Você está na página 1de 36

Metodologia de Capacitação

Profissional
PRODETUR/NE II

José Antonio Küller


zeankuller@uol.com.br
07/03/09
Duas faces da Metodologia de
Capacitação

 Metodologia de Programação: Forma de


definição do conjunto de Programas (oferta de
capacitação).

 Metodologia dos Programas: forma de


desenvolver cada um dos Programas
Metodologias de Programação
Disponíveis
 Demanda social : programação decorrente do jogo
da demanda e da oferta de capacitação
promovidas por atores sociais interessados.

 Demanda de mercado de trabalho: oferta de


capacitação derivada das necessidades da
população empregada e da geração de novos
postos de trabalho.
Metodologia de
desenvolvimento dos
programas disponíveis:
 Convencional: centrada no ensino, no professor e na
transmissão de conhecimentos ou no adestramento
para tarefas (o ser, o saber e o saber fazer já estão
prontos).

 Alternativa: Centrada no aluno, na aprendizagem e na


constituição de competências (construção coletiva do
ser, do saber e do saber fazer).
Metodologias atualmente
utilizadas nos pólos:
 Metodologia de Programação: a de demanda
social. Utilizada atualmente nos pólos sob a
forma de oferta e demanda de cursos de
capacitação.
 Metodologia de desenvolvimento de
programas: a convencional. Centrada na
transmissão de conhecimentos nas formações
de nível médio ou superior e no adestramento
para as tarefas na formação básica.
Conseqüências da metodologia
utilizada
 Oferta e procura caóticas de programas quando
confrontadas com a evolução do mercado de trabalho.
Oferta excessiva ou insuficiente de capacitação.

 Inadequação da formação aos novos perfis


profissionais demandados pelo mercado de trabalho e
às necessidades de ser e de conviver na sociedade
atual.
A metodologia de programação
proposta:

 É uma síntese. Parte da metodologia de demanda de


mercado e integra a de demanda social.
 É abrangente. Envolve três planos de ação: capacitação
profissional, desenvolvimento institucional e educação para o
turismo.
 Tem uma perspectiva estratégica. Parte da qualidade
profissional, evolui para a excelência em serviços, a
responsabilidade social, o desenvolvimento sustentado do
turismo, até a construção da cidade educativa para o
turismo. 2
A Metodologia de
Desenvolvimento de Programas
(Proposta)
 Parte da atividade do aluno e é focada na aprendizagem.
 É modular e centrada na constituição de competências.
 Objetiva o desenvolvimento de um perfil profissional
identificado no mercado.
 Incluí a certificação como forma de validação da formação.
 É baseada em Guias de Aprendizagem validados
nacionalmente.
 Inclui sempre um projeto de desenvolvimento sustentado do
turismo.
 Envolve uma estratégica de educação permanente.
Dois Programas em Dois
Diferentes Componentes
 Capacitação e Certificação Profissional
(Planejamento Estratégico, Treinamento e Infra-
estrutura para o Crescimento Turístico)

 Capacitação Empresarial Empreendedora


(Promoção de Investimentos do Setor Privado /
Anexo R)
Objetivos do Plano de
Capacitação
• Capacitar e certificar a qualidade profissional de pelo menos
80% dos trabalhadores do Setor, até o ano de 2005.
• Implementar uma metodologia de capacitação com
organização curricular modular, centrada em competências e
integrada ao desenvolvimento sustentado do turismo.
• Apoiar o desenvolvimento de uma cultura da hospitalidade.
• Apoiar programas ativos de geração de emprego e renda.
Modalidades de Capacitação
Profissional
 Qualificação Básica
 Desenvolvimento Profissional
 Capacitação Básica
 Formação Técnica e Tecnológica
 Formação de Formadores
 Desenvolvimento Empresarial
 Geração de Emprego e Renda
 Gestão e Avaliação (Fortalecimento
institucional)
 Implementação da Metodologia
(Implementação da visão estratégica)
Modalidades de Capacitação
Profissional

1. Qualificação 2. Desenvolvimento

 Sem exigência de  Sem exigência de


escolaridade escolaridade
 Ocupação definida  Profissional já empregado
 80% dos novos postos  80% dos empregados
 Novo posto  Exame diagnóstico
 Guia de aprendizagem  Formação no emprego
 Certificação  Certificação
 Projeto  Projeto
Modalidades de Capacitação
Profissional
4. Formação técnica e
3. Capacitação básica
tecnológica
 Destinada a jovens
 Exige ensino fundamental
 Sem exigência de
ou médio completo.
escolaridade
 Ocupações técnicas ou de
 Duração mínima de 300
gerência.
horas
 Novos postos
 Dirigida a uma área
 Certificação
 Competências básicas
 Projeto
 % de empregos indiretos
 Projeto
Modalidades de Capacitação
Profissional
5. Formação para 6. Geração de renda
formadores
 Sem escolaridade prévia
 Profissional experiente e  Destinada a ocupações
certificado
relacionadas com o
 Atendimento a todas as turismo
modalidades
 Diagnóstico e certificação
 Até 2O% dos empregos
indiretos
 Ambiente de ensino e local de
trabalho.  Duração variável
 Guias de aprendizagem - 40h  Instrutores certificados
 Preparação para o trabalho com
projetos
Modalidades de Capacitação
Profissional (?)
8. Implementação da Metodologia
(Implementação da visão
7. Avaliação e Gestão estratégica)
(Fortalecimento
Institucional)
 Formatar ou adaptar Programas de
Capacitação Básica (Jovens).
 Apoiar o plano de
capacitação.
 Evento “Compromisso com a
Qualidade Profissional” Evento de
 Grupo de gestão e Projetos de Educação Básica.
parceiros  Reformulação dos programas
 Envolve avaliação
externa
 Treinamento de técnicos de escolas
de educação profissional (currículos)
 Seminário Articulação de Agentes
Educativos Informais
 Desenvolvimento de projeto “Em
Direção à Cidade Educativa para o
Turismo”
Objetivos da Capacitação
Empresarial Empreendedora
• Apoiar a constituição de uma visão
empresarial que valorize a
qualidade profissional, a excelência
em serviços, a educação
profissional permanente e a
responsabilidade social das
organizações.
Modalidades de Capacitação
Empresarial
 Promoção do Associativismo

 Qualidade Profissional

 Excelência em Serviços

 Responsabilidade Social

 Organização de Aprendizagem
Modalidades de Capacitação
Empresarial

1. Promoção do 2. Qualidade Profissional


Associativismo
 Engajamento das empresas nos
programas de capacitação e
 Aumento da
desenvolvimento (EP)
representatividade
 Seminários de divulgação e
 Aumento do número de
sensibilização
associados
 Grupos de encontro (pool de
 Workshop
empresas)
 Desenvolvimento de  Selo e diploma “Compromisso
projetos
com a qualidade” (SBCQP)
Modalidades de Capacitação
Empresarial

3. Excelência em 4. Organizações de
serviços Aprendizagem

 Incremento na qualidade  Transformação das


de prestação de serviços empresas em
 Seminários de organizações de
sensibilização aprendizagem
 Cursos de gestão da  Seminários de
qualidade sensibilização
 Consultoria em programas  Consultoria para grupos de
de melhoria da qualidade empresas
 Projetos de ação
Modalidades de Capacitação
Empresarial

5. Responsabilidade Social

 Empresas envolvidas em projetos de


desenvolvimento sustentado do turismo
 Seminários de sensibilização
 Grupos de encontro
 Empresas certificadas pelo Instituto ETHOS.
Modalidades de Educação Para
o Turismo
 Projetos como eixo transversal do currículo da Educação
Básica

 Educação da população potencialmente beneficiária de projetos


de desenvolvimento do turismo (preservação cultural, escolas
de produção)

 Educação para o turismo de profissionais que mantém contato


com o turistas (motoristas, vendedores, policiais, etc.)

 População em geral.
A Cidade Educativa

Aprender a cidade. Nesta dimensão a cidade é objeto da


aprendizagem. Aprende-se a ler a cidade, a utilizá-la e a participar de
sua construção.
Aprender na cidade. Nesta dimensão a cidade é vista como contexto e
continente de agentes educativos. agindo em torno de um projeto
comum.
Aprender com a cidade (1). A cidade e a rua educam pelo conjunto de
encontros humanos, eventos culturais, movimentos e transformações
que reúnem.
Aprender com a cidade (2). Tornar intencional a dimensão
educativa da cidade em direção a um modelo de cidade ou de uma
utopia urbana.
Exemplo de aplicação: Costa
das Dunas
 Trata-se de um exercício
 Considera um diagnóstico já elaborado
 Implica em identificar o número atual de
trabalhadores por ocupação
 Implica em identificar o número atual de
empreendimentos
 Implica em estimar o crescimento do número de
empreendimentos e postos de trabalho
Necessidades de
Capacitação (RAIS)

Município Meios de A&B Agência de Viagem Total


Hospedagem

Natal 1.406 986 162 2.554

Ceará Mirim 62 221 35 318

Total por Setor 1. 468 1. 207 197 2.872


Geração de Empregos
(PDITS)
PARÂMETRO PERÍODO
OBJETIVO E TOTAL NOS 15
METAS UNIDADE ANOS
UTILIZADO 2000 - 2005 2005 - 2010 2010 – 2015

Incremento Número de
de Unidade UH
2.297 1.300 2.500 6.097
Hoteleira no
Período
Empregos Número 1,6 Empregos
Diretos Emprego Diretos / UH 3.675 2.080 4.000 9.755
Gerados
Empregos Número 3 Empregos
Indiretos Emprego Indiretos para 11.026 6.240 12.000 29.266
Gerados cada Direto
Meta de Qualificação
Profissional
 Meta 1: Qualificar para o Setor de Turismo, no
máximo 3.675 pessoas no período de 2001- 2005
(735 pessoas/ano, em média) na Costa das Dunas
(Natal e Ceará Mirim)

 Ver página 9 do Relatório II – Costa das Dunas


Necessidades de Qualificação
Profissional

Ocupações Previsão Total (2001–2005) Distribuição das turmas


Alunos Turmas 2001 2002 2003 2004 2005
Meios de hospedagem e Alimentos & Bebidas

Camareira 530 21 4 4 5 4 4
Recepcionista 198 8 - 2 2 2 2
Comprador 37 2 2
Cozinheiro 237 10 2 2 2 2 2
Porteiro 107 4 1 1 1 1
Gerente 109 4 1 1 1 1
Garçon 404 16 3 3 4 3 3
Governanta 27 1 1
Aperfeiçoamento

Meta: Diagnosticar necessidades


específicas, desenvolver e certificar a
qualidade profissional de 5.354 profissionais
na Costa das Dunas (Natal e Ceará Mirim).

Município Meios de A&B Agência de Total


Hospedagem Viagem

Natal 2.884 2.021 332 5.237

49 68 0 117
Ceará Mirim
Necessidades de
Aperfeiçoamento por Ocupação
Número de Provável Número Instrutor Instrutor/ Instrutor/
Exames Necessidade total de (número) grupo/ grupo/ ano/
Ocupações
Diagnósticos (70%) grupos 2002 2203-2005
Camareira 1493 1045 104 104 26 26
Recepcionista 515 360 36 36 9 9
Comprador 96 67 7 7 4 1
Cozinheiro 594 416 41 41 11 10
Porteiro 278 194 19 19 7 4
Gerente 273 191 19 19 7 4
Garçon 1009 706 70 70 19 17
Necessidades de Capacitação
Profissional Básica

 Empregos indiretos = 11.026

 Meta: Promover a capacitação profissional básica no


Setor de Turismo para 1.000 jovens em risco de
exclusão social no período de 2002 a 2005.
Necessidades de Formação de
Formadores

TURMAS DE PERÍODO
INSTRUTORES (20 a 25 TOTAL
2002 2003 2004 2005
alunos)

Instrutor da Qualidade 3 - - - 3
Profissional que Atua
no Meio Educacional

Instrutor da Qualidade 7 4 4 4 19
Profissional que atua no
Local de Trabalho

10 4 4 4 22
Total de Turmas
Necessidades de Desenvolvimento
Empresarial
Programa Número / Nº de C.H. Turmas/Período de
participante turmas Realização
2002 2003 2004 2005
Qualidade Profissional
(seminário) 750 5 16 2 1 1 1
Qualidade Profissional
(encontros) 750 50 20 15 15 10 10
Excelência em
Serviços (Seminários) 750 7 16 - - 4 3
Gestão da Qualidade
(cursos) 375 12 40 - - 6 6
Organizações de
Aprendizagem 375 3 16 - - - 3
(seminário)
Grupos de Consultoria
(organizações 175 7 50 - - - 7
educativas)
Responsabilidade
Social (seminário) 750 10 16 3 3 2 2
Responsabilidade
Social (encontros) 750 50 20 15 15 10 10
Cargas horárias de referência
para custos
Ocupação Carga Carga Horária de Projeto Carga Horária Total
Horária
Recepcionista 144 30 174
Garçom 152 30 182
Maître 148 30 178
Porteiro 100 20 120
Camareira 112 20 122
Governanta 152 30 182
Reparador 140 20 160
Steward 108 20 128
Barman 136 20 156
Exercício de Cálculo de Custos -
Qualificação
OCUPAÇÃO CH do Número de Custo Custo Valor Total
Programa Turmas Aluno Turma 2001- 2005
2001- 2005 em Real
Camareira 122 21 439,20 10.980,00 230.580,00
Recepcionista 174 8 842,40 21.060,00 168.480,00
Comprador* 140 2 504,00 12.600,00 25.200,00
Cozinheiro 158 10 568,80 14.220,00 142.200,00
Porteiro 120 4 432,00 10.800,00 43.200,00
Gerente 198 4 712,80 17.820,00 71.280,00
Garçon 150 16 540,00 13.500,00 216.000,00
Governanta 182 1 655,20 16.380,00 16.380,00
Mensageiro 112 2 403,20 10.080,00 20.160,00
Outro exercício de custo:
implementação da visão
estratégica

Custo
Ações
2002 2003 2004 2005 Custo Total
Formatar ou adaptar
Programas de Capacitação 10.000 10.000
Básica (J ovens).
Evento “Compromisso com a
Qualidade Profissional” 15.000 15.000 15.000 15.000 60.000
Evento de Projetos de
Educação Básica. 10.000 10.000 10.000 30.000
Reformulação dos programas 50.000 50.000
Treinamento de técnicos de
escolas de educação 20.000 20.000
profissional (currículos)
Seminário Articulação de
Agentes Educativos Informais 20.000 20.000
projeto “Em Direção à
Cidade Educativa para o 50.000 50.000
Turismo”
Total (Em Real) 105.000 25.000 105.000 105.000 340.000