Aproveite esse podcast e muito mais

Não é preciso ter uma assinatura para acessar os podcasts. Eles são 100% gratuitos. Também oferecemos livros digitais, audiolivros e muito mais por apenas $11.99 mensais.

Condenados, porém candidatos. Como isso é possível?: Mesmo condenados pela Justiça ou ainda penalizados na esteira de processos de cassação, candidatos inelegíveis pretendem concorrer a diferentes cargos em outubro. Roberto Jefferson (PTB), que está em prisão domiciliar, é candidato à presidência da República. Daniel Silveira (PTB), que teve indulto concedido pelo presidente Jair Bolsonaro após ser condenado por atos anti-democráticos pelo STF, quer concorrer ao Senado. Eduardo Cunha (PTB), que teve seu mandato de deputado federal cassado quer voltar à Câmara. São vários os casos parecidos espalhados pelo país. A lei não impede a eles o direito de pedir o registro de candidaturas, que devem ser impugnadas se a Justiça Eleitoral for provocada. Além disso, enquanto brigarem nos tribunais, poderão fazer campanha e usar o dinheiro público que abastece o fundo eleitoral. Muitas vezes, essa disputa é amparada em decisões provisórias, que, na maioria dos casos, são revistas posteriormente. No

Condenados, porém candidatos. Como isso é possível?: Mesmo condenados pela Justiça ou ainda penalizados na esteira de processos de cassação, candidatos inelegíveis pretendem concorrer a diferentes cargos em outubro. Roberto Jefferson (PTB), que está em prisão domiciliar, é candidato à presidência da República. Daniel Silveira (PTB), que teve indulto concedido pelo presidente Jair Bolsonaro após ser condenado por atos anti-democráticos pelo STF, quer concorrer ao Senado. Eduardo Cunha (PTB), que teve seu mandato de deputado federal cassado quer voltar à Câmara. São vários os casos parecidos espalhados pelo país. A lei não impede a eles o direito de pedir o registro de candidaturas, que devem ser impugnadas se a Justiça Eleitoral for provocada. Além disso, enquanto brigarem nos tribunais, poderão fazer campanha e usar o dinheiro público que abastece o fundo eleitoral. Muitas vezes, essa disputa é amparada em decisões provisórias, que, na maioria dos casos, são revistas posteriormente. No

DeAo Ponto (podcast do jornal O Globo)


Condenados, porém candidatos. Como isso é possível?: Mesmo condenados pela Justiça ou ainda penalizados na esteira de processos de cassação, candidatos inelegíveis pretendem concorrer a diferentes cargos em outubro. Roberto Jefferson (PTB), que está em prisão domiciliar, é candidato à presidência da República. Daniel Silveira (PTB), que teve indulto concedido pelo presidente Jair Bolsonaro após ser condenado por atos anti-democráticos pelo STF, quer concorrer ao Senado. Eduardo Cunha (PTB), que teve seu mandato de deputado federal cassado quer voltar à Câmara. São vários os casos parecidos espalhados pelo país. A lei não impede a eles o direito de pedir o registro de candidaturas, que devem ser impugnadas se a Justiça Eleitoral for provocada. Além disso, enquanto brigarem nos tribunais, poderão fazer campanha e usar o dinheiro público que abastece o fundo eleitoral. Muitas vezes, essa disputa é amparada em decisões provisórias, que, na maioria dos casos, são revistas posteriormente. No

DeAo Ponto (podcast do jornal O Globo)

notas:
Duração:
27 minutos
Lançados:
4 de ago. de 2022
Formato:
Episódio de podcast

Descrição

Mesmo condenados pela Justiça ou ainda penalizados na esteira de processos de cassação, candidatos inelegíveis pretendem concorrer a diferentes cargos em outubro. Roberto Jefferson (PTB), que está em prisão domiciliar, é candidato à presidência da República. Daniel Silveira (PTB), que teve indulto concedido pelo presidente Jair Bolsonaro após ser condenado por atos anti-democráticos pelo STF, quer concorrer ao Senado. Eduardo Cunha (PTB), que teve seu mandato de deputado federal cassado quer voltar à Câmara. São vários os casos parecidos espalhados pelo país. A lei não impede a eles o direito de pedir o registro de candidaturas, que devem ser impugnadas se a Justiça Eleitoral for provocada. Além disso, enquanto brigarem nos tribunais, poderão fazer campanha e usar o dinheiro público que abastece o fundo eleitoral. Muitas vezes, essa disputa é amparada em decisões provisórias, que, na maioria dos casos, são revistas posteriormente. No Ao Ponto desta quinta-feira, o repórter Eduardo Gonçalves conta quais são as alegações dos fichas-sujas para tentar voltar à cena política. O ex-juiz e um dos idealizadores da Lei da Ficha Limpa, o advogado Marlon Reis, analisa as chances reais desses políticos driblarem a lei e avalia as alternativas para dificultar o registro dessas candidaturas.
Lançados:
4 de ago. de 2022
Formato:
Episódio de podcast

Títulos nesta série (40)

Visualizar mais
Aqui ninguém perde tempo, é direto ao ponto. O podcast do GLOBO, publicado de segunda a sexta-feira às 6h, aborda os principais temas do Brasil e do mundo, para que você compreenda tanto os desafios da economia e os trâmites da política, quanto as inovações tecnológicas e a efervescência cultural. É muito? Os jornalistas Carolina Morand e Roberto Maltchik, apresentadores do AO PONTO, encaram o desafio. A cada episódio eles recebem convidados para uma conversa sobre os acontecimentos mais relevantes do dia.