Você está na página 1de 16

PRINCPIOS DE OCLUSO EM IMPLANTES

Visar
Edgard J. Oliveira

1 - Contatos bilaterais e simultneos em RC e MIC 2 - Carga axial 3 - Trabalho sem interferncia 4 - Balanceio sem interferncia

5 - Protruso com desocluso posterior 6 - GA harmnico com os movimentos mandibulares

7 - ATM em relao normal

8 Distribuio equilibrada das foras oclusais


9 - Foras verticais no sentido do longo eixo do implante 10 Reduo da mesa oclusal no sentido vestbulo lingual 11 Anatomia oclusal com cspides baixas

12 Tornar mais suaves os toques oclusais no cantilever 13 Fora oclusal progressiva 14 Proteger sempre o componente mais fraco ( do ponto de vista mecnico)

1 - Contatos bilaterais e simultneos em RC e MIC 2 - Carga axial 3 - Trabalho sem interferncia 4 - Balanceio sem interferncia

VIGA FIXA EM UM EXTREMO E APOIADA EM OUTRO


A reao do lado fixo o dobro daquela do lado apoiado. A tendncia a girar (momento) maior do lado fixo, sendo nula no encaixe. A carga vertical dobro no lado fixo.

A reao do lado fixo o dobro daquela do lado apoiado. A tendncia a girar (momento) maior do lado fixo, sendo nula no encaixe. A carga vertical dobro no lado fixo.

8 Distribuio equilibrada das foras oclusais


PLANOS INCLINADOS
Cargas que se neutralizam

9 - Foras verticais no sentido do longo eixo do implante

CONTATOS OCLUSAIS
planos inclinados movimentao dos dentes desvio da mandbula

10 Reduo da mesa oclusal no sentido vestbulo - lingual

reduzir o momento de fora manuteno da esttica manuteno da proteo aos tecidos

VISTA POSTERIOR
MORDIDA DE TOPO

SULCOS FUNCIONAIS

P DE GALINHA

B
P

T T

B
P

SULCOS FUNCIONAIS

DEDOS DAS MOS