TRANSTORNOS ANSIOSOS INFANTIS

andreialigia@hotmail.com

ANSIEDADE
• Sentimento vago e desagradável de medo e apreensão, caracterizado por tensão, estado de alerta contínuo, desconforto global e expectativa de algum perigos. • As crianças podem não ter uma crítica acurada sobre a possibilidade de seus medos serem exagerados ou irracionais. • A causa dos transtornos ansiosos infantis é muitas vezes desconhecida e provavelmente multifatorial, incluindo fatores hereditários e ambientais.

• A compreensão do quadro pelos profissionais pode melhorar bastante o prognóstico destas crianças. e a ansiedade patológica é um problema clínico freqüente nesta faixa etária.INTRODUÇÃO • Sintomas de ansiedade são comuns em crianças e adolescentes. .

na medida em que serve de resposta adaptativa em muitas situações adversas. ou que há um perigo em potencial.INTRODUÇÃO • O medo é uma emoção fisiológica. . que nos avisa quando algo está errado. • É importante na conservação da espécie.

Os sintomas de ansiedade persistem por um tempo inadequado.QUANDO TRATAR A criança apresenta sintomas que excedem o que seria esperado no desenvolvimento. Os prejuízos devem ser contabilizados incluindo a dinâmica familiar. Há significativo prejuízo nas vida desta criança. .

. ansiedade de separação • Transtorno de Pânico • Transtornos fóbicos • Fobia social • Fobias específicas • Transtorno de Ansiedade Generalizada.ANSIEDADE NA INFÂNCIA • T. • Transtorno de Estresse Pós-traumático.

• A criança deve apresentar algum sofrimento significativo ou prejuízo social. escolar ou de outra área importante de sua vida.T. . Ansiedade de Sepração • Há ansiedade diante da separação ou perspectiva de separação da figura de mais contacto afetivo (normalmente a mãe).

• Recusa em ir à escola. náuseas. relutância em dormir sozinha ou longe dos pais.OUTROS SINTOMAS • Preocupação fora da realidade com algo de mal que possa acontecer a si mesma ou aos pais. vômitos) nos momentos de separação. • Queixas físicas (cefaléias. . dores de estômago.

de ladrões. provocando conflito na família. O transtorno pode preceder o desenvolvimento de Transtorno de Pânico. Podem queixar-se de que ninguém gosta delas e afirmar que desejariam estar mortas. carinho e amor se transformam em uma fonte de frustração para os pais. pode haver retraimento. seqüestradores. As exigências da criança em relação à atenção. estudo ou em brincadeiras. • • . acidentes automobilísticos. Preocupações com a morte e o morrer são comuns. apatia. etc. Podem ter medo de animais. justificando um diagnóstico adicional de Transtorno Distímico ou Transtorno Depressivo Maior. do escuro. bandidos. Um humor depressivo em geral está presente nos portadores de Transtorno de Ansiedade de Separação. monstros. tristeza ou dificuldade para concentrar-se no trabalho.OUTROS SINTOMAS • • • • Fora de casa.

EPIDEMIOLOGIA • Não totalmente esclarecida. . • Parece mais frequente em préadolescentes. • Parece acometer mais meninas. podem recusar ir à escola e apresentar queixas físicas. • Pode haver pesadelos sobre separação. nas crianças mais velhas.

TRATAMENTO • • • • Psicoterapia cognitivo-comportamental Intervenções familiares Abordagem com a escola. Quando os sintomas são graves e incapacitantes – farmacoterapia pelo menor tempo possível • Antidepressivos tricíclicos – ainda não bem estudados • Inivbidores da recaptação de serotonina – fluvoxamina e fluoxetina – mais recomendados • Benzodiazepínicos – ter cuidado com dependência .

• Ocorre excessiva preocupação sobre aspectos diferentes de suas vidas. com o que vestirão no dia seguinte. normalmente sobre temas de preocupação mais apropriados aos adultos. como se sairão numa prova ou qual a área que escolherão na universidade.TRANSTORNO DE ANSIEDADE GENERALIZADA • Ocorre em crianças com idade maior. • Preocupam-se com temas como a própria competência. • Apresentam ainda mais sintomas que as crianças com TAS. .

TRANSTORNO DE ANSIEDADE GENERALIZADA • As preocupações com a sua competência costumam se acompanhar de perfeccionismo ou um desejo exagerado de sobressair na escola. • Talvez em decorrência destas características estas crianças costumam mostrar um grau acentuado (incomum para a idade) de autoconscientização. nas relações sociais e na aparência física. esses sintomas juntamente com a própria ansiedade. a produz sofrimento significativo e comprometimento de suas funções cotidianas . inclusive cefaléias. chegando. nos esportes. • São comuns as queixas somáticas. desconforto gastrintestinal e tensão muscular.

Faz-se um acordo com a criança e seus pais de que as perguntas exageradas não receberão resposta.em estudos abertos.participam ativamente dessa terapia com crianças. . sobre o que causa a ansiedade e mudanças no comportamento ansioso . ao contrário do que é feito com adultos que têm o mesmo transtorno. com os ISRS sertralina. com reasseguramento à criança da necessidade disso para diminuir seu sofrimento. • Psicofarmacoterapia . • Abordagem familiar . especificamente.TRATAMENTO • TCC – consiste em provocar uma mudança na maneira alterada de perceber e raciocinar sobre o ambiente e. fluvoxamina e fluoxetina mostram a eficácia a curto prazo desses ISRS. observou-se melhora significativa dos sintomas.

com preocupação persistente de vir a ter novos ataques. sudorese. aglomerações como entrada/saída da escola.). tremores). etc.TRANSTORNO DE PÂNICO • Ataques de pânico (medo intenso de morrer. • Alguns pacientes desenvolvem agorafobia (esquiva de situações/locais de difícil saída em caso de mal-estar ou ataque de pânico: locais fechados como cinemas. dor abdominal. • Pouco observado em crianças pequenas. associado a inúmeros sintomas autonômicos. tontura. falta de ar. como taquicardia. . sua freqüência aumenta bastante no final da adolescência. dor no peito.

• TCC – tratamento de escolha. • Diversos estudos abertos reforçam o uso dos ISRS ou de benzodiazepínicos como tratamento medicamentoso do TP na infância e adolescência. . que inclui exposição à situação fóbica.TRATAMENTO • Poucos estudos controlados. reestruturação cognitiva e treino de relaxamento.

TRANSTORNOS FÓBICOS • QUANDO DE PERFORMANCE SOCIAL: • FOBIA SOCIAL • QUANDO DE OBJETOS OU ANIMAIS: • FOBIA ESPECÍFICA .

• Ao se deparar com a situação.FOBIA SOCIAL • Ocorre medo anormal e com sintomas físicos de situações em que a criança pode se sentir avaliada. comer em público etc. com falar em público. dores de barriga ou de cabeça etc. ocorre palpitações. sudorese. . falta de ar. • Muitas vezes a criança evita a situação – chama-se comportamento evitativo ou evitação fóbica.

. • FOBIA SOCIAL • TCC • FARMACOTERAPIA: Os ISRS ( fluoxetina. fluvoxamina) e alguns benzodiazepínicos (alprazolam) foram estudados com boa resposta na Fobia Social.TRATAMENTO • FOBIA ESPECÍFICA – TCC – exposição gradual do estímulo. modelagem etc. relaxamento.

agitação. como ameaça de morte ou abuso sexual. como inibição excessiva ou desinibição. além de pensamentos obsessivos com conteúdo relacionado à vivência traumática (em vigília e como conteúdo de pesadelos). reatividade emocional excessiva. . • Ocorre modificações de comportamento. sensação de impotência ou horror em conseqüência a exposição a trauma extremo.TRANSTORNO DE ESTRESSE PÓS-TRAUMÁTICO • Presença de medo intenso.

apresentam uma dificuldade a mais. como freqüentemente acontece com todos os transtornos ansiosos. Crianças. juntamente com comprometimento das atividades do paciente.TRANSTORNO DE ESTRESSE PÓS-TRAUMÁTICO • Observa-se. • O paciente evita falar sobre o ocorrido. especialmente as mais jovens. o que parece perpetuar os sintomas. que é a de compreender com clareza e discorrer sobre o ocorrido. comportamento de esquiva a estímulos associados ao evento traumático. comumente. .

TRATAMENTO • TCC • PSICOTERAPIA DINÂMICA BREVE • FARMACOTERAPIA • Inibvidores da recaptação de serotonina primeira escolha • Antidepressivos tricíclicos – imipramina e amitriptilina • Propranolol .

CONCLUSÕES .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful