Você está na página 1de 14

Sabe-se que o Terceiro Setor está em pleno crescimento no mundo.

Segundo pesquisadores da John Hopkins University, dos Estados Unidos, o Terceiro Setor é a
oitava força econômica mundial, movimentando 1,1 trilhão de dólares por ano, gerando
aproximadamente 10,4 milhões de empregos. O economista Lester Salamon, da mesma
universidade, coordenou uma pesquisa em 22 países, incluindo o Brasil, que concluiu que o
segmento gira 1,1 trilhão de dólares, empregando 19 milhões de pessoas, excluindo-se os
voluntários. Esta pesquisa levantou o perfil do Terceiro Setor no Brasil, em pessoal ocupado por
área de atuação:
ORGANIZAÇÕES OU ENTIDADES SEM FINS LUCRATIVOS: é um referencial jurídico utilizado
para qualificar o estatuto legal da organização, sendo reconhecidas como pessoas jurídicas de
direito privado, diferenciadas das sociedades mercantis, pelos fins econômicos.

INSTITUTO E FUNDAÇÃO: No plano legal, os institutos correspondem a personalidades


jurídicas denominadas associações, que são entidades criadas necessariamente a partir de idéias
e esforços de mais de uma pessoa, em torno de um propósito que não tenha finalidade lucrativa.
Uma fundação é um patrimônio destinado a servir, sem intuito de lucro, a uma causa de
interesse público determinada, que admite ser constituída a partir de um instituidor único ou de
vários instituidores em conjunto. As fundações são instituídas a partir de uma dotação de bens de
um patrimônio para servira uma causa predefinida. As fundações encontram-se sujeitas ao
controle do Ministério Público.

FILANTROPIA EMPRESARIAL: é constituída por programas realizados ou patrocinados por


empresas para ajudar a resolver problemas que elas consideram prioritários. Temos atualmente
diversas empresas que mantém algumas fundações tais como: Bradesco, Odebrech, Roberto
Marinho, D Pascoal, Abrink, Feac, etc.
No aspecto legal, as orgenizações do
terceiro setor, que são pessoas jurídicas de
direito privado , podem ser constituídas
como Associações ou fundações.
Formação qualificada/Assessoria: as ONGs centram suas forças principalmente nassas áreas:
40,6%trabalham na função pedagógica de qualificação de pessoal e 36% abordam a temática
Educação. Esses temas são priorizados devido à enorme carência de educação na sociedade
moderna e à crescente necessidade dessa para um posicionamento no mercado de trabalho.

Desenvolvimento/ Promoção Social: corresponde a cerca de 29,50% das ONGs.


Desenvolvimento Rural: 15,78%.
Saúde: mais de um quinto de todas as ONGs prestam algum tipo de serviço de saúde, devido a
sua grande importância.
Mulher: é objeto de trabalho específico de 11,58% de todas as ONGs.
Meio - Ambiente: 18,12% de organizações trabalham nessa área, que se encontra em
crescente expansão.
Comunicação: cerca de 18,58% de organizações.
Direitos Humanos: 8,70% do total, variando de região para região.
“O futuro das Organizações – e nações –
dependerá cada vez mais de sua
capacidade de aprender coletivamente.”
(Peter Senge)
Quanto ao campo de atuação, estes subdividem-se em:

Criminalidade/Violência/Drogas: na América Latina, ao contrário dos países anglo-saxões, essa temática vem
merecendo pouca atenção: menos de 1% das ONGs trabalham nesse campo, o que merece questionamento frente à
grande importância desse assunto.

Negros e Índios: apenas no Brasil trabalha-se nessa área, onde 5,5% do total de ONGs estão voltadas para esse
tema.

Formação qualificada/Assessoria: as ONGs centram suas forças principalmente nassas áreas: 40,6%trabalham
na função pedagógica de qualificação de pessoal e 36% abordam a temática Educação. Esses temas são priorizados
devido à enorme carência de educação na sociedade moderna e à crescente necessidade dessa para um
posicionamento no mercado de trabalho.

Desenvolvimento/ Promoção Social: corresponde a cerca de 29,50% das ONGs.

Desenvolvimento Rural: 15,78%.

Saúde: mais de um quinto de todas as ONGs prestam algum tipo de serviço de saúde, devido a sua grande
importância.

Mulher: é objeto de trabalho específico de 11,58% de todas as ONGs.

Meio - Ambiente: 18,12% de organizações trabalham nessa área, que se encontra em crescente expansão.

Comunicação: cerca de 18,58% de organizações.

Direitos Humanos: 8,70% do total, variando de região para região.

Projetos de Financiamento: (para microempresas, camponeses, setores informais) são matéria para 8,64% das
ONGs da região. Se compararmos o número de ONGs que trabalham com Créditos e Finanças com ONGs que
abordam os Direitos Humanos, veremos que quanto maior o interesse por um, menor por outro:
Grupos Beneficiários das ONGs Ref. Trabalho ( MILHÕES )

Trabalhadores rurais 20,3


Comunidade 32,1
Associações Civis 16,2
Trabalhadores 7,5
Crianças e Jovens 22,0
Pobres 13,4
Micro – empresas 4,2
Mulheres 15,1
Outros 6,7
Profissionais Liberais 2,7
Grupos étnicos 3,0
ONGs 5,0
Migrantes 2,4
Marginalizados 1,7
Terceira Idade 1,4

Fonte: Coleção de Diretórios


Requisitos e vantagens para organizações não-governamentais

FUNDAÇOES são patrimônios com objetivo de servir , uma causa de interesse


publico determinada, com fins específicos religiosos, morais , culturais o de
assistência. Como vê-se:
Instituto
Categoria atribuída a entidades de diversas áreas, como literária, artística,
científica, política, beneficente, entre outras. Desta forma, implica na significação
do regime particular imposto à entidade, em virtude das regras em que foi
formatada, podendo constituir uma instituição de qualquer um dos setores da
sociedade.
EX: Instituto Ambiental do Paraná (1o. Setor) | Instituto Ecoplan (3o. Setor)

Requisitos:
Não remunerar dirigentes
Não distribuir seu patrimônio e rendas

Aplicar em serviços gratuitos pelo menos 20% da receita com a venda de serviços e
mais a receita obtida com doações particulares, locação e venda de bens, num
montante nunca inferior ao da isenção de contribuições

Escrituração de receitas e despesas.

Vantagens:
Isenção dos impostos
Isenção da cota patronal do INSS*
Isenção das seguintes contribuições: Cofins*, CSLL e sobre a movimentação
financeira (CPMF)
Organizações da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip)
Surgiu em 1998 , como conceito diferenciado e uma nova forma de atuação entre o Estado e as
chamadas entidades sem fins lucrativos, - o Contrato de Gestão , para a consecução dos
objetivos de ambas as partes.

Requisitos:
Dedicar-se à pelo menos uma das seguintes áreas: assistência social, saúde gratuita,
educação, cultura, meio ambiente, desenvolvimento econômico e social, combate à
pobreza, sistemas alternativos de produção, comércio, emprego e crédito, cidadania,
direitos humanos, democracia, pesquisas, tecnologia ou ciência

Prestação de contas dos gastos de dinheiro público

Balanço patrimonial assinado por contador

Declaração de isenção do imposto de renda

Inscrição no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica


A Administração ser composta pó 20 a 40% de membros natos representantes do
poder público, definidos no estatuto.

Vantagens:
Isenção de imposto de renda, da Contribuição ao Fundo de Investimento Social
(Cofins) e da Contribuição sobre o Lucro Líquido

Podem remunerar seus dirigentes e prestadores de serviços, que gozam de isenção


de imposto de renda
O LUCRO NO TERCEIRO SETOR

A fonte de receita do primeiro setor de corre da tributação das atividades das


atividades econômicas das pessoas físicas ou jurídica;
O segundo setor (mercado) distribui dividendos como forma de remunerar o
capital investido.
As organizações do terceiro setor possuem características diferente das demais;
não distribuem lucro, como no setor privado, nem estão sujeitas ao controle
estatal, como no setor público.
Mas não ter fins lucrativos não significa, de modo algum, ter receitas limitadas aos
custos operacionais. Elas na verdade podem e devem ter sobras financeiras, até
para que possasm progredir, ampliando e modernizando suas intalaçoes. É o que
acontace com o Pajuçara Social , a procura dos outros setores e de outras ONGs
vem aumentado consideravelmente , e por isso não nos cabe mais um papel
apenas de ser a empresa modelo em RSE e ter ações isolades de cunho
educacional,, o destino agora é uma organização transformadora da comunidade
em que está inserida.