Aproveite esse podcast e muito mais

Não é preciso ter uma assinatura para acessar os podcasts. Eles são 100% gratuitos. Também oferecemos livros digitais, audiolivros e muito mais por apenas $11.99 mensais.

Auxílio Brasil, crise do teto e a ‘licença para gastar’ de Guedes: A Comissão Especial da Câmara dos Deputados aprovou na noite de quinta-feira, por 23 votos a favor e 11 contra, o texto-base da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que adia a quitação de precatórios – as dívidas judiciais do governo. A proposta também incluiu uma mudança nas regras do teto de gastos. As novas regras abrem um espaço de R$ 83 bilhões no Orçamento de 2022, o que permitiria ao governo gastar mais no ano eleitoral. O texto deve ser votado na próxima semana no plenário da Câmara. 
A mudança no teto de gastos foi incluída de última hora na PEC dos Precatórios. Investidores avaliam o movimento como uma manobra fiscal do governo para bancar o valor de R$ 400 do Auxílio Brasil, o programa que vai substituir o Bolsa Família, sem queimar o teto de gastos. Na prática, só não haveria descumprimento do teto porque o limite seria aumentado. 
Pouco antes da aprovação do texto-base da proposta na Comissão Especial

Auxílio Brasil, crise do teto e a ‘licença para gastar’ de Guedes

DeAo Ponto (podcast do jornal O Globo)


Auxílio Brasil, crise do teto e a ‘licença para gastar’ de Guedes

DeAo Ponto (podcast do jornal O Globo)

notas:
Duração:
26 minutos
Lançados:
22 de out. de 2021
Formato:
Episódio de podcast

Descrição

A Comissão Especial da Câmara dos Deputados aprovou na noite de quinta-feira, por 23 votos a favor e 11 contra, o texto-base da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que adia a quitação de precatórios – as dívidas judiciais do governo. A proposta também incluiu uma mudança nas regras do teto de gastos. As novas regras abrem um espaço de R$ 83 bilhões no Orçamento de 2022, o que permitiria ao governo gastar mais no ano eleitoral. O texto deve ser votado na próxima semana no plenário da Câmara.
A mudança no teto de gastos foi incluída de última hora na PEC dos Precatórios. Investidores avaliam o movimento como uma manobra fiscal do governo para bancar o valor de R$ 400 do Auxílio Brasil, o programa que vai substituir o Bolsa Família, sem queimar o teto de gastos. Na prática, só não haveria descumprimento do teto porque o limite seria aumentado.
Pouco antes da aprovação do texto-base da proposta na Comissão Especial da Câmara dos Deputados, a equipe econômica do governo sofreu baixas. O secretário especial do Tesouro e Orçamento, Bruno Funchal, e o secretário do Tesouro Nacional, Jeferson Bittencourt, e seus secretários adjuntos, pediram demissão em meio à crise do teto de gastos. O mercado reagiu, com disparada do dólar e queda acentuada da Bolsa de São Paulo. À noite, o presidente Jair Bolsonaro disse que o ministro da Economia, Paulo Guedes, continua no governo, e que a prioridade agora é dar continuidade à agenda de reformas no Congresso.
Na edição desta sexta-feira do Ao Ponto, o repórter Manoel Ventura, de Brasília, e o economista Felipe Salto, diretor-executivo da Instituição Fiscal Independente, do Senado, explicam o significado das mudanças no teto de gastos e as possíveis consequências da medida, do bolso da população à economia do país.
Lançados:
22 de out. de 2021
Formato:
Episódio de podcast

Títulos nesta série (40)

Aqui ninguém perde tempo, é direto ao ponto. O podcast do GLOBO, publicado de segunda a sexta-feira às 6h, aborda os principais temas do Brasil e do mundo, para que você compreenda tanto os desafios da economia e os trâmites da política, quanto as inovações tecnológicas e a efervescência cultural. É muito? Os jornalistas Carolina Morand e Roberto Maltchik, apresentadores do AO PONTO, encaram o desafio. A cada episódio eles recebem convidados para uma conversa sobre os acontecimentos mais relevantes do dia.