Você está na página 1de 11

Apesar de Itália participar na 1ªGuerra

Mundial, ao lado dos países vencedores,


não viu satisfeitas as suas
reivindicações.
Esta situação gerou um forte descontentamento em relação
aos tratados de paz porque, estes não contemplaram as
pretensões dos italianos.
Para além desta situação, a Itália vivia uma grave crise económica, a
moeda desvalorizou, os preços subiram, a produção agrícola e industrial
baixou. Devido a isto aumentou também o desemprego.
Esta grave situação social e económica traduziu-se por muitas greves, o
que levou a ocupação de fábricas e de outros centros de trabalho no sul do
país.
Os motins foram generalizados por toda a Itália.
Enquanto os problemas económicos e sociais se tornavam
agudos, o parlamento italiano tentava encontrar a resposta
a crise, mas ainda não tinha conseguido. Acentuaram-se as
críticas ao governo, quer por parte dos camponeses e
operários, quer por parte das grandes industrias e classes
médias.
O apoio da extrema direita foi reforçado pela fragilidade da
monarquia parlamentar, que era incapaz de resolver os
problemas económicos e sociais, e o medo do bolchevismo.
Foi aqui que surgiu na política italiana o Benito Mussolini.
Mussolini acreditava que só um
estado forte e autoritário pode
salvar a Itália. E assim restabeleceu
o seu antigo esplendor.
Em 1919 o Benito Mussolini
fundou os (fascis) que deram
origem ao Partido Nacional
Fascista em 1921 . Este programa
era nacionalista, anti parlamentar,
anti capitalista e anti comunista.
Os grandes possuidores
(proprietários) rurais e industriais
construíram a sua base de apoio,
sendo os seus principais
financiadores. A estes apoiantes,
juntaram-se as classes médias,
desempregados, o operariado e
militares.
Em 1922, Mussolini, contrariando
uma greve detectada pela esquerda,
organizou a Marcha Sobre
Roma, surgindo como garante da
ordem, estabilidade e autoridade.
Neste mesmo ano, foi convidado pelo
rei Vítor Emanuel III a formar o
governo.
A base de apoio do Benito Mussolini
foi encontrada nos militares de
descontentes de todos os grupos
sociais. Os militares da extrema-
direita foram, preparados
militarmente. Estavam vestidos de
negro, simbolizando o luto pela Itália
em crise e manifestavam-se
regularmente em grandes paradas e
manifestações públicas de força e
poder.
Em 1922, o rei Vítor Emanuel
III, convidou o Mussolini a
formar o governo.
Mussolini desembarcou-se de
todos os seus opositores,
através da fraude, da violência
e intimidação.
Em 1924, obteve 65% dos votos
e a maioria dos lugares no
parlamento.
Entre 1925 e 1945 a Itália viveu
a experiência de um regime
autoritário e ditatorial.
O único partido possível na
vida política italiana era
Partido Nacional Fascista.
Trabalho elaborado por:
PETRO SAVCHYN Nº10
9ºA