JUNHO 2012 Contrato de Gerenciamento SESAU e Pró Saúde - TO

RELATÓRIO DE DESEMPENHO

CONTRATANTE: SECRETARIA DE SAUDE DO ESTADO DO TOCANTINS CONTRATADA: PRÓ SAUDE ASSOCIAÇÃO BENEFICENTE DE ASSISTÊNCIA SOCIAL E HOSPITALAR DIRETORES OPERACIONAIS PELA ORGANIZAÇÃO SOCIAL: MARCUS HENRIQUE WÄCHTER E ROGÉRIO VANDERLEI KUNTZ COORDENADORES OPERACIONAIS PELA ORGANIZAÇÃO SOCIAL: ALLAN JACQUESON BARBOSA LOBO, EDEMIR BELTRAME, JEFERSON MACHADO PEREIRA, MARCELO PADOIN CANAZARO. COORDENADORES MÉDICOS PELA ORGANIZAÇÃO SOCIAL: DRA. MARGARETH SENA E CÉSAR BORTOLUZO. ENTIDADES GERENCIADAS
1-ENTIDADE GERENCIADA: HOSPITAL GERAL PÚBLICO DE PALMAS DR. FRANCISCO AYRES CNPJ: 24.232.886/0115-25 ENDEREÇO: AV NS 01S/N CONJ 02 LOTE 01 201 SUL - PALMAS/TO RESPONSÁVEL (IS) PELA ORGANIZAÇÃO SOCIAL: RONALDO FOLONI 2- ENTIDADE GERENCIADA: HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE ARAGUAÍNA CNPJ: 24.232.886/0100-49 ENDEREÇO: R 13 DE MAIO, 1336 - CENTRO - ARAGUAINA/TO. RESPONSÁVEL (IS) PELA ORGANIZAÇÃO SOCIAL: EDSON GONÇALVES PRIMO 3- ENTIDADE GERENCIADA: HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE GURUPI CNPJ: 24.232.886/0103-91 ENDEREÇO: AV JUSCELINO KUBITSCHEK, 1641- CENTRO -GURUPI/TO. RESPONSÁVEL (IS) PELA ORGANIZAÇÃO SOCIAL: VALDEMIR FERNILLE GIRATO 4- ENTIDADE GERENCIADA: HOSPITAL E MATERNIDADE PÚBLICA DONA REGINA SIQUEIRA CAMPOS CNPJ: 24.232.886/0106-34 ENDEREÇO: R NE cinco S/N QUADRA104 NORTE LOTE 31 A 41 – PALMAS/TO RESPONSÁVEL (IS) PELA ORGANIZAÇÃO SOCIAL: ALBA LÚCIA DE MENEZES SÁ MUNIZ 5- ENTIDADE GERENCIADA: HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE PARAÍSO DR. ALFREDO O. BARROS CNPJ: 24.232.886/0109-87 ENDEREÇO: R 03, S/N QUADRA02 LOTE 01 AOS 19 - SETOR AEROPORTO - PARAISO DO TOCANTINS/TO. RESPONSÁVEL (IS) PELA ORGANIZAÇÃO SOCIAL: MARCEL AUGUSTO DE OLIVEIRA

Página | 2

6- ENTIDADE GERENCIADA: HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE MIRACEMA CNPJ: 24.232.886/0112-82 ENDEREÇO: AV IRMA EMMA RUDOLFH NAVARRO, S/N -SETOR UNIVERSITARIO- MIRACEMA DO TOCANTINS/TO. RESPONSÁVEL (IS) PELA ORGANIZAÇÃO SOCIAL: FLÁVIO MARCONSINI DE SOUZA 7- ENTIDADE GERENCIADA: HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE PORTO NACIONAL CNPJ: 24.232.886/0110-10 ENDEREÇO: AV MURILO BRAGA, 1592 – CENTRO - PORTO NACIONAL/TO. RESPONSÁVEL (IS) PELA ORGANIZAÇÃO SOCIAL: OMAR DIETRICH JUNIOR 8- ENTIDADE GERENCIADA: HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE GUARAÍ CNPJ: 24.232.886/0114-44 ENDEREÇO: R 03, 1516 – CENTRO – GUARAI/TO. RESPONSÁVEL (IS) PELA ORGANIZAÇÃO SOCIAL: DEBORAH WORTMANN 9- ENTIDADE GERENCIADA: HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE ARRAIAS CNPJ: 24.232.886/0117-97 ENDEREÇO: AVENIDA PARANÃ S/N – BURITIZINHO – ARRAIAS/TO RESPONSÁVEL (IS) PELA ORGANIZAÇÃO SOCIAL: RODRIGO FRANCO 10- ENTIDADE GERENCIADA: HOSPITAL PÚBLICO DE DOENÇAS TROPICAIS CNPJ: 24.232.886/0102-00 ENDEREÇO: AV JOSE BRITO SOARES, 1015 – ANHANGUERA – ARAGUAINA/TO. RESPONSÁVEL (IS) PELA ORGANIZAÇÃO SOCIAL: BRUNO FERREIRA REZENDE 11- ENTIDADE GERENCIADA: HOSPITAL MATERNO INFANTIL PÚBLICO TIA DEDE CNPJ: 24.232.886/0105-53 ENDEREÇO: R RAQUEL DE CARVALHO, 420 – CENTRO - PORTO NACIONAL/TO. RESPONSÁVEL (IS) PELA ORGANIZAÇÃO SOCIAL: REMÍDIO VIZZOTTO JÚNIOR 12- ENTIDADE GERENCIADA: HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE DIANÓPOLIS CNPJ: 24.232.886/0118-78 ENDEREÇO: R 10, S/N QUADRA34 LOTE um - NOVA CIDADE – DIANOPOLIS/TO. RESPONSÁVEL (IS) PELA ORGANIZAÇÃO SOCIAL: CARLOS BARBOZA

Página | 3

13- ENTIDADE GERENCIADA: HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE PEDRO AFONSO CNPJ: 24.232.886/0113-63 ENDEREÇO: R NUMERIANO BEZERRA DE CASTRO, S/N QUADRA5 LOTE 5 - PEDRO AFONSO/TO. RESPONSÁVEL (IS) PELA ORGANIZAÇÃO SOCIAL: RICARDO BARBOSA 14- ENTIDADE GERENCIADA: HOSPITAL INFANTIL PÚBLICO DE PALMAS CNPJ: 24.232.886/0116-06 ENDEREÇO: R NS B, S/N LOTE 09 202 SUL – PALMAS/TO. RESPONSÁVEL (IS) PELA ORGANIZAÇÃO SOCIAL: GIOVANI LUÍS PADÃO MERENDA 15- ENTIDADE GERENCIADA: HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE ARAGUAÇU CNPJ: 24.232.886/0104-72 ENDEREÇO: AV NOVA MATINHA, S/N QUADRA13 LOTE A1/12 – ARAGUAÇU/TO. RESPONSÁVEL (IS) PELA ORGANIZAÇÃO SOCIAL: LAFAETE TEIXEIRA JUNIOR 16- ENTIDADE GERENCIADA: HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE ARAPOEMA CNPJ: 24.232.886/0099-70 ENDEREÇO: R FRANCISCO FURTUOSO DE AGUIAR, 411 – CENTRO – ARAPOEMA/TO. RESPONSÁVEL (IS) PELA ORGANIZAÇÃO SOCIAL: REJANE XAVIER SOARES 17- ENTIDADE GERENCIADA: HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE ALVORADA CNPJ: 24.232.886/0108-04 ENDEREÇO: AV JK, 715 CENTRO – ALVORADA/TO. RESPONSÁVEL (IS) PELA ORGANIZAÇÃO SOCIAL: FULVIO E. BASSOLI

Página | 4

Sumário 1. ANÁLISE GLOBAL DOS HOSPITAIS.................................................................................. 6 1.1 METAS CONTRATUAIS ................................................................................................ 6 1.1.1METAS QUANTITATIVAS ............................................................................................................ 6 1.1.2 METAS QUALITATIVAS ............................................................................................................ 15 2. ANÁLISE INDIVIDUAL DOS HOSPITAIS ......................................................................... 22 2.1 HOSPITAL GERAL PÚBLICO DE PALMAS ................................................................... 22 2.2 HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE ARAGUAÍNA ..................................................... 40 2.3 HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE GURUPI ............................................................. 50 2.4 HOSPITAL E MATERNIDADE PÚBLICA DONA REGINA ............................................. 50 2.5 HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE PARAÍSO ........................................................... 78 2.6 HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE MIRACEMA ....................................................... 78 2.7 HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE PORTO NACIONAL ......................................... 110 2.8 HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE GUARAÍ........................................................... 120 2.9 HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE ARRAIAS ......................................................... 133 2.10 HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE DOENÇAS TROPICAIS ................................... 147 2.11 HOSPITAL TIA DEDÉ .............................................................................................. 157 2.12 HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE DIANÓPOLIS ................................................. 169 2.13 HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE PEDRO AFONSO ........................................... 178 2.14 HOSPITAL INFANTIL PÚBLICO DE PALMAS........................................................... 188 2.15 HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE ARAGUAÇU .................................................. 203 2.16 HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE ARAPOEMA .................................................. 212 2.17 HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE ALVORADA................................................... 231 ANEXO I – RELATÓRIO DA ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO ....................................... 241 ANEXO II – ATAS DE REUNIÃO DAS COMISSÕES .......................................................... 241

Página | 5

1. ANÁLISE GLOBAL DOS HOSPITAIS 1.1 METAS CONTRATUAIS 1.1.1METAS QUANTITATIVAS

Abaixo apresentamos os números de saídos de cada hospital gerenciado e o posicionamento nas metas do 3º quadrimestre, tendo como base o plano estatístico mensal.

Hospital Geral Público de Palmas Saídos X Metas
1600 1400 1200 1000 800 600 400 200 0 mai/12 jun/12 Meta jul/12 Saídos ago/12 QUADRI 3 1365 1097 1230 1097 1097 1097 1.298 1.097

Página | 6

Hospital Regional Público de Araguaína Saídos X Metas
1200 1000 800 600 400 200 0 mai/12 jun/12 Meta jul/12 Saídos ago/12 QUADRI 3 955 975 955 905 955 955 955 940

Hospital Regional Público Gurupi Saídos X Metas
900 800 700 600 500 400 300 200 100 0 mai/12 jun/12 Meta jul/12 Saídos ago/12 QUADRI 3 856,5 713 640 856,5 856,5 856,5 857 677

Página | 7

Hospital e Maternidade Pública Dona Regina Saídos X Metas
900 800 700 600 500 400 300 200 100 0 mai/12 jun/12 Meta jul/12 Saídos ago/12 QUADRI 3 699 807 699 794 699 699 699 801

Hospital Regional Público Paraíso Dr. Alfredo O. Barros Saídos X Metas
600,0 580,0 560,0 540,0 520,0 500,0 480,0 460,0 440,0 mai/12 jun/12 Meta jul/12 Saídos ago/12 QUADRI 3 501 499 500 589,0 589,0 589,0 589,0 589,0

Página | 8

Hospital Regional Público Miracema Saídos X Metas
500 450 400 350 300 250 200 150 100 50 0 mai/12 jun/12 Meta jul/12 Saídos ago/12 QUADRI 3 450 421 450 372 450 450 450 397

Hospital Regional Público de Porto Nacional Saídos X Metas
600 500 400 300 200 100 0 mai/12 jun/12 Meta jul/12 Saídos ago/12 QUADRI 3 270 270 270 270 270 531 454 493

Página | 9

Hospital Regional Público Guaraí Saídos X Metas
500,0 450,0 400,0 350,0 300,0 250,0 200,0 150,0 100,0 50,0 0,0 mai/12 jun/12 Meta jul/12 Saídos ago/12 QUADRI 3 196 240 218 459,0 459,0 459,0 459,0 459,0

Hospital Regional Público de Arraias Saídos X Metas
300 250 200 162 150 100 50 0 mai/12 jun/12 Meta jul/12 Saídos ago/12 QUADRI 3 147 155 267 267 267 267 267

Página | 10

Hospital Público de Doenças Tropicais de Araguaína Saídos X Metas
180 160 140 120 100 80 60 40 20 0 mai/12 jun/12 Meta jul/12 Saídos ago/12 QUADRI 3 125 132 129 165 165 165 165 165

Hospital Materno Infantil Público Tia Dedé Saídos X Metas
342 340 340 338 336 334 332 332 330 328 mai/12 jun/12 Meta jul/12 Saídos ago/12 QUADRI 3 337 335 340 340 340 340

Página | 11

Hospital Regional Público de Dianópolis Saídos X Metas
450,0 400,0 350,0 300,0 250,0 200,0 150,0 100,0 50,0 0,0 mai/12 jun/12 Meta jul/12 Saídos ago/12 QUADRI 3 265 259 262 382,5 382,5 382,5 382,5 382,5

Hospital Regional Público de Pedro Afonso - Leôncio de Sousa Miranda Saídos X Metas
300 250 200 150 100 50 0 mai/12 jun/12 Meta jul/12 Saídos ago/12 QUADRI 3 225 274 225 215 225 225 225 245

Página | 12

Hospital Infantil Público de Palmas Saídos X Metas
350 300 250 200 150 100 50 0 mai/12 jun/12 Meta jul/12 Saídos ago/12 QUADRI 3 238 238 312 288 264 238 238 238

Hospital Regional Público de Araguaçu Saídos X Metas
200,0 180,0 160,0 140,0 120,0 100,0 80,0 60,0 40,0 20,0 0,0 mai/12 jun/12 Meta jul/12 Saídos ago/12 QUADRI 3 119 151 182,5 183 182,5 182,5 182,5 183

Página | 13

Hospital Regional Público Arapoema Saídos X Metas
200,0 180,0 160,0 140,0 120,0 100,0 80,0 60,0 40,0 20,0 0,0 mai/12 jun/12 Meta jul/12 Saídos ago/12 QUADRI 3 128 179,5 179,5 137 179,5 179,5 179,5

133

Hospital Regional Público de Alvorada Saídos X Metas
105 100 100 95 90 85 80 75 mai/12 jun/12 Meta jul/12 Saídos ago/12 QUADRI 3 83,5 83,5 83,5 83,5 84 99 100

Página | 14

Total Geral Hospitais do Tocantins - PróSaúde Saídos X Metas
8.000 7.000 6.000 5.000 4.000 3.000 2.000 1.000 0 mai/12 jun/12 Meta jul/12 Saídos ago/12 QUADRI 3 7.4397.395 7.439 6.838 7.439 7.439 7.439 7.117

Conforme observado nos gráficos acima, nota-se importante enfraquecimento das atividades hospitalares e de produção durante o mês de junho/12. Apesar de a produção total do grupo de hospitais ainda estar dentro da faixa de tolerância (91,7 %) do limite contratual, vários hospitais estiveram abaixo. A produção total apresenta-se 8,0% abaixo dos quantitativos apresentados no mês de maio/12. Reforçamos que os maiores motivos dessa alteração na produção devem-se, principalmente: - esvaziamento das ações por indefinições no encerramento do contrato entre a Pró Saúde e SESAU; - não contratação de médicos por parte da SESAU para compor as escalas médicas faltantes; - atraso no pagamento de produtividade médica e nos plantões extras por parte da SESAU; - limitações estruturais; - não repactuação e reordenamento de metas e valores e, - irregularidade absoluta no repasse dos pagamentos mensais por parte da SESAU. É importante destacar que todos estes motivos foram oficializados para conhecimento da SESAU em tempo hábil. Na consolidação geral da produção total do grupo de hospitais, observa-se uma variação inferior a meta partindo de 52,3% em Guaraí a 168 % no Regional de Porto, sendo que Regional de Porto, Dna. Regina e Infantil de Palmas atingiram as metas, Regional de Araguaína, Paraíso, Tia Dedé, Pedro Afonso Alvorada e HDT posicionaram-se dentro do limite contratual e Gurupi, Guaraí, Arapoema, Miracema, Arraias, Dianópolis e Araguaçu não atingiram a meta.

Página | 15

1.1.2 METAS QUALITATIVAS

O contrato de gerenciamento das unidades hospitalares prevê metas qualitativas de desempenho, divididas por quadrimestre. O quadro 01 abaixo exposto representa o cronograma proposto para implantação dos itens que compõem os indicadores qualitativos conforme contrato de gerenciamento firmado entre Estado do Tocantins – Secretaria de Estado da Saúde e Pro-Saúde - ABASH. O quadro 2 expõe, conforme determina o quadro1, a relação de membros constituintes de cada comissão e do Serviço de Atenção ao Usuário. Legenda para quadro 2: C: comissão constituída. I: item em fase de implantação

Página | 16

Quadro 1
INDICADORES QUALITATIVOS DE ACOMPANHAMENTO HOSPITALAR

Peso Percentual Foco do Indicador Dados Exigidos 1º Quadrim. 2º. Quadrim. 3º. Quadrim.

Constituição da Comissão de Ética: Documento com nome e função dos componentes da Comissão de Ética Comissão de Ética Funcionamento Regular da Comissão de Ética: Relatório mensal de reuniões realizadas pela Comissão de Ética

15

10

10

Constituição da Comissão de Farmácia e Terapêutica: Documento com nome e função dos componentes da Comissão de Farmácia e Terapêutica Comissão de Farmácia e Terapêutica Funcionamento Regular da Comissão de Farmácia e Terapêutica: Relatório mensal de reuniões realizadas pela Comissão de Farmácia e Terapêutica

20

10

10

Constituição da Comissão de Óbitos: Documento com nome e função dos componentes da Comissão de Óbitos Comissão de Óbitos Funcionamento Regular da Comissão de Óbitos: Informação mensal do nº de óbitos institucionais analisados e nº de óbitos maternos.

15

10

10

Constituição da Comissão de Prontuários: Documento com nome e função dos componentes da Comissão de Prontuários Comissão de Prontuários Revisão mensal de pelo menos 10% dos prontuários pela Comissão. 90% dessa amostra devem conter cópia, assinada pelo usuário, do Relatório de Alta ou Informe de Atendimento completo

15

10

10

Constituição da Comissão de Controle de Infecção Hospitalar: Documento com o nome e função dos componentes da Comissão de Controle de Infecção Hospitalar

20

Comissão de Controle de Infecção Hospitalar

Relatório mensal de análise dos indicadores (Densidade de Infecção Hospitalar em UTI PEDIÁTRICA, Densidade de Infecção Hospitalar em corrente sanguínea associada a cateter venoso central em UTI PEDIÁTRICA e Densidade de Infecção Hospitalar em corrente sanguínea associada a cateter venoso central ou cateter umbilical na UTI PEDIÁTRICA) e medidas tomadas pela Comissão de Controle de Infecção Hospitalar quando necessário.

20

20

Apresentação de documento contendo o nome e função dos componentes, estruturas e rotinas do S.A.U Serviço de Atendimento ao Usuário Resolução de 80% das queixas apresentadas ao Serviço de Atendimento ao Usuário

15

10

10

Apresentação das Autorizações de Internação Hospitalar (AIH): a porcentagem de AIH apresentadas deve corresponder a 100% ou mais em relação ao nº de saídas hospitalares do mês.

10

10

Qualidade da informação

Pontualidade no preenchimento dos dados de atividade e financeiros: o envio dos dados de atividade assistencial e financeira pela SESAU/TO deverá obedecer, rigorosamente, aos prazos definidos em contrato. Código de residência dos pacientes corretos: deverão ser informados no sistema AIH de forma correta e de acordo com o Código de Endereçamento Postal (CEP) e compatível com o código IBGE do município.

10

10

10

10

TOTAL

100

100

100

Página | 17

Quadro 2 Comissões ProntuáÓbitos SAU Qualidade da Informação CEP resiI I I I I I I I I I I I I I I I I Envio de dência dados

C.F.T.

rios CCIH

HGP de Palmas HRP de Araguaína HRP de Gurupi

C C C

C C C C C C C C C C C C C C C C C

C C C C C C C C C C C C C C C C C

C C C C C C C C C C C C C C C C C

C C C C C C C C C C C C C C C C C

C C C C C C C C C C C C C C C C C

I I I I I I I I I I I I I I I I I

AIHs

Ética

SAU

I I I I I I I I I I I I I I I I I

HM Pública Dona Regina C HRP de Paraíso HRP de Miracema HRP de Porto Nacional HRP de Guaraí HRP de Arraias HPDT Araguaína HMP Tia Dede HRP de Dianópolis HRP de Pedro Afonso HIP de Palmas HRP de Araguaçu HRP de Arapoema HRP de Alvorada C C C C C C C C C C C C C

Página | 18

SAU
Serviço de Atendimento ao Usuário

A planilha a seguir visa atender a Meta Contratual pactuada entre a Pró-Saúde e o Estado, apresentando os indicadores que se referem ao “Registro de Opinião”, onde o usuário manifesta-se através do preenchimento do formulário, descrevendo suas sugestões, reclamações e elogios, objetivando avaliar a Satisfação do usuário e tomar as providencias necessárias para maximizar a qualidade no atendimento dos usuários que procuram os nossos serviços. De acordo com os descritivos dos hospitais, apresentamos a quantidade de ocorrências registradas, elogios, sugestões e a porcentagem de tratativas resolvidas em relação às reclamações. No decorrer do mês, como resultado das ações de melhoria contínua aos serviços prestados nos hospitais atingimos um percentual de 94,78% de queixas resolvidas. Além de alcançarmos um considerável marco de 62,24% dos Registros realizados pelos usuários foram elogios às equipes. MAPA DE REGISTROS DE OPINIÃO QUEIXAS RESOLVIDAS
10 100,00%

HOSPITAL Hospital e Maternidade Dona Regina Hospital Geral Público de Palmas Hospital Infantil Publico de Palmas Hospita MaternoInfantil Tia Dedé Hospital Regional Público de Miracema Hospital Regional Público de Araguaína Hospital de Doenças Tropicais – Araguaina Hospital Regional Público de Arapoema Hospital Regional Público de Guarai

QUEIXAS
10

SUGESTOES
-

ELOGIOS
-

15

-

3

15

100,00%

1

-

2

1

100,00%

38

3

29

37

97,37%

4

2

3

4

100,00%

16

1

2

16

100,00%

5

3

1

5

100,00%

1

-

1

1

100,00%

2

-

-

2

100,00%

Página | 19

Hospital Regional Público de Paraíso Hospital Regional Público de Pedro Afonso Hospital Regional Público de Alvorada Hospital Regional Público de Araguaçu Hospital Regional Público de Arraias Hospital Regional Público de Dianopolis Hospital Regional Público de Gurupi Hospital Regional Público de Porto Nacional

1

-

2

1

100,00%

1

-

4

1

100,00%

3

-

-

3

-

21

18

213

18

85,71%

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

11

1

4

9

81,82%

5

-

3

4

80,00%

SOMATORIA GERAL TOTAL DE REGISTROS PERCENTUAL

134

28 429

267

127

94,78%

31,24%

6,53%

62,24%

Esse indicador é muito mais do que um “alcançar de metas”, representa para nós a confirmação do trabalho sério e consciente, de buscar conhecer a opinião do usuário para melhor servi-lo e poder alcançar a qualidade dos serviços, o reconhecimento dos profissionais e satisfação do usuário. Segue abaixo análise comparativa da Satisfação por Hospital, onde podemos observar a evolução de Abril a Junho/2012, nos setores Ambulatório, Internação, Pronto Socorro e SADT.

SATISFAÇÃO - SISTEMA ELETRÔNICO " PESQUISA RÁPIDA" MÉDIA GERAL AMBULATORIO HOSPITAL ABR 2012 MAI 2012 JUN 2012 ABR 2012 INTERNAÇÃO MAI 2012 JUN 2012 PRONTO SOCORRO ABR 2012 MAI 2012 JUN 2012 ABR 2012 SADT MAI 2012 JUN 2012

Página | 20

Hospital e Maternidade Publica Dona Regina Siqueira Campos Hospital Geral Publico de Palmas Dr. Francisco Ayres Hospital Publico Infantil de Palmas Dr. Hugo da Rocha Silva Hospital Materno Infantil Tia Dede Publico

81,36% 72,72%

72,14% 74,63%

92,36% 76,16%

66,41% 90,37%

24,03% 84,47%

88,36% 77,06%

84,64% 75,41%

84,99% 65,80%

81,63% 55,13%

77,12% 74,82%

90,93% 78,40%

86,02% 81,25%

85,14% 100,00% 85,36% 92,54% 86,77% 97,59% 90,34% 84,76% 94,31% 89,24% 80,00% 68,11% 87,09%

84,90% 75,40% 88,57% 63,77% 92,17% 98,50% 90,26% 80,11% 85,06% 92,33% 87,11% 68,30% 82,38%

83,61% 75,40% 86,54% 74,10% 89,51% 97,31% 66,44% 81,90% 86,19%

85,77% 55,71% 87,80% 81,76% 92,13% 95,19% 91,97% 81,91% 87,24% 97,64% 90,71%

81,37% 77,86% 93,56% 70,07% 90,33% 98,15% 78,50% 75,99% 88,91% 96,56% 81,11% 95,97% 85,20% 81,97% 88,81% 81,93%

81,93% 76,71% 89,51% 68,67% 92,81% 95,70% 62,04% 88,77% 99,80% 90,57% 91,16% 87,11% 77,39% 82,93% 84,41%

79,44% 87,53% 85,36% 59,27% 87,53% 99,46% 83,10% 71,27% 86,96% 95,67% 81,40% 90,60% 83,84% 98,07% 84,35%

72,06% 77,56% 86,83% 53,63% 83,34% 99,46% 81,90% 74,77% 85,36% 98,84% 89,70% 76,00% 81,69% 96,86% 81,80%

79,44% 77,56% 86,61% 62,56% 90,27% 93,91% 69,43% 70,83% 87,06% 99,34% 82,19% 87,17% 76,26% 72,64% 73,79% 79,17%

87,55% 73,08% 83,87% 70,62% 82,38% 100,00% 80,95% 88,85% 88,08% 89,87% 81,20% 97,70% 84,01%

87,60% 73,65% 85,60% 71,20% 84,98% 100,00% 83,80% 72,65% 80,87% 87,77% 93,21% 81,93% 97,33% 84,66%

96,68% 66,83% 87,82% 60,33% 86,29% 93,60% 61,53% 91,62% 85,18% 91,43% 75,75% 78,95% 81,66%

Hospital Regional Público de Miracema Hospital Regional Publico de Araguaina HPDT Hospital Publico Doenças Tropicais de

Hospital Regional Publico de Arapoema Hospital Regional Público de Guarai Hospital Regional Público de Paraíso Dr. Alfredo O. Barros Hospital Regional Público de Pedro Afonso Hospital Regional Público de Alvorada Hospital Regional Publico de Araguaçu Hospital Regional Publico de Arraias Hospital Regional Público de Dianópolis Hospital Regional Público de Gurupi Hospital Regional Público de Porto Nacional MEDIA POR PERIODOS

88,74% 82,66% 83,15%

96,40% 82,44% 82,79% 87,49% 85,51%

MEDIA SETOR - TRIMESTRE MEDIA GERAL TRIMESTRES MEDIA GERAL JUNHO/2012

84,20%

83,95% 83,34% 82,10%

81,77%

83,44%

Percebe-se que no decorrer do período, como resultado dos alinhamentos realizados e acompanhamento dos indicadores, os Hospitais esforçaram-se para manter uma média de satisfação de 82,10%. Este índice traduz certamente, o descontentamento dos usuários com algumas mudanças que ocorreram nos hospitais, que resultaram em alterações de cardápios, adiamento de cirurgias, demora nos atendimentos, entre outros.

Página | 21

2. ANÁLISE INDIVIDUAL DOS HOSPITAIS 2.1 HOSPITAL GERAL PÚBLICO DE PALMAS 1.1.1 METAS CONTRATUAIS

1.1 – INDICADORES DE PRODUÇÃO 1.1.1 – Nº DE LEITOS POR ESPECIALIDADE;
1.1. Leitos por Especialidade 1.1.1. Clínica Médica 1.1.2. Clínica Pediátrica 1.1.3. Clínica Cirúrgica 1.1.4. Clínica Obstétrica 1.1.5. UTI de Adultos 1.1.6. UTI Infantil 1.1.7. UTI Neonatal 1.1.8. Berçário 1.1.9. Clínica Ortopédica 1.2.10. Outros Total de Leitos Jan 72 0 60 0 26 8 0 0 40 32 238 Fev 72 0 60 0 26 8 0 0 40 32 238 Mar 72 0 60 0 26 8 0 0 40 32 238 Abr 72 0 60 0 26 8 0 0 40 32 238 Mai 72 0 60 0 26 8 0 0 40 32 238 Jun 72 0 60 0 26 8 0 0 40 32 238 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 432 0 360 0 156 48 0 0 240 192 1428

COMENTÁRIO: Não houve alteração do Total de Leitos, conforme nosso contrato.

1.1.2 – Nº. DE INTERNAÇÕES POR ESPECIALIDADE;
1.2. Internações por Especialidade 1.2.1. Clínica Médica 1.2.2. Clínica Pediátrica 1.2.3. Clínica Cirúrgica 1.2.4. Clínica Obstétrica 1.2.5. UTI de Adultos 1.2.6. UTI Infantil 1.2.7. UTI Neonatal 1.2.8. Berçário 1.2.9. Clínica Ortopédica 1.2.10. Outros Total de Internações por especialidade Jan 528 0 508 0 20 9 0 0 184 48 Fev 546 0 401 0 22 4 0 0 204 55 Mar 504 6 458 0 22 12 0 0 249 70 Abr 510 4 407 0 36 14 0 0 220 52 Mai 593 13 386 0 33 25 0 0 282 65 Jun 433 13 370 0 19 15 0 0 290 123 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 3114 36 2530 0 152 79 0 0 1429 413 7753

1297 1232 1321 1243 1397 1263

COMENTÁRIO: No mês de junho tivemos uma queda numero de internações, na clinica médica. Também tivemos um aumento de internações na ortopedia e na Clinica Oncológica, mas sem um motivo especifico, embora a maioria dos casos ortopédicos, são traumas por conta de acidentes de transito.

Página | 22

1.1.3 – Nº. DE SAÍDOS POR ESPECIALIDADE
1.3. Nº. de saídos por es pe cialidade 1.3.1. Clínica Médica 1.3.2. Clínica Pediátrica 1.3.3. Clínica Cirúrgica 1.3.4. Clínica Obstétrica 1.3.5. UTI de Adultos 1.3.6. UTI Inf antil 1.3.7. UTI Neonatal 1.3.8. Berçário 1.3.9. Clínica Ortopédica 1.3.10. Outros Total de saídos por especialidade Jan 612 0 410 1 18 7 0 1 184 34 Fev 511 0 378 0 26 13 1 0 199 62 Mar 520 3 478 0 23 8 0 0 264 108 Abr 491 2 399 0 30 17 0 0 219 78 Mai 575 2 416 0 17 26 0 0 271 67 Jun 504 10 371 0 4 1 0 0 270 78 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Se t 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 De z 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 3213 17 2452 1 118 72 1 1 1407 427 7709

1267 1190 1404 1236 1374 1238

COMENTÁRIO: Como tivemos uma pequena queda no numero de internações, conseqüentemente tivemos uma pequena queda no numero de saídos.

1.1.4 – PERCENTUAL DE OCUPAÇÃO POR CLÍNICA;
1.4. Porce ntagem de Ocupação 1.4.1. Clínica Médica 1.4.2. Clínica Pediátrica 1.4.3. Clínica Cirúrgica 1.4.4. Clínica Obstétrica 1.4.5. UTI de Adultos 1.4.6. UTI Infantil 1.4.7. UTI Neonatal 1.4.8. Outros (Berçário) 1.4.9. Clínica Ortopédica 1.4.10. Outros Porcentagem Geral de Ocupação Jan 77% 0% Fev Mar Abr 76% 0% Mai 68% 0% Jun 85% 0% 84% 0% 72% 94% 0% 0% 89% 72% 82% Jul 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Ago 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Se t 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Out 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Nov 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% De z 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% TOTAL 499% 0% 545% 0% 487% 530% 0% 0% 535% 387% 76% 116% 0% 0% 59% 0% 80% 93% 0% 0% 92% 71% 87%

101% 102% 0% 82% 84% 0% 0% 78% 60% 83% 0% 88% 81% 0% 0% 87% 66% 85%

98% 103% 0% 81% 97% 0% 0% 92% 58% 84% 0% 86% 81% 0% 0% 96% 60% 84%

COMENTÁRIO: O percentual de ocupação, no geral se mantém estável, porem algumas vezes a clinica médica e clinica cirúrgica, ultrapassam os 100%, conforme demanda.

Página | 23

1.1.5 – MÉDIA DE PERMANÊNCIA;
1.5.1. Clínica Médica 1.5.2. Clínica Pediátrica 1.5.3. Clínica Cirúrgica 1.5.4. Clínica Obstétrica 1.5.5. UTI de Adultos 1.5.6. UTI Infantil 1.5.7. Uti Neonatal 1.5.8. Outros 1.5.9. Clínica Ortopédica 1.5.10. Outros Média Geral de Permanência 2,82 0 4,57 0 3,12 0 4,68 0 4,97 0 2,29 0 3,35 0 4,4 0 20,9 13,7 0 0 5,03 8,04 4,68 2,63 0 4,6 0 40,6 7,77 0 0 4,41 11,2 4,34 4,41 0 4,23 0 43 13,2 0 0 3,94 13,3 4,41 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 21,2939 0 24,7667 0 194,603 107,777 0 0 28,0688 70,5509

36,61 25,38 28,09 29,86 14,38 28,88 0 0 5,28 0 0 5,08 0 0 4,33 9,26 4,44

17,31 11,40 4,65 4,77

COMENTÁRIO: A média de permanência, teve um pequeno aumento, pois tivemos aumento de tempo na média das UTI´s adulto e UTI pediátrica..

1.1.6 – VOLUME CIRURGICO
1.6. Volum e Cirúrgico 1.6.1. Cirurgias de Urgência 1.6.2. Cirurgias Eletivas Média Geral de Cirurgias Jan 282 438 720 Fev 262 519 781 Mar 326 553 879 Abr 312 483 795 Mai 358 522 880 Jun 384 425 809 Jul 0 0 0 Ago 0 0 0 Set 0 0 0 Out 0 0 0 Nov 0 0 0 Dez 0 0 0 TOTAL 1924 2940 4864

COMENTÁRIO: Superamos a média de 800, procedimentos cirúrgicos, este aumento esta relacionado ao aumento de cirurgias ortopédicas, conforme visto no aumento de internações da especialidade.

1.1.6.3 – Nº DE CIRURGIAS POR PORTE;
1.6.3. Núm ero de Cirurgias por Porte 1.6.3.1. Cirurgias Grandes 1.6.3.2. Cirurgias Médias 1.6.3.3. Cirurgias Pequenas 1.6.3.4. Curetagens 1.6.3.5. Cesáreas Média Geral de Cirurgias por Porte Jan 113 337 270 0 0 720 Fev 135 327 319 0 0 781 Mar 157 299 423 0 0 879 Abr 143 327 325 0 0 795 Mai 147 313 420 0 0 880 Jun 137 314 358 0 0 809 Jul 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 TOTAL 832 1917 2115 0 0 4864

COMENTÁRIO: Todas as cirurgias se mantiveram na média com pequeno declínio devido algumas intercorrências.

Página | 24

1.1.6.4 – Nº. DE PARTOS POR TIPO
1.6.4. Núm ero de partos por tipo 1.6.4.1. Normal 1.6.4.2. Cesariana 1.6.3.3. Outros Jan 0 0 0 Fev 0 0 0 Mar 0 0 0 Abr 0 0 0 Mai 0 0 0 Jun 0 0 0 Jul 0 0 0 Ago 0 0 0 Set 0 0 0 Out 0 0 0 Nov 0 0 0 Dez 0 0 0 TOTAL 0 0 0

COMENTÁRIO: Não realizamos partos no HGPP, somente em caso de extrema urgência, que não seja possível encaminhar para o Hospital Dona Regina.

1.1.7 – SADT’S
1.7. SADT 1.7.1. Laboratório Clínico 1.7.2. Anatomia Patológica 1.7.3. Radiologia 1.7.4. Eletrocardiografia 1.7.5. Fisioterapia (Sessões) 1.7.6. Hemodiálise(Sessões) 1.7.7. Hemodinâmica 1.7.8. Hemoterapia 1.7.9. Endoscopia 1.7.10. Ultrassonografia 1.7.11 Tomografia Computadorizada 1.7.12 Ressonancia Magnética 1.7.13 Mamografia 1.7.14 Citopatologia 1.7.15 Eletroencefalografia 1.7.16 Teste do Pézinho 1.7.17 Diversos 1.7.18 Teste Ergométrico Total Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 238962 5996 27332 1031 31931 14149 745 3738 538 3219 5307 1933 68 10 0 0 18680 0 353639

37.091 36.188 41.790 42.210 40.807 40876 932 5.434 49 4.836 2.334 96 848 66 495 737 222 0 0 0 0 2.736 0 915 4.639 340 4.885 2.268 108 721 90 510 558 352 0 0 0 0 3.109 0 978 5.360 333 5.794 2.431 145 728 95 458 730 415 0 0 0 0 3.223 0 1.250 5.762 309 4.856 2.246 131 898 69 549 906 294 17 0 0 0 3.438 0 915 5.141 0 6.260 2.430 151 543 139 587 1.057 354 26 0 0 0 3.074 0 1006 996 0 5300 2440 114 0 79 620 1319 296 25 10 0 0 3100 0

55876 54683 62480 62935 61484 56181

COMENTÁRIO: As variações não são expressivas visto que o numero de pessoas atendidas Hospital, mantem uma constante, somente uma queda devido ao menor numero de atendimentos.

1.1.8 – AMBULATÓRIO
1.8. Ambulatório 1.8.1. Consultas 1.8.2. Consultas com Procedimentos 1.8.3. Procedimentos 1.8.4. Procedimentos Cirúrgicos Total Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 TOTAL 19674 0 0 0 19674

3.027 3.080 3.834 3413 3.841 2479 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

3027 3080 3834 3413 3841 2479

COMENTÁRIO: O Ambulatório, só identifica consultas, não classificas em procedimentos e não realiza procedimentos cirúrgicos. Página | 25

1.1.9 – ATENDIMENTOS DE URGÊNCIA/EMERGÊNCIA
1.9. Urgência/Emergência 1.9.1. Consultas 1.9.2. Consultas com Procedimentos 1.9.3. Procedimentos 1.9.4. Procedimentos Cirúrgicos Total Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 TOTAL 18287 0 0 0 18287

3.060 3.027 3.195 3.193 3.183 2629 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

3060 3027 3195 3193 3183 2629

COMENTÁRIO: O P.S., não identifica os procedimentos, somente registra o numero de pessoas atendidas.

1.1.10 – RECURSOS HUMANOS
1.10. Recursos Humanos 1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total 162 729 104 21 218 1234 Janeiro
S e s a u P ró 3º

Feve reiro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Março
T o t a l S e s a u P ró 3º T o t a l S e s a u P ró

Abril
3º T o tal

158 175 35 274 8 650

0 0 58 10 0

320 904 197 305 226

162 729 104 21 218

146 178 37 340 12 713

0 0 59 10 2

308 907 200 371 232

161 725 103 22 220

150 175 37 335 11 708

0 0 60 10 3

311 900 200 367 234

159 722 98 22 222

161 177 37 320 10 705

0 0 59 10 4

320 899 194 352 236

68 1952 1234

71 2018 1231

73 2012 1223

73 2001

1.10. Recursos Humanos
S e s a u P ró

Maio

Junho
T o t a l S e s a u P ró 3º

Julho
T o t a l S e s a u P ró 3º

Agos to
T o t a l S e s a u P ró 3º T o tal

1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total

173 721 98 22 222 1236

153 174 37 319 10 693

0 0 59 10 4

326 895 194 351 236

152 730 123 11 222

147 174 36 313 10 680

0 0 59 10 4

299 904 218 334 236

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

73 2002 1238

73 1991

1.10. Recursos Humanos 1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total 0 0 0 0 0 0

Setem bro
S e s a u P ró 3º

Outubro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Novem bro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Dezem bro
T o t a l S e s a u P ró 3º T o tal

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

Página | 26

1.1.11 – NEP
Podemos observar uma queda nas horas de treinamento realizadas no mês de Junho. Alguns treinamentos foram desmarcados, devido ao momento que estamos vivendo entre o Governo e a Pró Saúde, bem como o fato da direção do NEP ter sido assumida pelo Estado. DADOS QUANTITATIVOS
CURSO Análise Crítica de Indicadores Ordem de Serviço Funcional TOTAL TOTAL DE HORAS NÚMERO TOTAL DE COLABORADORES DO HOSPITAL HORAS/HOMEM NÚMERO DE CARGA HORÁRIA PARTICIPANTES 41 67 108 223:30:00 1903 0:07:03 03:00:00 01:30:00 4:30:00 TOTAL DE HORAS 123:00:00 100:30:00 223:30:00

128:00

53:45:00 41:00 40:50 35:00 04:30

JANEIRO

FEVEREIRO

MARÇO

ABRIL

MAIO

JUNHO

DADOS QUALITATIVOS No mês de Junho foram realizados treinamentos de Ordem de Serviço para os colaboradores do SND e SHL e capacitação para líderes sobre indicadores de resultados.

Página | 27

1.1.12 – LOGÍSTICA
1.13. Estoque
1 3.1 Esto que em dias de co nsumo - M at/med 30 dias .1 .

Jan 44 44,5

Fev 23,7 23,7

Mar 42,0 42,0

Abr 55,1 55,1

Mai 36,6 36,6

Jun 63,0 63,0

Jul 0,0 0,0

Ago 0,0 0,0

Set 0,0 0,0

Out 0,0 0,0

Nov 0,0 0,0

Dez 0,0 0,0

TOTAL 264,9 264,9

Total

COMENTÁRIO: Será necessária uma avaliação correta do tempo de estoque, pois tivemos uma redução grande no volume de compras, mas ainda estamos tendo problemas com as baixas de estoque.

1.1.13 – CORPO CLÍNICO
Visita diária pelo Diretor técnico aos setores, com envio de relatório a direção e consultoria médica; Novo coordenador médico para o C.C., sendo nomeado para tal função Dr. Tomé; Cobrança constante quanto ao correto preenchimento de AIH´s.

1.2 - SAU
1. Registros de Opinião:
Ocorrências Reclamações Sugestões Elogios Total de Questionários Queixas resolvidas Meta Contratual Meta Realizada 15 00 03 18 15 80% 100% Março 2012

Observamos que houve uma numero baixo de reclamações, mas todas foram solucionadas e com satisfação quando ao retorno ao usuário, em todos os setores em que encaminhamos as demandas fomos muito bem recebidos e com o respeito pelo setor de ouvidoria, tratamos também as demandas com a responsabilidade e sigilo necessário.

Página | 28

2. Índices de Satisfação:

Hospital Geral Público de Palmas
100,00 90,00 80,00 70,00 60,00 50,00 40,00 30,00 20,00 10,00 0,00 -10,00 76,16 77,06 55,13 81,25

AMBULATORI O (%) 72,72 74,63 76,16 4,73%

INTERNAÇÃO (%) 90,37 84,47 77,06 -14,73%

PRONTO SOCORRO (%) 75,41 65,80 55,13 -26,89%

SADT (%) 78,82 78,40 81,25 3,08%

Abril/2012 Maio/2012 Junho/2012 Evolução do Período

Analisando o resultado das pesquisas no gráfico acima, podemos ver que o ambulatório teve um constante aumento na satisfação, principalmente pela equipe de enfermagem, mas percebemos que continua a insatisfação quanto ao tempo de espera no atendimento e a limpeza do setor, comunicamos ao coordenador do setor e mostramos a pesquisa do mês de maio, para que possa analisar e propor mudanças para obtermos um melhor resultado nas pesquisas. Com relação à internação, as pesquisas demonstram um aumento considerável de insatisfação isso deve-se ao fato de a limpeza estar muito prejudicada, a alimentação esta com baixa qualidade e os banheiros, bebedouros e instalações estão sem manutenção. O pronto socorro vem demonstrando uma baixa constante nos meses, isso deve-se à instalação física, à limpeza e organização, ao tempo de espera no atendimento médico e o atendimento da equipe médica, mas verificamos também uma percentagem muito satisfatória quanto ao atendimento da recepção que vem tendo uma elevação na satisfação a cada mês. O SADT/EXAMES esse mês teve um leve aumento de satisfação, observamos que as respostas dos nossos usuários estão no geral com satisfação boa em quase todos os itens da pesquisa.

1.3 – GERENCIAMENTO DE PROCESSOS
Qualidade:

Página | 29

No final do mês de maio ocorreu a transferência da coordenadora da qualidade Daiane da Silva para outro hospital. A partir de então, assumi a coordenação do escritório pela Pró Saúde e atualmente é composto pela enfermeira Patrícia Lira Silva e a farmacêutica Márcia Germana, ambas servidoras do Estado. Como o Gerenciamento de Risco do Projeto Hospitais Sentinelas já é gerenciado pela Márcia, os trabalhos referentes à qualidade, estão sendo desenvolvidos conjuntamente. As atividades desenvolvidas pelo Escritório da Qualidade foram acompanhadas pela consultora Francilene da Gestão Consultoria, até o dia 15 de junho sobretudo auxiliando na validação dos processos e definição de planos de melhorias. As atividade realizadas no mês de junho foram:

Realizado o Mapa de processo do Pronto Socorro em duas etapas: Enfermagem e Administrativo;
o

Enfermagem: revisada a matriz SIPOC elaborado o plano de ação (checagem de administração de medicamentos) Administrativo: elaborada matriz SIPOC e plano de ação (Atingir 100% dos cadastros dos pacientes completos e com assinatura);

o

Planejamento de implementação de melhoria no CC e CME
o

Realizada reunião com coordenação de enfermagem do CC e CME para melhoria no processo de reserva de hemocomponente;

• • • •

Validação dos planos de melhoria e matriz SIPOC pela direção (em andamento); Concluir os planos de melhoria até 15 de julho (em andamento) Assessorar a elaboração das Its e medição dos indicadores; Devido ao desabastecimento de produtos foi realizada a reunião com os Diretores Ronaldo, Marcelo, Francilene, coordenador da Logística Carlos, para discutir sobre um plano de contingência da logística;

Dos 64 processos existentes no HGPP, 4 não foram mapeados, totalizando 6,25% não mapeados; Dos 60 setores mapeados, foram realizados 38 Planos de Ação totalizando 63,33% concluídos;

Página | 30

Situação da Implantação da Gestão por Processos
70 60 Quantitativo 50 40 30 20
63,33% 93,75%

64

60

64

60

38

10 0 Total Processos Processos Mapeados Total de P.A a serem elaborados Ítens P.A elaborados Indicadores definidos

* Legenda: P.A. – Planos de Ação
Realizada reunião no dia 14/06 do Comitê da Qualidade onde foram solicitados a inclusão dos setores: CEDRAU, Terapia Ocupacional, Odontologia, Comissão de Óbitos nos planos de melhoria. Validação dos mapas de processos e elaboração dos Planos de Ação de Melhorias dos seguintes setores do HGPP; DP/Pró Saúde, DP/Estado, Centro Cirúrgico/CME, SCCIH, Financeiro, Compras, OPME, Farmácia Central, SADT, Humanização, Serviço de Atenção ao Usuário (SAU), Núcleo de Educação Permanente (NEP), Serviço de Nutrição Dietética (SND), Costura e Lavanderia, Serviço de Higienização e Limpeza (SHL), Serviço Social, Comissão de Prontuários, Estatística, Terapia Transfusional, Patrimônio, Gerenciamento de Leitos, PID, Compras, Ambulatório, Internação Piso I e II, UTI Pediátrica, Comissão de Curativos, Admissão e Alta, Agendamento de Cirurgias Eletivas, Assessoria de Comunicação, Assessoria Jurídica, Hemodinâmica, Laboratório, Comissão de Farmácia Terapêutica, UNACON, Pronto Socorro Enfermagem, Pronto Socorro Administrativo e Psicologia. No dia 25 de junho foi realizada a oficina de Análise Crítica de Indicadores, onde foi apresentado o Diagrama de Ishikawa e o relatório de Análise Crítica, ministrada pela consultora da Gestão Consultoria Francilene, com adesão de todas as lideranças e Direção do HGPP.

Página | 31

Posteriormente foi realizado atendimento individual com os setores: Farmácia Satélite, Terapia Transfusional e Psicologia para efetivar a elaboração da Análise Crítica de Indicadores de cada setor à serem apresentados aos Diretores e lideranças do HGPP no dia 03 de julho de 2012

Página | 32

1.4 – FATURAMENTO
4. Faturamento 4.1 - AIH (Quantitativo) 4.2 - Valores (em reais) Jan 1217 Fev 1404 Mar 1379 Abr 1467 Mai 1444 Jun 1500 Jul 0 0,0 Ago Set Out Nov Dez TOTAL 0 0 0 0,0 0 0,0 0 8411

1913773,4 2085278,1 2258747,1 2370968,1 2.327.700,2 2.378.049,6

0,0 0,0

0,0 13334516,5

COMENTÁRIO: O aumento das AIH (quantitativo), seu deu em função do quadro estar completo, e ao fato de existirem em torno de 2.500 AIH, atrasadas, anteriores ao Contrato da Pró-Saúde, as quais estamos recuperando gradativamente.

1.6 – OBRAS E IMPLANTAÇÃO DE NOVOS SERVIÇOS Não houve obras e implantação de Novos Serviços.

1.7 – EQUIPAMENTOS NOVOS Não houve compra de novas equipamentos.

1.8 – COMISSÕES
CONTROLE DE REUNIÕES DAS COMISSÕES DO HGPP CENTRAL DE COMISSÕES COMISSÕES/ COMITÊ PRESIDENTE REUNIÃO/JUNHO JUSTIFICATIVAS

Comitê de Ética Dra. Médica veira

Jussara

de 25/06/2012

reunião foi realizada A conforme cronograma anual. reunião foi realizada A conforme cronograma anual. 11/06 As reuniões aconteceram em conformidade com cronograma anual.

Souza Martins Oli-

Comitê de Revi- Dra. Maria Dolores 14/06/2012 são de óbito Comissão Revisão Prontuários Comissão Controle de de Dra. Loiziana Bar29/06/2012 Neife Galhardo de Dr. Álvaro Ferreira 04/06; de da Silva 18/06 e 25/06

A reunião aconteceu em conformidade com cronograma anual. Página | 33

Infecção Hospi- bosa Barcelos Mi-

talar - CCIH Comissão Farmácia Terapêutica

randa de Dr. Atil José de Sou- 12/06/2012 e za reunião foi realizada A conforme cronograma anual.

1.9 – OUTRAS INFORMAÇÕES HUMANIZAÇÃO

Projeto fazendo acontecer a humanização hospitalar: esse projeto são as ações desenvolvidas pelos profissionais aos pacientes e acompanhantes como doação de roupas e calçados – 04 -, doação de Kit higiene 89 - Kits, eventos realizados dentro do ambiente hospitalar tanto para acompanhantes, pacientes e servidores. Realizamos um bazar com as peças confeccionadas pelos pacientes, acompanhantes e servidores, com a renda do bazar compramos material de artesanato para a realização de novas oficinas. Entregamos 04 presentes ás crianças internadas. • Política de humanização hospitalar: são as atividades desenvolvidas pelos profissionais do setor como visita ao leito – 2548 - leitos visitados, onde levamos informação e orientação e levantamento de demandas com encaminhamentos e resolutividade; Reuniões com os acompanhantes 134 participantes; Serviço de Ouvidoria – 18 demandas, todas respondidas - contamos com duas caixas de sugestões e reclamações que ficam na recepção do pronto socorro e na recepção principal da internação e através do sistema de informação integrado da ouvidoria do estado, onde recebemos as reclamações e sugestões e encaminhamos para os setores responsáveis e retornamos ao reclamante sobre a resolutividade do problema; 01 - Reunião GTH - Grupo de Trabalho da Humanização – são as Rodas de conversas - essa reunião e realizada com os servidores para discussão do processo de trabalho, e assuntos diversos encaminhados pelos setores para as discussões. ; Conversa com quem cuida – 138 participantes – Uma equipe multiprofissional que realiza reuniões e/ou visitas aos leitos onde passamos informações, orientações ao acompanhante da pessoa idosa de como cuidar do paciente em casa evitando assim a reinternação do mesmo e informando os direitos e deveres da pessoa idosa; Visita aos leitos pedagogia hospitalar – são trabalhos desenvolvidos com as crianças internadas no hospital para atividades lúdicas e de acompanhamento escolar onde atuamos nos leitos e na Brinquedoteca. Quantidade de atendimentos 55 crianças atendidas. • Projeto visitação Hospitalar – Serviço de Assistência religiosa e de voluntários no ambiente Hospitalar – 965 visitas - São voluntários, alguns ligados a igrejas, todos são cadastrados, capacitados e supervisionados pelo setor de humanização para as visitas aos leitos. Culto Ecumênico – 28 cultos, com 326 participantes: que são igrejas evangélicas cadastradas que realizam o culto na capela nos dias determinados. • Projeto Assistência Religiosa Hospitalar – Sementes do Verbo: São as 04 Irmãs da Comunidade Sementes do Verbo que trabalham no Hospital fazendo assistência religiosa aos pacientes e acompanhantes através de: Visita ao Leito 587, – comunhão nos leitos 21; visita domiciliar 01, Confissão 07, Ajudam na realização das missas que são realizadas todas as quartas-feiras e aos domingos na capela – 08 missas com 96 participantes e realização de unção no leito 17 –; batismo 02.
Página | 34

Projeto musica para o corpo e alma: Corpo de Bombeiros, Policia Militar e Guarda Metropolitana – 120 visitas - São profissionais pastores, padres e músicos que visitam os leitos e UTI do hospital levando musica e orações para os pacientes e acompanhantes. • Liga Feminina de combate ao Câncer – São voluntarias ligadas à Liga Feminina que realizam atividades dentro do HGP como: visitas ao Leito – 420 visitas - são visitas diárias em todos os leitos da oncologia para levantamento de demandas e acompanhamentos aos pacientes; Corte de Cabelo - 44 cortes - para os pacientes e acompanhantes. • Doações 25 peças – são doações recebidas de roupas para o hospital - através de comunidade e algumas entidades que realizam as doações para o hospital como leite, brinquedos, roupas, kit de higiene e etc. MANUTENÇÃO:
Neste período a Qualidade junto com a Diretoria de Apoio orientaram na construção de indicadores para os Serviços de Higienização e Lavanderia e Nutrição; Na Higienização a redução no quadro de pessoal ainda está provocando várias dificuldades nos setores onde implantamos cronogramas de limpeza terminal e as concorrentes estão sendo feitas com dificuldades; O REABILITO foi oficiado sobre o remanejamento dos colaboradores de Portaria e Higienização para o HGPP a partir de 01/07/12; A empresa contratada para realizar manutenção preventiva e corretiva no sistema de ar condicionado continua realizando investimentos no Chiller York, neste mês o sistema funcionou adequadamente, este investimento deveria ter sido realizado pela SESAU conforme contrato de gestão; A empresa contratada para realizar manutenção preventiva e corretiva dos equipamentos de Lavanderia e Nutrição está realizando uma revisão geral com troca de peças com defeitos a meses, esta revisão garantirá mais eficiência e menos riscos de acidentes de trabalho para Lavanderia e Nutrição; Neste mês ocorreram algumas paralisações da Caldeira devido a falta de gás butano, fornecido pela Liquigás, nos meses anteriores conseguimos manter os sistema funcionando devido a muita negociação do escritório e da Diretoria do HGPP; O tratamento da água da caldeira continua sendo realizado pela GHS, este tratamento é vital para prolongamento da vida útil da caldeira; Os contratos que seguem em andamento no escritório são: GHS, Pro S€rviços, T€c C€nt€r € Inform€d; Neste mês ocorreu a segunda reunião da CIPA, participei como presidente, foram discutidos os casos de acidentes, os problemas financeiros que causam enormes dificuldades na aquisição de peças para os equipamentos que oferecem riscos, e principalmente a implantação de uma Ata com Plano de Ação, pois os membros da CIPA do HGPP precisam ser mais ativos e cobrados conforme ações definidas nas reuniões; Neste mês o Lafaete Teixeira assumirá a presidência da CIPA do HGPP; Página | 35

No Transporte tivemos a transferência em definitivo da responsabilidade de abastecimentos dos veículos para SESAU; Na Engenharia Clínica encerrou suas atividades no HGPP em 10/06/12 encaminhado relatório de atividades, entrega das chaves das salas sob sua responsabilidade e relatórios de controles de Manutenção e Saídas de Equipamentos para Diretoria do HGPP.dados e distribuídos pela EC para UTI do HGPP. Abaixo segue a estatística de manutenções do mês:

PID
Taxa de internações ou reinternações hospitalares (TIR) Número de Internações no mês de Junho Número de altas no mês de Junho Número de Reinternação – Pacientes que voltaram a receber assistência do HGPP Número de óbitos em domicilio Número de pacientes que abandonaram o programa Número de usuários em atendimento domiciliar no momento Número de vagas no PID no momento Número de pacientes que recusaram o PID Total de pacientes atendidos pelo PID até o momento (nº de internações) 01 00 19 01 00 96 12 07 02

Internações e Reinternações ocorridas no período de 01 a 30 de Junho de 2012 no PID
2 Internações no PID no mês de Junho

Reinternações no HGP

12

4.1– Indicadores de resultado do total de 12 internações, referente ao mês de Junho de 2012.

Página | 36

Taxa de altas do programa por recuperação (TAR) Número de alta por recuperação Número de pacientes que voltaram para o HGPP Número de usuários em atendimento domiciliar 04 02 20

Alta do PID no período de 01 a 30 de Junho de 2012

0 1 4

Nº de Altas por recuperação Nº de Altas/Mês

Nº de Pacientes que abandonaram o PID 7 Nº de óbitos em Domicilio

4.2 -

Indicadores de resultado da taxa de alta por recuperação no mês de Junho.

Internação domiciliar por área de abrangência (TAD) Abrangência do programa Número de pacientes atendidos na Região Norte Número de pacientes atendidos na Região Sul População total do município de Palmas Fonte: Censo IBGE 2010. Município de Palmas - TO 22 74 223.817

Página | 37

Internação domiciliar por área de abrangência no período de 12 de fevereiro a 30 de Junho de 2012
22

Número de pacientes atendidos na região norte 74 Número de pacientes atendiedos na região sul

.
4.3 - Indicadores de resultado de atendimento por área de abrangência no mês de Junho.

Patologias Atendidas pelo PID durate o período de 12 de Dezembro a 30 de Junho de 2012
45 40 35 30 25 20 15 10 5 0 8 22 18 12 9 3 5 7 3 1 1 1 1 41

Página | 38

PALAVRA DO DIRETOR GERAL DO HOSPITAL
Continuamos ao nosso ver passando por inúmeras dificuldades, entre elas gostaria de ressaltar novamente que não somos convidados a participar das reuniões e muito menos nas tomadas de decisões. Continuamos tendo dificuldade com atual situação financeira, com relação ao comercio local, dificultando assim a compra. Vemos uma pequena mudança de atitudes com relação a aquisição de matérias e medicamentos que nos casos que demandam urgência o Estado tem liberado e autorizado compras emergenciais, mas vale ressaltar que isto nos limita muito. Já estamos tendo casos de excesso de atestados médicos, onde o número cresceu bastante de maio para junho, e cremos que teremos um aumento gradativo mês a mês. Assim como o número de pessoas pedindo demissão. Sendo assim, nossas maiores dificuldades, são a falta de definições por parte do estado e falta do recurso financeiro.

Página | 39

2.2 HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE ARAGUAÍNA 2.2.1 METAS CONTRATUAIS

2.1 – INDICADORES DE PRODUÇÃO
2.1.1 – Nº DE LEITOS POR ESPECIALIDADE;
1.1. Leitos por Especialidade 1.1.1. Clínica Médica 1.1.2. Clínica Pediátrica 1.1.3. Clínica Cirúrgica 1.1.4. Clínica Obstétrica 1.1.5. UTI de Adultos 1.1.6. UTI Infantil 1.1.7. UTI Neonatal 1.1.8. Berçário 1.1.9. Clínica Ortopédica 1.2.10. Outros Total de Leitos Jan 59 0 82 0 19 1 0 0 28 22 211 Fev 59 0 82 0 19 1 0 0 28 22 211 Mar 59 0 88 0 19 1 0 0 28 22 217 Abr 59 0 88 0 19 1 0 0 28 22 217 Mai 59 0 88 0 19 1 0 0 28 22 217 Jun 59 0 88 0 19 1 0 0 28 22 217 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 354 0 516 0 114 6 0 0 168 132 1290

COMENTÁRIO: Em março/2012 foi realizada reforma na Quimioterapia e construídos 6 leitos novos. O que possibilitou a liberação de mais 8 leitos para cirurgia eletiva.

2.1.2 – Nº. DE INTERNAÇÕES POR ESPECIALIDADE;
1.2. Internações por Especialidade 1.2.1. Clínica Médica 1.2.2. Clínica Pediátrica 1.2.3. Clínica Cirúrgica 1.2.4. Clínica Obstétrica 1.2.5. UTI de Adultos 1.2.6. UTI Infantil 1.2.7. UTI Neonatal 1.2.8. Berçário 1.2.9. Clínica Ortopédica 1.2.10. Outros Total de Internações por especialidade Jan 398 0 236 0 67 0 0 0 137 35 873 Fev 388 0 224 0 83 0 0 0 134 69 898 Mar 421 0 283 0 78 0 0 0 139 58 979 Abr 463 1 247 0 51 0 0 0 146 65 973 Mai 424 0 245 0 87 0 0 0 159 75 990 Jun 426 0 228 0 57 0 0 0 148 56 915 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 2520 1 1463 0 423 0 0 0 863 358 5628

COMENTÁRIO: O número de Internações apresentou decréscimo, uma vez que o processo de gerenciamento de leitos realizado no HRPA foi interrompido pelos médicos após anúncio na mídia do rompimento do contrato da PróSaúde com a SESAU. .

Página | 40

2.1.3 – Nº. DE SAÍDOS POR ESPECIALIDADE
1.3. Nº. de saídos por especialidade 1.3.1. Clínica Médica 1.3.2. Clínica Pediátrica 1.3.3. Clínica Cirúrgica 1.3.4. Clínica Obstétrica 1.3.5. UTI de Adultos 1.3.6. UTI Infantil 1.3.7. UTI Neonatal 1.3.8. Berçário 1.3.9. Clínica Ortopédica 1.3.10. Outros Total de Internações por especialidade Jan 336 0 234 0 70 0 0 0 128 63 831 Fev 376 0 278 0 84 0 0 0 108 50 Mar 454 0 307 0 81 0 0 0 121 51 Abr 487 0 230 0 60 0 0 0 131 65 973 Mai 416 0 323 0 62 0 0 0 127 50 978 Jun 393 0 255 0 45 0 0 0 154 58 905 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 2462 0 1627 0 402 0 0 0 769 337 5597

896 1014

COMENTÁRIO: Pela primeira vez o HRPA não atingiu a meta contratual de número de saídos, reflexo da posição assumida pelos médicos após anuncio da rescisão contratual entre a Pró-Saúde e SESAU.

2.1.4 – PERCENTUAL DE OCUPAÇÃO POR CLÍNICA;
1.4. Porcentagem de Ocupação 1.4.1. Clínica Médica 1.4.2. Clínica Pediátrica 1.4.3. Clínica Cirúrgica 1.4.4. Clínica Obstétrica 1.4.5. UTI de Adultos 1.4.6. UTI Infantil 1.4.7. UTI Neonatal 1.4.8. Outros (Berçário) 1.4.9. Clínica Ortopédica 1.4.10. Outros Porcentagem Geral de Ocupação Jan 76% 0% 94% 0% 92% 0% 0% 0% 64% 66% Fev 80% 0% 98% 0% 89% 0% 0% 0% 99% 79% Mar 81% 0% 95% 0% 81% 0% 0% 0% 93% 92% Abr 83% 0% 97% 0% 93% 0% 0% 0% 97% 91% Mai 82% 0% 96% 0% 93% 0% 0% 0% 97% 94% Jun 79% 0% 91% 0% 86% 0% 0% 0% 92% 89% Jul 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Ago 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Set 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Out 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Nov 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Dez 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% TOTAL 480% 0% 571% 0% 534% 0% 0% 0% 543% 511%

COMENTÁRIO: Com o não cumprimento do gerenciamento de leitos pelos colaboradores do HRPA, conforme mencionado acima, já houve diminuição nas taxas de ocupação do Hospital. Nos próximos meses poderá ocorrer aumento nas taxas de ocupação mediante aumento na média de permanência dos pacientes internados.

Página | 41

2.1.5 – MÉDIA DE PERMANÊNCIA;
1.5. Média de Perm anência 1.5.1. Clínica Médica 1.5.2. Clínica Pediátrica 1.5.3. Clínica Cirúrgica 1.5.4. Clínica Obstétrica 1.5.5. UTI de Adultos 1.5.6. UTI Infantil 1.5.7. Uti Neonatal 1.5.8. Outros 1.5.9. Clínica Ortopédica 1.5.10. Outros Média Geral de Permanência Jan 4,97 0 9,61 0 4,07 0 0 0 4,19 8,16 6,32 Fev 4,35 0 7,9 0 3,07 0 0 0 7,19 11,4 6,07 Mar 3,91 0 7,36 0 3,1 0 0 0 6,46 13,9 6,94 Abr 4,23 0 7.40 0 4,01 0 0 0 7,1 12,4 7,01 Mai 5,32 0 8,3 0 4,03 0 0 0 7,3 12,9 7,53 Jun 6,43 0 9,98 0 5,03 0 0 0 9,01 14,5 9,24 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 29,21 0 43,15 0 23,31 0 0 0 41,25 73,32

COMENTÁRIO: Com o não cumprimento do gerenciamento de leitos pelos colaboradores do HRPA houve aumento na média de permanência dos pacientes.

2.1.6 – VOLUME CIRURGICO
2.1.6.1 – Nº de Cirurgias de Urgência; 2.1.6.2 – Nº de Cirurgias eletivas;
1.6. Volum e Cirúrgico 1.6.1. Cirurgias de Urgência 1.6.2. Cirurgias Eletivas Média Geral de Cirurgias Jan 258 187 445 Fev 246 183 429 Mar 251 191 442 Abr 268 184 452 Mai 268 196 464 Jun 256 175 431 Jul 0 0 0 Ago 0 0 0 Set 0 0 0 Out 0 0 0 Nov 0 0 0 Dez 0 0 0 TOTAL 1547 1116 2663

COMENTÁRIO: Este ano de 2012 junho apresentou o menor número de cirurgias realizadas, reflexo do não cumprimento pelos servidores dos processos internos que haviam sido implantados recentemente, após anúncio da rescisão do contrato entre a Pró-Saúde e SESAU.
2.1.6.3 – Nº DE CIRURGIAS POR PORTE;

1.6.3. Núm ero de Cirurgias por Porte 1.6.3.1. Cirurgias Grandes 1.6.3.2. Cirurgias Médias 1.6.3.3. Cirurgias Pequenas 1.6.3.4. Curetagens 1.6.3.5. Cesáreas Média Geral de Cirurgias por Porte

Jan 169 165 111 0 0 445

Fev 185 127 117 0 0 429

Mar 181 165 96 0 0 442

Abr 180 169 103 0 0 452

Mai 185 173 106 0 0 464

Jun 173 151 107 0 0 431

Jul 0 0 0 0 0 0

Ago 0 0 0 0 0 0

Set 0 0 0 0 0 0

Out 0 0 0 0 0 0

Nov 0 0 0 0 0 0

Dez 0 0 0 0 0 0

TOTAL 1073 950 640 0 0 2663

COMENTÁRIO: Desde fev/12 o número de cirurgias vinha aumentando todos os meses. A meta era ultrapassarmos as 600 cirurgias/mês até o final do ano. Após anúncio da rescisão do contrato entre a Pró-Saúde e SESAU e da postura tomada por algumas especialidades médicas, principalmente a Cirurgia Geral que protocolou ofício na Direção do HRPA anunciando mudança de postura, em junho tivemos a primeira redução no volume cirúrgico. Página | 42

2.1.6.4 – Nº. DE PARTOS POR TIPO
1.6.3. Núm ero de Partos 1.6.3.1. Normal 1.6.3.2. Cesáreas 1.6.3.3. Outros Média Geral de Partos Jan 0 0 0 0 Fev 0 0 0 0 Mar 0 0 0 0 Abr 0 0 0 0 Mai 0 0 0 0 Jun 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 TOTAL 0 0 0 0

2.1.7 – SADT’S

1.7. SADT 1.7.1. Laboratório Clínico 1.7.2. Anatomia Patológica 1.7.3. Radiologia 1.7.4. Eletrocardiografia 1.7.5. Fisioterapia (Sessões) 1.7.6. Hemodiálise(Sessões) 1.7.7. Hemodinâmica 1.7.8. Hemoterapia 1.7.9. Endoscopia 1.7.10. Ultrassonografia 1.7.11 Tomografia Computadorizada 1.7.12 Ressonancia Magnética 1.7.13 Mamografia 1.7.14 Citopatologia 1.7.15 Eletroencefalografia 1.7.16 Teste do Pézinho 1.7.17 Diversos 1.7.18 Teste Ergométrico 1.7.19 Outros (Eco, Fono, Psicologia) Total

Jan

Fev

Mar

Abr

Mai

Jun

Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

TOTAL 154618 3831 30670 7252 15773 255 0 0 211 2038 7441 672 2311 1187 0 0 0 0 11152 237411

25801 23826 28676 27000 26459 22856 461 3441 1152 2657 41 0 0 71 250 957 119 435 187 0 0 0 0 1913 968 3199 1091 2886 44 0 0 79 353 1157 108 368 208 0 0 0 0 1653 1094 6041 1350 2800 54 0 0 6 362 1066 130 379 205 0 0 0 0 1993 239 6065 1182 2942 39 0 0 22 354 1356 131 347 239 0 0 0 0 2021 147 5961 1284 2834 44 0 0 24 399 1514 90 469 147 0 0 0 0 2007 922 5963 1193 1654 33 0 0 9 320 1391 94 313 201 0 0 0 0 1565

37485 35940 44156 41937 41379 36514

COMENTÁRIO: Houve uma diminuição de 13% em relação aos últimos 3 meses de 2012, reflexo do não cumprimento pelos servidores dos processos internos que haviam sido implantados recentemente, após anúncio da rescisão do contrato entre a Pró-Saúde e SESAU.

Página | 43

2.1.8 – AMB ULATÓRIO
1.8. Ambulatório 1.8.1. Consultas 1.8.2. Consultas com Procedimentos 1.8.3. Procedimentos 1.8.4. Procedimentos Cirúrgicos Total Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 TOTAL 11695 0 0 0 11695

1713 1544 2177 1728 2748 1785 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

1713 1544 2177 1728 2748 1785

COMENTÁRIO: Como é de conhecimento do Núcleo Gestor, a capacidade de geração de consultas do Ambulatório é muito superiora à média realizada mensalmente. Aguardávamos a publicação de portaria regulando os parâmetros de produção cirúrgica e consultas X hora trabalhada, a qual não ocorreu. Ainda assim, através do diálogo com médicos do HRPA em junho atingimos o pico de produção do ano, após anúncio da rescisão do contrato entre a Pró-Saúde e SESAU nota-se um sensível retrocesso.

2.1.9 – ATENDIMENTOS DE URGÊNCIA/EMERGÊNCIA
1.9. Urgência/Emergência 1.9.1. Consultas 1.9.2. Consultas com Procedimentos 1.9.3. Procedimentos 1.9.4. Procedimentos Cirúrgicos Total Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 TOTAL 15466 0 0 0 30396

4879 4708 5343 5244 5708 4514 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

4879 4708 5343 5244 5708 4514

COMENTÁRIO: Diminuição expressiva é reflexo do não cumprimento dos processo de gestão de leitos e organização das rotinas do P.S. Houve uma redução de 25% em relação ao mês anterior.
2.1.10 – NEP
NÚMERO DE PARTICIPANTES 42 18 29 23 19 16 37

CURSO ASPIRAÇÃO DE VIAS AEREAS SUPERIORES E TRAQUEOTOMIA ASPIRAÇÃO DE VIAS AEREAS SUPERIORES E TRAQUEOTOMIA ASPIRAÇÃO DE VIAS AEREAS SUPERIORES E TRAQUEOTOMIA ASPIRAÇÃO DE VIAS AEREAS SUPERIORES E TRAQUEOTOMIA ASPIRAÇÃO DE VIAS AEREAS SUPERIORES E TRAQUEOTOMIA ASPIRAÇÃO DE VIAS AEREAS SUPERIORES E TRAQUEOTOMIA COLSAT

CARGA HORÁRIA 03:00:00 01:00:00 03:00:00 03:00:00 03:00:00 03:00:00 05:00:00

TOTAL DE HORAS/HOMEM 126:00:00 18:00:00 87:00:00 69:00:00 57:00:00 48:00:00 185:00:00

TOTAL DE HORAS NÚMERO TOTAL DE COLABORADORES DO HOSPITAL HORAS/HOMEM

590:00:00 142 4:09:18

Página | 44

HORAS DE TREINAMENTO
240:00:00 192:00:00 144:00:00 96:00:00 48:00:00 0:00:00 JAN FEV MAR ABR MAI CARGA HORÁRIA TOTAL

DADOS QUALITATIVOS

|As ações de capacitação do Hospital Regional Público de Araguaina, no mês de Junho apresentou um número de horas inferior em relação o mês anterior. Para este mês, ainda teremos ações de capacitação.

Página | 45

2.1.11 – RECURSOS HUMANOS
1.11. Recursos Humanos
Sesau

Janeiro
P ró 3º T o tal Sesau

Fevereiro
P ró 3º T o tal Sesau

Março
P ró 3º T o tal Sesau

Abril
P ró 3º T o tal

1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total

308 668 25 0 231 1232

160 81 20 180 15 456

0 0 54 0 0

468 749 99 180 246

305 665 25 0 229

160 82 20 219 16 497

0 0 54 0 0

465 747 99 219 245

330 667 54 0 231

166 81 22 222 16 507

0 0 54 0 0

496 748 130 222 247

330 667 54 0 231

167 79 23 226 22 517

0 0 54 0 0

497 746 131 226 253

54 1742 1224

54 1775 1282

54 1843 1282

54 1853

1.11. Recursos Humanos
S e s a u P ró

Maio

Junho
T o t a l S e s a u P ró 3º

Julho
T o t a l S e s a u P ró 3º

Agosto
T o t a l S e s a u P ró 3º T o tal

1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total

327 663 25 11 219 1245

169 71 25 227 22 514

0 0 54 0 0

496 734 104 238 241

327 664 25 11 219

169 70 25 227 22 513

0 0 35 0 0

496 734 85 238 241

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

54 1813 1246

35 1794

1.11. Recursos Humanos 1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total 0 0 0 0 0 0

Setem bro
S e s a u P ró 3º

Outubro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Novem bro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Dezem bro
T o t a l S e s a u P ró 3º T o tal

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

2.1.12 – LOGÍSTIC A
1.13. Estoque
1 3.1 Esto que em dias de co nsumo - M at/med 30 dias .1 .

Jan 0,0 0,0

Fev 0,0 0,0

Mar 0,0 0,0

Abr 80,0 80,0

Mai 85,0 85,0

Jun 50,0 50,0

Jul 0,0 0,0

Ago 0,0 0,0

Set 0,0 0,0

Out 0,0 0,0

Nov 0,0 0,0

Dez 0,0 0,0

TOTAL 215,0 215,0

Total

2.1.13 – CORPO CLÍNICO

Como o diretor geral recentemente nomeado pela SESAU Dr. Celso Cintra não aceitou o cargo, e o anterior Alberto Gomes havia sido transferido para Augustinópolis, tecnicamente, o HRPA ficou sem Direção. Assim, a fim de minimizar o dano e por orientação do Núcleo Gestor, informalmente, o Sr. Edson Primo, Página | 46

Diretor Geral da Pró-Saúde, vem assumindo tal função respondendo pela solução de problemas do diaa-dia e transferindo à SESAU a responsabilidade por decisões mais importantes. Acontece que, além da insegurança jurídica das ações desempenhadas pelo Sr. Edson Primo, principalmente após ser amplamente divulgada na mídia a rescisão do contrato entre a Pró-Saúde e SESAU, a sua autoridade do Sr. Edson é contestada por aqueles que não têm interesse nas mudanças e gera insatisfação naqueles que aprovavam as mudanças implantadas. É urgente a necessidade da SESAU nomear outro DG, sob pena de haver maior retrocesso do que o já identificado. Além disto, há pendências nas especialidades de Cirurgia Plástica e Urologia, dentre outras. Todos os plantões são realizados de acordo com a Portaria SESAU n° 132/2010, mas a falta de um DG nomeado pela SESAU poderá comprometer isto também.

2.2 - SAU
1. Registros de Opinião
Ocorrências Reclamações Sugestões Elogios Total de Questionários Queixas resolvidas Meta Contratual Meta Realizada Abril 2012 16 1 2 19 16 80% 100%

O SAU (Serviço de Atendimento ao Usuário) atende as necessidades do usuário através das queixas: reclamações, sugestões e elogios buscando a melhoria no atendimento ao cidadão que se encontra em dificuldades de acesso aos seus direitos e necessidades, acolhendo e cobrando as reivindicações dos usuários visando a satisfação e bem estar do ser humano. Com esse intuito, das 16 reclamações registradas pelo SAU, 100% foram solucionadas em tempo hábil juntamente com a direção e setores responsáveis.

Página | 47

Hospital Regional Público de Araguaína
100 80 60 40 20 0 -20 AMBULATORIO (%) 92,54 63,77 74,1 -19,93% INTERNAÇÃO (%) 81,76 70,07 68,67 -16,01% PRONTO SOCORRO (%) 59,27 53,63 62,56 5,55% 74,1 68,67 62,56

60,33

SADT (%) 70,62 71,2 60,33 -15,27%

Abril/2012 Maio/2012 Jun/2012 Evolução do Período

2.3 – GERENCIAMENTO DE PROCESSOS Elaboração de protocolos junto à coordenação do Pronto Socorro e unidades de internação;
Realizado visitas diárias nas unidades assistenciais; Realizado reunião semanal com as coordenações dos setores para adequações nas unidades; Analise de servidores e resolução de problemas relacionados à assistência a pacientes; Criado instrumentos assistenciais para consulta de enfermagem e anotação e ainda estoque mínimo; Inclusão das pastas de Documentos no Interact - Módulo Gestão de Documentos; Padronização do Protocolo de EMTN; Instrução de trabalho de SHL; Revisão do cronograma de SHL; Revisão cronograma de inventário do SPR; Participação do curso da CIPA; Acompanhamento da manobra troca dos tanques da White Martins; Treinamento gerenciamento de Processos; Acompanhamento do TCE.

2.4 – IMPLANTAÇÃO DE NOVOS SERVIÇOS Sem serviços implantados no mês de JUNHO de 2012.

Página | 48

2.5 – FATURAMENTO
5. Faturamento Jan 5.1 - AIH 883 Fev 875 1.869.469 Mar 967 2.098.764 Abr 950 2.115.303 Mai 1092 2.338.481 Jun 0 0,0 Jul 0 0,0 Ago 0 0,0 Set 0 0,0 Out 0 0,0 Nov 0 0,0 Dez 0 0,0 TOTAL 4767 10.338.198

5.2 - Valores 1.916.181

2.6 – OBRAS
Não foram realizadas obras no mês de JUNHO de 2012.

2.7 – EQUIPAMENTOS NOVOS
Não Houve aquisição de Equipamentos no mês de JUNHO de 2012.

2.8 – OUTRAS INFORMAÇÕES
Desde 18/06/2012 o Hospital Regional Público de Araguaína, não tem Diretor Geral nomeado pelo Estado.

PALAVRA DO DIRETOR GERAL DO HOSPITAL
Após o anúncio da rescisão contratual pela SESAU, o Hospital Regional Público de Araguaína tem apresentado queda de produtividade e qualidade nos resultados, motivados pela ausência de Diretor geral nomeado pelo Estado e pela limitação de ações imposta para os Diretores da PróSaúde. Recebemos notificação dos senhores médicos informando que não mais cumpririam as ações aplicadas pela Pró Saúde que notadamente rederam bons frutos para a população tocantinense, como aumento de leitos, de cirurgias, de internações, além de aperfeiçoamento de alguns processos de trabalho. Temos observado ainda que a indecisão ou a falta de direção do Hospital Regional Público de Araguaína, devido em enfraquecimento da Gestão da atual Direção da PróSaúde, amplamente difundida e afirmada nos meios de comunicação fez com que as ações e atitudes ora tomadas sejam de forma amadora, sem coerência, sem conversa e erroneamente, por diversas pessoas presentes no HRPA, respaldadas pela SESAU ou Governo do Estado, o que prejudica muito o processa já conturbado e incerto. Observamos ainda que tal cenário nos levou a uma queda acentuada nos atendimentos de Ambulatório e Emergências, pela primeira vez o HRPA não atingiu a meta mensal de saídos, diminuímos consideravelmente a quantidade e a qualidades dos treinamentos internos do NEP. Página | 49

Tudo isso tem reflexo direto nos índices de satisfação apontados nas pesquisas realizadas no período de incertezas que o HRPA enfrenta, mostrando o aumento da insatisfação onde antes estávamos em ascendência a curva da satisfação. Aguardamos uma decisão imediata da SESAU no que diz respeito à nomeação do Diretor Geral para que os processos sejam capitaneados por alguém competente e disposto a atender os anseios da população e do Hospital referência no Estado.

2.3 HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE GURUPI 2.3.1 METAS CONTRATUAIS

3.1 – INDICADORES DE PRODUÇÃO

3.1.1 – Nº DE LEITOS POR ESPECIALIDADE;
1.1. Leitos por Es pecialidade 1.1.1. Clínica Médica 1.1.2. Clínica Pediátrica 1.1.3. Clínica Cirúrgica 1.1.4. Clínica Obstétrica 1.1.5. UTI de Adultos 1.1.6. UTI Infantil 1.1.7. UTI Neonatal 1.1.8. Berçário 1.1.9. Clínica Ortopédica 1.2.10. Outros Total de Leitos Jan 32 27 29 22 9 0 0 6 0 0 125 Fev 30 27 27 22 19 0 0 6 0 0 131 Mar 30 27 27 22 19 0 0 6 0 0 131 Abr 30 27 27 22 19 0 0 6 0 0 131 Mai 30 27 27 22 19 0 0 6 0 0 131 Jun 30 27 27 22 19 0 0 6 0 0 131 TOTAL 182 162 164 132 104 0 0 36 0 0 780

Após a abertura dos leitos de UTI em janeiro/2012, o hospital aumentou de 125 leitos para 131 leitos ativos.

Página | 50

3.1.2 – Nº. DE INTERNAÇÕES POR ESPECIALIDADE;

1.2. Internações por Especialidade 1.2.1. Clínica Médica 1.2.2. Clínica Pediátrica 1.2.3. Clínica Cirúrgica 1.2.4. Clínica Obstétrica 1.2.5. UTI de Adultos 1.2.6. UTI Inf antil 1.2.7. UTI Neonatal 1.2.8. Berçário 1.2.9. Clínica Ortopédica 1.2.10. Outros Total de Internações por especialidade

Jan 138 43 72 249 12 0 0 14 89 13 630

Fev 148 61 126 226 42 0 0 5 76 11 695

Mar 153 78 173 299 46 0 0 10 85 20 864

Abr 93 89 132 276 35 0 0 8 85 18 736

Mai 96 58 144 272 41 0 0 11 79 20 721

Jun 52 56 67 217 39 0 0 4 78 12 525

TOTAL 680 385 714 1539 215 0 0 52 492 94 4171

Demos continuidade aos trabalhos em Janeiro de 2012, quando fechamos as internações em 630 e no mês Fevereiro fechamos as internações em 695. No mês de Março foram 864 internações e, no mês de abril/2012 fechamos com 736 internações, e para o mês de maio/2012, foram realizados 721 internações. Entretanto, com a suspensão das cirurgias eletivas tivemos uma diminuição de 27,18% do número de internações, ficando para o mês de junho/2012, o total de 525 internações.
3.1.3 – Nº. DE S AÍDOS POR ESPECIALIDADE

1.3. Nº. de saídos por especialidade 1.3.1. Clínica Médica 1.3.2. Clínica Pediátrica 1.3.3. Clínica Cirúrgica 1.3.4. Clínica Obstétrica 1.3.5. UTI de Adultos 1.3.6. UTI Infantil 1.3.7. UTI Neonatal 1.3.8. Berçário 1.3.9. Clínica Ortopédica 1.3.10. Outros Total de saídos por especialidade

Jan 129 52 69 251 9 0 0 11 83 13 617

Fev 160 55 121 233 37 0 0 8 80 10 704

Mar 142 79 160 307 33 0 0 8 84 18 831

Abr 112 113 220 270 26 0 0 7 0 0 748

Mai 126 59 226 260 36 0 0 6 0 21 734

Jun 76 54 134 222 16 0 0 5 0 14 521

TOTAL 745 412 930 1543 157 0 0 45 247 76 4155

O Hospital Regional Público de Gurupi conta com 131 leitos. Trata-se de um hospital de Porte III, que tem como meta quantitativa 856 pacientes saídos a partir do mês de maio/2012.

Página | 51

Observa-se que em Janeiro de 2012, foram registrados 617 pacientes saídos, o que representa 83% da meta contratual. Em fevereiro de 2012 foram registrados 704 pacientes saídos, o que representa 95% da meta contratual. Em Março de 2012, foram registrados 831 pacientes saídos, o que representa 112% da meta contratual. Em abril de 2012, foram registrados 748 pacientes saídos, o que representa 101% da meta contratual. Em maio/2012, foram registrados 734 pacientes saídos, o que representa 99% da meta contratual. Contudo, devido a suspensão das cirurgias eletivas no mês de junho/2012, tivemos uma diminuição de 29,01% no número de pacientes saídos em relação ao mês de maio/2012, ficando comprometida a nossa meta contratual em 39,14% a menor. Fechando assim, com 521 pacientes saídos no mês de junho/2012.
3.1.4 – PERCENTUAL DE OCUPAÇ ÃO POR C LÍNICA;

1.4. Porcentage m de Ocupação 1.4.1. Clínica Médica 1.4.2. Clínica Pediátrica 1.4.3. Clínica Cirúrgica 1.4.4. Clínica Obstétrica 1.4.5. UTI de Adultos 1.4.6. UTI Inf antil 1.4.7. UTI Neonatal 1.4.8. Outros (Berçário) 1.4.9. Clínica Ortopédica 1.4.10. Outros Porcentagem Geral de Ocupação

Jan

Fev

Mar

Abr

Mai

Jun

TOTAL 510% 235% 445% 463% 435% 0% 0% 182% 0% 0%

82,76% 79,77% 91,51% 94,89% 91,29% 69,89% 29,27% 33,21% 44,65% 56,67% 35,67% 35,88% 64,52% 72,69% 82,80% 84,20% 82,80% 57,78% 70,97% 72,80% 84,88% 86,67% 81,85% 65,83% 93,91% 69,51% 79,29% 67,31% 76,57% 48,77% 0,00% 0,00% 0,00% 0,00% 0,00% 0,00% 0,00% 0,00% 0,00% 0,00% 0,00% 0,00%

55,38% 24,71% 17,20% 29,44% 33,33% 22,22% 0,00% 0,00% 0,00% 0,00% 0,00% 0,00% 0,00% 0,00% 0,00% 0,00% 0,00% 0,00%

64,15% 65,13% 75,19% 69,86% 66,91% 50,06%

Podemos observar que, a porcentagem geral de ocupação do HRPG tem aumentado a cada mês. Com isso, verificamos que estamos aproveitando mais a capacidade instalada da unidade. Entretanto, devido a suspensão das cirurgias eletivas tivemos um diminuição de 25,20% na porcentagem geral de ocupação no mês de junho/2012.

Página | 52

3.1.5 – MÉDIA DE PERMANÊNCIA;
1.5. Média de Perm anência 1.5.1. Clínica Médica 1.5.2. Clínica Pediátrica 1.5.3. Clínica Cirúrgica 1.5.4. Clínica Obstétrica 1.5.5. UTI de Adultos 1.5.6. UTI Infantil 1.5.7. Uti Neonatal 1.5.8. Outros 1.5.9. Clínica Ortopédica 1.5.10. Outros (Patológico) Média Geral de Permanência Jan 6,36 4,71 6,09 1,58 6,89 0 0 0 0 9,36 Fev 4,39 3,33 4,36 1,64 5,55 0 0 0 0 6,14 Mar 5,99 3,33 4,33 1,37 7,08 0 0 0 0 4 Abr 8,13 2,51 5,54 1,66 6,86 0 0 0 0 3,31 Mai 6,74 3,19 3,54 1,56 6,35 0 0 0 0 3,65 Jun 8,28 3,39 6,24 1,42 6,62 0 0 0 0 2,67 TOTAL 39,89 20,46 30,1 9,23 39,35 0 0 0 0 29,13

Após iniciarmos nosso trabalho de gerenciamento de leitos, podemos observar que a média geral de permanência não está passando de 3,5 diárias por clínica. Entretanto, continuamos o trabalho de gerenciar leitos mesmo com a suspensão das cirurgias eletivas.
3.1.6 – VOLUME CIRURGICO
1.6. Volum e Cirúrgico 1.6.1. Cirurgias de Urgência 1.6.2. Cirurgias Eletivas Média Geral de Cirurgias Jan 106 89 195 Fev 103 124 227 Mar 135 195 330 Abr 97 177 274 Mai 153 193 346 Jun 138 93 231 TOTAL 732 871 1603

Estamos trabalhando a cada mês para melhorar o número do volume cirúrgico, com a busca e parceria com as Secretarias Municipais dos municípios circunvizinhos que somos referência. Porém, tivemos uma redução de 51,80% devido a suspensão das cirurgias eletivas.
3.1.6.3 – Nº DE CIRURGIAS POR PORTE;
1.6.3. Núm ero de Cirurgias por Porte 1.6.3.1. Cirurgias Grandes 1.6.3.2. Cirurgias Médias 1.6.3.3. Cirurgias Pequenas 1.6.3.4. Curetagens 1.6.3.5. Cesáreas Média Geral de Cirurgias por Porte Jan 67 82 46 19 66 280 Fev 50 112 65 17 60 304 Mar 105 142 83 19 73 422 Abr 75 136 63 10 60 344 Mai 69 111 74 17 75 346 Jun 38 82 43 11 57 231 TOTAL 404 665 374 93 391 1927

Podemos observar que no mês de maio, tivemos uma redução no número de cirurgias de médio e grande porte em relação ao mês de abril. Mas mesmo com a redução, fechamos o mês de maio/2012 com aumento em relação ao mês anterior. O que significa que continuamos a realizar as cirurgias eletivas das demandas reprimidas dos municípios. Página | 53

Ressaltamos que, em junho/2012 tivemos uma redução de 33,23% em relação a maio/2012 devido a suspensão das cirurgias eletivas.
3.1.6.4 – Nº. DE PARTOS POR TIPO
1.6.4. Núm ero de partos por tipo 1.6.4.1. Normal 1.6.4.2. Cesariana 1.6.3.3. Outros Média Geral de Cirurgias por Porte Jan 89 66 0 155 Fev 83 60 0 143 Mar 116 73 0 189 Abr 91 60 0 151 Mai 97 75 0 172 Jun 54 57 0 111 TOTAL 530 391 0 921

3.1.7 – SADT’S
1.7. SADT 1.7.1. Laboratório Clínico 1.7.2. Anatomia Patológica 1.7.3. Radiologia 1.7.4. Eletrocardiografia 1.7.5. Fisioterapia (Sessões) 1.7.6. Hemodiálise(Sessões) 1.7.7. Hemodinâmica 1.7.8. Hemoterapia 1.7.9. Endoscopia 1.7.10. Ultrassonografia 1.7.11 Tomografia Computadorizada 1.7.12 Ressonancia Magnética 1.7.13 Mamografia 1.7.14 Citopatologia 1.7.15 Eletroencefalografia 1.7.16 Teste do Pézinho 1.7.17 Diversos 1.7.18 Teste Ergométrico Total Jan 6796 87 2315 81 1747 0 0 0 15 134 33 0 150 0 0 0 21 0 Fev 7224 217 2374 71 1702 0 0 0 22 170 70 0 155 0 0 0 18 0 Mar 9053 150 3503 97 2186 0 0 0 27 184 90 0 134 0 0 0 26 0 Abr 8.197 154 3038 140 1954 0 0 0 25 186 72 0 162 0 0 0 20 0 Mai Jun TOTAL 45724 761 17340 717 10744 0 0 0 121 1017 401 0 777 0 0 0 126 0 77728 9446 5008 153 0

3527 2583 244 84

1728 1427 0 0 0 21 168 72 0 176 0 0 0 25 0 0 0 0 11 175 64 0 0 0 0 0 16 0

11379 12023 15450

13948 15560 9368

Observamos que, tivemos uma redução de março/2012 para abril/2012, mas no mês de maio/2012 houve aumento novamente e ficamos acima da média mensal. Entretanto, devido a suspensão das cirurgias eletivas no mês de junho/2012, tivemos uma redução de 39,79%.

Página | 54

3.1.8 – AMB ULATÓRIO
1.8. Ambulatório 1.8.1. Consultas 1.8.2. Consultas com Procedimentos 1.8.3. Procedimentos 1.8.4. Procedimentos Cirúrgicos Total Jan 374 0 0 0 374 Fev 518 0 0 0 518 Mar 688 0 0 0 688 Abr 653 0 0 0 653 Mai 821 0 0 0 821 Jun 590 0 0 0 590 TOTAL 3644 0 0 0 3644

Com a suspensão das cirurgias eletivas, tivemos uma redução de 28,13% nas consultas ambulatoriais como pode ser observado.

3.1.9 – ATENDIMENTOS DE URGÊNCIA/EMERGÊNCIA
1.9. Urgência/Emergência 1.9.1. Consultas 1.9.2. Consultas com Procedimentos 1.9.3. Procedimentos 1.9.4. Procedimentos Cirúrgicos Total Jan Fev Mar Abr Mai Jun TOTAL 23703 0 292 0 23995

3610 3614 4688 4032 4227 3532 0 55 0 0 27 0 0 54 0 0 52 0 0 53 0 0 51 0

3665 3641 4742 4084 4280 3583

Internação X Atendimentos

A comparação entre internação e atendimentos: em Janeiro de 2012 realizamos 3.665 atendimentos e destes, obtivemos 630 internações. No mês de Fevereiro de 2012 realizamos 3.641 atendimentos e destes, obtivemos 695 internações. Já no mês de Março de 2012 realizamos 4.742 atendimentos e destes, obtivemos 864 internações. Já no mês de Abril, realizamos 4.084 atendimentos e destes, obtivemos 736 internações. Já no mês de Maio, realizamos 4.280 atendimentos e destes, obtivemos 721 internações. Já no mês de junho, realizamos 3.583 atendimentos e destes, obtivemos 525 internações.

Página | 55

3.1.10 – RECURSOS HUMANOS
1.10. Recursos Humanos 1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total 100 380 20 2 68 570 Janeiro
S e s a u P ró 3º

Fevereiro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Março
T o t a l S e s a u P ró 3º T o t a l S e s a u P ró

Abril
3º T o tal

26 73 20 84 2 205

0 0 0 0 0 0

126 453 40 86 70 775

124 354 15 3 68 564

40 81 20 110 3 254

0 0 0 0 0 0

164 435 35 113 71 818

124 351 15 3 68 561

40 81 20 110 3 254

0 0 0 0 0 0

164 432 35 113 71 815

123 350 15 3 70 561

40 81 20 120 3 264

0 0 0 0 0 0

163 431 35 123 73 825

1.10. Recursos Humanos
S e s a u P ró

Maio

Junho
T o t a l S e s a u P ró 3º

Julho
T o t a l S e s a u P ró 3º

Agosto
T o t a l S e s a u P ró 3º T o tal

1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total

109 352 27 2 70 560

87 73 5 98 3 266

0 0 0 0 0 0

196 425 32 100 73 826

109 352 27 2 69 559

84 72 4 98 3 261

0 0 0 0 0 0

193 424 31 100 72 820

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

1.10. Recursos Humanos 1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total 0 0 0 0 0 0

Setem bro
S e s a u P ró 3º

Outubro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Novem bro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Dezem bro
T o t a l S e s a u P ró 3º T o tal

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

3.1.11 – NEP

Neste mês de junho/2012, o Núcleo de Educação Permanente – NEP promoveu várias capacitações, visando qualificar ainda mais a equipe multiprofissional que atua no HRPG, porém serão computadas as horas de treinamento apenas no mês de julho/2012.

Página | 56

3.1.12 – LOGÍSTIC A

1.13. Estoque
1 3.1 Esto que em dias de co nsumo - M at/med 30 dias .1 .

Jan 0,0 0,0

Fev

Mar

Abr

Mai

Jun

TOTAL 295,0 295,0

38,0 52,0 77,0 69,0 59,0 38,0 52,0 77,0 69,0 59,0

Total

Podemos verificar que estamos abastecendo o HRPG no que tange a MAT/MED regularmente e temos estoques suficientes para realizarmos os atendimentos aos usuários. 3.1.13 – CORPO CLÍNICO

O funcionamento clínico do hospital se manteve satisfatório neste mês, os pacientes internados tiveram atendimento medico, farmacológico e assistência de enfermagem. Estamos em conversações com os médicos para o cumprimento da escala de plantão de corpo presente e o retorno das cirurgias eletivas que estão suspensas pela equipe de cirurgiões.

3.2 - SAU

1. Registros de Opinião
Período: 01/06/2012 a 30/06/2012.
Ocorrências Reclamações Sugestões Elogios Total de Questionários Queixas resolvidas Meta Contratual Meta Realizada Junho 2012 11 01 04 16 09 80% 81,82%

Neste período tivemos uma totalidade de 16 usuários manifestando reclamação, sugestão ou elogio. Das 11 reclamações 9 foram solucionadas atingindo a média de 81,82% e ultrapassando a meta contratual que é 80%, 1 paciente fez uma sugestão e 04 elogiaram o atendimento. O SAU está empenhado em diagnosticar todos os tipos de reclama-

Página | 57

ções e solucioná-las para que o cliente não fique com nenhum prejuízo no atendimento recebido.

2. Índices de Satisfação

No mês atual devido alguns contratempos houve uma queda quanto a evolução do gráfico. Julga-se que o motivo tenha sido em virtude de uma paralisação dos cirugiões, faltou material no centro círúrgico, material de limpeza, houve também modificação no cardápio oferecido aos pacientes.

Página | 58

3.3 – GERENCIAMENTO DE PROCESS OS

Capacitações

Método Canguru

No mês de junho, foi realizada uma capacitação aos profissionais da enfermagem que atuam na pediatria, obstetrícia e UIUnidade Intermediária de Cuidados Neonatais do HRPG. O projeto é aplicado no hospital desde 2009 e esta capacitação visa a ampliar os conhecimentos dos profissionais para que possam atender com qualidade técnica dando o suporte necessário ao bebê nesta fase. O Ministério da Saúde determina a realização deste método, sendo que nenhuma unidade que tenha uma maternidade, uma UI, ou UTI neonatal funcione sem ter este modelo de atenção ao recém-nascido de baixo peso.

Capacitação Sobre Lesões na Pele A equipe de enfermagem do HRPG participou do Seminário de Atualização em Prevenção e Tratamento de Lesões na Pele, ministrado pelos enfermeiros Deyvyson Fonseca e Kátia Cristina Costa que participaram desta capacitação no HGPP – Hospital Geral Público de Palmas. O Seminário teve duração de dois dias e foram abordados temas, como: anatomia e fisiologia da pele, nutrição e cicatrização, avaliação de feridas, intervenções da enfermagem em casos de ostomia/estomia, dermatite associada à incontinência, prevenção e tratamento de úlcera por pressão e tipos de cobertura no tratamento de feridas.

Página | 59

Curso de Libras O Hospital Regional Público de Gurupi promoveu, no dia 28/06, a palestra sobre Libras - Língua Brasileira de Sinais para servidores de diversos setores da unidade, em especial, aos que atuam no atendimento ao público. A palestra foi ministrada pelo servidor Dídimo dos Santos, que passou um pouco do seu conhecimento sobre a língua aos colegas. Segundo ele, as Libras é o alfabeto em sinais utilizado para comunicar com o surdo por isso é importante entender os parâmetros da língua, como a configuração das mãos, que é a forma como as mãos são posicionadas; locação, movimento, orientação/direcionalidade e a expressão facial. Banco de Leite Humano

Com objetivo de arrecadar frascos para o banco de leite do HRPG- Hospital Regional de Gurupi que será implantado nos próximos dias, as enfermeiras Gisela Guadalupe e Mika Osawa, estão visitando as unidades básicas de saúde, conversando com enfermeiros, técnicos de enfermagem e agentes de saúde para sensibilizá-los para a arrecadação de frascos. A enfermeira Gisela Guadalupe esclareceu que durante as visitas está explicando sobre a abertura do banco de leite, as funções e benefícios e está orientando sobre o recolhimento de frascos de vidro com tampa de plástico como os de maionese e nescafé. De acordo com Guadalupe o leite materno recolhido passará por uma série de processos como avaliação e classificação do leite, pasteurização e avaliação microbiológica, garantindo dessa forma, a qualidade do leite.

Página | 60

Retomada do Projeto Boquinha do Bebê

O projeto é realizado pela odontopediatra, Rise Rank, que de segunda a sexta-feira, juntamente com a técnica de enfermagem, Amparo dos Prazeres, passa em todos os leitos realizando a demonstração de como limpar corretamente a boca dos recémnascidos. Os bebês que são de Gurupi são inscritos no programa e referenciados para os postos de saúde onde receberão acompanhamento até os 5 anos de idade.

Eleição para o Colsat No mês de junho foi realizada a eleição para a composição do Colsat – Comissão Local de Saúde do Trabalhador no Hospital Regional Público de Gurupi, onde 12 servidores se candidataram para concorrer ao cargo. A apuração dos votos aconteceu no dia 28 de junho. Ao todo foram computados 529 votos, dos quais, 07 foram considerados nulos e 09 em branco. A Colsat tem o objetivo de identificar os aspectos que determinam o processo saúde-adoecimento e promover ações de prevenção de acidentes e melhoria da qualidade de vida dos trabalhadores desta Unidade de Saúde. Após a apuração chegou-se ao seguinte resultado:
EFETIVOS Tânia Regina Cassoli Marília Pantoja Soares Justina N. Barros Silva Elen Alves de Sousa Gilvan Milhomem Santos Eliene Rodrigues Pereira VOTOS 143 101 52 33 32 31 SUPENTES Marcineide Maria Veli da Silva Sheylla pereira nascimento Regiane C.M. dos Santos Teixeira Mª Antonia Darozo Bandeira Anica C. dos Cantos Teixeira Vanderlene Ferreira de Oliveira VOTOS 28 26 25 16 14 12

Página | 61

3.4 – FATURAMENTO

4. Faturamento 4.1 - AIH (Quantitativo) 4.2 - Valores (em reais)

Jan 652 478.280,67

Fev 684

Mar 836

Abr 753

Mai 740

Jun TOTAL 0 3.665 2.777.400,85

493.835,65 591.885,21

569.082,88 644.316,44 0,0

3.5 – OBRAS E IMPLANTAÇÃO DE NOVOS S ERVIÇOS Realizamos o projeto para implantação nos próximos meses do Banco de Leite Humano e Reforma/Ampliação para instalação de 02 Autoclaves. 3.6 – EQUIPAMENTOS NOVOS Foram adquirida 04 camas de madeira para os repousos da UTI nova e 30 camas para leitos. 3.7 – COMISSÕES

O Hospital Regional Público de Gurupi, de acordo com legislação pertinente que determina a implantação e o funcionamento de comissões responsáveis pela padronização dos processos internos e pela qualidade e segurança dos serviços prestados aos nossos clientes, dispõe assim notificar junto aos demais as diversas comissões existente na Unidade Hospitalar, conforme abaixo:

Página | 62

Comissão de Controle de Infecção Hospitalar – CCIH – ata abaixo:

Página | 63

Página | 64

MEMORANDO EXPLICATIVO DAS OUTRAS COMISSÕES

Página | 65

Página | 66

PALAVRA DO DIRETOR GERAL DO HOSPITAL

Hospital Regional Público de Gurupi possui 131 leitos, dos quais 19 são leitos de UTI adulto um benefício histórico para a Região SUL do Estado do TO, pela criação de mais 10 leitos em janeiro deste ano a direção e todos os funcionários do hospital parabeniza o Governo do Estado do TO.

A Administração do Hospital possui um bom relacionamento com a população, com o Corpo Clínico do Hospital, com todos os funcionários e com os prestadores de serviços.

No mês de junho estamos alavancando com vários projetos como implantação do banco de Leite Humano, instalação de 02 novas autoclaves e climatização do Pronto Socorro Adulto, como vários outros projetos sempre buscando a qualidade de atendimento aos usuários.

A diretoria do hospital está trabalhando junto ao serviço de qualidade e humanização, conscientizando para que todos os funcionários dediquem um atendimento de qualidade para os nossos usuários.

Concluímos, que no dia 17 de maio de 2012, a SESAU informou que não mais será necessário os serviços prestados pela OS, sendo assim estamos passando por um período de transição seguindo orientações de nossa Diretoria e da SESAU.

Página | 67

2.4 HOSPITAL E MATERNIDADE PÚBLICA DONA REGINA 2.4.1 METAS CONTRATUAIS

4.1 – INDICADORES DE PRODUÇÃO

4.1.1 – Nº DE LEITOS POR ESPECIALIDADE;
1.1. Leitos por Especialidade 1.1.1. Clínica Médica 1.1.2. Clínica Pediátrica 1.1.3. Clínica Cirúrgica 1.1.4. Clínica Obstétrica 1.1.5. UTI de Adultos 1.1.6. UTI Infantil 1.1.7. UTI Neonatal 1.1.8. Berçário 1.1.9. Clínica Ortopédica 1.2.10. Outros Total de Leitos Jan 0 0 0 58 0 0 35 6 0 20 119 Fev 0 0 0 58 0 0 20 21 0 20 119 Mar 0 0 0 58 0 0 20 21 0 20 119 Abr 0 0 0 58 0 0 20 21 0 20 119 Mai 0 0 0 58 0 0 20 21 0 20 119 Jun 0 0 0 58 0 0 20 21 0 20 119 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 0 0 0 348 0 0 135 111 0 120 714

4.1.2 – Nº. DE INTERNAÇÕES POR ESPECIALIDADE;
1.2. Internações por Especialidade 1.2.1. Clínica Médica 1.2.2. Clínica Pediátrica 1.2.3. Clínica Cirúrgica 1.2.4. Clínica Obstétrica 1.2.5. UTI de Adultos 1.2.6. UTI Infantil 1.2.7. UTI Neonatal 1.2.8. Berçário 1.2.9. Clínica Ortopédica 1.2.10. Outros Total de Internações por especialidade Jan 0 0 0 679 0 0 30 6 0 131 846 Fev 0 0 0 385 0 0 17 200 0 209 811 Mar 0 0 0 526 0 0 26 246 0 125 923 Abr 0 0 0 527 0 0 37 207 0 124 895 Mai 0 0 0 500 0 0 39 150 0 107 796 Jun 0 0 0 494 0 0 37 116 0 108 755 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 0 0 0 3111 0 0 186 925 0 804 5026

COMENTÁRIO:observa-se uma redução da procura ratificada pela queda no volume de partos realziados neste mês.

Página | 68

4.1.3 – Nº. DE SAÍDOS POR ESPECIALIDADE
1.3. Nº. de saídos por especialidade 1.3.1. Clínica Médica 1.3.2. Clínica Pediátrica 1.3.3. Clínica Cirúrgica 1.3.4. Clínica Obstétrica 1.3.5. UTI de Adultos 1.3.6. UTI Infantil 1.3.7. UTI Neonatal 1.3.8. Berçário 1.3.9. Clínica Ortopédica 1.3.10. Outros Total de saídos por especialidade Jan 0 0 0 653 0 0 19 5 0 127 804 Fev 0 0 0 597 0 0 24 38 0 171 830 Mar 0 0 0 493 0 0 21 250 0 161 925 Abr 0 0 0 480 0 0 7 233 0 182 902 Mai 0 0 0 445 0 0 11 187 0 161 804 Jun 0 0 0 452 0 0 10 173 0 159 794 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 0 0 0 3120 0 0 92 886 0 961 5059

COMENTÁRIO: mantém a proporção histórica em relação ao volume de internações, visto que temos trabalhado intensamente para manter a média de permanência histórica e adequada para as clínicas.

4.1.4 – PERCENTUAL DE OCUPAÇÃO POR CLÍNICA;
1.4.1. Clínica Médica 1.4.2. Clínica Pediátrica 1.4.3. Clínica Cirúrgica 1.4.4. Clínica Obstétrica 1.4.5. UTI de Adultos 1.4.6. UTI Infantil 1.4.7. UTI Neonatal 1.4.8. Outros (Berçário) 1.4.9. Clínica Ortopédica 1.4.10. Outros Porcentagem Geral de Ocupação 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 617% 0% 0% 570% 581% 0% 579% 296%

83% 101% 110% 113% 107% 103% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 92% 0% 0% 80% 0% 0% 94% 91% 0% 98% 0% 0% 84% 91% 0% 92% 96%

105% 114%

94% 102% 103% 100% 0% 0% 0% 0%

66% 109% 102% 112%

87% 105% 104% 105% 101%

Página | 69

4.1.5 – MÉDIA DE PERMANÊNCIA;
1.5. Média de Perm anência 1.5.1. Clínica Médica 1.5.2. Clínica Pediátrica 1.5.3. Clínica Cirúrgica 1.5.4. Clínica Obstétrica 1.5.5. UTI de Adultos 1.5.6. UTI Infantil 1.5.7. Uti Neonatal 1.5.8. Berçário 1.5.9. Clínica Ortopédica 1.5.10. Outros Média Geral de Permanência Jan 0 0 0 2,31 0 0 39,5 29,2 0 2,91 3,93 Fev 0 0 0 4,31 0 0 33,1 2,9 0 3,29 4,4 Mar 0 0 0 4,02 0 0 28,5 2,67 0 3,9 4,16 Abr 0 0 0 4,11 0 0 68,9 2,7 0 3,68 4,16 Mai 0 0 0 4,31 0 0 53,2 3,18 0 3,78 4,61 Jun 0 0 0 3,97 0 0 50,5 3,31 0 3,48 4,31 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 0 0 0 23,03 0 0 273,54 43,93 0 21,04 12,49

COMENTÁRIO: mantém-se a média histórica sem alterações significativas, se considerarmos a desproporcionalidade de leitos entre UTI e UI, o que reduz o giro de leitos naquelas unidades.

4.1.6 – VOLUME CIRURGICO
1.6. Volum e Cirúrgico 1.6.1. Cirurgias de Urgência 1.6.2. Cirurgias Eletivas Média Geral de Cirurgias Jan 254 12 266 Fev 251 26 277 Mar 242 65 307 Abr 275 30 305 Mai 238 39 277 Jun 266 26 292 Jul 0 0 0 Ago 0 0 0 Set 0 0 0 Out 0 0 0 Nov 0 0 0 Dez 0 0 0 TOTAL 1526 198 1724

4.1.6.3 – Nº DE CIRURGIAS POR PORTE
1.6.3. Núm ero de Cirurgias por Porte 1.6.3.1. Cirurgias Grandes 1.6.3.2. Cirurgias Médias 1.6.3.3. Cirurgias Pequenas 1.6.3.4. Curetagens 1.6.3.5. Cesáreas Média Geral de Cirurgias por Porte Jan 15 4 16 42 189 266 Fev 19 4 23 64 167 277 Mar 40 10 24 38 195 307 Abr 27 15 15 52 196 305 Mai 36 11 14 40 176 277 Jun 22 2 20 55 193 292 Jul 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 TOTAL 159 46 112 291 1116 1724

4.1.6.4 – Nº. DE PARTOS POR TIPO
1.6.4. Núm ero de partos por tipo 1.6.4.1. Normal 1.6.4.2. Cesariana 1.6.3.3. Outros Jan 184 189 0 Fev 189 167 0 Mar 251 195 0 Abr 251 196 0 Mai 224 176 0 Jun 209 193 0 Jul 0 0 0 Ago 0 0 0 Set 0 0 0 Out 0 0 0 Nov 0 0 0 Dez 0 0 0 TOTAL 1308 1116 0

Página | 70

4.1.7 – SADT’S
1.7.1. Laboratório Clínico 1.7.2. Anatomia Patológica 1.7.3. Radiologia 1.7.4. Eletrocardiografia 1.7.5. Fisioterapia (Sessões) 1.7.6. Hemodiálise(Sessões) 1.7.7. Hemodinâmica 1.7.8. Hemoterapia 1.7.9. Endoscopia 1.7.10. Ultrassonografia 1.7.11 Tomografia Computadorizada 1.7.12 Ressonancia Magnética 1.7.13 Mamografia 1.7.14 Citopatologia 1.7.15 Eletroencefalografia 1.7.16 Teste do Pézinho 1.7.17 Diversos 1.7.18 Teste Ergométrico Total 9.043 158 468 48 3.787 0 0 145 0 795 0 0 0 0 0 58 10.509 0 0 0 68 8.123 0 8.919 10.124 111 497 23 3.945 0 0 171 0 755 0 0 108 485 20 3.371 0 0 164 0 865 0 0 0 0 0 50 9.301 0 9.305 9.862 73 399 33 78 593 50 9.291 61 480 14 3082 0 0 127 0 818 0 0 0 0 0 59 11.256 0 25188 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 56544 589 2922 188 20333 0 0 791 0 5025 0 0 0 0 0 365 56661 0 143418

2.747 3.401 0 0 77 0 845 0 0 0 0 0 71 0 0 107 0 947 0 0 0 0 0 59

8.511 8.961 0 0

25011 22612 24488

22061 24058

COMENTÁRIO: o item 1.7.17 Diversos é composto pelo Teste da Orelhinha, Ecocardiografia, Fonoaudiologia, Psicologia, Cardiotoco,
Teste do Olhinho)

4.1.8 – AMB ULATÓRIO
1.8. Ambulatório 1.8.1. Consultas 1.8.2. Consultas com Procedimentos 1.8.3. Procedimentos 1.8.4. Procedimentos Cirúrgicos Total Jan 823 0 0 0 823 Fev 834 0 0 0 834 Mar 878 0 0 0 878 Abr 764 0 0 0 764 Mai 648 0 0 0 648 Jun 554 0 0 0 554 Jul 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 TOTAL 4501 0 0 0 4501

4.1.9 – ATENDIMENTOS DE URGÊNCIA/EMERGÊNCIA
1.9. Urgência/Emergência 1.9.1. Consultas 1.9.2. Consultas com Procedimentos 1.9.3. Procedimentos 1.9.4. Procedimentos Cirúrgicos Total Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 TOTAL 10542 0 0 0 10542

1.703 1.579 1.897 1.811 1.865 1687 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

1703 1579 1897 1811 1865 1687

Página | 71

4.1.10 – RECURSOS HUMANOS
1.10. Recursos Humanos 1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total 81 337 116 11 103 648 Janeiro
S e s a u P ró 3º

Fevereiro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Março
T o t a l S e s a u P ró 3º T o t a l S e s a u P ró

Abril
3º T o tal

36 51 15 108 5 215

0 0 15 4 0 19

117 388 146 123 108 882

61 339 110 5 93 608

41 50 19 97 5 212

0 0 15 0 0 15

102 389 144 102 98 835

60 339 110 5 93 607

50 56 15 108 6 235

0 0 15 0 0 15

110 395 140 113 99 857

60 339 107 5 93 604

50 49 14 108 6 227

0 0 15 0 0 15

110 388 136 113 99 846

1.10. Recursos Humanos
S e s a u P ró

Maio

Junho
T o t a l S e s a u P ró 3º

Julho
T o t a l S e s a u P ró 3º

Agosto
T o t a l S e s a u P ró 3º T o tal

1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total

55 345 113 5 93 611

54 49 14 108 6 231

0 0 15 0 0 15

109 394 142 113 99 857

53 347 108 5 92 605

53 49 14 108 6 230

0 0 15 0 0 15

106 396 137 113 98 850

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

1.10. Recursos Humanos 1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total 0 0 0 0 0 0

Setem bro
S e s a u P ró 3º

Outubro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Novem bro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Dezem bro
T o t a l S e s a u P ró 3º T o tal

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

4.1.11 – NEP

CURSO

NÚMERO DE PARTICIPANTES

CARGA HORÁRIA

TOTAL DE HORAS

INTEGRAÇÃO DOS ESTUDANTES DE ENFERMAGEM-UFT MULTIPLICAÇÃO DE PRICIPIOS BASICOS DE ATENDIMENTO DE EMERGENCIA
TOTAL

21 26 47
26:00:00 885 00:03:33

02:00:00 08:00:00 10:00:00

2:00:00 24:00:00 26:00:00

TOTAL DE HORAS NÚMERO TOTAL DE COLABORADORES DO HOSPITAL HORAS/HOMEM

Página | 72

HORAS DE TREINAMENTO
00:00 00:00 00:00 00:00 00:00 00:00 00:00 FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ

As ações de capacitação do Hospital e Maternidade Pública Dona Regina Siqueira Campos, no mês de junho apresentou uma baixa no número de horas, e uma baixa no numero de servidores em relação ao mês anterior. Neste mês totalizamos 26:00 horas com a participação de 47 servidores/colaboradores,tendo uma baixa em relação ao mês de mail, sendo que no mês de mail atingimos 00:54:47 em número de horas por colaboradores.

4.1.12 – LOGÍSTIC A

1.13. Estoque
1 3.1 Esto que em dias de co nsumo - M at/med 30 dias .1 .

Jan 48,0 48,0

Fev 64,0 64,0

Mar 48,0 48,0

Abr 60,0 60,0

Mai 51,0 51,0

Jun 41,0 41,0

Jul 0,0 0,0

Ago 0,0 0,0

Se t 0,0 0,0

Out 0,0 0,0

Nov 0,0 0,0

De z 0,0 0,0

TOTAL 312,0 312,0

Total

4.1.13 – CORPO CLÍNICO

Sem ocorrências.

4.2 - SAU 1. Registros de Opinião Mês de Junho Ocorrências
Reclamações Sugestões Elogios

Janeiro 2012 10 0 0 Página | 73

Total de Questionários Queixas resolvidas Meta Contratual Meta Realizada

10 10 80% 100%

Observa-se que no mês de Junho teve um aumento no numero de formulários preenchidos pelos usuários do Hospital, o que é muito bom para que se possa levar ao conhecimento da direção as reclamações dos usuários, no que diz respeito aos elogios e sugestões não tivemos nenhum formulário preenchido. Um fator importante a se observar é que todas as queixas foram resolvidas, o paciente teve uma resposta para seu questionamento se sentindo assim valorizado e respeitado. 2.Analise do Gráfico

Hospital e Maternidade Pública Dona Regina
100 80 60 40 20 0 -20 AMBULATORIO (%) 81,36 72,14 92,36 13,52% PRONTO SOCORRO (%) 84,64 84,99 81,63 -3,56% 92,36 88,36 81,63 86,02

INTERNAÇÃO (%) 66,41 24,03 88,36 33,05%

SADT (%) 77,12 90,93 86,02 11,54%

Abril/2012 Maio/2012 Junho/2012 Evolução do Período

Como mostra o gráfico acima o número de pessoas pesquisadas pelo SAU teve um crescimento considerável em relação ao mês de Maio, já na Internação o aumento de pessoas atendidas pelo SAU foi bem maior, mostrando assim o resultado positivo de instrução de trabalho. O Pronto Socorro e o SADT mantiveram seus índices, ou seja, não tiveram uma grande alteração no número de pessoas atendidas pelo SAU. Página | 74

4.3 – GERENCIAMENTO DE PROCESSOS Na primeira semana de junho recebemos a visita da consultoria de logística para dimensionamento, controle e informações de estoque para a transição; Nas demais semanas o objetivo foi manter um estoque mínimo, a fim de que o hospital não ficasse desabastecido.

4.4 – FATURAMENTO
4.1 - AIH (Quantitativo) 4.2 - Valores (em reais) 1055 1020 1017 1015 903 964 0 0,0 0 0 0 0 0 5974 5629873,5

790.828,8 760.331,0 1.218.893,8

1.075.878,3 918.068,9 865.872,8

0,0 0,0 0,0 0,0 0,0

4.6 – OBRAS E IMPLANTAÇÃO DE NOVOS SERVIÇOS Sem ocorrências. 4.7 – EQUIPAMENTOS NOVOS Sem ocorrências. 4.8 – COMISSÕES As 05 comissões obrigatórias cumpriram o cronograma de reuniões (mínimo 01 reunião mensal ordinária),
bem como o cronograma de atividades: a) Comissão de Farmácia e Terapêutica: reuniu-se no dia 06 de junho. Em a reunião teve como objetivo discutir a elaboração do Manual dos Medicamentos Padronizados; b) Comissão de Ética Médica: reuni-se ordinariamente no dia 13 de junho, conforme Declaração em anexo, firmada pela Presidente da Comissão, Drα Daniela C. Kaesemodel Nicolak; c) Comissão de Investigação e Revisão de Óbitos: reuniu-se ordinariamente nos dias 30 de maio e 13 de junho. No mês de junho a Câmara Técnica apresentou ao Comitê de Investigação e Revisão de Óbitos a conclusão das investigações realizadas no mês de maio. Neste período foram realizadas 14 investigações de óbitos ocorridos entre os meses de fevereiro/12 e abril/12, sendo: 08 infantis e 06 fetais. Atas das reuniões e relatórios das análises dos óbitos em anexo; d) Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH): reuniu-se ordinariamente no dia 12 de junho. Foi discutido o resultado do monitoramento e avaliação dos processos relacionados a administração das dietas aos RNs internados na UTIN e UI – Banco de Leite Humano, assim como o resultado das inspeções setoriais na Central de Material Esterilizado e Centro Cirúrgico, e demais deman-

Página | 75

das a serem aplicadas nas rotinas diárias. Foi elaborado relatório dentro dos termos definidos no Anexo II do Contrato de Gestão. Ata e Relatório de Atividades em anexo; e) Comissão de Revisão de Prontuários: reuniu-se ordinariamente no dia 16 de maio. Ata e relatório e atividades em anexo.

4.9 – OUTRAS INFORMAÇÕES 4.9.1. ASSISTÊNCIA AO PACIENTE
Roda de Conversa com Apoiadora do Ministério da Saúde: com o objetivo de receber a nova apoiadora temática, Érika Dittz, a EMH apresentou o hospital e organizou uma roda de conversa com os gestores do HMPDR para discussão de temas relevantes ao processo de transição da administração do hospital.

Reunião da Comissão de Avaliação e monitoramento do ACCR: tem o objetivo de monitorar a implantação do ACCR e corrigir as falhas que aparecem neste processo. Em junho foi realizada a elaboração de uma nova instrução de trabalho para agendamento de consultas ambulatoriais, planejamento de rodas de conversa da porta de entrada e planejamento de reunião com Regulação do Estado.

Página | 76

4.9.2. INTERAÇÃO COM OS COLABORADORES DO HMPDR Festa Junina em comemoração ao aniversário de 13 anos do Hospital e Maternidade Pública Dona Regina;

4.9.3. INTERAÇÃO COM A COMUNIDADE Projeto de Vinculação das Gestantes
Este projeto foi elaborado pelo Comitê do Parto Humanizado e a Equipe Matricial de Humanização com o objetivo de fortalecer os cuidados às mulheres no ciclo gravídico-puerperal, prestando a elas um cuidado integralizado, humanizado e acolhedor. Neste mês foi realizada a etapa de visita guiada no hospital com gestantes e acompanhantes, rodas de conversas sobre preparação para o parto e normas e rotinas hospitalares, totalizando 12 gestantes e acompanhantes.

Página | 77

PALAVRA DO DIRETOR GERAL DO HOSPITAL
Junho não foi um mês muito diferenciado do anterior. Os problemas relatados persistiram em decorrência do cancelamento do contrato. A maior dificuldade enfrentada no mês descrito foi a falta de abastecimento de gêneros alimentícios, em virtude da falta de pagamento dos fornecedores, assim como materiais e medicamentos. Todas as adversidades têm sido contornadas devido ao empenho e mobilização de toda equipe envolvida no Projeto de Gestão.

2.5 HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE PARAÍSO

5.1 – INDICADORES DE PRODUÇÃO
5.1.1 – Nº DE LEITOS POR ESPECIALIDADE
1.1. Leitos por Especialidade 1.1.1. Clínica Médica 1.1.2. Clínica Pediátrica 1.1.3. Clínica Cirúrgica 1.1.4. Clínica Obstétrica 1.1.5. UTI de Adultos 1.1.6. UTI Infantil 1.1.7. UTI Neonatal 1.1.8. Berçário 1.1.9. Clínica Ortopédica 1.2.10. Outros Total de Leitos Jan 15 24 22 8 0 0 0 3 0 0 72 Fe v 15 24 22 8 0 0 0 3 0 0 72 Mar 15 24 22 8 0 0 0 3 0 0 72 Abr 15 24 22 8 0 0 0 3 0 0 72 Mai 15 25 22 8 0 0 0 2 0 0 72 Jun 15 25 22 8 0 0 0 2 0 0 72 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 90 146 132 48 0 0 0 16 0 0 432

Número de Leitos sem alteração.

Página | 78

5.1.2 – Nº. DE INTERNAÇÕES POR ESPECIALIDADE
1.2. Internações por Especialidade 1.2.1. Clínica Médica 1.2.2. Clínica Pediátrica 1.2.3. Clínica Cirúrgica 1.2.4. Clínica Obstétrica 1.2.5. UTI de Adultos 1.2.6. UTI Inf antil 1.2.7. UTI Neonatal 1.2.8. Berçário 1.2.9. Clínica Ortopédica 1.2.10. Outros Total de Internações por especialidade Jan 98 47 173 114 0 0 0 5 0 0 437 Fev 117 88 139 93 0 0 0 1 0 0 438 Mar 121 100 155 132 0 0 0 1 0 0 509 Abr 113 89 189 135 0 0 0 0 0 0 526 Mai 94 77 187 133 0 0 0 0 0 0 491 Jun 85 69 191 141 0 0 0 0 0 0 486 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 628 470 1034 748 0 0 0 7 0 0 2887

O quadro de internações evidencia uma diminuição de 1,02% em relação ao mês anterior. A clinica médica continua com número de internações baixa e caindo, por falta de plantonistas em vários dias.

5.1.3 – Nº. DE SAÍDOS POR ESPECIALIDADE
1.3. Nº. de saídos por es pecialidade 1.3.1. Clínica Médica 1.3.2. Clínica Pediátrica 1.3.3. Clínica Cirúrgica 1.3.4. Clínica Obstétrica 1.3.5. UTI de Adultos 1.3.6. UTI Infantil 1.3.7. UTI Neonatal 1.3.8. Berçário 1.3.9. Clínica Ortopédica 1.3.10. Outros Total de saídos por especialidade Jan 143 47 159 80 0 0 0 1 0 0 430 Fev 127 78 128 92 0 0 0 0 0 0 425 Mar 147 103 136 121 0 0 0 0 0 0 507 Abr 129 85 170 126 0 0 0 1 0 0 511 Mai 124 80 159 140 0 0 0 0 0 0 503 Jun 109 67 162 161 0 0 0 0 0 0 499 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 779 460 914 720 0 0 0 2 0 0 2875

A meta de produção total de saídos para o 3º quadrimestre é de 2.356, sendo que mensalmente é de 589. Neste mês atingimos a produção de 499 saídos, representando 84,71% da meta. Principais fatores que contribuíram para a meta de produção não realizada: • • Escala médica incompleta como a falta de médico clínico, ortopedista, pediatra, obstetra, auxilio cirúrgico, auxilio obstétrico, auxilio ortopédico; Médicos que não cumprem a carga horária.

Página | 79

5.1.4 – PERCENTUAL DE OCUPAÇÃO POR CLÍNICA
1.4. Porcentagem de Ocupação 1.4.1. Clínica Médica 1.4.2. Clínica Pediátrica 1.4.3. Clínica Cirúrgica 1.4.4. Clínica Obstétrica 1.4.5. UTI de Adultos 1.4.6. UTI Infantil 1.4.7. UTI Neonatal 1.4.8. Outros (Berçário) 1.4.9. Clínica Ortopédica 1.4.10. Outros Porcentagem Geral de Ocupação 51% 54% 63% 70% 60% 59% 22% 34% 43% 42% 11% 27% Jan 76% 28% 67% 63% Fev 66% 50% 58% 63% Mar Abr Mai 68% 49% 73% Jun 60% 40% 68% Jul Ago Set Out Nov Dez TOTAL 449% 266% 391% 502% 0% 0% 0% 179% 0% 0%

77% 102% 51% 62% 82% 48% 62% 95%

98% 101%

A taxa de ocupação geral do Hospital manteve-se estável mas com queda na clinica médica, pediatria e cirurgia. A diminuição na clínica médica se deve ao fato da falta de plantonistas. Fica evidente a baixa ocupação dos leitos disponíveis na pediatria e a necessidade de ofertá-los a outras clínicas conforme necessidade e também a falta de leitos de obstetrícia que passaram dos 100% de ocupação.

5.1.5 – MÉDIA DE PERMANÊNCIA;
1.5. Média de Perm anência 1.5.1. Clínica Médica 1.5.2. Clínica Pediátrica 1.5.3. Clínica Cirúrgica 1.5.4. Clínica Obstétrica 1.5.5. UTI de Adultos 1.5.6. UTI Infantil 1.5.7. Uti Neonatal 1.5.8. Outros 1.5.9. Clínica Ortopédica 1.5.10. Outros Média Geral de Permanência 2,76 2,8 2,74 3,12 3,04 2,82 2 3,8 Jan 2,46 4,47 2,89 1,96 Fev 2,24 4,47 2,89 1,58 Mar 2,44 3,69 3,13 1,68 Abr 3,57 4,04 2,39 1,82 Mai 2,56 4,71 3,15 1,74 Jun 2,49 4,48 2,78 1,51 Jul Ago Set Out Nov Dez TOTAL 15,7637 25,8571 17,2339 10,2837 0 0 0 5,8 0 0

Média de permanência baixa, com algumas oscilações, por ser um hospital de médio porte, com baixa e média complexidade.

5.1.6 – VOLUME CIRURGICO
1.6. Volum e Cirúrgico 1.6.1. Cirurgias de Urgência 1.6.2. Cirurgias Eletivas Média Geral de Cirurgias Jan 166 48 214 Fev 130 38 168 Mar 148 63 211 Abr 166 69 235 Mai 179 77 256 Jun 180 74 254 Jul 0 0 0 Ago 0 0 0 Set 0 0 0 Out 0 0 0 Nov 0 0 0 Dez 0 0 0 TOTAL 969 369 1338

O volume cirúrgico ficou praticamente estável neste mês. Página | 80

5.1.6.3 – Nº DE CIRURGIAS POR PORTE
1.6.3. Núm ero de Cirurgias por Porte 1.6.3.1. Cirurgias Grandes 1.6.3.2. Cirurgias Médias 1.6.3.3. Cirurgias Pequenas 1.6.3.4. Curetagens 1.6.3.5. Cesáreas Média Geral de Cirurgias por Porte Jan 23 78 61 7 45 214 Fev 31 57 40 14 26 168 Mar 33 61 40 17 60 211 Abr 50 73 51 9 52 235 Mai 55 99 38 10 54 256 Jun 43 82 64 17 48 254 Jul 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 TOTAL 235 450 294 74 285 1338

Hospital de média e baixa complexidade concentra quase 58% das suas cirurgias em médias e pequenas. Aumento de 68% nas cirurgias pequenas, principalmente cirurgias de ortopedia.
5.1.6.4 – Nº. DE PARTOS POR TIPO
1.6.4. Núm ero de partos por tipo 1.6.4.1. Normal 1.6.4.2. Cesariana 1.6.3.3. Outros Média Geral de Cirurgias por Porte Jan 51 45 0 96 Fev 53 26 0 79 Mar 56 60 0 116 Abr 70 52 0 122 Mai 52 54 0 106 Jun 58 48 0 106 Jul 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 TOTAL 340 285 0 625

O número de partos ficaram estáveis neste mês, com aumento de 7,4% nos partos normais, evidenciando o trabalho realizado com as práticas do parto humanizado.

Página | 81

5.1.7 – SADT’S
1.7. SADT 1.7.1. Laboratório Clínico 1.7.2. Anatomia Patológica 1.7.3. Radiologia 1.7.4. Eletrocardiografia 1.7.5. Fisioterapia (Sessões) 1.7.6. Hemodiálise(Sessões) 1.7.7. Hemodinâmica 1.7.8. Hemoterapia 1.7.9. Endoscopia 1.7.10. Ultrassonografia 1.7.11 Tomografia Computadorizada 1.7.12 Ressonancia Magnética 1.7.13 Mamografia 1.7.14 Citopatologia 1.7.15 Eletroencefalografia 1.7.16 Teste do Pézinho 1.7.17 Diversos 1.7.18 Teste Ergométrico Total Jan 7630 0 1628 167 321 0 0 43 0 367 0 0 0 0 0 55 446 0 10657 Fev Mar Abr Mai Jun Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 26496 0 11275 1389 1927 0 0 271 0 2521 57 26 0 0 0 358 3224 0 47544

4514 4492 4701 2910 2249 0 0 0 0 0

1603 1909 2136 2099 1900 194 344 0 0 56 0 437 12 6 0 0 0 45 733 0 295 371 0 0 23 0 489 11 2 0 0 0 67 662 0 240 432 0 0 50 0 431 8 6 0 0 0 67 628 0 258 213 0 0 62 0 428 8 6 0 0 0 68 721 0 235 246 0 0 37 0 369 18 6 0 0 0 56 34 0

7944 8321 8699 6773 5150

A diminuição apresentada no Laboratório Clínico se deve ao fato de sua equipe não realizar os cadastros necessários no Sistema MV.
5.1.8 – AMB ULATÓRIO
1.8. Ambulatório 1.8.1. Consultas 1.8.2. Consultas com Procedimentos 1.8.3. Procedimentos 1.8.4. Procedimentos Cirúrgicos Total Jan 767 0 0 0 767 Fev 771 0 0 0 771 Mar 671 0 0 0 671 Abr 939 0 0 0 939 Mai Jun Jul 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 TOTAL 5105 0 0 0 5105

946 1011 0 0 0 0 0 0

946 1011

Este aumento é representado pelo número de curativos realizados pela equipe de enfermagem, que foi de 12,68%.

Página | 82

5.1.9 – ATENDIMENTOS DE URGÊNCIA/EMERGÊNCIA
1.9. Urgência/Emergência 1.9.1. Consultas 1.9.2. Consultas com Procedimentos 1.9.3. Procedimentos 1.9.4. Procedimentos Cirúrgicos Total Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 De z 0 0 0 0 0 TOTAL 24489 0 0 0 24489

4032 4126 4395 4273 4088 3575 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

4032 4126 4395 4273 4088 3575

Diminuição de 12,54% no número de atendimentos, reflexo da falta de plantonista de clinica médica e atendimento realizado somente em urgência e emergência.
5.1.10 – RECURSOS HUMANOS
1.10. Recursos Humanos 1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total 40 179 40 31 32 322 Janeiro
S e s a u P ró 3º

Fevereiro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Março
T o t a l S e s a u P ró 3º T o t a l S e s a u P ró

Abril
3º T o tal

34 8 3 55 3 103

0 0 0 0 0 0

74 187 43 86 35 425

42 183 38 31 36 330

46 8 4 55 3 116

0 0 0 0 0 0

88 191 42 86 39 446

39 191 38 32 35 335

46 8 4 55 4 117

0 0 0 0 0 0

85 199 42 87 39 452

45 194 40 32 35 346

46 8 4 55 4 117

0 0 0 0 0 0

91 202 44 87 39 463

1.10. Recursos Humanos
S e s a u P ró

Maio

Junho
T o t a l S e s a u P ró 3º

Julho
T o t a l S e s a u P ró 3º

Agosto
T o t a l S e s a u P ró 3º T o tal

1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total

58 205 42 26 36 367

38 5 7 67 4 121

0 0 0 0 0 0

96 210 49 93 40 488

60 205 42 26 38 371

38 5 7 66 4 120

0 0 0 0 0 0

98 210 49 92 42 491

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

1.10. Recursos Humanos 1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total 0 0 0 0 0 0

Setem bro
S e s a u P ró 3º

Outubro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Novem bro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Dezem bro
T o t a l S e s a u P ró 3º T o tal

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

5.1.11 – NEP
CURSO NÚMERO DE PARTICIPANTES CARGA HORÁRIA TOTAL DE HORAS

Limpeza e Desinfecção Hospitalar

11

02:00:00

22:00:00

Página | 83

Processamento de roupas e distribuição Alimentação saudável

TOTAL
TOTAL DE HORAS NÚMERO TOTAL DE COLABORADORES DO HOSPITAL HORAS/HOMEM

5 24 0 0 40
68:00:00 40 1:42:00

02:00:00 01:30:00 00:00:00 00:00:00 5:30:00

10:00:00 36:00:00 0:00:00 0:00:00 68:00:00

HORAS DE TREINAMENTO
70 60 50 40 30 20 10 0 JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ

DADOS QUALITATIVOS

As ações de capacitação do Hospital Regional Público de Paraíso neste mês apresentaram redução de 65,3% de horas de treinamentos realizados em comparação ao mês anterior, não realizamos atividades levantadas na LNT. Neste mês totalizamos 68:00 horas de treinamento com a participação de 40 servidores / colaboradores.

5.1.13 – CORPO CLÍNICO

Praticamente todo Corpo Clínico não cumpre a Portaria SESAU 132/2010. Isto influencia diretamente no cumprimento da meta de saídos e principalmente, na qualidade e no próprio atendimento, pois existem dias que não temos plantonista de certas especialidades de plantão. Neste mês ocorreram vários dias falta de plantonistas na clínica médica. Repetindo a situação do mês anterior, os prontuários médicos não estão sendo preenchidos, e quando estão, estão inelegíveis e incorretos. Isto está causando um grande transtorno e diminuição das contas faturadas. Página | 84

Outros fatores relevantes: • • • • Não existência do Diretor Técnico; Insistência dos médicos em só atender Urgência e Emergência – falta definição do perfil do hospital; Falta de comprometimento da Diretoria Clínica e de alguns médicos com as diretrizes da SESAU; Falta de escala médica que é sempre entregue com atraso, no meio do mês vigente.

5.2 - SAU
Registros de Opinião Ocorrências Reclamações Sugestões Elogios Total de Questionários Queixas resolvidas Meta Contratual Meta Realizada 02 03 01 80% 100% JUNHO 2012 01

Gráfico da Pesquisa de Satisfação

Página | 85

Hospital Regional Público de Paraíso
90,00 80,00 70,00 60,00 50,00 40,00 30,00 20,00 10,00 0,00 -10,00 81,90 70,83

AMBULATORI O (%) 84,76 80,11 81,90 -3,37%

INTERNAÇÃO (%) 81,91 75,99 -100,00%

PRONTO SOCORRO (%) 71,27 74,77 70,83 -0,62%

SADT (%) 80,95 72,65 -100,00%

Abril/2012 Maio/2012 Junho/2012 Evolução do Período

5.3 – GERENCIAMENTO DE PROCESSOS
• • • • • • Auditoria da Vigilância Sanitária; Auditoria do Tribunal de Contas do Estado; Limpeza concorrente do abrigo de resíduos; Desinfecção do necrotério; Limpeza terminal do abrigo de resíduos; Treinamento sobre Higienização das Mãos (conforme técnica correta). De acordo, com o Manual da ANVISA - Segurança do Paciente em Serviços de Saúde: limpeza e desinfecção de superfícies.

5.4 – FATURAMENTO
4. Faturamento 4.1 - AIH (Quantitativo) Jan 516 Fev 346 Mar 528 Abr 421 Mai 458 Jun 391 Jul 0 Ago 0 Set 0 Out 0 Nov 0 Dez 0 TOTAL 2660

Queda de 14,62% no número de prontuários faturados em relação ao mês anterior. Os prontuários não estão sendo preenchidos pelo corpo clínico.

Página | 86

5.6 – OBRAS E IMPLANTAÇÃO DE NOVOS SERVIÇOS
Não possuímos novas obras e serviços em andamento.

5.7 – EQUIPAMENTOS NOVOS
Não foram adquiridos equipamentos novos.

5.8 – COMISSÕES
• • • • • A Comissão de Óbito se reuniu no dia 14 de junho de 2012 onde foram analisados os óbitos deste hospital; A Comissão de Controle de Infecção Hospitalar esteve reunida no dia 13 de junho de 2012. Teve como principal assunto a visita da Vigilância Sanitária; A Comissão de Fármaco-vigilância se reuniu no dia 15 de junho de 2012 e trataram de assuntos como: entrega de receituários, padronização de medicamentos e matérias médicos; A Comissão de Prontuário Médico se reuniu no dia 15 de junho de 2012 e analisou 45 prontuários; A Comissão de Ética Médica esteve reunida no dia 14 de junho de 2012.

PALAVRA DO DIRETOR GERAL DO HOSPITAL
Neste mês de junho, observa-se principalmente a queda dos atendimentos de urgência/emergência, tanto pela falta de plantonistas, como pela prática da clínica médica em atender somente as urgências e emergências. Outro fato, que vem se repetindo todos os meses, é o não preenchimento dos prontuários, principalmente as AIH´s. Isto está atrasando todo o processo de faturamento, que também podem causar perdas.

Página | 87

2.6 HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE MIRACEMA 2.6.1 METAS CONTRATUAIS

6.1 – INDICADORES DE PRODUÇÃO

6.1.1 – Nº DE LEITOS POR ESPECIALIDADE;
1.1. Leitos por Especialidade 1.1.1. Clínica Médica 1.1.2. Clínica Pediátrica 1.1.3. Clínica Cirúrgica 1.1.4. Clínica Obstétrica 1.1.5. UTI de Adultos 1.1.6. UTI Infantil 1.1.7. UTI Neonatal 1.1.8. Berçário 1.1.9. Clínica Ortopédica 1.2.10. Outros Total de Leitos Jan 16 19 17 15 0 0 0 4 0 0 71 Fev 16 19 17 15 0 0 0 4 0 0 71 Mar 16 19 17 15 0 0 0 4 0 0 71 Abr 16 19 10 15 0 0 0 4 7 0 71 Mai 16 19 10 15 0 0 0 4 7 0 71 Jun 16 19 10 15 0 0 0 4 7 0 71 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 96 114 81 90 0 0 0 24 21 0 426

Durante o mês de junho de 2012 não ocorreram alterações quanto a distribuição dos leitos nas especialidades atendidas no Hospital, e o total de leitos também permaneceu inalterado, conforme cadastro no CNES.

6.1.2 – Nº. DE INTERNAÇÕES POR ESPECIALIDADE;
1.2. Internações por Especialidade 1.2.1. Clínica Médica 1.2.2. Clínica Pediátrica 1.2.3. Clínica Cirúrgica 1.2.4. Clínica Obstétrica 1.2.5. UTI de Adultos 1.2.6. UTI Infantil 1.2.7. UTI Neonatal 1.2.8. Berçário 1.2.9. Clínica Ortopédica 1.2.10. Outros Total de Internações por especialidade Jan 82 46 42 55 0 0 0 0 0 0 225 Fev 72 53 104 40 0 0 0 1 0 0 270 Mar 92 83 47 49 0 0 0 0 0 0 271 Abr 93 106 121 74 0 0 0 1 0 0 395 Mai 106 81 152 78 0 0 0 0 0 0 417 Jun 89 91 84 53 0 0 0 0 44 0 361 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 534 460 550 349 0 0 0 2 44 0 1939

No mês de junho de 2012 foram realizadas o total de 361 internações o que representa uma queda de 13,43% com relação ao mês de maio. Mas, em relação ao mês de junho-2011, quando ocorreram 293 internações, totalizando um acréscimo de 23,21%. Página | 88

6.1.3 – Nº. DE SAÍDOS POR ESPECIALIDADE;
1.3. Nº. de saídos por especialidade 1.3.1. Clínica Médica 1.3.2. Clínica Pediátrica 1.3.3. Clínica Cirúrgica 1.3.4. Clínica Obstétrica 1.3.5. UTI de Adultos 1.3.6. UTI Infantil 1.3.7. UTI Neonatal 1.3.8. Berçário 1.3.9. Clínica Ortopédica 1.3.10. Outros Total de Saídos por especialidade Jan 87 45 35 57 0 0 0 0 0 0 224 Fev 84 56 105 39 0 0 0 0 0 0 284 Mar 112 85 47 45 0 0 0 0 0 0 289 Abr 100 111 115 67 0 0 0 0 0 0 393 Mai 122 73 149 77 0 0 0 0 0 0 421 Jun 97 91 84 53 0 0 0 0 47 0 372 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 602 461 535 338 0 0 0 0 47 0 1983

No mês de junho de 2012 atingimos o total de 372 pacientes saídos, o que representa 83% da nossa meta para o mês que é de 450 saídos. Se compararmos com junho-2011, quando o Hospital atingiu 316 pacientes saídos, obtivemos um crescimento de 17,72%.O fato de ter ocorrido essa redução em relação ao mês de maio de 2012, se deu fundamentalmente por 03 médicos terem saído de férias e o Dr. Pedro que é cirurgião, ter se ausentado por quinze dias para participar de um congresso em São Paulo. Mas a expectativa é que durante o mês de julho tenhamos um situação normal de trabalho.

6.1.4 – PERCENTUAL DE OCUPAÇÃO POR CLÍNICA;
1.4. Porcentagem de Ocupação 1.4.1. Clínica Médica 1.4.2. Clínica Pediátrica 1.4.3. Clínica Cirúrgica 1.4.4. Clínica Obstétrica 1.4.5. UTI de Adultos 1.4.6. UTI Infantil 1.4.7. UTI Neonatal 1.4.8. Outros (Berçário) 1.4.9. Clínica Ortopédica 1.4.10. Outros Porcentagem Geral de Ocupação Jan 77% 30% 30% 14% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 36% Fev 67% 34% 51% 14% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 39% Mar 64% 48% 32% 17% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 39% Abr 76% 56% Mai 76% 41% Jun 73% 48% 70% 24% 0% 0% 0% 0% 42% 0% 49% Jul 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Ago 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Set 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Out 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Nov 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Dez 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% TOTAL 433% 257% 337% 143% 0% 0% 0% 0% 42% 0%

50% 104% 35% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 52% 38% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 51%

Continuamos com uma percentagem de ocupação mediana 49%, gerada principalmente pela desorganização do Serviço de Obstetrícia que atingiu neste mês 24% de utilização de sua capacidade instalada. E também os Serviços de Pediatria e Ortopedia, que devido a baixa demanda, atingiram percentuais baixos de ocupação 48% e 42% respectivamente.

Página | 89

6.1.5 – MÉDIA DE PERMANÊNCIA;

1.5. Média de Perm anência 1.5.1. Clínica Médica 1.5.2. Clínica Pediátrica 1.5.3. Clínica Cirúrgica 1.5.4. Clínica Obstétrica 1.5.5. UTI de Adultos 1.5.6. UTI Infantil 1.5.7. Uti Neonatal 1.5.8. Outros 1.5.9. Clínica Ortopédica 1.5.10. Outros Média Geral de Permanência

Jan 4,39 3,91 4,48 1,51 0 0 0 0 0 0 3,57

Fev 3,73 3,34 2,48 1,56 0 0 0 0 0 0 2,86

Mar 2,84 3,29 3,64 1,84 0 0 0 0 0 0 2,95

Abr 3,64 2,88 2,22 2,37 0 0 0 0 0 0 2,79

Mai 3,1 3,3 2,17 2,29 0 0 0 0 0 0 2,66

Jun 3,59 3,01 1,6 2,06 0 0 0 0 0 0 2,77

Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

TOTAL 21,29 19,73 16,59 11,63 0 0 0 0 0 0

Durante o mês de Junho ocorreu um leve aumento, 4,14% da Média de Permanência com relação ao mês de maio, devido a diminuição do número de cirurgias eletivas, e aumento da permanência da clínica médica. Mesmo assim, é a segunda menor média do primeiro semestre de 2012.

6.1.6 – VOLUME CIRURGICO
6.1.6.1 – Nº de Cirurgias de Urgência; 6.1.6.2 – Nº de Cirurgias eletivas;

1.6. Volum e Cirúrgico 1.6.1. Cirurgias de Urgência 1.6.2. Cirurgias Eletivas Média Geral de Cirurgias

Jan 18 6 24

Fev 50 42 92

Mar 25 5 30

Abr 69 31 100

Mai 77 101 178

Jun 53 76 129

Jul 0 0 0

Ago 0 0 0

Set 0 0 0

Out 0 0 0

Nov 0 0 0

Dez 0 0 0

TOTAL 292 261 553

Como citado anteriormente, pelo ausência de alguns médicos no mês de junho atingimos uma redução de 27,53% com relação ao mês de maio. Fechamos o mês com 49 procedimentos a menos do que no mês anterior. Mas da mesma forma

Página | 90

6.1.6.3 – Nº DE CIRURGIAS POR PORTE;

1.6.3. Núm ero de Cirurgias por Porte 1.6.3.1. Cirurgias Grandes 1.6.3.2. Cirurgias Médias 1.6.3.3. Cirurgias Pequenas 1.6.3.4. Curetagens 1.6.3.5. Cesáreas Média Geral de Cirurgias por Porte

Jan 2 5 0 7 10 24

Fev 6 42 34 0 10 92

Mar 13 8 0 3 6 30

Abr 11 41 21 6 21 100

Mai 26 86 42 7 17 178

Jun 13 42 57 6 11 129

Jul 0 0 0 0 0 0

Ago 0 0 0 0 0 0

Set 0 0 0 0 0 0

Out 0 0 0 0 0 0

Nov 0 0 0 0 0 0

Dez 0 0 0 0 0 0

TOTAL 71 224 154 29 75 553

Neste mês tivemos uma redução bastante significativa do quantitativo de cirurgias médias e grandes, com relação ao mês de maio, 50% e 51,16% respectivamente a menos. Mas a expectativa é que para o mês de julho voltemos a uma condição normal de atendimento.
6.1.6.4 – Nº. DE PARTOS POR TIPO
1.6.3. Núm ero de Partos 1.6.3.1. Normal 1.6.3.2. Cesáreas 1.6.3.3. Outros Média Geral de Partos Jan 30 10 0 40 Fev 18 10 0 28 Mar 23 6 0 29 Abr 35 21 0 56 Mai 31 17 0 48 Jun 18 11 0 29 Jul 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 TOTAL 155 75 0 230

Como neste mês de junho o Dr. José Martins estava de férias e a Dra. Rita saiu dos finais de semana, tivemos um péssimo desempenho neste mês, realizando apenas 29 partos, uma queda de 39,58% com relação ao mês de maio de 2012.Todos os finais de semana estamos sem profissionais obstetras para atender nossa demanda, devido a possibilidade de paralisação do pagamento da produtividade por parte da SESAU, a Dra. Rita e o Dr. Paulo que estavam revezando nos finais de semana, deixaram os plantões, que recebiam como plantão extra.

Página | 91

6.1.7 – SADT’S

1.7. SADT 1.7.1. Laboratório Clínico 1.7.2. Anatomia Patológica 1.7.3. Radiologia 1.7.4. Eletrocardiografia 1.7.5. Fisioterapia (Sessões) 1.7.6. Hemodiálise(Sessões) 1.7.7. Hemodinâmica 1.7.8. Hemoterapia 1.7.9. Endoscopia 1.7.10. Ultrassonografia 1.7.11 Tomografia Computadorizada 1.7.12 Ressonancia Magnética 1.7.13 Mamografia 1.7.14 Citopatologia 1.7.15 Eletroencefalografia 1.7.16 Teste do Pézinho 1.7.17 Diversos 1.7.18 Teste Ergométrico 1.7.19 Outros (Psicologia) Total

Jan

Fev

Mar

Abr

Mai

Jun

Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

TOTAL 37793 107 6229 1138 0 0 0 25 0 603 0 0 0 0 0 0 0 0 0 45895

6873 6219 6575 5840 6662 5624 2 547 141 0 0 0 4 0 75 0 0 0 0 0 0 0 0 0 11 4 12 35 43

932 1291 1197 1053 1209 231 0 0 0 2 0 124 0 0 0 0 0 0 0 0 0 207 0 0 0 3 0 106 0 0 0 0 0 0 0 0 0 171 0 0 0 4 0 85 0 0 0 0 0 0 0 0 0 193 0 0 0 3 0 118 0 0 0 0 0 0 0 0 0 195 0 0 0 9 0 95 0 0 0 0 0 0 0 0 0

7642 7519 8186 7309 8064 7175

Comparando com o mês de maio, no mês de junho houve uma redução 11,02% no número total de exames realizados, principalmente no número de exames laboratoriais que apresentou queda de 15,58%. Mas em compensação o número Exames de Raio-X aumentou um total de 14,81%. E continuamos sem nenhum investimento na área de diagnóstico, e por não ocorrer a atualização no nosso parque tecnológico, não conseguimos atender apropriadamente a necessidade de nossos clientes, aumento as chances de erro, desperdícios, retrabalhos, maior permanência no Hospital, entre outros.

6.1.8 – AMB ULATÓRIO
1.8. Ambulatório 1.8.1. Consultas 1.8.2. Consultas com Procedimentos 1.8.3. Procedimentos 1.8.4. Procedimentos Cirúrgicos Total Jan 825 0 0 0 825 Fev 772 0 0 0 772 Mar 969 0 0 0 969 Abr 915 0 0 0 915 Mai 941 0 0 0 941 Jun 869 0 0 0 869 Jul 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 TOTAL 5291 0 0 0 5291

O Serviço de Ambulatório do Hospital Regional Público de Miracema, resume-se ao Serviço de Fisioterapia e ao Página | 92

Serviço de Psicologia, não tendo consultas médicas eletivas, e trabalhamos dentro de uma normalidade no mês de junho de 2012.
6.1.9 – ATENDIMENTOS DE URGÊNCIA/EMERGÊNCIA
1.9. Urgência/Emergência 1.9.1. Consultas 1.9.2. Consultas com Procedimentos 1.9.3. Procedimentos 1.9.4. Procedimentos Cirúrgicos Total Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 TOTAL 24080 0 0 0 24080

2918 3271 4153 5407 4381 3950 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

2918 3271 4153 5407 4381 3950

O mês de junho foi o segundo mês consecutivo que tivemos diminuição do número total de atendimentos no Pronto Socorro, queda de 19% de maio em relação ao mês de abril, e queda de 10,91% de junho com relação ao mês de maio.
6.1.10 – RECURSOS HUMANOS
1.10. Recursos Humanos 1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total 34 131 12 29 20 226 Janeiro
S e s a u P ró 3º

Fevere iro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Março
T o t a l S e s a u P ró 3º T o t a l S e s a u P ró

Abril
3º T o tal

29 10 0 41 4 84

0 0 0 12 0 12

63 141 12 82 24 322

34 131 12 29 20 226

29 11 0 47 7 94

0 0 0 0 0 0

63 142 12 76 27 320

34 131 12 29 20 226

30 11 0 47 6 94

0 0 0 0 0 0

64 142 12 76 26 320

34 131 12 29 20 226

30 11 0 47 5 93

0 0 0 0 0 0

64 142 12 76 25 319

1.10. Recursos Humanos
S e s a u P ró

Maio

Junho
T o t a l S e s a u P ró 3º

Julho
T o t a l S e s a u P ró 3º

Agos to
T o t a l S e s a u P ró 3º T o tal

1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total

40 121 12 30 18 221

31 8 0 50 5 94

0 0 9 0 0 9

71 129 21 80 23 324

40 121 12 30 18 221

31 8 0 50 5 94

0 0 9 0 0 9

71 129 21 80 23 324

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

1.10. Recursos Humanos 1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total 0 0 0 0 0 0

Setem bro
S e s a u P ró 3º

Outubro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Novem bro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Deze m bro
T o t a l S e s a u P ró 3º T o tal

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

No mês de junho de 2012 não aconteceu nenhuma contratação ou demissão de colaboradores da Pró-Saúde, para Página | 93

trabalharem no Hospital Regional Público de Miracema. Também não ocorreu nenhuma alteração no quadro da SESAU. A Dra. Viviane, Médica Pediatra, que foi removida do Hospital Tia Dedé, já desenvolve suas atividades em Miracema, mas sua transferência se efetivará somente a partir de 01 de julho, conforme documento de autorização do Coordenador Regional. Iniciamos o processo de atualização de carteiras de trabalho de todos os colaboradores da Pró-Saúde. Falta da Dr. Monalisa, apresentado atestado médicos, pelo fato da morte da sua sogra. Ficando no plantão somente o Dr. Cleomar, informado ao Dr. Técnico.
6.1.11 – NEP

RELATÓRIO NÚCLEO DE EDUCAÇÃO PERMANENTE HOSPITAL REGIONAL PUBLICO DE MIRACEMA JUNHO/2012 NÚMERO DE CARGA PARTICIPANTES HORÁRIA 24 3 4 31 279:30:00 324 0,03594393 10:00:00 02:30:00 08:00:00 20:30:00 TOTAL DE HORAS 240:00:00 7:30:00 32:00:00 279:30:00

CURSO Curso de Reanimação Neonatal para Auxiliares Curso de Agendamento Ambulatórial - Sistema MV Curso de Agendamento Cirurgico - Sistema MV TOTAL
TOTAL DE HORAS NÚMERO TOTAL DE COLABORADORES DO HOSPITAL HORAS/HOMEM

HORAS DE TREINAMENTO
144:00:00 96:00:00 48:00:00 0:00:00 JAN FEV MAR ABR MAI JUN

DADOS QUALITATIVOS As ações de capacitação do Hospital Regional Publico de Miracema (HRPM), no mês de Junho de 2012, apresentaram uma queda expressiva referênte ao número de horas em relação ao mês anterior, destacamos como ponto fundamental no descrescimo de horas de treinamento, a falta de recursos financeiros e o rompimento de contrato entre Pró-Saúde e Estado do Tocantins.

Página | 94

6.1.12 – LOGÍSTICA

1.13. Estoque
1 3.1 Esto que em dias de co nsumo - M at/med 30 dias .1 .

Jan

Fev

Mar 65,0 65,0

Abr 52,0 52,0

Mai 52,0 52,0

Jun 40,0 40,0

Jul 0,0 0,0

Ago 0,0 0,0

Set 0,0 0,0

Out 0,0 0,0

Nov 0,0 0,0

Dez 0,0 0,0

TOTAL 628,0 628,0

257,0 162,0 257,0 162,0

Total

Com a implantação da nova política de compra para realizarmos aquisições para apenas 15 dias de consumo, atingimos o nível mais baixo dos nossos estoques chegando a 40 dias de consumo. Sei que é necessária esta política, mas nosso nível de serviço esta caindo se relacionarmos ao total de itens solicitados x atendidos. Na prática ainda não medimos tal índice, mas percebemos uma maior dificuldade em manter o mesmo nível de serviço anterior. Níveis baixos de estoques são difíceis de ser alcançados devido ao fato de quanto vamos adquirir algum item, temos que comprar caixas fechadas, e não o que realmente necessitamos. Ex.: necessidade 20 unidades, mas o fornecedor somente entrega caixa fechada com 100 unidade. Então temos estoque para 05 meses.

6.1.13 – CORPO CLÍNICO

No dia 13 de junho Coletado material para realização de exames do Dr. Paulo Márcio – Anestesiologista, conforme acertado com a Coopanest. E todos os resultados deram negativos: Anfetaminas, Canabinóides, Cocaína e Opiáceos. Foi solicitada a ciência por escrito pelo Dr. Técnico e encaminhada uma cópia para a Coopanest. Dia 16 de junho Realizado o Curso de Reanimação Neonatal no auditório do Hospital Regional Público de Miracema, promovido pela SESAU em parceria com a Sociedade Brasileira de Pediatria. No total participaram do treinamento 24 pessoas, entre enfermeiros, técnicos em enfermagem e fisioterapeutas. Os facilitadores foram o Dr. Helio e Dra. Erica. Dia 19 de junho Solicitada a transferência da Dra. Viviane do Hospital Tia Dedé para o Hospital Regional Público de Miracema, que será processada com previsão de regularização para o mês de julho de 2012.
Página | 95

Solicitado ao Dr. Técnico Dr. Ricardo que converse com a Dra. Rita - Obstetra, sobre o retorno aos plantões da obstetrícia dos finais de semana, que estamos descobertos. Dia 20 de junho Reiniciamos a negociação com a Dra. Rita para que possa voltar a fazer os plantões de obstetrícia nos finais de semana, pois estamos descobertos, mas até a presente data não conseguimos chegar a um acordo. 6.2 - SAU 1. Registros de Opinião
Analise referente aos registros de opinião do período de 01/06/2012 à 30/06/2012: Nº 01 02 03 04 05 06 07 Ocorrências Reclamações Sugestões Elogios Número de questionários Queixas Resolvidas Meta contratual Meta Realizada Total 04 02 03 09 04 80% 100%

No mês de Junho de 2012, recebemos poucas manifestações, no entanto tratamos todas as queixas e continuamos tentando melhorar o atendimento prestado a população.

Página | 96

2. Índices de Satisfação

Hospital Regional Público de Miracema
100,00 90,00 80,00 70,00 60,00 50,00 40,00 30,00 20,00 10,00 0,00 AMBULATORI O (%) Abril/2012 Maio/2012 Junho/2012 Evolução do Período 85,36 88,57 86,54 1,38% INTERNAÇÃO (%) 87,80 93,56 89,51 1,95% PRONTO SOCORRO (%) 85,36 86,83 86,61 1,46% 86,54 89,51 86,61 87,92

SADT (%) 83,87 85,60 87,92 4,83%

Análise referente aos Índices de Satisfação

Mesmo não tendo feito as melhorias prediais que estavam previstas no plano de reforma para o Hospital Regional Publico de Miracema - HRPM, e mesmo conforme esse período de transição de gestão entre Organização Social-Pró - Saúde ABASH e Governo do Estado do Tocantins. Destacamos como ponto positivo a integração da equipe multiprofissional na viabilidade e eficiência do atendimento assistencial prestados, ao qual gera ao usuário satisfação, embora continuamente estamos trabalhando para melhoria continua dos processos internos.

6.3 – GERENCIAMENTO DE PROCESSOS Dia 04 de junho Realizamos reunião na Policlínica do Município de Miracema com a Enfermeira Gracilene Azevedo responsável pelo Programa de Pré-Natal, com o objetivo de verificar a situação da inclusão do
Página | 97

Cadastro das pacientes no Programa SisPré-Natal, para que possamos cobrar via AIH o Incentivo pago pelo Programa, pelos partos realizados no Hospital. E fomos informados da realidade atual porque passa o Município de Miracema do Tocantins, com PSF’s sem médico, Programa de Pré-Natal e planejamento familiar sem profissional médico para acompanhar todos os casos. Mas mesmo assim, ficou acertado que os casos em que as pacientes foram incluídas no Programa, os respectivos números serão passados para o Setor de Faturamento do Hospital para a realização das cobranças possíveis. Foi acertado com a Dra. Alice Domingos Uchoa, responsável pelo Laboratório de Análises Clínicas (Terceirizado), que a realização de Exames de pacientes que foram atendimentos no Pronto-Socorro do Hospital e estarão retornando em datas futuras para realização dos exames, poderá ser processado, mas deverá ser aberto um novo atendimento externo no Sistema MV. O Coordenador do Serviço de Higienização e Limpeza e da Lavanderia, Sr. Eduardo Pinheiro, realizou nesta data Inventário do Enxoval existente no Hospital, e entregou relatório com os seguintes quantitativos:

Item 01 02 Peças em Uso

Descrição Peças Novas em estoque Total de Peças no Enxoval

Quantidade 2.184 1.527 3.711

Recebemos email informando que o Contrato de Comodato de Bombas de Infusão da empresa Fresenius com a Serramed para atendimento dos hospitais vinculados à Pró-Saúde no Estado do Tocantins, a partir desta data foi transferido para a empresa Hosptech, localizada no município de Palmas. Dia 05 de junho Recebemos Memorando 54/2012 da SESAU, com assunto Plantões Extras, informando que as escalas com previsão de plantões extras devem ser enviadas para pré-análise até o dia 20 do mês anterior, e caso haja necessidade posterior somente poderá ser realizado tais plantões com devida justificativa quando o profissional não puder comparecer por motivo de doença, luto, ou fato imprevisto equivalente, com documentos comprobatórios em anexo. Divulgado cópia deste Memorando para Gerência de Enfermagem e Diretoria Técnica.
Página | 98

Recebemos do Estoque Regulador da SESAU os itens da tabela abaixo, e conforme orientação recebida anteriormente do Sr. Carlos Gomes - Coordenador Regional de Logística da Pró-Saúde, realizado entradas no Sistema MV como Empréstimo SESAU.

Nº 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16

Fornecedor Secretaria Saúde Secretaria Saúde Secretaria Saúde Secretaria Saúde Secretaria Saúde Secretaria Saúde Secretaria Saúde Secretaria Saúde Secretaria Saúde Secretaria Saúde Secretaria Saúde Secretaria Saúde Secretaria Saúde Secretaria Saúde Secretaria Saúde Secretaria Saúde Estadual Estadual Estadual Estadual Estadual Estadual Estadual Estadual Estadual Estadual Estadual Estadual Estadual Estadual Estadual Estadual de de de de de de de de de de de de de de de de

Data

Produto Soro Fisiológico 500 ml

Quantidade 800 1.020 04 100 20 108 60 1.500 04 1.800 100 02 01 100 24 02

Und. Frasco Frasco Frasco Ampola Comp. Und Comp. Frasco Pacote Ampola Ampola Frasco Frasco Frasco Envelope Rolo

05/06/2012 Soro Fisiológico 250 ml 08/06/2012 14/06/2012 Sevoflurano 250 ml Morfina 0,2 mg/ml 1ml Prometazina 25 mg 15/06/2012 Algodão Ortopédico 10 cm Metronidazol 250 mg Soro Fisiológico 500 ml Campo Operatório 45x50 19/06/2012 Dipirona Sódica 500mg/ml 2 ml Gentamicina 80mg/2ml Ácido Nalidixico 50mg/ml 60ml Susp. Glicerina Líquida 1.000ml 21/06/2012 Ceftriaxona 1g IV Fio catgut simples 0 c/ ag. 3,5 cm ½ Papel Grau Cirúrgico 15cmX100mt

Página | 99

Dia 06 de junho Conforme orientação do ECTO enviado para Sede Pró-Saúde – São Paulo, relatório SISATIV preenchido com as informações referentes ao mês de maio de 2012. Dia 07 de junho Feriado Nacional de Corpus Christi. Dia 08 de junho Acionado Empresa Terceirizada de Serviços Hidráulicos para realização de manutenção corretiva emergencial, no cano que liga à bomba d’água e abastece a caixa d’água do hospital, serviço autorizado mediante urgência e risco de ficarmos sem abastecimento de água para o Hospital. O funcionário que realiza esta atividades estava doente (com dengue) e não tinha condições de providenciar o conserto. Recebemos solicitação do Hospital de Pedro Afonso para realização do processamento de sua roupa suja na nossa lavanderia. O Hospital de Pedro Afonso realiza a lavagem das roupas no Hospital de Guaraí, porém a máquina de secar quebrou nesta sexta-feira. Organizamos o processo para o Hospital de Pedro Afonso realizar a higienização de seu enxoval nas nossas dependências, processo este iniciado no dia 09 de junho. E fizemos o empréstimo de 30 lençóis para o Hospital de Pedro Afonso, até regularização da situação. Dia 11 de junho O Sr. Ézio Carvalho (HOSPTECH) compareceu nesta data para verificação da necessidade de manutenção preventiva e corretiva, sendo realizadas as seguintes atividades: Manutenção Preventiva: Incubadora, Seladora, Berço Aquecido, Negatoscópio, Oxímetro de Pulso, Monitor ECG, Eletrocardiógrafo, Aspirador Cirúrgico, Foco Cirúrgico, Autoclave, Bisturi Eletrônico, Fototerapia, Cardioversor, Oxicapnografo; e Manutenção Corretiva: efetuado troca de 02 lâmpadas de um Foco Cirúrgico.
Página | 100

Obs.: A próxima visita conforme Sr. Ézio será realizada somente daqui a 02 meses. A título de registro, vale relembrar que o AUTOCLAVE adquirido e enviado pela SESAU para o Hospital Regional Público de Miracema, não foi instalado até esta data pela estrutura física inadequada da Central de Material Esterilizado - CME e a falta de recursos financeiros para elaboração e execução do Projeto de Adequação. O Sr. Carlos Gomes - Coordenador Regional de Logística da Pró-Saúde, compareceu ao Hospital para ajustes de processos com o Sr. Maycom (Gerente da Logística do HRPM), referente à nova política de compras. Comparecemos a Prefeitura Municipal de Miracema do Tocantins para conversarmos com Setor Jurídico a respeito do andamento do nosso Processo de Isenção do ISS para o Hospital Regional Público de Miracema, porém até o presente momento o processo permanece em análise. Dia 12 de junho Iniciamos as discussões para elaboração de uma Proposta de Planejamento Estratégico para o Hospital Regional Público de Miracema. Dia 13 de junho Em conversa com Sra. Leoneta (Gerente de Recepção) e com a Enfermeira Nayana (Gerência de Enfermagem) decidimos que as pulseiras dos pacientes internados via Pronto-Socorro serão colocadas pelo Enfermeiro de plantão no Pronto-Socorro, elaborado comunicado aos envolvidos. Para evitar desperdício de material, definiu-se que primeiro irá ser definido o local que será feito o acesso venoso nos pacientes, então colocasse a pulseira no outro braço. Realizado reunião com colaboradores da Logística (Almoxarifado, Compras, Farmácia) para alinhamento da continuidade da utilização do Sistema MV e demais atividades do setor independentemente da transição da Gestão entre Pró-Saúde e Estado do Tocantins (SESAU). Reforçamos a definição de que todo o mat/med dispensado deve ser dado baixa no Sistema antes da efetiva liberação do item, excesso casos de força maior.
Página | 101

Realizamos reunião com Sra. Ana Paula Landim que é Fisioterapeuta e o Sr. Ellis da Silva, consultor da MV, para alinhamento referente ao Agendamento Ambulatorial no Sistema MV, definido que independente do profissional que atender o paciente as sessões sempre serão lançadas para o primeiro profissional que realizou o atendimento. Recebemos a visita do Dr. Raimundo Boi para verificar o andamento das atividades e dificuldades vivenciadas atualmente pelo Hospital. Dia 14 de junho Realizamos reunião com Sr. Maycom, Gerente de Logística e a Enfermeira Nayana, Gerente de Enfermagem, para discussão dos seguintes assuntos: Controle de Soro (Cobra, Escorpião e outros animais peçonhentos), agendar visita na Policlínica para verificar disponibilidade do aumento do estoque no Hospital; Uso inadequado do Teste Rápido, a Gerência de Enfermagem irá verificar e treinar individualmente cada Enfermeiro, quanto a questão da utilização. Quanto ao controle ficou acordado que toda vez que for utilizado deverá ser reposto; Dispensação de Mat/Med X Assinaturas da Enfermagem, reforçar com Equipe da Enfermagem sobre importância de trazer a Ficha de Atendimento para Farmácia e assinatura no relatório confirmando a medicação recebida; Transferência de Leitos e Pacientes com Altas, não esta sendo utilizada efetivamente a Guia de Alta, muitos pacientes estão sendo liberados sem o aval da Farmácia impactando na baixa das devoluções; e Mapa-Cirúrgico verificar qual a dificuldade da não distribuição do mapa para as áreas envolvidas. Realizamos visita na Policlínica, para conversa com Sra. Evanilde, ficou decidido que irá regularizar o fornecimento dos soros contra veneno de animais peçonhentos.

Página | 102

Dia 15 de junho Realizada reunião com todo o pessoal do Centro Cirúrgico para alinhamento das atividades. Colocamos que estaremos saindo dentro em breve e foi colocado que o serviço deve continuar da mesma maneira que foi organizado até aqui. Dia 18 de junho Recebemos a Sra. Valéria Silva Paranaguá e Sra. Claudete Bandeira Nunes de Moraes, entre os dias 18 a 21 de junho de 2012 para realização de processo de Auditoria da SESAU, quanto ao andamento das atividades desenvolvidas no Hospital Regional Público de Miracema. Posteriormente vão enviar relatório com as constatações. Passada orientações ao Serviço de Faturamento para avaliação da possibilidade de cobrança de outros procedimentos de pronto socorro, que atualmente não realizamos as cobranças via SIA ao Ministério da Saúde. Fornecida lista de procedimento para avaliação. Dia 19 de junho Foi solicitado a Gerente da recepção que a rotina estabelecida para controle de Declaração de Óbito – DO, seja passada no livro de plantão para que possa acompanhar se o processo esta ocorrendo dentro do esperado. Dia 20 de junho A assistente social Sra. Ana colocou sua dificuldade com relação à realização de exames de USG, devido à demanda crescente de pacientes que são encaminhados para Palmas, para realizar o exame. Pois os exames de USG são realizados no Hospital somente nas segundas e terças-feiras.

Dia 21 de junho

Página | 103

Participamos de Vídeo Conferência sobre Estágios nas Unidades de Saúde do Estado, organizado pelo DGES. Apresentação da Portaria nº 77, de 11 de maio de 2010. Dia 22 de junho Passado orientações ao Setor Financeiro sobre a nova rotina de envio do Extrato Bancário da conta corrente do Hospital, todas as segundas-feiras para o ECTO. Realizada autorização para aquisição de materiais de expediente junto a empresa Gimba, única do mês, com itens necessários ao desenvolvimento das atividades do Hospital. Respondida solicitação do Sr. Carlos Gomes, para confecção de lista de prioridades de pagamento de fornecedores locais de Miracema, para que possa negociar com a SESAU os recursos financeiros para quitação dos débitos. Enviado ao CRM resposta sobre a situação das escalas de plantões médicos no Hospital Regional Público de Miracema. Dia 25 de Junho Feriado Municipal em Miracema do Tocantins. Dia 26 de Junho Realizado pelo ECTO pagamento de fornecedores de gêneros alimentícios, normalizando o fornecimento dos itens necessários ao bom andamento das atividades do Hospital. Lembro que pelo atraso dos últimos dias, estamos tendo muitas dificuldades para convencer os fornecedores a entregas os materiais necessários. Realizamos ligação telefônica para cobrar ao Prefeito Municipal de Miracema do Tocantins, Sr. Júnior Evangelista, sobre a situação do nosso processo de Isenção do ISS, que informou que iria novamente ver com o seu departamento jurídico para dar encaminhamento.

Página | 104

Por solicitação da SESAU, a empresa Exata solicitou a necessidade de implementação de impressoras dentro do Hospital, e foi solicitada uma (01) para substituição da impressora da Administração (a que atualmente esta na Administração iria para o Centro Cirúrgico) e o envio de outra para o Serviço de Farmácia. Apresentado problemas no módulo de Ambulatório do Sistema MV, passado para assistência técnica resolver à problemática. Situação regularizada sem maiores dificuldades. Dia 27 de Junho Fizemos contato com o Sr. Divino da Regulação da SESAU para verificar a situação dos usuários que recentemente foram incluídos na base de dados do Cartão Nacional de Saúde, mas o cadastro não aparece na Base de Dados do SISREG, impossibilitando momentaneamente a digitação e processamento dos prontuários no SISREG. Orientado aguardar solução por parte do Ministério da Saúde. E se, durante o mês de julho de 2012 a problemática não for regularizada, o mesmo estará vai liberar manualmente, as AIH’s para efetivarmos as cobranças ao Ministério da Saúde. Solicitado ao Dr. Ricardo - Diretor Técnico - que acompanhe com mais atenção a Gerente da Recepção, para assessorar quanto ao lançamento dos prontuários no SISREG, e realizar a cobrança do correto preenchimento dos formulários implantados por parte dos médicos. Ainda estamos encontrando muitas dificuldades com relação a letra dos médicos, em diversas situações de difícil leitura. Fizemos a mudança da Assessora da Diretoria – Sra. Penha, para a sala da Diretoria Administrativa, espaço aberto pela saída do Gerente Administrativo, Sr. Júlio Gonçalves, que pediu demissão. Com a saída do Sr. Júlio Gonçalves Mendes, Gerente Administrativo, revisamos a situação de cada contrato do Hospital Regional Público de Miracema, que são quatro (04) para acompanhamento. Concluímos pela rescisão do Contrato de Locação do Containers, pelo motivo do cancelamento do planejamento de realocação dos setores administrativos. Assinatura e envio da freqüência dos funcionários da SESAU. Ressalto que até este momento, os funcionários da SESAU não realizam registro de ponto.
Página | 105

Redistribuído provisoriamente as obrigações do Sr. Júlio Gonçalves Mendes para o Sr. Filemon Israel e Sra. Maria da Penha. Maria da Penha assumirá a Supervisão da Recepção e Transporte. Sr Filemon Caldas assumirá o SPR, SHL, SND, SAU, Manutenção, Patrimônio e Portaria. Reorientação ao Gerente do Serviço de Logística a necessidade de todo pedido de compra, antes de ser cadastrado no portal, deverá ser avaliado pelo Sr. Ricardo Ruiz ou Sr. Fernando. Dia 28 de Junho Enviado para Pedro no ECTO, a Escala de Trabalho Médico dos Ortopedistas - Pessoa Jurídica, juntamente, com formulário com distribuição dos plantões. Dia 29 de Junho Feito contato novamente com o HGPP para verificar a necessidade de envio de pacientes Ortopédicos para Miracema, conversamos com o Dr. Atil e Sra. Renata, e nesta data recebemos 02 pacientes para realização de cirurgias, para ajudar a diminuir a demanda do Hospital. E esperamos continuar normalmente com essa rotina sempre que houver necessidade por parte daquele Hospital. Realizado reunião junto com a responsável pelo Núcleo de Controle de Infecção Hospitalar, Sra. Gracilene Sousa, para discutir e definir a estrutura do Formulário de Busca Ativa de Infecção hospitalar. Que começará a ser realizada a partir do dia 09/07/12. Reunião junto a Nubia Salvador (Nutricionista) para definição do fluxo de abastecimento e/ou troca de galões de água, sendo definido que o senhor Andrys (Assistente de Almoxarifado) irá realizar as reposições de segunda a sexta-feira e, aos domingos e feriados o colaborador de plantão da unidade de portaria irá providenciar. Realizada reunião de reorientação a Gerente de Recepção sobre como se dará o andamento das atividades. Necessidade de remanejamento no Serviço de Ultrassonografia, para o mês de Julho de 2012, devido a colaboradora de férias. E orientação quanto ao agendamento de cirurgias eletivas da Central de Regulação do Estado. 6.4 – FATURAMENTO
Página | 106

5. Faturamento 5.1 - AIH 5.2 - Valores

Jan 353 151.844,89

Fev 286 131.731,90

Mar 258 121.617,54

Abr 259 121.590,36

Mai 345 152.141,21

Jun 365 151.267,13

TOTAL 1.866 830.193,03

6.6 – OBRAS E IMPLANTAÇÃO DE NOVOS SERVIÇOS
Durante o mês de junho de 2012 não foram realizadas Obras em nenhuma área ou Implantados Novos Serviços ao Hospital.

6.7 – EQUIPAMENTOS NOVOS
No mês de junho de 2012 não recebemos da SESAU nenhum equipamento novo, e nem tampouco adquirido pela Pró-Saúde.

6.8 – COMISSÕES
Dia 19 de junho Realizada reunião da Comissão de Óbito, apresentado relatório do mês de maio de 2012, e avaliação dos processos estabelecidos, e solicitação de nova orientação a coordenação da recepção e assistentes sociais. Dia 21 de junho Realizada reunião da Comissão de Revisão de Prontuários, questões relativas à organização do prontuário do paciente, situações pendentes que dependem da reorganização do processo por parte da SESAU.

Dia 22 de junho Realizada reunião da Comissão de Farmaco-Terapia, verificando assuntos pendentes, e colocamos da impossibilidade neste momento de encaminhar os processos. Como por exemplo o processo de elaboração dos Kit’s cirúrgicos, que está parado por falta de estruturação. Página | 107

Dia 26 de Junho Realizada reunião da CCIH para acompanhamento das questões discutidas nas Atas anteriores, e ficou definido que: Iremos iniciar o processo de Busca Ativa Fonada para os casos de cirurgias contaminadas e potencialmente contaminadas; Campanha de Lavagem das Mãos; e Elaboração do Manual de Biosegurança.

6.9 – OUTRAS INFORMAÇÕES Dia 18 de junho Palestra com foco na Saúde do Trabalhador e Risco Ergonômico no Ambiente de Trabalho, realizado dia 18/06 no período de 14h00 ás 16h00 junto a Diretoria de Ensino do Município de Miracema do Tocantins (D.R.E), foram realizados "Testes de Glicemia, Pressão Arterial e orientações sobre cuidados em saúde no trabalho," aos colaboradores presentes (Média de 58 colaboradores). Facilitadores Gracilene de Sousa Azevedo (Enfermeira N.H.V), Gilmar Vidal (Enfermeiro C.C) e Jose Gomes da Silva Junior (Fisioterapeuta). Dia 26 de Junho Recebemos MEMO nº 1126/AJUR/CPA da SESAU, enviado pela Sra. Elizaberth (63) 3218-1798, email saps@saude.to.gov.br, solicitando informações sobre a paciente Maria Ivone Tavares Pimenta, que realizou Laqueadura em 22/04/2008 e descobriu que estava gravida em 12/05/2011. O processo corre contra a SESAU, e as informações do prontuário da paciente) foram remetidas para juntada ao processo de defesa.

Página | 108

PALAVRA DO DIRETOR GERAL DO HOSPITAL O andamento das atividades durante o mês de junho de 2012 foi dificultado pelos atrasos que estão ocorrendo no pagamento dos fornecedores, e muitos estão alegando falta de condições financeiras para continuar a fornecer os insumos necessários ao bom andamento do Hospital. Todos os processos de melhorias estão paralisados sem previsão execução, devido a falta de definição. As aquisições de equipamentos, mobiliários e utensílios, necessários ao desenvolvimento das atividades também ficaram comprometidos. Contratação e demissão de colaboradores da mesma forma. Então todos os processos estão sendo executados sem sofrerem nenhuma melhoria substancial. Estamos programando a rescisão de contratos firmados com fornecedores para diminuir os custos do processo, e direcionar os recursos para as necessidades primordiais. Toda a nossa atuação dentro da Instituição estão resumidas a manutenção das atividades já estabelecidas anteriormente, mas, novas necessidades surgem a toda hora e não estamos conseguindo dar as respostas necessárias. O mês de junho transcorreu sem maiores dificuldades, as atividades estão sendo desenvolvidas dentro do esperado e estamos aguardando as definições futuras.

Página | 109

2.7 HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE PORTO NACIONAL 2.7.1 METAS CONTRATUAIS

7.1 – INDICADORES DE PRODUÇÃO
7.1.1 – Nº DE LEITOS POR ESPECIALIDADE;
1.1. Leitos por E specialidade 1.1.1. C línica M édica 1.1.2. C línica P ediátrica 1.1.3. C línica C irúrgica 1.1.4. C línica O bstétrica 1.1.5. U I de Adultos T 1.1.6. U I Infantil T 1.1.7. U I N T eonatal 1.1.8. B erçário 1.1.9. C línica O rtopédica 1.2.10. O utros T otal de Leitos Jan 41 0 17 0 0 0 0 0 10 0 68 F ev 45 0 21 0 0 0 0 0 5 0 71 Mar 49 0 21 0 0 0 0 0 5 0 75 Abr 51 0 16 0 0 0 0 0 9 0 76 Mai 50 0 17 0 0 0 0 0 9 0 76 Jun 50 0 17 0 0 0 0 0 9 0 76 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 S et 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 O ut 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 N ov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 D ez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TO TAL 286 0 109 0 0 0 0 0 47 0 442

COMENTÁRIO: Houve variação no número de leitos da clínica médica e cirúrgica devido reforma e aquisição de camas novas e também a retirada da observação do Pronto Socorro das enfermarias.

7.1.2 – Nº. DE INTERNAÇÕES POR ESPECIALIDADE;
1.2. Internações por E specialidade 1.2.1. C línica M édica 1.2.2. C línica P ediátrica 1.2.3. C línica C irúrgica 1.2.4. C línica O bstétrica 1.2.5. U I de Adultos T 1.2.6. U I Infantil T 1.2.7. U I N T eonatal 1.2.8. B erçário 1.2.9. C línica O rtopédica 1.2.10. O utros T otal de Internações por especialidade Jan 231 0 158 0 0 0 0 0 64 0 453 F ev 204 0 161 0 0 0 0 0 70 0 435 Mar 265 0 191 0 0 0 0 0 101 0 557 Abr 193 0 181 0 0 0 0 0 117 0 491 Mai 228 0 170 0 0 0 0 0 114 0 512 Jun 210 0 97 0 0 0 0 0 78 0 385 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago S et 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 O ut 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 N ov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 D ez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TO TAL 1331 0 958 0 0 0 0 0 544 0 2833

COMENTÁRIO: A variedade do número de internações por especialidade se deve à sazonalidade do período.

Página | 110

7.1.3– Nº. DE SAÍDOS POR ESPECIALIDADE
1.3. N de saídos por especialidade º. 1.3.1. C línica M édica 1.3.2. C línica P ediátrica 1.3.3. C línica C irúrgica 1.3.4. C línica O bstétrica 1.3.5. U I de Adultos T 1.3.6. U I Infantil T 1.3.7. U I N T eonatal 1.3.8. B erçário 1.3.9. C línica O rtopédica 1.3.10. O utros T otal de saídos por especialidade Jan 269 0 176 0 0 0 0 0 105 0 550 F ev 256 0 181 0 0 0 0 0 74 0 511 Mar 290 0 177 0 0 0 0 0 147 0 614 Abr 236 0 156 0 0 0 0 0 101 0 493 Mai 251 0 157 0 0 0 0 0 104 0 512 Jun 252 0 110 0 0 0 0 0 88 0 450 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago S et 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 O ut 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 N ov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 D ez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TO TAL 1554 0 957 0 0 0 0 0 619 0 3130

COMENTÁRIO: A quantidade de saídos está diretamente ligada ao número de internações.

7.1.4 – PERCENTUAL DE OCUPAÇÃO POR CLÍNICA;
1.4. P orcentagem de O cupação 1.4.1. C línica M édica 1.4.2. C línica P ediátrica 1.4.3. C línica C irúrgica 1.4.4. C línica O bstétrica 1.4.5. U I de Adultos T 1.4.6. U I Infantil T 1.4.7. U I N T eonatal 1.4.8. O utros (B erçário) 1.4.9. C línica O rtopédica 1.4.10. O utros P orcentagemG eral de O cupação Jan F ev Mar Abr Mai Jun Jul 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Ago S et 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% O ut 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% N ov 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% D ez 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% TO TAL 523% 0% 435% 0% 0% 0% 0% 0% 440% 0%

98% 83% 85% 88% 83% 86% 0% 0% 0% 0% 0% 0%

78% 65% 80% 78% 74% 60% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0%

26% 81% 96% 98% 78% 61% 0% 0% 0% 0% 0% 0%

COMENTÁRIO: A variação na clínica ortopédica se deve a contratação em regime de PJ de profissionais médicos a partir da segunda quinzena de fevereiro e a queda se dá devido a falta de repasse dos mesmos.

Página | 111

7.1.5 – MÉDIA DE PERMANÊNCIA;
1.5. Média de P ermanência 1.5.1. C línica M édica 1.5.2. C línica P ediátrica 1.5.3. C línica C irúrgica 1.5.4. C línica O bstétrica 1.5.5. U I de Adultos T 1.5.6. U I Infantil T 1.5.7. U N ti eonatal 1.5.8. O utros 1.5.9. C línica O rtopédica 1.5.10. O utros M édia G eral de P anência erm Jan 5.23 0 4.14 0 0 0 0 0 0.78 0 F ev Mar Abr Mai Jun 5,11 0 2,78 0 0 0 0 0 1,85 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago S et 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 O ut 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 N ov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 D ez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TO TAL 19.42 0 20.46 0 0 0 0 0 5.2 0

4.25 4.43 0 0

5.51 4,76 0 0

4.59 6.79 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

4.94 2,01 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

1.58 1.14 0 0

1.7 1,95 0 0

7.1.6 – VOLUME CIRURGICO
1.6. Volume Cirúrgico 1.6.1. C irurgias de U rgência 1.6.2. C irurgias E letivas M édia G eral de C irurgias Jan 135 73 208 F ev 126 116 242 Mar 169 168 337 Abr 168 108 276 Mai 173 95 268 Jun 201 10 211 Jul 0 0 0 Ago S et 0 0 0 0 0 0 O ut 0 0 0 N ov 0 0 0 D ez 0 0 0 TO TAL 972 570 1542

COMENTÁRIO: A variação das cirurgias eletivas se deve a diminuição da carga horária de um dos cirurgiões por vontade própria do profissional.
7.1.6.3 – Nº DE CIRURGIAS POR PORTE
1.6.3. N úmero de Cirurgias por P orte 1.6.3.1. C irurgias G randes 1.6.3.2. C irurgias M édias 1.6.3.3. C irurgias P equenas 1.6.3.4. C uretagens 1.6.3.5. C esáreas M édia G eral de C irurgias por P orte Jan 26 18 164 0 0 208 F ev 0 45 197 0 0 242 Mar 0 71 266 0 0 337 Abr 0 59 217 0 0 276 Mai 0 34 234 0 0 268 Jun 0 27 184 0 0 211 Jul 0 0 0 0 0 0 Ago S et 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 O ut 0 0 0 0 0 0 N ov 0 0 0 0 0 0 D ez 0 0 0 0 0 0 TO TAL 26 254 1262 0 0 1542

7.1.6.4 – Nº. DE PARTOS POR TIPO
1.6.4. Núm ero de partos por tipo 1.6.4.1. Normal 1.6.4.2. Cesariana 1.6.3.3. Outros Jan 0 0 0 Fev 0 0 0 Mar 0 0 0 Abr 0 0 0 Mai 0 0 0 Jun 0 0 0 Jul 0 0 0 Ago 0 0 0 Set 0 0 0 Out 0 0 0 Nov 0 0 0 Dez 0 0 0 TOTAL 0 0 0

Página | 112

7.1.7 – SADT’S
1.7. SADT 1.7.1. Laboratório Clínico 1.7.2. Anatomia Patológica 1.7.3. Radiologia 1.7.4. Eletrocardiografia 1.7.5. Fisioterapia (Sessões) 1.7.6. Hemodiálise(Sessões) 1.7.7. Hemodinâmica 1.7.8. Hemoterapia 1.7.9. Endoscopia 1.7.10. Ultrassonografia 1.7.11 Tomografia Computadorizada 1.7.12 Ressonancia M agnética 1.7.13 M amografia 1.7.14 Citopatologia 1.7.15 Eletroencefalografia 1.7.16 Teste do Pézinho 1.7.17 Diversos 1.7.18 Teste Ergométrico T otal Jan F ev Mar Abr Mai Jun Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago S et 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 O ut 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 N ov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 D ez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TO TAL 24216 474 11883 1254 326 0 0 0 137 460 0 0 0 0 0 0 0 0 38750

3697 3876 4574 3930 4292 3847 80 98 95 0 112 89

1685 1647 2125 2131 2260 2035 215 0 0 0 0 30 46 0 0 0 0 0 0 0 0 231 0 0 0 0 17 75 0 0 0 0 0 0 0 0 223 0 0 0 0 25 86 0 0 0 0 0 0 0 0 213 0 0 0 0 17 62 0 0 0 0 0 0 0 0 179 0 0 0 0 27 89 0 0 0 0 0 0 0 0 193 326 0 0 0 21 102 0 0 0 0 0 0 0 0

5753 5944 7128 6353 6959 6613

7.1.8 – AMB ULATÓRIO
1.8. Am bulatório 1.8.1. Consultas 1.8.2. Consultas comProcedimentos 1.8.3. Procedimentos 1.8.4. Procedimentos Cirúrgicos T otal Jan 229 210 0 0 439 F ev 229 224 0 0 453 Mar 292 240 0 0 532 Abr 439 366 0 0 805 Mai 425 295 0 0 720 Jun 415 282 0 0 697 Jul 0 0 0 0 0 Ago S et 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 O ut 0 0 0 0 0 N ov 0 0 0 0 0 D ez 0 0 0 0 0 TO TAL 2029 1617 0 0 3646

7.1.9 – ATENDIMENTOS DE URGÊNCIA/EMERGÊNCIA
1.9. Urgência/Em ergência 1.9.1. Consultas 1.9.2. Consultas comProcedimentos 1.9.3. Procedimentos 1.9.4. Procedimentos Cirúrgicos T otal Jan F ev Mar Abr Mai Jun Jul 0 0 0 0 0 Ago S et 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 O ut 0 0 0 0 0 N ov 0 0 0 0 0 D ez 0 0 0 0 0 TO TAL 21566 2858 0 0 24424

3166 3086 3818 3785 3925 3786 359 0 0 496 0 0 587 0 0 385 0 0 616 0 0 415 0 0

3525 3582 4405 4170 4541 4201

COMENTÁRIO: O número de atendimentos no mês de março foi maior no período devido greve que os médicos dos Postos de Saúde da Família fizeram e os pacientes foram encaminhados ao Pronto Socorro até o retorno dos mesmos. Página | 113

7.1.10 – RECURSOS HUMANOS
1.10. Recursos Hum anos 1.10.1. A dministração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SA DT 1.10.4. A poio 1.10.5. M édicos T otal 114 235 44 6 41 440 Janeiro
Sesau Pró 3º

F evereiro
Total Sesau Pró 3º

Março
Total Sesau Pró 3º

Abril
Total Sesau Pró 3º Total

52 25 8 56 8 149

0 0 0 0 0 0

166 260 52 62 49 589

100 234 41 5 38 418

59 25 9 73 10 176

0 0 0 0 0 0

159 259 50 78 48 594

100 232 42 5 36 415

58 25 9 73 10 175

0 0 0 0 0 0

158 257 51 78 46 590

101 231 41 5 36 414

60 24 9 79 12 184

0 0 0 0 0 0

161 255 50 84 48 598

1.10. Recursos Hum anos 1.10.1. A dministração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SA DT 1.10.4. A poio 1.10.5. M édicos T otal 101 235 41 5 35 417

Maio
Sesau Pró 3º

Junho
Total Sesau Pró 3º

Julho
Total Sesau Pró 3º

Agosto
Total Sesau Pró 3º Total

60 24 9 73 12 178

0 0 0 0 0 0

161 259 50 78 47 595

101 235 41 5 35 417

60 24 9 73 12 178

0 0 0 0 0 0

161 259 50 78 47 595

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

1.10. Recursos Hum anos 1.10.1. A dministração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SA DT 1.10.4. A poio 1.10.5. M édicos T otal 0 0 0 0 0 0

S etembro
Sesau Pró 3º

O utubro
Total Sesau Pró 3º

N ovembro
Total Sesau Pró 3º

D ezembro
Total Sesau Pró 3º Total

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

7.1.11 – NEP
CURSO NÚMERO DE PARTICIPANTES CARGA HORÁRIA TOTAL DE HORAS

Organização para um Atendimento de Qualidade Cuidar e Acolher em Saude Mental Programação Pactuada e Integrada do Estado do Tocantins Corso de Repescagem Gestão por Processos Assistência Nutricional nos Casos de Beriberi Segurança Transfusional Gestão por Processos Diversidade Sexual e Saúde Pública
TOTAL

15 25 8 18 2 28 18 25 139

2:00:00 AM 5:00:00 AM 8:00:00 AM 8:00:00 AM 4:00:00 AM 4:00:00 AM 4:00:00 AM 4:00:00 AM 3:00:00 PM

30:00:00 125:00:00 64:00:00 144:00:00 8:00:00 112:00:00 72:00:00 100:00:00 655:00:00

Página | 114

TOTAL DE HORAS NÚMERO TOTAL DE COLABORADORES DO HOSPITAL HORAS/HOMEM HORAS DE

655:00:00 598

TREINAMENTO 0.045638239

70 60 50 40 30 20 10 0 JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ CARGA HORÁRIA TOTAL

DADOS QUALITATIVOS

Houve uma queda das ações de capacitações do Hospital Regional Público de Porto Nacional, de servidores Em relação ao mês anterior. Neste mês totalizamos a participação de 139 servidores/colaboradores e um total de 39 horas de treinamento. Realizaremos cursos no mês de julho de acordo com a necessidade dos setores. 7.1.12 – LOGÍSTIC A

1.13. Estoque

Jan

Fev

Mar

Abr

Mai

Jun

Jul 0,0 0,0

Ago 0,0 0,0

Set 0,0 0,0

Out 0,0 0,0

Nov 0,0 0,0

Dez 0,0 0,0

TOTAL 558,0 558,0

106,0 147,0 120,0 69,0 60,0 56,0 1.13.1. Estoque em dias de consumo - Mat/med 30 dias Total 106,0 147,0 120,0 69,0 60,0 56,0

7.1.13 – CORPO CLÍNICO

No mês de junho não houve plantão de ortopedia aos finais de semana devido atraso nos repasses, porém não tivemos maiores problemas no decorrer do mês.

Página | 115

7.2 – SAU Registros de Opinião - 01/06/2012 a 30/06/2012
Ocorrências Reclamações Sugestões Elogios Total de Questionários Queixas resolvidas Meta Contratual Meta Realizada Junho 2012 5 0 3 8 4 80% 80%

Dentre as reclamações relatadas neste mês de Junho o que mais se destacou foi o atendimento médico no pronto-socorro, consequentemente, todas foram repassadas a diretoria técnica para as devidas providências.

Página | 116

O serviço prestado no ambulatório houve uma significativa melhora, porém, ainda há insatisfações com relação a equipe de enfermagem. Na internação teve uma queda nos seus índices, sobretudo, em relação as instalações físicas e o processo de limpeza, onde há a falta de produtos e déficit de profissionais para a realização eficiente da mesma. No pronto-socorro houve diminuição em todos os seu índices, destacando-se também as instalações físicas e a limpeza, pelo fato já citado acima. SADT houve uma diminuição em função das instalações físicas, devido o pequeno número de cadeiras em que os usuários aguardam para atendimento. A cada período o S.A.U. veio crescendo e possibilitando melhorias satisfatórias, mesmo com a transição de saída da Pró-saúde, estamos mantendo o trabalho integralmente da melhor forma possível, evitando assim contratempos.

7.3 – GERENCIAMENTO DE PROCESSOS

• •

Acompanhamento diário sobre o estoque para que não falte materiais, medicamentos e gêneros alimentícios. Recebemos visita de fiscalização da Vigilância Sanitária e do Tribunal de Contas do Estado, onde foi entregue cópia de atas, capacitações, laudos de análise da água, relatório de indicadores, relatório de atividades, dentre outros documentos solicitados.

• •

Acompanhamento de visita de inspeção do Coren Tocantins para verificação de correção de não conformidades identificadas na visita anterior, através de notificações já solucionadas. Reunião mensal com a CCIH para análise de indicadores, alinhamento de processos e possíveis melhorias relacionadas aos processos de controle de infecção.

7.4 – FATURAMENTO
4. Faturamento 4.1 - AIH (Quantitativo) 4.2 - Valores (em reais) Jan 345 Fev 481 Mar 476 Abr 511 Mai 462 Jun 433 Jul 0 0,0 Ago 0 0,0 Set 0 0,0 Out 0 0,0 Nov 0 0,0 De z 0 TOTAL 2708

259.346,8 313.558,3 328.768,4 339.542,2 274489,92 331714,18

0,0 1241215,7

Página | 117

7.6 – OBRAS E IMPLANTAÇÃO DE NOVOS SERVIÇOS
• A obra em execução pela SEINFRA da Ala A, continua na etapa do Pronto Socorro.

MAIO 2012

JUNHO 2012

MAIO 2012

JUNHO 2012

A obra foi paralisada na semana do dia 13 de março por falta de pagamento da empreiteira, e retornou apenas no dia 19 de abril, sem previsão de entrega e nenhuma evolução significativa na obra. • Reforma do prédio do HEMOTO (hemocentro) foi paralisada.

7.7 – EQUIPAMENTOS NOVOS
Não houve compra de equipamentos neste mês.

Página | 118

7.8 – COMISSÕES
• • • • A Comissão de Prontuário Médico na pessoa do presidente realizou no dia 29 de junho análise criteriosa dos prontuários relatando coerência entre o diagnóstico e os relatos do prontuário; A Comissão de Ética Médica se reuniu no dia 13 de junho relatando nenhuma denúncia; A Comissão de Óbito se reuniu no dia 08 de junho informando ter havido 10 óbitos no período todos de pacientes internados com patologia crônica e nenhum encaminhamento ao SVO ou IML; A Comissão de Controle de Infecção Hospitalar se reuniu no dia 20 de junho, onde foi dito que não tem como realizar indicador específico devido não ter como contar o número de procedimentos dia de acesso periférico, este com maior relevância de infecção neste mês. Vários outros assuntos foram discutidos na reunião que se encontram na ata em anexo; • A reunião da Comissão de Farmácia e Terapêutica ocorreu no dia 20 de junho sem ocorrências relevantes ao processo.

7.9 – OUTRAS INFORMAÇÕES • • Continuidade da ginástica laboral para os colaboradores. Toda quinta-feira é realizado corte de cabelo dos usuários para maior comodidade e a fim de elevar a auto-estima dos mesmos. PALAVRA DO DIRETOR GERAL DO HOSPITAL
No mês de junho o Hospital Regional Público de Porto Nacional passou por dificuldades, devido ao atraso de pagamento de fornecedores conforme ciência do Secretário de Saúde e a rescisão do contrato com a SESAU. Os colaboradores contratados pela Pró-saúde continuam com dúvidas se serão aproveitados pela Secretaria Estadual de Saúde, ocasionando muita ansiedade e queda na produtividade dos mesmos. Trabalhamos constantemente na manutenção dos estoques para que o serviço não perca a qualidade assistencial. O Diretor designado pela SESAU já absorveu as demandas gerenciais do Hospital. Estamos à disposição do mesmo, para que este processo não perca em qualidade assistencial à nossa população. De modo geral, o hospital passa por dificuldades, porém, a população continua sendo assistida.

Página | 119

2.8 HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE GUARAÍ

8.1 – INDICADORES DE PRODUÇÃO
8.1.1 – Nº DE LEITOS POR ESPECIALIDADE;
1.1. Leitos por Especialidade 1.1.1. Clínica Médica 1.1.2. Clínica Pediátrica 1.1.3. Clínica Cirúrgica 1.1.4. Clínica Obstétrica 1.1.5. UTI de Adultos 1.1.6. UTI Infantil 1.1.7. UTI Neonatal 1.1.8. Berçário 1.1.9. Clínica Ortopédica 1.2.10. Outros Total de Leitos Jan 18 13 19 14 0 0 0 4 0 0 68 Fev 18 13 19 14 0 0 0 4 0 0 68 Mar 18 13 19 14 0 0 0 4 0 0 68 Abr 18 13 19 14 0 0 0 4 0 0 68 Mai 13 13 17 12 0 0 0 3 0 0 58 Jun 13 13 17 12 0 0 0 3 0 0 58 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 98 78 110 80 0 0 0 22 0 0 388

COMENTÁRIO: Após reavaliação da capacidade total de leitos por parte dos administradores do hospital, bem como visita ocorrida no mês de maio por técnicos do setor de cadastro da SESAU, foi realizada no mês de junho, a atualização da quantidade de leitos no Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde - CNES. Desta forma, o Hospital Regional Público de Guaraí atualmente possui 58 leitos cadastrados, está inserido na Macrorregião de Saúde de Araguaína e compõe a Região de Saúde Lobo Guará, com população estimada em 58 mil habitantes.
8.1.2 – Nº. DE INTERNAÇÕES POR ESPECIALIDADE;
1.2. Internações por Especialidade 1.2.1. Clínica Médica 1.2.2. Clínica Pediátrica 1.2.3. Clínica Cirúrgica 1.2.4. Clínica Obstétrica 1.2.5. UTI de Adultos 1.2.6. UTI Infantil 1.2.7. UTI Neonatal 1.2.8. Berçário 1.2.9. Clínica Ortopédica 1.2.10. Outros Total de Internações por especialidade Jan 55 14 75 64 0 0 0 13 0 0 221 Fev 76 35 78 61 0 0 0 13 0 0 263 Mar 68 45 97 63 0 0 0 16 0 0 289 Abr 79 45 74 57 0 0 0 14 0 0 269 Mai 64 13 39 72 0 0 0 10 0 0 198 Jun 60 29 70 53 0 0 0 14 0 0 226 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 402 181 433 370 0 0 0 80 0 0 1466

COMENTÁRIO: No geral, o mês de junho apresentou aumento no número de internações, correspondendo a 14,15% em relação ao mês anterior, sendo as maiores variações percebidas nas clínicas pediátrica e cirúrgica. O aumento no número de internações na especialidade de pediatria está relacionado ao retorno de férias de uma das duas únicas pediatras que o Hospital Regional Público de Guaraí conta no quadro de profissionais médicos, fazendo com que as atividades nesta especialidade retomasse a sua normalidade. Da mesma forma, o aumento de internações na clínica Página | 120

cirúrgica deve-se à retomada das atividades de um dos cirurgiões que se encontrava de férias no mês anterior, sendo o profissional que apresenta maior produtividade na especialidade.
8.1.3 – Nº. DE SAÍDOS POR ESPECIALIDADE;
1.3. Nº. de saídos por especialidade 1.3.1. Clínica Médica 1.3.2. Clínica Pediátrica 1.3.3. Clínica Cirúrgica 1.3.4. Clínica Obstétrica 1.3.5. UTI de Adultos 1.3.6. UTI Infantil 1.3.7. UTI Neonatal 1.3.8. Berçário 1.3.9. Clínica Ortopédica 1.3.10. Outros Total de saídos por especialidade Jan 96 13 72 26 0 0 0 9 0 0 216 Fev 108 34 76 27 0 0 0 14 0 0 259 Mar 127 37 96 26 0 0 0 12 0 0 298 Abr 104 31 88 30 0 0 0 14 0 0 267 Mai 59 20 40 69 0 0 0 8 0 0 196 Jun 68 33 68 54 0 0 0 17 0 0 240 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 562 168 440 232 0 0 0 74 0 0 1476

COMENTÁRIO: Em virtude do maior número de internações ocorridas nesse mês de junho, podemos observar aumento no registro do número de pacientes saídos na maioria das clínicas, à exceção da clínica obstétrica, a qual apresentou número inferior de internações neste mês.
8.1.4 – PERCENTUAL DE OCUPAÇ ÃO POR C LÍNICA;
1.4. Porcentagem de Ocupação 1.4.1. Clínica Médica 1.4.2. Clínica Pediátrica 1.4.3. Clínica Cirúrgica 1.4.4. Clínica Obstétrica 1.4.5. UTI de Adultos 1.4.6. UTI Infantil 1.4.7. UTI Neonatal 1.4.8. Outros (Berçário) 1.4.9. Clínica Ortopédica 1.4.10. Outros Porcentagem Geral de Ocupação Jan 33% 9% 40% 36% 0% 0% 0% 57% 0% 0% 33% Fe v 32% 23% 35% 35% 0% 0% 0% 35% 0% 0% 32% Mar 39% 18% 47% 31% 0% 0% 0% 52% 0% 0% 36% Abr 46% 24% 40% 29% 0% 0% 0% 68% 0% 0% 38% Mai 40% 6% 20% 38% 0% 0% 0% 45% 0% 0% 27% Jun 47% 17% 46% 29% 0% 0% 0% 58% 0% 0% 37% Jul 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Ago 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Set 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Out 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Nov 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Dez 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% TOTAL 237% 96% 229% 198% 0% 0% 0% 315% 0% 0%

COMENTÁRIO: O percentual geral de ocupação no mês de junho apresentou crescimento em relação ao mês anterior, considerando que o número de internações aumentou, influenciado pelas internações nas clínicas pediátrica e cirúrgica. Pode-se observar queda no percentual de ocupação apenas na clínica obstétrica, influenciado pela redução de 20,39% do número de partos realizados neste mês.

Página | 121

8.1.5 – MÉDIA DE PERMANÊNCIA;
1.5. Média de Perm anência 1.5.1. Clínica Médica 1.5.2. Clínica Pediátrica 1.5.3. Clínica Cirúrgica 1.5.4. Clínica Obstétrica 1.5.5. UTI de Adultos 1.5.6. UTI Infantil 1.5.7. Uti Neonatal 1.5.8. Berçário Patológico 1.5.9. Clínica Ortopédica 1.5.10. Outros Média Geral de Permanência Jan 1,93 2,69 3,31 6,04 0 0 0 7,89 0 0 3,18 Fev 1,54 2,5 2,57 5,26 0 0 0 2,93 0 0 2,43 Mar 1,72 1,97 2,88 5,12 0 0 0 5,33 0 0 2,57 Abr 2,38 3,06 2,57 4,1 0 0 0 5,79 0 0 2,97 Mai 2,76 1,15 2,7 2,06 0 0 0 5,25 0 0 2,44 Jun 2,68 2 3,46 1,94 0 0 0 3,06 0 0 2,67 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 13,01 13,37 17,49 24,52 0 0 0 30,25 0 0

COMENTÁRIO: observa-se uma pequena variação a maior na média geral de permanência no mês de junho, influenciada principalmente pelo aumento na permanência de pacientes nas clínicas pediátrica e cirúrgica.
8.1.6 – VOLUME CIRURGICO;
1.6. Volum e Cirúrgico 1.6.1. Cirurgias de Urgência 1.6.2. Cirurgias Eletivas Média Geral de Cirurgias Jan 44 52 96 Fev 24 61 85 Mar 34 98 132 Abr 44 66 110 Mai 43 28 71 Jun 38 54 92 Jul 0 0 0 Ago 0 0 0 Set 0 0 0 Out 0 0 0 Nov 0 0 0 Dez 0 0 0 TOTAL 227 359 586

COMENTÁRIO: Com o retorno das férias de um dos cirurgiões, é possível perceber o aumento no número de cirurgias eletivas no mês de junho, o que representa 92,85% a mais em relação ao mês anterior. O número de cirurgias de urgência apresentou uma leve queda, porém mantendo-se na média em relação aos meses anteriores.
8.1.6.3 – Nº DE CIRURGIAS POR PORTE;
1.6.3. Núm ero de Cirurgias por Porte 1.6.3.1. Cirurgias Grandes 1.6.3.2. Cirurgias Médias 1.6.3.3. Cirurgias Pequenas 1.6.3.4. Curetagens 1.6.3.5. Cesáreas Média Geral de Cirurgias por Porte Jan 18 14 28 32 4 96 Fev 15 6 47 2 15 85 Mar 23 18 58 5 28 132 Abr 17 20 31 4 38 110 Mai 11 4 18 3 35 71 Jun 29 3 24 1 35 92 Jul 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 TOTAL 113 65 206 47 155 586

COMENTÁRIO: O incremento de 29,58% no número total de cirurgias no mês de junho em relação ao mês de maio, está relacionado ao retorno das férias de um dos cirurgiões, sendo este o principal responsável pela produção de cirurgias eletivas realizadas neste hospital.

Página | 122

8.1.6.4 – Nº. DE PARTOS POR TIPO;
1.6.4. Núm ero de partos por tipo 1.6.4.1. Normal 1.6.4.2. Cesariana 1.6.3.3. Outros Total de Partos Jan 20 32 0 52 Fev 13 24 0 37 Mar 17 30 0 47 Abr 12 38 0 50 Mai 24 35 0 59 Jun 12 35 0 47 Jul 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 TOTAL 98 194 0 292

COMENTÁRIO: No mês de junho, o Hospital Regional Público de Guaraí apresentou uma redução de 20,39% no total de partos em relação ao mês anterior, influenciado exclusivamente pelo número de partos normais, elevando a taxa de cesáreas da unidade de 65,11% no mês de maio para 74,47% em junho, índice este considerado muito elevado em relação ao preconizado pela Organização Mundial da Saúde, que é de 15%, e pelo Ministério da Saúde para o Estado do Tocantins, que é 26% do total de partos da unidade hospitalar, conforme Portaria nº 466/GM, de 14 de junho/2000.
8.1.7 – SADT’S;
1.7. SADT 1.7.1. Laboratório Clínico 1.7.2. Anatomia Patológica 1.7.3. Radiologia 1.7.4. Eletrocardiografia 1.7.5. Fisioterapia (Sessões) 1.7.6. Hemodiálise(Sessões) 1.7.7. Hemodinâmica 1.7.8. Hemoterapia 1.7.9. Endoscopia 1.7.10. Ultrassonografia 1.7.11 Tomografia Computadorizada 1.7.12 Ressonancia Magnética 1.7.13 Mamografia 1.7.14 Citopatologia 1.7.15 Eletroencefalografia 1.7.16 Teste do Pezinho 1.7.17 Diversos 1.7.18 Teste Ergométrico Total Jan Fev Mar Abr Mai Jun 0 58 622 0 152 0 0 0 0 44 0 0 0 0 0 0 538 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 11665 348 2948 212 701 0 0 0 9 391 0 0 0 0 0 0 4145 0 20419

2230 2091 2818 2367 2159 58 483 30 0 0 0 0 9 41 0 0 0 0 0 0 887 0 58 263 32 77 0 0 0 0 103 0 0 0 0 0 0 791 0 58 274 45 149 0 0 0 0 84 0 0 0 0 0 0 773 0 58 697 63 126 0 0 0 0 51 0 0 0 0 0 0 588 0 58 609 42 197 0 0 0 0 68 0 0 0 0 0 0 568 0

3738 3415 4201 3950 3701 1414

COMENTÁRIO: O mês de junho apresentou uma pequena redução na quantidade de exames de radiologia e ultrassonografia realizados na unidade hospitalar, o que acreditamos estar relacionado à queda no número de atendimentos na urgência/emergência neste mês, sendo que os registros estatísticos demonstram que o maior número de exames deste tipo realizados no hospital, são para usuários atendidos neste setor. Até a presente data Página | 123

(03/07) não foi possível a conclusão do levantamento do número de exames de análises clínicas e eletrocardiografias realizados neste mês. OBS.: Linha 1.7.17 – Diversos: Refere-se aos serviços de Fonoaudiologia e Psicologia

8.1.8 – AMBULATÓRIO;
1.8. Ambulatório 1.8.1. Consultas 1.8.2. Consultas com Procedimentos 1.8.3. Procedimentos 1.8.4. Procedimentos Cirúrgicos Total Jan 12 0 0 0 12 Fev 115 0 0 0 115 Mar 62 0 0 0 62 Abr 63 0 0 0 63 Mai 104 0 0 0 104 Jun 114 0 0 0 114 Jul 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 TOTAL 470 0 0 0 470

COMENTÁRIO: O Hospital Regional Público de Guaraí atende consultas nas especialidade de cardiologia, cirurgia geral e pediatria. Na especialidade de cardiologia, é referência em atendimento para os municípios que compõem a Região de Saúde Lobo Guará, entre outros. Na cirurgia geral, atende toda a demanda de consultas pré-cirúrgicas reguladas pelos municípios da região acima citada. As consultas ambulatoriais na especialidade de pediatria, são restritas a egressos desta Unidade Hospitalar. Neste mês de junho pode-se observar um discreto aumento na quantidade de consultas realizadas no ambulatório, o que está relacionado ao maior número de pacientes que estiveram internados na clínica pediátrica e retornaram para acompanhamento com a médica pediatra, e também o aumento nas consultas de cardiologia e consultas pré-cirúrgicas.
8.1.9 – ATENDIMENTOS DE URGÊNCIA/EMERGÊNCIA;
1.9. Urgência/Emergência 1.9.1. Consultas 1.9.2. Consultas com Procedimentos 1.9.3. Procedimentos 1.9.4. Procedimentos Cirúrgicos Total Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 TOTAL 16074 0 0 0 16074 2349 3134 2956 2802 2558 2275 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

2349 3134 2956 2802 2558 2275

COMENTÁRIO: O Hospital Regional Público de Guaraí possui plantonista durante 24 horas na urgência/emergência, contando também com atendimento cirúrgico em alguns dias do mês. Neste mês, percebe-se uma queda na demanda para atendimento neste setor, girando em torno de 75 pacientes atendidos diariamente.

Página | 124

8.1.10 – RECURSOS HUMANOS ;
1.10. Recursos Humanos 1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total 28 99 12 9 20 168 Janeiro
S e s a u P ró 3º

Fevere iro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Março
T o t a l S e s a u P ró 3º T o t a l S e s a u P ró

Abril
3º T o tal

32 8 4 32 2 78

2 0 0 0 0 2

62 107 16 41 22 248

28 100 12 9 20 169

41 8 4 34 2 89

2 0 0 0 0 2

71 108 16 43 22 260

30 100 12 9 20 171

41 8 4 34 2 89

1 0 0 0 0 1

72 108 16 43 22 261

22 98 7 22 20 169

41 8 4 34 2 89

2 0 0 0 0 2

65 106 11 56 22 260

1.10. Recursos Humanos
S e s a u P ró

Maio

Junho
T o t a l S e s a u P ró 3º

Julho
T o t a l S e s a u P ró 3º

Agos to
T o t a l S e s a u P ró 3º T o tal

1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total

20 98 7 24 20 169

39 8 4 34 2 87

1 0 0 0 0 1

60 106 11 58 22 257

20 100 7 24 20 171

39 8 4 34 2 87

1 0 0 0 0 1

60 108 11 58 22 259

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

1.10. Recursos Humanos 1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total 0 0 0 0 0 0

Setem bro
S e s a u P ró 3º

Outubro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Novem bro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Deze m bro
T o t a l S e s a u P ró 3º T o tal

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

OBS.: Linha 1.10.4 – Apoio - coluna SESAU, refere-se a servidores das áreas de farmácia, transporte, fisioterapia, fonoaudiologia, psicologia, nutrição e agência transfusional. No mês de junho ocorreu a remoção para o hospital, de duas enfermeiras que estavam cedidos para o município.

Página | 125

8.1.11 – NEP RELATÓRIO NÚCLEO DE EDUCAÇÃO PERMANENTE JUNHO/2012

CURSO PARA - Agendamento Ambulatorial FSCC - Agendamento Cirúrgico Marketing Pessoal Vigilância Epideomológica/Motivação/Humanização Oficina de Implantação do Protocolo de Acidente com Exposição a Material Biológico Relacionado ao Trabalho TOTAL

NÚMERO DE CARGA PARTICIPANTES HORÁRIA 9 6 6 87 64 172 04:00:00 04:00:00 02:30:00 03:30:00 12:00:00 26:00:00

TOTAL DE HORAS 36:00:00 24:00:00 15:00:00 304:30:00 768:00:00 1147:30:00

TOTAL DE HORAS 1147:30:00 NÚMERO TOTAL DE COLABORADORES DO HOSPITAL 259 HORAS/HOMEM 4:25:50

8.1.12 – LOGÍSTIC A
1.13. Estoque
1 3.1 Esto que em dias de co nsumo - M at/med 30 dias .1 .

Jan 967,0 967,0

Fev 52,0 52,0

Mar

Abr

Mai

Jun 98,0 98,0

Jul 0,0 0,0

Ago 0,0 0,0

Set 0,0 0,0

Out 0,0 0,0

Nov 0,0 0,0

Dez 0,0 0,0

TOTAL 1397,0 1397,0

64,0 105,0 111,0 64,0 105,0 111,0

Total

COMENTÁRIO: 1. No mês de janeiro o estoque em dias de consumo apresentou erroneamente 967 dias. Foi constatado que a equipe do setor de logística não estava utilizando o sistema adequadamente para realizar os registros e movimentações de estoque. Realizada capacitação da equipe e monitoramento pela Consultoria de logística, tendo sido o estoque devidamente ajustado. Desta forma, a informação correta a ser considerada refere-se à informação do mês de fevereiro. 2. Em virtude de atrasos por parte dos fornecedores e posterior acúmulo das entregas, o estoque em dias de consumo nos meses de abril e maio, aumentou.

Página | 126

3. Percebe-se uma redução no estoque em dias de consumo no mês de junho em relação ao mês anterior, o que é natural, considerando a redução nas aquisições e os remanejamentos de estoques entre os hospitais da rede.

8.1.13 – CORPO CLÍNICO

O Corpo Clínico do Hospital Regional Público de Guaraí é composto por 22 médicos distribuídos da seguinte maneira: Urgência/Emergência: 14 médicos Cirurgias Urgência/emergência e eletivas: 04 Pediatria: 02 Cardiologia: 01 Oftalmologia: 01 Após pedido de exoneração do cargo de Diretor Técnico por parte do Dr. Juan Alfonso Quintero no mês de maio, no dia 22 de junho o Diretor Clínico, Dr. Roberto Riker Rebelo, comunicou o seu desligamento do cargo, por motivos de força maior. No dia 25 de junho/2012 foram protocolados ofícios por parte da Diretoria Operacional da Pró-Saúde junto à SESAU e Conselho Regional de Medicina do Tocantins, comunicando o fato. Na última semana deste mês de junho, as duas pediatras que compõe o quadro de profissionais médicos desta unidade hospitalar, e que sempre atuaram responsabilizando-se durante o mês todo pelos atendimentos na especialidade de pediatria, sendo que uma era responsável pelos pacientes internados na Unidade de Cuidados Intermediários Neonatal e pela avaliação dos bebês do alojamento conjunto, e a outra, pelos pacientes internados na unidade clínica pediátrica, sendo as rotinas de visitas e de prescrições realizadas diariamente no período matutino, ficando as mesmas de sobreaviso para atendimento às emergências nos demais períodos, comunicaram à diretoria do hospital sua opção em cumprirem suas cargas horárias em regime de plantões a partir do mês de julho/2012, ficando a avaliação dos recémnascidos e a UCI-Neo, descobertas. No dia 29 de junho/2012 a Diretoria Operacional da Pró-Saúde protocolou ofício na SESAU acerca da decisão das referidas médicas, para que as providências cabíveis sejam adotadas.

8.2 - SAU
1. Registros de Opinião
Ocorrências Reclamações Maio 2012 02

Página | 127

Sugestões Elogios Total de Questionários Queixas resolvidas Meta Contratual Meta Realizada

00 00 02 02 80% 100%

Houve uma redução nos números de reclamações em virtude do momento em que estamos vivendo o usuário não tem confiança e nem se sente seguro de fazer uma reclamação e obter uma resposta. Quanto a sugestões e elogios por mais que a equipe esforce para o usuário participar a resposta é a mesma (não adianta reclamar, elogiar e sugerir) não estão interessados.

- Referente aos serviços de ambulatório, Internação, Pronto Socorro e SADT, os números vêm confirmar a falta de segurança e acreditação.

8.3 – GERENCIAMENTO DE PROCESSOS
Página | 128

Aquisições sendo realizadas conforme nova politica de compras; Lançamentos das notas fiscais no sistema MV, digitalização e envio ao ECTO sendo realizados diariamente; Início do agendamento de consultas ambulatoriais e cirurgias eletivas via sistema MV.

8.4 – FATURAMENTO
4. Faturamento 4.1 - AIH (Quantitativo) 4.2 - Valores (em reais) Jan Fev Mar 209 235 282 0,0 0,0 Abr 284 Mai 170 Jun 0 0,0 Jul 0 0,0 Ago 0 0,0 Set 0 0,0 Out 0 0,0 Nov 0 0,0 Dez 0 TOTAL 1180

0,0 136.341,4 76.439,1

0,0 212.780,5

COMENTÁRIO: No mês de maio percebe-se uma redução considerável de AIH’s faturadas, o que está diretamente relacionado ao menor número de internações neste mês. O fechamento do mês de junho não foi concluído até a presente data (03/07/2012), desta forma não dispomos das informações para lançamento na tabela acima.

8.5 – OBRAS E IMPLANTAÇÃO DE NOVOS SERVIÇOS
No mês de junho não ocorreram obras e implantação de novos serviços.

8.6 – EQUIPAMENTOS NOVOS
Não ocorreram aquisições de novos equipamentos no mês de junho. No dia 19, o fornecedor que vendeu para o hospital nove purificadores de água, compareceu ao hospital para retirar os equipamentos devido à falta de pagamento dos mesmos. Tendo tomado conhecimento da intenção de retirar os equipamentos, o servidor responsável pelo patrimônio do hospital entrou em contato com a coordenação de patrimônio da SESAU, que o orientou chamar a polícia caso o fornecedor insistisse em retirar os purificadores. Após orientações do Delegado de Polícia local, o fornecedor resolveu manter os equipamentos no hospital e aguardar mais um tempo para receber o pagamento

8.7 – COMISSÕES
Reunião da CCIH realizada no dia 22 de junho/2012. Reunião da Comissão de Farmácia e Terapêutica realizada no dia 28 de junho/2012. As demais comissões (Óbitos e Prontuários) não apresentaram atas de reuniões neste mês. Percebe-se grande dificuldades dos membros integrantes das comissões reunirem-se para realização das reuniões mensais, e após anúncio, no decorrer do mês de maio, da quebra contatual entre SESAU e Pró-Saúde, esta questão ficou mais evidente. Página | 129

Comissão de Ética Médica - a eleição não foi realizada por falta de candidatos. Como medida preventiva para a manutenção da legalidade desta unidade hospitalar, foi protocolado junto ao Conselho Regional de Medicina, ofício solicitando parecer acerca das medidas cabíveis neste caso, para o qual aguardamos resposta.

8.8 – OUTRAS INFORMAÇÕES
VISITA DE TÉCNICOS DA SESAU No dia 06, recebemos a visita técnica dos servidores Bruno Mota Tolentino, Andreis Vicente da Costa e Bárbara Sanny Vaz Eduardo, da Diretoria de Gestão da Educação da Saúde/ETSUS/SESAU, a fim de conhecer as instalações e dados estatísticos do hospital, para avaliação da possibilidade de abertura de campo de residência médica para o curso de medicina nesta unidade hospitalar. REUNIÃO SOBRE PROGRAMAÇÃO PACTUADA INTEGRADA Dia 12 a diretoria geral do hospital participou de uma reunião sobre PPI na SESAU, a qual teve por objetivo levar ao conhecimento dos diretores dos hospitais o processo da PPI e de como o teto dos hospitais está composto. OFICINA DE IMPLANTAÇÃO DO PROTOCOLO DE ACIDENTE COM EXPOSIÇÃO A MATERIAL BIOLÓGICO RELACIONADO AO TRABALHO Nos dias 21 e 22 de junho foi realizada em Guaraí, pelo Núcleo de Informação do Centro de Referência Estadual em Saúde do Trabalhador/CEREST, a Oficina de Implantação do Protocolo de Acidente com Exposição a Material Biológico Relacionado ao Trabalho. Participaram do evento, médicos, enfermeiros e demais profissionais do HRPGuaraí.

Página | 130

PALAVRA DO DIRETOR GERAL DO HOSPITAL
Neste mês, as maiores dificuldades encontradas foram relacionadas a alguns fornecedores de gêneros alimentícios perecíveis que ameaçaram suspender o fornecimento diante dos atrasos nos pagamentos, sendo que o fornecedor de carnes vermelhas chegou a suspender o fornecimento por duas semanas, até que o pagamento fosse regularizado. O número de transferências de usuários para outras unidades esteve relacionada principalmente à especialidade de ortopedia, sendo que 44% dos encaminhamentos realizados foram para esta especialidade, seguidos de encaminhamentos para as especialidade de obstetrícia e cirurgia geral.

Página | 131

No dia 07 a lavanderia do hospital apresentou problemas relacionados à energia elétrica durante o seu funcionamento, sendo que a rede de energia à qual a lavanderia está ligada, não estava segurando a carga, sendo inclusive ocasionado queima do disjuntor no quadro geral de energia. Foi adquirido novo disjuntor e realizada a substituição do mesmo, o qual se manteve desarmando sempre que a secadora era colocada em funcionamento. Após avaliação de um profissional técnico, o qual possui considerável conhecimento das instalações do hospital, pelo fato de já ter trabalhado durante muitos anos no setor de manutenção predial desta unidade hospitalar, obtivemos o seguinte relato: 1. Máquina de secar roupas modelo industrial 15 kg de capacidade, ano de fabricação 1985 (27 anos de uso): a. Após funcionar o motor por alguns minutos, fecha curto, provocando queda das chaves disjuntoras, deixando todo setor de lavanderia e urgência/emergência, sem energia. b. Caixa de resistência com ferrugens e alto grau de desgastes. 2. Instalações elétricas do prédio em péssimas condições; fiação inadequada para o bom funcionamento dos equipamentos em geral; 3. Necessidade de estudo quanto à capacidade de fornecimento de energia para a unidade hospitalar, uma vez que a mesma possui somente 01 (um) transformador de tensão com capacidade de 75KV, e que o número de equipamentos utilizados atualmente é superior muitas vezes ao do início de seu funcionamento. Desde então, a lavanderia passou a funcionar precariamente, sendo solicitado em regime de urgência à SESAU, através do ofício Diroperacional nº 262/2012, que sejam tomadas as seguintes providências: 1. Avaliação da rede elétrica do hospital; 2. Correções necessárias na rede elétrica, a fim de proporcionar segurança e o adequado funcionamento dos equipamentos instalados; 3. Substituição da secadora da lavanderia. Após esse evento, no dia 23 a única centrífuga da lavanderia sofreu quebra de peças, inviabilizando sua utilização e a consequente paralização do processamento de roupas no hospital. Emergencialmente, a fim de manter o hospital em funcionamento, as roupas estão sendo lavadas no Hospital Regional Público de Miracema do Tocantins. Desta forma, solicitamos ao único fornecedor local que presta esse tipo de serviço no município de Guaraí, uma avaliação para realização de manutenção corretiva na centrífuga e na secadora, bem como manutenção preventiva nas lavadoras, sendo protocolado na SESAU, o ofício Diroperacional nº 315, de 29 de junho/2012, o qual solicita em regime de urgência, liberação de recursos para que as devidas manutenções sejam realizadas e o processamento da roupa do hospital retome sua normalidade. No referido ofício, foi ressaltada a necessidade de substituição de todos os equipamentos da lavanderia do hospital, considerando o longo período de utilização dos mesmos, os quais giram em

Página | 132

torno de 25 anos, sendo as manutenções solicitadas, uma maneira emergencial e paliativa de resolver a situação. No dia 28 de junho a Diretora Geral nomeada pela SESAU tomou posse e assumiu o gerenciamento do hospital, sendo que estamos contribuindo para que a transição ocorra da forma mais tranquila possível, seguindo as orientações emanadas do Escritório Central, Coordenação e Diretoria Operacional.

2.9 HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE ARRAIAS 2.9.1 METAS CONTRATUAIS
9.1.1 – Nº DE LEITOS POR ESPECIALIDADE;
1.1. Leitos por Especialidade 1.1.1. Clínica Médica 1.1.2. Clínica Pediátrica 1.1.3. Clínica Cirúrgica 1.1.4. Clínica Obstétrica 1.1.5. UTI de Adultos 1.1.6. UTI Infantil 1.1.7. UTI Neonatal 1.1.8. Berçário 1.1.9. Clínica Ortopédica 1.2.10. Outros Total de Leitos Jan 16 10 8 8 0 0 0 3 0 6 51 Fev 16 10 8 8 0 0 0 3 0 6 51 Mar 16 10 8 8 0 0 0 3 0 6 51 Abr 16 10 8 8 0 0 0 3 0 6 51 Mai 16 10 8 8 0 0 0 3 0 6 51 Jun 16 10 8 8 0 0 0 3 0 6 51 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 96 60 48 48 0 0 0 18 0 36 306

COMENTÁRIO: Após a formatação do quadro de leitos realizada em Dez/2011 o Hospital Regional Publico de Arraias permanece com a distribuição de leitos acima mencionada sem alteração. Ressalto que estes leitos foram suficientes para atender com sobras a demanda por nossos serviços.

Página | 133

9.1.2 – Nº. DE INTERNAÇÕES POR ESPECIALIDADE;
1.2. Internações por Especialidade 1.2.1. Clínica Médica 1.2.2. Clínica Pediátrica 1.2.3. Clínica Cirúrgica 1.2.4. Clínica Obstétrica 1.2.5. UTI de Adultos 1.2.6. UTI Infantil 1.2.7. UTI Neonatal 1.2.8. Berçário 1.2.9. Clínica Ortopédica 1.2.10. Outros Total de Internações por especialidade Jan 124 13 9 9 0 0 0 0 0 0 155 Fev 131 18 16 16 0 0 0 0 0 0 181 Mar 154 17 11 9 0 0 0 0 0 0 191 Abr 129 15 14 4 0 0 0 0 0 0 162 Mai 110 22 24 5 0 0 0 0 0 0 161 Jun 78 11 29 9 0 0 0 0 0 0 127 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 726 96 103 52 0 0 0 0 0 0 977

COMENTÁRIO: identificamos uma queda considerável no total de internações ocasionada pela falta de profissionais (médicos) que apresentaram atestados e assim justificaram sua ausência. Outro fator impactante, foi a que estivemos sem dois médicos no quadro, um afastado por licença medica e o outro gozando férias. Mesmo com a queda no volume de internações, notamos uma evolução expressiva na clinica cirúrgica de 20,83%.

9.1.3 – Nº. DE SAÍDOS POR ESPECIALIDADE
1.3. Nº. de saídos por especialidade 1.3.1. Clínica Médica 1.3.2. Clínica Pediátrica 1.3.3. Clínica Cirúrgica 1.3.4. Clínica Obstétrica 1.3.5. UTI de Adultos 1.3.6. UTI Infantil 1.3.7. UTI Neonatal 1.3.8. Berçário 1.3.9. Clínica Ortopédica 1.3.10. Outros Total de saídos por especialidade Jan 131 16 12 10 0 0 0 0 0 0 169 Fev 120 12 15 18 0 0 0 0 0 0 165 Mar 128 35 21 18 0 0 0 0 0 0 202 Abr 115 22 10 9 0 0 0 0 0 0 156 Mai 96 23 23 20 0 0 0 0 0 0 162 Jun 81 21 33 12 0 0 0 0 0 0 147 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 671 129 114 87 0 0 0 0 0 0 1001

COMENTÁRIO: Em comparação ao mês anterior, notamos uma queda no volume de pacientes saídos que tiveram suas razoes atreladas a falta de médicos, porem a demanda cirúrgica teve uma elevação de 43,48% frente ao mês de maio o que retrata o nível de alta complexidade que o paciente chega na unidade hospitalar necessitando de intervenção cirurgia por vezes de imediato.

Página | 134

9.1.4 – PERCENTUAL DE OCUPAÇÃO POR CLÍNICA;
1.4. Porcentagem de Ocupação 1.4.1. Clínica Médica 1.4.2. Clínica Pediátrica 1.4.3. Clínica Cirúrgica 1.4.4. Clínica Obstétrica 1.4.5. UTI de Adultos 1.4.6. UTI Infantil 1.4.7. UTI Neonatal 1.4.8. Outros (Berçário) 1.4.9. Clínica Ortopédica 1.4.10. Outros Jan 53% 11% 14% 9% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Fev 59% 7% 18% 15% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Mar 68% 15% 16% 10% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Abr 56% 11% 13% 4% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Mai 45% 15% 20% 4% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Jun 42% 12% 21% 11% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Jul 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Ago 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Set 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Out 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Nov 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Dez 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% TOTAL 323% 71% 101% 54% 0% 0% 0% 0% 0% 0%

COMENTÁRIO: O percentual de ocupação se manteve abaixo do mês anterior (Maio/2012). Tivemos um aumento no volume da clinica cirúrgica em decorrência do aumento dos casos de urgência recebidos na unidade.

9.1.5 – MÉDIA DE PERMANÊNCIA;

1.5. Média de Perm anência 1.5.1. Clínica Médica 1.5.2. Clínica Pediátrica 1.5.3. Clínica Cirúrgica 1.5.4. Clínica Obstétrica 1.5.5. UTI de Adultos 1.5.6. UTI Infantil 1.5.7. Uti Neonatal 1.5.8. Outros 1.5.9. Clínica Ortopédica 1.5.10. Outros Média Geral de Permanência

Jan 1,82 1,89 2,83 2 0 0 0 0 0 0 1,9

Fev 1,99 1,58 2,56 1,94 0 0 0 0 0 0 2,01

Mar 2,37 1,29 1,9 1,25 0 0 0 0 0 0 2,05

Abr 2,14 1,5 3,1 1 0 0 0 0 0 0 2,04

Mai 2,18 2 2,04 0,55 0 0 0 0 0 0 1,95

Jun 2,41 1,81 1,55 2,33 0 0 0 0 0 0 2,13

Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Ago Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

TOTAL 12,91 10,07 13,98 9,07 0 0 0 0 0 0

COMENTÁRIO: Em comparação ao mês anterior, notamos uma queda no volume de pacientes que tiveram suas razoes atreladas a falta de médicos, porem a demanda cirúrgica teve uma elevação o que retrata o nível de alta complexidade do paciente que chega na unidade hospitalar necessitando de intervenção cirurgia por vezes de imediato e elevando assim a media de permanência.

Página | 135

9.1.6 – VOLUME CIRURGICO
1.6. Volum e Cirúrgico 1.6.1. Cirurgias de Urgência 1.6.2. Cirurgias Eletivas Média Geral de Cirurgias Jan 12 8 20 Fev 14 10 24 Mar 18 4 22 Abr 12 8 20 Mai 21 13 34 Jun 36 0 36 Jul 0 0 0 Ago 0 0 0 Set 0 0 0 Out 0 0 0 Nov 0 0 0 Dez 0 0 0 TOTAL 113 43 156

COMENTÁRIO: Verificamos o aumento no volume cirúrgico mesmo embora tivéssemos a falta de médicos o que mais uma vez retrata o nível de alta complexidade do paciente que chega na unidade hospitalar necessitando de intervenção cirurgia por vezes de imediato.
9.1.6.3 – Nº DE CIRURGIAS POR PORTE;

1.6.3. Núm ero de Cirurgias por Porte 1.6.3.1. Cirurgias Grandes 1.6.3.2. Cirurgias Médias 1.6.3.3. Cirurgias Pequenas 1.6.3.4. Curetagens 1.6.3.5. Cesáreas Média Geral de Cirurgias por Porte

Jan 0 7 5 0 8 20

Fev 3 2 7 3 9 24

Mar 2 2 15 2 1 22

Abr 2 2 11 1 4 20

Mai 3 6 17 1 7 34

Jun 10 3 20 0 3 36

Jul 0 0 0 0 0 0

Ago 0 0 0 0 0 0

Set 0 0 0 0 0 0

Out 0 0 0 0 0 0

Nov 0 0 0 0 0 0

Dez 0 0 0 0 0 0

TOTAL 20 22 75 7 32 156

COMENTÁRIO: O aumento das cirurgias de grande porte retrata o nível de alta complexidade do paciente que chega na unidade hospitalar necessitando de intervenção cirúrgica por vezes de imediato.

9.1.6.4 – Nº. DE PARTOS POR TIPO
1.6.4. Núm ero de partos por tipo 1.6.4.1. Normal 1.6.4.2. Cesariana 1.6.3.3. Outros Jan 3 8 0 Fev 12 9 0 Mar 9 2 0 Abr 6 4 0 Mai 10 7 0 Jun 10 3 0 Jul 0 0 0 Ago 0 0 0 Set 0 0 0 Out 0 0 0 Nov 0 0 0 Dez 0 0 0 TOTAL 50 33 0

Página | 136

9.1.7 – SADT’S
1.7. SADT 1.7.1. Laboratório Clínico 1.7.2. Anatomia Patológica 1.7.3. Radiologia 1.7.4. Eletrocardiografia 1.7.5. Fisioterapia (Sessões) 1.7.6. Hemodiálise(Sessões) 1.7.7. Hemodinâmica 1.7.8. Hemoterapia 1.7.9. Endoscopia 1.7.10. Ultrassonografia 1.7.11 Tomografia Computadorizada 1.7.12 Ressonancia Magnética 1.7.13 Mamografia 1.7.14 Citopatologia 1.7.15 Eletroencefalografia 1.7.16 Teste do Pézinho 1.7.17 Diversos 1.7.18 Teste Ergométrico Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 13032 20 1677 0 672 0 0 0 0 494 0 0 0 0 0 0 79 0

2.039 2.226 2.245 2.222 2.285 2.015 4 268 0 72 0 0 0 0 40 0 0 0 0 0 0 6 0 1 284 0 80 0 0 0 0 89 0 0 0 0 0 0 12 0 1 341 0 120 0 0 0 0 65 0 0 0 0 0 0 7 0 3 268 0 135 0 0 0 0 124 0 0 0 0 0 0 16 0 5 262 0 120 0 0 0 0 126 0 0 0 0 0 0 21 0 6 254 0 145 0 0 0 0 50 0 0 0 0 0 0 17 0

COMENTÁRIO: : Nossa produção de exames auxiliares foi 11,85% menor do que o mês de junho/2012. As razoes estão atreladas a falta de medico que foram devidamente pontuadas para SESAU. Outro fator evidenciado foi a baixa procura por atendimento na unidade.
9.1.8 – AMB ULATÓRIO

1.8. Ambulatório 1.8.1. Consultas 1.8.2. Consultas com Procedimentos 1.8.3. Procedimentos 1.8.4. Procedimentos Cirúrgicos Total

Jan 0 0 0 0 0

Fev 217 0 0 0 217

Mar 240 0 0 0 240

Abr 261 0 0 0 261

Mai 318 0 0 0 318

Jun 226 0 0 0 226

Jul 0 0 0 0 0

Ago 0 0 0 0 0

Set 0 0 0 0 0

Out 0 0 0 0 0

Nov 0 0 0 0 0

Dez 0 0 0 0 0

TOTAL 1262 0 0 0 1262

COMENTÁRIO: Como podemos constatar no quadro acima nossa equipe atende uma grande quantidade de consultas ambulatoriais, porém nossa finalidade da unidade hospitalar é Urgência e Emergência.

Página | 137

9.1.9 – ATENDIMENTOS DE URGÊNCIA/EMERGÊNCIA

1.9. Urgência/Emergência 1.9.1. Consultas 1.9.2. Consultas com Procedimentos 1.9.3. Procedimentos 1.9.4. Procedimentos Cirúrgicos Total

Jan

Fev

Mar

Abr

Mai

Jun 994 0 0 0 994

Jul 0 0 0 0 0

Ago 0 0 0 0 0

Set 0 0 0 0 0

Out 0 0 0 0 0

Nov 0 0 0 0 0

Dez 0 0 0 0 0

TOTAL 8047 0 0 86 8133

1590 1284 1532 1381 1266 0 0 20 0 0 24 0 0 22 0 0 20 0 0 0

1610 1308 1554 1401 1266

COMENTÁRIO: Mesmo sabendo que o foco da unidade é o atendimento de urgência e emergência, podemos evidenciar que poucos são os casos que se enquadram nessa rotina, mesmo com a queda no atendimento, fica claro através dos números que o serviço de assistência primária dos municípios aos quais atendemos precisa melhorar e muito. Porém com estes atendimentos a instituição acaba contribuindo com a população não a deixando desassistida.
9.1.10 – RECURSOS HUMANOS
1.10. Recursos Humanos 1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total 29 73 11 11 12 136 Janeiro
S e s a u P ró 3º

Fevereiro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Março
T o t a l S e s a u P ró 3º T o t a l S e s a u P ró

Abril
3º T o tal

20 2 2 26 0 50

0 0 0 0 0 0

49 75 13 37 12 186

22 73 11 11 12 129

20 2 2 33 0 57

0 0 0 0 0 0

42 75 13 44 12 186

24 73 12 11 12 132

20 2 2 32 0 56

0 0 0 0 0 0

44 75 14 43 12 188

24 73 12 11 12 132

20 3 2 33 0 58

0 0 0 0 0 0

44 76 14 44 12 190

1.10. Recursos Humanos
S e s a u P ró

Maio

Junho
T o t a l S e s a u P ró 3º

Julho
T o t a l S e s a u P ró 3º

Agosto
T o t a l S e s a u P ró 3º T o tal

1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total

24 73 12 11 12 132

20 2 2 33 0 57

0 0 0 0 0 0

44 75 14 44 12 189

24 73 12 11 12 132

20 2 2 33 0 57

0 0 0 0 0 0

44 75 14 44 12 189

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

1.10. Recursos Humanos 1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total 0 0 0 0 0 0

Setem bro
S e s a u P ró 3º

Outubro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Novem bro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Dezem bro
T o t a l S e s a u P ró 3º T o tal

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

Página | 138

RELATÓRIO GESTÃO DE PESSOAS

Competência: Junho/2012 Dependência: Hospital Regional Público de Arraias • Neste mês (Junho/2012) tivemos 12 (doze) licenças médicas, sem afastamento junto ao INSS.

1.

Quantitativo de funcionários ativos por função:

N. FUNCIONÁFUNÇÕES RIOS ATIVOS JUNHO AGENTE DE PORTARIA ASSIST. ADMINISTR. ASSIST. FINANCEIRO AUX. ALMOXARIFADO AUX. CONTABIL AUX. DEP.PESSOAL I AUX. HIG. LIMPEZA AUX. INFORMATICA AUX. LAVANDERIA COORD. ENFERMAGEM COPEIRO (A) COZINHEIRO (A) DIR. GERAL ENFERMEIRO (A) LIDER DE MANUTENCAO NUTRICIONISTA RECEP. POSSO AJUDAR SUPERV. SAL SUPERV. SPR/SHL 7 8 1 1 1 1 9 1 3 0 7 3 1 2 1 1 3 1 1

Página | 139

TEC EM RADIOLOGIA SUPERVISOR Total Geral 2.

2 3 57

Quantitativo de funcionários ativos por setor N. FUNCIONÁSETORES RIOS ATIVOS JUNHO ADM. ECTO ADMINISTRACAO DIRETORIA ENFERMAGEM 2 11 1 2 1 10 3 1 7 2 4 12 1 57

GESTAO DE PESSOAS HIG. E LIMPEZA LAVANDERIA MANUTENCAO PORTARIA RADIOLOGIA S.A.U S.N.D.-SERV. NUT. DIET. T.I Total Geral 3. ROTATIVIDADE ADMISSÃO DEMISSÃO TRANSFERÊNCIAS (RESCISÕES) TRANSFERÊNCIAS (ADMISSÕES) AFASTADOS

Rotatividade – Histórico de meses anteriores: jan/12 4 1 0 0 0 fev/12 8 0 0 0 0 mar/12 0 2 0 0 0 abr/12 2 0 0 0 0 mai/12 2 1 0 0 0 jun/12 0 0 0 0 0

Página | 140

4.

Quantitativo atingido das cotas legais - Histórico de meses anteriores: jan/12 fev/12 mar/12 abr/12 mai/12 jun/12

COTAS PNE - PORTADOR DE NECESSIDADE ESPECIAL MENOR APRENDIZ

0

0

0

0

0

0

0

0

0

0

0

0

5.

Grau de instrução dos colaboradores ativos – Histórico de meses anteriores: jan/12 1 5 2 0 32 1 9 0 0 0 50 fev/12 1 5 2 0 38 1 11 0 0 0 58 mar/12 1 5 1 0 37 1 11 0 0 0 56 abr/12 1 6 1 0 37 1 12 0 0 0 58 mai/12 1 6 1 0 37 1 11 0 0 0 57 jun/12 1 6 1 0 37 1 11 0 0 0 57

GRAU DE INSTRUÇÃO ANALFABETO ENSINO FUNDAMENTAL INCOMPLETO ENSINO FUNDAMENTAL COMPLETO ENSINO MÉDIO INCOMPLETO ENSINO MÉDIO COMPLETO SUPERIOR INCOMPLETO SUPERIOR COMPLETO ESPECIALIZAÇÃO MESTRADO DOUTORADO Total Geral

Página | 141

9.1.11 – NEP

9.1.12 – LOGÍSTIC A

1.13. Estoque
1 3.1 Esto que em dias de co nsumo - M at/med 30 dias .1 .

Jan 374,6 374,6

Fev 138,3 138,3

Mar 85,1 85,1

Abr

Mai

Jun

Jul 0,0 0,0

Ago 0,0 0,0

Set 0,0 0,0

Out 0,0 0,0

Nov 0,0 0,0

Dez 0,0 0,0

TOTAL 965,3 965,3

132,1 130,2 105,0 132,1 130,2 105,0

Total

COMENTÁRIO: Realizado controle eficaz garantindo a acuracia dos estoques. Página | 142

9.1.13 – CORPO CLÍNICO

No mês de Junho/2012 damos segmento a educação continuada para o corpo clinico e tivemos a participação de alguns membros no seguinte treinamento: • Educação medica continuada: Modulo - Suporte avançado de vida em cardiologia Não tivemos ações efetivas da diretoria técnica para sanar a assiduidade do corpo clinico. (reuniões etc)

9.2 - SAU 1.Restrito de Opinião Durante o período do mês de junho não houve registros de reclamações, sugestões e elogios por parte dos usuários. 2. Índices de Satisfação As pesquisas realizadas com usuários nos setores de: internação, Pronto Socorro, Ambulatório e SADT, demonstraram queda nos índices de satisfação devido a demora nos atendimentos. Vale salientar, que hospital encontra-se com déficit no quadro médico (médico de férias e licença médica) e isso vem contribuindo para insatisfação no atendimento ao usuário. Os gráficos abaixo apresentam queda nos índices de satisfação no mês de junho.

Hospital Regional Público de Arraias
120,00 100,00 80,00 60,00 40,00 20,00 0,00 -20,00 AMBULATORIO (%) 89,24 92,33 88,74 -0,56% INTERNAÇÃO (%) 96,40 95,97 91,16 -5,44% PRONTO SOCORRO (%) 81,40 89,70 87,17 7,09% 88,74 91,16 87,17 91,43

SADT (%) 89,87 93,21 91,43 -1,91%

Abril/2012 Maio/2012 Junho/2012 Evolução do Período

Página | 143

9.3 – GERENCIAMENTO DE PROCESSOS
Com o recurso financeiro compacto, estamos realizando um trabalho forte na reestruturação da Logistica, padronização do setor de compras, implementação de um modelo de controle para farmácia visando acabar com estoques paralelos e possíveis evasões de medicamentos na unidade, ações para incentivar a padronização de medicamentos e garantir o fornecimento de insumos aplicados na assistência ao paciente, adequação de um controle seguro sobre os itens adquiridos e a forma de aquisição possibilitando assim gerar indicadores e relatórios estatísticos para tomada de decisão que orientem a aquisição de insumos garantindo desta forma a acurácia dos estoques.

9.4 – FATURAMENTO
4.1 - AIH (Quantitativo) 4.2 - Valores (em reais) 131 29.675,1 132 160 104 150 96 0 0 0 0,0 0 0 0 773

30.337,0 43.187,1 27.415,4 34.805,6 21,833,67

0,0 0,0

0,0 0,0 0,0 165420,2

COMENTÁRIO: No mês de maio/2012 como ainda estamos na fase de implantação do novo modelo de faturamento via sistema SIS REG III, após reunião realizada com Sr. Divino da Central de regulação, estamos monitorando e utilizando normalmente o sistema porem por recomendação da regulação qualquer intercorrência esta sendo devidamente comunicada aos representantes desta regulação.

9.6 – OBRAS E IMPLANTAÇÃO DE NOVOS SERVIÇOS
Estamos controlando ao máximo o gasto com insumos realizando apenas a manutenção de rotina na unidade tendo em vista a falta do repasse e fluxo financeiro, motivo pelo qual estamos gerenciando a unidade sem eventuais gastos com obras e zelando pela conservação da estrutura já existente.

9.7 – EQUIPAMENTOS NOVOS
No mês de Junho/2012 gerenciamos a unidade hospitalar com a estrutura já alocada, ou seja, não houve aquisição de novos equipamentos para unidade.

9.8 – COMISSÕES
Quanto à questão das comissões, ressaltamos logo abaixo alguns fatores impactantes que contribuíram para não realização das reuniões de todas as comissões: • O esvaziamento provocado pela rescisão de contrato do estado com a Pró - Saude; Página | 144

Falta de profissionais (médicos, enfermeiros, farmacêuticos e outros) que alegam a não viabilidade da participação por não terem uma carga horária disponível para atuarem junto às comissões e principalmente por não serem remunerados para tal o que acabou comprometendo a realização das seguintes comissões no mês de Junho/2012 do corrente ano: CCIH: (Enfermeira responsável entregou a comissão). ÉTICA MEDICA: Não estamos atingindo o quorum necessário para realização.

• •

Outro fator impactante é a estrutura para realização destas reuniões que por vezes trata assuntos confidenciais e necessitam de sigilo nas tratativas. Volto a ressaltar que o assunto da rescisão contratual com o estado acabou interferindo na posição do servidor que passou a tratar em segundo mão as questões processuais que lhes eram atribuídas.

Seguem logo abaixo as comissões que conseguimos reunir: COMISSÃO DE ÓBITOS • • •

Levantamento de óbitos ocorridos no mês de junho de 2012; Após a constatação de 03 óbitos, realizamos o confronto óbito x diagnostico x idade para projeções assistenciais; Preenchimento do CID com letras legíveis para evitar erros.

COMISSÃO DE PRONTUÁRIO • • • • • •

Análise de prontuário; Atraso no preenchimento dos prontuários; Preenchimentos ilegíveis das autorizações de internações hospitalar dificultando a identificação do diagnostico para o faturamento; Saída dos médicos com os prontuários da unidade o que é proibido; Falta do numero do cartão SUS em muitos prontuários; Aguardando nomeação de um novo Diretor Técnico ou o retorno no mesmo para que seja resolvido os problemas encontrados.

FARMÁCIA TERAPÊUTICA

Página | 145

• •

Comunicar aos médicos estoque de alguns MAT/MED usados no centro cirúrgico limitando somente as cirurgias de emergências; Devido o fato de algumas seringas, onde estavam quebrando, elaborar ficha técnica para relatar aos fornecedores, vigilância sanitária e outros.

Findo o tópico comissões informando que apesar dos esforços individuais de alguns servidores/funcionários, não conseguimos dar continuidade em 100% das atividades das comissões.

PALAVRA DO DIRETOR GERAL DO HOSPITAL
Após a avaliação dos números da unidade referentes ao mês de Junho/2012, podemos evidenciar uma queda nos atendimentos que estão diretamente ocasionados há um problema evidenciado para secretaria de saúde do estado de Tocantins através de seu órgão de fiscalização (núcleo gestor) e também via oficio protocolados e endereçados diretamente ao secretario de saúde que é a falta de medico. Junto a diretoria técnica da Pro Saude, foi realizado uma analise sinóptica individualizada do corpo clinico do hospital onde constatamos que desde dezembro/2011 ate a presente data, tivemos uma media de 43 plantões sem médicos que foram justificados através de atestado. Destes plantões, alguns casos foram cobertos, pois conseguimos encaixar profissionais com disponibilidade para atuar, em outros casos ficamos descobertos. Como os problemas com o corpo clinico são reincidentes, adotamos algumas ações em prol da melhoria das condições da unidade, são elas: • • • • Reunião com a promotoria da comarca de Arraias; Reunião com a câmara dos vereadores; Envio de oficio para o Secretario de Saude; Notificações das intercorrencias da unidade para o núcleo gestor/gabinete da Secretaria de saúde dentre outras. Apesar das dificuldades com o corpo clinico, estamos desenvolvendo um trabalho voltado ao controle da logística, para incentivar a padronização de medicamentos e garantir o fornecimento de insumos aplicados na assistência ao paciente, adequação de um controle seguro sobre os itens adquiridos e a forma de aquisição possibilitando assim gerar indicadores e relatórios estatísticos para tomada de decisão que orientem a aquisição de insumos garantindo desta forma a acurácia dos estoques.

Página | 146

No quesito atendimento e satisfação, o Hospital Regional Publico de Arraias realizou no período de janeiro a junho/2012 na gestão Pró Saúde o numero expressivo 8047 consultas sobressaindo o mesmo período de 2011 (históricos anteriores), chegando a uma media mensal de 1341 consultas mês. Neste mesmo período, apesar das dificuldades com falta de médicos na unidade, ficou demonstrado que o aumento de pacientes se deu pelo fato da melhora continua na qualidade dos serviços prestados o que vêm repercutindo positivamente na população local. Entendemos que esse aumento, conforme a triagem realizada pela classificação do perfil de pacientes ambulatoriais é reflexo da dificuldade de acessibilidade as Unidades Básicas e Terciárias destes municípios, somados a proximidades da divisa territorial, e o menor tempo de espera por atendimento nesta Unidade. Em síntese, podemos evidenciar que mesmo com toda dificuldade/adversidade vivenciada na unidade hospitalar, como o repasse do fluxo financeiro estamos conseguindo comprar insumos de qualidade que alinhados ao alto padrão de gestão da Pró-Saúde, refletem em um atendimento com qualidade para a população.

2.10 HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE DOENÇAS TROPICAIS 2.10.1 METAS CONTRATUAIS

10.1 – INDICADORES DE PRODUÇÃO
10.1.1 – Nº DE LEITOS POR ESPECIALIDADE;
1.1. Leitos por Especialidade 1.1.1. Clínica Médica 1.1.2. Clínica Pediátrica 1.1.3. Clínica Cirúrgica 1.1.4. Clínica Obstétrica 1.1.5. UTI de Adultos 1.1.6. UTI Infantil 1.1.7. UTI Neonatal 1.1.8. Berçário 1.1.9. Clínica Ortopédica 1.2.10. Outros Total de Leitos Jan 36 15 0 0 0 0 0 0 0 0 51 Fev 36 15 0 0 0 0 0 0 0 0 51 Mar 36 15 0 0 0 0 0 0 0 0 51 Abr 36 15 0 0 0 0 0 0 0 0 51 Mai 36 15 0 0 0 0 0 0 0 0 51 Jun 36 15 0 0 0 0 0 0 0 0 51 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 216 90 0 0 0 0 0 0 0 0 306

COMENTÁRIO: Não houve variações nos números de leitos por especialidade.

Página | 147

10.1.2 – Nº. DE INTERNAÇÕES POR ESPECIALIDADE;
1.2. Internações por Especialidade 1.2.1. Clínica Médica 1.2.2. Clínica Pediátrica 1.2.3. Clínica Cirúrgica 1.2.4. Clínica Obstétrica 1.2.5. UTI de Adultos 1.2.6. UTI Infantil 1.2.7. UTI Neonatal 1.2.8. Berçário 1.2.9. Clínica Ortopédica 1.2.10. Outros Total de Internações por especialidade Jan 114 46 0 0 0 0 0 0 0 0 160 Fev 96 49 0 0 0 0 0 0 0 0 145 Mar 98 46 0 0 0 0 0 0 0 0 144 Abr 79 40 0 0 0 0 0 0 0 0 119 Mai 86 45 0 0 0 0 0 0 0 0 131 Jun 79 47 0 0 0 0 0 0 0 0 126 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 552 273 0 0 0 0 0 0 0 0 825

COMENTÁRIO: Os números de internação mostram uma redução de 4% em relação ao mês de maio variação explicada pela sazonalidade do serviço.

10.1.3 – Nº. DE SAÍDOS POR ESPECIALIDADE
1.3. Nº. de saídos por especialidade 1.3.1. Clínica Médica 1.3.2. Clínica Pediátrica 1.3.3. Clínica Cirúrgica 1.3.4. Clínica Obstétrica 1.3.5. UTI de Adultos 1.3.6. UTI Infantil 1.3.7. UTI Neonatal 1.3.8. Berçário 1.3.9. Clínica Ortopédica 1.3.10. Outros Total de Internações por especialidade Jan 98 49 0 0 0 0 0 0 0 0 147 Fev 103 40 0 0 0 0 0 0 0 0 143 Mar 99 45 0 0 0 0 0 0 0 0 144 Abr 90 38 0 0 0 0 0 0 0 0 128 Mai 81 44 0 0 0 0 0 0 0 0 125 Jun 86 46 0 0 0 0 0 0 0 0 132 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 557 262 0 0 0 0 0 0 0 0 819

COMENTÁRIO: Podemos observar que no mês de junho um aumento de 6% nos números de saídos o que se dá principalmente pela sazonalidade nos atendimentos do hospital. Porem no mês de junho não conseguimos bater a meta de 165 saídos, atingindo 132 saídos, o que representa 80% da meta contratual.

Página | 148

10.1.4 – PERCENTUAL DE OCUPAÇÃO POR CLÍNICA;
1.4. Porcentagem de Ocupação 1.4.1. Clínica Médica 1.4.2. Clínica Pediátrica 1.4.3. Clínica Cirúrgica 1.4.4. Clínica Obstétrica 1.4.5. UTI de Adultos 1.4.6. UTI Infantil 1.4.7. UTI Neonatal 1.4.8. Outros (Berçário) 1.4.9. Clínica Ortopédica 1.4.10. Outros Porcentagem Geral de Ocupação Jan 66% 79% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 70% Fev 72% 80% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 74% Mar 68% 72% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 69% Abr 58% 79% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 64% Mai 49% 83% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 59% Jun 56% 76% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 62% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Jul Ago Set Out Nov Dez TOTAL 62% 78% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 66%

COMENTÁRIO: Podemos notar um aumento de 4% na taxa geral de ocupação, redução de 9% na clínica pediátrica e aumento de 13% na clínica médica.

10.1.5 – MÉDIA DE PERMANÊNCIA;
1.5. Média de Perm anência 1.5.1. Clínica Médica 1.5.2. Clínica Pediátrica 1.5.3. Clínica Cirúrgica 1.5.4. Clínica Obstétrica 1.5.5. UTI de Adultos 1.5.6. UTI Infantil 1.5.7. Uti Neonatal 1.5.8. Outros 1.5.9. Clínica Ortopédica 1.5.10. Outros Média Geral de Permanência Jan 7,48 7,54 0 0 0 0 0 0 0 0 7,5 Fev 7,31 8,65 0 0 0 0 0 0 0 0 7,69 Mar 7,71 7,4 0 0 0 0 0 0 0 0 7,61 Abr 6,91 9,34 0 0 0 0 0 0 0 0 7,63 Mai 6,8 8,77 0 0 0 0 0 0 0 0 7,5 Jun 7,02 7,39 0 0 0 0 0 0 0 0 7,15 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul Ago Set Out Nov Dez TOTAL 7,21 8,18 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 7,51

COMENTÁRIO: Podemos observar uma redução de 5% na média de permanência geral, um aumento de 3% na clínica médica e redução de 16% na clínica pediátrica.

10.1.6 – VOLUME CIRURGICO
10.1.6.1 – Nº DE CIRURGIAS ELETIVAS;
1.6. Volum e Cirúrgico 1.6.1. Cirurgias de Urgência 1.6.2. Cirurgias Eletivas Média Geral de Cirurgias Jan 0 55 55 Fev 0 51 51 Mar 0 44 44 Abr 0 42 42 Mai 0 37 37 Jun 0 28 28 Jul 0 0 0 Ago 0 0 0 Set 0 0 0 Out 0 0 0 Nov 0 0 0 Dez 0 0 0 TOTAL 0 257 257

COMENTÁRIO: O hospital não possui bloco cirúrgico, apenas uma sala para pequenos procedimentos. Página | 149

10.1.6.2 – Nº DE CIRURGIAS POR PORTE;
1.6.3. Núm ero de Cirurgias por Porte 1.6.3.1. Cirurgias Grandes 1.6.3.2. Cirurgias Médias 1.6.3.3. Cirurgias Pequenas 1.6.3.4. Curetagens 1.6.3.5. Cesáreas Média Geral de Cirurgias por Porte Jan 0 0 55 0 0 55 Fev 0 0 51 0 0 51 Mar 0 0 44 0 0 44 Abr 0 0 42 0 0 42 Mai 0 0 37 0 0 37 Jun 0 0 28 0 0 28 Jul 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 TOTAL 0 0 257 0 0 257

COMENTÁRIO: São realizadas apenas pequenas cirurgias, principalmente dermatológicas.
10.1.6.3 – Nº. DE PARTOS POR TIPO
1.6.3. Núm ero de Partos 1.6.3.1. Normal 1.6.3.2. Cesáreas 1.6.3.3. Outros Média Geral de Partos Jan 0 0 0 0 Fev 0 0 0 0 Mar 0 0 0 0 Abr 0 0 0 0 Mai 0 0 0 0 Jun 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 TOTAL 0 0 0 0

COMENTÁRIO: O Hospital não realiza partos.

10.1.7 – SADT’S
1.7. SADT 1.7.1. Laboratório Clínico 1.7.2. Anatomia Patológica 1.7.3. Radiologia 1.7.4. Eletrocardiografia 1.7.5. Fisioterapia (Sessões) 1.7.6. Hemodiálise(Sessões) 1.7.7. Hemodinâmica 1.7.8. Hemoterapia 1.7.9. Endoscopia 1.7.10. Ultrassonografia 1.7.11 Tomografia Computadorizada 1.7.12 Ressonancia Magnética 1.7.13 Mamografia 1.7.14 Citopatologia 1.7.15 Eletroencefalografia 1.7.16 Teste do Pézinho 1.7.17 Diversos 1.7.18 Teste Ergométrico 1.7.19 Outros ( especificar) Ecocardigrafia Total Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 42652 208 1241 332 466 0 0 916 31 289 148 23 0 0 0 0 0 0 40 46346

6462 7822 7854 7088 7322 6104 33 130 61 103 0 0 179 5 45 30 4 0 0 0 0 0 0 10 49 281 55 119 0 0 158 13 43 32 5 0 0 0 0 0 0 8 46 209 61 95 0 0 75 6 55 14 5 0 0 0 0 0 0 11 35 227 56 41 0 0 178 3 44 18 3 0 0 0 0 0 0 5 25 210 48 66 0 0 140 4 59 26 2 0 0 0 0 0 0 5 20 184 51 42 0 0 186 0 43 28 4 0 0 0 0 0 0 1

7062 8585 8431 7698 7907 6663

COMENTÁRIO: Podemos notar uma redução de 16% no volume de exames, redução essa que se deu Página | 150

principalmente pela redução dos exames de laboratório clínico devido a iminência do termino de contrato com o Laboratório Prisma e falta de insumos para realização de alguns exames.
10.1.8 – AMB ULATÓR IO
1.8. Ambulatório 1.8.1. Consultas 1.8.2. Consultas com Procedimentos 1.8.3. Procedimentos 1.8.4. Procedimentos Cirúrgicos Total Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 TOTAL 8562 0 0 0 8562

1388 1491 1717 1425 1505 1036 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

1388 1491 1717 1425 1505 1036

COMENTÁRIO: Podemos observar uma redução de 31% no numero de atendimentos ambulatoriais.
10.1.9 – ATENDIMENTOS DE URGÊNCIA/EMERGÊNCIA
1.9. Urgência/Emergência 1.9.1. Consultas 1.9.2. Consultas com Procedimentos 1.9.3. Procedimentos 1.9.4. Procedimentos Cirúrgicos Total Jan 542 0 0 0 542 Fev 490 0 0 0 490 Mar 485 0 0 0 485 Abr 526 0 0 0 526 Mai 524 0 0 0 524 Jun 414 0 0 0 414 Jul 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 TOTAL 2981 0 0 0 2981

COMENTÁRIO: Houve uma redução de 21% no numero de consultas de Urgência/Emergência.

Página | 151

10.1.10 – NEP

Página | 152

10.1.11 – RECURSOS HUMANOS
1.10. Recursos Humanos 1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total 40 110 1 27 27 205 Janeiro
S e s a u P ró 3º

Fevereiro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Março
T o t a l S e s a u P ró 3º T o t a l S e s a u P ró

Abril
3º T o tal

35 18 1 56 1 111

0 0 0 0 0 0

75 128 2 83 28 316

31 109 1 25 27 193

36 19 1 66 1 123

0 0 0 0 0 0

67 128 2 91 28 316

30 110 1 25 27 193

36 19 1 67 1 124

0 0 0 0 0 0

66 129 2 92 28 317

30 110 1 25 27 193

36 20 1 71 1 129

0 0 0 0 0 0

66 130 2 96 28 322

1.10. Recursos Humanos
S e s a u P ró

Maio

Junho
T o t a l S e s a u P ró 3º

Julho
T o t a l S e s a u P ró 3º

Agosto
T o t a l S e s a u P ró 3º T o tal

1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total

30 110 1 25 27 193

42 19 1 66 1 129

0 0 0 0 0 0

72 129 2 91 28 322

30 110 1 25 27 193

41 19 1 66 1 128

0 0 0 0 0 0

71 129 2 91 28 321

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

1.10. Recursos Humanos 1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total 0 0 0 0 0 0

Setem bro
S e s a u P ró 3º

Outubro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Novem bro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Dezem bro
T o t a l S e s a u P ró 3º T o tal

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

COMENTÁRIO: Houve variação de um colaborador da administração contratado pela pró devido ao termino de contrato.
10.1.12 – LOGÍSTIC A

1.13. Estoque
1 3.1 Esto que em dias de co nsumo - M at/med 30 dias .1 .

Jan 0,0 0,0

Fev 0,0 0,0

Mar 41,7 41,7

Abr 64,6 64,6

Mai 24,9 24,9

Jun 27,7 27,7

Jul 0,0 0,0

Ago 0,0 0,0

Set 0,0 0,0

Out 0,0 0,0

Nov 0,0 0,0

De z 0,0 0,0

TOTAL 158,9 158,9

Total

COMENTÁRIO: Podemos observar que o numero de dias de consumo aumentou em três dias porem o ideal é 15 dias atendendo assim a política de compras

Página | 153

10.1.13 – CORPO CLÍNICO

- Não foram realizadas ações relacionadas ao corpo clinico.

10.2 - SAU 1. Registros de Opinião ocorridos de 01/06/2012 a 30/06/2012. Ocorrências Reclamações Sugestões Elogios Total de Questionários Queixas resolvidas Meta Contratual Meta Realizada 5 80% 100% JUNHO 2012 5 3 1

Em Junho atingimos 100% de meta realizada, onde sempre passamos retorno imediato ao usuário. As reclamações são caracterizadas pela falta de informações da equipe assistente ao paciente e demora no atendimento.

Índices de Satisfação

Página | 154

HDT Hospital Público de Doenças Tropicais
100,00 90,00 80,00 70,00 60,00 50,00 40,00 30,00 20,00 10,00 0,00 AMBULATORIO (%) 86,77 92,17 89,51 3,16% INTERNAÇÃO (%) 92,13 90,33 92,81 0,74% PRONTO SOCORRO (%) 87,53 83,34 90,27 3,13% SADT (%) 82,38 84,98 86,29 4,75% 89,51 92,81 90,27 86,29

Abril/2012 Maio/2012 Junho/2012 Evolução do Período

O índice de satisfação do ambulatório em Junho evoluiu 3,16% em relação a Abril, mas sofreu uma pequena queda em relação a Maio. A insatisfação nesse período está diretamente ligada a alguns problemas na central de agendamentos, onde o paciente agendava a consulta e no momento do atendimento seu nome não constava na agenda médica, ou às vezes era agendado para um médico especialista em outra área divergente de sua patologia. Dessa forma, alguns usuários saiam do Hospital sem atendimento. Outro fator relevante no ambulatório é o tempo de espera para atendimento com índice de satisfação de 70,1%, que já vem seguindo a mesma média no ultimo trimestre. O que pode influenciar é o horário que solicitamos para os pacientes chegarem ao hospital, com média de 30 minutos antes da consulta para passar pela recepção para gerar atendimento e depois pela triagem como já é de rotina, e o atraso de alguns médicos que atendem em outros hospitais e que também precisam fazer visita na internação antes do atendimento. A internação evoluiu 0,74% com índice de satisfação de 92,81%, foi bem avaliada em grande parte dos atendimentos com percentual acima da média; atendimento da recepção 98,6%; atendimento da equipe de enfermagem 98,1%; atendimento da equipe médica Página | 155

98,1%; instalações físicas 81%; organização e limpeza do hospital 87,4%; alimentação 87,9%. Ao longo do mês sentimos desconforto de alguns usuários em relação ao atendimento da equipe de enfermagem, porém sem registro de reclamações. Pronto socorro evoluiu 3,13%, com índice de satisfação 90,27%. O que ainda causa insatisfação é o tempo de espera para internação, onde o paciente passa pelo médico plantonista, e se for caso de internação o mesmo precisa aguardar no hospital-dia a disponibilidade ou limpeza de leito. SADT evoluiu 4,75%, porém, temos insatisfação referente a demora no atendimento, onde o numero de funcionários do laboratório foi reduzido comprometendo o atendimento. 10.3 – GERENCIAMENTO DE PROCESSOS
- Implantada a sistematização de enfermagem na Unidade Intermediária; - Implantação da dispensação por dose individualizada por horário.

10.4 – FATURAMENTO
5. Faturamento 5.1 - AIH 5.2 - Valores Jan 150 Fev 146 Mar 150 Abr 131 Mai 130 Jun 138 Jul 0 0,0 Ago 0 0,0 Set 0 0,0 Out 0 0,0 Nov 0 0,0 Dez 0 TOTAL 845

57386,0 65580,5 92099,3 55853,9 67211,0 70658,4

0,0 408789,3

Página | 156

2.11 HOSPITAL TIA DEDÉ 2.11.1 METAS CONTRATUAIS

11.1 – INDICADORES DE PRODUÇÃO
11.1.1 – Nº DE LEITOS POR ESPECIALIDADE;
1.1. Leitos por Especialidade 1.1.1. Clínica Médica 1.1.2. Clínica Pediátrica 1.1.3. Clínica Cirúrgica 1.1.4. Clínica Obstétrica 1.1.5. UTI de Adultos 1.1.6. UTI Infantil 1.1.7. UTI Neonatal 1.1.8. Berçário 1.1.9. Clínica Ortopédica 1.2.10. Outros Total de Leitos Jan 0 17 2 12 0 0 0 10 0 4 45 Fev 0 17 2 12 0 0 0 10 0 4 45 Mar 0 17 2 12 0 0 0 10 0 4 45 Abr 0 17 2 12 0 0 0 10 0 4 45 Mai 0 17 2 12 0 0 0 10 0 4 45 Jun 0 17 2 12 0 0 0 10 0 4 45 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 0 102 12 72 0 0 0 60 0 24 270

11.1.2 – Nº. DE INTERNAÇÕES POR ESPECIALIDADE;
1.2. Internações por Especialidade 1.2.1. Clínica Médica 1.2.2. Clínica Pediátrica 1.2.3. Clínica Cirúrgica 1.2.4. Clínica Obstétrica 1.2.5. UTI de Adultos 1.2.6. UTI Infantil 1.2.7. UTI Neonatal 1.2.8. Berçário 1.2.9. Clínica Ortopédica 1.2.10. Outros Total de Internações por especialidade Jan 0 93 143 43 0 0 0 42 0 35 356 Fev 0 114 0 125 0 0 0 18 0 44 301 Mar 0 95 7 127 0 0 0 34 0 63 326 Abr 0 53 0 182 0 0 0 32 0 62 329 Mai 0 103 11 156 0 0 0 37 0 37 344 Jun 0 85 6 161 0 0 0 37 0 51 340 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 0 543 167 794 0 0 0 200 0 292 1996

Página | 157

11.1.3 – Nº. DE SAÍDOS POR ESPECIALIDADE
1.3. Nº. de saídos por especialidade 1.3.1. Clínica Médica 1.3.2. Clínica Pediátrica 1.3.3. Clínica Cirúrgica 1.3.4. Clínica Obstétrica 1.3.5. UTI de Adultos 1.3.6. UTI Infantil 1.3.7. UTI Neonatal 1.3.8. Berçário 1.3.9. Clínica Ortopédica 1.3.10. Outros Total de saídos por especialidade Jan 0 59 16 78 0 0 0 39 0 35 227 Fev 0 90 10 103 0 0 0 17 0 44 264 Mar 0 112 6 133 0 0 0 34 0 63 348 Abr 0 89 2 127 0 0 0 32 0 62 312 Mai 0 94 5 174 0 0 0 12 0 52 337 Jun 0 91 10 157 0 0 0 36 0 49 343 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 0 535 49 772 0 0 0 170 0 305 1831

11.1.4 – PERCENTUAL DE OCUPAÇÃO POR CLÍNICA;
1.4.2. Clínica Pediátrica 1.4.3. Clínica Cirúrgica 1.4.4. Clínica Obstétrica 1.4.5. UTI de Adultos 1.4.6. UTI Infantil 1.4.7. UTI Neonatal 1.4.8. Outros (Berçário) 1.4.9. Clínica Ortopédica 1.4.10. Outros Porcentagem Geral de Ocupação 35% 6% 38% 40.78% 40% 4% 74% 77.45% 0% 35% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 186% 94% 116% 0% 0% 0% 44% 0% 209%

2% 0.62% 48%

59.79% 58% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0%

58% 59.50% 96.51% 90.56% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0%

44% 38.33% 0% 0% 0% 85% 0% 0%

22% 28.57% 25% 21.13% 77% 65% 64% 45% 49%

72% 71.04%

11.1.5 – MÉDIA DE PERMANÊNCIA
1.5.1. Clínica Médica 1.5.2. Clínica Pediátrica 1.5.3. Clínica Cirúrgica 1.5.4. Clínica Obstétrica 1.5.5. UTI de Adultos 1.5.6. UTI Infantil 1.5.7. Uti Neonatal 1.5.8. Outros 1.5.9. Clínica Ortopédica 1.5.10. Outros Média Geral de Permanência 0 7,19 6.57 2,09 4,8 0 0 0 3.65 0 0 2,84 2,59 4,12 0 0 0 0 0 0 2,88 0 0 8,35 0 8,65 0 3,14 4.34 1,76 3,56 0 0 0 3,81 0 0 2,86 1,17 1,87 0 0 0 1,55 0 0 2,8 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 27,33 9,03 22,36 0 0 0 3,65 0 0 50,87

1,42 3.50 4,22 0 0 0 0 0 0 2,87 3,79 0 0 0 0 0 0 3,18

Página | 158

11.1.6 – VOLUME CIRURGICO
1.6. Volum e Cirúrgico 1.6.1. Cirurgias de Urgência 1.6.2. Cirurgias Eletivas Média Geral de Cirurgias Jan 54 29 83 Fev 41 27 68 Mar 70 12 82 Abr 88 7 95 Mai 163 12 175 Jun 188 5 193 Jul 0 0 0 Ago 0 0 0 Set 0 0 0 Out 0 0 0 Nov 0 0 0 Dez 0 0 0 TOTAL 604 92 696

11.1.6.3 – Nº DE CIRURGIAS POR PORTE;
1.6.3. Núm ero de Cirurgias por Porte 1.6.3.1. Cirurgias Grandes 1.6.3.2. Cirurgias Médias 1.6.3.3. Cirurgias Pequenas 1.6.3.4. Curetagens 1.6.3.5. Cesáreas Média Geral de Cirurgias por Porte Jan 55 2 0 20 53 130 Fev 41 2 0 15 38 96 Mar 51 14 0 21 51 137 Abr 49 30 0 25 49 153 Mai 56 31 0 22 66 175 Jun 0 0 0 5 67 72 Jul 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 TOTAL 252 79 0 108 324 763

11.1.6.4 – Nº. DE PARTOS POR TIPO
1.6.4.1. Normal 1.6.4.2. Cesariana 1.6.3.3. Outros Média Geral de Cirurgias por Porte 72 53 0 125 61 38 0 99 75 51 0 126 66 63 0 129 74 66 0 140 81 67 0 148 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 429 338 0 767

11.1.7 – SADT’S
1.7. SADT 1.7.1. Laboratório Clínico 1.7.2. Anatomia Patológica 1.7.3. Radiologia 1.7.4. Eletrocardiografia 1.7.5. Fisioterapia (Sessões) 1.7.6. Hemodiálise(Sessões) 1.7.7. Hemodinâmica 1.7.8. Hemoterapia 1.7.9. Endoscopia 1.7.10. Ultrassonografia 1.7.11 Tomografia Computadorizada 1.7.12 Ressonancia Magnética 1.7.13 Mamografia 1.7.14 Citopatologia 1.7.15 Eletroencefalografia 1.7.16 Teste do Pézinho 1.7.17 Diversos 1.7.18 Teste Ergométrico Total Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 7068 104 1585 0 6435 0 0 35 0 1034 0 0 0 0 0 378 0 0 16639

989 1046 1153 16 122 0 849 0 0 7 0 184 0 0 0 0 0 80 0 0 9 182 0 33 297 0

942 1337 1601 17 337 0 12 334 0 17 313 0

987 1289 1001 1194 1115 0 0 17 0 166 0 0 0 0 0 49 0 0 0 0 7 0 188 0 0 0 0 0 67 0 0 0 0 4 0 152 0 0 0 0 0 57 0 0 0 0 0 0 179 0 0 0 0 0 62 0 0 0 0 0 0 165 0 0 0 0 0 63 0 0

2247 2456 3034 2510 3118 3274

Página | 159

11.1.8 – AMB ULATÓR IO
1.8. Ambulatório 1.8.1. Consultas 1.8.2. Consultas com Procedimentos 1.8.3. Procedimentos 1.8.4. Procedimentos Cirúrgicos Total Jan 49 0 0 0 49 Fev 40 0 0 0 40 Mar 20 0 0 0 20 Abr 67 0 0 0 67 Mai 42 0 0 0 42 Jun 54 0 0 0 54 Jul 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 TOTAL 272 0 0 0 272

11.1.9 – ATENDIMENTOS DE URGÊNCIA/EMERGÊNCIA
1.9. Urgência/Emergência 1.9.1. Consultas 1.9.2. Consultas com Procedimentos 1.9.3. Procedimentos 1.9.4. Procedimentos Cirúrgicos Total Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 TOTAL 13023 0 0 0 13023 1546 1667 2460 2223 2368 2759 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

1546 1667 2460 2223 2368 2759

11.1.10 – RECURSOS HUMANOS
1.10. Recursos Humanos 1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total 64 125 31 1 19 240 Janeiro
S e s a u P ró 3º

Fevere iro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Março
T o t a l S e s a u P ró 3º T o t a l S e s a u P ró

Abril
3º T o tal

32 0 9 28 4 73

0 0 0 0 0 0

96 125 40 29 23 313

52 126 30 1 17 226

32 0 9 35 4 80

0 0 0 0 0 0

84 126 39 36 21 306

46 126 30 2 16 220

32 2 9 35 5 83

0 0 0 0 0 0

78 128 39 37 21 303

43 130 31 2 15 221

33 2 9 35 6 85

0 0 0 0 0 0

76 132 40 37 21 306

1.10. Recursos Humanos
S e s a u P ró

Maio

Junho
T o t a l S e s a u P ró 3º

Julho
T o t a l S e s a u P ró 3º

Agos to
T o t a l S e s a u P ró 3º T o tal

1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total

42 129 31 2 15 219

33 2 9 34 6 84

0 0 0 0 0 0

75 131 40 36 21 303

42 130 31 2 15 220

33 2 9 34 6 84

0 0 0 0 0 0

75 132 40 36 21 304

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

1.10. Recursos Humanos 1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total 0 0 0 0 0 0

Setem bro
S e s a u P ró 3º

Outubro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Novem bro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Deze m bro
T o t a l S e s a u P ró 3º T o tal

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

Página | 160

11.1.11 – NEP

CURSO Como melhorar a Mortalidade Materna Como identificar Ritmos Cardíacos de Risco Prática de Eletrocardiograma Treinamento em Loco Atividades da CME Segurança Transfusional Gestão por processos Prontuário Excelente Iniciativa Hospital Amigo da Criança

NÚMERO DE PARTICIPANTES 18 12 5 1 5 9 40 25 115

CARGA HORÁRIA 01:00:00 01:30:00 01:00:00 05:00:00 04:00:00 08:00:00 04:00:00 20:00:00 44:30:00

TOTAL DE HORAS 18:00:00 18:00:00 5:00:00 5:00:00 20:00:00 72:00:00 160:00:00 500:00:00 798:00:00

TOTAL DE HORAS NÚMERO TOTAL DE COLABORADORES DO HOSPITAL HORAS/HOMEM

798:00:00 304 0,1108333

HORAS DE TREINAMENTO
80 60 40 20 JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ

Página | 161

Prontuário Excelente

Gestão de processos

IHAC – 10 passos do Aleitamento Materno

Página | 162

11.1.12 – LOGÍSTIC A

1.13. Estoque
1 3.1 Esto que em dias de co nsumo - M at/med 30 dias .1 .

Jan 34,7 34,7

Fev 89,7 89,7

Mar 52,7 52,7

Abr 78,6 78,6

Mai

Jun

Jul 0,0 0,0

Ago 0,0 0,0

Set 0,0 0,0

Out 0,0 0,0

Nov 0,0 0,0

Dez 0,0 0,0

TOTAL 445,7 445,7

77,0 113,0 77,0 113,0

Total

11.1.13 – CORPO CLÍNICO

Foi realizado no mês de junho a reunião com corpo clínico e os médicos começaram a participar do curso de aleitamento materno com o intuito de certificar o hospital como Hospital amigo da criança. Houve muita dificuldade para completar a escala de pediatria, principalmente pela falta de pagamento ao fornecedor CNPJ Dra Wânia, dificultando o atendimento do serviço de pediatria. Os plantões de obstetrícia ficou no desfalque em somente 1 dia (com somente 1 plantonista). A cobertura maior por parte da obstetrícia se deve pelos plantões extras feitos pelos médicos do corpo clínico. O Hospital ainda tem déficit de profissionais nessas duas especialidades e em ultrassonografia.

11.2 - SAU

2. Registros de Opinião Ocorrências Reclamações Sugestões Junho 2012 38 03
Página | 163

Elogios Total de Questionários Queixas resolvidas Meta Contratual Meta Realizada

29 70 37 80% 97,37%

Análise: Através destes índices podemos observar que houve uma maior resolutividade de queixas no mês de MAIO, porém grande parte das reclamações ainda estão relacionadas a alimentação e tempo de espera para o atendimento médico no PRONTO SOCORRO. 3. Índices de Satisfação

Hospital Materno Infantil Público Tia 120,00 Dedé
100,00 80,00 60,00 40,00 20,00 0,00 -20,00 75,40 76,71 77,56 66,83

AMBULATORI O (%) 100,00 75,40 75,40 -24,60%

INTERNAÇÃO (%) 55,71 77,86 76,71 37,70%

P. S. (%) 87,53 77,56 77,56 -11,39%

SADT (%) 73,08 73,65 66,83 -8,55%

Abril. 2012 Maio. 2012 Junho. 2012 Evolução do Período

Análise: Com relação ao atendimento prestado no AMBULATÓRIO podemos observar que os usuários sentem-se razoavelmente satisfeitos, porém indicam que o tempo de espera ainda precisa melhorar. Na INTERNAÇÃO percebeu-se que uma maior quantidade de usuários demonstrou interesse em contribuir com as suas opiniões, porém o fator alimentação ainda tem deixado a desejar segundo estes. Já no PRONTO-SOCORRO as principais queixas ainda estão relacionadas ao tempo de espePágina | 164

ra para serem atendidos, mas sentem-se satisfeitos com o atendimento recebido pela enfermagem e equipe médica. O SADT teve um aumento em seu índice principalmente relacionado a equipe técnica, que em relação aos demais itens pesquisados indicam um bom atendimento. Os usuários do Hospital Materno Infantil Tia Dedé tem demonstrado maior satisfação com os serviços prestados nesta instituição, ressaltando a importância e contribuição do S.A.U. para a melhoria da qualidade dos serviços prestados. Gostaria de ressaltar que neste mês de MAIO tivemos problemas técnicos na máquina de Registro de Opiniões do PRONTO SOCORRO. Desta forma, em substituição, utilizamos a máquina do AMBULATÓRIO.

11.3 – GERENCIAMENTO DE PROCESSOS • •
Dia 3/06 é comemorado Dia Nacional do Administrador de pessoal, os colaboradores do RH foram homenageados com mensagem no televisor. Na Semana Mundial do Meio Ambiente que é lembrado no período de 01 a 05/06, o hospital lançou uma campanha Adote um copo por um dia, foi colocado ao lado dos filtros de água um cartaz com a informação de quantidade de copos descartáveis que o Hospital utiliza por mês e que podemos com pequenas atitudes mudar esse quadro, a campanha tem o intuito de diminuir o consumo de copos descartáveis assim diminuindo o custo e aquisição de mais copos e fazendo o apelo do colaborador/usuário fazer a utilização do mesmo copo no decorrer do dia;

Gerencia de Enfermagem •
Foi realizado um levantamento de patologias atendidas no pronto socorro e após esse levantamento obtivemos as seguintes informações, os atendimentos pediátricos, registra-se uma demanda de 62,2% de procura e medicação por problemas respiratórios (febre, tosse, IVAS, Amigdalite, tosse). Devemos lembrar aqui, que as emergências pediátricas ocorrem principalmente provocadas por insuficiência respiratória, incluindo-se a Parada Cardio Respiratória e morte. Considerando a análise dos dados, sugerimos adequar a área de atendimento para medicações ampliando as possibilidades de inalações e terapia respiratória.

11.4 – FATURAMENTO
4. Faturamento
4.1- A IH (Quantitativo ) 4.2 - Valo res (em reais)

Jan
324 1 67.861 ,1

Fev
328 1 .275,3 61

Mar
31 3 1 57.731 ,7

Abr
31 1 1 54.647,6

Mai
344 1 1 67.1 2,4

Jun
357 1 84.297,6

Jul
0 0,0

Ago
0 0,0

Set
0 0,0

Out
0 0,0

Nov
0 0,0

Dez
0 0,0

TOTAL
1 977 992925,7

Página | 165

11.6 – OBRAS E IMPLANTAÇÃO DE NOVOS SERVIÇOS
• Instalação da nova Coifa na cozinha

Reforma no estoque da farmácia

Instalação do Foco Cirúrgico

Página | 166

11.7 – EQUIPAMENTOS NOVOS 3 Focos Cirúrgicos recebidos pela Secretaria Estadual de Saúde

11.8 – COMISSÕES
Atas das comissões em anexo.

11.9 – OUTRAS INFORMAÇÕES
• Semana do Meio Ambiente

No dia 06/06 o hospital lançou uma campanha em prol da Semana do Meio Ambiente, Adote um copo por um dia, foi fixado ao lado dos filtros de água, informativos esses informando o consumo de copos descartáveis do hospital mensalmente e que podemos adotar um copo por dia, assim diminuindo o consumo e respeitando o meio ambiente. Página | 167

PALAVRA DO DIRETOR GERAL DO HOSPITAL
O Hospital Materno Infantil Público Tia Dedé, passou por dificuldades de abastecimento, devido aos atrasos nos repasses financeiros e o processo de transição, principalmente na questão de profissionais médicos, onde tivemos apenas um plantonista por plantão em cada especialidade (Pediatria e Obstetrícia em alguns dias. A equipe do Hospital continua buscando o Projeto Iniciativa Hospital Amigo da Criança, realizando encontros com a comissão do projeto e capacitações. Os serviços iniciados no mês de Junho, como por exemplo, a colocação da coifa na nutrição, reforma da sala de estoque da farmácia e a instalação de foco cirúrgico auxiliar foram finalizados a contento, sem prejuízos ao funcionamento da unidade. Mesmo com todas as dificuldades encontradas neste momento de transição, a população continua sendo bem assistida.

Página | 168

2.12 HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE DIANÓPOLIS 2.12.1 METAS CONTRATUAIS

12.1.1 – Nº DE LEITOS POR ESPECIALIDADE;
1.1. Leitos por Espe cialidade 1.1.1. Clínica Médica 1.1.2. Clínica Pediátrica 1.1.3. Clínica Cirúrgica 1.1.4. Clínica Obstétrica 1.1.5. UTI de Adultos 1.1.6. UTI Infantil 1.1.7. UTI Neonatal 1.1.8. Berçário 1.1.9. Clínica Ortopédica 1.2.10. Outros Total de Leitos Jan 17 12 7 7 0 0 0 2 0 2 47 Fev 17 12 7 7 0 0 0 2 0 2 47 Mar 17 12 7 7 0 0 0 2 0 2 47 Abr 17 12 7 7 0 0 0 2 0 2 47 Mai 17 12 7 7 0 0 0 2 0 2 47 Jun 17 12 7 7 0 0 0 2 0 2 47 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 102 72 42 42 0 0 0 12 0 12 282

COMENTÁRIO: A quantidade de leitos acima são os leitos ativos na unidade hospitalar.

12.1.2 – Nº. DE INTERNAÇÕES POR ESPECIALIDADE;
1.2. Internações por Especialidade 1.2.1. Clínica Médica 1.2.2. Clínica Pediátrica 1.2.3. Clínica Cirúrgica 1.2.4. Clínica Obstétrica 1.2.5. UTI de Adultos 1.2.6. UTI Infantil 1.2.7. UTI Neonatal 1.2.8. Berçário 1.2.9. Clínica Ortopédica 1.2.10. Outros Total de Internações por especialidade Jan 103 8 63 38 0 0 0 1 0 0 213 Fev 86 16 71 33 0 0 0 2 0 0 208 Mar 133 20 79 24 0 0 0 6 2 0 264 Abr 119 35 77 34 0 0 0 2 22 0 289 Mai 205 10 27 35 0 0 0 0 2 0 279 Jun 90 26 53 36 0 0 0 3 32 2 242 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 736 115 370 200 0 0 0 14 58 2 1495

COMENTÁRIO: O número de internações reduziu devido a falta de anestesista no período de 08 a 26 de junho, o motivo de sua ausência continuou sendo o acidente com o filho em Palmas, o qual ainda se encontra internado em UTI.

Página | 169

12.1.3 – Nº. DE SAÍDOS POR ESPECIALIDADE
1.3. Nº. de saídos por especialidade 1.3.1. Clínica Médica 1.3.2. Clínica Pediátrica 1.3.3. Clínica Cirúrgica 1.3.4. Clínica Obstétrica 1.3.5. UTI de Adultos 1.3.6. UTI Infantil 1.3.7. UTI Neonatal 1.3.8. Berçário 1.3.9. Clínica Ortopédica 1.3.10. Outros Total de saídos por especialidade Jan 85 9 58 31 0 0 0 1 26 1 211 Fev 93 17 66 36 0 0 0 2 21 0 235 Mar 107 22 83 32 0 0 0 6 14 0 264 Abr 132 35 71 32 0 0 0 2 22 0 294 Mai 196 10 28 34 0 0 0 3 0 4 275 Jun 96 24 53 36 0 0 0 3 32 2 246 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 709 117 359 201 0 0 0 17 115 7 1525

COMENTÁRIO: O número de saídos reduziu devido a falta de anestesista no período de 08 a 26 de junho, o motivo de sua ausência continuou sendo o acidente com o filho em Palmas, o qual ainda se encontra internado em UTI.

12.1.4 – PERCENTUAL DE OCUPAÇÃO POR CLÍNICA;
1.4.1. Clínica Médica 1.4.2. Clínica Pediátrica 1.4.3. Clínica Cirúrgica 1.4.4. Clínica Obstétrica 1.4.5. UTI de Adultos 1.4.6. UTI Infantil 1.4.7. UTI Neonatal 1.4.8. Outros (Berçário) 1.4.9. Clínica Ortopédica 1.4.10. Outros Porcentagem Geral de Ocupação 109% 41% 76% 92% 1% 11% 16% 73% 60% 86% 85% 91% 41% 33% 18% 16% 0% 0% 0% 2% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 73% 7% 7% 12% 0% 0% 0% 0% 75% 5% 7% 12% 0% 0% 0% 0% 0,83 0,41 39% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 466% 114% 336% 132% 0% 0% 0% 35% 119% 77%

7% 26% 0% 0% 0% 0%

0% 0,36 0% 0,36 33%

55% 35% 48% 68%

COMENTÁRIO: a taxa de ocupação aumentou os devido a volta das cirurgias a partir de 27 de junho de 2012.

Página | 170

12.1.5 – MÉDIA DE PERMANÊNCIA;

1.5. Média de Perm anência 1.5.1. Clínica Médica 1.5.2. Clínica Pediátrica 1.5.3. Clínica Cirúrgica 1.5.4. Clínica Obstétrica 1.5.5. UTI de Adultos 1.5.6. UTI Infantil 1.5.7. Uti Neonatal 1.5.8. Outros 1.5.9. Clínica Ortopédica 1.5.10. Outros Média Geral de Permanência

Jan 6,78 0,56 2,26 2,87 0 0 0 1 0 0 2,45

Fev 2,12 2,24 2,55 1,81 0 0 0 2 0 0 2,89

Mar 3,72 2,73 2,23 1,19 0 0 0 2,67 0 0 2,55

Abr 2,11 2,44 1,58 0,77 0 0 0 0 0 0 2,02

Mai 1,44 1,8 1 1,25 0 0 0 1 0 0 1,67

Jun 2 1 2 1 0 0 0 0 1 0 2,09

Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

TOTAL 18,17 10,77 11,62 8,89 0 0 0 6,67 1 0

COMENTÁRIO: a média de permanência aumentou os devido a volta das cirurgias a partir de 27 de junho de 2012.

12.1.6 – VOLUME CIRURGICO
1.6. Volum e Cirúrgico 1.6.1. Cirurgias de Urgência 1.6.2. Cirurgias Eletivas Média Geral de Cirurgias Jan 29 47 76 Fev 17 64 81 Mar 29 50 79 Abr 26 50 76 Mai 6 21 27 Jun 16 27 43 Jul 0 0 0 Ago 0 0 0 Set 0 0 0 Out 0 0 0 Nov 0 0 0 Dez 0 0 0 TOTAL 123 259 382

COMENTÁRIO: O número de cirurgias aumentou os devido a volta das cirurgias a partir de 27 de junho de 2012.
12.1.6.3 – Nº DE CIRURGIAS POR PORTE;

1.6.3. Núm ero de Cirurgias por Porte 1.6.3.1. Cirurgias Grandes 1.6.3.2. Cirurgias Médias 1.6.3.3. Cirurgias Pequenas 1.6.3.4. Curetagens 1.6.3.5. Cesáreas Média Geral de Cirurgias por Porte

Jan 18 30 28 0 18 94

Fev 10 31 40 0 13 94

Mar 6 46 27 4 18 101

Abr 25 25 26 6 20 102

Mai 1 12 7 7 12 39

Jun 5 11 8 1 18 43

Jul 0 0 0 0 0 0

Ago 0 0 0 0 0 0

Set 0 0 0 0 0 0

Out 0 0 0 0 0 0

Nov 0 0 0 0 0 0

Dez 0 0 0 0 0 0

TOTAL 65 155 136 18 99 473

COMENTÁRIO: O número de cirurgias aumentou os devido a volta das cirurgias a partir de 27 de junho de 2012.
12.1.6.4 – Nº. DE PARTOS POR TIPO
1.6.4. Núm ero de partos por tipo 1.6.4.1. Normal 1.6.4.2. Cesariana 1.6.3.3. Outros Média Geral de Cirurgias por Porte Jan 23 18 0 41 Fev 32 13 0 45 Mar 19 18 0 37 Abr 32 20 0 52 Mai 36 13 0 49 Jun 25 18 0 43 Jul 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 TOTAL 167 100 0 267

Página | 171

12.1.7 – SADT’S
1.7. SADT 1.7.1. Laboratório Clínico 1.7.2. Anatomia Patológica 1.7.3. Radiologia 1.7.4. Eletrocardiografia 1.7.5. Fisioterapia (Sessões) 1.7.6. Hemodiálise(Sessões) 1.7.7. Hemodinâmica 1.7.8. Hemoterapia 1.7.9. Endoscopia 1.7.10. Ultrassonografia 1.7.11 Tomografia Computadorizada 1.7.12 Ressonancia Magnética 1.7.13 Mamografia 1.7.14 Citopatologia 1.7.15 Eletroencefalografia 1.7.16 Teste do Pézinho 1.7.17 Diversos (Serviço social e Psicologia) 1.7.18 Teste Ergométrico 1.7.19 Outros ( especificar) Fonoaudiologia Total Jan 332 27 428 55 45 0 0 0 0 125 0 0 60 0 0 0 0 0 130 Fev 391 21 492 155 47 0 0 4 0 156 0 0 88 0 0 0 0 0 105 Mar 309 16 733 175 234 0 0 5 0 142 0 0 132 0 0 0 0 0 97 Abr 364 22 546 129 171 0 0 5 0 222 0 0 80 0 0 0 365 0 159 Mai 487 5 584 61 0 0 0 6 0 130 0 0 153 0 0 0 0 0 0 Jun 485 14 644 149 0 0 0 2 0 150 0 0 95 0 0 0 430 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 2368 105 3427 724 497 0 0 22 0 925 0 0 608 0 0 0 795 0 491 9962

1202 1459 1843 2063 1426 1969

COMENTÁRIO: O número de exames aumentou devido ao retorno das cirurgias a partir do dia 27 de junho de 2012.
12.1.8 – AMB ULATÓR IO

1.8. Ambulatório 1.8.1. Consultas 1.8.2. Consultas com Procedimentos 1.8.3. Procedimentos 1.8.4. Procedimentos Cirúrgicos Total

Jan

Fev

Mar

Abr

Mai

Jun

Jul 0 0 0 0 0

Ago 0 0 0 0 0

Set 0 0 0 0 0

Out 0 0 0 0 0

Nov 0 0 0 0 0

Dez 0 0 0 0 0

TOTAL 11879 8591 326 2084 22880

1812 1721 2084 1667 2336 2259 1264 42 472 956 1389 1173 1989 1820 95 330 78 746 111 453 0 45 0 38

3590 3102 4297 3404 4370 4117

COMENTÁRIO: Como podemos constatar no quadro acima nossa equipe atende uma enorme quantidade de ambulatório, porém nossa finalidade é Urgência e Emergência.

Página | 172

12.1.9 – ATENDIMENTOS DE URGÊNCIA/EMERGÊNCIA

1.9. Urgência/Emergência 1.9.1. Consultas 1.9.2. Consultas com Procedimentos 1.9.3. Procedimentos 1.9.4. Procedimentos Cirúrgicos Total

Jan

Fev

Mar

Abr

Mai

Jun

Jul 0 0 0 0 0

Ago 0 0 0 0 0

Set 0 0 0 0 0

Out 0 0 0 0 0

Nov 0 0 0 0 0

Dez 0 0 0 0 0

TOTAL 11879 8591 326 2084 22880

1812 1721 2084 1667 2336 2259 1264 42 472 956 1389 1173 1989 1820 95 330 78 746 111 453 0 45 0 38

3590 3102 4297 3404 4370 4117

COMENTÁRIO: Nossos atendimentos que deveriam ser de Urgência e Emergência também atende ambulatório devido a cultura da população de procurar o serviço de Urgência e Emergência deixando claro que o serviço de assistência primária precisa melhorar e muito. Porém com estes atendimentos a instituição acaba contribuindo com a população não deixando-a desassistida.
12.1.10 – RECURSOS HUMANOS
1.10. Recursos Humanos 1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total 40 88 15 8 12 163 Janeiro
S e s a u P ró 3º

Feve re iro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Março
T o t a l S e s a u P ró 3º T o t a l S e s a u P ró

Abril
3º T o tal

8 0 2 33 3 46

0 0 0 1 0 1

48 88 17 42 15 210

29 89 15 8 12 153

10 0 2 38 3 53

0 0 0 1 0 1

39 89 17 47 15 207

30 89 15 9 12 155

10 0 2 37 0 49

0 0 0 1 0 1

40 89 17 47 12 205

32 89 15 9 12 157

12 1 2 37 3 55

0 0 0 1 0 1

44 90 17 47 15 213

1.10. Recursos Humanos
S e s a u P ró

Maio

Junho
T o t a l S e s a u P ró 3º

Julho
T o t a l S e s a u P ró 3º

Agosto
T o t a l S e s a u P ró 3º T o tal

1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total

32 89 15 9 12 157

12 1 2 37 3 55

0 0 0 1 0 1

44 90 17 47 15 213

32 89 15 9 12 157

12 1 2 37 3 55

0 0 0 1 0 1

44 90 17 47 15 213

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

1.10. Recursos Humanos 1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total 0 0 0 0 0 0

Sete m bro
S e s a u P ró 3º

Outubro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Novem bro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Dezem bro
T o t a l S e s a u P ró 3º T o tal

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

Página | 173

12.1.11 – NEP Neste mês não houve treinamentos 12.1.12 – LOGÍSTIC A
1.13. Estoque
1 3.1 Esto que em dias de co nsumo - M at/med 30 dias .1 .

Jan

Fev

Mar

Abr

Mai 88,0 88,0

Jun 96,9 96,9

Jul 0,0 0,0

Ago 0,0 0,0

Set 0,0 0,0

Out 0,0 0,0

Nov 0,0 0,0

Dez 0,0 0,0

TOTAL 1185,0 1185,0

250,0 276,2 240,7 233,1 250,0 276,2 240,7 233,1

Total

12.1.13 – CORPO CLÍNICO

Houve eleição para direção clínica porem não houve candidatos por falta de remuneração do cargo.

12.2 - SAU
O serviço SAU está em pleno andamento de suas atribuições. Os registros de opiniões vêm sendo executados e suas respectivas tratativas apresentadas ao Dir. Geral e enviadas á Coordenação.

Os dados abaixo atuam como termômetros para que possamos trabalhar cada dia melhor e estas informações tem tornado nosso trabalho bem mais resolutivo.

Hospital Regional Público de Dianópolis
100,00 80,00 60,00 40,00 20,00 0,00 -20,00 AMBULATORIO (%) Abril/2012 Maio/2012 Junho/2012 Evolução do Período 80,00 87,91 0,00 -100,00% INTERNAÇÃO (%) 82,44 85,20 87,11 5,66% 0,00 87,11 76,26

PRONTO SOCORRO (%) 90,60 76,00 76,26 -15,83%

Página | 174

Conforme gráfico acima podemos avaliar que não houve ambulatório no período diante deste fato não teve pesquisa, no entanto, na internação o grau de satisfação aumentou, mostrando que as condutas ocorridas no mês obtiveram resultados, no Pronto Socorro o índice de satisfação se manteve devido à morosidade no atendimento por parte de alguns profissionais médicos, o fato foi levado ao conhecimento do Diretor que representa a SESAU nesta unidade para que ele tome as devidas providencias para o bom andamento dos serviços.

12.3 – GERENCIAMENTO DE PROCESSOS Estamos tentando manter a implantação dos processos em todos os setores do hospital apesar das dificuldades enfrentadas e estes processos estão sendo trabalhados de forma conjunta com todos os profissionais da instituição (limpeza, recepção, lavanderia, médicos, enfermeiros, SND, etc.) Juntamente com o novo Diretor da SESAU que vem apoiando e auxiliando o trabalho. 12.4 – FATURAMENTO
4. Faturamento 4.1 - AIH (Quantitativo) 4.2 - Valores (em reais) Jan 200 109.659,80 Fev 220 118.550,42 Mar 33 14.041,00 Abr 126 57.909,73 Mai 178 94.499,31 Jun 0 0,00 Jul 0 0,00 Ago Set 0 0,00 0 0,00 Out 0 0,00 Nov 0 0,00 Dez 0 TOTAL 757

0,00 394660,3

COMENTÁRIO: Houve aumento no faturamento e os motivos foram: aquisição de numeração de AIHs manuais porem os problemas com a Implantação do sistema SIS REG para a autorização eletrônica das AIHs continuam, já foram tomadas medidas para resolução do problema e informado ao Diretor SESAU para que o problema seja resolvido e as dificuldades só tendem a aumentar devido a falta de funcionários no setor.

12.6 – OBRAS E IMPLANTAÇÃO DE NOVOS SERVIÇOS Estão sendo mantidos as manutenções pontuais diante das dificuldades financeiras atuais. 12.7 – EQUIPAMENTOS NOVOS Neste mês não teve aquisições de equipamentos. 12.8 – COMISSÕES
As comissões estão em pleno funcionamento conforme metas contratuais, no entanto as dificuldades vem aumentando devido a instabilidade financeira uma vez que os problemas referentes a aquisições não estão sendo cumpridos diante do exposto as comissões estão questionando a produtividade das mesma, já que os problemas são sempre adiados quando dependem de recursos financeiros.

12.9 – OUTRAS INFORMAÇÕES

Página | 175

Apesar das dificuldades encontradas os funcionários, com o incentivo da Diretoria realizou o evento folclórico que foi a festa junina com casamento caipira e dança de quadrilha. Estes eventos vem sendo frequentes neste hospital motivando e unindo os funcionários. O evento foi realizado com recursos dos próprios funcionários que contribuíram financeiramente para que os comes e bebes fossem possíveis sem custo para a instituição. Abaixo segue fotos que demonstram a alegria e a beleza da comemoração.

Página | 176

PALAVRA DO DIRETOR GERAL DO HOSPITAL
Agradeço as palavras da funcionária VANDERLUZ MARIA DE JESUS (Foto Acima) efetiva do Estado a qual teceu elogios a esta diretoria pelo apoio e se manifestou dizendo: “agradeço o incentivo e o empenho que vem fazendo, proporcionando eventos que fazem com que a equipe após anos de trabalho se tornasse unida e participativa como vem sendo atualmente e que no passado não era. Uma semente que você plantou e que agora estamos colhendo. Em nome de todos os funcionário aqui presentes meu muito obrigado”. Diante destas palavras como funcionário da Pró Saúde transfiro todo o mérito a esta Entidade que me deu a oportunidade de realizar este trabalho a frente do Hospital Regional Público de Dianópolis.

Página | 177

2.13 HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE PEDRO AFONSO 2.13.1 METAS CONTRATUAIS
13.1.1 – Nº DE LEITOS POR ESPECIALIDADE;

1.1. Leitos por Especialidade 1.1.1. Clínica Médica 1.1.2. Clínica Pediátrica 1.1.3. Clínica Cirúrgica 1.1.4. Clínica Obstétrica 1.1.5. UTI de Adultos 1.1.6. UTI Infantil 1.1.7. UTI Neonatal 1.1.8. Berçário 1.1.9. Clínica Ortopédica 1.2.10. Outros Total de Leitos

Jan

Fev

Mar

Abr

Mai

Jun

Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

TOTAL

341 319 341 330 403 390 155 145 155 150 155 150 248 232 248 240 248 240 186 174 186 180 186 180
0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

930 870 930 900 992 960

2124 910 1456 1092 0 0 0 0 0 0 5582

COMENTÁRIO: O número de leitos do Hospital sofreu alteração em Maio, passando a 32 leitos, assim distribuídos: 13 de Clínica Médica; 5 de Pediatria; 6 de Obstetrícia e 8 de Clínica Cirúrgica. As variações ocorridas são decorrentes do número de dias de cada mês.

13.1.2 – Nº. DE INTERNAÇÕES POR ESPECIALIDADE;

1.2. Internações por Especialidade 1.2.1. Clínica Médica 1.2.2. Clínica Pediátrica 1.2.3. Clínica Cirúrgica 1.2.4. Clínica Obstétrica 1.2.5. UTI de Adultos 1.2.6. UTI Infantil 1.2.7. UTI Neonatal 1.2.8. Berçário 1.2.9. Clínica Ortopédica 1.2.10. Outros Total de Internações por especialidade

Jan

Fev

Mar

Abr

Mai

Jun

Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

TOTAL

112 50 55 55
0 0 0 0 0 0

50 21 29 46
0 0 0 0 0 0

91 40 64 63
0 0 0 0 0 0

104 34 45 57
0 0 0 0 0 0

92 24 50 58
0 0 0 0 0 0

83 23 42 48 0 0 0 0 0 0

272 146 258 240 224 196

532 192 285 327 0 0 0 0 0 0 1336

COMENTÁRIO: A partir de abril e maio começamos a apresentar queda no número de internações e isto se estendeu em Junho. O motivo para isto foi que a maioria dos atendimentos em PS foram da especialidade de Clínica

Página | 178

Médica e de casos que não indicaram internação. Além disto houve diminuição no número de cirurgias e atendimentos ambulatoriais e de urgência.

13.1.3 – Nº. DE SAÍDOS POR ESPECIALIDADE

1.3. Nº. de saídos por especialidade 1.3.1. Clínica Médica 1.3.2. Clínica Pediátrica 1.3.3. Clínica Cirúrgica 1.3.4. Clínica Obstétrica 1.3.5. UTI de Adultos 1.3.6. UTI Infantil 1.3.7. UTI Neonatal 1.3.8. Berçário 1.3.9. Clínica Ortopédica 1.3.10. Outros Total de saídos por especialidade

Jan

Fev

Mar

Abr

Mai

Jun

Jul

Ago

Set

Out

Nov

Dez

TOTAL

129 42 46 54 0 0 0 0 11 0

76 24 31 46 0 0 0 0 15 0

106 120 118 40 61 71 0 0 0 0 6 0 37 44 61 0 0 0 0 16 0 28 56 58 0 0 0 0 24 0

98 22 43 47 0 0 0 0 13 0

0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

647 193 281 337 0 0 0 0 85 0 1543

282 192 284 278 284 223

COMENTÁRIO: O número de saídos apresentou uma queda em Junho, fruto de motivos como queda no fluxo de pacientes, no número de internações e no de cirurgias realizadas. Ressalta-se que a meta estipulada para o 1° quadrimestre foi de 217 saídos e para o 2° quadrimestre, de 225 saídos.

3.1.4 – PERCENTUAL DE OCUPAÇÃO POR CLÍNICA;

1.4. Porcentagem de Ocupação 1.4.1. Clínica Médica 1.4.2. Clínica Pediátrica 1.4.3. Clínica Cirúrgica 1.4.4. Clínica Obstétrica 1.4.5. UTI de Adultos 1.4.6. UTI Infantil 1.4.7. UTI Neonatal 1.4.8. Outros (Berçário) 1.4.9. Clínica Ortopédica 1.4.10. Outros Porcentagem Geral de Ocupação

Jan

Fev

Mar

Abr

Mai

Jun

Jul 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0%

Ago 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0%

Set 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0%

Out 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0%

Nov 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0%

Dez 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0%

TOTAL

93% 63% 99% 107% 76% 50% 61% 35% 63% 61% 47% 36% 59% 43% 56% 49% 77% 59% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 43% 33% 46% 28% 49% 42% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0%

488% 296% 259% 332% 0% 0% 0% 0% 0% 0%

68% 50% 78% 73%

58% 41%

COMENTÁRIO: A ocupação do Hospital apresentou variações que refletiram a movimentação ao longo deste período. A partir de Março, o movimento cresceu ou retomou seu patamar habitual, mas voltou a cair em Abril e mais acentuadamente em Maio e Junho, devido a diminuição das internações e do fluxo de pacientes.

Página | 179

13.1.5 – MÉDIA DE PERMANÊNCIA;
1.5. Média de Perm anência 1.5.1. Clínica Médica 1.5.2. Clínica Pediátrica 1.5.3. Clínica Cirúrgica 1.5.4. Clínica Obstétrica 1.5.5. UTI de Adultos 1.5.6. UTI Infantil 1.5.7. Uti Neonatal 1.5.8. Outros 1.5.9. Clínica Ortopédica 1.5.10. Outros Média Geral de Permanência Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL

2,35 2,57 2,73 2,94 2,59 2,26 2,13 2,23 2,46 2,39 2,54 2,71 2,15 2,36 2,02 1,94 1,85 2,01 1,75 1,59 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0
0 0 0 0 0 0

2,00 2,27 1,58 1,62 0 0 0 0 0 0

15,18 13,74 13,36 10,76 0

0 0 0 0 0

2,20 2,18 2,32 2,36 2,04 1,75

COMENTÁRIO: Nota-se no decorrer do ano que a média de permanência vem apresentando variações. A tenência de alta no ano foi interrompida em Maio e Junho, decorrente da queda de internações e também porque os casos eram de baixa complexidade, o que demandavam um tempo menor de internação.

13.1.6 – VOLUME CIRÚRGICO
1.6. Volum e Cirúrgico 1.6.1. Cirurgias de Urgência Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul 0 Ago 0 Set 0 Out 0 Nov 0 Dez 0 TOTAL

135 1.6.2. Cirurgias Eletivas 0 0 0 0 0 0 59 29 42 41 48 45 264 0 0 0 0 0 0 Soma Geral de Cirurgias 83 43 74 69 65 65 399 COMENTÁRIO: O número de cirurgias vinha caindo desde Março, mas manteve-se em Junho, graças á manutenção
24 14 32 28 17 20

do número de cesáreas e também ao pequeno aumento no número de cirurgias gerais. Em relação ás cirurgias ginecológicas houve uma grande diminuição. No geral, houve pouca variação em relação a Maio, tanto nas eletivas quanto nas de urgência.

Página | 180

13.1.6.3 – Nº DE CIRURGIAS POR PORTE;
1.6.3. Núm ero de Cirurgias por Porte 1.6.3.1. Cirurgias Grandes Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul 0 Ago 0 Set 0 Out 0 Nov 0 Dez 0 TOTAL

75 1.6.3.2. Cirurgias Médias 0 0 0 0 0 0 23 6 20 2 19 17 87 1.6.3.3. Cirurgias Pequenas 0 0 0 0 0 0 27 6 5 15 7 6 66 1.6.3.4. Curetagens 0 0 0 0 0 0 3 4 3 6 0 0 16 1.6.3.5. Cesáreas 0 0 0 0 0 0 23 22 32 28 25 25 155 Soma Geral de Cirurgias por Porte 83 43 74 69 65 65 0 0 0 0 0 0 399 COMENTÁRIO: Na planilha acima é bom especificar que as curetagens e cesáreas são cirurgias consideradas de
7 5 14 18 14 17

pequeno e médio porte respectivamente. Por isto, estas cirurgias foram extraídas das contagens de pequena, média e grande, para compor o total de forma correta na planilha. A variação segue o comentário do tópico anterior. A ressaltar a não realização de curetagens no mês de maio e junho.
13.1.6.4 – Nº. DE PARTOS POR TIPO
1.6.4. Núm ero de partos por tipo 1.6.4.1. Normal 1.6.4.2. Cesariana 1.6.3.3. Outros Soma Geral de Cirurgias por Porte Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul 0 0 0 0 Ago 0 0 0 Set 0 0 0 Out 0 0 0 Nov 0 0 0 Dez 0 0 0 TOTAL

25 23 0 48

15 22 0 37

25 32 0 57

17 28
0

20 25
0

11 25 36 0

45

45

0

0

0

0

0

113 155 0 268

Em relação ao número de partos por tipo, tínhamos um número médio entre 45 e 50 partos por mês. Em junho, este número foi de 36 partos, sendo que a queda foi no número de partos normais, aumentando ainda mais o já alto percentual de cesáreas em relação ao total – 69%. Fatores como solicitação da parturiente, vontade médica e partos mais complicados, agravados pela falta de pré-natal adequado, são os que levaram ao alto percentual de cesáreas.

Página | 181

13.1.7 – SADT’S
1.7. SADT 1.7.1. Laboratório Clínico 1.7.2. Anatomia Patológica 1.7.3. Radiologia 1.7.4. Eletrocardiografia 1.7.5. Fisioterapia (Sessões) 1.7.6. Hemodiálise(Sessões) 1.7.7. Hemodinâmica 1.7.8. Hemoterapia 1.7.9. Endoscopia 1.7.10. Ultrassonografia 1.7.11 Tomografia Computadorizada 1.7.12 Ressonancia Magnética 1.7.13 Mamografia 1.7.14 Citopatologia 1.7.15 Eletroencefalografia 1.7.16 Teste do Pézinho 1.7.17 Diversos 1.7.18 Teste Ergométrico Total Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL

1465 47 440 69 20 0 0 4 18 168 8 13 0 0 0 0 0 0

862 30 354 44 0 0 0 7 0 7 3 6 0 0 0 0 0 0

1004 1476 1372 942 16 495 95 40 0 0 11 0 38 0 0 0 0 0 0 0 0 29 494 57 29 0 0 16 0 29 5 19 0 0 0 0 0 0 26 468 113 25 0 0 4 0 24 4 20 0 0 0 0 0 0 28 372 50 22 0 0 3 0 30 1 12 0 0 0 0 0 0

7121 176 2623 428 136 0 0 45 18 296 21 70 0 0 0 0 0 0
10934

2252 1313 1699 2154 2056 1460

COMENTÁRIO: Verifica-se que o maior volume é de Análises Clínicas, que, no Hospital, é terceirizada. No geral, a variação de SADT seguiu a queda no movimento do Hospital em junho, decorrente da queda nas internações e atendimentos. Isto ficou bem evidente na queda do número de exames de análises clínicas e radiologia, que juntos representam quase 90% do total do SADT.
13.1.8 – AMB ULATÓR IO

1.8. Ambulatório 1.8.1. Consultas 1.8.2. Consultas com Procedimentos 1.8.3. Procedimentos 1.8.4. Procedimentos Cirúrgicos Total

Jan

Fev

Mar

Abr

Mai

Jun

Jul

Ago 0 0 0 0

Set 0 0 0 0

Out 0 0 0 0

Nov 0 0 0 0

Dez 0 0 0 0

TOTAL

772 0 0 0 772

489 845 769 0 0 0 0 0 0 0 0 0

738 510 0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

489 845 769

738 510

0

0

0

0

4123 0 0 0 4123

COMENTÁRIO: Observamos na planilha uma queda gradual a partir de Março, tendo se intensificado em Junho. Esta queda é reflexo da queda no número de atendimentos nas especialidades de Clínica Médica, que representa 60% do total, além da queda nas especialidades de Cirurgia Geral e Ginecologia. Em contrapartida, tivemos um aumento no número de consultas de Ortopedia, mas que não impactam no número total devido ao fato de representarem 15% do total.

Página | 182

13.1.9 – ATENDIMENTOS DE URGÊNCIA/EMERGÊNCIA
1.9. Urgência/Emergência 1.9.1. Consultas 1.9.2. Consultas com Procedimentos 1.9.3. Procedimentos 1.9.4. Procedimentos Cirúrgicos Total Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 TOTAL

2045 1915 1776 0 0 0 0 0 0 0 0 0

2089 1916 1804 0 0 0 0 0 0 0 0 0

2045 1915 1776 2089 1916 1804

11545 0 0 0 11545

COMENTÁRIO: Os atendimentos de urgência vem apresentando queda constante desde o mês de abril. Esta queda ocorre devido ao menor volume nos atendimentos da especialidade de Clínica Médica, que representam quase 90% do total de atendimentos. Sazonalidade ou diminuição do envio de pacientes por outros municípios podem ser a causa para esta queda.
13.1.10 – RECURSOS HUMANOS
1.10. Recursos Humanos 1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total Janeiro
S e sa u P ró 3º Tot a l

Fevereiro
S e sa u P ró 3º Tot a l

Março
S e sa u P ró 3º Tot a l S e sa u P ró

Abril
3º Tot a l

22 54 9 13 15 113

21 21 4 37 1 84

0 0 0 0 0 0

43 75 13 50 16 197

13 53 9 13 14 102

32 21 4 37 1 95

0 0 0 0 0 0

45 74 13 50 15 197

14 54 8 13 14 103

32 22 4 37 1 96

0 0 0 0 0 0

46 76 12 50 15 199

14 54 8 13 14 103

34 22 4 37 1 98

0 0 0 0 0 0

48 76 12 50 15 201

1.10. Recursos Humanos
S e sa u P ró

Maio
3º Tot a l

Junho
S e sa u P ró 3º Tot a l

Julho
S e sa u P ró 3º Tot a l

Agosto
S e sa u P ró 3º Tot a l

1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total

6 55 8 14 15
98

33 22 4 37 1
97

0 0 0 0 0 0

39 77 12 51 16 195

6 55 8 16 15 100

33 21 4 37 1 96

0 0 0 0 0 0

39 76 12 53 16 196

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

1.10. Recursos Humanos 1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total 0 0 0 0 0 0

Setem bro
S e sa u P ró 3º Tot a l

Outubro
S e sa u P ró 3º Tot a l

Novem bro
S e sa u P ró 3º Tot a l

Dezem bro
S e sa u P ró 3º Tot a l

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

Página | 183

13.1.11 – NEP Não foram realizados cursos e treinamentos neste mês. 13.1.12 – LOGÍSTIC A

1.13. Estoque
1 3.1 Estoque em dias de consumo - Mat/med 30 dias .1 .

Jan

Fev

Mar

Abr

Mai

Jun

Jul 0,0 0,0

Ago Set 0,0 0,0 0,0 0,0

TOTAL

2225,7 2225,7

339,8 339,8

73,3 73,3

101,4 101,4

200,8 200,8

213,8 213,8

3154,7 3154,7

Total

COMENTÁRIO: O meses de Janeiro e Fevereiro não devem ser levados em consideração para qualquer análise, pois o sistema ainda não estava sendo alimentado corretamente e em sua totalidade. Observamos que ainda há um volume grande de dias de estoque no Hospital, com aumentos em Maio e Junho. Isto se deve ao maior número de pedidos do setor de Logística por um excesso de preocupação com prováveis faltas de mat/med, já que esperava-se um aumento de demanda (que não ocorreu). Além disto houve uma desconfiança com a dificuldade de entrega por parte dos fornecedores, especialmente devido a falta de pagamentos.
13.1.13 – CORPO CLÍNICO

- sem maiores acontecimentos. Problemas como mal atendimento, erros de conduta e relacionamentos com as demais equipes do Hospital, vem sendo tratados caso a caso pela Diretoria Técnica e com acompanhamento da Direção Geral e suporte do SAU.

13.2 - SAU

1. REGISTROS DE OPINIÃO

Foram registrados durante esse período cinco registros de opiniões sendo 01 registro de reclamações relativo ao atendimento da equipe de enfermagem. Ressaltamos que temos muitos registros preenchidos, mas a maioria está sem identificação, impossibilitando uma melhor análise e o lançamento dos mesmos na estatística. A reclamação foi repassada á Coordenação do respectivo setor que informou está realizando reuniões periódicas com toda equipe visando melhorias no atendimento aos usuários. Página | 184

Obtivemos ainda quatro registros de elogios, dentre os quais se destacam principalmente o bom atendimento dos funcionários do Hospital em especial as equipes de Enfermagem e recepção.

Ocorrências Reclamações Sugestões Elogios Total de Questionários Queixas resolvidas Meta Contratual Meta Realizada

Abril 2012 01 0 04 05 1 80,0% 100,0%

2. GRÁFICO DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO

Durante o mês de Junho, houve aumento dos índices de satisfação, em comparação aos mês anterior, Maio, exceto na Internação, que apresentou uma pequena queda. Os aumentos foram mais evidentes no SADT e no Pronto Socorro. Isto deve-se ao fato de termos implantado o agendamento eletrônico, que organizou a agenda, mas principalmente, pelo fato de termos tido queda no volume de pessoas a serem atendidas, o que propiciou melhor percepção em relação ao atendimento e limpeza . O mesmo se aplica, em menor grau, ao Ambulatório. Houve também uma melhor reorganização no atendimento para realização de RX, que é o maior volume de SADT. Os exames de internos e externos foi separado em horários definidos e isto gerou mais agilidade no atendimento. Quanto á Internação houve uma variação muito pequena em relação ao mês anterior. Como antes, o maior questionamento e a pior avaliação são em relação ás instalações físicas, especialmente a climatização, que continua inexistente.

Página | 185

Reconhecidos os fatores das quedas, os mesmos foram encaminhados aos responsáveis dos setores de atendimento, médico e de enfermagem, para ação e orientação. A questão da estrutura física depende de investimentos, que por hora, estão no aguardo de liberação de verbas.
100,00 95,00 90,00 85,00 80,00 75,00 70,00 ABR MAI JUN

PESQUISA DE SATISFAÇÃO 2012

AMBULATÓRIO 94,31 85,06 86,19

INTERNAÇÃO 87,24 88,91 88,77

PRONTO SOCORRO 86,96 85,36 87,04

SADT 88,85 80,87 91,62

13.3 – GERENCIAMENTO DE PROCESSOS
- Realizada reunião entre a Coordenadora de Enfermagem, Direção Geral, consultoria MV e Gerência de Atendimento para tratar de assuntos relativos ao cadastramento de pacientes pela Recepção e ao fluxo de documentação e informação entre Enfermagem e Recepção quando da internação e movimentação de leitos. - Solicitada manutenção das Ambulâncias e acertada a troca de 2 pneus de uma delas. - Com a lavanderia do Hospital do Guaraí com problemas, passamos a lavar roupas no Hospital de Miracema, mantendo o processo de lavagem do enxoval do Hospital, embora a um custo maior.

Página | 186

13.4 – FATURAMENTO
4. Faturamento 4.1 - AIH (Quantitativo) 4.2 - Valores (em reais) Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set TOTAL

246 99.238,3

195 77.333,1

209 94.104,7

205 93.182,3

153 71.898,2

135

0

0

0

1143
495.042,8

59.286,3 0,0 0,0 0,0

COMENTÁRIO: Os números e valores apresentados são referentes ao mês em que foram realizados. A apresentação destas contas é feita no mês posterior. A variação de faturamento segue a variação do atendimento do Hospital, já descrita nos tópicos anteriores. Alerto que estes dados acima referem-se somente a AIHs, conforme solicitado pela planilha. O Hospital também fatura os procedimentos ambulatoriais, chamados SIA/SUS, cujos valores compõem o faturamento total. No quadro abaixo, estão os valores de Jan a Jun/12: SIA/SUS
jan/12 fev/12 mar/12 abr/12 mai/12 jun/12 31.498,91 38.381,82 27.056,56 33.202,13 36.123,57 29.799,36

13.6 – OBRAS E IMPLANTAÇÃO DE NOVOS SERVIÇOS - Nenhuma obra foi realizada e nenhum serviço implementado. 13.7 – EQUIPAMENTOS NOVOS - Nenhum equipamento foi comprado ou instalado. 13.8 – COMISSÕES
Comissão de Óbitos – não realizada . Comissão de Prontuários – não realizada. Comissão de Ética Médica – não realizada por falta de quórum. Comissão de CCIH – reunião em 20/06/12 Comissão de Farmácia – não realizada.

PALAVRA DO DIRETOR GERAL DO HOSPITAL
No mês de Junho, pouquíssimas ações foram realizadas, pois com a rescisão contratual entre Pró-Saúde e Secretaria da Saúde e a falta de verbas não houve como planejar, implementar e realizar muita coisa, Página | 187

cabendo somente o trabalho de manter a instituição em funcionamento, aguardando as definições quanto ao que pagar e o que deverá ser realizado daqui para frente. Independente das indefinições, o Hospital continuou e continua com sua prestação de serviços á população e com suas rotinas assistenciais e administrativas em pleno andamento. Problemas pontuais normais de uma instituição hospitalar tiveram acompanhamento e tomada de decisão para que o bom atendimento pudesse permanecer, fato este percebido na pesquisa de opinião. Problemas maiores, como as questões de Lavanderia e Transportes, por exemplo, foram amplamente notificadas para que alguma ação pudesse ser tomada e o serviço não fosse paralisado. Com isto mantivemos as ambulâncias e a lavagem do enxoval em funcionamento, embora de maneira ainda razoável. Em termos de volume de atendimento, Junho foi um mês de baixa produção, pois apresentou queda geral no atendimento, além de queda no número de internações e cirurgias. Fatores como sazonalidade, diminuição do envio de pacientes por parte dos municípios das quais somos referência e diminuição da produtividade da equipe médica podem ser uma explicação para esta baixa.

2.14 HOSPITAL INFANTIL PÚBLICO DE PALMAS 2.14.1 METAS CONTRATUAIS 14.1.1 – Nº DE LEITOS POR ESPECIALIDADE;
1.1. Leitos por Especialidade 1.1.1. Clínica Médica 1.1.2. Clínica Pediátrica 1.1.3. Clínica Cirúrgica 1.1.4. Clínica Obstétrica 1.1.5. UTI de Adultos 1.1.6. UTI Infantil 1.1.7. UTI Neonatal 1.1.8. Berçário 1.1.9. Clínica Ortopédica 1.2.10. Outros Total de Leitos Jan 0 28 0 0 0 0 0 0 0 4 32 Fev 0 28 0 0 0 0 0 0 0 4 32 Mar 0 28 0 0 0 0 0 0 0 4 32 Abr 0 28 0 0 0 0 0 0 0 4 32 Mai 0 28 0 0 0 0 0 0 0 4 32 Jun 0 28 0 0 0 0 0 0 0 4 32 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 0 168 0 0 0 0 0 0 0 24 192

COMENTÁRIO: O diretor deverá descrever as razões das variações ocorridas

Página | 188

14.1.2 – Nº. DE INTERNAÇÕES POR ESPECIALIDADE;
1.2. Internações por Especialidade 1.2.1. Clínica Médica 1.2.2. Clínica Pediátrica 1.2.3. Clínica Cirúrgica 1.2.4. Clínica Obstétrica 1.2.5. UTI de Adultos 1.2.6. UTI Infantil 1.2.7. UTI Neonatal 1.2.8. Berçário 1.2.9. Clínica Ortopédica 1.2.10. Outros Total de Internações por especialidade Jan 0 154 0 0 0 0 0 0 0 16 170 Fev 0 245 0 0 0 0 0 0 0 29 274 Mar 0 268 0 0 0 0 0 0 0 47 315 Abr 0 255 0 0 0 0 0 0 0 30 285 Mai 0 269 0 0 0 0 0 0 0 45 314 Jun 0 236 0 0 0 0 0 0 0 16 252 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 0 1427 0 0 0 0 0 0 0 183 1610

COMENTÁRIO: O diretor deverá descrever as razões das variações ocorridas 14.1.3 – Nº. DE SAÍDOS POR ESPECIALIDADE
1.3. Nº. de saídos por especialidade 1.3.1. Clínica Médica 1.3.2. Clínica Pediátrica 1.3.3. Clínica Cirúrgica 1.3.4. Clínica Obstétrica 1.3.5. UTI de Adultos 1.3.6. UTI Infantil 1.3.7. UTI Neonatal 1.3.8. Berçário 1.3.9. Clínica Ortopédica 1.3.10. Outros Total de Internações por especialidade Jan 0 147 0 0 0 0 0 0 0 16 163 Fev 0 239 0 0 0 0 0 0 0 38 277 Mar 0 266 0 0 0 0 0 0 0 46 312 Abr 0 247 0 0 0 0 0 0 0 33 280 Mai 0 275 0 0 0 0 0 0 0 37 312 Jun 0 243 0 0 0 0 0 0 0 21 264 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 0 1417 0 0 0 0 0 0 0 191 1608

COMENTÁRIO: O diretor deverá descrever as razões das variações ocorridas 14.1.4 – PERCENTUAL DE OCUPAÇÃO POR CLÍNICA;
1.4. Porcentagem de Ocupação 1.4.1. Clínica Médica 1.4.2. Clínica Pediátrica 1.4.3. Clínica Cirúrgica 1.4.4. Clínica Obstétrica 1.4.5. UTI de Adultos 1.4.6. UTI Infantil 1.4.7. UTI Neonatal 1.4.8. Outros (Berçário) 1.4.9. Clínica Ortopédica 1.4.10. Outros Porcentagem Geral de Ocupação Jan 0% 71% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 31% 68% Fev 0% 85% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 25% 80% Mar 0% 89% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 27% 85% Abr 0% 81% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 25% 77% Mai 0% 88% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 41% 85% Jun 0% 86% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 39% 83% Jul 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Ago 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Set 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Out 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Nov 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Dez 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% TOTAL 0% 500% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 188%

COMENTÁRIO: O diretor deverá descrever as razões das variações ocorridas Página | 189

14.1.5 – MÉDIA DE PERMANÊNCIA;
1.5. Média de Perm anência 1.5.1. Clínica Médica 1.5.2. Clínica Pediátrica 1.5.3. Clínica Cirúrgica 1.5.4. Clínica Obstétrica 1.5.5. UTI de Adultos 1.5.6. UTI Infantil 1.5.7. Uti Neonatal 1.5.8. Outros 1.5.9. Clínica Ortopédica 1.5.10. Outros Média Geral de Permanência Jan 0 6,66 0 0 0 0 0 2,44 0 0 6,25 Fev 0 4,64 0 0 0 0 0 0,76 0 0 4,11 Mar 0 5,8 0 0 0 0 0 0,72 0 0 5,04 Abr 0 5,51 0 0 0 0 0 0,91 0 0 4,97 Mai 0 5,21 0 0 0 0 0 1,38 0 0 4,75 Jun 0 4,73 0 0 0 0 0 1,27 0 0 5,11 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 0 32,55 0 0 0 0 0 7,48 0 0

COMENTÁRIO: O diretor deverá descrever as razões das variações ocorridas 14.1.6 – VOLUME CIRURGICO 14.1.6.1 – Nº de Cirurgias de Urgência; 14.1.6.2 – Nº de Cirurgias eletivas;
1.6. Volum e Cirúrgico 1.6.1. Cirurgias de Urgência 1.6.2. Cirurgias Eletivas Média Geral de Cirurgias Jan 10 19 29 Fev 39 32 71 Mar 42 18 60 Abr 22 33 55 Mai 31 21 52 Jun 26 10 36 Jul 0 0 0 Ago 0 0 0 Set 0 0 0 Out 0 0 0 Nov 0 0 0 Dez 0 0 0 TOTAL 170 133 303

COMENTÁRIO: A diminuição do número de cirurgias deve-se a licença médica de um dos cirurgiões pediátricos (Dr. Renato). 14.1.6.3 – Nº DE CIRURGIAS POR PORTE;
1.6.3. Núm ero de Cirurgias por Porte 1.6.3.1. Cirurgias Grandes 1.6.3.2. Cirurgias Médias 1.6.3.3. Cirurgias Pequenas 1.6.3.4. Curetagens 1.6.3.5. Cesáreas Média Geral de Cirurgias por Porte Jan 3 9 17 0 0 29 Fev 14 22 35 0 0 71 Mar 9 27 24 0 0 60 Abr 6 28 21 0 0 55 Mai 7 26 19 0 0 52 Jun 2 19 15 0 0 36 Jul 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 TOTAL 41 131 131 0 0 303

COMENTÁRIO: O diretor deverá descrever as razões das variações ocorridas

Página | 190

14.1.7 – SADT’S;
1.7. SADT 1.7.1. Laboratório Clínico 1.7.2. Anatomia Patológica 1.7.3. Radiologia 1.7.4. Eletrocardiografia 1.7.5. Fisioterapia (Sessões) 1.7.6. Hemodiálise(Sessões) 1.7.7. Hemodinâmica 1.7.8. Hemoterapia 1.7.9. Endoscopia 1.7.10. Ultrassonografia 1.7.11 Tomografia Computadorizada 1.7.12 Ressonancia Magnética 1.7.13 Mamografia 1.7.14 Citopatologia 1.7.15 Eletroencefalografia 1.7.16 Teste do Pézinho 1.7.17 Diversos 1.7.18 Teste Ergométrico 1.7.19 Outros ( especificar) Total Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 24548 61 2692 0 3165 0 0 0 0 465 252 83 0 0 92 0 78 0 0 31436

3233 4936 4574 3700 4479 3626 6 258 0 344 0 0 0 0 70 34 6 0 0 18 0 3 0 0 11 371 0 409 0 0 0 0 58 53 24 0 0 19 0 0 0 0 15 537 0 640 0 0 0 0 84 35 12 0 0 13 0 7 0 0 12 499 0 604 0 0 0 0 80 42 12 0 0 18 0 21 0 0 12 548 0 571 0 0 0 0 84 47 17 0 0 24 0 38 0 0 5 479 0 597 0 0 0 0 89 41 12 0 0 0 0 9 0 0

3972 5881 5917 4988 5820 4858

COMENTÁRIO: O diretor deverá descrever as razões das variações ocorridas

14.1.8 – AMBULATÓRIO;

1.8. Ambulatório 1.8.1. Consultas 1.8.2. Consultas com Procedimentos 1.8.3. Procedimentos 1.8.4. Procedimentos Cirúrgicos Total

Jan 229 0 0 0 229

Fev 304 0 0 0 304

Mar 381 0 0 0 381

Abr 392 0 0 0 392

Mai 401 0 0 0 401

Jun 440 0 0 0 440

Jul 0 0 0 0 0

Ago 0 0 0 0 0

Set 0 0 0 0 0

Out 0 0 0 0 0

Nov 0 0 0 0 0

Dez 0 0 0 0 0

TOTAL 2147 0 0 0 2147

COMENTÁRIO: O diretor deverá descrever as razões das variações ocorridas

Página | 191

14.1.9 – ATENDIMENTOS DE URGÊNCIA/EMERGÊNCIA;
1.9. Urgência/Emergência 1.9.1. Consultas 1.9.2. Consultas com Procedimentos 1.9.3. Procedimentos 1.9.4. Procedimentos Cirúrgicos Total Jan 469 0 0 0 469 Fev 566 0 0 0 566 Mar 766 0 0 0 766 Abr 719 0 0 0 719 Mai 723 0 0 0 723 Jun 597 0 0 0 597 Jul 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 TOTAL 3840 0 0 0 3840

COMENTÁRIO: O diretor deverá descrever as razões das variações ocorridas

14.1.10 – RECURSOS HUMANOS;
1.10. Recursos Humanos 1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total 26 156 14 86 42 324 Janeiro
S e s a u P ró 3º

Fevereiro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Março
T o t a l S e s a u P ró 3º T o t a l S e s a u P ró

Abril
3º T o tal

23 15 3 60 0 101

0 0 0 0 0 0

49 171 17 146 42 425

26 140 14 86 42 308

21 16 3 67 1 108

0 0 0 0 0 0

47 156 17 153 43 416

29 140 14 87 44 314

21 16 3 66 1 107

0 0 0 0 0 0

50 156 17 153 45 421

28 140 14 88 41 311

21 16 3 66 1 107

0 0 0 0 0 0

49 156 17 154 42 418

1.10. Recursos Humanos
S e s a u P ró

Maio

Junho
T o t a l S e s a u P ró 3º

Julho
T o t a l S e s a u P ró 3º

Agosto
T o t a l S e s a u P ró 3º T o tal

1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total

27 141 14 90 41 313

22 16 3 66 1 108

0 0 0 0 0 0

49 157 17 156 42 421

29 137 14 90 40 310

29 16 3 59 1 108

0 0 0 0 0 0

58 153 17 149 41 418

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

1.10. Recursos Humanos 1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total 0 0 0 0 0 0

Setem bro
S e s a u P ró 3º

Outubro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Novem bro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Dezem bro
T o t a l S e s a u P ró 3º T o tal

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

Página | 192

14.1.11 – NEP As ações de capacitação do Hospital Infantil Público de Palmas, no mês de Junho 2012 apresentou redução no número de horas em relação ao mês anterior. Neste mês foram totalizadas 126h, com a participação de 152 colaboradores/colaboradores.

CURSO Capacitação sobre Precaução Padrão e Isolamentos em CCIH Treinamento de Equipamentos de Proteção Individual 14º Congresso Brasileiro de Gastroenterologia Curso de Atualização para Auxiliares e Técnicos de Enfermagem com Ênfase em Urgência e Emergência Curso Técnico em Hemoterapia Orientações Processo de Trabalho em CCIH TOTAL
TOTAL DE HORAS NÚMERO TOTAL DE COLABORADORES DO HOSPITAL HORAS/HOMEM

NÚMERO DE CARGA HO- TOTAL DE PARTICIPANTES RÁRIA HORAS 123 10 1 6 4 8 152
748:00:00 422 1:46:21

02:00:00 246:00:00 03:00:00 32:00:00 30:00:00 32:00:00

40:00:00 240:00:00 48:00:00 192:00:00 01:00:00 8:00:00 126:00:00 748:00:00

Página | 193

14.1.12 – LOGÍSTICA

1.13. Estoque
1 3.1 Esto que em dias de co nsumo - M at/med 30 dias .1 .

Jan 319 319

Fev 82,4 82,4

Mar 67,9 67,9

Abr

Mai

Jun

Jul 0 0

Ago 0 0

Set 0 0

Out 0 0

Nov 0 0

Dez 0 0

TOTAL 738,9 738,9

90,5 92,22 87,22 90,5 92,22 87,22

Total

Obs: O valor do estoque referente ao mês de janeiro, no sistema MV, não corresponde com o valor real, devido alguns custos médios elevados (tais como: hidrocortizona 100mg FR/AM valor:6,5615 no sistema 137,00) , devido estas alterações, foi revisado todos os cadastros do sistema MV e feito as correções.

14.1.13 – CORPO CLÍNICO

Inaugurado em fevereiro de 2010, o Hospital Infantil de Palmas (HIP) é unidade estadual de referência no atendimento aos recém- nascidos, lactentes e crianças até 12 anos de idade, contando hoje com 58 leitos e as seguintes unidades: Sala de emergência com 04 leitos 02 consultórios (pediatria clínica e subespecialidades), Enfermaria de cirurgia com 04 leitos Serviços de apoio diagnóstico (ultrassonografia, radiologia, laboratório de análises clínicas) Enfermarias de observação clínica do Pronto Socor- Consultório odontológico ro (PS) com 18 leitos Enfermarias de isolamento com 09 leitos Enfermarias de clínicas pediátricas com 20 leitos Centro cirúrgico pediátrico com 02 salas de cirurgia e 01 sala de recuperação pós-anestésica Farmácia hospitalar Brinquedoteca

A equipe técnica é composta por:

Página | 194

12 pediatras (06 plantonistas do Pronto Socorro, 05 prescritores de enfermarias e 01 afastado por licença médica) 02 cirurgiões pediátricos, sendo 01 afastado por licença médica. • Profissionais médicos de subespecialidades pediátricas:

Oftalmologia Pneumologia Astroenterologia Reumatologia Neurologia e Neurocirurgia Otorrinolaringologia Infectologia Ortopedia Imunoalergia Cardiologia

Nefrologia Hematologia Cirurgia Pediátrica Cardiologia Endocrinologia Imunoalergia Dermatologia Urologia Cirurgia Pediátrica Radiologia

Equipe multiprofissional (enfermagem, fisioterapia, fonoaudióloga, nutrição, psicologia, pedagogia, farmacêutica hospitalar e serviço social). O ensino da especialidade pediátrica é exercido por preceptores do corpo clínico do HIP e estendido aos 05 médicos residentes bem como aos alunos da graduação e internato dos cursos de medicina de 03 instituições (UFT, UNIRG e ITPAC Porto Nacional). A unidade de emergência do HIP é equipada para funcionar inclusive como unidade de terapia intensiva, uma vez que a UTI pediátrica do HGP frequentemente não disponibiliza vagas, permanecendo por esta razão pacientes graves e até em ventilação mecânica por tempo prolongado. Sua área física é exígua para os 04 leitos em funcionamento, com taxa de ocupação completa na maioria das vezes. O plantão do Pronto Socorro (PS) é realizado por 02 pediatras em turnos de 06, 12 ou 24 horas, sendo que o plantonista é responsável pelo atendimento dos pacientes da observação, emergência, pacientes externos (referenciados de outras unidades ou de demanda espontânea) e as intercorrências das enfermarias após a saída de seus prescritores. As cargas horária são respectivamente de : Página | 195

11 plantões mensais de 24 horas para jornadas de 60 horas semanais 07 plantões mensais de 24 horas para jornadas de 40 horas semanais 04 plantões mensais de 24 horas para jornadas de 20 horas semanais. Os plantonistas do P.S atualmente são em número de 06, havendo um déficit de pelo menos 08 plantonistas com jornadas de 40 horas semanais. Para a composição da escala atualmente são necessários profissionais vindos do estado de São Paulo, integrantes de empresa contratada para suprir esta deficiência. Os plantões são pagos como extras, inclusive aos plantonistas do corpo clínico que já excederam sua carga horária, sendo que a remuneração atual é de R$ 2.000,00 (dois mil reais) em valor líquido, por 24 horas. O número de leitos disponíveis no Hospital é insuficiente para o atendimento da demanda, sendo que desde fevereiro do corrente ano tem ocorrido superlotação, havendo necessidade do improviso de leitos nos corredores, fato que gera grandes transtornos operacionais. Os 05 pediatras prescritores das enfermarias trabalham diuturnamente nos períodos matutinos prestando atendimento diferenciado a pacientes com patologias diversas e de grande complexidade, tais como pneumonias graves, calazar, e neuropatias crônicas. Por ser o HIP um hospital de referência frequentemente ocorre a necessidade de permanência maior dos pacientes em regime de internação hospitalar, gerando-se desta forma altas taxas de ocupação dos leitos e cuidados especiais pela equipe multiprofissional. O serviço de apoio diagnóstico prestado atualmente pelo laboratório de análises clínicas não atende aos padrões mínimos de qualidade exigidos, com uma estrutura física imprópria segundo os padrões da Vigilância Sanitária, além do fato de a empresa prestadora ter comunicado sua decisão de romper o contrato alegando impossibilidade de prestação de serviços com remuneração pela atual tabela do SUS. A nefrologia pediátrica encontra-se com demanda de atendimento reprimida, pois as crianças nefropatas crônicas não dispõem de serviço de diálise peritoneal e são transferidas via TFD para outros centros de referência com ônus adicional para o serviço público de saúde estadual. Diante do exposto recomenda-se: 1- Contratação imediata de 08 (cinco) pediatras com jornada de trabalho de 40 (quarenta) horas cada, para a composição da escala de plantão do P.S.

Página | 196

2- Ampliação dos atuais turnos de trabalho dos pediatras que atendem na Unidade de emergência de 06 horas para 12 horas diurnas visando-se uma melhor assistência aos pacientes graves e em risco de vida. 3- Adequação da carga horária dos plantonistas do P.S em relação ao número de plantões de 24 horas, atualmente excessiva, desproporcional e não atrativa para novas contratações, na seguinte configuração: a- 10 plantões mensais para jornadas de 60 horas semanais b- 06 plantões mensais para jornadas de 40 horas semanais c- 03 plantões mensais para jornadas de 20 horas semanais 4- Adequação do atual laboratório de análises clínicas para o cumprimento das normas mínimas que atendam aos padrões de qualidade exigidos e contratação de nova empresa após critério rigoroso de seleção, com padrões de remuneração condizentes com a realidade do mercado de trabalho da categoria profissional 5-Ampliação da área física da atual Unidade de emergência do Hospital, instalação de novos equipamentos tais como os 04 ventiladores pulmonares de última geração já existentes, uma vez que a referida unidade funciona como suporte da UTI Pediátrica do HGP quando ocorre indisponibilidade de leitos. 6- Reforma e ampliação da área física do atual laboratório de análises clínicas segundo os padrões e recomendações da Vigilância Sanitária, uma vez que as atuais instalações são impróprias e inadequadas. 7- Implantação do serviço de referência estadual em Nefrologia Pediátrica equipado para a realização de tratamento dialética das crianças nefropatas crônicas, em conformidade às recomendações encaminhadas pela nefropediatra Dra. Mirian Goreth Kzan Pereira Mace. 14. 2 – SAU S.A.U. ( Serviço de Atendimento ao Usuário) do Hospital Infantil Público de Palmas, realizou no período de 01 de junho a 31 de junho de 2012, 03 tratativa sendo 02 elogios e 01 reclamação. Os elogios foram para equipe de enfermagem e para alguns médicos. A reclamação, que foi em relação a limpeza foi resolvida juntamente com a coordenação responsável e Direção do Hospital, e resolução repassada para a cliente. Página | 197

Infelizmente, desde o dia 12 de junho, não dispomos mais de sala para atendimento aos usuários, o que tem dificultado nosso trabalho, uma vez que agora quando o usuário quer manifestar sua opinião ele tem de fazer pelos corredores, sem um ambiente adequado que lhe permita manifestar-se sem o risco do constrangimento. Abaixo o quadro informativo sobre as tratativas ( Registro de Opinião) ocorrido do dia 01 à 30 de junho de 2012. OCORRÊNCIAS Reclamação SUGESTÃO ELOGIOS TOTAL DE QUESTIONÁRIOS QUEIXAS RESOLVIDAS META CONTRATUAL JUNHO -2012 01 00 02 03 01 80% 100% No quadro abaixo com o gráfico apresentado, nota-se que as pesquisas realizadas no mês de junho com os acompanhantes no ambulatório, internação teve uma pequena queda no percentual de satisfação, em relação ao mês de maio e abril,mas mesmo assim mantendo-se dentro dos padrões de 80% como dos meses anteriores.

Hospital Público Infantil de Palmas
120,00 100,00 80,00 60,00 40,00 20,00 0,00 -20,00 AMBULATORIO (%) 85,14 84,90 83,61 -1,80% INTERNAÇÃO (%) 85,77 81,37 81,93 -4,48% PRONTO SOCORRO (%) 79,44 72,06 79,44 0,00% SADT (%) 87,55 87,60 96,68 10,43% 96,68 83,61 81,93 79,44

Abril/2012 Maio/2012 Junho/2012 Evolução do Período

Página | 198

NO Pronto Socorro percebe-se um aumento na pesquisa de satisfação em relação ao mês de maio,já no mês junho em relação a abril o percentual de satisfação ficou igual,mantendo-se abaixo dos 80% do índice de satisfação. A queda de satisfação no pronto socorro deve-se ao fato da superlotação que o hospital se encontra nos últimos meses, gerando assim insatisfação de alguns usuários, por se encontrarem instalados nos corredores.

14.3 – GERENCIAMENTO DE PROCESSOS
- Organização e discussão do material referente a implantação do Protocolo de Atenção Integral à Criança Vítima de Violência.

14.4 – FATURAMENTO
5. Faturamento 5.1 AIH 5.2 Valores Jan 175 81.319,4 Fev 272 110.922,7 Mar 353 164.141,8 Abr 253 126.673,2 Mai 256 124.420,4 Jun 263 125.250,53 Jul Ago Total

COMENTÁRIO: O diretor deverá descrever as razões das variações ocorridas.

14.6 – OBRAS E IMPLANTAÇÃO DE NOVOS SERVIÇOS 14.7 – EQUIPAMENTOS NOVOS 14.8 – COMISSÕES COMISSÃO DE ÉTICA MÉDICA A reunião da Comissão de Ética Médica foi realizada no dia 13 de junho. COMISSÃO DE FARMÁCIA E TERAPÊUTICA A reunião da Comissão de Farmácia e Terapêutica foi realizada no dia 19 de junho para a discussão dos medicamentos tópicos utilizados em pele, mucosas e fâneros com presença de médica especialista para padronização e apresentação da relação dos medicamentos usados no sistema ocular e otológico que não foram padronizados na reunião anterior. (Anexo I). COMISSÃO DE REVISÃO DE ÓBITOS Houve 05 (cinco) óbitos no mês de maio de 2012. COMISSÃO DE REVISÃO DE PRONTUÁRIOS A ata da reunião da Comissão de Revisão de Prontuários, que ocorreu no dia 18 de junho, segue anexa (Anexo II) para consulta. Foram revisados 29% dos prontuários do mês de maio. Página | 199

COMISSÃO DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR A reunião da CCIH ocorreu no dia 26 de junho. A ata da reunião segue anexa para ciência (Anexo III). 14.9 – OUTRAS INFORMAÇÕES; 14.9.1 AÇÕES DE VALORIZAÇÃO • Foi realizado o “II Arraia” para os servidores do hospital, com: Café da manhã, com comidas tícas juninas, quadrilha e muita diversão.

Página | 200

14.9.2 CONSULTORIA 14.9.3 INTERAÇÃO COM A COMUNIDADE No dia 27 de Junho foi realizada quadrilha para as crianças internadas no Hospital, com pipoca, cachorro quente e muita diversão.

Página | 201

PALAVRA DO DIRETOR GERAL DO HOSPITAL Junho foi um mês de mudanças na direção do HIPP, com a nomeação de Dr. Geraldo como Diretor
Geral pela SESAU, acumulando ainda a função de Diretor Técnico. Com esta mudança, a Pró-Saúde focou nas áreas de logística e apoio A maior dificuldade enfrentada no mês descrito foi a falta de abastecimento de materiais e medicamentos, bem como, gêneros alimentícios, em virtude da falta de pagamento dos fornecedores. O serviço de manutenção preventiva encontra-se inoperante devido ao motivo citado. Todas as adversidades têm sido contornadas devido ao empenho e mobilização de toda equipe envolvida no Projeto de Gestão. Estamos tendo toda delicadeza na condução da transição da Gestão, de forma a causar o menor impacto possível aos trabalhadores do HIPP. Página | 202

2.15 HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE ARAGUAÇU 2.15.1 METAS CONTRATUAIS
15.1.1 – Nº DE LEITOS POR ESPECIALIDADE;
1.1. Leitos por Especialidade 1.1.1. Clínica Médica 1.1.2. Clínica Pediátrica 1.1.3. Clínica Cirúrgica 1.1.4. Clínica Obstétrica 1.1.5. UTI de Adultos 1.1.6. UTI Infantil 1.1.7. UTI Neonatal 1.1.8. Berçário 1.1.9. Clínica Ortopédica 1.2.10. Outros Total de Leitos Jan 11 9 4 4 0 0 0 0 0 0 28 Fev 11 9 4 4 0 0 0 0 0 0 28 Mar 11 9 4 4 0 0 0 0 0 0 28 Abr 11 9 4 4 0 0 0 0 0 0 28 Mai 11 9 4 4 0 0 0 0 0 0 28 Jun 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 55 45 20 20 0 0 0 0 0 0 140

O hospital não apresenta nenhuma variação no quadro de leitos, permanecendo assim, o mesmo quantitativo disposto no CNES (Cadastro Nacional de Estabelecimento de Saúde).

15.1.2 – Nº. DE INTERNAÇÕES POR ESPECIALIDADE;
1.2. Internações por Especialidade 1.2.1. Clínica Médica 1.2.2. Clínica Pediátrica 1.2.3. Clínica Cirúrgica 1.2.4. Clínica Obstétrica 1.2.5. UTI de Adultos 1.2.6. UTI Infantil 1.2.7. UTI Neonatal 1.2.8. Berçário 1.2.9. Clínica Ortopédica 1.2.10. Outros Total de Internações por especialidade Jan 126 18 1 9 0 0 0 0 0 0 154 Fev 108 21 0 7 0 0 0 0 0 0 136 Mar 131 26 1 13 0 0 0 0 0 0 171 Abr 141 32 1 15 0 0 0 0 0 0 189 Mai 131 27 4 9 0 0 0 0 0 0 171 Jun 71 23 3 16 0 0 0 0 0 0 113 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 708 147 10 69 0 0 0 0 0 0 934

O quadro de internação apresenta uma redução de 46% em relação a maio, com uma grande queda de 46% nas internações de Clíncia Médica, de15 % nas internações de Clínica Pediátrica, 25% em Clínica Cirúrgica e um aumento de 78% na Clínica Obstétrica.

Página | 203

15.1.3 – Nº. DE SAÍDOS POR ESPECIALIDADE
1.3. Nº. de saídos por especialidade 1.3.1. Clínica Médica 1.3.2. Clínica Pediátrica 1.3.3. Clínica Cirúrgica 1.3.4. Clínica Obstétrica 1.3.5. UTI de Adultos 1.3.6. UTI Infantil 1.3.7. UTI Neonatal 1.3.8. Berçário 1.3.9. Clínica Ortopédica 1.3.10. Outros Total de saídos por especialidade Jan 128 10 1 9 0 0 0 0 0 0 148 Fev 105 10 0 9 0 0 0 0 0 0 124 Mar 129 29 1 13 0 0 0 0 0 0 172 Abr 136 32 1 20 0 0 0 0 0 0 189 Mai 138 31 3 11 0 0 0 0 0 0 183 Jun 72 27 5 15 0 0 0 0 0 0 119 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 708 139 11 77 0 0 0 0 0 0 935

15.1.4 – PERCENTUAL DE OCUPAÇÃO POR CLÍNICA;
1.4. Porcentagem de Ocupação 1.4.1. Clínica Médica 1.4.2. Clínica Pediátrica 1.4.3. Clínica Cirúrgica 1.4.4. Clínica Obstétrica 1.4.5. UTI de Adultos 1.4.6. UTI Infantil 1.4.7. UTI Neonatal 1.4.8. Outros (Berçário) 1.4.9. Clínica Ortopédica 1.4.10. Outros Jan 91% 16% 3% 6% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Fev Mar Abr Mai 93% 34% 6% 11% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Jun 45% 17% 23% 10% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Jul 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Ago 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Set 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Out 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Nov 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Dez 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% TOTAL 507% 138% 42% 60% 0% 0% 0% 0% 0% 0%

73% 100% 105% 21% 2% 9% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 24% 2% 12% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 26% 6% 12% 0% 0% 0% 0% 0% 0%

Página | 204

15.1.5 – MÉDIA DE PERMANÊNCIA;
1.5. Média de Perm anência 1.5.1. Clínica Médica 1.5.2. Clínica Pediátrica 1.5.3. Clínica Cirúrgica 1.5.4. Clínica Obstétrica 1.5.5. UTI de Adultos 1.5.6. UTI Infantil 1.5.7. Uti Neonatal 1.5.8. Outros 1.5.9. Clínica Ortopédica 1.5.10. Outros Média Geral de Permanência Jan 2,42 4,6 4 0,78 0 0 0 0 0 0 11,8 Fev 2,21 5,5 0 1,11 0 0 0 0 0 0 8,82 Mar 2,65 2,31 2 1,15 0 0 0 0 0 0 8,11 Abr 2,54 2,16 7 0,7 0 0 0 0 0 0 12,4 Mai 2,29 3,06 2,33 1,27 0 0 0 0 0 0 8,95 Jun 2,06 1,74 5,4 0,8 0 0 0 0 0 0 10 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 14,17 19,37 20,73 5,81 0 0 0 0 0 0

Mantêm-se a média histórica de permanência em todas as clínicas

15.1.6 – VOLUME CIRURGICO
1.6. Volum e Cirúrgico 1.6.1. Cirurgias de Urgência 1.6.2. Cirurgias Eletivas Média Geral de Cirurgias Jan 4 2 6 Fev 1 1 2 Mar 5 3 8 Abr 6 4 10 Mai 3 4 7 Jun 7 5 12 Jul 0 0 0 Ago 0 0 0 Set 0 0 0 Out 0 0 0 Nov 0 0 0 Dez 0 0 0 TOTAL 26 19 45

O Hospital de Araguaçú possuí apenas uma sala cirúrgica, dois cirurgiões e uma anestesista. A estrutura poderia ser mais otimizada se houvesse conciliação na agenda e na escala da equipe médica, horários e dias entre o cirurgião, auxiliar e anestesista.
15.1.6.3 – Nº DE CIRURGIAS POR PORTE;
1.6.3. Núm ero de Cirurgias por Porte 1.6.3.1. Cirurgias Grandes 1.6.3.2. Cirurgias Médias 1.6.3.3. Cirurgias Pequenas 1.6.3.4. Curetagens 1.6.3.5. Cesáreas Média Geral de Cirurgias por Porte Jan 0 2 0 2 2 6 Fev 0 1 0 0 1 2 Mar 0 3 1 0 4 8 Abr 0 4 0 2 4 10 Mai 0 2 2 0 3 7 Jun 0 11 1 0 0 12 Jul 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 TOTAL 0 23 4 4 14 45

15.1.6.4 – Nº. DE PARTOS POR TIPO
1.6.4. Núm ero de partos por tipo 1.6.4.1. Normal 1.6.4.2. Cesariana 1.6.3.3. Outros Jan 5 2 0 Fev 4 1 0 Mar 5 4 0 Abr 3 4 0 Mai 6 3 0 Jun 4 7 0 Jul 0 0 0 Ago 0 0 0 Set 0 0 0 Out 0 0 0 Nov 0 0 0 Dez 0 0 0 TOTAL 27 21 0

Página | 205

15.1.7 – SADT’S
1.7. SADT 1.7.1. Laboratório Clínico 1.7.2. Anatomia Patológica 1.7.3. Radiologia 1.7.4. Eletrocardiografia 1.7.5. Fisioterapia (Sessões) 1.7.6. Hemodiálise(Sessões) 1.7.7. Hemodinâmica 1.7.8. Hemoterapia 1.7.9. Endoscopia 1.7.10. Ultrassonografia 1.7.11 Tomografia Computadorizada 1.7.12 Ressonancia Magnética 1.7.13 Mamografia 1.7.14 Citopatologia 1.7.15 Eletroencefalografia 1.7.16 Teste do Pézinho 1.7.17 Diversos 1.7.18 Teste Ergométrico Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 8969 0 1276 0 576 0 0 0 0 537 0 0 0 0 0 0 0 0 1310 1413 1598 1596 1908 1144 0 274 0 102 0 0 0 0 112 0 0 0 0 0 0 0 0 0 262 0 110 0 0 0 0 102 0 0 0 0 0 0 0 0 0 289 0 101 0 0 0 0 103 0 0 0 0 0 0 0 0 0 161 0 103 0 0 0 0 107 0 0 0 0 0 0 0 0 0 48 0 52 0 0 0 0 94 0 0 0 0 0 0 0 0 0 242 0 108 0 0 0 0 19 0 0 0 0 0 0 0 0

15.1.8 – AMB ULATÓR IO
1.8. Ambulatório 1.8.1. Consultas 1.8.2. Consultas com Procedimentos 1.8.3. Procedimentos 1.8.4. Procedimentos Cirúrgicos Total Jan 0 0 0 0 0 Fev 0 0 0 0 0 Mar 0 0 0 0 0 Abr 0 0 0 0 0 Mai 0 0 0 0 0 Jun 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 TOTAL 0 0 0 0 0

Não há atendimento ambulatorial.
15.1.9 – ATENDIMENTOS DE URGÊNCIA/EMERGÊNCIA
1.9. Urgência/Emergência 1.9.1. Consultas 1.9.2. Consultas com Procedimentos 1.9.3. Procedimentos 1.9.4. Procedimentos Cirúrgicos Total Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 TOTAL 7891 3192 330 0 11413

1327 1185 1279 1441 1430 1229 891 49 0 714 80 0 893 74 0 596 62 0 98 65 0 0 0 0

2267 1979 2246 2099 1593 1229

Pouca demanda pelo Pronto-Socorro em virtude do período de férias e início de temporada das praias.

Página | 206

15.1.10 – RECURSOS HUMANOS
1.10. Recursos Humanos 1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total 18 56 10 6 7 97 Janeiro
S e s a u P ró 3º

Fevereiro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Março
T o t a l S e s a u P ró 3º T o t a l S e s a u P ró

Abril
3º T o tal

18 0 1 20 0 39

0 0 4 0 0 4

36 56 15 26 7 140

23 55 10 6 7 101

18 1 1 19 0 39

0 0 0 0 0 0

41 56 11 25 7 140

23 55 10 6 7 101

18 1 1 19 1 40

0 0 0 0 0 0

41 56 11 25 8 141

20 55 9 8 7 99

22 1 1 20 1 45

0 0 0 0 0 0

42 56 10 28 8 144

1.10. Recursos Humanos
S e s a u P ró

Maio

Junho
T o t a l S e s a u P ró 3º

Julho
T o t a l S e s a u P ró 3º

Agosto
T o t a l S e s a u P ró 3º T o tal

1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total

16 55 9 11 7 98

14 1 1 34 1 51

0 0 0 0 0 0

30 56 10 45 8 149

17 55 9 11 7 99

14 1 1 34 1 51

0 0 0 0 0 0

31 56 10 45 8 150

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

1.10. Recursos Humanos 1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total 0 0 0 0 0 0

Setem bro
S e s a u P ró 3º

Outubro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Novem bro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Dezem bro
T o t a l S e s a u P ró 3º T o tal

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

Página | 207

15.1.11 – NEP

Período: JUNH0 / 2012 REGISTRO DE OPINIÃO
FORMULÁRIOS PREENCHIDOS INTERNAÇÕES ATENDIMENTO SADT – IMAGEM ATENDIMENTO NO AMBULATÓRIO ATENDIMENTO PRONTO SOCORRO TOTAL DE PACIENTES ATENDIDOS OCORRÊNCIAS RECLAMAÇÕES SUGESTÕES ELOGIOS TOTAL DE QUESTIONÁRIOS ENTREGUES QUANTIDADE 108 34 0 110 252 QUANTIDADE 21 18 213 252 % 42,86% 13,49% 0,00% 43,65% 100,00%

M R

H Ç
AÇÕES QUEIXAS RESOLVIDAS META QUANTIDADE 18 % 85,71%

META CONTRATUAL

80%

REALIZADO

85,71%

Página | 208

15.1.12 – LOGÍSTIC A
1.13. Estoque Jan Fev 106,6 Mar Abr Mai Jun Jul 0,0 0,0 Ago 0,0 0,0 Set 0,0 0,0 Out 0,0 0,0 Nov 0,0 0,0 Dez 0,0 0,0 TOTAL 590,2 590,2

137,0 1 3.1 Esto que em dias de co nsumo - M at/med 30 dias .1 . Total

32,5 82,2 32,5 82,2

63,9 168,0 63,9 168,0

137,0 106,6

15.2 - SAU

1. Registros de Opinião
Período: 01/06/2012 a 30/06/2012.
Ocorrências Reclamações Sugestões Elogios Total de Questionários Queixas resolvidas Meta Contratual Meta Realizada Maio 2012 21 18 213 252 18 80% 85,71%

No período atual tivemos uma totalidade de 252 registros, relatando a opinião da maioria de nossos usuários. Das 21 reclamações tivemos êxitos em 18 queixas solucionadas, atingindo a média de 85,71% ultrapassando a contratual que é 80%. O SAU está empenhado em diagnosticar os tipos de reclamações e solucioná-las, trabalhando para que a cada mês o número de queixas diminua. A participação dos usuários apresentando sugestões chegaram a 18 registros. Nos elogios tivemos uma manifestação de 213 registros.

Página | 209

15.3 – GERENCIAMENTO DE PROCESSOS • • • Supervisão e adequação do cardápio dos usuários e colaboradores, dado a suspensão no fornecimento de alguns gêneros alimentícios; Envio de documentos e notas fiscais ao departamento contábil e financeiros do Escritório Central; Acompanhamento dos processos de compra e armazenamento de suprimentos, medicamentos e insumos hospitalares, na tentativa de manter os estoques de acordo com as necessidades do hospital; • • Negociação com fornecedores locais para reestabelecer o fornecimento de pães, carnes e hortifruti; Acompanhamento dos processos do Departamento Pessoal;

Página | 210

15.4 – FATURAMENTO
4. Faturamento 4.1 - AIH (Quantitativo) 4.2 - Valores (em reais) Jan 132 Fev 69 Mar 174 Abr 180 Mai 170 0,0 Jun 0 0,0 Jul 0 0,0 Ago 0 0,0 Set 0 0,0 Out 0 0,0 Nov 0 0,0 De z 0 TOTAL 725

52.942,6 26.072,0 61.137,7 57.754,3

0,0 197906,6

O faturamento das AIHs está previsto para o dia 06 de junho de 2012.

15.6 – OBRAS E IMPLANTAÇÃO DE NOVOS SERVIÇOS Não houve 15.7 – EQUIPAMENTOS NOVOS Não houve aquisição de novos equipamentos 15.8 – COMISSÕES
Solicitado a SESAU dispensa da meta contratual de comissões de ética médica, tendo em vista a Resolução do CFM 1657/2002, necessidade de comissão de ética médica apenas quando o quantitativo seja igual ou maior a 16 profissionais médicos.

15.9 – OUTRAS INFORMAÇÕES

PALAVRA DO DIRETOR GERAL DO HOSPITAL
Encerramos o mês de junho apresentando altos índices de satisfação por parte dos usuários. A média geral se mantém em torno de 90% na Internação, 82% no Pronto-Socorro e 85% no SADT, e isso significa que o Hospital Regional Público de Araguaçú continua a crescer em qualidade nos atendimentos prestados a população pela nossa equipe de apoio, administrativa, médica e de enfermagem. É preciso também pontuar que a gestão nesses últimos meses não tem sido algo fácil. Inúmeros desafios são enfrentados diariamente para mantermos o hospital suprido de medicamentos, insumos hospitalares e gêneros alimentícios, porém temos superado com o apoio, participação e comprometimento de todos os nossos colaboradores. Desta forma, a cada dia aumentamos a nossa resolutividade, dando respostas mais adequadas aos anseios da nossa população, fato esse que nos dá mais credibilidade, confiança e força para continuar. Página | 211

2.16 HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE ARAPOEMA 2.16.1 METAS CONTRATUAIS
16.1.1 – Nº DE LEITOS POR ESPECIALIDADE;
1.1. Leitos por Especialidade 1.1.1. Clínica Médica 1.1.2. Clínica Pediátrica 1.1.3. Clínica Cirúrgica 1.1.4. Clínica Obstétrica 1.1.5. UTI de Adultos 1.1.6. UTI Infantil 1.1.7. UTI Neonatal 1.1.8. Berçário 1.1.9. Clínica Ortopédica 1.2.10. Outros Total de Leitos Jan 9 4 5 6 0 0 0 0 0 0 24 Fev 9 4 5 6 0 0 0 0 0 0 24 Mar 9 4 5 6 0 0 0 0 0 0 24 Abr 9 4 5 6 0 0 0 0 0 0 24 Mai 9 4 5 6 0 0 0 0 0 0 24 Jun 9 4 9 6 0 0 0 0 0 0 28 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 54 24 34 36 0 0 0 0 0 0 148

COMENTÁRIO:

Conseguimos o aumento no cadastro de leitos, pois possuíamos 24 leitos cadastrados e

fisicamente 28 leitos efetivos em funcionamento, agora são 28 cadastrados, que ficaram divididos em 09 - Leitos Clínica Médica (sendo 01 Isolamento), 09 - Leitos Cirúrgico, 06 - Obstétrico e 04 – Pediátrico.
16.1.2 – Nº. DE INTERNAÇÕES POR ESPECIALIDADE;
1.2. Inte rnações por Especialidade 1.2.1. Clínica Médica 1.2.2. Clínica Pediátrica 1.2.3. Clínica Cirúrgica 1.2.4. Clínica Obstétrica 1.2.5. UTI de Adultos 1.2.6. UTI Infantil 1.2.7. UTI Neonatal 1.2.8. Berçário 1.2.9. Clínica Ortopédica 1.2.10. Outros Total de Internações por especialidade Jan 99 18 24 13 0 0 0 0 0 0 154 Fev 89 20 36 13 0 0 0 0 0 0 158 Mar 78 30 39 10 0 0 0 0 0 0 157 Abr 64 29 31 15 0 0 0 0 0 0 139 Mai 84 30 32 7 0 0 0 0 0 0 153 Jun 70 27 23 14 0 0 0 0 0 0 134 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 484 154 185 72 0 0 0 0 0 0 895

COMENTÁRIO: A quantidade de internações realizadas mensalmente se mantém sem variações, visto o atendimento de demandas apenas das regiões circunvizinhas e as cirurgias eletivas reguladas pelos Municípios.

Página | 212

16.1.3 – Nº. DE SAÍDOS POR ESPECIALIDADE
1.3. Nº. de saídos por especialidade 1.3.1. Clínica Médica 1.3.2. Clínica Pediátrica 1.3.3. Clínica Cirúrgica 1.3.4. Clínica Obstétrica 1.3.5. UTI de Adultos 1.3.6. UTI Infantil 1.3.7. UTI Neonatal 1.3.8. Berçário 1.3.9. Clínica Ortopédica 1.3.10. Outros Total de Internações por especialidade Jan 88 21 22 10 0 0 0 0 0 0 141 Fev 88 20 36 11 0 0 0 0 0 0 155 Mar 82 26 38 11 0 0 0 0 0 0 157 Abr 71 27 24 11 0 0 0 0 0 0 133 Mai 70 23 27 8 0 0 0 0 0 0 128 Jun 68 33 22 14 0 0 0 0 0 0 137 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 467 150 169 65 0 0 0 0 0 0 851

COMENTÁRIO: Para o segundo quadrimestre de trabalho foi projetado uma nova meta de 468 saídos ou 117 saídos/mês, este aumento representa aproximadamente 22% a mais da meta anterior, fechamos o mês de junho mesmo com a saída da gestão a partir de 12/06 com 137 pacientes saídos, em função das cirurgias já agendadas e posteriormente realizadas.

16.1.4 – PERCENTUAL DE OCUPAÇÃO POR CLÍNICA;
1.4. Porcentagem de Ocupação 1.4.1. Clínica Médica 1.4.2. Clínica Pediátrica 1.4.3. Clínica Cirúrgica 1.4.4. Clínica Obstétrica 1.4.5. UTI de Adultos 1.4.6. UTI Infantil 1.4.7. UTI Neonatal 1.4.8. Outros (Berçário) 1.4.9. Clínica Ortopédica 1.4.10. Outros Porcentagem Geral de Ocupação Jan 81% 29% 33% 10% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 44% Fev 73% 38% 56% 14% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 49% Mar 65% 53% 65% 11% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 50% Abr 58% 46% 47% 10% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 42% Mai 57% 37% 63% 6% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 42% Jun 55% 47% 22% 15% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 35% Jul 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Ago 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Set 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Out 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Nov 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Dez 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% TOTAL 390% 250% 285% 66% 0% 0% 0% 0% 0% 0%

COMENTÁRIO: Houve uma queda no percentual de ocupação dessa clinica, em função de dificuldades como falta da Autoclave, falta do Anestesista com uma carga horária maior ou ainda, um outro profissional para aumentar o número de cirurgias.

Página | 213

16.1.5 – MÉDIA DE PERMANÊNCIA;
1.5. Média de Perm anência 1.5.1. Clínica Médica 1.5.2. Clínica Pediátrica 1.5.3. Clínica Cirúrgica 1.5.4. Clínica Obstétrica 1.5.5. UTI de Adultos 1.5.6. UTI Infantil 1.5.7. Uti Neonatal 1.5.8. Outros 1.5.9. Clínica Ortopédica 1.5.10. Outros Média Geral de Permanência Jan 2,57 1,71 2,32 1,8 0 0 0 0 0 0 2,35 Fev 2,17 2,2 2,25 2,18 0 0 0 0 0 0 2,19 Mar 2,21 2,54 2,66 1,91 0 0 0 0 0 0 2,35 Abr 2,21 1,96 3,04 1,64 0 0 0 0 0 0 2,26 Mai 2,29 2 3,59 1,38 0 0 0 0 0 0 2,45 Jun 2,33 1,81 2,68 2,08 0 0 0 0 0 0 2,24 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 13,78 12,22 16,54 10,99 0 0 0 0 0 0

COMENTÁRIO: A média de permanência se mantém sem alterações considerando que são as mesmas patologias que estão sendo atendidas pela unidade.

16.1.6 – VOLUME CIRÚRGICO
16.1.6.1 – Nº de Cirurgias de Urgência; 16.1.6.2 – Nº de Cirurgias eletivas;

1.6. Volum e Cirúrgico 1.6.1. Cirurgias de Urgência 1.6.2. Cirurgias Eletivas Média Geral de Cirurgias

Jan 1 24 25

Fev 3 40 43

Mar 2 44 46

Abr 0 37 37

Mai 1 32 33

Jun 1 24 25

Jul 0 0 0

Ago 0 0 0

Set 0 0 0

Out 0 0 0

Nov 0 0 0

Dez 0 0 0

TOTAL 8 201 209

COMENTÁRIO: A unidade começou a realizar as cirurgias eletivas em outubro de 2011, após a contratação do profissional médico, Cirurgião Geral e desde então, já realizamos uma média de mais de 250 cirurgias. Estas poderiam ser intensificadas na unidade se tivéssemos uma escala com Anestesista durante a semana visto que os leitos ficam ociosos, pois, só estamos fazendo cirurgias mensalmente em dois finais de semana intercalados de acordo com a escala da Anestesista, lotada como Clinica nessa unidade com 20 horas. Esse mês houve diminuição no número de cirurgias devido a falta da Autoclave, a unidade aguarda o remanejamento de uma que será substituída por uma nova em outro hospital. Solicitamos ao Hospital Regional Público de Araguaína que esterilizasse os pacotes para esta unidade.

Página | 214

16.1.6.3 – Nº DE CIRURGIAS POR PORTE;
1.6.3. Núm ero de Cirurgias por Porte 1.6.3.1. Cirurgias Grandes 1.6.3.2. Cirurgias Médias 1.6.3.3. Cirurgias Pequenas 1.6.3.4. Curetagens 1.6.3.5. Cesáreas Média Geral de Cirurgias por Porte Jan 1 20 3 0 1 25 Fev 9 25 5 0 4 43 Mar 2 10 29 0 5 46 Abr 4 19 14 0 0 37 Mai 3 25 5 0 0 33 Jun 6 14 1 0 4 25 Jul 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 TOTAL 25 113 57 0 14 209

COMENTÁRIO: O hospital está preparado para realizar cirurgia geral de baixa complexidade, podendo ser adequado para realizar também cirurgias de médio porte, pois, conta com uma estrutura física muito boa para isso.
16.1.6.4 – Nº. DE PARTOS POR TIPO
1.6.3. Núm ero de Partos 1.6.3.1. Normal 1.6.3.2. Cesáreas 1.6.3.3. Outros Média Geral de Partos Jan 1 0 0 1 Fev 4 0 0 4 Mar 5 0 0 5 Abr 7 1 0 8 Mai 3 5 0 8 Jun 7 4 0 11 Jul 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 TOTAL 27 10 0 37

Os médicos tem incentivado as pacientes com relação ao parto normal e temos obtido sucesso com esses diálogos, sendo que neste mês o acréscimo do número de cesárias foram todas em situações de urgência.

Página | 215

16.1.7 – SADT’S

1.7. SADT 1.7.1. Laboratório Clínico 1.7.2. Anatomia Patológica 1.7.3. Radiologia 1.7.4. Eletrocardiografia 1.7.5. Fisioterapia (Sessões) 1.7.6. Hemodiálise(Sessões) 1.7.7. Hemodinâmica 1.7.8. Hemoterapia 1.7.9. Endoscopia 1.7.10. Ultrassonografia 1.7.11 Tomografia Computadorizada 1.7.12 Ressonancia Magnética 1.7.13 Mamografia 1.7.14 Citopatologia 1.7.15 Eletroencefalografia 1.7.16 Teste do Pézinho 1.7.17 Diversos 1.7.18 Teste Ergométrico 1.7.19 Outros ( especificar) Total

Jan 1015 18 77 0 0 0 0 0 0 70 0 0 0 0 0 3 0 0 0

Fev

Mar

Abr 827 6 155 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Mai 989 14 183 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Jun 785 10 172 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 967

Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Se t 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

TOTAL 5649 76 855 0 0 0 0 0 0 120 0 0 0 0 0 6 0 0 0 6706

961 1072 22 60 0 0 0 0 0 0 37 0 0 0 0 0 3 0 0 0 6 208 0 0 0 0 0 0 13 0 0 0 0 0 0 0 0 0

1183 1083 1299

988 1186

COMENTÁRIO: Os serviços laboratoriais continuam suspensos nos Municípios de Arapoema, Pau D´Arco e Bernardo Sayão, atendendo atualmente somente o hospital, aguardando definição do contrato que venceu no dia 06/06/12. Foram pagos os valores em atraso para prestadora do serviço, possibilitando a continuidade dos serviços.
16.1.8 – AMB ULATÓR IO
1.8. Ambulatório 1.8.1. Consultas 1.8.2. Consultas com Procedimentos 1.8.3. Procedimentos 1.8.4. Procedimentos Cirúrgicos Total Jan 21 0 0 0 21 Fev 52 0 0 0 52 Mar 61 0 0 0 61 Abr 82 0 0 0 82 Mai 59 0 0 0 59 Jun 59 0 0 0 59 Jul 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 Se t 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 TOTAL 334 0 0 0 334

COMENTÁRIO: O Cirurgião Geral está realizando avaliações pré-operatórias duas vezes por mês, esses atendimentos são classificados como ambulatoriais. Esse mês foram realizadas 59 avaliações, o mesmo número do mês passado.

Página | 216

16.1.9 – ATENDIMENTOS DE URGÊNCIA/EMERGÊNCIA
1.9. Urgência/Emergência 1.9.1. Consultas 1.9.2. Consultas com Procedimentos 1.9.3. Procedimentos 1.9.4. Procedimentos Cirúrgicos Total Jan 1139 0 0 0 1139 Fev Mar Abr Mai Jun 930 0 0 0 930 Jul 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 Se t 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 TOTAL 5616 399 95 20 6130

956 1114 0 0 0 0 0 0

376 1101 399 95 20 0 0 0

956 1114

890 1101

COMENTÁRIO: População continua procurando o serviço de Urgência e Emergência, isso a nível de Brasil, deixando claro que o serviço de assistência primária precisa melhorar e muito. Porém com estes atendimentos, a instituição acaba contribuindo com a população não deixando-a desassistida.
16.1.10 – RECURSOS HUMANOS
1.10. Recursos Humanos 1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total 18 39 8 0 8 73 Janeiro
S e s a u P ró 3º

Fevereiro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Março
T o t a l S e s a u P ró 3º T o t a l S e s a u P ró

Abril
3º T o tal

24 4 0 21 1 50

3 0 0 0 0 3

45 43 8 21 9 126

19 39 8 0 8 74

30 5 0 21 1 57

3 0 0 0 0 3

52 44 8 21 9 134

19 39 8 0 8 74

30 4 0 21 1 56

5 0 0 0 0 5

54 43 8 21 9 135

19 39 8 0 8 74

30 4 0 20 1 55

5 0 0 0 0 5

54 43 8 20 9 134

1.10. Recursos Humanos
S e s a u P ró

Maio

Junho
T o t a l S e s a u P ró 3º

Julho
T o t a l S e s a u P ró 3º

Agosto
T o t a l S e s a u P ró 3º T o tal

1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total

19 39 8 0 9 75

32 5 0 20 1 58

5 0 0 0 0 5

56 44 8 20 10 138

19 39 8 0 9 75

31 5 0 20 1 57

5 0 0 0 0 5

55 44 8 20 10 137

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

1.10. Recursos Humanos 1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total 0 0 0 0 0 0

Setem bro
S e s a u P ró 3º

Outubro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Novem bro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Dezem bro
T o t a l S e s a u P ró 3º T o tal

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

COMENTÁRIO: No período de 01 a 30 de Junho de 2012, tivemos em nosso quadro funcional, 07 (sete) servidores de férias e 02 (duas) licenças médica, sendo: 03 Auxiliares de Enfermagem; 01 Técnico de Enfermagem; 02 Página | 217

Técnicos de Radiologia; 01 Médico (Férias) e 02 médicos de Licença Médica, sendo que um nunca fez parte da escala, pois, já foi lotado na unidade de licença. Por necessidade na equipe do transporte, onde está faltando no mínimo mais 01 motorista no quadro, foram suspensas as férias de 02 servidores, ambos motoristas.
16.1.11 – NEP

Página | 218

JAN 96:00:00 72:00:00 48:00:00 24:00:00 0:00:00 DADOS QUALITATIVOS FEV MAR ABR MAI JUN

As ações de capacitação do Hospital Regional Público de Arapoema, no mês de junho apresentou uma redução no número de participantes e de horas em relação ao mês anterior. Neste mês totalizamos 07:00:00horas com a participação de 34 servidores/colaboradores. Essas reduções ocorreu devido as transições de gestão e a falta de local apropriado pois o local que era utilizado foi transformando na sala de observação, que sempre foi a verdadeira finalidade do local, só tendo sido ativado. 16.1.13 – CORPO CLÍNICO • • Estamos com um 01 profissional médico de férias e 02 de licença médica, sendo que um profissional não chegou a fazer parte da escala médica, pois, já foi lotado na unidade de licença; Após 10 (dez) meses, onde foram feitas diversas solicitações via ofícios a SESAU, saiu juntamente com a nomeação da Direção Geral do Estado, a nomeação do Diretor Técnico de Arapoema, porém, ele não tomou posse até o momento pois, há incompatibilidade de carga horária devido ocupar outros cargos como PSF por exemplo. A nova direção nos informou que será solicitado a portaria dele somente para responder pelo cargo sem ter que tomar posse e possivelmente uma negociação no número de plantões do profissional em função da responsabilidade que assumirá. • Nos dias 07, 08, 23/06 foram realizadas 25 cirurgias eletivas entre elas geral, ginecológica e obstétrica. 16.2 - SAU No Registro de Opinião, o quadro abaixo, apresenta os números referentes às ocorrências do mês de Junho de 2012. Recebemos 1 (um) Elogio, 1 (um) Reclamação, esta levada ao responsável que se retificou pelo constrangimento causado a usuária.

Página | 219

OCORRÊNCIAS Reclamações Sugestões Elogios Total de Questionários Queixas resolvidas Meta Contratual Meta Realizada Índices de Satisfação

JUNHO 2012 01 00 01 02 01 80% 100%

Para este período tivemos pouca Evolução, mas os números se mantêm. No Ambulatório não tivemos evolução nesse período, mas a média é de 97,31% mantendo a satisfação do usuário de Saúde. No Setor Internação, a qualidade nos serviços prestados alcança a margem de 95,7% de satisfação, sendo estes também números significativos. No Item Pronto Socorro, a evolução do Período é de 0,26 tendo em vista que estamos trabalhando apenas com uma administrativa que trabalha 08h00min por dia ficando o horário noturno sem a realização da pesquisa através das maquinetas. No Item SADT, não tivemos evolução, mas a média é de 93,60%.

Hospital Regional Público de Arapoema
120,00 100,00 80,00 60,00 40,00 20,00 0,00 -20,00 AMBULATORIO (%) 97,50 98,50 97,31 0,00% INTERNAÇÃO (%) 95,19 98,15 95,70 0,54% PRONTO SOCORRO (%) 93,67 97,93 93,91 0,26% SADT (%) 96,63 99,66 93,60 -3,14% 97,31 95,70 93,91 93,60

Maio/2012 Março/2012 Jun/2012 Evolução do Período

Página | 220

16.3 – GERENCIAMENTO DE PROCESSOS • • • • • • • • • • • • • • • No dia 04/06/12, tivemos a visita da empresa Hosptech para concerto da autoclave. No dia 05/06/12, foram transportadas as prateleiras da antiga sala do arquivo morto para nova sala. No dia 05/06/12, foram trocadas duas lâmpadas 2x40, no centro cirúrgico. No dia 06/06/12, foi colocado um ar-condicionado no quarto de isolamento. No dia 07/06/12, foram retirados todos os móveis e objetos que estavam na capela para o seus devidos lugares, deixando assim a capela desocupada. No dia 12/06/12, foi feito instalação elétrica para o foco cirúrgico, e nesse mesmo dia foi feito a montagem do mesmo no teto. No dia 12/06/12, foi realizado a manutenção preventiva em todos os equipamentos médicos. No dia 11/06/12, foram pintadas as duas salas operatórias do centro cirúrgico. No 13/06/12, foi montada a chave reversor da secadora de roupas. No 14/06/12, tivemos a visita técnica da Tecnomédica para manutenção do aparelho de raios-x e da processadora. -21/06 Treinamento para os motoristas e porteiros com o tema: Primeiros Socorros ministrado pelo o Coordenador de Enfermagem Robson Albuquerque. 22/06 Treinamento para a equipe enfermagem com o tema: Interpretação de Exames Laboratoriais ministrado pelo o Coordenador de Enfermagem Robson Albuquerque. Realizado visitas noturnas a unidade durante 3 dias em plantões alternados para realização de Avaliações de Desempenho Anexo 2 “Plano de Trabalho” dos servidores do estado. Realização de Treinamento para Equipe de Portaria e Motoristas sobre “Primeiros Socorros e Manuseio de Pacientes”. Realizado Conversa com a atual Diretoria Geral do Estado quanto a cirurgias eletivas e auxilio por profissional da Enfermagem baseado na Resolução CFM nº 1.490/1998 e Resolução COFEN280/2003. • • Solicitado a Direção Geral do Estado que acione a SESAU sobre o problema da Autoclave para realização de cirurgias eletivas. Confeccionado as escalas da Equipe de Enfermagem onde constam no mês de Julho 01Técnico Enfermagem Licença Médica, 04 Técnicos Enfermagem de férias e 01 Enfermeiro de Férias.

Página | 221

SETOR DE TRANSPORTE
• Foi enviado memorando ao Secretário solicitando pagamento de plantões extras realizados pelos motoristas efetivos do Estado, que estão trabalhando além de sua carga horária sem receber para não deixar a escala descoberta. • • 25 transferências de paciente para Araguaína. Curso preparatório de Urgência e Emergência p/ os motoristas.

LOGISTA
O setor de Logística e compras do Hospital Regional Público de Arapoema, no período do mês de junho de 2012 exerceu as seguintes funções dentro do Hospital Regional Público de Arapoema: • • • • Foi realizado inventário rotativo nos setores Almoxarifado Central, CAF e Farmácia Central. É realizado no primeiro horário e no final de expediente a consolidação dos dados no sistema MV. Os materiais e medicamentos que estão próximos a vencer foram disponibilizados a outros Hospitais da rede do Estado e os que tiveram interesse foram remanejados. Os pedidos de compras de insumos estão sendo comprados diretamente no portal de compras da Pró-Saúde e são liberados somente com a autorização do Sr. Francisco Ricardo Ruys, exceto os gêneros alimentícios perecíveis e materiais de manutenção que estamos adquirindo via Hospital, mas, também com a autorização do mesmo. • Devido os atraso nos pagamentos dos fornecedores estamos tendo muitas dificuldades em comprar, pois o nosso município e pequeno e temos somente um fornecedor que atende as necessidades do Hospital de Arapoema no que diz respeito a parte de gêneros alimentícios e o mesmo já cortou o fornecimento, estamos tendo que comprar de um outro fornecedor, mas, ele não tem todos os itens que precisamos , devido isto o setor de SND esta ficando desfalcado, onde foi solicitado a nutricionista a readequação do cardápio. • É montado o processo de compra e lançado no sistema MV todas as notas fiscais e as mesmas e encaminhada ao setor financeiro do Hospital, que encaminha para o escritório da Pró Saúde em Palmas, junto com a nota Fiscal e encaminhado o espelho da entrada no sistema MV. • • No período do mês de junho de 2012, o Hospital de Arapoema não adquiriu nenhum bem mobilizado. Estamos com dificuldades de comunicação, pois hoje no Hospital Regional Público de Arapoema, existe somente uma linha telefônica funcionando normalmente e a mesma está instalada na Recepção do Hospital, as demais se encontra cortadas por falta de pagamento e isso dificulta muito no funcionamento do setor de logística e compras. Página | 222

Concluímos que para funcionamento do sistema MV e do setor de suprimento no Hospital Regional Público de Arapoema precisamos de adquirir 3 computadores e duas impressoras, pois, hoje a Farmácia Central e o CAF estão utilizando os computadores da sala de treinamentos provisoriamente, e não possuem impressoras.

CADASTRO
• Recebemos a visita técnica da DIRETORIA DE CONTROLE, REGULAÇÃO, AVALIAÇÃO E AUDITORIA da SESAU-TO nos dias 28 e 29 de maio de 2012, onde foram levantados todos os dados da unidade pra fins de atualização do Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde – CNES do DATASUS. • Nesta visita foram realizados alterações de inclusão e exclusão no cadastro de profissionais, foram também incluso o serviço de Anestesiologia próprio dentre outros. Mas a principal alteração ocorrida foi o aumento no cadastro de leitos, pois possuíamos 24 leitos cadastrados e fisicamente 28 leitos efetivos em funcionamento e conseguimos cadastrar os 28, que ficaram divididos em 09 Leitos Clínica Médica (sendo 01 Isolamento), 09 - Leitos Cirúrgico, 06 - Obstétrico e 04 – Pediátrico. • Além de todas as alterações realizadas no Cadastro, também foram repassadas orientações quanto à organização, digitação e fechamento do faturamento SIH e SIA, atualização dos programas e esclarecimento de dúvidas.

16.4 – IMPLANTAÇÃO DE NOVOS SERVIÇOS
• Não houve nenhuma implantação.

16.5 – FATURAMENTO
5. Faturamento 5.1 - AIH 5.2 - Valores Jan 232 Fev 184 Mar 183 Abr 205 Mai 136 Jun Jul Ago Set Out Nov Dez TOTAL 0 0 0 0 0 0 0,0 0 940

85.529,84 69.028,55 64.509,50 82.994,69 49.471,56

0,0 0,0

0,0 0,0 0,0

0,0 351534,1

16.6 – OBRAS
Foram pintadas as duas salas do Centro Cirúrgico e retiradas as infiltrações que haviam. Este trabalho foi realizado por pedreiros locais, fizemos uma parceria, onde doaram o material e a mão-de-obra em troca de algumas portas, janelas e outros materiais retirados da reforma que estão sendo doados.

Página | 223

16.7 – EQUIPAMENTOS NOVOS Não foram feitas aquisições de nenhum equipamento. 16.8 – COMISSÕES
As 05 Comissões obrigatórias e mais Grupo de Trabalho Humanização, cumpriram seus cronograma de reuniões, com exceção da Comissão de Óbito, conforme agenda mensal e atas em anexo. Comissão de Controle de Infecção Hospitalar; reuniu-se no dia dezesseis (16) de Maio de 2012, tratando de assuntos; Caixa de Água, Autoclave, Centro Cirúrgico e a apresentação do nova Coordenadora do da referida comissão.

- Comissão de Controle de Infecção Hospitalar; reuniu-se no dia dezenove (19) de Junho de 2012, feito o relato dos seguintes acontecidos; a conclusão da reforma no centro cirúrgico e a doação recebida de uma Autoclave.

- Comissão de Ética Médica; não houve reunião por falta de quórum. - Comissão de Farmácia e Terapêutica; reuniu-se no dia vinte e oito (28) de Junho de 2012, feito a
apresentação da coordenadora da referida equipe, e reforçado a importância de ser seguido a forma adotada de dispensação por horário e paciente, acrescentando ainda a necessidade de dar saída no sistema no ato da entrega.

- Comissão de Revisão de Prontuário; reuniu-se no dia vinte e oito (28) de Junho de 2012, depois
de revisado os prontuários foi observado que os erros ainda estão acontecendo, só foi observado uma pequena melhora pela parte da equipe de Enfermagem.

- Comissão de Grupo de Trabalho de Humanização; reuniu-se no dia vinte e oito (28) de Junho de
2012, feito o relato dos encaminhamentos da reunião anterior que foram resolvidos, e é apresentado a todos o calendário de orações que esta sendo implantado para os colaboradores.

- Comissão de óbito; realizada a Ata para justificar o não acontecimento da reunião por falta de
quórum. 16.9 – OUTRAS INFORMAÇÕES
Foram pintadas as duas salas do Centro Cirúrgico e retiradas as infiltrações que haviam. Este trabalho foi realizado por pedreiros locais, fizemos uma parceria, onde doaram o material e a mão-de-obra em troca de algumas portas, janelas e outros materiais retirados da reforma que estão sendo doados. Só há uma sala em funcionamento, mas, a intenção era colocar as duas salas para funcionar, por isso, fizemos a reforma e ainda estão a disposição no Hospital Regional Público de Guaraí já previamente Página | 224

acordado com Direção e Setor de Patrimônio a transferência de duas mesas cirúrgicas para esta unidade, onde será feita a substituição de uma da sala em funcionamento, que se encontra em péssimas condições e a outra ficará na outra sala. Já foi passado para nova direção da unidade e a mesma já reforçou nossa solicitação para o caminhão do Setor de Transportes está fazendo o deslocamento dessas mesas para Arapoema.

Sr. Valdemir, pedreiro responsável pela reforma das duas salas do Centro Cirúrgico, recebendo material, conforme parceria.

Página | 225

Sala 1 Centro Cirúrgico antes

Sala 1 Centro Cirúrgico depois

Página | 226

Sala 2 Centro Cirúrgico antes

Sala 2 Centro Cirúrgico depois

Página | 227

ANIVERSARIANTE DO MÊS

Do dia 14/06 Comemoração dos aniversariantes do mês com a decoração temática de Festa Junina.

PALAVRA DO DIRETOR GERAL DO HOSPITAL
Após o anúncio da rescisão do Contrato de Gerenciamento e o governo não tendo reassumido a gestão ainda e nem estabelecido oficialmente um prazo ou apresentado cronograma de saída dos hospiPágina | 228

tais, o momento vivido pela OS, no Hospital Regional Público de Arapoema, não tem sido fácil nem para Gestão da Pró e/ou Gestão do Estado. Existem diversos atrasos de pagamentos junto aos fornecedores, hoje no Hospital Regional Público de Arapoema existe somente uma linha telefônica funcionando normalmente, instalada na Recepção do Hospital, as demais se encontram cortadas por falta de pagamento, onde umas estão funcionamento parcialmente, ou seja, recebendo ligações e, em outros houve o cancelamento total dos serviços. Também devido os atraso nos pagamentos dos fornecedores, o processo de aquisição dos gêneros alimentícios principalmente tem ficado bastante comprometido, pois o município é pequeno, sendo o leque de opções escasso. O único fornecedor que atendia a demanda do hospital, tem um pendência financeira muita alta para receber e parou de nos fornecer totalmente. Solicitamos a Nutricionista para refazer o cardápio, readequando conforme a disponibilidade dos itens ofertados num pequeno mercadinho, de uma enfermeira efetiva do hospital que aceitou nos atender, mas, não vai ser por muito tempo, pois, no Município não há nem um grande atacado com condições de ficar sem pagamento por mais de 40 dias. Esta fornecedora não dispõe de carnes, somente linguiça e frango e os funcionários estão reclamando bastante em prol disso. Estamos explicando a situação e pedindo compreensão dos mesmos. É preocupante também a situação dos carros do hospital, pois, o FIAT UNO está quebrado em Araguaína aguardando autorização para conserto há quase 90 dias, onde foi até retirado da Oficina e levado para o pátio do Hospital de Doenças Tropicais a pedido do dono da oficina, que tinha mais condições de mantê-lo nas suas instalações sem previsão de autorização para conserto. A ambulância também apresenta defeitos e está sendo aguardado pagamento de serviços em atraso, bem como, pagamento antecipado nos reparos e reposição de peças que necessitam ser feitos, havendo somente um fornecedor em Araguaína que realiza o serviço, no qual estamos com estas pendências financeiras. Quero ainda salientar que o problema da ambulância é o radiador que está furado, os motoristas estão tendo que levar galões de água para estarem colocando com frequência a fim de não causar danos maiores, como por exemplo, fundir o motor. Tanto gestão Pró-Saúde como atual do Estado já notificaram a SESAU solicitando a substituição dos veículos dado as péssimas condições e a quilometragem, como o conserto dos carros citados. O Hospital também está sem AUTOCLAVE, onde desde a Gestão Pró-Saúde a SESAU foi notificada via ofício ao Sr. Secretário relatando a situação, da mesma forma, fez a nova gestora também formalizando e ratificando a solicitação já enviada anteriormente. Foi dito a ela informalmente que será dispoPágina | 229

nibilizada uma das autoclaves das unidades onde serão substituídas por outras novas, mas, até a presente data sem posição. A falta da autoclave compromete diretamente na realização das cirurgias eletivas pois, fica muito difícil o processo de esterilização no Hospital Regional Público de Araguaina e a quantidade de cirurgias em função disso, fica comprometida, pois, não dar para fazer um número maior de cirurgias. Apesar de todas estas dificuldades citadas, ainda na Gestão Pró-Saúde, em função do trabalho realizado o que possibilitou o aumento de atendimentos, a realização das cirurgias eletivas, aquisição de equipamentos, reformas, adequações funcionais e estruturais, conseguimos o aumento no cadastro de leitos, pois possuíamos 24 leitos cadastrados e fisicamente 28 leitos efetivos em funcionamento após Gestão Pró-Saúde, que possibilitou o cadastro dos 28 leitos, que ficaram divididos em 09 - Leitos Clínica Médica (sendo 01 Isolamento), 09 - Leitos Cirúrgico, 06 - Obstétrico e 04 – Pediátrico. O objetivo da Gestão PróSaúde era aumentar o número de leitos para 30, tornando mais viável o funcionamento da unidade. Também foram feitas atualizações no cadastro de profissionais e incluso o serviço de Anestesiologia próprio, o que permitirá a profissional anestesista receber sua produtividade mesmo sem o hospital está no contrato com a COOPANEST. No mês de junho, nossa produção foi de 134 internações, 137 saídos, 25 cirurgias, 59 consultas ambulatoriais, 930 atendimentos de urgência/emergência, 967 exames de análises clínicas, sendo 172 exames de Raios - X.

Página | 230

2.17 HOSPITAL REGIONAL PÚBLICO DE ALVORADA 2.17.1 METAS CONTRATUAIS

17.1 – INDICADORES DE PRODUÇÃO

17.1.1 – Nº DE LEITOS POR ESPECIALIDADE;
1.1. Leitos por Especialidade 1.1.1. Clínica Médica 1.1.2. Clínica Pediátrica 1.1.3. Clínica Cirúrgica 1.1.4. Clínica Obstétrica 1.1.5. UTI de Adultos 1.1.6. UTI Infantil 1.1.7. UTI Neonatal 1.1.8. Berçário 1.1.9. Clínica Ortopédica 1.2.10. Outros Total de Leitos Jan 8 4 0 2 0 0 0 0 0 0 14 Fev 8 4 0 2 0 0 0 0 0 0 14 Mar 8 4 0 2 0 0 0 0 0 0 14 Abr 8 4 0 2 0 0 0 0 0 0 14 Mai 8 4 0 2 0 0 0 0 0 0 14 Jun 8 4 0 2 0 0 0 0 0 0 14 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 48 24 0 12 0 0 0 0 0 0 84

COMENTÁRIO: Não houve alteração nos numero de leitos no período, especificado acima.

17.1.2 – Nº. DE INTERNAÇÕES POR ESPECIALIDADE;
1.2. Internações por Especialidade 1.2.1. Clínica Médica 1.2.2. Clínica Pediátrica 1.2.3. Clínica Cirúrgica 1.2.4. Clínica Obstétrica 1.2.5. UTI de Adultos 1.2.6. UTI Infantil 1.2.7. UTI Neonatal 1.2.8. Berçário 1.2.9. Clínica Ortopédica 1.2.10. Outros Total de Internações por especialidade Jan 66 9 0 0 0 0 0 0 0 0 75 Fev 76 9 0 0 0 0 0 0 0 0 85 Mar 64 17 0 0 0 0 0 0 0 0 81 Abr 65 15 0 0 0 0 0 0 0 0 80 Mai 84 18 0 0 0 0 0 0 0 0 102 Jun 86 8 0 0 0 0 0 0 0 0 94 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 441 76 0 0 0 0 0 0 0 0 517

COMENTÁRIO: Pela análise do período especificado acima, no mês de junho conseguimos manter a quantidade de internações do mês anterior, fato que reflete na melhora do atendimento e confiança dos usuários no hospital.

Página | 231

17.1.3 – Nº. DE SAÍDOS POR ESPECIALIDADE
1.3. Nº. de saídos por especialidade 1.3.1. Clínica Médica 1.3.2. Clínica Pediátrica 1.3.3. Clínica Cirúrgica 1.3.4. Clínica Obstétrica 1.3.5. UTI de Adultos 1.3.6. UTI Infantil 1.3.7. UTI Neonatal 1.3.8. Berçário 1.3.9. Clínica Ortopédica 1.3.10. Outros Total de saídos por especialidade Jan 65 8 0 0 0 0 0 0 0 0 73 Fev 74 8 0 0 0 0 0 0 0 0 82 Mar 63 17 0 0 0 0 0 0 0 0 80 Abr 68 17 0 0 0 0 0 0 0 0 85 Mai 84 16 0 0 0 0 0 0 0 0 100 Jun 90 9 0 0 0 0 0 0 0 0 99 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 444 75 0 0 0 0 0 0 0 0 519

COMENTÁRIO: Analisando o período apresentando, observamos que conseguimos manter o índice do quadrimestre.

17.1.4 – PERCENTUAL DE OCUPAÇÃO POR CLÍNICA;
1.4. Porcentagem de Ocupação 1.4.1. Clínica Médica 1.4.2. Clínica Pediátrica 1.4.3. Clínica Cirúrgica 1.4.4. Clínica Obstétrica 1.4.5. UTI de Adultos 1.4.6. UTI Infantil 1.4.7. UTI Neonatal 1.4.8. Outros (Berçário) 1.4.9. Clínica Ortopédica 1.4.10. Outros Porcentagem Geral de Ocupação Jan 70% 17% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 45% Fev 68% 10% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 42% Mar 65% 24% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 44% Abr 59% 28% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 42% Mai 48% 47% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 41% Jun 43% 33% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 34% Jul 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Ago 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Set 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Out 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Nov 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Dez 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% TOTAL 353% 159% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0%

COMENTÁRIO: Analisando o período apresentado, observamos que houve um declínio da taxa de ocupação da Clinica Médica e clinica pediátrica, devido ao fato do tipo de internação realizada no mês.

Página | 232

17.1.5 – MÉDIA DE PERMANÊNCIA;
1.5. Média de Perm anência 1.5.1. Clínica Médica 1.5.2. Clínica Pediátrica 1.5.3. Clínica Cirúrgica 1.5.4. Clínica Obstétrica 1.5.5. UTI de Adultos 1.5.6. UTI Infantil 1.5.7. Uti Neonatal 1.5.8. Outros 1.5.9. Clínica Ortopédica 1.5.10. Outros Média Geral de Permanência Jan 2,68 2,63 0 0 0 0 0 0 0 0 2,67 Fev 2,14 1,5 0 0 0 0 0 0 0 0 2,07 Mar 2,54 1,76 0 0 0 0 0 0 0 0 2,38 Abr 2,09 1,94 0 0 0 0 0 0 0 0 2,06 Mai 1,40 3,63 0 0 0 0 0 0 0 0 1,76 Jun 1,16 4,44 0 0 0 0 0 0 0 0 1,45 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 12,01 15,9 0 0 0 0 0 0 0 0

COMENTÁRIO: Analisando a média geral de permanência, observamos que estamos variando na média de permanência, fato que está ligado ao tipo de internação realizadas nos períodos.

17.1.6 – VOLUME CIRURGICO
1.6. Volum e Cirúrgico 1.6.1. Cirurgias de Urgência 1.6.2. Cirurgias Eletivas Média Geral de Cirurgias Jan 0 0 0 Fev 0 0 0 Mar 0 0 0 Abr 0 0 0 Mai 0 0 0 Jun 0 0 0 Jul 0 0 0 Ago 0 0 0 Set 0 0 0 Out 0 0 0 Nov 0 0 0 Dez 0 0 0 TOTAL 0 0 0

COMENTÁRIO: Não realizamos cirurgias.
17.1.6.3 – Nº DE CIRURGIAS POR PORTE;
1.6.3. Núm ero de Cirurgias por Porte 1.6.3.1. Cirurgias Grandes 1.6.3.2. Cirurgias Médias 1.6.3.3. Cirurgias Pequenas 1.6.3.4. Curetagens 1.6.3.5. Cesáreas Média Geral de Cirurgias por Porte Jan 0 0 0 0 0 0 Fev 0 0 0 0 0 0 Mar 0 0 0 0 0 0 Abr 0 0 0 0 0 0 Mai 0 0 0 0 0 0 Jun 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 TOTAL 0 0 0 0 0 0

COMENTÁRIO: Não realizamos cirurgias.

Página | 233

17.1.6.4 – Nº. DE PARTOS POR TIPO
1.6.4. Núm ero de partos por tipo 1.6.4.1. Normal 1.6.4.2. Cesariana 1.6.3.3. Outros Jan 0 0 0 Fev 0 0 0 Mar 0 0 0 Abr 0 0 0 Mai 0 0 0 Jun 0 0 0 Jul 0 0 0 Ago 0 0 0 Set 0 0 0 Out 0 0 0 Nov 0 0 0 Dez 0 0 0 TOTAL 0 0 0

COMENTÁRIO: Não realizamos partos no período.

17.1.7 – SADT’S
1.7. SADT 1.7.1. Laboratório Clínico 1.7.2. Anatomia Patológica 1.7.3. Radiologia 1.7.4. Eletrocardiografia 1.7.5. Fisioterapia (Sessões) 1.7.6. Hemodiálise(Sessões) 1.7.7. Hemodinâmica 1.7.8. Hemoterapia 1.7.9. Endoscopia 1.7.10. Ultrassonografia 1.7.11 Tomografia Computadorizada 1.7.12 Ressonancia Magnética 1.7.13 Mamografia 1.7.14 Citopatologia 1.7.15 Eletroencefalografia 1.7.16 Teste do Pézinho 1.7.17 Diversos 1.7.18 Teste Ergométrico Jan 228 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Fev 251 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Mar 342 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Abr 390 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Mai 324 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Jun 158 0 0 0 0 0 0 0 0 45 0 0 0 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 TOTAL 1693 0 0 0 0 0 0 0 0 45 0 0 0 0 0 0 0 0

COMENTÁRIO: Analisando o quantitativo de exames realizados no período, observamos houve uma pequena diminuição no mês, visto que tivemos problemas com o pagamento e foi cortado a realização dos exames.

17.1.8 – AMB ULATÓR IO
1.8. Ambulatório 1.8.1. Consultas 1.8.2. Consultas com Procedimentos 1.8.3. Procedimentos 1.8.4. Procedimentos Cirúrgicos Total Jan 0 0 0 0 0 Fev 0 0 0 0 0 Mar 0 0 0 0 0 Abr 0 0 0 0 0 Mai 0 0 0 0 0 Jun 0 0 0 0 0 Jul 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 TOTAL 0 0 0 0 0

COMENTÁRIO: Não realizamos ambulatório.

Página | 234

17.1.9 – ATENDIMENTOS DE URGÊNCIA/EMERGÊNCIA
1.9. Urgência/Emergência 1.9.1. Consultas 1.9.2. Consultas com Procedimentos 1.9.3. Procedimentos 1.9.4. Procedimentos Cirúrgicos Total Jan 797 0 0 0 797 Fev Mar Abr Mai Jun Jul 0 0 0 0 0 Ago 0 0 0 0 0 Set 0 0 0 0 0 Out 0 0 0 0 0 Nov 0 0 0 0 0 Dez 0 0 0 0 0 TOTAL 5818 0 0 0 5818

820 1049 1086 1036 1030 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

820 1049 1086 1036 1030

COMENTÁRIO: Analisando o período, observamos que obtivemos um pequena diminuição dos consultas, mas onde se mantemos na média dos últimos três meses.
17.1.10 – RECURSOS HUMANOS
1.10. Recursos Humanos 1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total 9 22 0 0 7 38 Janeiro
S e s a u P ró 3º

Fevere iro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Março
T o t a l S e s a u P ró 3º T o t a l S e s a u P ró

Abril
3º T o tal

16 2 0 19 0 37

0 0 0 0 0 0

25 24 0 19 7 75

9 22 0 0 7 38

20 2 0 18 0 40

0 0 0 0 0 0

29 24 0 18 7 78

9 22 0 0 7 38

20 2 0 18 0 40

0 0 0 0 0 0

29 24 0 18 7 78

9 22 0 0 7 38

21 2 0 18 0 41

0 0 0 0 0 0

30 24 0 18 7 79

1.10. Recursos Humanos
S e s a u P ró

Maio

Junho
T o t a l S e s a u P ró 3º

Julho
T o t a l S e s a u P ró 3º

Agos to
T o t a l S e s a u P ró 3º T o tal

1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total

9 22 1 0 7 39

21 2 0 18 0 41

0 0 0 0 0 0

30 24 1 18 7 80

9 23 1 0 7 40

21 2 0 18 0 41

0 0 0 0 0 0

30 25 1 18 7 81

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

1.10. Recursos Humanos 1.10.1. Administração 1.10.2. Enfermagem 1.10.3. SADT 1.10.4. Apoio 1.10.5. Médicos Total 0 0 0 0 0 0

Setem bro
S e s a u P ró 3º

Outubro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Novem bro
T o t a l S e s a u P ró 3º

Deze m bro
T o t a l S e s a u P ró 3º T o tal

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

0 0 0 0 0 0

Obs. A linha 1.10.3 refere-se a fisioterapeuta que tomou posse no Hospital.

Página | 235

17.1.11 – NEP
CURSO NÚMERO DE PARTICIPANTES CARGA HORÁRIA TOTAL DE HORAS

VI Curso de Educação Médica Continuada em clínica médica (ACLS) Curso de Humanização na Saúde
TOTAL
TOTAL DE HORAS NÚMERO TOTAL DE COLABORADORES DO HOSPITAL HORAS/HOMEM

1 1 2

18:00:00 20:00:00 38:00:00

18:00:00 20:00:00 38:00:00

38:00:00 81 0:28:09

HORAS DE TREINAMENTO
70 60 50 40 30 20 10 0 JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ
DADOS QUALITATIVOS

No mês de junho, as ações de capacitação do Hospital Regional Público de Alvorada contaram com apenas duas participações, porém com carga horária significativa. 17.1.12 – LOGÍSTIC A
1.13. Estoque
1 3.1 Esto que em dias de co nsumo .1 . M at/med 30 dias

Jan 351,44 351,44

Fev

Mar

Abr 88,60 88,60

Mai 142,45 142,45

Jun 166,55 166,55

Jul 0,00 0,00

Ago Set Out 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00

Nov 0,00 0,00

Dez 0,00 0,00

TOTAL 1.089,84 1.089,84

217,92 122,88 217,92 122,88

Total

Obs. Os valores de janeiro a maio foram alterados, devido a correção nos cálculos.

17.1.13 – CORPO CLÍNICO

Não tivemos mudanças no quadro clinico do hospital. Iniciamos a realização de exames de ultrassom, visto que temos em nosso quadro o profissional especializado para realizar este exame. Página | 236

17.2 - SAU 1. Registros de Opinião
Ocorrências Reclamações Sugestões Elogios Total de Questionários Queixas resolvidas Meta Contratual Meta Realizada Junho 2012 03 03 03 80% 100%

Tivemos no período 03 reclamações que foi resolvida a tempo e cumprimos a meta contratual estabelecida que é de 80% das queixas resolvidas. As reclamações estão relacionadas da seguinte maneira: As três reclamações são direcionadas diretamente ao atendimento médico que os pacientes tiveram no pronto atendimento, onde o médico não prestou o atendimento necessário aos mesmos encaminhado-os para o PSF. Os casos foram passados a diretoria técnica, sendo que o médico foi chamado e conversado com o mesmo para que isto não mais aconteça, pois não é assim que os pacientes devem ser tratados. 2. Índices de Satisfação

Hospital Regional Público de Alvorada
120,00 100,00 80,00 60,00 40,00 20,00 0,00 Abril/2012 Maio/2012 Junho/2012 Evolução do Período INTERNAÇÃO (%) 97,64 96,56 99,80 2,21% PRONTO SOCORRO (%) 95,67 98,84 99,34 3,84% 99,80 99,34

Página | 237

Através da avaliação da pesquisa de satisfação geral no mês de junho a internação obteve índice de 99,80% de aprovação e o pronto-socorro 99,34% de aprovação, sendo que na evolução do período da internação tivemos um aumento de percentual de 2,21%, onde podemos notar que estamos trabalhando mês a mês para atendermos da melhor maneira os usuários. Já em relação ao Pronto socorro tivemos um aumento da evolução do período de 3,84% de satisfação. Analisando a situação do trimestre apresentado fica claro que nossos índices se mantém na média acima de 90% de satisfação.

17.3 – GERENCIAMENTO DE PROCESSOS Análise das escalas de trabalho de julho 2012 e aprovação.
Discussão com Diretor Técnico/ Enfermagem diário para alinhar os serviços. Análise diária da estatística para cumprimento das metas. Participação nas reuniões das comissões implantadas no hospital. Participação nas reuniões com os setores para desenvolvermos melhores condições de trabalho e conhecimento dos mesmos. Preenchimento dos dados do hospital no plano estatístico padrão da Pró-Saúde e SESAU. Atividades diárias relacionadas ao bom andamento do hospital.

17.4 – FATURAMENTO
4. Faturamento 4.1 - AIH (Quantitativo) 4.2 - Valores (em reais) Jan 85 26.562,4 Fev 81 Mar 86 Abr 77 Mai 94 25.175,6 Jun 95 Jul AgoSet Out 0 0 0 Nov Dez 0 0 0,0 # 0 TOTAL 518

21.148,8 26.497,0 19.408,3

0,0 0,0 0,0 0,0

0,0 118792,2

COMENTÁRIO: Analisando o período observamos que conseguimos manter o numero de AIH’s faturadas do

mês anterior, já em relação aos valores não conseguimos concluir o fechamento de junho até o fechamento deste relatório. Estaremos no relatório de julho colocando a informação faltante neste. 17.6 – OBRAS E IMPLANTAÇÃO DE NOVOS SERVIÇOS
Estamos sem obras e/ou serviços em andamento.

17.7 – EQUIPAMENTOS NOVOS
Não adquirimos equipamentos neste período.

17.8 – COMISSÕES

Página | 238

As comissões estão ativas e em andamento conforme cronograma de junho de 2012. Sendo que as reuniões estão sendo registradas em livro próprio de atas. Sendo que não houve fatos relevantes a serem relatados. Comissão de Controle de Infecção Hospitalar – CCIH Mês Dia Hora Comissão de Revisão de Prontuários Mês Dia Hora Comissão de Ética Médica Mês Dia Hora Comissão de Fármaco-Vigilância Mês Dia Hora Cronograma de Reuniões – Revisão de Óbito Mês Dia Hora Junho 2012 28 16 Junho 2012 27 10 Junho 2012 29 16 Junho 2012 29 17 Junho 2012 29 18

PALAVRA DO DIRETOR GERAL DO HOSPITAL Neste momento difícil que passamos estamos realizando o trabalho para que todos passem por esta fase
de transição da melhor maneira, sem dar reflexos negativos aos usuários desta instituição. Reflexo disto podemos observar nos índices de satisfação do mês. Página | 239

Em relação as metas contratuais estamos cumprindo, tanto o numero de saídos como as ações das comissões obrigatórias. Embora temos os recursos limitados estamos otimizando os recursos ao máximo para atender a população da melhor maneira tanto com materiais e medicamentos e gêneros alimentícios de qualidade.

Página | 240

ANEXO I – RELATÓRIO DA ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO

ANEXO II – ATAS DE REUNIÃO DAS COMISSÕES

Página | 241

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful