PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUÍ3TIÇA DE SÃO PAULO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO ACÓRDÃO/DECISÃO MONOCRÀTICA REGISTRADO(A) SOB

ACÓRDÃO

*01976935* vistos, relatados e discutidos estes autos de

APELAÇÃO CÍVEL COM REVISÃO n e 455.23 6-5/9-00, da Comarca de SÃO PAULO-FAZ PUBLICA, em que é apelante JUCELIA PEREIRA
OUTROS sendo apelada FAZENDA DO ESTADO DE SÃO PAULO:

E

ACORDAM, Tribunal

em Sétima Câmara do Estado

de Direito

Público do proferir a

de Justiça

de São Paulo,

seguinte decisão: "NEGARAM PROVIMENTO AO RECURSO, V. U.", de

conformidade com o voto do Relator, que integra este acórdão.

O Desembargadores

julgamento WALTER

teve SWENSSON

a

participação sem

dos voto),

(Presidente,

COIMBRA SCHMIDT e NOGUEIRA DIEFENTHALER.

São Paulo, 08 de setembro de 2008.

CONSTANÇA GONZAGA Relatora

SENTENÇA MANTIDA RECURSO DOS AUTORES NÃO PROVIDO Ação ordinária movida por servidores públicos estaduais contra Fazenda do Estado de São Paulo. NÃO HÁ QUALQUER INFRINGÊNCIA AO PRINCIPIO DA IRREDUTIBILIDADE DE VENCIMENTOS (ART 37. DA CARTA BANDEIRANTE .PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO 7a CÂMARA DE DIREITO PÚBLICO Apelação: Apelante: Apelado: Comarca: 455 236 5/9-00 Jucéha Pereira e outros Fazenda do Estado de São Paulo São Paulo Voto n° 9875 SERVIDORES PÚBLICOS ESTADUAIS INDENIZATÓRIA OBJETIVANDO O RECEBIMENTO DE RECOMPOSIÇÃO SALARIAL ANUAL COM BASE NO ÍNDICE DO INPC-IBGE. A r. § 2o. ante a existência de previsão constitucional (art. objetivando o recebimento de indenização decorrente da diferença salarial que deveria receber se aplicado o índice de correção pelo INPC-IBGE.DESCABIMENTO .O ESTADO NÃO ESTÁ OBRIGADO A APLICAR O ÍNDICE DE REAJUSTE QUE MELHOR ATENDA AOS INTERESSES DOS AUTORES . A PARTIR DE JUNHO DE 1999 . Apelação n° 455 236 5/9-00 Voto n° 9875 fls 1/4 .APLICAÇÃO DO ART 24.AFORA ISSO. COM A REDAÇÃO DADA PELA EMENDA CONSTITUCIONAL 19/98) QUE VINCULA A REVISÃO ANUAL A EXISTÊNCIA DE "LEI ESPECÍFICA". X. 1. sentença.PREVISÃO CONSTITUCIONAL (ART 37. por falta de amparo legal. XV. X) de "revisão geral anual". a partir de junho de 1999. DE COMPETÊNCIA EXCLUSIVA DO GOVERNADOR . por entender que os autores não têm direito à imagina reposição salarial. julgou improcedente a ação. DA CF) IMPROCEDÊNCIA BEM DECRETADA . 37. cujo relatório se adota.

37. Querem os autores o reajustamento salarial anual. a medida é adequada e necessária ao pedido formulado na inicial. c de afastar a alegação feita nas contra-razões de apelação. Isto porque. redação dada pela Emenda Constitucional 19/98. Apresentadas as contra-razões. nos termos definidos pela Carta Maior (art 37. E m breve resumo. sob a alegação de omissão da Administração Pública no estabelecimento de efetiva recomposição de seus vencimentos ou proventos.PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO 7a CÂMARA DE DIREITO PÚBLICO Irresignados. Inicialmente. com pedido de reforma da r. sentença. 37. X). não havendo razão alguma para extinção da ação sem resolução do mérito. não havendo outro solução senão a devida e justa recomposição salarial. reputando carecedores os autores. Inconsistente o recurso. apelam os autores. X. é o relatório. Apelação n° 455 236 5/9-00 Voto n° 9875 'fls 2/4 . traz previsão de revisão geral anual de seus vencimentos. considerando este texto norma auto-aplicável. além da impossibilidade de se efetuar redução nos vencimentos (art. da CF. aduzindo que o art. XV).

Toledo Silva). com exclusividade. notadamente se se atentar para o art. Relevante transei ever julgados por este E. legislar sobre o seu funcionalismo. Na verdade. rei. Apelação n° 455 236 5/9-00 Voto n° 9875 fls 3/4 ci< . da Carta Bandeirante. "a fixação da respectiva remuneração.PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO 7a CÂMARA DE DIREITO PÚBLICO Contudo. então. e se eventualmente concedeu reajuste inferior à inflação do período. § 2 o . 1. ao conceder. no exercício de sua autonomia constitucional podia o Estado optar entre conceder ou não o reajuste. Destarte. força concluir que nenhuma lei violou. compete ao Estado.206-5/0. concedendo o tão almejado aumento salarial.136-5/5.". Antônio Villen e 33. e. rei. cediço que inexistindo Lei Estadual. não estava adstrito a indicadores econômicos" (Apelações Cíveis n°s 16. não está a Administração Pública obrigada a proceder ao reajuste com base no índice que melhor atenda ao interesse do servidor público. segundo os quais: ' O Estado não estava obrigado à reposição do índice ínflacionáno. prevalente o entendimento segundo o qual. ao Governador. não resta alternauva senão julgar improcedente o pedido dos autoies. privativamente. Des. Des. Assim. c o m o de fato inexiste. como n o âmbito Estadual não foi editada "lei específica" com objetivo de reajustar os vencimentos e proventos dos servidores públicos estaduais. razão pela qual não se pode acolitar o pedido indenizatória formulado pelos autores. que atribui. 24. Tribunal de Justiça.

4/4 . 37. da CF. Destarte. pelo meu voto. XV.PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO 7a CÂMARA DE DIREITO PÚBLICO Afora isso. a r. não diz respeito à correção monetária a ser aplicada como reajuste salarial. Neste sentido. portanto. NEGA-SE PROVIMENTO ao recurso dos autores. frise-se que nenhuma redução foi procedida nos vencimentos dos autores. já que o art. CON IA GONZAGA Relatora Apelação n° 455 236 5/9-00 Voto n° 9875 fls. sentença deve ser mantida por seus próprios e jurídicos fundamentos. descabida a alegada afronta ao princípio da irredutibüidade de vencimentos.