Aproveite esse podcast e muito mais

Não é preciso ter uma assinatura para acessar os podcasts. Eles são 100% gratuitos. Também oferecemos livros digitais, audiolivros e muito mais por apenas $11.99 mensais.

Protestos na Copa: restrições a símbolos LGBTQIA+ motivam críticas no torneio

Protestos na Copa

DeE Tem Mais


Protestos na Copa

DeE Tem Mais

notas:
Duração:
24 minutos
Lançados:
24 de nov. de 2022
Formato:
Episódio de podcast

Descrição

Neste episódio do E Tem Mais, Carol Nogueira apresenta um panorama das críticas enfrentadas pelos organizadores da Copa do Mundo no Catar devido às restrições à exibição de símbolos de apoio à comunidade LGBTQIA+ no país.
Os jogadores da seleção da Alemanha taparam a boca ao posar para a foto antes da estreia no Mundial, em protesto contra a decisão da Fifa de ameaçar punir o uso de uma braçadeira de capitão com as cores da campanha "One Love", em apoio a pessoas LGBTQIA+.
Além das queixas contra a falta de avanços na agenda de direitos humanos no país, a Copa no Catar também tem encontrado dificuldades para reproduzir nas arquibancadas o clima de euforia entre os torcedores comum nos Mundiais. Nos primeiros jogos do torneio, as câmeras de TV mostraram parte do público deixando o estádio durante as partidas.
Para descrever o impacto dos problemas extracampo na Copa de 2022, participam deste episódio o diretor da Ligay (associação que organiza campeonatos de futebol voltados para pessoas LGBTQIA+), Ronaldo Nascimento, e o repórter Anthony Wells, apresentador do CNN na Copa.
Com apresentação de Carol Nogueira, este podcast é produzido pela Maremoto para a CNN Brasil.
Você também pode ouvir o E Tem Mais no site da CNN Brasil. E aproveite para conhecer os nossos outros programas em áudio. Acesse: cnnbrasil.com.br/podcasts.
Lançados:
24 de nov. de 2022
Formato:
Episódio de podcast

Títulos nesta série (40)

O jornalismo como deve ser: simples e fácil de entender. Monalisa Perrone mergulha nos assuntos mais importantes do momento e te explica tudo, ao lado de especialistas, analistas e repórteres. De segunda a sexta, sempre no início da manhã.