Métodos Contraceptivos

OBJETIVOS
Diferenciar
  

Tipos de Contraceptivos Mecanismo de ação Eficácia

Fertilidade
FEMININA  Desenvolvimento e Liberação gametas viáveis  Ciclo Ovariano

MASCULINA

Fecundação: fusão de gametas viáveis: União Ovócito e espermatozóide

Produção espermatozóides viáveis

PERÍODO FÉRTIL .

(induz o aumento da atividade da aromatase e conversão de andrógenos em estradiol). Fase folicular (pré-ovulatória) – envolvida com a maturação do folículo Fase lútea (pós-ovulatória) – controlada pelo corpo lúteo    O folículo é a unidade reprodutiva básica do ovário. .Ciclo Menstrual   Duração de 25 a 35 dias. O FSH estimula vários folículos para acelerar a maturação .

O estradiol aumenta rapidamente na fase folicular tardia. O pico de LH induz a produção folicular de progesterona. prostaglandina F2A. enzimas proteolíticas e a ruptura folicular e ovulação. iniciando o pico do LH no meio do ciclo (16 a 24 horas antes ovulação).Ciclo Menstrual    Um folículo torna-se dominante. enquanto outros sofrem atresia. .

funcionando negativamente no eixo hipotalâmico-pituitário para manter LH e FSH baixos.2 ng/ml. O corpo lúteo produz progesterona. . cujas concentrações aumentam a partir da primeira metade da fase lútea (10 – 20 ng/ml). mas a fase lútea fica consistentemente em torno de 14 dias. As concentrações de estrógeno alcançam 0.Ciclo Menstrual    A fase folicular pode variar.

prevenindo a maturação folicular e a ovulação.Ciclo Menstrual   A menos que ocorra gestação. as concentrações de progesterona e estrógeno diminuem e ocorre luteólise induzindo a menstruação (sangramento pela retirada de esteróides) e começo de novo ciclo. Anticoncepcionais hormonais exploram os efeitos da retroalimentação negativa por altas concentrações de estrógenos e progestágenos. . que inibem os picos de LH e FSH.

ANTICONCEPÇÃO Tipos de Métodos 1) Métodos Comportamentais 2) Métodos de Barreira 3) Métodos Químicos 4) Métodos Definitivos .

ANTICONCEPÇÃO 1) Métodos Comportamentais Objetivo: evitar relações sexuais completas no período fértil Método Rítmico: Tabelinha  Temperatura basal  Método do Muco Cervical (Billings)  .

ANTICONCEPÇÃO 2) Métodos de Barreira Objetivo: Impedir progressão gametas masculinos no trato reprodutivo feminino  Codom ou preservativo Diafragma Esponjas e Espermicidas DIU (sem hormônios) Masculino  Feminino     .

ANTICONCEPÇÃO 3) Métodos Químicos Objetivo: Inibir ovulação. modificar contratilidade trompas falópio ou útero  Anticoncepcional Hormonal Combinado  Oral  Adesivos transdérmicos  Implantes Intradérmicos  Anel vaginal  DIU  Injetáveis .

ANTICONCEPÇÃO 4) Métodos Definitivos Objetivos: esterilização Vasectomia  Laqueadura Tubária  .

Abstinência periódica Falha: 2-30 % Não protege de DST e AIDS . ou de abstinência periódica. Métodos requerem a cooperação de ambos os parceiros.1) Métodos Comportamentais Os métodos comportamentais. são métodos que requerem que a mulher tenha ciclos regulares e conheça seu período fértil.

Calendário (tabelinha): O início e o término do período fértil (número de dias) depende da duração dos ciclos menstruais. além de outros sinais que podem contribuir para detectar a ovulação de maneira mais precisa. sobe levemente no período após a ovulação. Temperatura corporal basal: a temperatura corpórea. Muco cervical (Billings): Presença de muco cervical. . corresponde ao período fértil. em repouso. Sintotérmicos: consiste no uso dos três métodos descritos acima de forma combinada.

Mecanismo de Ação Para anticoncepção  Evitar o coito durante o período fértil do ciclo menstrual quando a concepção é mais provável. . Para concepção:  Planejar o coito próximo da metade do ciclo (geralmente dias 10-15) quando a concepção é mais provável.

Método Sintotérmico .

Falha Condom 2-12 % Condom feminino 5-21 % . ou preservativo. Previne a gravidez e as doenças sexualmente transmissíveis (DST). método anticoncepcional utilizado por aproximadamente 45 milhões de casais em idade reprodutiva em todo o mundo. inclusive HIV/AIDS.2) MÉTODO DE BARREIRA A) CONDOM MASCULINO E FEMININO O condom.

Mecanismos de Ação Evita que o esperma tenha acesso ao aparelho reprodutor feminino Evita que os microorganismos (DSTs) passem de um parceiro para outro (somente com camisinhas de latex ou vinil) 19 .

Camisinha Masculina: Benefícios Anticoncepcionais      Eficácia imediata Não interfere com a amamentação Pode ser usado como método de apoio para outros anticoncepcionais Sem efeitos colaterais sistêmicos Baixo custo (a curto prazo) 20 .

Benefícios Não Anticoncepcionais    Único método de planejamento familiar que confere proteção contra DSTs (somente as camisinhas de látex e vinil) Pode prolongar a ereção e retardar a ejaculação Pode ajudar na prevenção do câncer cervical 21 .

Camisinha Feminina Benefícios Anticoncepcionais        Imediatamente eficaz Não afeta a amamentação Pode ser usada como apoio para outros métodos Sem efeitos colaterais sistêmicos Dispensa prescrição e avaliação médica Pode conferir proteção contra DSTs Pode ajudar na prevenção do câncer cervical 22 .

23 .Camisinha Feminina Limitações    Custo elevado (na atualidade) Eficácia média (5-21 gravidezes por 100 mulheres durante o 1º ano de uso*) A eficácia anticoncepcional depende da usuária (requer contínua motivação e deve ser usada em todos os coitos) * Fonte: Hatcher e cols 1998.

que recobre o colo uterino. que consistem em material de borracha côncavo com borda flexível. Falha Diafragma + espermicidas 4-18 % . Deve ser utilizado com geléia ou creme espermicida. É colocado na vagina antes da relação sexual.B) Diafragma O diafragma e capuz são métodos vaginais de anticoncepção.

Diafragma: Mecanismo de Ação Evita que o esperma tenha acesso ao trato genital superior (útero e trompas) 25 .

Benefícios Anticoncepcionais      Imediatamente eficaz Não interfere com a amamentação Não interfere com o coito (pode ser inserido até 6 horas antes) Sem riscos de saúde relacionados com o método Sem efeitos colaterais sistêmicos Deve permanecer no local durante 6 horas após o coito 26  .

HBV.Benefícios Não Anticoncepcionais  Oferece certa proteção contra DSTs (p. especialmente quando usado com espermaticida Impede o fluxo do sangue quando usado durante as menstruações  27 . HIV/AIDS). ex..

podendo permanecer no canal vaginal por 24 horas. Esponja 4-18% . não hormonal que é introduzido no canal vaginal antes do intercurso sexual.C) Esponja Dispositivo de poliuretano contendo nonoxinol-9.

nonoxinol-9 Diafragma + espermicida 4-18 % espermicida 6-36% . todos contendo substancia espermicida . geleias.D) Espermicidas Outros métodos de barreiras: espumas. ou filmes vaginais.

DIU inerte. com aproximadamente 100 milhões de usuárias.D) DIU O dispositivo intra-uterino (DIU). método anticoncepcionais mais utilizado em todo o mundo. não medicado .4-2. Tipos: o DIU com cobre -TCu 380A e MLCu-375 o DIU que libera progestágeno.alça de Lippes Dispositivo intra uterino 0.5 % .

DIU: Mecanismos de Ação Interfere com o processo reprodutivo antes de que os ovos cheguem à cavidade uterina Interfere com a capacidade do esperma em atravessar a cavidade uterina Tornam mais espesso o muco cervical (somente com progestágeno) Modificam o endométrio 31 .

6-0.81 gravidezes por 100 mulheres durante o primeiro ano de uso do cobre T380A) Método para uso a longo prazo (até 10 anos de proteção com o cobre T380A) Retorno imediato da fertilidade após a remoção Não interfere com a amamentação 1 Trussell e cols 1998. 32 .DIU: Benefícios Anticoncepcionais     Alta eficácia (0.

DIU: Efeitos Não Anticoncepcionais    Diminui as cólicas menstruais (DIUs de progestágeno) Diminui o sangramento menstrual (DIUs de progestágeno) Diminui a incidência de gravidez ectópica (exceto o Progestasert) 33 .

DIUs: Efeitos Colaterais Comuns Liberadores de cobre      Menstruações mais intensas Sangramento vaginal irregular ou mais intenso Cólicas inter-menstruais Aumento das cólicas menstruais ou dor Corrimento vaginal Liberadores de progestágeno  Amenorréia ou sangramento menstrual/manchas leves 34 .

3) Métodos Químicos Mecanismos de Ação Suprimem a ovulação Reduzem o transporte ovular nas trompas Alteram o endométrio e dificultam a nidação Tornam mais espesso o muco cervical (evitando a penetração dos espermatozóides) .

mais conhecidos como pílula. Falha 0.1-0.3) Métodos Químicos A) Anticoncepcionais Orais Combinados Os anticoncepcionais orais combinados (AOCs).8% . Método anticoncepcional reversível mais utilizado no país. são usados por cerca de 20% das mulheres em idade fértil (15-49 anos) no Brasil.

alguns com 6 ou 7 de placebo para completar 28 comprimidos § Bifásicas . com hormônios em proporções diferentes. Pílulas para uso vaginal . cartelas com 21 comprimidos. de diferentes cores.contêm dois tipos de comprimidos ativos. de diferentes cores. § Trifásicas . § .mais comuns. contendo 21 comprimidos ativos na embalagem.contêm três tipos de comprimidos ativos. Comprimidos ativos (mesma composição e dose).é uma pílula monofásica. com hormônios em proporções diferentes.§ Monofásicas .

AOCs: Benefícios Não Anticoncepcionais     Diminuem o fluxo menstrual e cólicas menstruais. melhorando anemia Protegem contra o câncer ovariano e endometrial Diminuem a incidência das doenças mamárias benignas e dos cistos ovarianos Evitam a gravidez ectópica 38 .

AOCs: Limitações     Podem causar um pouco de náusea. tonturas. leve mastalgia. dores de cabeça ou manchas A eficácia pode diminuir quando certas drogas são tomadas O esquecimento aumenta as falhas do método Não protegem contra DSTs 39 .

São conhecidos como pílulas progestínicas (PP) minipílula. Não contêm estrogênio. e Utilizada na amamentação e também adolescência.B)Minipílulas: Progesterona Os anticoncepcionais orais de progestogênio contêm dose muito baixa de progestogênio. em torno da 1/2 a 1/10 da quantidade dos AOC. Porém. mulheres que não estão amamentando também podem usálos. .

5mg Micronor 35 ativas Norestin Nortrel 35 ativas Exluton 28 ativas .35mg Levonorgestrel 0.Noretisterona 0.030mg Linestrenol 0.

05-5 gravidezes por 100 mulheres no 1º ano de uso) Eficácia imediata (menos de 24 horas) Não afetam a amamentação Retorno imediato da fertilidade quando suspenso o uso Poucos efeitos colaterais 42 .PPs: Benefícios Anticoncepcionais      Eficazes quando tomadas diariamente à mesma hora (0.

PPs: Benefícios Não Anticoncepcionais       Podem diminuir as cólicas menstruais Podem reduzir o sangramento menstrual Podem melhorar a anemia Protegem contra o câncer do endométrio Diminuem as doenças benignas das mamas Diminuem a incidência de gravidez ectópica 43 .

PPs: Limitações     Alteram o padrão do sangramento menstrual Pode ocorrer certo aumento ou perda de peso Devem ser tomadas diariamente à mesma hora O esquecimento aumenta a falha do método 44 .

a OMS estima que 585. muitas secundárias ao aborto. após uma relação sexual sem proteção.000 mortes maternas ocorrem em todo o mundo. mas emergência. É também conhecida como anticoncepção pós-coital ou pílula do dia seguinte. A anticoncepção oral de emergência pode ajudar a prevenir gestações indesejadas e conseqüente aborto clandestino.C) Anticoncepção Oral de Emergência Anualmente. apenas em situações de de rotina como método . Não deve ser utilizada anticoncepcional.

.Falha 2% Importante ! A anticoncepção oral de emergência NÃO tem nenhum efeito após a implantação ter se completado.

1-0. nos quais ambos os hormônios são sintéticos. As diferentes formulações contém estradiol.Falha Injetáveis apenas de progesterona 0.6 % .4% .2-0. e um progestogênio sintético.D) Anticoncepcional Injetável Mensal e Trimestral Os anticoncepcionais injetáveis mensais. de uso relativamente recente. -Falha Injetáveis combinados 0. diferentemente dos anticoncepcionais orais combinados.

Anticoncepcionais Injetáveis Mensais Aprovados no Brasil 50 mg de enantato de noretisterona 5 mg de valerato de estradiol 25 mg de acetato de medroxiprogesterona 5mg de cipionato de estradiol 150 mg de acetofenido de dihidroxiprogesterona 10 mg de enantato de estradiol Mesigyna Cyclofemina Perlutan Ciclovular Unociclo .

É um progestogênio semelhante ao produzido pelo organismo feminino.6 % . utilizado por aproximadamente 14 milhões de mulheres em todo o mundo.2-0.1-0.Injetáveis de progestágenos 0.Somente de progsterona: O acetato de medroxiprogesterona é método anticoncepcional injetável apenas de progestogênio. que é liberado lentamente na circulação sanguínea. .4% .Injetáveis combinados 0.

.E) Adesivos Transdérmicos Equivalente à pílula combinada. sete dias. embalagens com três unidades). Combinação de progestogênio e estrogênio. liberado de forma contínua (ex. através de adesivos cutâneos. A absorção cutânea é muito eficiente e garante nível contínuo de hormônios com alta eficácia.

Mirena Mirena. Utilizado como método anticoncepcional. no tratamento de distúrbios menstruais e na terapia de reposição hormonal.2 % . endoceptivo. um sistema intra-uterino que libera hormônio (levonorgestrel) diretamente no útero. ou seja.F) DIU .0. Falha 0 .

O bastonete contém progestogênio. muito parecido com o hormônio natural.F) Implantes Subdérmicos O implante subdérmico é dispositivo contendo hormônio.0.2 % . que deve ser inserido sob a pele na parte superior do braço. no formato de bastonete. Método recentemente aprovado para uso pelo Ministério da Saúde no Brasil. que é liberado lentamente em doses constantes. Falha 0 .

Benefícios Anticoncepcionais      Alta eficácia (0.05–1* gravidez por 100 mulheres durante o primeiro ano de uso) Rapidamente eficaz (< 24 horas) Método para uso a longo prazo (até 5 anos de proteção) Não requer exame pélvico antes do uso Não afeta a amamentação **Trussell e cols 1998. 53 .

Benefícios Não Anticoncepcionais       Redução da incidência de gravidez ectópica Pode reduzir as cólicas menstruais Pode reduzir o sangramento menstrual Pode melhorar a anemia Protege contra o câncer de endométrio Diminui a incidência de doenças mamárias benignas 54 .

Limitações   Modifica o padrão do sangramento menstrual (sangramento irregular/manchas de início) na maioria das mulheres A mulher deve retornar ao provedor ou à clínica para a inserção de um novo jogo de cápsulas ou para sua retirada 55 .

56 .   A mulher não pode interromper seu uso se desejar (dependente do provedor) A eficácia pode ser diminuida quando certos medicamentos para epilepsia (Fenitoina e barbitúricos) ou tuberculose (rifampicina) são tomadas Não protege contra DSTs.

Falha: 0. ligadura tubária.4) Métodos Definitivos ESTERILIZAÇÃO FEMININA Requer procedimento cirúrgico. simples e seguro. A esterilização feminina é também conhecida como laqueadura tubária. oclusão tubária anticoncepção cirúrgica voluntária. .1-0.4% Fonte: Church e Geller 1990. ligadura de trompas.

Tipos de Oclusão Tubária

Pós-parto

Minilaparotomia (infra umbelical)

De intervalo
 

Minilaparotomia Laparoscopia
Mulheres: 170 milhões

58

Mecanismo de Ação
Pela interrupção das trompas (ligadura e secção, anéis, clips ou eletrocoagulação) impedese que os espermatozóides atinjam os óvulos e causem a fertilização.

59

4) Métodos Definitivos
ESTERILIZAÇÃO MASCULINA Método de anticoncepção permanente.

Procedimento cirúrgico simples, seguro e rápido.
Não afeta o desempenho sexual.

Falha < 0,1%

Homens: 43 milhões

61 .Vasectomia: Mecanismo de Ação A interrupção dos canais deferentes (duto ejaculatório) impede a presença de espermatozóides no ejaculado.

Tipos de Vasectomia   Técnica sem bisturi (preferível) Incisional   1 ou 2 incisões na bolsa escrotal 99% das operações são feitas sob anestesia local Diferentes métodos de oclusão podem ser usados  Ligadura  Cauterização  Combinação 62 .

Benefícios Anticoncepcionais      Alta eficácia Permanente Bom para casais nos quais a gravidez ou a oclusão tubária se constitui em risco sério a saúde da mulher Sem efeitos colaterais a longo prazo Não causa mudanças na função sexual (sem efeito sobre a produção de 63 hormônios pelos testículos) .

Vasectomia: Benefícios Anticoncepcionais    Alta eficácia (0.1-0.15 gravidezes por 100 mulheres durante o primeiro ano de uso) Sem efeitos colaterais a longo prazo Não causa mudanças na função sexual (sem efeito sobre a produção de hormônios pelos testículos) 64 .

HBV.. ex. HIV/AIDS)  65 .Limitações  Deve ser considerada permanente (não reversível) O Não protege contra DSTs (p.

Sexo com responsabilidade Sexo Seguro Uso correto do preservativo Sobriedade .

Comportamento de Risco         Ter múltiplos parceiros sexuais Ter histórico anterior de DST Ter parceira com histórico de DST Usar drogas álcool em situações em que haja relações sexuais Ter parceira que usa droga intravenosa Ter relações sexuais promíscuas Sexo anal Ter relação sexual sem proteção com parceira desconhecida .

.

Atheneu Sexualidade e Doenças Sexualmente Transmissíveis ARMENIO UZUNIAN & ERNESTO BIRNER . JACOB & CLARICE ASHWORTH FRANCONE & WALTER J.Harbra Tratado de Fisiologia Médica ARTHUR C. LOSSOW .José Olympio Atlas Colorido Doenças Sexualmente Transmissíveis ANTHONY WISDOM . GUYTON & JOHN E. KOEPPEN Anatomia e Fisiologia Humana STANLEY W.BIBLIOGRAFIA       Métodos Anticoncepcionais ANIBAL FAUNDES & CARLOS ALBERTO PETTA Métodos Anticoncepcionais Gravidez: Ivg: Guia Prát PIERRETTE BELLO & OUTROS . HANSEN & BRUCE M. GUYTON Atlas de Fisiologia Humana de Netter JOHN T. HALL Fisiologia Humana ARTHUR C. HALL Fisiologia Humana e Mecanismos das Doenças ARTHUR C. GUYTON & JOHN E.Artes Médicas Doenças Sexualmente Transmissíveis WALTER BELDA JR.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful