49% 77% 59% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 43% 46% 49% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 58%

438% 263% 231% 290% 0% 0% 0% 0% 0% 0%

68% 50% 78% 73%

COMENTÁRIO: A ocupação do Hospital apresentou variações que refletiram a movimentação ao longo deste período. A partir de Março, o movimento cresceu ou retomou seu patamar habitual, mas voltou a cair em Abril e mais acentuadamente em Maio, devido a diminuição das internações.

13.1.5 – MÉDIA DE PERMANÊNCIA;

1.5. Média de Perm anência 1.5.1. Clínica Médica 1.5.2. Clínica Pediátrica 1.5.3. Clínica Cirúrgica 1.5.4. Clínica Obstétrica 1.5.5. UTI de Adultos 1.5.6. UTI Inf antil 1.5.7. Uti Neonatal 1.5.8. Outros 1.5.9. Clínica Ortopédica 1.5.10. Outros Média Geral de Permanência

Jan

Fev

Mar

Abr

Mai

Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

TOTAL

2,35 2,57 2,73 2,94 2,59 2,26 2,13 2,23 2,46 2,39 2,54 2,71 2,15 2,36 2,02 1,94 1,85 2,01 1,75 1,59 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0
0 0 0 0 0 0

13,18 11,47 11,78 9,14 0

0 0 0 0 0

2,20 2,18 2,32 2,36 2,04

Página | 242

COMENTÁRIO: Nota-se no decorrer do ano que a média de permanência vem apresentando variações. A tenência de alta observada desde Março, foi interrompida em Maio, decorrente da queda de internações e também porque os casos eram de baixa complexidade, o que demandavam um tempo menor de internação.

13.1.6 – VOLUME CIRÚRGICO

1.6. Volum e Cirúrgico 1.6.1. Cirurgias de Urgência 1.6.2. Cirurgias Eletivas Soma Geral de Cirurgias

Jan

Fev

Mar

Abr

Mai

Jun 0 0

Jul 0 0

Ago 0 0

Set 0 0

Out 0 0

Nov 0 0

Dez 0 0

TOTAL

24 59 83

14 29 43

32 42 74

28 41 69

17 48 65 0

0

0

0

0

0

0

115 219 334

COMENTÁRIO: O número de cirurgias vem caindo desde Março. Houve diminuição no número de cesáreas, que representam um bom volume de cirurgia e também no número de cirurgias ginecológicas. Observa-se também que o tipo de cirurgia que apresentou quedas são as de urgência. Isto aconteceu porque tivemos poucos casos de urgência que demandavam intervenção cirúrgica e porque a equipe médica evitava operar casos mais graves, encaminhando-os para outros hospitais, especialmente nos casos de traumas.
13.1.6.3 – Nº DE CIRURGIAS POR PORTE;
1.6.3. Núm ero de Cirurgias por Porte 1.6.3.1. Cirurgias Grandes 1.6.3.2. Cirurgias Médias 1.6.3.3. Cirurgias Pequenas 1.6.3.4. Curetagens 1.6.3.5. Cesáreas Soma Geral de Cirurgias por Porte Jan Fev Mar Abr Mai Jun 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 TOTAL

7 23 27 3 23

5 6 6 4 22

14 20 5 3 32

18 2 15 6 28

14 19 7 0 25

83

43

74

69

65

0

0

0

0

0

0

0

58 70 60 16 130 334

COMENTÁRIO: Na planilha acima é bom especificar que as curetagens e cesáreas são cirurgias consideradas de pequeno e médio porte respectivamente. Por isto, estas cirurgias foram extraídas das contagens de pequena, média e grande, para compor o total de forma correta na planilha. A variação segue o comentário do tópico anterior. A ressaltar a não realização de curetagens no mês de maio.

Página | 243

13.1.6.4 – Nº. DE PARTOS POR TIPO
1.6.4. Núm ero de partos por tipo 1.6.4.1. Normal 1.6.4.2. Cesariana 1.6.3.3. Outros Soma Geral de Cirurgias por Porte Jan Fev Mar Abr Mai Jun 0 0 0 0 Jul 0 0 0 Ago 0 0 0 Set 0 0 0 Out 0 0 0 Nov 0 0 0 Dez 0 0 0 TOTAL

25 23 0 48

15 22 0 37

25 32 0 57

17 28
0

20 25 45 0

45

0

0

0

0

0

0

102 130 0 232

Em relação ao número de partos por tipo, a variação ocorre, mas mantém um número médio entre 45 e 50 partos por mês. O que chama a atenção é o alto número de cesáreas em relação ao de partos normais, ou seja 56% do total, apesar da queda desde tipo de parto em Maio.
13.1.7 – SADT’S
1.7. SADT 1.7.1. Laboratório Clínico 1.7.2. Anatomia Patológica 1.7.3. Radiologia 1.7.4. Eletrocardiografia 1.7.5. Fisioterapia (Sessões) 1.7.6. Hemodiálise(Sessões) 1.7.7. Hemodinâmica 1.7.8. Hemoterapia 1.7.9. Endoscopia 1.7.10. Ultrassonografia 1.7.11 Tomografia Computadorizada 1.7.12 Ressonancia Magnética 1.7.13 Mamografia 1.7.14 Citopatologia 1.7.15 Eletroencefalografia 1.7.16 Teste do Pézinho 1.7.17 Diversos 1.7.18 Teste Ergométrico Total Jan Fe v Mar Abr Mai Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Se t 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL

1465 47 440 69 20 0 0 4 18 168 8 13 0 0 0 0 0 0

862 30 354 44 0 0 0 7 0 7 3 6 0 0 0 0 0 0

1004 1476 1372 16 495 95 40 0 0 11 0 38 0 0 0 0 0 0 0 0 29 494 57 29 0 0 16 0 29 0 0 0 0 0 0 0 0 26 468 113 0 0 0 4 0 24 4 20 0 0 0 0 0 0

6179 148 2251 378 89 0 0 42 18 266 15 39 0 0 0 0 0 0
9425

2252 1313 1699 2130 2031

COMENTÁRIO: Verifica-se que o maior volume é de Análises Clínicas, que, no Hospital, é terceirizada. No geral, a variação de SADT aumentou seu volume de atendimento do Hospital em Abril e teve pequena queda em Maio, decorrente da queda nas internações e atendimentos.

Página | 244

Destaca-se o aumento de ECG realizados. O motivo para isto foi a realização dos Jogos Estudantis na cidade que gerou um pedido da Secretaria da Educação para realização deste exame nos estudantes que participariam das competições.

13.1.8 – AMB ULATÓR IO

1.8. Ambulatório 1.8.1. Consultas 1.8.2. Consultas com Procedimentos 1.8.3. Procedimentos 1.8.4. Procedimentos Cirúrgicos Total

Jan

Fev

Mar

Abr

Mai

Jun 0 0 0 0

Jul 0 0 0 0

Ago 0 0 0 0

Set 0 0 0 0

Out 0 0 0 0

Nov 0 0 0 0

Dez 0 0 0 0

TOTAL

772 489 845 769
0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

738
0 0 0

772 489 845 769 738

0

0

0

0

0

0

0

3613 0 0 0 3613

COMENTÁRIO: Observamos na planilha uma queda gradual a partir de Março, cujo volume foi o maior deste período. Esta queda é reflexo da queda no número de atendimentos na especialidade de Clínica Médica, que representa 62% do total. Em contrapartida, tivemos um aumento no número de consultas de Ortopedia, gradualmente a partir de Fevereiro, mas que não impactam no número geral devido ao fato de representarem 13% do total.
13.1.9 – ATENDIMENTOS DE URGÊNCIA/EMERGÊNCIA

1.9. Urgência/Emergência 1.9.1. Consultas 1.9.2. Consultas com Procedimentos 1.9.3. Procedimentos 1.9.4. Procedimentos Cirúrgicos Total

Jan

Fev

Mar

Abr

Mai

Jun 0 0 0 0 0

Jul 0 0 0 0 0

Ago 0 0 0 0 0

Set 0 0 0 0 0

Out 0 0 0 0 0

Nov 0 0 0 0 0

Dez 0 0 0 0 0

TOTAL

2045 1915 1776 2089 1916 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

2045 1915 1776 2089 1916

9741 0 0 0 9741

COMENTÁRIO: Os atendimentos de urgência apresentaram queda constante no período até o mês de abril, quando voltaram a subir. Este aumento ocorreu devido ao maior volume nos atendimentos da especialidade de Clínica Médica.

Página | 245

Em Maio este crescimento não ocorreu e uma das causas pode ter sido a queda no número de casos da especialidade de Clínica Médica, que representa 89% do total atendido na urgência. Sazonalidade ou diminuição do envio de pacientes por outros municípios podem também ser parte da causa para esta queda.

13.1.10 – RECURSOS HUMANOS
1.10. Recursos Humanos 1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total Janeiro
S e sa u P ró 3º Tot a l

Fevereiro
S e sa u P ró 3º Tot a l

Março
S e sa u P ró 3º Tot a l S e sa u P ró

Abril
3º Tot a l

22 54 9 13 15 113

21 21 4 37 1 84

0 0 0 0 0 0

43 75 13 50 16 197

13 53 9 13 14 102

32 21 4 37 1 95

0 0 0 0 0 0

45 74 13 50 15 197

14 54 8 13 14 103

32 22 4 37 1 96

0 0 0 0 0 0

46 76 12 50 15 199

14 54 8 13 14 103

34 22 4 37 1 98

0 0 0 0 0 0

48 76 12 50 15 201

1.10. Recursos Humanos
S e sa u P ró

Maio
3º Tot a l

Junho
S e sa u P ró 3º Tot a l

Julho
S e sa u P ró 3º Tot a l

Agosto
S e sa u P ró 3º Tot a l

1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total

6 55 8 14 15
98

33 22 4 37 1
97

0 0 0 0 0 0

39 77 12 51 16 195

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

1.10. Recursos Humanos 1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total 0 0 0 0 0 0

Setem bro
S e sa u P ró 3º Tot a l

Outubro
S e sa u P ró 3º Tot a l

Novem bro
S e sa u P ró 3º Tot a l

Dezem bro
S e sa u P ró 3º Tot a l

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

Página | 246

13.1.11 – NEP

CURSO Manejo de Feridas/Técnicas de Curativo Higienização das Mãos Atualizações e Fundamentos de Enfermagem Marketing Pessoal Registros de Enfermagem Prontuário do Paciente Preenchimento de Fichas e Formulários Orientações NEP Fixação Segura de Cateteres Intravenosos TOTAL
TOTAL DE HORAS NÚMERO TOTAL DE COLABORADORES DO HOSPITAL HORAS/HOMEM

NÚMERO DE PARTICIPANTES 9 36 60 10 10 10 22 14 41 212 2939:00:00 193 15:13:41

CARGA HORÁRIA 04:00:00 04:00:00 40:00:00 04:00:00 04:00:00 04:00:00 04:00:00 02:00:00 03:00:00 69:00:00

TOTAL DE HORAS 36:00:00 144:00:00 2400:00:00 40:00:00 40:00:00 40:00:00 88:00:00 28:00:00 123:00:00 2939:00:00

72:00:00 48:00:00 24:00:00 0:00:00

JAN FEV MAR ABR MAI

13.1.12 – LOGÍSTIC A

1.13. Estoque
1 3.1 Estoque em dias de consumo - Mat/med 30 dias .1 .

Jan

Fev

Mar

Abr

Mai

Jun 0,0 0,0

Jul 0,0 0,0

Ago Set 0,0 0,0 0,0 0,0

TOTAL

2225,7 2225,7

339,8 339,8

73,3 73,3

101,4 101,4

200,8 200,8

2941,0 2941,0

Total

COMENTÁRIO: O meses de Janeiro e Fevereiro não devem ser levados em consideração para qualquer análise, pois o sistema ainda não estava sendo alimentado corretamente e em sua totalidade. Página | 247

A partir de Março, observamos que ainda há um volume grande de dias de estoque no Hospital, com aumentos em Abril e Maio. Isto se deve ao excesso de pedidos do setor de Logística, sem que houvesse uma maior avaliação do estoque existente e também por um excesso de preocupação com prováveis faltas de mat/med. Esta preocupação se deveu a um esperado aumento de demanda (que não ocorreu) e á desconfiança com a dificuldade de entrega por parte dos fornecedores.

13.1.13 – CORPO CLÍNICO

Ações, evoluções e situações relevantes: - sem maiores acontecimentos. Problemas como mal atendimento, erros de conduta e relacionamentos com as demais equipes do Hospital, vem sendo tratados caso a caso pela Diretoria Técnica e com acompanhamento da Direção Geral e suporte do SAU. - O Hospital teve no mês de maio a entrada de um novo cirurgião - Dr. Edilson Lopes Pereira, transferido do Hospital Regional de Augustinópolis. - Realizada reunião entre o corpo clínico, a Dir.Técnica, Dir. Clínica, Dir. Geral e Coordenação, para tratar de diversos assuntos como: contratação de médicos, horas extras, política da Pró/Sesau, ação das Diretorias Geral e Técnica. Pendências: - contratação de médicos generalistas para cobertura dos plantões. - definição do perfil do Hospital para adequação de especialidades como cardiologia, ortopedia e oftalmologia, que foram suspensas e fazem falta á região, pois o Hospital é referência para 5 municípios. - retomada da realização de exames como USG ambulatorial e endoscopia, que foram suspensos com o corte dos extras.

Página | 248

13.2 - SAU

1. REGISTROS DE OPINIÃO

Foram registrados durante esse período cinco registros de opiniões sendo 02 registros de reclamações, relativos ao atendimento das equipes de enfermagem e recepção. As reclamações foram repassadas á Coordenação dos respectivos setores que analisaram e deram retorno das queixas com as explicações, que posteriormente foram encaminhadas aos manifestantes. Obtivemos ainda três registros de elogios, dentre os quais se destacam principalmente o bom atendimento dos funcionários do Hospital, em especial da Equipe da recepção.

Ocorrências Reclamações Sugestões Elogios Total de Questionários Queixas resolvidas Meta Contratual Meta Realizada

Abril 2012 02 0 03 05 2 80,0% 100,0%

Página | 249

2. GRÁFICO DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO Durante o mês de maio, manteve-se a redução dos índices de satisfação, em comparação aos meses anteriores, março e abril, exceto na Internação, que apresentou um pequeno aumento em relação a abril. Reconhecidos os fatores das quedas, os mesmos foram encaminhados aos responsáveis dos setores de atendimento, médico e de enfermagem, para ação e orientação. A questão da estrutura física depende de investimentos, que por hora, estão no aguardo de liberação de verbas.
100,000 95,000 90,000 85,000 80,000 75,000 70,000 AMBULATÓRIO MAR ABR MAI 96,970 94,310 85,060 INTERNAÇÃO 89,790 87,240 88,910

PESQUISA DE SATISFAÇÃO 2012

PRONTO SOCORRO 96,070 86,960 85,360

SADT 96,830 88,850 80,870

Página | 250

13.3 – GERENCIAMENTO DE PROCESSOS
- Não foi prorrogado o contrato de experiência da Técnica de Segurança do Trabalho, tendo sido a mesma desligada. - Foram realizadas reuniões com a equipe de Enfermagem – Técnicas e Enfermeiras, para discussão de casos, deslocamentos, horas extras e condutas no PS e Internação. - Realizada reunião entre a Coordenadora de Enfermagem, Direção Geral e Secretaria da Saúde do Município para tratar de assuntos como: vacinação de RNs, treinamento da equipe de enfermagem da Secretaria quanto à realização de curativos, participação na FLIT 2012 e reunião com as Secretarias de Saúde dos municípios vizinhos. - Implantação do processo eletivo para formação da Comissão de Ética da Enfermagem. - Vinda do supervisor da empresa Tecsaúde para finalização das atividades no Hospital. - Confecção dos Manuais de Normas e Rotinas de Enfermagem para o Pronto Socorro e Setor de Internação. - Participação do Diretor Geral, representando o Hospital, em reunião para implantação de um plano de atendimento de casos emergenciais surgidos nas estradas da região, no âmbito da empresa e do próprio município e região, que envolveria setores como PM/Bombeiros, HRPPA, Secretaria Municipal de Saúde, Bunge entre outras entidades. - Comemorações pelo Dia do Enfermeiro (12) e Dia das Mães (13), quando se parabenizou a Equipe de Enfermagem e às mães colaboradoras do HRPPA e pacientes através de faixas e murais servindo-se almoço e jantar de caráter especial aos plantonistas e entrega de lembranças alusivas ao Dia das Mães. - Início da validade da prescrição de medicamentos de 24 horas até o meio dia do dia seguinte. - Revisão da padronização do estoque mínimo de medicamentos e materiais para o Pronto Socorro e Centro Cirúrgico. - Realizou-se reunião entre colaboradores do HRPPA, com objetivo de definir meios para agilizar a digitação, organização e arquivamento de prontuários novos e antigos do Hospital. - Substituição da supervisora do NEP – Elysnandia, que saíra de licença médica, pela enfermeira Lais Lima de Araujo, que assumirá o controle e coordenação dos treinamentos do Hospital.

13.4 – FATURAMENTO
4. Faturamento 4.1 - AIH (Quantitativo) 4.2 - Valores (em reais) Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set TOTAL

246 99.238,3

195 77.333,1

209 94.104,7

205 93.182,3

153 71.898,2 0,0

0 0,0

0 0,0

0 0,0

1008
435.756,5

Página | 251

COMENTÁRIO: Os números e valores apresentados são referentes ao mês em que foram realizados. A apresentação destas contas é feita no mês posterior. A variação de faturamento segue a variação do atendimento do Hospital, já descrita nos tópicos anteriores. Alerto que estes dados acima referem-se somente a AIHs, conforme solicitado pela planilha. O Hospital também fatura os procedimentos ambulatoriais, chamados SIA/SUS, cujos valores compõem o faturamento total. No quadro abaixo, estão os valores de Jan a Mai/12: SIA/SUS
jan/12 fev/12 mar/12 abr/12 mai/12 31.498,91 38.381,82 27.056,56 33.202,13 36.123,57

13.6 – OBRAS E IMPLANTAÇÃO DE NOVOS SERVIÇOS
- Nenhuma obra foi realizada e nenhum serviço implementado.

13.7 – EQUIPAMENTOS NOVOS
- Nenhum equipamento foi comprado ou instalado.

13.8 – COMISSÕES
Comissão de Óbitos – reunião em 16/05/12 Comissão de Ética Médica – reunião em 22/05/12 Comissão de CCIH – reunião em 23/05/12 Comissão de Farmácia – reunião em 24/05/12 As atas serão enviadas em separado, conforme determinação da Coordenação.

Página | 252

PALAVRA DO DIRETOR GERAL DO HOSPITAL
Neste mês de Maio, que tivemos o anúncio da rescisão contratual com a Secretaria da Saúde, procuramos manter os mesmos padrões e processos de atendimento á população. Claro que a partir do dia 17/05, as ações futuras planejadas foram suspensas e o Hospital entrou em um processo de espera de definições quanto á sua conduta a partir de então. Entretanto, rotinas como compras, sob uma nova política de ação e processos como os do SAU, do NEP e todos os outros sejam no âmbito assistencial ou administrativo/financeiro, foram mantidos e continuam sendo realizados. A queda no índice de satisfação dos usuários, fato este mais perceptível no Ambulatório e Internação e que foram decorrentes de falta de investimento na estrutura física e de pessoal, mostrou que o Hospital, ainda tem um caminho a percorrer no intuito de atingir níveis cada vez maiores de satisfação. Em termos de volume de atendimento, Maio foi um mês de baixa produção, pois apresentou queda geral no atendimento ambulatorial e de urgência, além de queda no número de internações e cirurgias. Fatores como sazonalidade, diminuição do envio de pacientes por parte dos municípios das quais somos referência e diminuição da produtividade da equipe médica podem ser uma explicação para esta baixa. Mas apesar disto, tivemos uma participação muito ativa da gestão de enfermagem neste mês, com vários treinamentos, a finalização dos manuais de normas e rotinas, a revisão do estoque mínimo de materiais e medicamentos no Pronto Socorro e Internação, o início das discussões para implantação de vacinação de RNs, em conjunto com a Secretaria Municipal de Saúde, entre outros. Esperamos que os trabalhos já realizados e implantados possam ser mantidos e aprimorados e o Hospital siga em seu processo de assegurar um atendimento com qualidade á população, independente de quais políticas de saúde prevaleçam.

Página | 253

2.14 HOSPITAL INFANTIL PÚBLICO DE PALMAS 2.14.1 METAS CONTRATUAIS

14.1 – INDICADORES DE PRODUÇÃO

1.1 – Nº DE LEITOS POR ESPECIALIDADE;
1.1. Leitos por Especialidade 1.1.1. Clínica Médica 1.1.2. Clínica Pediátrica 1.1.3. Clínica Cirúrgica 1.1.4. Clínica Obstétrica 1.1.5. UTI de Adultos 1.1.6. UTI Infantil 1.1.7. UTI Neonatal 1.1.8. Berçário 1.1.9. Clínica Ortopédica 1.2.10. Outros Total de Leitos Jan 0 28 0 0 0 0 0 0 0 4 32 Fev 0 28 0 0 0 0 0 0 0 4 32 Mar 0 28 0 0 0 0 0 0 0 4 32 Abr 0 28 0 0 0 0 0 0 0 4 32 Mai 0 28 0 0 0 0 0 0 0 4 32 Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Se t 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 De z 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 0 140 0 0 0 0 0 0 0 20 160

COMENTÁRIO: O diretor deverá descrever as razões das variações ocorridas 1.2 – Nº. DE INTERNAÇÕES POR ESPECIALIDADE;
1.2. Internações por Especialidade 1.2.1. Clínica Médica 1.2.2. Clínica Pediátrica 1.2.3. Clínica Cirúrgica 1.2.4. Clínica Obstétrica 1.2.5. UTI de Adultos 1.2.6. UTI Infantil 1.2.7. UTI Neonatal 1.2.8. Berçário 1.2.9. Clínica Ortopédica 1.2.10. Outros Total de Internações por especialidade Jan 0 154 0 0 0 0 0 0 0 16 170 Fev 0 245 0 0 0 0 0 0 0 29 274 Mar 0 268 0 0 0 0 0 0 0 47 315 Abr 0 255 0 0 0 0 0 0 0 30 285 Mai 0 269 0 0 0 0 0 0 0 45 314 Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 0 1191 0 0 0 0 0 0 0 167 1358

COMENTÁRIO: O diretor deverá descrever as razões das variações ocorridas

Página | 254

1.3 – Nº. DE SAÍDOS POR ESPECIALIDADE
1.3. Nº. de saídos por especialidade 1.3.1. Clínica Médica 1.3.2. Clínica Pediátrica 1.3.3. Clínica Cirúrgica 1.3.4. Clínica Obstétrica 1.3.5. UTI de Adultos 1.3.6. UTI Infantil 1.3.7. UTI Neonatal 1.3.8. Berçário 1.3.9. Clínica Ortopédica 1.3.10. Outros Total de Internações por especialidade Jan 0 147 0 0 0 0 0 0 0 16 163 Fev 0 239 0 0 0 0 0 0 0 38 277 Mar 0 266 0 0 0 0 0 0 0 46 312 Abr 0 247 0 0 0 0 0 0 0 33 280 Mai 0 275 0 0 0 0 0 0 0 37 312 Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 0 1174 0 0 0 0 0 0 0 170 1344

COMENTÁRIO: O diretor deverá descrever as razões das variações ocorridas

1.4 – PERCENTUAL DE OCUPAÇÃO POR CLÍNICA;
1.4.1. Clínica Médica 1.4.2. Clínica Pediátrica 1.4.3. Clínica Cirúrgica 1.4.4. Clínica Obstétrica 1.4.5. UTI de Adultos 1.4.6. UTI Infantil 1.4.7. UTI Neonatal 1.4.8. Outros (Berçário) 1.4.9. Clínica Ortopédica 1.4.10. Outros Porcentagem Geral de Ocupação 0% 71% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 31% 68% 0% 85% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 25% 80% 0% 89% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 27% 85% 0% 81% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 25% 77% 0% 88% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 41% 85% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 414% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 149%

COMENTÁRIO: O diretor deverá descrever as razões das variações ocorridas

Página | 255

1.5 – MÉDIA DE PERMANÊNCIA;
1.5. Média de Perm anência 1.5.1. Clínica Médica 1.5.2. Clínica Pediátrica 1.5.3. Clínica Cirúrgica 1.5.4. Clínica Obstétrica 1.5.5. UTI de Adultos 1.5.6. UTI Infantil 1.5.7. Uti Neonatal 1.5.8. Outros 1.5.9. Clínica Ortopédica 1.5.10. Outros Média Geral de Permanência Jan 0 6,66 0 0 0 0 0 2,44 0 0 6,25 Fev 0 4,64 0 0 0 0 0 0,76 0 0 4,11 Mar 0 5,8 0 0 0 0 0 0,72 0 0 5,04 Abr 0 5,51 0 0 0 0 0 0,91 0 0 4,97 Mai 0 5,21 0 0 0 0 0 1,38 0 0 4,75 Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 0 27,82 0 0 0 0 0 6,21 0 0

COMENTÁRIO: O diretor deverá descrever as razões das variações ocorridas

1.6 – VOLUME CIRURGICO 1.6.1 – Nº de Cirurgias de Urgência; 1.6.2 – Nº de Cirurgias eletivas;

1.6. Volum e Cirúrgico 1.6.1. Cirurgias de Urgência 1.6.2. Cirurgias Eletivas Média Geral de Cirurgias

Jan 10 19 29

Fev 39 32 71

Mar 42 18 60

Abr 22 33 55

Mai 31 21 52

Jun 0 0 0

Jul 0 0 0

Ago 0 0 0

Set 0 0 0

Out 0 0 0

Nov 0 0 0

Dez 0 0 0

TOTAL 144 123 267

COMENTÁRIO: O diretor deverá descrever as razões das variações ocorridas 1.6.3 – Nº DE CIRURGIAS POR PORTE;
1.6.3. Núm ero de Cirurgias por Porte 1.6.3.1. Cirurgias Grandes 1.6.3.2. Cirurgias Médias 1.6.3.3. Cirurgias Pequenas 1.6.3.4. Curetagens 1.6.3.5. Cesáreas Média Geral de Cirurgias por Porte Jan 3 9 17 0 0 29 Fev 14 22 35 0 0 71 Mar 9 27 24 0 0 60 Abr 6 28 21 0 0 55 Mai 7 26 19 0 0 52 Jun 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 TOTAL 39 112 116 0 0 267

COMENTÁRIO: O diretor deverá descrever as razões das variações ocorridas

Página | 256

1.7 – SADT’S
1.7. SADT 1.7.1. Laboratório Clínico 1.7.2. Anatomia Patológica 1.7.3. Radiologia 1.7.4. Eletrocardiografia 1.7.5. Fisioterapia (Sessões) 1.7.6. Hemodiálise(Sessões) 1.7.7. Hemodinâmica 1.7.8. Hemoterapia 1.7.9. Endoscopia 1.7.10. Ultrassonografia 1.7.11 Tomografia Computadorizada 1.7.12 Ressonancia Magnética 1.7.13 Mamografia 1.7.14 Citopatologia 1.7.15 Eletroencefalografia 1.7.16 Teste do Pézinho 1.7.17 Diversos 1.7.18 Teste Ergométrico 1.7.19 Outros ( especificar) Total Jan Fev Mar Abr Mai Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 20922 56 2213 0 2568 0 0 0 0 376 211 71 0 0 92 0 69 0 0 26578

3233 4936 4574 3700 4479 6 258 0 344 0 0 0 0 70 34 6 0 0 18 0 3 0 0 11 371 0 409 0 0 0 0 58 53 24 0 0 19 0 0 0 0 15 537 0 640 0 0 0 0 84 35 12 0 0 13 0 7 0 0 12 499 0 604 0 0 0 0 80 42 12 0 0 18 0 21 0 0 12 548 0 571 0 0 0 0 84 47 17 0 0 24 0 38 0 0

3972 5881 5917 4988 5820

COMENTÁRIO: O diretor deverá descrever as razões das variações ocorridas

1.8 – AMBULATÓRIO
1.8. Ambulatório 1.8.1. Consultas 1.8.2. Consultas com Procedimentos 1.8.3. Procedimentos 1.8.4. Procedimentos Cirúrgicos Total Jan 229 0 0 0 229 Fev 304 0 0 0 304 Mar 381 0 0 0 381 Abr 392 0 0 0 392 Mai 401 0 0 0 401 Jun 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 TOTAL 1707 0 0 0 1707

COMENTÁRIO: O diretor deverá descrever as razões das variações ocorridas

Página | 257

1.9 – ATENDIMENTOS DE URGÊNCIA/EMERGÊNCIA
1.9. Urgência/Emergência 1.9.1. Consultas 1.9.2. Consultas com Procedimentos 1.9.3. Procedimentos 1.9.4. Procedimentos Cirúrgicos Total Jan 469 0 0 0 469 Fev 566 0 0 0 566 Mar 766 0 0 0 766 Abr 719 0 0 0 719 Mai 723 0 0 0 723 Jun 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 TOTAL 3243 0 0 0 3243

COMENTÁRIO: O diretor deverá descrever as razões das variações ocorridas 1.10 – RECURSOS HUMANOS
1.10. Recursos Humanos 1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total 26 156 14 86 42 324 Janeiro
S e s a u P ró 3º

Fe vereiro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Março
T o t a l S e s a u P ró 3º T o t a l S e s a u P ró

Abril
3º T o tal

23 15 3 60 0 101

0 0 0 0 0 0

49 171 17 146 42 425

26 140 14 86 42 308

21 16 3 67 1 108

0 0 0 0 0 0

47 156 17 153 43 416

29 140 14 87 44 314

21 16 3 66 1 107

0 0 0 0 0 0

50 156 17 153 45 421

28 140 14 88 41 311

21 16 3 66 1 107

0 0 0 0 0 0

49 156 17 154 42 418

1.10. Recursos Humanos
S e s a u P ró

Maio

Junho
T o t a l S e s a u P ró 3º

Julho
T o t a l S e s a u P ró 3º

Agosto
T o t a l S e s a u P ró 3º T o tal

1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total

27 141 14 90 41 313

22 16 3 66 1 108

0 0 0 0 0 0

49 157 17 156 42 421

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

1.10. Recursos Humanos 1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total 0 0 0 0 0 0

Setem bro
S e s a u P ró 3º

Outubro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Novem bro
T o t a l S e s a u P ró 3º

De zem bro
T o t a l S e s a u P ró 3º T o tal

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

Página | 258

1.11 – NEP

As ações de capacitação do Hospital Infantil Público de Palmas, no mês de maio 2012 apresentaram redução no número de horas em relação ao mês anterior. Neste mês foram totalizadas 149h40min com a participação de 297 colaboradores/colaboradores.

CURSO Responsabilidade Legal dos Profissionais da Enfermagem no Exercício Profissional Treinamento Agendamento Ambulatórial e Cirúrgico - Sistema M.V Responsabilidade Legal dos Profissionais da Enfermagem no Exercício Profissional para Auxiliares e Técnicos de Enfermagem Treinamento Gestão por Processos Treinamento Gestão por Processos Treinamento Gestão por Processos Treinamento Gestão por Processos Treinamento Boas Práticas de Manipulação Integração Estagiários da Enfermagem Treinamento Gestão por Processos Equipe Recepção e Portaria Treinamento Gestão por Processos Equipe Radiologia Palestra Segurança do Paciente e Enfermagem no Contexto Conteporâneo Capacitação sobre Alcoolismo, Fumo, Vacinação, DST, Aids, Hepatite e Gripe Capacitação Princípios de Segurança do Trabalho, Acidentes e Doenças de Trabalho e EPI Capacitação sobre PPRA, PCMSO, Mapa de Risco e Limites de Tolerância - Insalubridade Capacitação sobre Planos de Emergência ou Socorro, Remoção de Acidentados, Brigada de Incêndios Capacitação sobre Legislação CIPA, Previdênciaria e Trabalhista, Comissão Acidente de Trabalho Orientação sobre o serviço de Controle de Infecção Hospitalar

NÚMERO DE CARGA PARTICIPANTES HORÁRIA

TOTAL DE HORAS

33 8

02:00:00 07:45:00

66:00:00 62:00:00

7 41 8 14 13 1 7 10 8 38 38 14 16 10 12 9

02:00:00 04:30:00 04:00:00 04:00:00 04:00:00 02:00:00 02:00:00 02:40:00 02:15:00 04:00:00 03:12:00 03:18:00 04:00:00 04:00:00 04:00:00 02:00:00

14:00:00 184:30:00 32:00:00 56:00:00 52:00:00 2:00:00 14:00:00 26:40:00 18:00:00 152:00:00 121:36:00 46:12:00 64:00:00 40:00:00 48:00:00 18:00:00

Página | 259

Curso de Atualização para Auxiliares e Técnicos de Enfermagem em Urgência e Emergência Curso Técnico em Hemoterapia TOTAL

6 4 297

40:00:00 48:00:00 149:40:00

240:00:00 192:00:00 1448:58:00

TOTAL DE HORAS NÚMERO TOTAL DE COLABORADORES DO HOSPITAL HORAS/HOMEM

1448:58:00 422 3:26:01

HORAS DE TREINAMENTO

192:00:00 144:00:00 96:00:00 48:00:00 0:00:00
Gráfico 1 – Comparativo de horas destinadas às capacitações entre os meses de Janeiro a maio de 2012.

JAN FEV MAR ABR MAI

1.12 – LOGÍS TICA

1.13. Estoque

Jan

Fev 82,4

Mar

Abr

Mai

Jun 0,0 0,0

Jul 0,0 0,0

Ago 0,0 0,0

Set 0,0 0,0

Out 0,0 0,0

Nov 0,0 0,0

Dez 0,0 0,0

TOTAL 559,4 559,4

318,7 1 3.1 Esto que em dias de co nsumo - M at/med 30 dias .1 . Total

67,9 90,5 92.22 67,9 90,5 0,0

318,7 82,4

Obs: O valor do estoque referente ao mês de janeiro, no sistema MV, não corresponde com o valor real, devido alguns custos médios elevados (tais como: hidrocortizona 100mg FR/AM valor:6,5615 no sistema 137,00) , devido estas alterações, foi revisado todos os cadastros do sistema MV e feito as correções.

Página | 260

1.13 – CORPO CLÍNICO

Inaugurado em fevereiro de 2010, o Hospital Infantil de Palmas (HIP) é unidade estadual de referência no atendimento aos recém- nascidos, lactentes e crianças até 12 anos de idade, contando hoje com 58 leitos e as seguintes unidades: Sala de emergência com 04 leitos 02 consultórios (pediatria clínica e subespecialidades), Enfermaria de cirurgia com 04 leitos Serviços de apoio diagnóstico (ultrassonografia, radiologia, laboratório de análises clínicas) Enfermarias de observação clínica do Pronto Socor- Consultório odontológico ro (PS) com 18 leitos Enfermarias de isolamento com 09 leitos Enfermarias de clínicas pediátricas com 20 leitos Centro cirúrgico pediátrico com 02 salas de cirurgia e 01 sala de recuperação pós-anestésica Farmácia hospitalar Brinquedoteca

A equipe técnica é composta por:

12 pediatras (06 plantonistas do Pronto Socorro, 05 prescritores de enfermarias e 01 afastado por licença médica) 02 cirurgiões pediátricos, sendo 01 afastado por licença médica • Profissionais médicos de subespecialidades pediátricas:

Página | 261

Oftalmologia Pneumologia Astroenterologia Reumatologia Neurologia e Neurocirurgia Otorrinolaringologia Infectologia Ortopedia Imunoalergia Cardiologia

Nefrologia Hematologia Cirurgia Pediátrica Cardiologia Endocrinologia Imunoalergia Dermatologia Urologia Cirurgia Pediátrica Radiologia

Equipe multiprofissional (enfermagem, fisioterapia, fonoaudióloga, nutrição, psicologia, pedagogia, farmacêutica hospitalar e serviço social). O ensino da especialidade pediátrica é exercido por preceptores do corpo clínico do HIP e estendido aos 05 médicos residentes bem como aos alunos da graduação e internato dos cursos de medicina de 03 instituições (UFT, UNIRG e ITPAC Porto Nacional). A unidade de emergência do HIP é equipada para funcionar inclusive como unidade de terapia intensiva, uma vez que a UTI pediátrica do HGP frequentemente não disponibiliza vagas, permanecendo por esta razão pacientes graves e até em ventilação mecânica por tempo prolongado. Sua área física é exígua para os 04 leitos em funcionamento, com taxa de ocupação completa na maioria das vezes. O plantão do Pronto Socorro (PS) é realizado por 02 pediatras em turnos de 06, 12 ou 24 horas, sendo que o plantonista é responsável pelo atendimento dos pacientes da observação, emergência, pacientes externos (referenciados de outras unidades ou de demanda espontânea) e as intercorrências das enfermarias após a saída de seus prescritores. As cargas horária são respectivamente de : 11 plantões mensais de 24 horas para jornadas de 60 horas semanais 07 plantões mensais de 24 horas para jornadas de 40 horas semanais Página | 262

04 plantões mensais de 24 horas para jornadas de 20 horas semanais. Os plantonistas do P.S atualmente são em número de 06, havendo um déficit de pelo menos 08 plantonistas com jornadas de 40 horas semanais. Para a composição da escala atualmente são necessários profissionais vindos do estado de São Paulo, integrantes de empresa contratada para suprir esta deficiência. Os plantões são pagos como extras, inclusive aos plantonistas do corpo clínico que já excederam sua carga horária, sendo que a remuneração atual é de R$ 2.000,00 (dois mil reais) em valor líquido, por 24 horas. O número de leitos disponíveis no Hospital é insuficiente para o atendimento da demanda, sendo que desde fevereiro do corrente ano tem ocorrido superlotação, havendo necessidade do improviso de leitos nos corredores, fato que gera grandes transtornos operacionais. Os 05 pediatras prescritores das enfermarias trabalham diuturnamente nos períodos matutinos prestando atendimento diferenciado a pacientes com patologias diversas e de grande complexidade, tais como pneumonias graves, calazar, e neuropatias crônicas. Por ser o HIP um hospital de referência frequentemente ocorre a necessidade de permanência maior dos pacientes em regime de internação hospitalar, gerando-se desta forma altas taxas de ocupação dos leitos e cuidados especiais pela equipe multiprofissional. O serviço de apoio diagnóstico prestado atualmente pelo laboratório de análises clínicas não atende aos padrões mínimos de qualidade exigidos, com uma estrutura física imprópria segundo os padrões da Vigilância Sanitária, além do fato de a empresa prestadora ter comunicado sua decisão de romper o contrato alegando impossibilidade de prestação de serviços com remuneração pela atual tabela do SUS. A nefrologia pediátrica encontra-se com demanda de atendimento reprimida, pois as crianças nefropatas crônicas não dispõem de serviço de diálise peritoneal e são transferidas via TFD para outros centros de referência com ônus adicional para o serviço público de saúde estadual. Diante do exposto recomenda-se: 1- Contratação imediata de 08 (cinco) pediatras com jornada de trabalho de 40 (quarenta) horas cada, para a composição da escala de plantão do P.S.

2- Ampliação dos atuais turnos de trabalho dos pediatras que atendem na Unidade de emergência de 06 horas para 12 horas diurnas visando-se uma melhor assistência aos pacientes graves e em risco de vida. Página | 263

3- Adequação da carga horária dos plantonistas do P.S em relação ao número de plantões de 24 horas, atualmente excessiva, desproporcional e não atrativa para novas contratações, na seguinte configuração: a- 10 plantões mensais para jornadas de 60 horas semanais b- 06 plantões mensais para jornadas de 40 horas semanais c- 03 plantões mensais para jornadas de 20 horas semanais 4- Adequação do atual laboratório de análises clínicas para o cumprimento das normas mínimas que atendam aos padrões de qualidade exigidos e contratação de nova empresa após critério rigoroso de seleção, com padrões de remuneração condizentes com a realidade do mercado de trabalho da categoria profissional 6-Ampliação da área física da atual Unidade de emergência do Hospital, instalação de novos equipamentos tais como os 04 ventiladores pulmonares de última geração já existentes, uma vez que a referida unidade funciona como suporte da UTI Pediátrica do HGP quando ocorre indisponibilidade de leitos. 7- Reforma e ampliação da área física do atual laboratório de análises clínicas segundo os padrões e recomendações da Vigilância Sanitária, uma vez que as atuais instalações são impróprias e inadequadas. 8- Implantação do serviço de referência estadual em Nefrologia Pediátrica equipado para a realização de tratamento dialética das crianças nefropatas crônicas, em conformidade às recomendações encaminhadas pela nefropediatra Dra. Mirian Goreth Kzan Pereira Mace 2 - SAU

S.A.U. ( Serviço de Atendimento ao Usuário) do Hospital Infantil Público de Palmas, realizou no período de 01 de maio a 31 de maio de 2012, apenas 01 tratativa, sendo uma reclamação, a qual foi resolvida juntamente com a coordenação responsável e Direção do Hospital, e resolução repassada para a cliente. Abaixo o quadro informativo sobre a tratativa ( Registro de Opinião) ocorrido do dia 01 de maio à 30 de maio de 2012. OCORRÊNCIAS Reclamação Maio -2012 01

Página | 264

SUGESTÃO ELOGIOS TOTAL DE QUESTIONÁRIOS QUEIXAS RESOLVIDAS META CONTRATUAL

00 00 01 01 80% 100%

No quadro abaixo com o gráfico apresentado, nota-se que as pesquisas realizadas no mês de maio com os acompanhantes no ambulatório, internação teve uma pequena queda no percentual de satisfação, em relação ao mês de abril, mas mesmo assim mantendo-se dentro dos padrões de 80% como dos meses anteriores. NO Pronto Socorro percebe-se queda na pesquisa de satisfação em relação aos meses de março e abril, mantendo-se abaixo dos 80% do índice de satisfação. A queda de satisfação no pronto socorro deve-se ao fato da superlotação que o hospital se encontra nos últimos meses, gerando assim insatisfação de alguns usuários, por se encontrarem instalados nos corredores.

100,000 90,000 80,000 70,000 60,000 50,000 40,000 30,000 20,000 10,000 ,000 -10,000

Hospital Público Infantil de Palmas
84,900 87,600 81,370 72,060

AMBULATORIO (%) Março/2012 Abril/2012 Maio/2012 Evolução do Período 81,330 85,140 84,900 4,390%

INTERNAÇÃO (%) 83,810 85,770 81,370 -2,911%

PRONTO SOCORRO (%) 74,390 79,440 72,060 -3,132%

SADT (%) 84,870 87,550 87,600 3,217%

Página | 265

3 – GERENCIAMENTO DE PROCESSOS
- Capacitação de “Gestão por Processo” aos colaboradores dos setores de Radiologia, Recepção e Portaria. - Abertura oficial da 3ª Semana de Enfermagem do HIPP - Levantamento de Itens para aquisição: Instrumentais Cirúrgicos e Equipamentos. - Organização e discussão do material referente a implantação do Protocolo de Atenção Integral à Criança Vítima de Violência.

4 – FATURAMENTO
5. Faturamento 5.1 AIH 5.2 Valores Jan 175 81.319, 4 Fev 272 110.922,7 Mar 353 164.141,8 Abr 253 126.673,2 Mai 256 124.420,4 Jun Jul Ago total

6 – OBRAS E IMPLANTAÇÃO DE NOVOS SERVIÇOS

7 – EQUIPAMENTOS NOVOS
Segue abaixo a descrição do equipamento que foi adquirido pelo Hospital Infantil Público de Palmas no mês de maio de 2012: DESCRIÇÃO / BENS E EQUIPAMENTOS Autoclave de 365 litros – Marca: Baumer Ambulancia, modelo tipo furgão part greencar, marca Pegeot, com 04 portas, cor branco banquise, combustível gasolina e álcool, Fab./Mod. 2010/2011, mônio 334053. Página | 266 motor n° 10DBWJ0000247/2, chassi; 8AEGCN6AVG500579, RENAVAN 253212057, Placa MVN 2427. PatriQUANTIDADE 01 01

Mesas cirúrgica elétrica para obesos, estrutura em aço inox, tampo divido em cinco seções ( cabeceira, dorso, assento, complemento da perneira e perneira), com conjunto suporte ombro, suporte ombro, arco narcose, conjunto cinta pulso e suporte braço com fixador, marca Baumer, modelo A900, Patrimônios 366962, 368609 Ventiladores pulmonar microprocessador de alta complexidade, marca Intermed, modelo Inter 7 Plus, com monitor gráfico colorido de 12”, com tela touchscreen de alta resolução (XGA), com umidificador acoplado, Patrimônios 366983, 366984, 366985, 366986. CARRINHO DE EMERGÊNCIA A1150MM X L 570MM X P 520MM - REGISTRO ANVISA N° 80154399002, N° DE SERIE 85980. INCUBADORA (290) 110V 3 HORAS VAPOR RAIO-X MOVEL MARCA SHIMADZU NÃO MOTORIZADO MOBILEART

02

04

01 01 01

8 – COMISSÕES
COMISSÃO DE ÉTICA MÉDICA A reunião da Comissão de Ética Médica foi realizada no dia 30 de maio. COMISSÃO DE FARMÁCIA E TERAPÊUTICA A reunião da Comissão de Farmácia e Terapêutica foi realizada no dia 29 de maio para a discussão dos medicamentos tópicos usados no sistema ocular e otológico para padronização. A ata segue anexa para conferência (Anexo I). COMISSÃO DE REVISÃO DE ÓBITOS Houve 05 (cinco) óbitos no mês de maio de 2012. COMISSÃO DE REVISÃO DE PRONTUÁRIOS A ata da reunião da Comissão de Revisão de Prontuários, que ocorreu no dia 30 de maio, segue anexa (Anexo II) para consulta. Foram revisados no mês de maio 30% dos prontuários de abril.

Página | 267

COMISSÃO DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR A reunião da CCIH ocorreu no dia 31 de Maio. A ata da reunião segue anexa para ciência (Anexo III).

9 – OUTRAS INFORMAÇÕES

9.1 AÇÕES DE VALORIZAÇÃO • Foi realizado a “III Semana de Enfermagem”, com: Café da manhã, palestras, brincadeiras, visita a Creche, trio elétrico, dia da beleza, massagem e muito mais.

Página | 268

Página | 269

Página | 270

Em comemoração ao “Dia das mães” foi entregue lembrancinhas e bolos paras as mães funcionárias e as mães que acompanham as crianças.

Café da manhã em comemoração ao dia do “Assistente Social”. Página | 271

9.2 CONSULTORIA • • Qualidade: Presença da consultoria da Qualidade, para redimensionamento da estratégia do Programa da Qualidade. SST :Consultoria do técnico de segurança da Pró Saúde (sede), com objetivo de fiscalização e harmonização das políticas, praticas e documentações referentes a segurança do trabalho, em todas as frentes de serviços existentes no HIPP. Página | 272

9.3 INTERAÇÃO COM A COMUNIDADE No dia 09 de Maio foi realizado visita a Creche Centro de Educação Infantil Cantinho da Criança localizada na Vila União, para entrega de leite, em comemoração a III Semana de enfermagem.

2.15 HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE ARAGUAÇU 2.15.1 METAS CONTRATUAIS

15.1 – INDICADORES DE PRODUÇÃO

1.1 – Nº DE LEITOS POR ESPECIALIDADE;
1.1. Leitos por Especialidade 1.1.1. Clínica Médica 1.1.2. Clínica Pediátrica 1.1.3. Clínica Cirúrgica 1.1.4. Clínica Obstétrica 1.1.5. UTI de Adultos 1.1.6. UTI Infantil 1.1.7. UTI Neonatal 1.1.8. Berçário 1.1.9. Clínica Ortopédica 1.2.10. Outros Total de Leitos Jan 11 9 4 4 0 0 0 0 0 0 28 Fev 11 9 4 4 0 0 0 0 0 0 28 Mar 11 9 4 4 0 0 0 0 0 0 28 Abr 11 9 4 4 0 0 0 0 0 0 28 Mai 11 9 4 4 0 0 0 0 0 0 28 Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 55 45 20 20 0 0 0 0 0 0 140

COMENTÁRIO: Não ocorreu variação de leitos no período indicado.

Página | 273

1.2 – Nº. DE INTERNAÇÕES POR ESPECIALIDADE;
1.2. Internações por Especialidade 1.2.1. Clínica Médica 1.2.2. Clínica Pediátrica 1.2.3. Clínica Cirúrgica 1.2.4. Clínica Obstétrica 1.2.5. UTI de Adultos 1.2.6. UTI Infantil 1.2.7. UTI Neonatal 1.2.8. Berçário 1.2.9. Clínica Ortopédica 1.2.10. Outros Total de Internações por especialidade Jan 126 18 1 9 0 0 0 0 0 0 154 Fev 108 21 0 7 0 0 0 0 0 0 136 Mar 131 26 1 13 0 0 0 0 0 0 171 Abr 141 32 1 15 0 0 0 0 0 0 189 Mai 131 27 4 9 0 0 0 0 0 0 171 Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 637 124 7 53 0 0 0 0 0 0 821

COMENTÁRIO: As variações de internações tendem em aumentar conforme é visto do mês de março, abril e maio pois estaremos o fator natural de problemas respiratórios e viroses típicos do período do ano que aumentará as internações das Clínicas Médica e Pediátrica.

1.3 – Nº. DE SAÍDOS POR ESPECIALIDADE
1.3. Nº. de saídos por especialidade 1.3.1. Clínica Médica 1.3.2. Clínica Pediátrica 1.3.3. Clínica Cirúrgica 1.3.4. Clínica Obstétrica 1.3.5. UTI de Adultos 1.3.6. UTI Infantil 1.3.7. UTI Neonatal 1.3.8. Berçário 1.3.9. Clínica Ortopédica 1.3.10. Outros Total de saídos por especialidade Jan 128 10 1 9 0 0 0 0 0 0 148 Fev 105 10 0 9 0 0 0 0 0 0 124 Mar 129 29 1 13 0 0 0 0 0 0 172 Abr 136 32 1 20 0 0 0 0 0 0 189 Mai 138 31 3 11 0 0 0 0 0 0 183 Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 636 112 6 62 0 0 0 0 0 0 816

COMENTÁRIO: Assim como o numero de internações tendem a aumentar, o numero de saídos seguem a mesma linha. A ideia e tentar resolver o maior numero possível de problemas dos usuários sem que seja necessário fazer a transferência para outras unidades hospitalares.

Página | 274

1.4 – PERCENTUAL DE OCUPAÇÃO POR CLÍNICA;
1.4. Porcentage m de Ocupação 1.4.1. Clínica Médica 1.4.2. Clínica Pediátrica 1.4.3. Clínica Cirúrgica 1.4.4. Clínica Obstétrica 1.4.5. UTI de Adultos 1.4.6. UTI Infantil 1.4.7. UTI Neonatal 1.4.8. Outros (Berçário) 1.4.9. Clínica Ortopédica 1.4.10. Outros Jan 91% 16% 3% 6% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Fe v Mar Abr Mai 93% 34% 6% 11% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Jun 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Jul 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Ago 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Set 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Out 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Nov 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Dez 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% TOTAL 462% 121% 19% 50% 0% 0% 0% 0% 0% 0%

73% 100% 105% 21% 2% 9% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 24% 2% 12% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 26% 6% 12% 0% 0% 0% 0% 0% 0%

COMENTÁRIO: O percentual de ocupação diminui pouca coisa em relação ao mês de abril.

1.5 – MÉDIA DE PERMANÊNCIA;
1.5. Média de Perm anência 1.5.1. Clínica Médica 1.5.2. Clínica Pediátrica 1.5.3. Clínica Cirúrgica 1.5.4. Clínica Obstétrica 1.5.5. UTI de Adultos 1.5.6. UTI Inf antil 1.5.7. Uti Neonatal 1.5.8. Outros 1.5.9. Clínica Ortopédica 1.5.10. Outros Média Geral de Permanência Jan 2,42 4,6 4 0,78 0 0 0 0 0 0 Fev 2,21 5,5 2 1,11 0 0 0 0 0 0 Mar 2,65 2,31 2 1,15 0 0 0 0 0 0 Abr 2,54 2,16 7 0,7 0 0 0 0 0 0 Mai 2,29 3,06 2,33 1,27 0 0 0 0 0 0 Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 12,11 17,63 17,33 5,01 0 0 0 0 0 0

COMENTÁRIO: Houve pouca variação na média de permanência.

1.6 – VOLUME CIRURGICO
1.6. Volum e Cirúrgico 1.6.1. Cirurgias de Urgência 1.6.2. Cirurgias Eletivas Média Geral de Cirurgias Jan 4 2 6 Fev 1 1 2 Mar 5 3 8 Abr 6 4 10 Mai 3 4 7 Jun 0 0 0 Jul 0 0 0 Ago 0 0 0 Set 0 0 0 Out 0 0 0 Nov 0 0 0 Dez 0 0 0 TOTAL 19 14 33

COMENTÁRIO:

O volume cirúrgico que tendia a aumentar, teve uma queda no mês de maio devido as

dificuldades em realizar acordo entre o corpo clínico para a realização das mesma.

Página | 275

1.6.3 – Nº DE CIRURGIAS POR PORTE;
1.6.3. Núm ero de Cirurgias por Porte 1.6.3.1. Cirurgias Grandes 1.6.3.2. Cirurgias Médias 1.6.3.3. Cirurgias Pequenas 1.6.3.4. Curetagens 1.6.3.5. Cesáreas Média Geral de Cirurgias por Porte Jan 0 2 0 2 2 6 Fev 0 1 0 0 1 2 Mar 0 3 1 0 4 8 Abr 0 4 0 2 4 10 Mai 0 2 2 0 3 7 Jun 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 TOTAL 0 12 3 4 14 33

COMENTÁRIO: O volume cirúrgico que tendia a aumentar, teve uma queda no mês de maio devido as dificuldades em realizar acordo entre o corpo clínico para a realização das mesma.
1.6.4 – Nº. DE PARTOS POR TIPO
1.6.4. Núm ero de partos por tipo 1.6.4.1. Normal 1.6.4.2. Cesariana 1.6.3.3. Outros Jan 5 2 0 Fev 4 1 0 Mar 5 4 0 Abr 3 4 0 Mai 6 3 0 Jun 0 0 0 Jul 0 0 0 Ago 0 0 0 Set 0 0 0 Out 0 0 0 Nov 0 0 0 Dez 0 0 0 TOTAL 23 14 0

1.7 – SADT’S

1.7. SADT 1.7.1. Laboratório Clínico 1.7.2. Anatomia Patológica 1.7.3. Radiologia 1.7.4. Eletrocardiografia 1.7.5. Fisioterapia (Sessões) 1.7.6. Hemodiálise(Sessões) 1.7.7. Hemodinâmica 1.7.8. Hemoterapia 1.7.9. Endoscopia 1.7.10. Ultrassonografia 1.7.11 Tomografia Computadorizada 1.7.12 Ressonancia Magnética 1.7.13 Mamografia 1.7.14 Citopatologia 1.7.15 Eletroencefalografia 1.7.16 Teste do Pézinho 1.7.17 Diversos 1.7.18 Teste Ergométrico

Jan

Fev

Mar

Abr

Mai

Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

TOTAL 7825 0 1034 0 468 0 0 0 0 518 0 0 0 0 0 0 0 0

1310 1413 1598 1596 1908 0 274 0 102 0 0 0 0 112 0 0 0 0 0 0 0 0 0 262 0 110 0 0 0 0 102 0 0 0 0 0 0 0 0 0 289 0 101 0 0 0 0 103 0 0 0 0 0 0 0 0 0 161 0 103 0 0 0 0 107 0 0 0 0 0 0 0 0 0 48 0 52 0 0 0 0 94 0 0 0 0 0 0 0 0

COMENTÁRIO: No mês de maio ouve uma diminuição na quantidade de exames de radiologia, fato que Página | 276

ocorreu devido a quebra do aparelho de Raio-X e a manutenção ter sido realizada em Palmas, dessa forma ficamos alguns dias sem realizar o exame. Também diminuiu consideravelmente as sessões de fisioterapia por termos um profissional de férias nesse período.
1.8 – AMB ULATÓRIO
1.8. Ambulatório 1.8.1. Consultas 1.8.2. Consultas com Procedimentos 1.8.3. Procedimentos 1.8.4. Procedimentos Cirúrgicos Total Jan 0 0 0 0 0 Fev 0 0 0 0 0 Mar 0 0 0 0 0 Abr 0 0 0 0 0 Mai 0 0 0 0 0 Jun 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 De z 0 0 0 0 0 TOTAL 0 0 0 0 0

COMENTÁRIO: Não temos atendimento de ambulatório em nossa unidade.

1.9 – ATENDIMENTOS DE URGÊNCIA/EMER GÊNCIA
1.9. Urgência/Emergência 1.9.1. Consultas 1.9.2. Consultas com Procedimentos 1.9.3. Procedimentos 1.9.4. Procedimentos Cirúrgicos Total Jan Fev Mar Abr Mai Jun 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 TOTAL 6662 3192 3030 0 12884

1327 1185 1279 1441 1430 891 49 0 714 80 0 893 74 0 596 98

62 2765 0 0

2267 1979 2246 2099 4293

COMENTÁRIO: O aumento nas consultas de urgência e emergência aumentaram nos últimos meses ocorre pela maior procura devido as patologias típicas da época do ano e a dificuldade da saúde básica realizar atendimento.

Página | 277

1.10 – RECURSOS HUMANOS
1.10. Recursos Humanos 1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total 18 56 10 6 7 97 Janeiro
S e s a u P ró 3º

Fevereiro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Março
T o t a l S e s a u P ró 3º T o t a l S e s a u P ró

Abril
3º T o tal

18 0 1 20 0 39

0 0 4 0 0 4

36 56 15 26 7 140

23 55 10 6 7 101

18 1 1 19 0 39

0 0 0 0 0 0

41 56 11 25 7 140

23 55 10 6 7 101

18 1 1 19 1 40

0 0 0 0 0 0

41 56 11 25 8 141

20 55 9 8 7 99

22 1 1 20 1 45

0 0 0 0 0 0

42 56 10 28 8 144

1.10. Recursos Humanos
S e s a u P ró

Maio

Junho
T o t a l S e s a u P ró 3º

Julho
T o t a l S e s a u P ró 3º

Agosto
T o t a l S e s a u P ró 3º T o tal

1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total

16 55 9 11 7 98

14 1 1 34 1 51

0 0 0 0 0 0

30 56 10 45 8 149

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

1.10. Recursos Humanos 1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total 0 0 0 0 0 0

Setem bro
S e s a u P ró 3º

Outubro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Novem bro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Dezem bro
T o t a l S e s a u P ró 3º T o tal

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

Página | 278

1.11 – NEP

36:00:00 24:00:00 12:00:00 0:00:00

JAN FEV MAR ABR MAI

1.12 – LOGÍSTIC A
1.13. Estoque
1 3.1 Esto que em dias de co nsumo .1 . M at/med 30 dias

Jan

Fev

Mar 32,5 32,5

Abr 82,2 82,2

Mai 63,9 63,9

Jun 0,0 0,0

Jul 0,0 0,0

Ago 0,0 0,0

Set 0,0 0,0

Out 0,0 0,0

Nov 0,0 0,0

Dez 0,0 0,0

TOTAL 422,2 422,2

137,0 106,6 137,0 106,6

Total

COMENTÁRIO: O estoque dia de consumo sofreu grande variação devido aos ajustes que estão sendo feitos do almoxarifado e farmácia. O ideal é que o estoque em dias de consumo gire em torno de 45 dias, estamos trabalhando para alcançar essa meta.

Página | 279

1.13 – CORPO C LÍNIC O

Contamos com 7 profissionais médicos no corpo clínico, entre eles estão divididos as especialidades de Clínica Geral, Cirurgia Geral, Ultrassonografia, Anestesia e Ginecologia/Obstetrícia

2 - SAU 1. Registros de Opinião
Período: 01/05/2012 a 31/05/2012.
Ocorrências Reclamações Sugestões Elogios Total de Questionários Queixas resolvidas Meta Contratual Meta Realizada Maio 2012 36 18 119 173 29 80% 80,56%

No período atual tivemos uma totalidade de 173 registros, relatando a opinião da maioria de nossos usuários. Das 36 reclamações tivemos êxitos em 29 queixas solucionadas, atingindo a média de 80,56 ultrapassando a contratual que é 80%. O SAU está empenhado em diagnosticar os tipos de reclamações e solucioná-las, trabalhando para que a cada mês o número de queixas diminua. A participação dos usuários apresentando sugestões chegaram a 18 registros. Nos elogios tivemos uma manifestação de 119 registros.

Página | 280

Hospital Regional Público de Araguaçu Maio/2012; Maio/2012; INTERNAÇÃO (%); 91,160 PRONTO SOCORRO (%); 0 Maio/2012; SADT (%); 87,770

INTERNAÇÃO (%) Março/2012 Abril/2012 Maio/2012 Evolução do Período 90,900 90,710 91,160 ,286%

PRONTO SOCORRO (%) 92,520

SADT (%) 91,370 88,080 87,770

-100,000%

-3,940%

No período de Maio, obtivemos um percentual de satisfação maior na internação comparado ao mês anterior. O terminal do Pronto Socorro não gerou indicadores devido a problemas técnicos. A manutenção já foi providenciada. O SADT apresentou pequena redução devido a demora no atendimento, o que estamos alinhando com as equipes para que possamos corrigir as falhas para o proximo periodo. 3 – GERENCIAMENTO DE PROCESSOS • • • • Discussão de processos com corpo clínico Discussão de escalas com todas os serviços do hospital Participação de reunião com os Diretores do hospital do Sul do Estado Inicio do processo de Humanização

4 – FATURAMENTO
4. Faturamento 4.1 - AIH (Quantitativo) 4.2 - Valores (em reais) Jan 132 Fev 69 Mar 174 Abr 180 Mai 170 0,0 Jun 0 0,0 Jul 0 0,0 Ago 0 0,0 Set 0 0,0 Out 0 0,0 Nov 0 0,0 Dez 0 TOTAL 725

52.942,6 26.072,0 61.137,7 57.754,3

0,0 197906,6

COMENTÁRIO: A oscilação no numero de AIH`s e no faturamento ocorre devido as variações nas internações, no mês de fevereiro além da baixa quantidade de internações, tivemos problema com o computador e programa Página | 281

para lançar as AIH`s no sistema, ainda não foi possível terminar a digitação das AIH’s no sistema, por isso não temos o valor (em reais) do mês de maio.

6 – OBRAS E IMPLANTAÇÃO DE NOVOS SERVIÇOS

7 – EQUIPAMENTOS NOVOS Não houve aquisição de novos equipamentos 8 – COMISSÕES Solicitado a SESAU dispensa da meta contratual de comissões de ética médica, tendo em vista a Resolução
do CFM 1657/2002, necessidade de comissão de ética médica apenas quando o quantitativo seja igual ou maior a 16 profissionais médicos.

9 – OUTRAS INFORMAÇÕES • Comemoração do dia das mães

Página | 282

PALAVRA DO DIRETOR GERAL DO HOSPITAL
O Hospital de Referencia Tertuliano Curado Lustosa de Araguaçu, apesar de sua estrutura não ser totalmente adequada, conta com um grupo de colaboradores muito dedicado e comprometido com o serviço. Temos como ponto importante em nossa unidade hospitalar o Centro Cirúrgico. Estão sendo realizadas sistematicamente discussões com os cirurgiões e anestesista uma forma para melhor utilização do C.C. Entendemos nossa função no organograma da saúde do estado e para realização de procedimentos que não é de nosso calão estamos sempre em contato com os demais hospitais da rede pública para atender todas as necessidades da população de Araguaçu e cidades vizinhas.

2.16 HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE ARAPOEMA 2.16.1 METAS CONTRATUAIS

16.1 – INDICADORES DE PRODUÇÃO

16.1.1 – Nº DE LEITOS POR ESPECIALIDADE;
1.1. Leitos por Especialidade 1.1.1. Clínica Médica 1.1.2. Clínica Pediátrica 1.1.3. Clínica Cirúrgica 1.1.4. Clínica Obstétrica 1.1.5. UTI de Adultos 1.1.6. UTI Infantil 1.1.7. UTI Neonatal 1.1.8. Berçário 1.1.9. Clínica Ortopédica 1.2.10. Outros Total de Leitos Jan 9 4 5 6 0 0 0 0 0 0 24 Fev 9 4 5 6 0 0 0 0 0 0 24 Mar 9 4 5 6 0 0 0 0 0 0 24 Abr 9 4 5 6 0 0 0 0 0 0 24 Mai 9 4 5 6 0 0 0 0 0 0 24 Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 45 20 25 30 0 0 0 0 0 0 120

COMENTÁRIO: O Hospital Regional Público de Arapoema possui 27 leitos em funcionamento, sendo 24 cadastrados no CNES e 3 extras, nossas instalações possuem capacidade total para 30 leitos.

16.1.2 – Nº. DE INTERNAÇÕES POR ESPECIALIDADE;

Página | 283

1.2. Internações por Especialidade 1.2.1. Clínica Médica 1.2.2. Clínica Pediátrica 1.2.3. Clínica Cirúrgica 1.2.4. Clínica Obstétrica 1.2.5. UTI de Adultos 1.2.6. UTI Infantil 1.2.7. UTI Neonatal 1.2.8. Berçário 1.2.9. Clínica Ortopédica 1.2.10. Outros Total de Internações por especialidade

Jan 99 18 24 13 0 0 0 0 0 0 154

Fev 89 20 36 13 0 0 0 0 0 0 158

Mar 78 30 39 10 0 0 0 0 0 0 157

Abr 64 29 31 15 0 0 0 0 0 0 139

Mai 84 30 32 7 0 0 0 0 0 0 153

Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

TOTAL 414 127 162 58 0 0 0 0 0 0 761

COMENTÁRIO: A quantidade de internações realizadas mensalmente se mantém sem variações, visto o atendimento de demandas apenas das regiões circunvizinhas e as cirurgias eletivas reguladas pelos Municípios.

16.1.3 – Nº. DE SAÍDOS POR ESPECIALIDADE
1.3. Nº. de saídos por especialidade 1.3.1. Clínica Médica 1.3.2. Clínica Pediátrica 1.3.3. Clínica Cirúrgica 1.3.4. Clínica Obstétrica 1.3.5. UTI de Adultos 1.3.6. UTI Infantil 1.3.7. UTI Neonatal 1.3.8. Berçário 1.3.9. Clínica Ortopédica 1.3.10. Outros Total de Internações por especialidade Jan 88 21 22 10 0 0 0 0 0 0 141 Fev 88 20 36 11 0 0 0 0 0 0 155 Mar 82 26 38 11 0 0 0 0 0 0 157 Abr 71 27 24 11 0 0 0 0 0 0 133 Mai 70 23 27 8 0 0 0 0 0 0 128 Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Se t 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 399 117 147 51 0 0 0 0 0 0 714

COMENTÁRIO: Para o segundo quadrimestre de trabalho foi projetado uma nova meta de 468 saídos ou 117 saídos/mês, este aumento representa aproximadamente 22% a mais da meta anterior. Vale ressaltar que a meta anterior foi atingida com 149,5% e, esse mês de abril fechou com 128 pacientes saídos.

Página | 284

16.1.4 – PERCENTUAL DE OCUPAÇÃO POR CLÍNICA;
1.4. Porcentage m de Ocupação 1.4.1. Clínica Médica 1.4.2. Clínica Pediátrica 1.4.3. Clínica Cirúrgica 1.4.4. Clínica Obstétrica 1.4.5. UTI de Adultos 1.4.6. UTI Infantil 1.4.7. UTI Neonatal 1.4.8. Outros (Berçário) 1.4.9. Clínica Ortopédica 1.4.10. Outros Porcentagem Geral de Ocupação Jan 81% 29% 33% 10% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 44% Fev 73% 38% 56% 14% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 49% Mar 65% 53% 65% 11% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 50% Abr 58% 46% 47% 10% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 42% Mai 57% 37% 63% 6% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 42% Jun 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Jul 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Ago 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Set 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Out 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Nov 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Dez 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% TOTAL 335% 203% 263% 51% 0% 0% 0% 0% 0% 0%

COMENTÁRIO: Percebemos um crescimento gradativo na Clínica Cirúrgica, o que não é maior devido as limitações que temos para realização das cirurgias, dada a parte profissional como a falta do Anestesista com uma carga horária maior ou ainda, um outro profissional.

16.1.5 – MÉDIA DE PERMANÊNCIA;

1.5.1. Clínica Médica 1.5.2. Clínica Pediátrica 1.5.3. Clínica Cirúrgica 1.5.4. Clínica Obstétrica 1.5.5. UTI de Adultos 1.5.6. UTI Infantil 1.5.7. Uti Neonatal 1.5.8. Outros 1.5.9. Clínica Ortopédica 1.5.10. Outros Média Geral de Permanência

2,57 1,71 2,32 1,8 0 0 0 0 0 0 2,35

2,17 2,2 2,25 2,18 0 0 0 0 0 0 2,19

2,21 2,54 2,66 1,91 0 0 0 0 0 0 2,35

2,21 1,96 3,04 1,64 0 0 0 0 0 0 2,26

2,29 2 3,59 1,38 0 0 0 0 0 0 2,45

0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

11,45 10,41 13,86 8,91 0 0 0 0 0 0

COMENTÁRIO: A média de permanência se mantém sem alterações considerando que são as mesmas patologias que estão sendo atendidas pela unidade.

16.1.6 – VOLUME CIRÚRGICO
16.1.6.1 – Nº de Cirurgias de Urgência; 16.1.6.2 – Nº de Cirurgias eletivas;

Página | 285

1.6. Volum e Cirúrgico 1.6.1. Cirurgias de Urgência 1.6.2. Cirurgias Eletivas Média Geral de Cirurgias

Jan 1 24 25

Fev 3 40 43

Mar 2 44 46

Abr 0 37 37

Mai 1 32 33

Jun 0 0 0

Jul 0 0 0

Ago 0 0 0

Set 0 0 0

Out 0 0 0

Nov 0 0 0

De z 0 0 0

TOTAL 7 177 184

COMENTÁRIO: A unidade começou a realizar as cirurgias eletivas em outubro de 2011, após a contratação do profissional médico, Cirurgião Geral e desde então, já realizamos uma média de 250 cirurgias. Estas poderiam ser intensificadas na unidade se tivéssemos uma escala com Anestesista durante a semana visto que os leitos ficam ociosos, pois, só estamos fazendo cirurgias mensalmente em dois finais de semana intercalados de acordo com a escala da Anestesista, lotada como Clinica nessa unidade com 20 horas.
16.1.6.3 – Nº DE CIRURGIAS POR PORTE;
1.6.3. Núm ero de Cirurgias por Porte 1.6.3.1. Cirurgias Grandes 1.6.3.2. Cirurgias Médias 1.6.3.3. Cirurgias Pequenas 1.6.3.4. Curetagens 1.6.3.5. Cesáreas Média Geral de Cirurgias por Porte Jan 1 20 3 0 1 25 Fev 9 25 5 0 4 43 Mar 2 10 29 0 5 46 Abr 4 19 14 0 0 37 Mai 3 25 5 0 0 33 Jun 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 De z 0 0 0 0 0 0 TOTAL 19 99 56 0 10 184

COMENTÁRIO: O hospital está preparado para realizar cirurgia geral de baixa complexidade, podendo ser adequado para realizar também cirurgias de médio porte, pois, conta com uma estrutura física muito boa para isso.

16.1.6.4 – Nº. DE PARTOS POR TIPO
1.6.3. Núm ero de Partos 1.6.3.1. Normal 1.6.3.2. Cesáreas 1.6.3.3. Outros Média Geral de Partos Jan 1 0 0 1 Fev 4 0 0 4 Mar 5 0 0 5 Abr 7 1 0 8 Mai 3 5 0 8 Jun 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 Se t 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 TOTAL 20 6 0 26

Os médicos tem incentivado as pacientes com relação ao parto normal e temos obtido sucesso com esses diálogos, sendo que neste mês o acréscimo do número de cesárias foram todas em situações de urgência.

Página | 286

16.1.7 – SADT’S (DES CREVER VOLUME PRODUZIDO POR EXAME)

1.7. SADT 1.7.1. Laboratório Clínico 1.7.2. Anatomia Patológica 1.7.3. Radiologia 1.7.4. Eletrocardiografia 1.7.5. Fisioterapia (Sessões) 1.7.6. Hemodiálise(Sessões) 1.7.7. Hemodinâmica 1.7.8. Hemoterapia 1.7.9. Endoscopia 1.7.10. Ultrassonografia 1.7.11 Tomografia Computadorizada 1.7.12 Ressonancia Magnética 1.7.13 Mamografia 1.7.14 Citopatologia 1.7.15 Eletroencefalografia 1.7.16 Teste do Pézinho 1.7.17 Diversos 1.7.18 Teste Ergométrico 1.7.19 Outros ( especificar) Total

Jan 1015 18 77 0 0 0 0 0 0 70 0 0 0 0 0 3 0 0 0

Fev

Mar

Abr 827 6 155 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Mai 989 14 183 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

TOTAL 4864 66 683 0 0 0 0 0 0 120 0 0 0 0 0 6 0 0 0 5739

961 1072 22 60 0 0 0 0 0 0 37 0 0 0 0 0 3 0 0 0 6 208 0 0 0 0 0 0 13 0 0 0 0 0 0 0 0 0

1183 1083 1299

988 1186

COMENTÁRIO: O Laboratório suspendeu os serviços prestados aos Municípios de Arapoema, Pau D´Arco e Bernardo Sayão, atendendo atualmente somente o hospital devido a falta de pagamento de seu contrato com a SESAU, por falta de saldo. A unidade acaba absorvendo muitos desses pacientes. O contrato do Laboratório com a SESAU vence agora no dia 06/06/12, já notificamos a SESAU por meio do Secretário a respeito mas, até o momento não tivemos nenhum parecer a respeito, estando a unidade correndo o risco de ficar sem laboratório a partir desta data.
16.1.8 – AMB ULATÓR IO
1.8. Ambulatório 1.8.1. Consultas 1.8.2. Consultas com Procedimentos 1.8.3. Procedimentos 1.8.4. Procedimentos Cirúrgicos Total Jan 21 0 0 0 21 Fev 52 0 0 0 52 Mar 61 0 0 0 61 Abr 82 0 0 0 82 Mai 59 0 0 0 59 Jun 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 TOTAL 275 0 0 0 275

COMENTÁRIO: O Cirurgião Geral está realizando avaliações pré-operatórias duas vezes por mês, esses atendimentos são classificados como ambulatoriais. Esse mês foram realizadas 59 avaliações. Página | 287

16.1.9 – ATENDIMENTOS DE URGÊNCIA/EMERGÊNCIA
1.9. Urgência/Emergência 1.9.1. Consultas 1.9.2. Consultas com Procedimentos 1.9.3. Procedimentos 1.9.4. Procedimentos Cirúrgicos Total Jan 1139 0 0 0 1139 Fev Mar Abr Mai Jun 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 TOTAL 4686 399 95 20 5200

956 1114 0 0 0 0 0 0

376 1101 399 95 20 0 0 0

956 1114

890 1101

COMENTÁRIO: O número de atendimentos teve um grande aumento nesse ano de 2012, considerando que atualmente o PSF conta somente com uma equipe, sendo que no ano de 2011, tinham três equipes. O único médico dessa equipe é também médico nesta unidade e atual Diretor Técnico e esses pacientes acabam migrando para o hospital. Nossos atendimentos que deveriam ser de Urgência e Emergência mas, também atende ambulatório devido a cultura da população de procurar o serviço de Urgência e Emergência deixando claro que o serviço de assistência primária precisa melhorar e muito. Porém com estes atendimentos, a instituição acaba contribuindo com a população não deixando-a desassistida.

Página | 288

16.1.10 – RECURSOS HUMANOS
1.10. Recursos Humanos 1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total 18 39 8 0 8 73 Janeiro
S e s a u P ró 3º

Fevereiro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Março
T o t a l S e s a u P ró 3º T o t a l S e s a u P ró

Abril
3º T o tal

24 4 0 21 1 50

3 0 0 0 0 3

45 43 8 21 9 126

19 39 8 0 8 74

30 5 0 21 1 57

3 0 0 0 0 3

52 44 8 21 9 134

19 39 8 0 8 74

30 4 0 21 1 56

5 0 0 0 0 5

54 43 8 21 9 135

19 39 8 0 8 74

30 4 0 20 1 55

5 0 0 0 0 5

54 43 8 20 9 134

1.10. Recursos Humanos
S e s a u P ró

Maio

Junho
T o t a l S e s a u P ró 3º

Julho
T o t a l S e s a u P ró 3º

Agosto
T o t a l S e s a u P ró 3º T o tal

1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total

19 39 8 0 9 75

32 5 0 20 1 58

5 0 0 0 0 5

56 44 8 20 10 138

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

1.10. Recursos Humanos 1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total 0 0 0 0 0 0

Setem bro
S e s a u P ró 3º

Outubro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Novem bro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Dezem bro
T o t a l S e s a u P ró 3º T o tal

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

COMENTÁRIO: Como parte de um programa de valorização instituído pela Pró-Saúde, incentivamos nossos colaboradores para estudarem, se aperfeiçoarem e na medida que forem surgindo possibilidades de remanejamentos no trabalho, priorizamos eles antes de pessoas externas. Com esse propósito, foi feito o remanejamento da Secretária Administrativa Direção Geral para Supervisão do S.P.P, 02 Auxiliar de Higiene e Limpeza para Assistente Administrativo, 01 Recepcionista Posso Ajudar para Assistente administrativo, todos em 01/05, substituição do Técnico de Tecnologia da Informação em 08/05, 03 Auxiliar de Higiene e Limpeza em 10/05, desligamento de 01 Assistente Administrativo em 30/05, Licença Maternidade de 01 Assistente Administrativo a partir de 08/05, remanejamento de 01 Assistente Administrativo Auxiliar de Departamento Pessoal para C. A. F em 17/05.

Página | 289

16.1.11 – NEP

Página | 290

60:00:00 48:00:00 36:00:00 24:00:00 12:00:00 0:00:00 DADOS QUALITATIVOS

JAN FEV MAR ABR MAI

As ações de capacitação do Hospital Regional Público de Arapoema, no mês de maio apresentaram uma redução no número de participantes em relação ao mês anterior. Neste mês totalizamos 23:50:00horas com a participação de 116 servidores/colaboradores. A I Jornada de Enfermagem, foi o diferencial nas ações do NEP, evento importante em comemoração a semana da enfermagem, realizado pela primeira vez na unidade e contou com a participação de autoridades municipais locais e circunvizinhas e, também com estudantes do curso técnico de enfermagem da cidade.

16.1.12 – LOGÍSTIC A

1.13. Estoque
1 3.1 Est oque em dias de consumo - M at / med 30 dias .1 .

Jan

Fev

Mar

Abr 0,0 0,0

Mai 0,0 0,0

Jun Jul 0,0 0,0 0,0 0,0

Ago Set 0,0 0,0 0,0 0,0

Out Nov Dez TOTAL 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 33095378,9 0,0 33095378,9

18997,4 33008935,8 67445,6 18997,4 33008935,8 67445,6

Total

16.1.13 – CORPO CLÍNICO

• • •

Todo Corpo Clínico está cumprindo a Portaria SESAU 132/2010, o que possibilita o cumprimento das metas e a qualidade da assistência prestado aos usuários. O HRPA ainda não possui Diretor Técnico nomeado, continua com Diretor Técnico respondendo informalmente; Nos dias 11, 12, 25 e 26/05 foram realizadas 33 cirurgias eletivas entre elas geral, ginecológica e obstétrica. Página | 291

16.2 - SAU

Registro de Opinião
No Registro de Opinião, o quadro abaixo, apresenta os números referentes às ocorrências do mês de Maio de 2012. Recebemos 02 (dois) Elogios, que foram transmitidas através do Mural do SAU exposto no Refeitório, onde também seguem os índices da Pesquisa de Satisfação. Com as reclamações seguimos com o mesmo processo levando aos gestores dos setores a qual ocorreram às reclamações para assim estarem analisando e tomando as devidas providências.

OCORRÊNCIAS Reclamações Sugestões Elogios Total de Questionários Queixas resolvidas Meta Contratual Meta Realizada

MAIO 2012

07 00 02 09 07 80% 100%

Página | 292

Índices de Satisfação

Para este período na Evolução tivemos variações, mas os números se mantêm. •

No Ambulatório tivemos a melhor evolução do período, 97,50% de aprovação no Atendimento geral do Hospital.

No Setor Internação, os serviços oferecidos vêm melhorando, pois com as pesquisas de Satisfação, através dos Relatórios as Sugestões dos Usuários vêm sendo atendidas melhorando sempre mais a vida dos próximos Internos.

No Item Pronto Socorro, a evolução do Período é de 6,18% um aumento significativo de satisfação do Usuário, tendo em vista que no mês anterior a evolução foi de 2,24%.

No Item SADT, não foi diferente a evolução do período foi de 3,49%.

Segue o gráfico abaixo.

Página | 293

Hospital Regional Público de Arapoema
120,000 100,000 80,000 60,000 40,000 20,000 ,000 AMBULATORIO (%) 97,500 98,500 97,590 ,000% INTERNAÇÃO (%) 95,190 98,150 97,600 2,532% PRONTO SOCORRO (%) 93,670 97,930 99,460 6,181% 97,590 97,600 99,460 100,000

SADT (%) 96,630 99,660 100,000 3,488%

Maio/2012 Março/2012 Abril/2012 Evolução do Período

SISTEMA ELETRÔNICO " PESQUISA RÁPIDA"

PRO-SAÚDE ASSOCIAÇÃO BENEFICENTE DE ASSISTENCIA SOCIAL E HOSPITALAR Hospital Regional Publico de Arapoema SATISFAÇÃO - SISTEMA ELETRÔNICO " PESQUISA RÁPIDA" 46 Participantes SATISFAÇÃO GERAL 100,00% 97,80% 100,00% 100,00% 100,00% 84,70% Página | 294

SATISFAÇÃO - AMBULATÓRIO
1. Como considera o atendimento recebido na recepção? 2. Avalie o atendimento da Equipe de Enfermagem? 3. Avalie o atendimento da Equipe Médica? 4. Como considera as nossas instalações físicas? 5. Avalie a limpeza e organização do hospital? 6. Como você avalia o tempo de espera para o atendimento?

OTIMO 50,00% 8,70% 54,30% 43,50% 43,50% 30,40%

BOM REGULAR RUIM 50,00% 0,00% 0,00% 89,10% 2,20% 0,00% 45,70% 0,00% 0,00% 56,50% 0,00% 0,00% 56,50% 0,00% 0,00% 54,30% 15,20% 0,00%

7. De forma geral como você avalia o atendimento do Hospital

45,70% 54,30%

0,00% 0,00% Média Geral

100,00% 97,50% 251 Participantes SATISFAÇÃO GERAL 97,60% 99,20% 93,20% 90,90% 97,30% 90,10% 98,00% 95,19% 287 Participantes SATISFAÇÃO GERAL 98,30% 98,30% 88,10% 94,70% 96,20% 85,00% 95,10% 93,67% 79 Participantes SATISFAÇÃO GERAL 100,00% 96,20% 95,00% 96,10% 93,80% 98,70% 96,63%

SATISFAÇÃO - INTERNAÇÃO
1. Como considera o atendimento recebido na recepção? 2. Avalie o atendimento da Equipe de Enfermagem? 3. Avalie o atendimento da Equipe Médica? 4. Como considera as nossas instalações físicas? 5. Avalie a limpeza e organização do hospital? 6. Qual a sua avaliação em relação a alimentação 7. De forma geral como você avalia o atendimento do Hospital

OTIMO 42,20% 45,00% 41,80% 29,90% 36,70% 31,90%

BOM REGULAR RUIM 55,40% 2,00% 0,40% 54,20% 0,80% 0,00% 51,40% 5,60% 1,20% 61,00% 7,20% 2,00% 60,60% 2,80% 0,00% 58,20% 10,00% 0,00% 2,00% 0,00% Média Geral

41,00% 57,00%

SATISFAÇÃO - PRONTO SOCORRO
1. Como considera o atendimento recebido na recepção? 2. Avalie o atendimento da Equipe de Enfermagem? 3. Avalie o atendimento da Equipe Médica? 4. Como considera as nossas instalações físicas? 5. Avalie a limpeza e organização do hospital? 6. Como você avalia o tempo de espera para o atendimento? 7. De forma geral como você avalia o atendimento do Hospital

OTIMO 44,60% 38,00% 38,30% 36,90% 42,90% 32,40%

BOM REGULAR RUIM 53,70% 1,00% 0,70% 60,30% 1,70% 0,00% 49,80% 8,00% 3,80% 57,80% 4,90% 0,30% 53,30% 2,80% 1,00% 52,60% 10,80% 4,20% 4,20% 0,70% Média Geral

43,20% 51,90%

SATISFAÇÃO - SADT
1. Como considera o atendimento recebido na recepção? 2. Avalie o atendimento da Equipe de Médica e Técnica? 3. Como considera as nossas instalações físicas? 4. Avalie a limpeza e organização do hospital? 5. Como você avalia o tempo de espera para o atendimento? 6. De forma geral como você avalia o atendimento do Hospital

OTIMO 40,50% 35,40% 34,20% 42,80% 41,40%

BOM REGULAR RUIM 59,50% 0,00% 0,00% 60,80% 3,80% 0,00% 60,80% 5,10% 0,00% 53,30% 3,00% 0,90% 52,40% 5,60% 0,60% 1,30% 0,00% Média Geral

35,40% 63,30%

Página | 295

Como podemos analisar o Atendimento do Hospital Regional Público de Arapoema, tem qualidade em Atendimento conforme apontam os Números. Isso se dá através do trabalho do SAU, que trabalha lado a lado com toda a equipe, e o essencial com o Usuários de Saúde. 16.3 – GERENCIAMENTO DE PROCESSOS
• Realizada reunião no dia 03/05 com a Equipe de Enfermagem do HRP Arapoema para apresentação do novo Gerente de Enfermagem que implantou a ficha funcional e orientou toda equipe acerca da mesma, bem como, prestou outros esclarecimentos sobre as novas rotinas de trabalho • • • • • • • • • • • • 08/05 Treinamento para Equipe de Enfermagem com o tema: RCP e Convulsão ministrado pelo o Enfermeiro Roberto José de Sá Rocha no HRP Arapoema. 09/05 Treinamento para os servidores do HRP Arapoema com o Tema: Humanização no Atendimento ministrador pela a humanista do HRP Arapoema l Fabiana Eliza A. Becalli. 09/05 Recebemos a visita do Coordenador Operacional da Pró-Saúde Jeferson Machado Pereira. 09/05 Foi entregue o ofício na câmara municipal pedido à liberação do auditório para o evento do dia 21 e 22 de maio. (Semana da Enfermagem) 09/05 Treinamento para a comissão da CIPA do HRP Arapoema ministrador por Ricardo Lima - Técnico de Segurança do Trabalho do HRP Arapoema. 10/05 Curso Segurança do Paciente Doente com o Tema: Identificar e Implementar Soluções para os servidores do HRP Arapoema ministrado pela a Enfermeira Oneida Ramos G. Soarin. 10/05 Recebemos a visita do pessoal do Projeto Rondon Sergio Augusto Coelho Diniz Nogueira Junior e Antônio Carlos Estender. 11/05 Entrega de rosas com cartão de mensagem para servidoras, pacientes e acompanhantes em comemoração ao Dia das Mães. No dia 24/05/12, foi montado pela Hosptech, dois focos cirúrgico auxiliar, um para sala de cirurgia e outro para emergência, e um monitor na sala de emergência; Implantada a sala da Ouvidoria da Saúde juntamente com o SAU. Realizado o início do processo de credenciamento da unidade para realização de esterilização cirúrgica, estando aguardando as visitas para avaliação dos Técnicos. 09-05-2012 Reunião com os Cipeiros para defini treinamentos e observa possíveis riscos existentes no local. Página | 296

• • • • • • • • • • • • • • •

17-05-2012 SESMT e CIPA realizarão uma reunião com os novos funcionários do SHL (Serviço de Higienização e Limpeza), sobre o uso do EPI, pois os mesmo estavam com duvida sobre o uso correto. 22-05-2012 SESMT e CIPA arrumou toda documentação da parte de Segurança no trabalho. 24-05-2012 CIPA e SESMT realizarão mudanças no calendário de reuniões ordinárias na CIPA (comissão interna de prevenção de acidentes). 10-05-2012 CIPA colocou Sinalizações próximas ao gás, e orientou colaboradores sobre possíveis riscos existentes no local. 11-05-2012 Entregas de EPI’S para colaboradores do SHL. Identificação das salas do HRA. 14-05-2012 CIPA juntamente com SESMT colocou sinalizações diversas em grandes partes da nossa unidade. 15-05-2012 SESMT Encaminhou a documentação do auxilio doença da colaboradora do SAU (Serviço de Atendimento ao Usuário) para palmas. 16-05-2012 Entrega de EPI para funcionário do SHL. 18-05-2012 Sinalização de extintores no pavilhão de baixo próximos aos quartos. 21-05-2012 Entregas de EPI para colaborador do SHL, Serviço de Higienização e Limpeza. 23-05-2012 Entrega de EPI para colaborado do SHL, e foram orientados sobre como uso corretamente. 25-05-2012 Entregas de EPI para colaboradores da SND e SHL, e alertas de como usa o EPI corretamente. 28-05-2012 CIPA (comissão interna de prevenção de acidente) elaborou identificação da sala de curativos. 29-05-2012 Reunião com presidente da CIPA eleito pelo empregado e com o vice-presidente eleito pelos empregados para tratar sobre os mapas de riscos do HRARAP (Hospital Regional Publico de Arapoema).

• • •

30-05-2012 SESMT solicitou o suporte de descarpack para sala de curativos, pois a mesma ainda não tinha o suporte. CIPA juntamente com o SESMT elaborou sinalização para descarpack de cada setor. 31-05-2012 Entrega de EPI para colaboradora da SND (serviço de nutrição e dietética).

Página | 297

A Direção Geral notificou a Secretária Estadual de Saúde, através do Srs. Secretários via Ofício nº 042/12, no dia 29/05 sobre o fim do contrato da SESAU com o Laboratório que presta serviços para esta unidade em 06/06/12, o que comprometerá a continuidade da assistência aos usuários.

Também via Ofício nº 043/12, a Direção notificou a SESAU através do Srs. Secretários sobre o estado da AUTOCLAVE desta unidade, comprometendo totalmente a continuidade da assistência aos usuários.

16.4 – IMPLANTAÇÃO DE NOVOS SERVIÇOS
• Retomamos os leitos de Observação para o Pronto Atendimento “Pronto Socorro”, no 1º Pavilhão mas, é necessária a instalação de um aparelho de ar condicionado, pois, os pacientes estão reclamando muito do calor no ambiente.

16.5 – FATURAMENTO
5. Faturamento 5.1 - AIH 5.2 - Valores Jan 232 Fev 184 Mar 183 Abr 205 Mai 136 Jun 0 0,0 Jul 0 0,0 Ago 0 0,0 Set 0 0,0 Out 0 0,0 Nov 0 0,0 Dez 0 TOTAL 940

85.529,84 69.028,55 64.509,50 82.994,69 49.471,56

0,0 351534,1

COMENTÁRIO: Fechado o Faturamento de AIH’s no dia 04/05 com apresentação de 133 AIH’s de abril, conforme meta de qualidade das informações e reapresentação de 03 glosadas, totalizando 136 AIH’s com uma prévia de R$ 49.471,56.

16.6 – OBRAS
Não foram realizadas obras no mês de abril de 2012. Já retornamos a Emergência para as antigas instalações do 1º Pavilhão, o que foi possível após a reforma. Mas, ainda temos algumas pendências que devido a questão orçamentária e a quebra de contrato com a OS, infelizmente impossibilitou a conclusão da obra por parte da prestadora contratada. Aguardando ainda a colocação dos blindex nas janelas dos banheiros da Recepção, uma sala administrativa e as escotilhas do setor de Financeiro e Farmácia.

Página | 298

16.7 – EQUIPAMENTOS NOVOS INVESTIMENTOS MAIO
DATA EMISSÃO 03/05/2012 42127 Peças para conserto e manu- UMUARAMA tenção da Ambulância 04/05/2012 16/05/2016 15/05/2012 16/05/2012 631387 0001 5487 001 Garrafa Térmica Inox 1,8L Persianas Vertical Gaveteiro Persianas Vertical VEIS LTDA GIMBA PERCIPALMAS MARIZETE M DOS SANTOS PERSIPALMAS R$ 531,24 R$ 4.325,00 R$ 33,00 R$ 4.325,00 AUTOMÓR$ 485,53 DE DOCUMENTO NATUREZA DA DESPESA FORNECEDOR VALOR

16.8 – COMISSÕES
As 05 Comissões obrigatórias e mais Grupo de Trabalho Humanização, cumpriram seus cronograma de reuniões, com exceção da Comissão de Óbito, conforme agenda mensal e atas em anexo. Comissão de Controle de Infecção Hospitalar; reuniu-se no dia dezesseis (16) de Maio de 2012, tratando de assuntos; Caixa de Água, Autoclave, Centro Cirúrgico e a apresentação do nova Coordenadora do da referida comissão. Comissão de Ética Médica; reuniu-se no dia quatorze (14) de Maio de 2012 as 17h. Comissão de Farmácia e Terapêutica; reuniu-se no dia dezessete (17) de Maio de 2012, feito o relato do treinamento realizado com a equipe sobre Atendente de Farmácia, apresentado o novo modelo de dispensação por horário e paciente, também e exposto os riscos/benefícios no uso de alguns medicamentos em especial Petidina e Tramadol. Comissão de Revisão de Prontuário; reuniu-se no dia três (03) de Maio de 2012 para fazer os Encaminhamento dos erros e falhas encontrados nos prontuário analisados pela comissão na reunião anterior. Comissão de Óbito; Não houve quórum para reunião. Comissão de Grupo de Trabalho de Humanização; reuniu-se no dia nove (09) de Maio de 2012, feito o relato dos encaminhamentos da reunião anterior que foram resolvidos, e feito os novos encaminhados. Página | 299

16.9 – OUTRAS INFORMAÇÕES Em comemoração ao dia 01 de maio, dia do Trabalho, a unidade organizou um delicioso café da
manhã para os funcionários, onde na oportunidade foram feitos sorteios de diversos brindes doados pelos comerciantes locais e também pela Copiadora Exata, prestadora de serviço na unidade. Também foi feita uma celebração por um Pastor local convidado especialmente para o evento, o qual deixou uma bela palavra de incentivo e coragem a todos os presentes, focando o dia do Trabalhador.

Funcionários que foram sorteados com os brindes em comemoração ao dia do Trabalho!

Página | 300

Café da manhã em comemoração ao dia do Trabalho.

ANIVERSARIANTE DO MÊS
• •

Foi realizado no dia 17 de maio, a Comemoração dos aniversariantes do mês.
Em comemoração ao Dia das Mães, festejando no ano de 2012 no dia 13 de maio, foram entregues a todas as mães funcionárias do hospital e também as pacientes internadas, uma rosa vermelha com um cartão em homenagem a esse dia tão importante, o qual não poderia passar em branco. Foi um forma simples de parabeniza-las, mas, ficaram felizes com a lembrança.

Página | 301

Entrega de rosas vermelhas as funcionárias em comemoração ao Dia das Mães!

Página | 302

Entrega de rosas vermelhas as pacientes em comemoração ao dia das Mães!

Nos dias 21 e 22/05, foi realizada a I JORNADA DE ENFERMAGEM DO HOSPITAL REGIONAL PUBLICO DE ARAPOEMA com o Tema “Aperfeiçoamento, Interesse e Dedicação em Prol do Paciente”. A I Jornada de Enfermagem, ficou marcada na unidade e muito prestigiada pelos profissionais da classe, pois, o evento foi realizado pela primeira vez na unidade e contou com a participação de autoridades municipais locais e circunvizinhas e, também com estudantes do curso técnico de enfermagem da cidade. Na ocasião, a Sra. Joanice Rodrigues de Araújo, foi homenageada com uma placa patrocinada pela Direção Geral como a funcionária efetiva mais antiga de casa. É Técnica de Enfermagem e há mais de 14 anos se dedica a cuidar do próximo. Em função de tal dedicação, ela adquiriu Dort/Ler pois, atuava na CME – Central de Material Esterilizado mas, continua desenvolvendo outras funções na área conforme suas possibilidades. Página | 303

Funcionária bastante emocionada, recebendo das mãos do Diretor Técnico da unidade a Placa de Homenagem.

Página | 304

Composição da mesa com autoridades locais.

Página | 305

Coffee Break do evento.

Página | 306

Foto oficial do encerramento do evento, com profissionais expondo seus certificados de participação.

O mês de Maio traz data muito especial para os Assistentes Sociais: o dia 15, quando se comemora o seu dia e marca a profissão desde o seu nascimento. Apesar do Hospital Regional Público de Arapoema, Página | 307

só possuir um profissional concursando no seu quadro funcional, fizemos a entrega de um cartão para ele e foi sugerido pelo Grupo de Humanização, bem como, apoiado pela Direção, a realização de um almoço especial nesse dia, considerando que no Município só dispõe dos cursos de graduação de Administração, Pedagogia e Serviço Social, havendo em prol disso, muitos Assistentes Sociais de formação no nosso quadro funcional. E o resultado não poderia ser mais satisfatório, todos ficaram muito gratos com a lembrança pelo seu dia.

O Assistente Social, Sr. Gilson Antero recebendo um cartão feito pelo GTH em homenagem ao seu dia.

Página | 308

Almoço em comemoração ao dia do Assistente Social.

Página | 309

PALAVRA DO DIRETOR GERAL DO HOSPITAL
Dentro do contexto do atual momento vivido pela OS, com a rescisão do Contrato de Gerenciamento, o Hospital Regional Público de Arapoema, vem tentando driblar as dificuldades encontradas, entre elas, vale ressaltar a angústia dos profissionais celetistas, que não sabem ao certo apesar das veiculações na mídia, do seu futuro profissional, temem ficar sem seus empregos a qualquer momento, apesar do Secretário de Saúde Dr. Nicolau ter frisado em todas as suas entrevistas que a SESAU manteria os profissionais. Para nossa satisfação apesar de todos os acontecimentos, fomos procurados após o anúncio da rescisão pelas autoridades locais, comerciantes e até moradores, expressando os seus sentimentos em relação a saída da OS do HRPA, onde falaram das mudanças ocorridas nesses 09 meses de trabalho e do temor que tudo volte a ser como era no passado e que a unidade caia em descrédito novamente com a população e regiões circunvizinhas. Outra preocupação da população é da não continuidade das cirurgias eletivas que a unidade vem realizando com sucesso mensalmente, com um total de 250 cirurgias eletivas realizadas desde outubro quando contratamos um Cirurgião Geral e formamos a equipe para implantação do serviço. Em nossa última avaliação, conforme fotos abaixo, recebemos cerca de sessenta (60) pacientes oriundos de Arapoema, Bandeirantes, Pau D´Arco, Bernardo Sayão e outros Municípios como Santa Fé, Araguaína, Nova Olinda. O hospital vem atendendo a população de forma satisfatória, dentro das exigências contratuais conforme atestam os índices de pesquisa de satisfação, neste mês de maio atingiu uma media de 95,7 %. No mês de maio, a Instituição passou a contar com um aparelho de Ultrassonografia, que foi transferido do Hospital Dona Regina, pois, não estava sendo utilizado na instituição que recebeu um novo aparelho, além de novos focos cirúrgicos. No mês de maio, nossa produção foi de 153 internações, 128 saídos, 33 cirurgias, 59 consultas ambulatoriais, 1101 atendimentos de urgência/emergência, 989 exames de análises clínicas e 183 de RX. Sem nenhuma demagogia, quero relatar o ocorrido na última realização das avaliações cirúrgicas, recebi na minha sala um paciente vindo de Santa Fé, um Senhor muito simples, o qual nos comoveu com sua angústia, dada as especulações de outros usuários falando sobre a saída da OS do Estado e consequentemente de Arapoema. Ele estava muito temeroso com medo de que sua cirurgia não fosse realizada e veio nos pedir pelo “Amor de Deus” o ajudasse pois, estava há espera de uma cirurgia simples de hérnia há mais de um ano e não conseguia. Casos como este nos deixam emocionados pois, não sabemos como será a continuidade dos trabalhos nesta unidade, que quando assumimos há nove meses atrás, estava em total situação Página | 310

de abandono e hoje, ajuda pessoas como este Senhor e tantos outros usuários, desafogando os atendimentos nesta região e resgatando um pouco da solidariedade que devemos ter para com estas pessoas tão sofridas e muitas vezes, desassistidas no âmbito do SUS.

Supervisora do SPP e o Assistente Social, dando orientações aos pacientes oriundos de vários Municípios para realizarem suas avaliações a fim de fazerem as cirurgias eletivas. Até mesmo os funcionários da unidade, ficam impressionados com a quantidade de pessoas nos dias das avaliações, tendo em vista a movimentação de 09 meses atrás quando a OS assumiu este hospital. O mesmo acontece nos dias em que são realizadas as cirurgias.

Página | 311

Nos dias em que são realizadas as avaliações, a movimentação no hospital e consequentemente no Município é muito grande considerando o atual cenário, onde a população está migrando deste Município. Os donos de estabelecimentos comerciais como hotéis, supermercados já nos agradeceram pelo movimento gerado nesses dias. Para nós é gratificante ver no rostinho dessas pessoas que vem muitas vezes de tão longe, para fazerem suas cirurgias. Hoje, no HRPArapoema, recebemos até 80 usuários no mês para avaliações.

Página | 312

2.17 HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE ALVORADA 2.17.1 METAS CONTRATUAIS

17.1 – INDICADORES DE PRODUÇÃO

17.1.1 – Nº DE LEITOS POR ESPECIALIDADE;
1.1. Leitos por Especialidade 1.1.1. Clínica Médica 1.1.2. Clínica Pediátrica 1.1.3. Clínica Cirúrgica 1.1.4. Clínica Obstétrica 1.1.5. UTI de Adultos 1.1.6. UTI Infantil 1.1.7. UTI Neonatal 1.1.8. Berçário 1.1.9. Clínica Ortopédica 1.2.10. Outros Total de Leitos Jan 8 4 0 2 0 0 0 0 0 0 14 Fev 8 4 0 2 0 0 0 0 0 0 14 Mar 8 4 0 2 0 0 0 0 0 0 14 Abr 8 4 0 2 0 0 0 0 0 0 14 Mai 8 4 0 2 0 0 0 0 0 0 14 Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 40 20 0 10 0 0 0 0 0 0 70

COMENTÁRIO: Não houve alteração nos numero de leitos no período, especificado acima.

17.1.2 – Nº. DE INTERNAÇÕES POR ESPECIALIDADE;
1.2. Internações por Especialidade 1.2.1. Clínica Médica 1.2.2. Clínica Pediátrica 1.2.3. Clínica Cirúrgica 1.2.4. Clínica Obstétrica 1.2.5. UTI de Adultos 1.2.6. UTI Infantil 1.2.7. UTI Neonatal 1.2.8. Berçário 1.2.9. Clínica Ortopédica 1.2.10. Outros Total de Internações por especialidade Jan 66 9 0 0 0 0 0 0 0 0 75 Fev 76 9 0 0 0 0 0 0 0 0 85 Mar 64 17 0 0 0 0 0 0 0 0 81 Abr 65 15 0 0 0 0 0 0 0 0 80 Mai 84 18 0 0 0 0 0 0 0 0 102 Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 355 68 0 0 0 0 0 0 0 0 423

COMENTÁRIO: Pela análise do período especificado acima, no mês de maio obtivemos uma quantidade de internações superior a média dos meses anteriores, fato que reflete na melhora do atendimento e confiança dos usuários no hospital. Página | 313

17.1.3 – Nº. DE SAÍDOS POR ESPECIALIDADE
1.3. Nº. de saídos por especialidade 1.3.1. Clínica Médica 1.3.2. Clínica Pediátrica 1.3.3. Clínica Cirúrgica 1.3.4. Clínica Obstétrica 1.3.5. UTI de Adultos 1.3.6. UTI Infantil 1.3.7. UTI Neonatal 1.3.8. Berçário 1.3.9. Clínica Ortopédica 1.3.10. Outros Total de saídos por especialidade Jan 65 8 0 0 0 0 0 0 0 0 73 Fev 74 8 0 0 0 0 0 0 0 0 82 Mar 63 17 0 0 0 0 0 0 0 0 80 Abr 68 17 0 0 0 0 0 0 0 0 85 Mai 84 16 0 0 0 0 0 0 0 0 100 Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 354 66 0 0 0 0 0 0 0 0 420

COMENTÁRIO: Analisando o período apresentando, observamos que aumentamos os pacientes saídos em relação a média dos meses anteriores.

17.1.4 – PERCENTUAL DE OCUPAÇÃO POR CLÍNICA;
1.4. Porcentagem de Ocupação 1.4.1. Clínica Médica 1.4.2. Clínica Pediátrica 1.4.3. Clínica Cirúrgica 1.4.4. Clínica Obstétrica 1.4.5. UTI de Adultos 1.4.6. UTI Inf antil 1.4.7. UTI Neonatal 1.4.8. Outros (Berçário) 1.4.9. Clínica Ortopédica 1.4.10. Outros Jan 70% 17% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Fev 68% 10% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Mar 65% 24% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Abr 59% 28% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Mai 48% 47% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Jun 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Jul 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Ago 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Set 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Out 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Nov 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Dez 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% TOTAL 310% 126% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0%

COMENTÁRIO: Analisando o período apresentado, observamos que houve um declínio da taxa de ocupação da Clinica Médica e um aumento da taxa na clinica pediátrica.

Página | 314

17.1.5 – MÉDIA DE PERMANÊNCIA;
1.5. Média de Perm anência 1.5.1. Clínica Médica 1.5.2. Clínica Pediátrica 1.5.3. Clínica Cirúrgica 1.5.4. Clínica Obstétrica 1.5.5. UTI de Adultos 1.5.6. UTI Inf antil 1.5.7. Uti Neonatal 1.5.8. Outros 1.5.9. Clínica Ortopédica 1.5.10. Outros Média Geral de Permanência Jan 2,68 2,63 0 0 0 0 0 0 0 0 2,67 Fev 2,14 1,5 0 0 0 0 0 0 0 0 2,07 Mar 2,54 1,76 0 0 0 0 0 0 0 0 2,38 Abr 2,09 1,94 0 0 0 0 0 0 0 0 2,06 Mai 1,40 3,63 0 0 0 0 0 0 0 0 1,76 Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 10,85 11,46 0 0 0 0 0 0 0 0

COMENTÁRIO: Analisando a média geral de permanência, observamos que estamos variando na média de permanência, fato que está ligado ao tipo de internação realizadas nos períodos.

17.1.6 – VOLUME CIRURGICO
1.6. Volum e Cirúrgico 1.6.1. Cirurgias de Urgência 1.6.2. Cirurgias Eletivas Média Geral de Cirurgias Jan 0 0 0 Fev 0 0 0 Mar 0 0 0 Abr 0 0 0 Mai 0 0 0 Jun 0 0 0 Jul 0 0 0 Ago 0 0 0 Set 0 0 0 Out 0 0 0 Nov 0 0 0 Dez 0 0 0 TOTAL 0 0 0

COMENTÁRIO: Não realizamos cirurgias.

17.1.6.3 – Nº DE CIRURGIAS POR PORTE;
1.6.3. Núm ero de Cirurgias por Porte 1.6.3.1. Cirurgias Grandes 1.6.3.2. Cirurgias Médias 1.6.3.3. Cirurgias Pequenas 1.6.3.4. Curetagens 1.6.3.5. Cesáreas Média Geral de Cirurgias por Porte Jan 0 0 0 0 0 0 Fev 0 0 0 0 0 0 Mar 0 0 0 0 0 0 Abr 0 0 0 0 0 0 Mai 0 0 0 0 0 0 Jun 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 TOTAL 0 0 0 0 0 0

COMENTÁRIO: Não realizamos cirurgias.

Página | 315

17.1.6.4 – Nº. DE PARTOS POR TIPO
1.6.4. Núm ero de partos por tipo 1.6.4.1. Normal 1.6.4.2. Cesariana 1.6.3.3. Outros Jan 0 0 0 Fev 0 0 0 Mar 0 0 0 Abr 0 0 0 Mai 0 0 0 Jun 0 0 0 Jul 0 0 0 Ago 0 0 0 Set 0 0 0 Out 0 0 0 Nov 0 0 0 Dez 0 0 0 TOTAL 0 0 0

COMENTÁRIO: Não realizamos partos no período.

17.1.7 – SADT’S
1.7. SADT 1.7.1. Laboratório Clínico 1.7.2. Anatomia Patológica 1.7.3. Radiologia 1.7.4. Eletrocardiografia 1.7.5. Fisioterapia (Sessões) 1.7.6. Hemodiálise(Sessões) 1.7.7. Hemodinâmica 1.7.8. Hemoterapia 1.7.9. Endoscopia 1.7.10. Ultrassonografia 1.7.11 Tomografia Computadorizada 1.7.12 Ressonancia Magnética 1.7.13 Mamografia 1.7.14 Citopatologia 1.7.15 Eletroencefalografia 1.7.16 Teste do Pézinho 1.7.17 Diversos 1.7.18 Teste Ergométrico Jan 228 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Fev 251 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Mar 342 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Abr 390 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Mai 324 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 1535 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

COMENTÁRIO: Analisando o quantitativo de exames realizados no período, observamos houve uma pequena diminuição no mês, refletindo diretamente no tipo de internações realizadas nos períodos expostos acima.

Página | 316

17.1.8 – AMB ULATÓR IO
1.8. Ambulatório 1.8.1. Consultas 1.8.2. Consultas com Procedimentos 1.8.3. Procedimentos 1.8.4. Procedimentos Cirúrgicos Total Jan 0 0 0 0 0 Fev 0 0 0 0 0 Mar 0 0 0 0 0 Abr 0 0 0 0 0 Mai 0 0 0 0 0 Jun 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 TOTAL 0 0 0 0 0

COMENTÁRIO: Não realizamos ambulatório.

17.1.9 – ATENDIMENTOS DE URGÊNCIA/EMERGÊNCIA
1.9. Urgência/Emergência 1.9.1. Consultas 1.9.2. Consultas com Procedimentos 1.9.3. Procedimentos 1.9.4. Procedimentos Cirúrgicos Total Jan 797 0 0 0 797 Fev Mar Abr Mai Jun 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 TOTAL 4788 0 0 0 4788

820 1049 1086 1036 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

820 1049 1086 1036

COMENTÁRIO: Analisando o período, observamos que obtivemos um pequena diminuição dos consultas, mas onde se mantemos na média dos últimos três meses.

Página | 317

17.1.10 – RECURSOS HUMANOS
1.10. Recursos Humanos 1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total 9 22 0 0 7 38 Janeiro
S e s a u P ró 3º

Fevereiro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Março
T o t a l S e s a u P ró 3º T o t a l S e s a u P ró

Abril
3º T o tal

16 2 0 19 0 37

0 0 0 0 0 0

25 24 0 19 7 75

9 22 0 0 7 38

20 2 0 18 0 40

0 0 0 0 0 0

29 24 0 18 7 78

9 22 0 0 7 38

20 2 0 18 0 40

0 0 0 0 0 0

29 24 0 18 7 78

9 22 0 0 7 38

21 2 0 18 0 41

0 0 0 0 0 0

30 24 0 18 7 79

1.10. Recursos Humanos
S e s a u P ró

Maio

Junho
T o t a l S e s a u P ró 3º

Julho
T o t a l S e s a u P ró 3º

Agosto
T o t a l S e s a u P ró 3º T o tal

1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total

9 22 1 0 7 39

21 2 0 18 0 41

0 0 0 0 0 0

30 24 1 18 7 80

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

1.10. Recursos Humanos 1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total 0 0 0 0 0 0

Setem bro
S e s a u P ró 3º

Outubro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Novem bro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Dezem bro
T o t a l S e s a u P ró 3º T o tal

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

Página | 318

17.1.11 – NEP
CURSO NÚMERO DE CARGA PARTICIPANTES HORÁRIA TOTAL DE HORAS

VI Curso de Educação Médica Contin. (Pneumologia e Hematologia) Curso Online-Introdução à investigação sobre segurança do paciente - mód. 1 Curso Online-Introdução à investigação sobre segurança do paciente - mód. 2 Curso Online-Introdução à investigação sobre segurança do paciente - mód. 3 Curso Online-Introdução à investigação sobre segurança do paciente - mód. 4 Curso Online-Introdução à investigação sobre segurança do paciente - mód. 5 Curso Online-Introdução à investigação sobre segurança do paciente - mód. 6 Curso Online-Introdução à investigação sobre segurança do paciente - mód. 7 Curso Online-Introdução à investigação sobre segurança do paciente - mód. 8 Sondagem Nasoenteral Multiplicação Curso Prontuário Nota 10
TOTAL
TOTAL DE HORAS NÚMERO TOTAL DE COLABORADORES DO HOSPITAL HORAS/HOMEM

1 4 2 3 6 7 10 10 10 6 12 71

18:00:00 01:00:00 01:00:00 01:00:00 01:00:00 01:00:00 01:00:00 01:00:00 01:00:00 03:00:00 00:30:00 29:30:00

18:00:00 4:00:00 2:00:00 3:00:00 6:00:00 7:00:00 10:00:00 10:00:00 10:00:00 18:00:00 6:00:00 94:00:00

94:00:00 81 1:09:38

HORAS DE TREINAMENTO
1900ral 1900ral 1900ral 1900ral 1900ral 1900ral 1900ral 1900ral JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT

Página | 319

DADOS QUALITATIVOS

No mês de maio, as ações de capacitação do Hospital Regional Público de Alvorada somaram um número alto de participantes, porém os cursos oferecidos em sua maioria possuíam uma carga horária pequena. O curso online oferece muita facilidade aos trabalhadores que podem assisti-lo em sua própria unidade nos dias e horários de suas preferências. Ainda não foi possível a multiplicação do Seminário de Feridas: "Prevenção: Uma Medida de Enfermagem", mas será realizada. O Curso de Sondagem Nasoenteral também foi oferecido para o público externo e contou com a participação 04 enfermeiras, sendo 03 do Hospital de Pequeno Porte de Figueirópolis e 01 da Unidade Básica de Saúde de Talismã. Neste mês os servidores participaram de duas reuniões com a equipe técnica da SESAU; uma a respeito da Avaliação Periódica de Desempenho - APED e fluxos administrativos com a participação de 13 servidores e outra sobre Monitoramento das Políticas de Gestão do Trabalho (Apoio Institucional, PCCSS, Progressões, Insalubridade, Política Interna de Saúde no Trabalho) com a participação de 16 pessoas do HRPA e 04 Técnicas em Enfermagem da Unidade Básica de Saúde.

17.1.12 – LOGÍSTIC A
1.13. Estoque
1 3.1 Esto que em dias de .1 . co nsumo - M at/med 30 dias

Jan

Fev

Mar

Abr

Mai

Jun

Jul

Ago Set Out

Nov Dez

TOTAL

84.797,85 13.105,48 84.797,85 13.105,48

27.482,83 41.740,62 27.482,83 41.740,62

23.394,89 0,00 23.394,89 0,00

0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00

0,00 190.521,67 0,00 190.521,67

Total

17.1.13 – CORPO CLÍNICO

Atualmente temos em nosso corpo clinico 07 médicos, sendo que destes 01 médico é diretor técnico que atua também como médico diarista, realizando as prescrições do pacientes internados. Os outros 06 médicos são plantonistas que atuam no atendimento de urgência e emergência.

Página | 320

17.2 - SAU 6. Registros de Opinião
Ocorrências Reclamações Sugestões Elogios Total de Questionários Queixas resolvidas Meta Contratual Meta Realizada Maio 2012 80% -

Não tivemos registro de opinião no período.

7. Índices de Satisfação

Hospital Regional Público de Alvorada
120,000 100,000 80,000 60,000 40,000 20,000 ,000 Março/2012 Abril/2012 Maio/2012 Evolução do Período INTERNAÇÃO (%) 94,790 97,640 96,560 1,867% PRONTO SOCORRO (%) 96,290 95,670 98,840 2,648% 96,560 98,840

Página | 321

Através da avaliação da pesquisa de satisfação geral no mês de maio a internação obteve índice de 96,56% de aprovação e o pronto-socorro 98,84% de aprovação, sendo que na evolução do período da internação tivemos um aumento de percentual de 1,87%,onde podemos notar que estamos trabalhando mês a mês para atendermos da melhor maneira os usuários. Já em relação ao Pronto socorro tivemos um aumento da evolução do período de 2,65% de satisfação. Analisando a situação do trimestre apresentado fica claro que nossos índices se mantém na média acima de 90% de satisfação.

17.3 – GERENCIAMENTO DE PROCESSOS Análise das escalas de trabalho de junho 2012 e aprovação.
Discussão com Diretor Técnico/ Enfermagem diário para alinhar os serviços. Análise diária da estatística para cumprimento das metas. Participação nas reuniões das comissões implantadas no hospital. Participação nas reuniões com os setores para desenvolvermos melhores condições de trabalho e conhecimento dos mesmos. Preenchimento dos dados do hospital no plano estatístico padrão da Pró-Saúde e SESAU. Atividades diárias relacionadas ao bom andamento do hospital.

17.4 – FATURAMENTO
4. Faturamento 4.1 - AIH (Quantitativo) 4.2 - Valores (em reais) Jan 85 26.562,4 Fev 81 Mar 86 Abr 77 Mai JunJul AgoSet Out 96 0 0 0 0 Nov Dez 0 0 0,0 # 0 0,0 TOTAL 425 93616,6

21.148,8 26.497,0 19.408,3

0,0 ## 0,0 0,0 0,0

COMENTÁRIO: Analisando o período observamos que tivemos um aumento das Aih’s faturadas no mês,

já em relação aos valores não conseguimos concluir o fechamento de maio até o fechamento deste relatório. 17.6 – OBRAS E IMPLANTAÇÃO DE NOVOS SERVIÇOS
Estamos sem obras e/ou serviços em andamento.

17.7 – EQUIPAMENTOS NOVOS
Não adquirimos equipamentos neste período.

Página | 322

17.8 – COMISSÕES
As comissões estão ativas e em andamento conforme cronograma de maio de 2012. Sendo que as reuniões estão sendo registradas em livro próprio de atas. Sendo que não houve fatos relevantes a serem relatados. Comissão de Controle de Infecção Hospitalar – CCIH Mês Dia Hora Maio 2012 14/05/12 18:00

Comissão de Revisão de Prontuários Mês Dia Hora Comissão de Ética Médica Mês Dia Hora Comissão de Fármaco-Vigilância Mês Dia Hora Cronograma de Reuniões – Revisão de Óbito Mês Dia Hora Maio 2012 30/05/12 16:00 Página | 323 Maio 2012 30/05/12 10:00 Maio 2012 29/05/12 16:00 Maio 2012 30/05/12 17:00

PALAVRA DO DIRETOR GERAL DO HOSPITAL Temos buscado melhores resultados para mantermos uma estrutura funcional e prestar serviços com qualidade aos usuários para que o HRP de Alvorada possa dar continuidade na Prestação de Serviços de Saúde para toda a população, pois a população necessita de nosso atendimento, e mantendo uma relação de parceria, entre prefeituras, e demais instituições todos conseguiremos adequar e melhorar o atendimento hospitalar. Temos plena consciência e absoluta certeza de que os resultados assistenciais, sociais, de recursos humanos e econômicos do hospital, terão resultados positivos, e ainda, trabalhando desta forma cria-se um clima de comunidade de trabalho familiar, que facilita, dignifica e entusiasma todos os envolvidos neste processo, onde todos e tudo se beneficiam.

Página | 324

ANEXO I – RELATÓRIO DA ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO

ANEXO II – ATAS DE REUNIÃO DAS COMISSÕES

Página | 325

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful