Programa de Alimentação do Trabalhador - PAT

CRIAÇÃO

Criado pela Lei 6.321, de 14/04/1976, tratase de um programa de complementação alimentar no qual o governo, empresa e trabalhador partilham responsabilidades e tem como princípio norteador o atendimento ao trabalhador de baixa renda.

• . isto é. que ganham até cinco salários mínimos mensais.A QUEM SE DESTINA • O PAT é destinado aos trabalhadores de baixa renda. Poderão ser incluídos trabalhadores de renda mais elevada. desde que atenda um numero maior de trabalhadores de baixa renda.

 . Orçamento e Gestão. dos empregadores. do Planejamento. da Fazenda.  . da Previdência Social.COMISSÃO TRIPARTITE DO PAT Regimento Interno da Comissão Tripartite do Programa de Alimentação do Trabalhador Composição:  I .um representante do Ministério: Trabalho e Emprego. da Saúde. do Desenvolvimento Social e Combate à Fome.seis representantes dos trabalhadores.

inclusive na modalidade de cartão eletrônico. III – elaborar estudos visando estabelecer regras para a fiscalização e à aplicação de penalidades às empresas e estabelecimentos conveniados que executarem de modo inadequado o PAT.COMISSÃO TRIPARTITE DO PAT Compete: I – acompanhar e avaliar a execução do PAT. . II – propor o aperfeiçoamento da legislação relativa ao PAT. principalmente no que tange ao credenciamento das empresas prestadoras de serviço de alimentação coletiva e à definição das regras de utilização e aceitação dos documentos de legitimação.

da Previdência Social e do Desenvolvimento Social e Combate à Fome.COMISSÃO TRIPARTITE DO PAT Compete: IV – avaliar as propostas de medidas legislativas encaminhadas ao Ministério do Trabalho e Emprego atinentes ao PAT. Parágrafo único. Os estudos e sugestões serão submetidos à apreciação do Ministro de Estado do Trabalho e Emprego e. a ser aprovado pelo Ministério do Trabalho e Emprego. aos Ministros de Estado da Fazenda. da Saúde. V – elaborar o seu regimento interno. quando necessário. .

• O cadastro não é obrigatório. • . O PAT é dirigido a pessoas jurídicas sujeitas ao pagamento do IR.PARTICIPANTES • Todas as pessoas jurídicas que tenham trabalhadores por ela contratados.

. a redução de acidentes de trabalho e o aumento da produtividade.PAT Objetivo  O PAT tem por objetivo melhorar as condições nutricionais dos trabalhadores. com repercussões positivas para a qualidade de vida.

.PAT Benefícios  Para Trabalhador .Aumento de resistência à fadiga.Melhoria de suas condições nutricionais e de qualidade de vida.Aumento de resistência a doenças. . . . .Aumento de sua capacidade física.Redução de riscos de acidentes de trabalho.

Redução do absenteísmo (atrasos e faltas). .Redução da rotatividade.Aumento de produtividade.PAT Benefícios  Para Empresas . .Isenção de encargos sociais sobre o valor da alimentação fornecida. . .Maior integração entre trabalhador e empresa.Incentivo fiscal (dedução de até quatro por cento no imposto de renda devido). . .

Crescimento da atividade econômica. .Redução de despesas e investimentos na área da saúde. .Bem-estar social. .PAT Benefícios  Para o Governo .

PAT  Participação do Trabalhador no Custo De acordo com o artigo 4º da Portaria nº 3 de 1 março de 2002. a participação financeira do trabalhador fica limitada a 20% do custo direto da refeição. .

dando-se ênfase aos alimentos regionais e respeito ao seu significado socioeconômico e cultural. passa a vigorar com a seguinte redação: “Art. DE 25 DE AGOSTO DE 2006  Altera os parâmetros nutricionais do Programa de Alimentação do Trabalhador . de 30 de novembro de 1999. 1º O art.PAT Art. conforme disposto no art. de 14 de janeiro de 1991. respeitando os princípios da variedade. no contexto da Segurança Alimentar e Nutricional. 5º da Portaria Interministerial nº 5. 5º Os programas de alimentação do trabalhador deverão propiciar condições de avaliação do teor nutritivo da alimentação. publicada no Diário Oficial da União de 3 de dezembro de 1999.    .PAT PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 66. o direito humano a um padrão alimentar adequado às necessidades biológicas e sociais dos indivíduos. da moderação e do equilíbrio. 3º do Decreto nº 5. § 1º Entende-se por alimentação saudável.

cabendo-lhes a responsabilidade de fiscalizar o disposto neste artigo.PAT. . deverão assegurar qualidade e quantidade da alimentação fornecida aos trabalhadores.PAT PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 66. DE 25 DE AGOSTO DE 2006  § 2º As pessoas jurídicas participantes do Programa de Alimentação do Trabalhador . mediante prestação de serviços próprios ou de terceiros. de acordo com esta Portaria.

PAT PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 66. DE 25 DE AGOSTO DE 2006 §3º Os parâmetros nutricionais para a alimentação do trabalhador estabelecidos nesta Portaria deverão ser calculados com base nos seguintes valores diários de referência para macro e micronutrientes:         Nutrientes Valor Energético Total CARBOIDRATO PROTEÍNA GORDURA TOTAL GORDURA SATURADA FIBRA SÓDIO Valores diários 2000 calorias 55 -75% 10-15% 15-30% < 10% > 25 g ≤ 2400mg .

admitindo-se um acréscimo de vinte por cento (quatrocentas calorias) em relação ao Valor Energético Total de duas mil calorias por dia e deverão corresponder a faixa de 15 . . admitindo-se um acréscimo de vinte por cento (quatrocentas calorias) em relação ao Valor Energético Total –VET de duas mil calorias por dia e deverão corresponder a faixa de 30. jantar e ceia) deverão conter de seiscentas a oitocentas calorias. II .40% (trinta a quarenta por cento) do VET diário.PAT I .as refeições menores (desjejum e lanche) deverão conter de trezentas a quatrocentas calorias.as refeições principais (almoço.20 % (quinze a vinte por cento) do VET diário.

PAT Resumo REFEIÇÃO Kcal % Acréscimo Kcal % Desjejum/lanche Almoço/jantar/ ceia VCT 300 a 400 600 a 800 2000 15 a 20 30 a 40 60 a 80 120 a 160 400 20 20 20 .

fibra e sódio: Refeições Carboidratos(%) Proteínas(%) desjejum/ lanche gorduras totais(%) 25 gorduras saturadas(%) Fibras(g) <10 4-5 Sódio(mg) 360-480 60 15 Almoço/jantar/ ceia 60 15 25 <10 7-10 720-960 IV . .o percentual protéico .as refeições principais e menores deverão seguir a seguinte distribuição de macronutrientes.PAT III .calórico (NdPCal) das refeições deverá ser de no mínimo 6% (seis por cento) e no máximo 10% (dez por cento).

desde que não seja substituída a declaração dos nutrientes solicitados como obrigatórios. § 5º A análise de outros nutrientes poderá ser realizada. de sugestão de cardápio saudável aos trabalhadores. § 6º Independente da modalidade adotada para o provimento da refeição. inclusive mediante a disponibilização. . em local visível ao público. a pessoa jurídica beneficiária poderá oferecer aos seus trabalhadores uma ou mais refeições diárias. em conformidade com o § 3° deste artigo.PAT § 4º Os estabelecimentos vinculados ao PAT deverão promover educação nutricional.

em cumprimento às exigências laborais. desde que baseado em estudos de diagnóstico nutricional. os índices de NdPCal e percentuais de macro e micronutrientes poderão deixar de obedecer aos parâmetros determinados nesta Portaria. em benefício da saúde do trabalhador. com exceção do sódio e das gorduras saturadas. .PAT § 7º O cálculo do VET será alterado. II e III do § 3º deste artigo. § 8º Quando a distribuição de gêneros alimentícios constituir benefício adicional àqueles referidos nos incisos I.

PAT § 9º As empresas beneficiárias deverão fornecer aos trabalhadores portadores de doenças relacionadas à alimentação e nutrição. § 10. . para tratamento de suas patologias. devendo ser realizada avaliação nutricional periódica destes trabalhadores. uma porção de frutas e uma porção de legumes ou verduras. Os cardápios deverão oferecer. jantar e ceia) e pelo menos uma porção de frutas nas refeições menores (desjejum e lanche). refeições adequadas e condições amoldadas ao PAT. nas refeições principais (almoço. devidamente diagnosticadas. pelo menos.

PAT § 11. que tem por compromisso a correta execução das atividades nutricionais do programa. visando à promoção da alimentação saudável ao trabalhador. § 12.” (NR) . O responsável técnico do PAT é o profissional legalmente habilitado em Nutrição. bem como as pessoas jurídicas beneficiárias na modalidade autogestão deverão possuir responsável técnico pela execução do programa. As empresas fornecedoras e prestadoras de serviços de alimentação coletiva do PAT.

NDPcal% = NPcalx100 VCT NPcal = NPUx4 NPU= PtnxFC ou utilização protéica líquida ou coeficiente de digestibilidade Origem animal =0.6 Cereais = 0.PAT O Percentual protéico .calórico (NdPCal) das refeições deverá ser de no mínimo 6% (seis por cento) e no máximo 10% (dez por cento).5 NPcal = kcal da Proteína liquida calculada .7 Leguminosas = 0.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful