Você está na página 1de 31

Curso CHR – Unidade Tijuca

Turma: Hardware – Professora : Vanini


Lima

IMPRESSORAS
Laser
Introdução
O termo impressora a jato de tinta descreve muito
bem o processo de trabalho: esse tipo de impressora
gera uma imagem sobre o papel usando minúsculos
jatos de tinta. A expressão impressora a laser, por
outro lado, é um pouco mais misteriosa. Como pode
um raio laser, um feixe altamente focalizado de luz,
escrever letras e desenhar fotografias sobre o
papel?
Eletricidade Estática
Um dos princípios do trabalho de uma impressora a
laser é a eletricidade estática, a mesma energia que
faz as roupas dentro de uma secadora grudarem
umas nas outras ou um raio se propagar de uma
nuvem de tempestade ao solo. A eletricidade
estática é uma carga elétrica acumulada em um
objeto isolado. Como átomos de cargas opostas
atraem uns aos outros, objetos com campos
elétricos opostos se agarram.
Trajeto de uma folha de papel através de uma
impressora a laser
Uma impressora a laser
usa esse fenômeno como
um tipo de "cola
temporária". O
componente essencial
desse sistema é o
fotorreceptor,
normalmente um tambor
ou cilindro rotativo. Esse
conjunto do tambor é feito
de um material
fotocondutor,
descarregado por fótons
de luz.
Tambor
Inicialmente, o tambor recebe uma carga positiva total
pelo fio corona de carga, fio pelo qual passa uma
corrente elétrica (algumas impressoras usam um rolo
carregado em vez de um fio corona, mas o princípio é o
mesmo). À medida que o tambor gira, a impressora faz
brilhar um minúsculo raio laser ao longo da superfície
para descarregar determinados pontos. Dessa maneira,
o laser "desenha" as letras e imagens que serão
impressas como um padrão de cargas elétricas: uma
imagem eletrostática. O sistema também pode trabalhar
com as cargas inversas, ou seja, uma imagem
eletrostática positiva sobre um plano de fundo negativo.
Tambor
Depois de estabelecer o padrão, a impressora
recobre o tambor com um toner (um pó fino e
preto) carregado positivamente. Como ele
possui uma carga positiva, o toner se agarra
às áreas negativas descarregadas do tambor,
mas não ao "plano de fundo" carregado
positivamente.
Tambor
Com o padrão de pó fixado, o tambor rola sobre uma folha de
papel que se move ao longo de uma cinta abaixo dela. Antes
que o papel role sobre o tambor, o papel recebe uma carga
negativa por meio do fio corona de transferência (rolo
carregado). Essa carga é mais forte do que a carga negativa
da imagem eletrostática e o papel em branco pode repelir o
pó do toner. Como o papel se move na mesma velocidade
que o tambor, ele capta exatamente o padrão da imagem.
Para impedir que o papel fique aderido ao tambor, ele é
descarregado pelo fio corona de desprendimento
imediatamente depois de captar o toner.
Tambor
Fusor
Finalmente, a impressora passa o papel pelo fusor,
um par de rolos aquecidos. À medida que o papel
passa por esses rolos, o pó de toner solto se funde,
unindo-se às fibras do papel. O fusor rola o papel
para a bandeja de saída e você tem a página
impressa. O fusor também aquece o próprio papel e
é por isso que as páginas sempre saem quentes de
uma impressora a laser ou de uma fotocopiadora.
Fusor
Fusor
E o que impede o papel de queimar?
Principalmente, a velocidade. O papel passa pelos
rolos tão rapidamente que não chega a se aquecer
em demasia.

Depois de depositar o toner sobre o papel, a


superfície do tambor passa pela lâmpada de
descarga. Essa luz brilhante expõe toda a superfície
fotorreceptora, apagando a imagem elétrica. A
superfície do tambor passa pelo fio corona de carga,
que reaplica a carga positiva.
Portas de Comunicação
Antes que uma impressora a laser possa fazer qualquer
coisa, ela precisa receber os dados da página e "definir"
como vai colocar tudo no papel. Esse é o trabalho do
controlador da impressora.
O controlador da impressora é o principal computador de
bordo da impressora a laser. Ele fala com o computador
hospedeiro (por exemplo, o seu PC) por meio de uma
porta de comunicação, como a porta paralela ou a porta
USB. No início do trabalho de impressão, a impressora a
laser determina, em conjunto com o computador
hospedeiro, a maneira pela qual trocarão dados. O
controlador pode ter que iniciar e parar a comunicação
com o computador hospedeiro periodicamente para
processar a informação que recebeu.
Portas de Comunicação
Em um escritório, uma impressora a laser provavelmente
será conectada a diversos computadores hospedeiros
para que múltiplos usuários possam imprimir
documentos a partir de suas máquinas. O controlador
manipula cada um separadamente, mas pode efetuar
muitas "comunicações" ao mesmo tempo. Essa
capacidade de manipular diversos trabalhos de uma vez
é uma das razões pelas quais as impressoras a laser
são tão populares.
Principais Linguagens
Para que o controlador da impressora e o computador
hospedeiro possam se comunicar, eles precisam falar a
mesma linguagem de descrição de página. Nas
impressoras mais antigas, o computador enviava um
tipo especial de arquivo de texto e um código simples
que fornecia as informações básicas à impressora.
Como essas primeiras impressoras dispunham somente
de poucas fontes, esse era um processo muito direto.

Hoje, você dispõe de centenas de fontes diferentes para


escolher e não precisa pensar duas vezes para imprimir
um trabalho gráfico complexo. Para lidar com todas
essas informações diferentes, a impressora precisa usar
uma linguagem mais avançada.
Principais Linguagens
As principais linguagens de comando de impressoras
atuais são a Printer Command Language (PCL), da
Hewlett Packard, e a Postscript, da Adobe. Ambas
descrevem a página na forma vetorial, ou seja, como
valores matemáticos de formas geométricas em vez de
uma série de pontos (uma imagem bitmap). A própria
impressora utiliza as imagens vetoriais e as converte em
uma página bitmap. Com esse sistema, a impressora
pode receber páginas elaboradas complexas que
apresentem qualquer tipo de fonte ou imagem. Além
disso, como a impressora cria sozinha a imagem bitmap,
ela mesma pode usar sua máxima resolução (em
inglês).
Principais Linguagens
Algumas impressoras usam um formato de interface de
dispositivo gráfico (GDI, em inglês) em vez de um
padrão PCL. Nesse sistema, o computador hospedeiro
cria ele mesmo a matriz de pontos, de modo que o
controlador não precisa processar nada: ele apenas
envia as instruções de pontos para o laser.

Porém, na maioria das impressoras a laser, o


controlador deve organizar todos os dados que recebe
do computador hospedeiro. Isso inclui todos os
comandos que informam à impressora o que fazer: que
papel usar, como formatar a página, como lidar com a
fonte, etc. Para o controlador trabalhar com esses
dados, ele deve recebê-los na ordem correta.
Configurando a Página
Assim que os dados estão estruturados, o controlador começa
a montar a página. Ele estabelece as margens do texto,
distribui as palavras e posiciona os gráficos. Quando a página é
configurada, o processador de rastreio da imagem processa os
dados da página, no todo ou em pedaços, e os transforma em
uma matriz de pontos minúsculos. A impressora necessita que
a página esteja nessa forma para que o laser possa gravá-la
sobre o tambor fotorreceptor.
Na maioria das impressoras a laser, o controlador salva todos
os dados do trabalho de impressão em sua própria memória.
Isso permite que o controlador coloque os diferentes trabalhos
de impressão em uma fila de espera (em inglês, queue), de
modo que ele possa lidar com eles um de cada vez. Isso
também poupa tempo quando se imprimem diversas cópias de
um documento, já que o computador hospedeiro somente tem
que enviar os dados uma única vez.
Conjunto do Laser
O sistema de laser da impressora, ou conjunto de varredura a
laser, deve ser muito preciso. O conjunto de varredura a laser
tradicional inclui:
* um laser
* um espelho móvel
* uma lente
O laser recebe os dados da página (os minúsculos pontos que
compõem o texto e as imagens) uma linha horizontal de cada
vez. À medida que o feixe se move ao longo do tambor, o laser
emite um pulso de luz para cada ponto a ser impresso e
nenhum pulso para cada ponto que permanecerá sem
impressão.
Conjunto do Laser

Na verdade, o laser não move o próprio feixe. Em vez disso,


oscila um espelho móvel. À medida que o espelho se move, ele
faz o feixe brilhar através de uma série de lentes. Esse sistema
compensa a distorção da imagem causada pela distância
variável entre o espelho e os pontos ao longo do tambor.
Escrevendo a Página

O conjunto do laser se move somente em um plano, o


horizontal. Depois de cada varredura horizontal, a impressora
move o tambor fotorreceptor por um entalhe, de maneira que o
conjunto do laser possa desenhar a próxima linha. Um pequeno
computador de impressão sincroniza tudo isso perfeitamente,
mesmo em grandes velocidades.
Algumas impressoras a laser usam uma tira de diodos
emissores de luz (LEDs) para imprimir a imagem da página, em
vez de um único laser. Cada posição de ponto possui sua
própria luz dedicada, o que significa que a impressora possui
um padrão de resolução de impressão. Esses sistemas têm um
custo de fabricação menor do que os verdadeiros conjuntos a
laser, mas produzem resultados inferiores. Normalmente, são
encontrados nas impressoras mais baratas.
Toner
Uma das peças mais importantes de uma impressora a laser
(ou fotocopiadora) é o toner. É estranha a idéia de que o papel
agarre a "tinta" em vez de ser a impressora a aplicá-la. E é
ainda mais estranho que a "tinta" não seja realmente tinta.
Então, o que é o toner? Trata-se de um pó carregado
eletricamente com dois ingredientes principais: pigmento e
plástico.
O papel do pigmento é bem evidente - ele fornece a coloração
(preta, em uma impressora monocromática) que preenche o
texto e as imagens. Esse pigmento é misturado com partículas
de plástico para que o toner derreta ao passar pelo calor do
fusor. Essa qualidade confere ao toner diversas vantagens
sobre a tinta líquida. A principal é que ele se une firmemente às
fibras de praticamente qualquer tipo de papel, o que significa
que o texto não ficará borrado ou manchado facilmente.
Aplicação de Toner
Como a impressora aplica esse toner na imagem eletrostática
sobre o tambor? O pó é armazenado no reservatório de toner,
um pequeno recipiente embutido em um estojo removível. A
impressora junta o toner proveniente do reservatório com a
unidade reveladora. O revelador, na verdade, é uma coleção de
pequenos grãos magnéticos carregados negativamente. Esses
grãos são fixados a um rolo metálico rotativo que os movimenta
através do reservatório do toner.

Como são carregados negativamente, os grãos do revelador


coletam as partículas positivas do toner à medida que passam.
O rolo escova os grãos ao passarem pelo conjunto do tambor.
A imagem eletrostática possui uma carga negativa mais forte do
que os grãos do revelador e o tambor retira as partículas de
toner.
Aplicação de Toner
O tambor então se move sobre o papel, que possui uma carga
ainda mais forte, e acaba por agarrar o toner. Depois de
recolher o toner, o papel é imediatamente descarregado pelo fio
corona de desprendimento. Nesse ponto, a única coisa que
retém o toner sobre a página é a gravidade: se você soprasse a
página, toda a imagem desapareceria. A página deve passar
pelo fusor para fixar o toner. Os rolos fusores são aquecidos por
lâmpadas internas de tubo de quartzo, de modo que o plástico
no toner se funde quando passa por elas.

Mas o que impede o toner de se acumular nos rolos fusores em


vez de grudar na página? Para impedir que isso aconteça, os
rolos fusores devem ser revestidos com Teflon, o mesmo
material não aderente usado em panelas.
Em um lote de impressoras, o reservatório de toner, o revelador
e o conjunto do tambor são combinados em um cartucho
substituível.
Impressoras Coloridas
Inicialmente, a maioria das impressoras comerciais a
laser estava limitada à impressão monocromática
(escrita em preto sobre papel branco). Mas agora há
uma grande variedade de impressoras a laser
coloridas no mercado.
Essencialmente, as impressoras coloridas trabalham
do mesmo modo que as impressoras monocromáticas,
exceto pelo fato de que passam por todo o processo
de impressão quatro vezes: uma para a cor ciano
(azul), uma para a magenta (vermelha), uma para a
amarela e uma para a preta. Ao combinar essas
quatro cores de toner em proporções variadas, pode
gerar cores diversas.
Impressoras Coloridas
Há diversas maneiras diferentes de se fazer isso.
Alguns modelos possuem quatro unidades de toner e
revelador em uma roda giratória. A impressora dispõe
a imagem eletrostática para uma cor e coloca essa
unidade de toner em posição. Em seguida, aplica essa
cor ao papel e passa pelo processo novamente para
aplicar a próxima cor. Certas impressoras adicionam
todas as quatro cores a uma placa antes de colocar a
imagem no papel.
Algumas impressoras mais caras possuem uma
unidade impressora completa (um conjunto de laser,
um tambor e um sistema de toner) para cada cor. O
papel simplesmente se move pelas diferentes cabeças
de tambor, recolhendo todas as cores em um tipo de
linha de montagem.
Impressoras Coloridas
Há diversas maneiras diferentes de se fazer isso.
Alguns modelos possuem quatro unidades de toner
e revelador em uma roda giratória. A impressora
dispõe a imagem eletrostática para uma cor e
coloca essa unidade de toner em posição. Em
seguida, aplica essa cor ao papel e passa pelo
processo novamente para aplicar a próxima cor.
Certas impressoras adicionam todas as quatro
cores a uma placa antes de colocar a imagem no
papel.
Algumas impressoras mais caras possuem uma
unidade impressora completa (um conjunto de laser,
um tambor e um sistema de toner) para cada cor. O
papel simplesmente se move pelas diferentes
cabeças de tambor, recolhendo todas as cores em
um tipo de linha de montagem.
Interior de uma impressora a laser colorida:
Vantagens da Impressora Laser
Por que comprar uma impressora a laser em vez de uma impressora
a jato de tinta mais barata? As principais vantagens das impressoras
a laser são a velocidade, a precisão e a economia. Um laser pode se
mover bem mais rápido, que uma impressora a jato de tinta. E como
o raio laser tem um diâmetro invariável, pode desenhar com mais
precisão, sem espirrar excesso de tinta.
As impressoras a laser tendem a ser mais caras do que as
impressoras a jato de tinta, mas seu custo de funcionamento é
inferior. O pó de toner é barato e dura mais tempo, ao passo que
você esgota os caros cartuchos de tinta muito rápido. É por isso que
os escritórios costumam usar uma impressora a laser para impressão
de longos documentos de texto. Na maioria dos modelos, essa
eficiência mecânica é complementada pela eficiência de
processamento. Um controlador de impressora a laser pode atender
a todos em um pequeno escritório.
Quando foram apresentadas inicialmente, as impressoras a laser
eram caras demais para o uso como impressora pessoal. Entretanto,
desde que surgiram, tornaram-se muito mais acessíveis. Agora é
possível comprar um modelo básico por um valor acessível.
Curso CHR – Unidade Tijuca
Turma: Hardware – Professora : Vanini
Lima

IMPRESSORAS
Laser

Fonte: How Stuff Works (http://hsw.uol.com.br/)