Você está na página 1de 47

Natação

Natação
 Natação é a actividade física do homem e de
outros animais que consiste em deslocar-se,
em meio liquido. A natação era originalmente
um meio de sobrevivência do homem, que em
tempos primitivos precisava fugir de animais
maiores ou caçar sua alimentação por entre
rios e lagos. Actualmente, nas suas várias
modalidades, pode ser vista com um método
de recreação e um desporto, sendo utilizada
para salvar pessoas do afogamento.
Natação
 Diversos animais possuem a habilidade de
natação por instinto, como é o caso do animal
(racional e irracional). Esse estilo tem
princípios básicos como a cabeça fora de água,
braços (patas anteriores) com ângulo próximo
de 90 graus e pernas (patas posteriores) em
leve flexão (realizando um movimento parecido
com pedalar).Este estilo de natação, em
Portugal, é chamado popularmente de “nadar à
cão”.
Natação
 Por movimentar praticamente todos os
músculos e articulações do corpo, a prática da
natação é considerada um dos melhores
exercícios físicos existentes.
História da Natação
 Desde a Grécia Platão afirmava que o homem
que não sabia nadar não era educado, sendo
este desporto muito popular no império.
Durante muitos séculos a natação teve o seu
desenvolvimento prejudicado pela ideia de
desenvolver epidemias.
História da Natação
 Somente na primeira metade do século XIX, 
começou a progredir como desporto,
realizando-se as primeiras provas em Londres,
em 1837, onde existiam seis piscinas. Várias
competições foram organizadas nos anos
seguintes e, em 1844, alguns nadadores norte-
americanos actuaram em Londres, vencendo
todas as provas. Até então, o estilo
empregado era uma braçada de peito,
executada de lado.
História da Natação
 Mais tarde, para diminuir a resistência da
água, passou-se a levar um dos braços à frente
pela superfície, num estilo que recebeu o nome
de single overam stroke. Nova modificação
deu lugar ao double overarm, em que os braços
eram levantados para frente, alternadamente.
História da Natação
 Esse estilo foi aperfeiçoado em 1893 por um inglês, J.
Arthur Trudgen, ao aplicar observações que fizera
com nativos da América do Sul, daí a denominação
Trudgen. O movimento de pernas, porém, continuava a
ser golpe de tesoura, que evoluiu quando outro inglês,
Frederick Cavill, emigrando para a Austrália, observou
que os indígenas nadavam com as pernas agitadas em
planos vertical, à superfície da água. Adoptou o estilo
(crawl australiano), com o qual seu filho Richard, em
1900, bateu o recorde mundial das 100 jardas. Outro
filho de Cavill, Sidney, levou o crawl para os Estados
Unidos, onde Daniele o aperfeiçou, criando o crawl
americano.
História da Natação
 A natação insere-se dentro dos desportos aquáticos. O objectivo
de uma competição de natação é determinar qual o nadador mais
rápido. Existe uma série de regulamentos acerca das
competições da natação. A regra básica separa o modo pelo qual
o atleta ganha impulso na água em quatro estilos diferentes.
Estilos de natação
 1.Crawl
 2.Costas
 3.Bruços/Peito
 4.Mariposa/borboleta (ou golfinho)
 5.Medley (os quatro estilos de nado em sequência)
 6.Estafetas
1.Crawl
1.Crawl
 Em competições oficiais a modalidade crawl não
existe, tem o nome de "Nado Livre", (freestyle)
podendo este tipo de modalidade ser competido com
qualquer estilo. Como o crawl é o estilo potencialmente
mais rápido, os nadadores geralmente o escolhem; O
"crawl" é um estilo difícil que exige um bom controlo
dos movimentos.
1.Crawl
1.1.Partida
A partida neste estilo é efectuada através de salto.
Ao apito prolongado do Arbitro, devem subir para o
bloco de partida e aí ficar.
À voz "Aos seus lugares" todos os atletas devem
colocar-se em posição de partida, tendo em conta que um
dos pés deverá estar na frente do bloco. A posição das
mãos é irrelevante.
Quando todos os nadadores tiverem imobilizados, o
arbitro de partidas dará o sinal de partida.
1.Crawl
1.2.Técnica
Exige uma elevada coordenação de movimentos.
Os braços entram e saem da água
alternadamente, enquanto as pernas executam
movimentos verticais alternados: permanecem
esticadas no movimento ascendente e
ligeiramente flectidas no descendente.
A respiração, geralmente, é feita a cada 2
braçadas, respirando sempre para o mesmo lado. Se for
feita, a cada 3 braçadas, a respiração feita é alternada.
1.Crawl
1.3.Viragem
Ao aproximar-se da parede, o nadador inicia o processo
de viragem, ou cambalhota.
O nadador roda sobre o seu corpo.
Toca com os dois pés na parede, que depois o
impulsionarão para retomar o nado normal.
2.Bruços
2.Bruços
 "Bruços" é o mais lento dos quatro estilos, porque é
baseado na rapidez dos movimentos efectuados com
os braços e com as pernas. Ao nadar o corpo fá-lo
como uma rã: quando se dá o movimento dos braços, as
pernas estão esticadas e quando os braços voltam, as
pernas dão um "pontapé", as duas ao mesmo tempo.
2.Bruços
2.1.Partida
A partida neste estilo é efectuada através de salto. Ao
apito prolongado do Arbitro, devem subir para o bloco
de partida e aí ficar. À voz "Aos seus lugares" todos os
atletas devem colocar-se em posição de partida, tendo
em conta que um dos pés deverá estar na frente do
bloco. A posição das mãos é irrelevante. Quando todos
os nadadores tiverem imobilizados, o arbitro dará o
sinal de partida.
2.Bruços
2.2.Técnica
Ao nadar o corpo fá-lo como uma rã: quando se dá o
movimento dos braços, as pernas estão esticadas e
quando os braços voltam, as pernas dão um "pontapé", as
duas ao mesmo tempo.
2.Bruços
2.3.Viragem
A viragem de bruços é feita através de uma técnica com
uma realização razoavelmente fácil de fazer. O nadador ao
aproximar-se da parede toca com as duas mãos na mesma.
Depois disso solta uma das mãos de modo a efectuar uma
rotação do corpo. Os pés depois encontram-se na parede e a
realização da rotação vão impulsionar o nadador de modo a
iniciar o nado “normal”.O nadador pode ainda fazer uma
braçada subaquática.
3.Costas
3.Costas
 Estilo costas tem uma técnica semelhante ao crawl,
excepto que é praticado com as costas voltadas para o
fundo da piscina. O corpo deve estar o mais horizontal
possível e os movimentos são muito semelhantes, as
pernas batem em movimento alternado e os braços
rodam um de cada vez. Como se vai de costas é difícil
ver para onde se está a ir, por isso é que existem
bandeirinhas por cima das piscinas!
3.Costas
3.1.Partida
A partida neste estilo é efectuada dentro de água.
Quando o arbitro apitar, prolongadamente, os nadadores
deverão entrar imediatamente na água. À segunda
apitadela longa, os nadadores deverão colocar-se, sem
demora indevida, na posição de partida. Após isto, o
arbitro de partida dará a voz "Aos seus lugares”.
Quando todos os nadadores tiverem imobilizados, o
arbitro dará o sinal de partida.
3.Costas
3.2.Técnica
Costas é muito parecido com Crawl, mas neste caso a
parte ventral vai voltada para cima. O corpo permanece
na horizontal, e o movimento dos braços tal como o das
pernas é alternado. Nesta situação, as pernas flectem no
movimento ascendente.
3.Costas
3.3.Viragem
Neste estilo, existem 2 viragens
possíveis:
 (cambalhota para trás) volta sobre
o eixo transversal do corpo,
provocada pelo lançamento dos pés
para cima, ou seja, para fora de
água. É desnecessário, actualmente,
tocar a parede com a mão antes da
Viragem (figura ao lado).
 O nadador vai em costas, próximo
da parede coloca a parte ventral
virada para baixo e efectua a
viragem de crawl, com respectiva
saída de costas.
4.Mariposa
4.Mariposa
 A "mariposa" é o mais recente dos quatro estilos e
pensa-se que é o segundo mais rápido. É preciso ter
muita força e fôlego e conseguir mover muito bem os
braços e as pernas (o "batimento de golfinho"). Como
a cabeça está totalmente dentro de água, é a força
que fazemos com os braços que nos ajuda a levantá-la
para respirar
4.Mariposa
4.1.Partida
A partida neste estilo é efectuada através de salto. Ao
apito prolongado do Arbitro, devem subir para o bloco
de partida e aí ficar. À voz "Aos seus lugares" todos os
atletas devem colocar-se em posição de partida, tendo
Em conta que um dos pés deverá estar na frente do
bloco. A posição das mãos é irrelevante. Quando todos
os nadadores tiverem imobilizados, o arbitro dará o sinal
de partida.
4.Mariposa
4.1.Técnica
Exige muita força. Ao contrário de crawl, na
mariposa, os braços efectuam o mesmo movimento ao
mesmo tempo. As pernas efectuam o denominado
batimento de golfinho, isto é, batem como se fossem
apenas um. A respiração, em regra, é feita a cada
braçada. No entanto, pode ser feita a cada duas, três ou
mais braçadas, conforme o atleta se sentir mais à
Vontade.
4.Mariposa
4.2.Viragem
O nadador toca na parede com as duas mãos ao mesmo
tempo. Solta uma, iniciando a rotação do corpo. Os pés
apoiados na parede, provocam uma impulsão. O nadador
após alguns batimentos de pernas subaquáticos inicia o
nado normal.
5.Medley
 A prova de estilos é a modalidade que engloba os
diferentes estilos.
5.Medley
5.1.Partida
A partida neste estilo é efectuada através de salto. Ao
apito prolongado do arbitro, devem subir para o
bloco de partida e aí ficar. À voz “Aos seus lugares ”
todos os atletas devem colocar-se em posição de
partida, tendo em conta que um dos pés deverá estar na
frente do bloco. A posição das mãos é irrelevante.
Quando todos os nadadores tiverem imobilizados, o
arbitro dará o sinal de partida.
5.Medley
5.2.Técnica
Para ser um bom nadador na prova de estilos, é preciso
ter a técnica dos diferentes estilos. Alguns dos
nadadores são mais fortes num determinado estilo, ele
ganhará vantagem nesse. No restantes, tentará manter
ou não perder demasiado.
Os diferentes estilos são nadados na seguinte ordem:
- Mariposa (Butterfly)
- Costas (Backstroke)
- Bruços (Breaststroke)
- Crawl (Freestyle)
Se assim não acontecer, dá direito a desclassificação.
Todos são nadados nas mesmas quantidades. Prova de
100 metros estilos, terá 25 m de cada. Ou seja, o total
de metros da prova a dividir por 4 dará os metros de
cada estilo.
5.Medley
5.3.Viragem
Já que a técnica necessária para esta prova é a técnica
de todas, a viragem não foge à regra, portanto as
viragens efectuados nesta prova são de todos os estilos.
Se formos num determinado estilo, a viragem a efectuar
é a desse estilo.
6.Estafetas
 Não é um estilo de natação, mas é praticada
recorrendo aos diversos estilos, por isso uma breve
referência a ela .A prova de estafetas é uma prova feita
por quatro elementos, que nadam a mesma distância. É a
única prova que não é feita individualmente.
6.Estafetas
6.1.Partida
Estafetas Livres:
A partida neste estilo é efectuada através de salto. Ao
apito prolongado do arbitro, devem subir para o
bloco de partida e aí ficar. À voz "Aos seus lugares “
todos os atletas devem colocar-se em posição de
partida, tendo em conta que um dos pés deverá estar na
frente do bloco. A posição das mãos é irrelevante.
Quando todos o nadadores tiverem imobilizados, o
Arbitro dará o sinal de partida.
6.Estafetas
6.2.Partida
Estafetas Estilos:
A partida neste estilo é efectuada dentro de água.
Quando o arbitro apitar, prolongadamente, os
nadadores deverão entrar imediatamente na água. À
segunda apitadela longa, os nadadores deverão colocar
se, sem demora indevida, na posição de partida. Após
isto, o arbitro dará a voz "Aos seus lugares”.
Quando todos os nadadores tiverem imobilizados, o
arbitro dará o sinal de partida. O próximo
atleta a entrar em prova, só o pode fazer, quando o
anterior tocar com a mão na parede. Se assim não
acontecer, a equipa é desclassificada
6.1.Técnica
6.Estafetas
Existem 2 tipos de estafetas:
- Livres
- Estilos
Estafeta Livre: 4 atletas nadam crawl, usando a técnica
para este estilo.
Estafeta estilos: cada atleta nadará, em regra, naquele
estilo que se sente mais à vontade. Neste caso, os
diferentes estilos são nadados na seguinte ordem:
- Costas (Backstroke)
- Bruços (Breaststroke)
- Mariposa (Butterfly)
- Crawl (Freestyle)
Se assim não acontecer, dá direito a desclassificação.
Todos são nadados nas mesmas quantidades e cada
atleta nada o mesmo que os outros.
6.Estafetas
6.3.Viragem
Estafeta Livre:
- Viragem de crawl
Estafeta Estilos:
- Viragem de acordo com o estilo nadado
Curiosidades sobre este
desporto:
« A oitava sinfonia de Michael Phelps »
« A oitava sinfonia de Michael Phelps »
Inédito. Recorde mítico de Mark Spitz quebrado ao fim de 36 anos
Queria ficar com uma recordação da derrota. Há derrotas que valem a pena
recordar com orgulho. Era a última oportunidade de estar com Michael
Phelps no Cubo de Água de Pequim e assim que ambos saíram da piscina
tentou aproveitá-la. Aproximou-se do norte-americano e sugeriu-lhe que
trocassem de toucas, porque perder com ele não é perder com o melhor, é
perder com o melhor de todos os tempos. Phelps sorriu, mas com a cabeça
disse que não podia oferecer-lhe o prémio de consolação. O momento era
demasiado histórico para ele: acabava de bater o mítico recorde de Mak
Spitz e de se consagrar como o atleta olímpico que mais medalhas
conquistou numa só edição (oito, todas de ouro). Além disso, aquela touca
conclui um puzzle que o menino de Baltimore há muito sonhava completar.
Porque de Pequim, Michael Phelps guardou tudo - cada fato LZR, cada par
de óculos, cada fato de treino, cada robe, cada par de chinelos, cada touca.
Tudo.

(...)
« A oitava sinfonia de Michael Phelps »

Gosta de rap e hip pop, mas as suas prestações em


Pequim foram autênticas sinfonias: 17 corridas em nove
dias, sete recordes do mundo e oito medalhas de ouro.
Deve chegar para esclarecer os colegas que o gozavam e
com quem chegou a andar à porrada: "Então, ó Orelhas
Grandes, estás a olhar para onde?" Agora, já sabem,
estava a olhar o futuro e a sonhar em ser o melhor
nadador do mundo de todos os tempos. Conseguiu-o
ontem, depois de anos de sacrifício, momentos de sorte
e muito, muito talento.
Bibliografia
 http://pt.wikipedia.org/wiki/nata%C3%A7%C
3%A3o
 http://www.enciclopedia.com.pt/readarticle_i
d=430
 http://dn.sapo.pt
Natação
Trabalho elaborado para a disciplina de
Educação Física por:

Inês Neto Reis nº11 9ºA


Fim

Você também pode gostar