Você está na página 1de 117

DIAGNÓSTICO DAS LEUCEMIAS

SÉRGIO LUIZ BACH

INTRODUÇÃO GERAL:
• LEUCEMIA É DOENÇA NEOPLÁSICA
CARACTERIZADA POR UM DESCONTROLE DE PROLIFERAÇÃO CELULAR.

MEDULA ÓSSEA:

CLASSIFICAÇÃO: • BASEADA NO PREDOMÍNIO CELULAR. • AGUDAS • CRÔNICAS .

• GENÉTICA.ETIOLOGIA: • IRRADIAÇÃO. • INFECÇÕES VIRAIS. . • DROGAS QUIMIOTERÁPICAS. • DOENÇAS NEOPLÁSICAS.

SINTOMAS: • RELACIONADOS A INTENSA PROLIFERAÇÃO CELULAR NA MEDULA ÓSSEA. • CARACTERÍSTICO PARA CADA TIPO DE LEUCEMIA. .

. • IMUNOFENOTIPAGEM. • PROVAS CITOQUIMICAS. • PUNÇÃO DE MEDULA ÓSSEA. • BIÓPSIA DE MEDULA ÓSSEA. • CITOGENÉTICA.DIAGNÓSTICO: • HEMOGRAMA.

. FÍGADO. LINFONODOS. GENGIVA. SNC. • TRATAMENTO. PELE. • EVOLUÇÃO DA DOENÇA.COMPLICAÇÕES: • INFILTRADOS EM BAÇO. ETC.

500 casos/ano (EUA) Relação homem/mulher 1.EPIDEMIOLOGIA: • • • • • • • Aproximadamente 31. .28:1. LMA: 32% dos casos LLC: 26% dos casos LMC: 15% dos casos LLA: 11% dos casos Não classificadas: o restante.

LEUCEMIA MIELÓIDE AGUDA ( LMA ) SÉRGIO LUIZ BACH .

. CARACTERIZADA PELA PROLIFERAÇÃO ANORMAL DAS CÉLULAS PROGENITORAS QUE PERDEM A CAPACIDADE DE MATURAÇÃO E/OU DIFERENCIAÇÃO.INTRODUÇÃO: • A LEUCEMIA AGUDA É UMA DOENÇA NEOPLÁSICA DO TECIDO HEMATOPOÉTICO.

000 NOVOS CASOS/ANO E 7.000 MORTES/ANO • REPRESENTA 80% DAS LEUCEMIAS AGUDAS EM ADULTOS • A INCIDÊNCIA AUMENTA COM A IDADE.INTRODUÇÃO – LMA: • 10. ATINGINDO UM PICO NA SEXTA DÉCADA DE VIDA • NÃO EXISTE UM FATOR GENÉTICO ASSOCIADO .

SINTOMAS: • INSUFICIÊNCIA MEDULAR • ANEMIA • TROMBOCITOPENIA • NEUTROPENIA • DORES ABDOMINAIS • DORES ARTICULARES .

DIAGNÓSTICO: • HEMOGRAMA (ASPECTO MORFOLÓGICO) • PUNÇÃO DE MEDULA ÓSSEA • BIÓPSIA DE MEDULA ÓSSEA • PROVAS CITOQUIMICAS • IMUNOFENOTIPAGEM • CITOGENÉTICA .

• 1985 GRUPO F.A. – MODIFICADA • LINHAGEM MIELÓIDE • LINHAGEM LINFÓIDE • CLASSIFICAÇÃO WHO .B.A.CLASSIFICAÇÃO: • 1975 GRUPO F.B.

• LMA-M0 • LMA-M1 • LMA-M2 • LMA-M3 • LMA-M4 • LMA-M5 • LMA-M6 • LMA-M7 INDIFERENCIADA SEM MATURAÇÃO COM MATURAÇÃO PROMIELOCÍTICA MIELOMONOCÍTICA MONOCÍTICA ERITRÓIDE MEGACARIOCÍTICA .CLASSIFICAÇÃO F.B.A.

.

.

.

DIAGNÓSTICO LMA: • HEMOGRAMA = PRESENÇA DE BLASTOS • LEUCOCITOSE (50.000/mm³). ANEMIA E • • • • • TROMBOCITOPENIA BASTONETES DE AUER MEDULA ÓSSEA > 20% MIELOBLASTOS PROVAS CITOQUIMICAS ESPECÍFICAS IMUNOFENOTIPAGEM CITOGENÉTICA .

PROVAS CITOQUIMICAS: • MIELOPEROXIDASE • SUDAM BLACK • ANAE • ANAE – FLUORETO DE SÓDIO • AZUL DE TOLUIDINA .

MIELOPEROXIDAE + .

MIELOPEROXIDASE + .

. • A IMUNOFENOTIPAGEM FOI UM GRANDE AVANÇO COMO AUXÍLIO DIAGNÓSTICO E PROGNÓSTICO E TAMBÉM NO TRATAMENTO DE INÚMERAS DOENÇAS HEMATOLÓGICAS.IMUNOFENOTIPAGEM: • A PRESENÇA DE ANTÍGENOS DE SUPERFÍCIE NAS CÉLULAS HEMATOPOÉTICAS TEM UM PAPEL IMPORTANTE NA IDENTIFICAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DA LINHAGEM E ESTADO MATURATIVO DESTAS CÉLULAS.

• O FENÓTIPO MALIGNO DA CÉLULA TRANSFORMADA É CARACTERIZADO POR PROLIFERAÇÃO DESCONTROLADA.CITOGENÉTICA: • LEUCEMOGÊNESE É UM PROCESSO EVOLUCIONÁRIO QUE ENVOLVE VÁRIOS EVENTOS GENÉTICOS E EPIGENÉTICOS INDEPENDENTES. . PROGRESSIVA PARADA DE MATURAÇÃO E DIMINUIÇÃO DA APOPTOSE.

CITOGENÉTICA: • O ESTUDO DAS ALTERAÇÕES CROMOSSÔMICAS NAS LEUCEMIAS É FUNDAMENTAL PARA SE DEFINIR CONDUTAS TERAPÊUTICAS E AVALIAÇÕES PROGNÓSTICAS DA DOENÇA .

LEUCEMIA MIELÓIDE AGUDA-LMA CLASSIFICAÇÃO CITOGENÉTICA PROGNÓSTICO LMA-M0 LMA-M1 (sem maturação) LMA-M2 (com maturação) LMA-M3 (promielocítica) LMA-M3 microgranular LMA-M4(mielomonocítica) LMA-M5 (monocítica) M5a M5b LMA-M6 (eritroleucemia) LMA-M7 (megacariocítica) t(9.17) t(11:17).22) (crianças) Ruim . 7qRuim t(1. t(5. -7.22). 5q-. inv(3) t(8.17) inv 16 t(11)(q23) del(11)(q23) Ruim Misto Bom Bom Bom Ruim? 5.21) t(15.

33 + CD34.LMA-MO • PREVALÊNCIA 03% • BLASTOS SEM DIFERENCIAÇÃO • MPO – (CITOQUIMICA) • IMUNOFENOTIPAGEM: CD13.117 + MPO + .

LMA-M0 .

LMA-M0 .

33 + CD34.117 + MPO + .LMA-M1 • PREVALÊNCIA 17% • BLASTOS SEM MATURAÇÃO • BASTONETES DE AUER + • MPO + (CITOQUIMICA) • IMUNOFENOTIPAGEM: CD 13.

LMA-M1 .

LMA-M1 .

LMA-M1 .

LMA-M1 .

LMA-M1 .

LMA-M1 .

LMA-M1 .

21) FOI A PRIMEIRA TRANSLOCAÇÃO IDENTIFICADA NO CÂNCER HUMANO (1972) COMPROMETIMENTO EOSINOFÍLICO .LMA-M2 • • • • • • • PREVALÊNCIA 32% BLASTOS COM MATURAÇÃO (grânulos) BASTONETES DE AUER + MPO + IMUNOFENOTIPAGEM: CD13.15 + t(8.33 + CD14.

LMA-M2 .

LMA-M2 (eosinofílica) .

LMA-M3 • • • • • • • PREVALÊNCIA 12% PROMIELÓCITOS LEUCÊMICOS.15 .CD34.CD13 + (100%) CITOGENÉTICA: t(15.17) CIVD . “FAGGOT CELL” VARIANTE MICROGRANULAR ASPECTO MORFOLÓGICO IMUNOFENOTIPAGEM: HLA-DR .

LMA-M3 .

LMA-M3 .

LMA-M3 .

LMA-M3 (citogenética) .

LMA-M3 (variante) .

LMA-M3 (variante) .

O.LMA-M4 • • • • • • • PREVALÊNCIA 23% BLASTOS MIELÓIDES / MONOCITÓIDES LINHAGEM MONOCITÓIDE < 20% M. ANAE + IMUNOFENOTIPAGEM: CD34 + (DIFÍCIL) CITOGENÉTICA: VARIANTE LMA-M4Eo INV(16) – (ABERRANTE CD2) COMPROMETIMENTO SNC .

LMA-M4 .

LMA-M4 .

LMA-M4 .

LMA-M5 • • • • • • • PREVALÊNCIA 06% LINHAGEM MONOCITÓIDE > 80% M.O.117 .64 ++ COMPROMETIMENTO EM SNC .CD14. SUBTIPO A: SEM MATURAÇÃO SUBTIPO B: COM MATURAÇÃO ANAE + IMUNOFENOTIPAGEM: CD33 + CD13 FRACO CD34.

LMA-M5 .

LMA-M5A .

LMA-M5B .

LMA-M6 • PREVALÊNCIA 04% • MEDULA ÓSSEA: > 50% PRECURSORES ERITRÓIDES > 30% MIELOBLASTOS (CNE) • IMUNOFENOTIPAGEM: CD71 + GLICOFORINA + .

.

LMA-M6 .

LMA-M7 • PREVALÊNCIA 02% • MORFOLOGICAMENTE DE DIFÍCIL DIFERENCIAÇÃO • IMUNOFENOTIPAGEM: CD41 + CD61 + .

.

LMA-M7 .

L.R.: .C.

LEUCEMIA MIELÓIDE CRÔNICA ( LMC ) SÉRGIO LUIZ BACH .

INTRODUÇÃO: • É UMA DOENÇA MIELOPROLIFERATIVA CLONAL RESULTANTE DA TRANSFORMAÇÃO MALIGNA DE UMA CÉLULA-TRONCO HEMATOPOÉTICA PLURIPOTENTE. MEGACARIOCÍTICA. LINFÓCITOS B E AS VEZES LINFÓCITOS T. QUE ENVOLVE AS LINHAGENS MIELÓIDE. ERITRÓIDE. .

• PREDOMINÂNCIA MASCULINA DE 1.4:1 .EPIDEMIOLOGIA: • AFETA ADULTOS JOVENS MAS A MAIOR INCIDÊNCIA DA DOENÇA OCORRE ENTRE A 5A E 6A DÉCADA DA VIDA.

000/mm³ • ANEMIA • NEUTROFILIA COM TODAS AS FORMAS MATURATIVAS MAS COM PREDOMÍNIO DE MIELÓCITOS A SEGMENTADOS.DIAGNÓSTICO: • LEUCOCITOSE > 100. • BASOFILIA .000/mm³ • TROMBOCITOSE > 600.

CITOGENÉTICA: Citogenética clássica: • Ph+ em 95% dos casos de LMC (análise de 20 a 30 células) • Ph– em 5% dos casos de LMC. A translocação críptica só é detectável por FISH ou PCR O Ph não é patognomônico da LMC! 25-50% das LLA de adulto 5% dos casos de LLA infantil 2% das LMA de adulto .

. • 2-10% DOS CASOS TÊM UMA TRANSLOCAÇÃO VARIANTE ENVOLVENDO O 9Q34 E O 22Q11 COM UM TERCEIRO OU MAIS CROMOSSOMOS.22) CLÁSSICA.CITOGENÉTICA: • 90-95% DOS PACIENTES COM LMC TÊM A T(9. • PACIENTES COM A TRANSLOCAÇÃO CLÁSSICA E VARIANTE SÃO CLÍNICA E HEMATOLOGICAMENTE SEMELHANTES.

.

.

.

BLASTOS NA MEDULA ÓSSEA: <10% . APRESENTANDO LEUCOCITOSE COM TODAS AS FASES DE MATURAÇÃO. DURAÇÃO DE 3-4 ANOS. COM EXPANSÃO CLONAL MIELÓIDE.FASES DA DOENÇA: • FASE CRÔNICA: FASE INICIAL.

FASE CRÔNICA. .

FASE CRÔNICA: .

FASE CRÔNICA: .

FASES DA DOENÇA: • FASE ACELERADA: PROGRESSIVA PARADA DE MATURAÇÃO CELULAR.O OU S. ≥20% BLASTOS + PROMIELÓCITOS NA M. ≥20% BASÓFILOS + EOSINÓFILOS NO SP. ≥10% BLASTOS NA MEDULA ÓSSEA OU SANGUE PERIFÉRICO. AUMENTO DE RESISTÊNCIA À TERAPIA E EVOLUÇÃO CITOGENÉTICA CLONAL. .P.

FASE ACELERADA: .

ESTÁ ASSOCIADA A UM MAU PROGNÓSTICO.FASES DA DOENÇA: • CRISE BLÁSTICA : 50% DOS CASOS SÃO BLASTOS MIELÓIDES. 30% BLASTOS LINFÓIDES (PRÉ-B) E 10% DE BLASTOS ERITRÓIDES. COM SOBREVIDA DE 3-6 MESES. E É CARACTERIZADA PELA PRESENÇA DE >30% DE BLASTOS NA MEDULA ÓSSEA OU NO SANGUE PERIFÉRICO OU POR INFILTRADO EXTRAMEDULAR DE CÉLULAS LEUCÊMICAS .

FASE BLÁSTICA: .

FASE BLÁSTICA: .

LEUCEMIA LINFÓIDE AGUDA ( LLA ) SÉRGIO LUIZ BACH .

CARACTERIZADA PELA PROLIFERAÇÃO ANORMAL DAS CÉLULAS PROGENITORAS QUE PERDEM A CAPACIDADE DE MATURAÇÃO E/OU DIFERENCIAÇÃO. .INTRODUÇÃO: • A LEUCEMIA AGUDA É UMA DOENÇA NEOPLÁSICA DO TECIDO HEMATOPOÉTICO.

INTRODUÇÃO:
• CLASSIFICADA F.A.B. EM L1, L2 E L3 • 80% LEUCEMIAS EM CRIANÇAS (2 A 5
ANOS) • PREVALÊNCIA COR BRANCA E SEXO MASCULINO

SINTOMAS:
• INSUFICIÊNCIA MEDULAR • ANEMIA • TROMBOCITOPENIA • NEUTROPENIA • DORES ABDOMINAIS • DORES ARTICULARES

DIAGNÓSTICO:
• HEMOGRAMA (ASPECTO MORFOLÓGICO) • PUNÇÃO DE MEDULA ÓSSEA • BIÓPSIA DE MEDULA ÓSSEA • PROVAS CITOQUIMICAS • IMUNOFENOTIPAGEM • CITOGENÉTICA

ANEMIA E TROMBOCITOPENIA • MEDULA ÓSSEA > 20% LINFOBLASTOS • PROVAS CITOQUIMICAS ESPECÍFICAS • IMUNOFENOTIPAGEM • CITOGENÉTICA .DIAGNÓSTICO LLA: • HEMOGRAMA = PRESENÇA DE BLASTOS • LEUCOCITOSE (50.000/mm³).

CITOQUIMICA: • PAS • FOSFATASE ÁCIDA • FOSFATASE ÁCIDA – TARTARATO • VERDE METIL PIRONINA .

• A IMUNOFENOTIPAGEM FOI UM GRANDE AVANÇO COMO AUXÍLIO DIAGNÓSTICO E PROGNÓSTICO E TAMBÉM NO TRATAMENTO DE INÚMERAS DOENÇAS HEMATOLÓGICAS.IMUNOFENOTIPAGEM: • A PRESENÇA DE ANTÍGENOS DE SUPERFÍCIE NAS CÉLULAS HEMATOPOÉTICAS TEM UM PAPEL IMPORTANTE NA IDENTIFICAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DA LINHAGEM E ESTADO MATURATIVO DESTAS CÉLULAS. .

.

19 + • sem marcadores de imunoglobulina LLA-B pré-B: imunoglobulina de cadeia pesada IgM LLA-B maduras: imunoglobulina de superfície .IMUNOFENOTIPAGEM: • LINHAGEM B • HLA-DR + TDt + • LLA-B precursoras: • CD10.

IMUNOFENOTIPAGEM: • LINHAGEM T • MARCADORES: TDt CD1.5.3.2.7 CD2 É O MAIS SENSÍVEL CD3 e 7 OS MAIS ESPECÍFICOS CD4 e CD8 + TDt + .

. COMO A T(12.CITOGENÉTICA: • QUASE 60% DOS PACIENTES COM LLA TÊM ABERRAÇÕES CITOGENÉTICAS DETECTADAS MICROSCOPICAMENTE.21). ESTA PERCENTAGEM É MUITO MAIOR QUANDO SÃO CONSIDERADAS AS TRANSLOCAÇÕES CRÍPTICAS.

Q32) T(2.22)(Q24.P13) T(9.CITOGENÉTICA: • TRANSLOCAÇÕES ENVOLVENDO OS LOCOS DO RECEPTOR DE ANTÍGENO (JUSTAPOSIÇÃO) T(8.11)(Q21.Q24) T(8.Q11) .8)(P12.Q23) T(1.14)(Q24.Q11) • TRANSLOCAÇÕES QUE CRIAM GENES FUSIONADOS T(4.19)(Q23.22)(Q34.

CITOGENÉTICA: • ABERRAÇÕES CROMOSSÔMICAS NUMÉRICAS: HIPERDIPLOIDIA (>50 CROMOSSOMOS): 25% NA LLA INFANTIL 6% NA LLA DE ADULTO HIPODIPLOIDIA (<46 CROMOSSOMOS): 5% TANTO NA LLA INFANTIL COMO NO ADULTO .

.

LEUCEMIA LINFÓIDE AGUDA • LLA-L1 • LLA-L2 • LLA-L3 BLASTOS HOMOGÊNEOS BLASTOS HETEROGÊNEOS BLASTOS COM CITOPLASMA BASÓFILO E VACUOLIZADO .

LEUCEMIA LINFÓIDE AGUDA LLA-L1 LLA-L2 CRIANÇAS 85% 14% ADULTOS 35% 60% LLA-L3 1% 5% .

LLA-L1 .

LLA-L1 .

LLA-L2 .

LLA-L2 .

LLA-L3 .

LEUCEMIA LINFOCÍTICA CRÔNICA ( LLC ) SÉRGIO LUIZ BACH .

• A GRANDE MAIORIA DOS CASOS ENVOLVENDO A PROLIFERAÇÃO DO CLONE DE CÉLULAS B.INTRODUÇÃO: • A LLC É UMA NOEPLASIA HEMATOLÓGICA CARACTERIZADA PELA PROLIFERAÇÃO E ACÚMULO DE LINFÓCITOS MADURAS NO SANGUE PERIFÉRICO. .

INTRODUÇÃO: • AFETA PACIENTES ACIME DE 50 ANOS • EM 50% DOS CASOS EXISTE ABERRAÇÃO CROMOSSÔMICA (TRISSOMIA 12) .

.

.

.

.R.L.C.

PROLINFOCÍTICA: • DIFERENCIAÇÃO: > 50% PROLINFÓCITOS CD22 + CD5 - .

.

.

HAIRY CELL
• DIFERENCIAÇÃO MORFOLÓGICA. • CITOQUIMICA:
FOSFATASE ÁCIDA – TARTARATO • IMUNOFENOTIPAGEM: CD19;20 + HLA-DR + CD5 -