Aproveite esse podcast e muito mais

Não é preciso ter uma assinatura para acessar os podcasts. Eles são 100% gratuitos. Também oferecemos livros digitais, audiolivros e muito mais por apenas $11.99 mensais.

O exército de atiradores sem farda e distintivo: O número de brasileiros com armas só aumenta.  Em 2018, eram cerca de três milhões de armas autorizadas para os chamados CACs (Colecionadores, Atiradores desportivos e Caçadores). Hoje, o mesmo grupo tem 46 milhões de permissões de compra, inclusive de armento de grosso calibre. Essa explosão ocorreu ao longo dos quatro anos do governo de Jair Bolsonaro, que flexibilizou a legislação, com dezenas de atos, decretos e projetos de lei que desfiguram o Estatuto do Desarmamento. Os CACs, inclusive, têm apelado às assembleias estaduais para garantir licenças para que cidadãos andem armados, com projetos de lei em todas as unidades da federação. Ao mesmo tempo, há uma vigorosa expansão de clubes de tiro: só no ano passado, 457 novas entidades de tiro desportivo foram abertas no Brasil, um crescimento de 34% em relação a 2020. Especialistas avaliam que essa combinação, somado à falta de fiscalização sobre o registro dos CACs, cria um exército de

O exército de atiradores sem farda e distintivo: O número de brasileiros com armas só aumenta. Em 2018, eram cerca de três milhões de armas autorizadas para os chamados CACs (Colecionadores, Atiradores desportivos e Caçadores). Hoje, o mesmo grupo tem 46 milhões de permissões de compra, inclusive de armento de grosso calibre. Essa explosão ocorreu ao longo dos quatro anos do governo de Jair Bolsonaro, que flexibilizou a legislação, com dezenas de atos, decretos e projetos de lei que desfiguram o Estatuto do Desarmamento. Os CACs, inclusive, têm apelado às assembleias estaduais para garantir licenças para que cidadãos andem armados, com projetos de lei em todas as unidades da federação. Ao mesmo tempo, há uma vigorosa expansão de clubes de tiro: só no ano passado, 457 novas entidades de tiro desportivo foram abertas no Brasil, um crescimento de 34% em relação a 2020. Especialistas avaliam que essa combinação, somado à falta de fiscalização sobre o registro dos CACs, cria um exército de

DeAo Ponto (podcast do jornal O Globo)


O exército de atiradores sem farda e distintivo: O número de brasileiros com armas só aumenta. Em 2018, eram cerca de três milhões de armas autorizadas para os chamados CACs (Colecionadores, Atiradores desportivos e Caçadores). Hoje, o mesmo grupo tem 46 milhões de permissões de compra, inclusive de armento de grosso calibre. Essa explosão ocorreu ao longo dos quatro anos do governo de Jair Bolsonaro, que flexibilizou a legislação, com dezenas de atos, decretos e projetos de lei que desfiguram o Estatuto do Desarmamento. Os CACs, inclusive, têm apelado às assembleias estaduais para garantir licenças para que cidadãos andem armados, com projetos de lei em todas as unidades da federação. Ao mesmo tempo, há uma vigorosa expansão de clubes de tiro: só no ano passado, 457 novas entidades de tiro desportivo foram abertas no Brasil, um crescimento de 34% em relação a 2020. Especialistas avaliam que essa combinação, somado à falta de fiscalização sobre o registro dos CACs, cria um exército de

DeAo Ponto (podcast do jornal O Globo)

notas:
Duração:
23 minutos
Lançados:
27 de jul. de 2022
Formato:
Episódio de podcast

Descrição

O número de brasileiros com armas só aumenta. Em 2018, eram cerca de três milhões de armas autorizadas para os chamados CACs (Colecionadores, Atiradores desportivos e Caçadores). Hoje, o mesmo grupo tem 46 milhões de permissões de compra, inclusive de armento de grosso calibre. Essa explosão ocorreu ao longo dos quatro anos do governo de Jair Bolsonaro, que flexibilizou a legislação, com dezenas de atos, decretos e projetos de lei que desfiguram o Estatuto do Desarmamento. Os CACs, inclusive, têm apelado às assembleias estaduais para garantir licenças para que cidadãos andem armados, com projetos de lei em todas as unidades da federação. Ao mesmo tempo, há uma vigorosa expansão de clubes de tiro: só no ano passado, 457 novas entidades de tiro desportivo foram abertas no Brasil, um crescimento de 34% em relação a 2020. Especialistas avaliam que essa combinação, somado à falta de fiscalização sobre o registro dos CACs, cria um exército de civis armados e facilita a atuação das organizações criminosas. No Ao Ponto desta quarta-feira, a repórter Aline Ribeiro detalha esse aumento expressivo no número de armas nas mãos de pessoas que não fazem parte de qualquer força de segurança. Ela também analisa de que maneira essa situação reforça a atuação política dos atiradores e beneficia o crime organizado.
Lançados:
27 de jul. de 2022
Formato:
Episódio de podcast

Títulos nesta série (40)

Visualizar mais
Aqui ninguém perde tempo, é direto ao ponto. O podcast do GLOBO, publicado de segunda a sexta-feira às 6h, aborda os principais temas do Brasil e do mundo, para que você compreenda tanto os desafios da economia e os trâmites da política, quanto as inovações tecnológicas e a efervescência cultural. É muito? Os jornalistas Carolina Morand e Roberto Maltchik, apresentadores do AO PONTO, encaram o desafio. A cada episódio eles recebem convidados para uma conversa sobre os acontecimentos mais relevantes do dia.