Aproveite esse podcast e muito mais

Não é preciso ter uma assinatura para acessar os podcasts. Eles são 100% gratuitos. Também oferecemos livros digitais, audiolivros e muito mais por apenas $11.99 mensais.

James Webb, o revolucionário telescópio que mira na origem de tudo: Em 24 de abril de 1990, a Humanidade abria uma janela para o Universo com o lançamento do telescópio espacial Hubble, que, aos trancos e barracos, segue vivo até hoje, produzindo muito conhecimento científico e imagens incríveis, tanto do Sistema Solar quanto de galáxias muito distantes, a bilhões de anos-luz da Terra. Mas essa história pode ficar ainda mais interessante no Natal. Está marcado para o dia 25 de dezembro o lançamento do telescópio espacial James Webb, no Porto Espacial de Kourou, na Guiana Francesa. Ele estará a 1,5 milhão de quilômetros da Terra, contra 600 quilômetros de distância do Hubble. Seus olhos veem em infravermelho. E ele é muito maior. Por isso, verá o que o Hubble não enxerga e vai investigar a luz que viajou no espaço por 13 bilhões de anos.

Foram 10 anos de planejamento, outros 20 de construção, e um investimento de US$ 10 bilhões, da NASA e da Agência Especial Europeia. Seu espelho é g

James Webb, o revolucionário telescópio que mira na origem de tudo: Em 24 de abril de 1990, a Humanidade abria uma janela para o Universo com o lançamento do telescópio espacial Hubble, que, aos trancos e barracos, segue vivo até hoje, produzindo muito conhecimento científico e imagens incríveis, tanto do Sistema Solar quanto de galáxias muito distantes, a bilhões de anos-luz da Terra. Mas essa história pode ficar ainda mais interessante no Natal. Está marcado para o dia 25 de dezembro o lançamento do telescópio espacial James Webb, no Porto Espacial de Kourou, na Guiana Francesa. Ele estará a 1,5 milhão de quilômetros da Terra, contra 600 quilômetros de distância do Hubble. Seus olhos veem em infravermelho. E ele é muito maior. Por isso, verá o que o Hubble não enxerga e vai investigar a luz que viajou no espaço por 13 bilhões de anos. Foram 10 anos de planejamento, outros 20 de construção, e um investimento de US$ 10 bilhões, da NASA e da Agência Especial Europeia. Seu espelho é g

DeAo Ponto (podcast do jornal O Globo)


James Webb, o revolucionário telescópio que mira na origem de tudo: Em 24 de abril de 1990, a Humanidade abria uma janela para o Universo com o lançamento do telescópio espacial Hubble, que, aos trancos e barracos, segue vivo até hoje, produzindo muito conhecimento científico e imagens incríveis, tanto do Sistema Solar quanto de galáxias muito distantes, a bilhões de anos-luz da Terra. Mas essa história pode ficar ainda mais interessante no Natal. Está marcado para o dia 25 de dezembro o lançamento do telescópio espacial James Webb, no Porto Espacial de Kourou, na Guiana Francesa. Ele estará a 1,5 milhão de quilômetros da Terra, contra 600 quilômetros de distância do Hubble. Seus olhos veem em infravermelho. E ele é muito maior. Por isso, verá o que o Hubble não enxerga e vai investigar a luz que viajou no espaço por 13 bilhões de anos. Foram 10 anos de planejamento, outros 20 de construção, e um investimento de US$ 10 bilhões, da NASA e da Agência Especial Europeia. Seu espelho é g

DeAo Ponto (podcast do jornal O Globo)

notas:
Duração:
23 minutos
Lançados:
23 de dez. de 2021
Formato:
Episódio de podcast

Descrição

Em 24 de abril de 1990, a Humanidade abria uma janela para o Universo com o lançamento do telescópio espacial Hubble, que, aos trancos e barracos, segue vivo até hoje, produzindo muito conhecimento científico e imagens incríveis, tanto do Sistema Solar quanto de galáxias muito distantes, a bilhões de anos-luz da Terra. Mas essa história pode ficar ainda mais interessante no Natal. Está marcado para o dia 25 de dezembro o lançamento do telescópio espacial James Webb, no Porto Espacial de Kourou, na Guiana Francesa. Ele estará a 1,5 milhão de quilômetros da Terra, contra 600 quilômetros de distância do Hubble. Seus olhos veem em infravermelho. E ele é muito maior. Por isso, verá o que o Hubble não enxerga e vai investigar a luz que viajou no espaço por 13 bilhões de anos.

Foram 10 anos de planejamento, outros 20 de construção, e um investimento de US$ 10 bilhões, da NASA e da Agência Especial Europeia. Seu espelho é gigante. Tem 6,5 metros, contra 2,4 metros do Hubble. E poderá desvendar mistérios sobre uma época anterior à formação das primeiras galáxias; recalcular a quantidade da poeira que dá origem a tudo o que existe no Universo; e observar, diretamente, planetas que podem ter condições para abrigar a vida. No Ao Ponto desta quinta-feira, a astrônoma Duília de Mello, professora de física e astronomia da Universidade Católica de Washigton e pesquisadora associada da NASA, conta quais são as contribuições esperadas do mais importante telescópio já construído pela Humanidade.

A partir de sexta-feira, o Ao Ponto dá uma parada rápida. E retorna no próximo dia 3 de janeiro.
Lançados:
23 de dez. de 2021
Formato:
Episódio de podcast

Títulos nesta série (40)

Visualizar mais
Aqui ninguém perde tempo, é direto ao ponto. O podcast do GLOBO, publicado de segunda a sexta-feira às 6h, aborda os principais temas do Brasil e do mundo, para que você compreenda tanto os desafios da economia e os trâmites da política, quanto as inovações tecnológicas e a efervescência cultural. É muito? Os jornalistas Carolina Morand e Roberto Maltchik, apresentadores do AO PONTO, encaram o desafio. A cada episódio eles recebem convidados para uma conversa sobre os acontecimentos mais relevantes do dia.