Você está na página 1de 111

“Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas

e apedrejas os que te foram enviados! Quantas


vezes Eu quis reunir os teus filhos como a
galinha reúne os seus pintinhos debaixo de
suas asas, mas vocês não aceitaram. Eis que a
vossa casa vos ficará desabitada! E, com toda
a certeza vos asseguro, que não mais me vereis
até que venha aquele dia que proclamareis:
BENDITO O QUE VEM EM NOME DO SENHOR”
( Lc 13.34-35 )
“Ah! Se você compreendesse neste dia o que te
traz a paz! No entanto agora isto está
encoberto aos teus olhos. Virão dias em que
teus inimigos te cercarão de trincheiras,e, por
todos os lados, te ameaçarão, apertando o
grande cerco contra ti. Lançarão por terra os
teus filhos dentro de ti. Não deixarão pedra
sobre pedra, porque não reconheceste a
maravilhosa OPORTUNIDADE QUE TIVESTE COM
A VISITAÇÃO DE DEUS”
( Lc 19.42-44 )
Viagens de Abraão Abraham’s Journey

Canaã
Mediterrâneo Harã & Ur
dos
Caldeus
Egito
(Iraque)
EBibleTeacher.com
A Viagem de Abraão ao Egito
Abraham’s Journey to Egypt

Canaã
Mar Mediterrâneo
Delta do Nilo

ilo
N
Egito Sinai

© EBibleTeacher.com NASA Photo


A Viagem de José ao Egito
Joseph’s Journey to Egypt

Click to add title Canaã


Mar Mediterrâneo
Click to add text

Delta do Nilo José vendido
para a
i lo Potifar &
N caravana
Faraó
Sinai
Egito

© EBibleTeacher.com NASA Photo


O Nazismo – cerca de 6 milhões de judeus foram
mortos.
Com a ascensão do nazismo na Alemanha, na década
de 30, intensificou-se a saída dos judeus da Europa.
Uma Tentativa de Anál ise Equilibrada
do Conflito Israelense-Palestino
Esta é a Terra Prometida. Ela se estende aproximadamente
do Mar Mediterrâneo ao Rio Jordão.
Mediterranean
sea

Há cerca de 7 milhões de …e cerca de 4,5 milhões


judeus vivendo lá... de árabes.

Jordan
River

Os judeus chamam essa Os árabes chamam essa


terra de Israel terra de Palestina

Ambos acreditam que essa terra lhes pertence.


Que razões tem os judeus
para acreditar que essa terra lhes pertence?
HISTÓRIA
Esse foi um reino judeu
onde os judeus
viveram por
muitos séculos.Após as
revoltas
contra os Romanos,
de 70 a 135
DC, a terra, Judéia,
recebeu dos romanos o
nome de Palestina.
RELIGIÃO
A cada ano, desde a
destruição romana, os judeus
tem orado para retornar a
essa terra.
“No próximo ano em
Jerusalém” é a frase com que
termina cada celebração da
Páscoa.Os judeus oram três
vezes ao dia, voltados para
Jerusalém, que é sua cidade
mais sagrada.
PERSEGUIÇÃO
Após séculos de trágicas Cruzadas, progroms, e por fim o Holocausto,
a maior parte dos judeus acreditam que apenas estarão a salvo
de perseguições se existir um Estado Judeu independente.
Que razões têm os árabes para acreditar
que essa terra lhes pertence?
HISTÓRIA
Os povos árabes habitaram
essa terra por séculos.
Suas presenças aumentaram
significativamente após a conquista
muçulmana no século VII.
CULTURA
As vidas e tradições dos habitantes
são muito ligadas aos lugares
desta terra, onde muitos tiveram
ancestrais por inúmeras gerações.
Jerusalém é um centro cultural,
social e religioso para a população
árabe.
RELIGIÃO
Aqui ficam as Mesquitas de al-Aqsa e de Omar,
o 3º local mais sagrado para os muçulmanos.
A tradição diz que o Profeta Maomé ascendeu ao Céu
montado em seu lendário cavalo, Al Buraq
Israel e
A QUESTÃ PALESTINA

PALESTINA
região de interesse
geopolítico-petróleo
PALESTINA / PELISTIM ➲
Palestina, não é nome bíblico ➲
Origina-se do nome:Terra dos Filisteus ➲
(Pelistim). Nome da província romana, por
volta do século II d.C., durante o Império
.Romano
A Palestina é uma região geográfica que compreende os ➲
territórios entre a margem oeste do rio Jordão e o mar
Mediterrâneo, ao sul do Líbano e a nordeste da

.península do Sinai

Dentro dela estão hoje o Estado de Israel e as ➲


.áreas ocupadas por Israel
• Característica do conflito:

– APARÊNCIA: diferença étnica- religiosa – disputa


pela terra santa - Jerusalém: cidade sagrada para
judeus, cristãos e muçulmanos

– ESSÊNCIA:
SSÊNCIA questão espacial (“luta pela terra”) -
mensagem de jornal árabe de Haifa (final do século
XIX): “...dos judeus não comprem nada, exceto
terras; aos judeus vendam tudo, exceto terras”
MURO DAS LAMENTAÇÕES
LUGAR SAGRADO PARA OS JUDEUS
As ruínas do Muro das Lamentações - segundo Templo de
Jerusalém, de cerca de 200 A.C., destruído pelos
.romanos em 70 d.C
The wailing wall – notes to god ‫הכותל המערבי‬
MESQUITA
LUGAR SAGRADO PARA OS MUÇULMANOS
IGREJA DO SANTO SEPULCRO
PRINCIPAIS
ACONTECIMENTOS
GEOPOLÍTICOS DA
PALESTINA DESDE O FINAL
DO SÉCULO XIX
Israel e a questão Palestina
A Palestina e sua partilha

Formação de dois Estados:


Israel e Palestina

Proposta da ONU em 1947:


--Área do Estado Judeu: 56,6%
(ISRAEL)
--- Área do Estado Árabe:
42,9%¨(PALESTINA)
-- Área Intercionalizada: 0,5%
(JERUSALÉM)
CONFLITOS ÁRABES/JUDEUS
1º conflito (1948/49) – O mundo árabe ataca Israel, desaparece o
Estado Palestino, sendo que uma parte passou a ser ocupada por
Israel.
O Egito ocupou a Faixa de Gaza e a Jordânia anexou a Cisjordânia.
2° conflito (1956) – Novo ataque à Israel pela comunidade árabe.
Guerra do Canal de Suez (Pan-arabismo/ Narcerismo)
MOTIVO – Nacionalização do Canal de Suez pelo Egito
PROBLEMA – O reconhecimento de Israel cada vez mais difícil
no mundo árabe.
3° conflito (1967) –Guerra dos Seis Dias ou a
melhor defesa é o ataque
Euforia árabe com o título:
“Vamos jogar os judeus ao mar”.
5
-- Israel contra-ataca e vence, 3
tomando os seguintes territórios:
4
--Do Egito 1 – A Faixa de Gaza e 1
a 2 - Penísula do Sinai
--Da Jordânia – 3 Cisjordânia e
4 setor de Jerusalém (que foi
anexada integralmente a Israel)
2
-- Da Síria – 5 as Colinas de Golã
(área das nascentes do Rio Jordão)
Desde a Guerra
dos Seis Dias, o
governo israelense
implementou
assentamentos de
judeus em terras
palestinas, caso da
Cisjordânia. Nesta
região vivem
praticamente
1.800.000
palestinos contra
180.000 israelenses,
que por si só é um
incentivo aos
conflitos.
Conseqüências desta Guerra
-- Os árabes perdem de forma
humilhante
-- Paira novos conflitos no ar
-- Israel perde parte da popularidade no
mundo quando afirma que não
devolverá terras conquistadas.
4° conflito – Guerra do Yom Kippur
(outubro de 1973)
-- Israel vence a guerra e passa a sofrer o
isolamento diplomático.
-- Perde prestígio em âmbito mundial
-- O mundo árabe se reúne em 1974 e cria a
primeira crise mundial do petróleo, chamada
“Choque Petrolífero”, em conseqüência do apoio
do mundo ocidental à Israel.
 1973 - Guerra do Yon Kippur (Dia do Perdão) -
países árabes atacam Israel com o intuito de
reconquistar os territórios ocupados (apoio soviético)
 vitória israelense (apoio estadunidense)
 retaliação árabe  OPEP (Organização dos países
exportadores de petróleo) - crise do petróleo

O aumento acentuado custo do


barril de petróleo, decorrente do
boicote dos países árabes da
OPEP, fez com que alguns dos
maiores importadores do
produto buscassem aumentar
sua produção, caso dos EUA
(imagem - offshore Mississipi).
A ONU EXIGE DEVOLUÇÃO DAS ÁREAS OCUPADAS
PARA A FORMAÇÃO DA PÁTRIA PALESTINA.

-- Israel desconhece o que está acontecendo no mundo, implanta


colônias em áreas conquistadas e afirma que não vai devolvê-las.
-- A Jordânia aceita a perda da Cisjordânia e não mais se
envolverá em guerra contra Israel.
-- O Egito e a Síria empenham em buscar suas áreas perdidas em
guerras.
-- A crise mundial do petróleo aprofunda cada vez mais.
-- O Egito aproxima-se mais concretamente dos EUA e consegue
mais tarde a devolução da Península de Sinai e passa a ser
considerado traidor da causa árabe depois que assina o Tratado de
Camp David.
A LIDERANÇA PALESTINA
-- O líder Yasser Arafat disse: “A Palestina
é a pátria do povo palestino, parte indivisível
da vasta pátria árabe, e o povo palestino é
parte da nação árabe”.
-- Em 1974, a ONU admite a OLP como membro observador e
reconheceu o direito da luta palestina pela sua pátria.
-- Porém, com as perdas de guerras para os judeus (sionismo),
Arafat vai aceitar a divisão proposta pela ONU e passa a ser
considerado traidor da causa árabe.
-- A partir dos anos 1980, a OLP passa a contar com o apoio de
diversos países do terceiro mundo pela sua causa.
-- Surge a milícia islâmica do Hizbollah (palestina) que ocupa o
sul do Líbano e lá permanece até hoje.
8 de dezembro de 1988: Revolta da INTIFADA (Guerra das Pedras)
-- O mundo exige uma solução
para a questão palestina.
-- Arafat aproveita este momento
e volta como grande líder
palestino.
-- Em 1988, o Conselho Nacional
Palestino declarou na ONU:
d) Rejeição ao terroroismo
e) Aceitação de todas as
resoluções da ONU
f) Solução da Paz
OLP passa a ser considerada
traidora e surge com força grupos g) Aceitação do Estado Palestino
HAMAS, HIZBOLLAH (já existia)
e JIRAD ISLâMICA
Criança palestina arremessa pedra em tanque
israelense. É a intifada. Grande probabilidade de ser
um homem-bomba de grupos terroristas no futuro.
Palestino mascarado mira estilingue contra tropas do
exército durante conflitos na cidade de Nazaré
Palestinos socorrem homem ferido durante conflito com
exército israelense, na colônia de Netzarin, em Gaza
A mulher do turista brasileiro que foi morto no atentado a bomba
ocorrido em um restaurante em Jerusalém atentado a bomba que

matou pelo menos 15 pessoas e feriu outras 92 em Jerusalém


ANOS 1990 – Israel e tentativas de acordos de paz
-- Com ajuda NORTE-
AMERICANA, em 1993, Arafat e
Jericó Rabin assinam o 1° acordo para o
futuro Estado Palestino.
-- Israel devolveria a cidade de
Jericó e a Faixa de Gaza à OLP
(que passa a ser chamada de ANP).
-- Este acordo previa que as
demais terras da Cisjordânia
seriam devolvidas até o dia 13 de
setembro de 2000, quando seria
formado o Estado Palestino.
ESSAS RESOLUÇÕES NÃO
ACONTECERAM
Os problemas com os acordos
-- A ANP começou à enfrentar oposições dos grupos radicais,
chamados HAMMAS, HIZBOLLAH e JIRAD ISLÂMICO; que
passaram a fazer atentados terroristas para que as resoluções
assinadas não fossem compridas.
-- Os palestinos revoltam, surge a 2° INTIFADA.
-- Arafat é cada vez mais chamado de traidor.
-- Os atentados perturbam exageradamente Israel.
O novo complicador
-- Os EUA reconhecem Jerusalém como capital de Israel,
revoltando ainda mais os árabes que defendem as fronteiras da
guerra de 1967, quando Jerusalém Oriental estava dentro do
espaço da Cisjordânia.
Um dos problemas básicos da questão palestina passa por Jerusalém
-- Jerusalém é considerada sagrada tanto para os judeus quanto para
os palestinos.
-- Palestinos não aceitam perder Jerusalém Oriental que para eles
será sua futura capital.
-- Israel considera Jerusalém sua capital indivisível e não quer
nenhuma cláusula sobre isso com os palestinos.
O grupo extremista palestino
Hamas assume o poder
A principal organização islâmica militante palestina, parece ter
traduzido a popularidade de sua luta em votos, vencendo as
primeiras eleições parlamentares palestinas desde 1996,
.realizadas na quarta-feira
Considerada uma organização terrorista por Israel, Estados
Unidos e União Européia, o grupo é visto por seus
correligionários como uma força legítima de luta defendendo os
.palestinos da brutal ocupação militar israelense
O grupo, criado em 1987 no início da primeira Intifada, tem como
objetivo, a curto prazo, expulsar as forças israelenses dos
territórios ocupados através de ataques contra os soldados e
os colonos judeus e - mais controversialmente - contra civis
.israelenses
O Hamas insiste que a retirada israelense da faixa de Gaza no
.ano passado foi uma vitória de sua política
Problemas do final dos anos 1990 que continuam até hoje

-- Israel retira-se do sul do Líbano e este espaço caiu na mão dos


terroristas do Hizbollah, que declararam vitoriosos frente à Israel e
não devolveram o espaço para o governo libanês .
-- Em meados da 1ª década do século XXI, houve a 1ª guerra entre
o Estado de Israel e a milícia do Hizbollah, “notalizando” uma área
dentro de um Estado que gerou uma nova polêmica mundial.

Uma nova e polêmica


liderança contra Israel

Hassan Nasrallah
H A M AS
Líder: Ahmed Yassin

Características: grupo com um braço militar e outro


político. O político faz trabalhos sociais em
campos de refugiados. O militar foi o primeiro a
;usar homens-bomba na região, em 1992

Objetivo: destruir Israel e criar um Estado islâmico


;na região, sob o controle dos palestinos

Efetivo: entre 200 e 300 militantes. Tem facilidade


em recrutar voluntários porque é atualmente a
. facção mais popular entreos palestinos
JIHAD ISLÂ MICA
Líder: Ramadan Shallah, ex-professor
da Universidade do Estado da Flórida

Características: é a mais independente das •


facções extremistas. Recebe financiamento
;principalmente do Irã

Objetivo: destruir Israel e criar um Estado •


;islâmico na região, sob o controle dos palestinos

Efetivo: entre setenta e 100 terroristas. Tem •


dificuldade para recrutar colaboradores por contar
com apoio restrito da população
BRIGADA AL AQSA
Líder: Marwan Barghouti

Características: em tese, é uma dissidência do


grupo chefiado por Yasser Arafat, a Fatah.
Apareceu recentemente, depois do fracasso das
negociações de paz. Responde hoje por cerca de
;70% dos atentados contra israelenses

Objetivo: assustar os israelenses de modo a obter


;maiores concessões numa negociação de paz
. Efetivo: cerca de 1 000 homens
HEZBOLAH
Líder: Xeque Hassan Nasrallah

Características: grupo fundamentalista xiita do


Líbano que existe desde 1982. Foi criado para
combater as tropas israelenses que ocupavam o
sul do país. É sustentado pelos iranianos. Suas
;lideranças decidiram apoiar os palestinos

Objetivo: criar um Estado islâmico no Líbano,


destruir Israel e transformar Jerusalém numa
;cidade muçulmana

Efetivo: cerca de 800 combatentes ativos e 2 000


. reservistas
VOCÊ QUEIMARÁ I MEUS SOLDADOS
NO MÁRMORE DO IDEAIS ACABARÃO
INFERNO!! M COM VOCÊ!!!

A
G
E
N

YASSER ARAFAT
S ARIEL SHARON
Merecem ser destacados como dois fatos importantes na
Questão Palestina- Judaíca

2 1 – Colinas de Golã
1 (nascentes do Rio Jordão)
que não foram devolvidas
(veja localização no mapa
ao lado)
2 - a presença no sul do
Líbano dos radicais
islâmicos

O Rio Jordão é o principal


rio desta região.
Se forem resolvidos os problemas com os grupos radicais (do
HIZBOLLAH, HAMMAS e JIRAD ISLÂMICA) que não aceitam
a presença do Estado de Israel na região, quais os outros
problemas que a ANP teria que resolver para assinar um acordo
com o Estado de Israel?
1 – Assentamento judaicos em espaços palestinos.
2 – A questão de Jerusalém Oriental
3 – Refugiados palestinos que querem voltar para a região (cerca
de 4 milhões de pessoas).
4 – Palestinos reivindicam o controle dos seus recursos hídricos do
solo e das águas de chuva.
5 – A ANP quer voltar as fronteiras da Cisjordânia que era antes
de 1967.
O Estado de Israel não aceita nenhuma
dessas reivindicações
-- Em 2006, numa decisão surpreendente, o primeiro ministro
israelense, Ariel Sharon, devolveu a Faixa de Gaza para a ANP
(Fatah) que passou a receber ajuda internacional para a formação
da futura nação palestina.
Um novo problema: O muro em volta da Cisjordânia.
O primeiro ministro de
Israel manda construir
um muro separando o
Estado de Israel da
Cisjordânia para evitar
os atentados às cidades
judaicas.
--Complica a situação dos palestinos que trabalham para a
comunidade judaica.
-- Palestinos acusam que parte do seu território está
sendo tirada pelo muro.
-- E realmente os atentados diminuem.
Grupo de terroristas
do HAMMAS
-- Em 2007, eleições dentro da Faixa de Gaza, levam o
HAMMAS à vitória e a volta do radicalismo na região,
quando este grupo passa a chamar o Fatah (Líder da ANP) de
traidor.
-- A paz na região hoje torna-se cada vez mais difícil pois a
comunidade internacional não apóia atitude do HAMMAS.
-- A perda de prestígio do atual primeiro ministro de Israel, Ehud
Olmert, depois do ataque do Hizbollah no sul do Líbano à
Israel fez com que tivéssemos a primeira vitória de uma
comunidade árabe sob Israel (a comunidade internacional
acusou Israel de atacar civis libaneses).
Estado de Israel – região judaica
Faixa de Gaza –( região do Hammas (sunitas
Cisjordânia – futuro Estado Palestino (ocupação parcial
(de Israel
Região sul do Líbano( – Hezbollah (xiitas
?QUAL SERÁ O FUTURO DE ISRAEL
Todavia, a Bíblia afirma que
Israel tem um futuro e que os
eventos mundiais girarão em
torno daquele pequeno país no
centro da terra. O foco da
atenção mundial já está sobre
Israel. Deus preservou o Seu povo
por alguma razão,
.e ela não é má
Israel irá passar pela grande tribulação --
( Dt 4.30, Jr 30.5-9, Dn 12.1, Sf 1.14-18 )
- Toda a humanidade se levantará contra
Israel, e 2/3 serão mortos
( Zc 13.7-9, Ap 12 )
- Israel estará cercado, e pedirá socorro
ao Deus Eterno ( Ap 19.11-21 )
- Israel será salvo ( Rm 11.26 )
- Depois da grande tribulação Jesus
( voltará ( Mt 24.29-31
Naquela ocasião haverá um“
tempo de angustia como nunca
houve desde o inicio das
nações até então. Mas naquela
ocasião o seu povo, todo
aquele que está escrito no
livro, será liberto“
( ( Dn 12.1
Não temas, pois, tu, ó meu servo Jacó, diz o
SENHOR, nem te espantes, ó Israel; porque eis que
te livrarei de terras de longe, e à tua descendência
da terra do seu cativeiro; e Jacó voltará, e
descansará, e ficará em sossego, e não haverá
quem o atemorize.Porque eu sou contigo, diz o
SENHOR, para te salvar; porquanto darei fim a
todas as nações entre as quais te espalhei; a ti,
porém, não darei fim.
Eis que farei voltar do cativeiro as tendas de Jacó,
e apiedar-me-ei das suas moradas; e a cidade será
reedificada sobre o seu montão, e o palácio
permanecerá como habitualmente. E sairá deles o
louvor e a voz de júbilo; e multiplicá-los-ei, e não
serão diminuídos, e glorificá-los-ei, e não serão
apoucados.
( ( Jr 30.10-11,18-19
E este lugar me servirá de nome, de gozo, de louvor, e
de glória, entre todas as nações da terra, que ouvirem
todo o bem que eu lhe faço; e espantar-se-ão e
perturbar-se-ão por causa de todo o bem, e por causa
de toda a paz que eu lhe dou. Assim diz o SENHOR:
Neste lugar de que vós dizeis que está desolado, e sem
homem, sem animal nas cidades de Judá, e nas ruas de
Jerusalém, que estão assoladas, sem homem, sem
morador, sem animal, ainda se ouvirá:A voz de gozo, e
a voz de alegria, a voz do esposo e a voz da esposa, e a
voz dos que dizem: Louvai ao SENHOR dos Exércitos,
porque bom é o SENHOR, porque a sua benignidade
dura para sempre; dos que trazem ofertas de ação de
graças à casa do SENHOR; pois farei voltar os cativos da
( terra como ao princípio, diz o SENHOR ( Jr 33.9-11
.Orai pela paz de Jerusalém
Sejam prósperos os que te amam
( Sl 122.6 )
No muros de“
Jerusalém, o
Senhor colocou
vigias, que de
dia e de noite
clamam, que
não devem ficar
em silêncio...
Não devem
descansar, até
que o Senhor
estabeleça
JERUSALÉM POR
OBJETO DE
LOUVOR em
”toda a terra
( Is 62.6-7 )
Israel
forever
Tabareyya – The Earth PARADISE
Negev Desert – south of Palestine
Bisan waterfalls
Fields near Nazareth
Tabareyya … the sun will rise again
DORMINDO NO MEU LEITO
EM SONHO ENCANTADOR
UM DIA EU VI JERUSALÉM
E O TEMPLO DO SENHOR
OUVI CANTAR CRIANÇAS
E EM MEIO A SEU CANTAR
ROMPEU A VOZ DOS ANJOS
DO CÉU A PROCLAMAR
ROMPEU A VOZ DOS ANJOS
DO CÉU A PROCLAMAR:
JERUSALÉM JERUSALÉM
CANTAI Ó SANTA GREI
HOSANA HOSANA
HOSANA AO VOSSO REI.
ENTÃO O SONHO SE
ALTEROU
NÃO MAIS O SOM
FELIZ
OUVIA DAS HOSANAS
DOS COROS INFANTIS
O AR EM TÔRNO SE
ESFRIOU
DO SOL FALTAVA A LUZ
E NUM ALTO E TÔSCO
MONTE VI O VULTO DE
UMA CRUZ!
JERUSALÉM JERUSALÉM
CANTAI Ó SANTA GREI
HOSANA HOSANA
HOSANA AO VOSSO REI
AINDA A CENA SE
MUDOU
SURGIA EM
RESPLENDOR
A DIVINAL CIDADE
MORADA DO SENHOR
DA LUA NÃO BRILHAVA
A LUZ
NEM SOL NASCIA LÁ
MAS SÓ FULGIA A LUZ
DE DEUS
MUI PURA EM SEU
BRILHAR
E TODOS QUE
QUERIAM
SIM, PODIAM LOGO
ENTRAR
NA MUI FELIZ
JERUSALÉM
QUE NUNCA
PASSARÁ
NA MUI FELIZ
JERUSALÉM
QUE NUNCA
PASSARÁ
JERUSALÉM
JERUSALÉM
TEU DIA VAI RAIAR
HOSANA NAS ALTURAS
HOSANA SEM CESSAR

JERUSALÉM
JERUSALÉM
TEU DIA VAI RAIAR
HOSANA NAS ALTURAS
HOSANA SEM CESSAR

HOSANA NAS ALTURAS


HOSANA AO VOSSO REI