Você está na página 1de 71

RIM

Pesa +/- 150g (0,5% do peso corporal)


 Transforma +/- 1700L de sangue em +/- 1L de
urina
 Excreta resíduos metabólios
 Regula com exatidão a concentração de agua e sal
no corpo
 mantém o equilíbrio ácido adequado do plasma
 Serve como orgão endócrino (eritropoietina, renina,
prostaglandina, etc)
 Participa da ativação da vitamina D
SISTEMA URINÁRIO
• 1- Extremidade superior
• 2- Cápsula renal
• 3- Margem mediana
• 4- Margem lateral
• 5- Hilo renal
• 6- Artéria renal
• 7- Veia renal
• 8- Pelve renal
• 9- Margem mediana
• 10- Ureter
• 11- Parenquima
• 12- Extremidade inferior
• 1- Córtex renal
• 2- Cápsula fibrosa
• 3- Cálices secundários
• 4- Vasos sanguíneos
• 5- Medula (pirâmides)
• 6- Papila da pirâmide
• 7- Seio renal
• 8- Cálices principais
• 9- Coluna renal
• 10- Pelve renal
• 11- Gordura no seio renal
• 12- Raios medulares
• 13- Cálices secundários
• 14- Ureter
CORTICAL E MEDULAR
VASCULARIZAÇÃO RENAL
Rins pesam +/- 0,5 do peso corpóreo e recebem +/- 25% do débito cardíaco
VASCULARIZAÇÃO RENAL
LOBO RENAL
CORTICAL
TÚBULO CONTORCIDO PROXIMAL
TÚBULO CONTORCIDO PROXIMAL
TÚBULO CONTORCIDO PROXIMAL

- absorve aminoácido, glicose, sódio, cloro e


água
- reduz em cerca de 85% o volume do filtrado

Cél. Cúbicas com muitas mitocoôndrias microvilosidades e


interdigitações
Atuação do paratormônio = absorção de cálcioe magnésio e
absorção de fosfato e bicarbonato

Participa do metabolismo da vit. D


ALÇA DE HENLE
ALÇA DE HENLE

- A parte descendente é muito permeável à água,


sódio e cloro (entram sódio e cloro e sai água do
FG – filtrado hipertônico)
- A parte ascendente é impermeável à água, sendo
muito ativa no transporte de cloro e sódio para o
líquido intersticial (filtrado hipotônico).

Formação de um gradiente de concentração


TÚBULO CONTORCIDO DISTAL
TÚBULO CONTORCIDO DISTAL
TÚBULO CONTORCIDO DISTAL

- absorve sódio (aldosterona)


- excreta potássio, hidrogênio e amônia (acidifica a
urina)

Equilíbrio ácido-básico, reabsorção de sódio e excreção de potássio

Mácula densa
TÚBULOS CONTORCIDOS
MEDULAR
SISTEMA COLETOR
SISTEMA COLETOR
TUBO COLETOR
TUBO COLETOR

- Participação do hormônio antidiurético:


. Na sua presença, é permeável à água (sai água da
luz tubular para o espaço extracelular) > urina
hipertônica
. Na ausência, é impermeável à água > urina
hipotônica ou isotônica
NÉFRON
NÉFRON = UNIDADE DE FUNÇÃO E
ESTRUTURAL DO RIM

O QUE COMPÕE O NÉFRON?


GLOMÉRULO
TÚBULO CONTORCIDO PROXIMAL
ALÇA DE HENH
TÚBULO CONTORCIDO DISTAL

TÚBULO COLETOR JÁ É MEDULAR


GLOMÉRULO = CORPÚSCULO DE MALPINGH

REVESTIMENTOS:
O CAPILAR: LUZ
MEMBRANA BASAL
CELÚLA EPITELIAL VISCERAL=
PODÓCITO=REVESTIMENTO INTERNO

O CAPILAR É DE FILTRAÇÃO

REVESTIMENTO EXTERNO(DA CÁPSULA) =


CÉLULAS EPITELIAIS PARIETAIS
Panorâmica da camada cortical. Glomérulos e túbulos
PODÓCITO

É A CÉLULA EPITELIAL VISCERAL


• NÚCLEO
• CORPO COM PROLONGAMENTOS

PROLONGAMENTOS SÃO FALSOS PÉS


BARREIRA DE FILTRAÇÃO

CÉLULAS ENDOTELIAIS
MEMBRANA BASAL DO CAPILAR
PODÓCITO (CÉLULA EPITELIAL VISCERAL)

Na BARREIRA há FENDAS e POROS de


FILTRAÇÃO
BARREIRA DE FILTRAÇÃO
CÉLULAS EPITELIAIS PARIETAIS

EPITÉLIO PAVIMENTOSO SIMPLES


TECIDO DE SUSTENTAÇÃO

MESÂNGIO

CÉLULAS MESANGIAIS
MATRIZ MESANGIAL
MESÂNGIO

• Sustentação
• Fagocitose
• Contração
• Secretam substâncias ativas
• Manutenção da membrana basal
TEOR DE CELULARIDADE DO GLOMÉRULO
Glomérulos normais:
Notar tamanho, celularidade, espessura
dos capilares, largura do espaço de Bowman
GLOMÉRULO TEM 2 POLOS

VASCULAR
URINÁRIO
APARELHO JUSTAGLOMERULAR

Mácula densa + células epitelióides + células


não-granuladas = APARELHO JUSTAGLOMERULAR
ARTERÍOLA AFERENTE

CAMADA MÉDIA TEM CÉLULAS EPITELIÓIDES


BARORRECEPTORAS
RENINA
MEMBRANA BASAL
MEMBRANA BASAL

Colágeno tipo IV
Laminina
Proteoglicans polianiônicos – sulfato de heparan

Peso molecular > 70.000


Raio molecular >35nm
COMO O GLOMÉRULO PODE SER LESADO ??

TÓXICOS
IMUNOLÓGICOS
TROMBÓTICOS
METABÓLICOS, ETC
• ETIOPATOGÊNESE
• Principais mecanismos imunitários:
1) depósitos glomerulares de ICC
2) formação in situ de IC (antígenos intrínsecos
ou antígenos “plantados”)
• Secundariamente:
1) alterações da imunidade celular
2) ativação da via alternada do complemento
NEFRITES POR IMUNOCOMPLEXOS
CIRCULANTES

IMUNOCOMPLEXOS = Ag + Ac

CIRCULANTES = FARMADO FORA DO RIM

GLOMÉRULO É LESADO DEVIDO A FUNÇÃO DE


FILTRAÇÃO
FORMAÇÃO DE IMUNOCOMPLEXO “IN SITU”

• OCORRE FORMAÇÃO DE ANTICORPOS CONTRA O


RIM “LESÃO ANTI-MEMBRANA BASAL
GLOMERULAR” ( NEFRITE DE MASUGI)
(LESÃO ANTI-MBG)

2)REAÇÃO A ANTÍGENOS “PLANTADOS” NO


GLOMÉRULO ( NEFRITE DE HEYMANN)
PERDA DO POLIÂMON DA MEMBRANA BASAL
ATIVAÇÃO DA VIA ALTERNADA DO
COMPLEMENTO

A CASCATA COMEÇA NO C3
OUTROS MECANISMOS

HIPERTENSÃO
COMO ELE REAGE A AGRESSÃO ?

LINHA PROLIFERATIVA
É EXSUDATIVA

SÍNDROME NEFRÍTICA

DA CELULARIDADE
MESÂNGIO, ENDOTELIAIS E PODÓCITOS
SÍNDROME NEFRÍTICA

MANIFESTAÇÃO CLÍNICA=CORELAÇÃO
ANÁTOMO CLÍNICA

*** OLIGÚRIA = DO ESPAÇO DE BOWMAN


A FILTRAÇÃO
*** HEMATÚRIA

***CILINDRÚRIA
*HIPERTENSÃO
*EDEMA
*PROTEINÚRIA
*MAL-ESTAR, FEBRE = INFECÇÃO
•PROTEINÚRIA, HIPERTENSÃO E EDEMA
SÍNDROME NEFRÍTICA

TRÍADE = OLIGÚRIA
HEMATÚRIA
CILINDRÚRIA

PROTEINÚRIA
HIPERTENSÃO
EDEMA
• SÍNDROME NEFRÍTICA
• Principais Sintomas, Sinais e outras
Manifestações

• Início súbito
• Oligúria
• Edema
• Hipertensão arterial
• Hematúria geralmente macroscópica
• Proteinúria discreta ou moderada
Fisiopatologia da Síndrome Nefrítica
Fisiopatologia da Síndrome Nefrítica
SÍNDROME NEFRÓTICA

ESPESSURA ou ESTRUTURA da MEMBRANA BASAL = PROTEINÚRIA


HIPOPROTEINEMIA
PRESSÃO ONCÓTICA
EDEMA MACIÇO
HIPERLIPIDEMIA
LIPIDÚRIA
- SÍNDROME NEFRÓTICA
• Principais manifestações

• Proteinúria maciça (> 3,5g/dia)


• Hipoalbuminemia (<3,0g/dl)
• Edema generalizado
• Hiperlipidemia
• Lipidúria
• Diminuição da resposta imunitária
• Hipercoagubilidade (> filtração dos fatores da
coagilação)
• Anemia (eliminação urinária do ferro fixado a
transferrina)
De acordo com o segmento:
Glomerulopatias
Tubulopatias
Doenças intersticiais
Doenças vasculares

Bx renal: MO; IMF/IHQ; ME

QC: síndromes NEFRÍTICA E NEFRÓTICA


insufuciência renal aguda
insuficiência renal crônica

rim em estágio terminal


INSUFICIÊNCIA RENAL AGUDA

 Principais manifestações
• Declínio súbito e grave da função renal
• Oligúria ou anúria (<400ml/24h de urina)
• Acidose metabólica e hiperpotassemia
• Decorre de lesões graves nos glomérulos, túbulos,
interstício e vasos sangüíneos
• pode ser pré-renal(choque , hipovolemia,etc), renal
(hemólise intravascular, mioglobinemia, aborto,etc)ou
pós-renal(obstrução das vias excretoras)
INSUFICIÊNCIA RENAL CRÔNICA

 Principais manifestações
• Declínio lento e progressivo da função renal
• Resultado final de todas as doenças renais crônicas
• Há cicatrizes e retrações na superfície do rim
• O tratamento definitivo é o transplante renal.
• Tratamento paliativo é obtido com hemodiálise.
Padrões de injúria glomerular

• focal
• segmentar
• difusa
• global
Alterações glomerulares básicas

Proliferação celular: mesangial, epitélio visceral,


endotélio, epitélio parietal (crescentes)
Exsudação: granulócitos, células mononucleadas
Espessamento da parede capilar: MB, interposição
mesangial
Esclerose e/ou fibrose