Aproveite esse podcast e muito mais

Não é preciso ter uma assinatura para acessar os podcasts. Eles são 100% gratuitos. Também oferecemos livros digitais, audiolivros e muito mais por apenas $11.99 mensais.

Quem pagará a conta do aquecimento global?: Às vésperas do encerramento da Conferência da ONU sobre mudanças climáticas, em Glasgow, na Escócia, o financiamento das ações de combate ao aquecimento global está no centro das discussões. A conta é salgada e complexa. Envolve a reparação de danos dos eventos extremos provocados pelas mudanças climáticas; o apoio a países pobres e em desenvolvimento para conviver com um planeta mais quente; e, por fim, os investimentos necessários para transformar a economia e fazê-la cada vez menos dependente dos combustíveis fósseis, de forma a alcançar as metas de redução das emissões de carbono na atmosfera definidas a partir do Acordo de Paris. E falta muito para que haja consenso entre as nações para definir quem paga a fatura e de que forma isso deve ser feito.
Os negociadores na Cop26 lutam para os países ricos firmem o compromisso de reunir, por ano, US$ 100 bilhões para ajudar nações pobres a lidarem com as mudanças climáticas. O primeiro problem

Quem pagará a conta do aquecimento global?: Às vésperas do encerramento da Conferência da ONU sobre mudanças climáticas, em Glasgow, na Escócia, o financiamento das ações de combate ao aquecimento global está no centro das discussões. A conta é salgada e complexa. Envolve a reparação de danos dos eventos extremos provocados pelas mudanças climáticas; o apoio a países pobres e em desenvolvimento para conviver com um planeta mais quente; e, por fim, os investimentos necessários para transformar a economia e fazê-la cada vez menos dependente dos combustíveis fósseis, de forma a alcançar as metas de redução das emissões de carbono na atmosfera definidas a partir do Acordo de Paris. E falta muito para que haja consenso entre as nações para definir quem paga a fatura e de que forma isso deve ser feito. Os negociadores na Cop26 lutam para os países ricos firmem o compromisso de reunir, por ano, US$ 100 bilhões para ajudar nações pobres a lidarem com as mudanças climáticas. O primeiro problem

DeAo Ponto (podcast do jornal O Globo)


Quem pagará a conta do aquecimento global?: Às vésperas do encerramento da Conferência da ONU sobre mudanças climáticas, em Glasgow, na Escócia, o financiamento das ações de combate ao aquecimento global está no centro das discussões. A conta é salgada e complexa. Envolve a reparação de danos dos eventos extremos provocados pelas mudanças climáticas; o apoio a países pobres e em desenvolvimento para conviver com um planeta mais quente; e, por fim, os investimentos necessários para transformar a economia e fazê-la cada vez menos dependente dos combustíveis fósseis, de forma a alcançar as metas de redução das emissões de carbono na atmosfera definidas a partir do Acordo de Paris. E falta muito para que haja consenso entre as nações para definir quem paga a fatura e de que forma isso deve ser feito. Os negociadores na Cop26 lutam para os países ricos firmem o compromisso de reunir, por ano, US$ 100 bilhões para ajudar nações pobres a lidarem com as mudanças climáticas. O primeiro problem

DeAo Ponto (podcast do jornal O Globo)

notas:
Duração:
25 minutos
Lançados:
12 de nov. de 2021
Formato:
Episódio de podcast

Descrição

Às vésperas do encerramento da Conferência da ONU sobre mudanças climáticas, em Glasgow, na Escócia, o financiamento das ações de combate ao aquecimento global está no centro das discussões. A conta é salgada e complexa. Envolve a reparação de danos dos eventos extremos provocados pelas mudanças climáticas; o apoio a países pobres e em desenvolvimento para conviver com um planeta mais quente; e, por fim, os investimentos necessários para transformar a economia e fazê-la cada vez menos dependente dos combustíveis fósseis, de forma a alcançar as metas de redução das emissões de carbono na atmosfera definidas a partir do Acordo de Paris. E falta muito para que haja consenso entre as nações para definir quem paga a fatura e de que forma isso deve ser feito.
Os negociadores na Cop26 lutam para os países ricos firmem o compromisso de reunir, por ano, US$ 100 bilhões para ajudar nações pobres a lidarem com as mudanças climáticas. O primeiro problema é que essa quantia dá conta de apenas uma fração dos esforços globais necessários para frear o impacto do aquecimento global, já que serve apenas como ajuda aos países pobres. A segunda questão é que esse dinheiro já deveria ter sido mobilizado em 2020, segundo acordo firmado na COP-15, em 2009, o que não aconteceu. No Ao Ponto desta sexta-feira, que integra o projeto Um Só Planeta, o coordenador do MapBiomas, o engenheiro florestal Tasso Azevedo explica a disputa entre países ricos, pobres e em desenvolvimento para definir quem vai arcar com os custos para conter os efeitos das mudanças climáticas. Ele também analisa o papel do Brasil no debate sobre os recursos que devem financiar uma economia sustentável.
Lançados:
12 de nov. de 2021
Formato:
Episódio de podcast

Títulos nesta série (40)

Visualizar mais
Aqui ninguém perde tempo, é direto ao ponto. O podcast do GLOBO, publicado de segunda a sexta-feira às 6h, aborda os principais temas do Brasil e do mundo, para que você compreenda tanto os desafios da economia e os trâmites da política, quanto as inovações tecnológicas e a efervescência cultural. É muito? Os jornalistas Carolina Morand e Roberto Maltchik, apresentadores do AO PONTO, encaram o desafio. A cada episódio eles recebem convidados para uma conversa sobre os acontecimentos mais relevantes do dia.