Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero

Teoria de Vôo de Helicóptero

Material elaborado por: Instrutor F. Araújo

Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero

Eixos Imaginários
- VERTICAL - LONGITUDINAL - LATERAL (TRANSVERSAL)‫‏‬

Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero

Eixos Imaginários
EIXO VERTICAL - O eixo vertical atravessa o
helicóptero no sentido vertical, como se fosse o prolongamento do mastro para cima e para baixo. Em torno deste eixo, temos o movimento de giro em vôo pairado que é denominada de guinada. O comando é executado pelos pedais, através do rotor de cauda.

Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero

Eixos Imaginários
EIXO LONGITUDINAL - O eixo longitudinal atravessa o
helicóptero, da cauda ao nariz, ou seja, longitudinalmente. A manobra executada nesse eixo é o rolamento e é feito com o comando cíclico.

é feito pelo comando cíclico .O eixo transversal ou lateral atravessa o helicóptero.Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Eixos Imaginários EIXO LATERAL (TRANSVERSAL) . no sentido lateral e tem como manobra em seu eixo a arfagem que é o movimento de cabrar (subir) ou picar (descer).

capaz de aproveitar reações úteis oferecidas pelo ar. .Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Aerofólio -Aerofólio é superfície aerodinâmica.

Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Aerofólio Bordo de Ataque: parte frontal do aerofólio. .

.Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Aerofólio Bordo de Fuga: parte traseira do aerofólio.

Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Aerofólio Cambra Superior: superfície dorsal (parte de cima). .

.Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Aerofólio Cambra Inferior: superfície ventral (parte de baixo).

.Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Aerofólio Corda de um aerofólio: -Linha imaginária que vai do bordo de ataque ao bordo de fuga.

Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Aerofólio Centro de pressão: -Ponto imaginário onde estão concentradas todas as foras aerodinâmicas de um aerofólio. .

Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Aerofólio Função do Aerofólio: -A principal função prover sustentação ao helicóptero sendo capaz de suportar o peso da própria aeronave e a carga a ser transportada deve ser também capaz de suportar as manobras executadas. .

Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Aerofólio O aerofólio mais utilizado em helicópteros é do tipo simétrico e o modelo mais usado o NACA 0012.Perfil simétrico 12 .Razão de fineza a 30% da corda média . Onde: 00 .

.Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero As Pás O material de construção geralmente o alumínio com o bordo de ataque em ao inox e no seu interior uma colméia de alumínio para dar resistência.

Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Envergadura É a distância máxima da raiz da pá do rotor até a ponta. .

ENVERGADURA ALONGAMENTO = CORDA .Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Alongamento Razão de aspecto é a relação entre a envergadura e a corda ou razão de aspecto (envergadura/corda).

LONGITUDINAL (passo)‫‏‬ TRANSVERSAL (batimento)‫‏‬ VERTICAL ( avanço e recuo)‫‏‬ .Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Eixos Imaginários das Pás Como as pás de um rotor funcionam independente no movimento em relação ao conjunto. esta tem seus próprios eixos para atuação das forças.

onde a velocidade é quase zero até a ponta da pá. as pás dos helicópteros. Tendo em vista que a sustentação varia com o quadrado da velocidade. apresentam uma torção de modo que o ângulo próximo à raiz é bem maior do que o ângulo na ponta da pá . para que haja uma distribuição uniforme de sustentação ao longo da pá. onde a velocidade pode ser superior a 500 mph.Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Torção da Pá Ao longo da pá de um helicóptero a velocidade aerodinâmica varia gradualmente e as pás devem ter eficiência desde a raiz.

Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Plano de Rotação É o plano limitado pela média da trajetória das pás. . sempre perpendicular ao seu eixo rotação.

Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Eixo de Rotação É a linha imaginária que passa através de um ponto em torno do qual um corpo gira. .

Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Disco do Rotor É a projeção sobre um plano da trajetória circular das pás. nem sempre a ponta da pá passar por um mesmo plano. .

Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Solidez Parcial do Disco É razão existente entre a área de UMA pá e a área TOTAL do seu disco. .

Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Solidez Total do Disco É razão existente entre a soma da área de TODAS as pás de um rotor e a área TOTAL do seu disco. .

PESO BRUTO RAZÃO DE CARGA = ÁREA DO DISCO .Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Razão de Carga É a relação entre o PESO bruto da aeronave e a ÁREA DO DISCO.

Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Vibrações BAIXA FREQUÊNCIA.São causadas pelo Rotor Principal .

Causa: rotor principal desbalanceado Lateral .Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Vibrações Vibrações de baixa freqüência .Sacode o helicóptero de um lado para outro.São fáceis de contar e correspondem. aproximadamente. Causa: Pás do rotor principal fora de tracking. permanecendo constante em diferentes velocidades.sacode o helicóptero de baixo para cima e vice-versa. Aparece em todas as manobras e geralmente aumenta com a velocidade. São também conhecidas como vibrações do tipo 1 por 1 (de 100 a 400 ciclos por min). a uma vibração por cada volta do rotor. . Vertical .

Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Vibrações FREQUÊNCIA INTERMEDIÁRIA.Ocorrem na transição do vôo pairado para o vôo em deslocamento. .

causada pela transição de vôo pairado para o vôo com deslocamento e vice-versa. Causa: vibração normal. Lateral . São conhecidas também como vibrações do tipo 2 por 1 (de 1000 a 2000 ciclos por minuto). Correspondem aproximadamente a duas vibrações por cada volta do rotor.Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Vibrações Vibrações de freqüência intermediária. .Difíceis de contar. aparece entre 15 e 20 milhas por hora.Sacode o helicóptero lateralmente.

São causadas pelo Rotor de Cauda .Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Vibrações ALTA FREQUÊNCIA.

Causa: vibração anormal. Causa: trepidação do motor ou do ventilador . Causa: vibração normal.Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Vibrações Vibrações de alta freqüência . se apresentam como zumbido (acima de 2000 ciclos por minuto). 1) Vibração sentida na fuselagem e nos pedais quando em vôo pairado com vento cruzado. diminuindo ou desaparecendo em auto-rotação. alinhamento ou empeno do eixo diretor de cauda. provocada pelo batimento excessivo das pás do rotor de cauda. geralmente provocada pelo balanceamento do rotor de cauda. 2) Vibração sentida nos pedais em todas as manobras.Impossíveis de contar. 3) Vibração sentida na fuselagem em todas as manobras.

Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero As Forças 1234Sustentação Peso Tração Arrasto 1 4 3 2 .

Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Sustentação Sustentação é a resultante das forças aerodinâmicas perpendiculares ao deslocamento da aeronave L = Sustentação CL = Coeficiente de sustentação (varia com o ângulo de ataque)‫‏‬ r = Densidade do ar S = Área do aerofólio V = Velocidade aerodinâmica * A área de um aerofólio é medida em m² ou pés²  L= CL  SV 2 .

Lw = Mg W = Peso g = Gravidade .Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Peso Peso é definido como ação a gravidade sobre um corpo.

e deve ser maior que o arrasto. T = Tração .Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Tração Tração é a força que impulsiona a aeronave.

Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Tração Nos helicópteros é o rotor que fornece a sustentação e impulsiona a aeronave na direção desejada. Quando o plano do rotor é inclinado para frente. surge a Tração. L L1 T = Tração L1 = Sustentação L = Tração + Sustentação T .

Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Arrasto É a força ou reação contrária ao deslocamento. Tende a “segurar” um corpo que se desloca no ar. É a resistência ao avanço. d = Arrasto CD = Coeficiente de arrasto p = densidade do ar S = Área do aerofólio V = Velocidade aerodinâmica  d= CD  SV 2 .

.Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Torque É a força que tende a girar um corpo na direção contrária ao movimento.

. medido nem suas pontas.Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Batimento O Batimento ou Flapping é o movimento vertical das pás.

Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Batimento PÁ QUE AVANÇA R OT OR S E MI-R IGIDO PÁ QUE AVANÇA ROT OR ART ICULADO .

.Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Por hoje é só...

Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Força de Coriolis Quando uma pá de um rotor faz um movimento de batimento para cima. Como a distância se torna menor quando a pá executa o movimento de batimento para cima. . a velocidade de rotação da pá deve aumentar para que o produto das duas permaneça constante. a velocidade de rotação da pá deve diminuir . à distância do centro da massa da pá ao eixo da rotação diminui (a distância do centro da massa ao eixo da rotação vezes a velocidade de rotação deve sempre permanecer constante para uma mesma RPM do rotor). da mesma forma quando a pá executa o movimento de batimento para baixo.

Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Força de Coriolis E ixo de rotação B atimento Centro de massa .

sua velocidade de rotação diminui (o centro de massa se move para longe do eixo de rotação) e quando ele encolhe os braços. do centro de massa ao eixo de rotação do rotor. Os rotores semi-rígidos são normalmente menos sujeitos aos efeitos de Coriolis porque as pás estão colocadas em um plano abaixo do cubo do rotor e as variações em distância. são pequenas O movimento de avanço e recuo das pás são absorvidas pela própria flexão das pás. sua velocidade de rotação aumenta por que o centro de massa se aproxima do eixo de rotação.Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Força de Coriolis Esta mudança de velocidade da pá no plano de rotação provoca um movimento de avanço e recuo em torno do eixo vertical de fixação da pá. . Quando o homem estende os braços. O efeito de Coriolis pode ser comparado com um bailarino que gira sobre si mesmo.

Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Força Centrífuga É a fora que tende a arrancar as pás do mastro do rotor. .

. por efeito do peso do aparelho e da maior ou menor rotação do rotor.Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Cone do Rotor É o grau de enflexamento de suas pás.

Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero

Efeito Cone
É o grau de enflexamento das pás, que não giram num mesmo plano devido ao efeito da carga, ou seja, devido ao peso que suportam, tende a aumentar em atitudes de cabrada, curvas ou em manobras que produzam esforços capazes de aumentar o peso do aparelho. É a combinação entre as forças de Sustentação e Centrífuga.

Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero

Efeito Cone
O Efeito Cone tende a diminuir com aumento de velocidade de rotação das pás e em conseqüência um aumento da fora centrífuga. Um excessivo efeito cone faz com que haja sobrecarga nas pás, diminuição das amplitudes do rotor principal e perda de sustentação Notas: 1- A perda excessiva de RPM leva ao enflexamento acentuado e possível quebra das pás. 2- O excesso de RPM além das pás entrarem em estol de velocidade e as pás podem ser sobrecarregadas.

Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero

Fluxo de Ar Induzido
Fluxo de ar induzido - É o termo usado para a massa de ar que passa pelo rotor pela ação do rotor a massa de ar é forçada a passar de cima para baixo, sofrendo aceleração. Conforme o sentido e a intensidade do deslocamento do helicóptero. o fluxo de ar induzido também sofrerá variações. Uma subida na vertical por exemplo aumentará a intensidade do fluxo de ar induzido já um deslocamento horizontal reduzirá essa intensidade.

Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero

Dissimetria de Sustentação
Também conhecida como Efeito Translacional, é quando num vôo pairado sem vento, a velocidade de uma pá é constante, qualquer que seja sua posição no disco do rotor, temos nesta condição uma sustentação simétrica no disco
400 MPH 300 MPH 200 MPH 0 MPH 200 MPH 300 MPH 400 MPH VENT OR ELAT IVO DAS PÁS

P AIR ADO

formando áreas de diferentes sustentação. a velocidade de rotação é somada à velocidade do deslocamento do helicóptero.Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Dissimetria de Sustentação Dissimetria de sustentação é a sustentação desigual que ocorre entre as pás que avançam e as pás que recuam quando o helicóptero se desloca em qualquer direção ou com a presença do vento. Isso acontece porque há uma variação na velocidade do ar que passa pelas pás (vento relativo). Na pá que avança. . A dissimetria de sustentação pode ser considerada como o principal fator de limitação da velocidade do helicóptero. cada vez mais com o aumento da velocidade. aumentando o vento relativo efetivo que por ela passa. Ela é involuntária e acontece automaticamente e faz com que o helicóptero perca sustentação das pás que estão recuando e tendendo rolar para este lado.

Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Dissimetria de Sustentação Vôo para frente 100 mph 500 MPH 400 MPH ÁREA DE MAIOR S US T ENT AÇÃO 200 MPH 100 MPH V ento relativo 100 mph 0 MPH 200 MPH VENT O RELAT IVO DAS PÁS 300 MPH Vôo para frente 100 mph .

precisamos diminuir a sustentação da pá que avança. PÁ QUE AVANÇA ROT OR S EMI-RIGIDO . Se diminuirmos o ângulo de ataque da pá que avança teremos uma sustentação menor nesta pá. tem maior sustentação. Então. e tudo estará resolvido. e se aumentarmos o ângulo de ataque da pá que recua teremos uma sustentação maior nesta pá. A pá que avança. pelo espanhol Juan de La Cierva. em um vôo pairado com vento ou em deslocamento.Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Dissimetria de Sustentação O problema somente foi resolvido em 1928 . e aumentar a sustentação da pá que recua. Esta variação do ângulo de ataque foi conseguida através da articulação de Batimento (flapping). que a pá que recua.

na medida que sua velocidade aumenta devido ao vento relativo.Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Dissimetria de Sustentação A articulação de batimento. permite que a pá que avança suba. tem sua velocidade diminuída. A pá que recua. começa a descer e então consequentemente terá seu ângulo de ataque aumentado devido a mudança de direção do vento relativo. diminuindo assim o seu ângulo de ataque. .

apoiados em um eixo.Precessão Giroscópica .Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Efeito Giroscópico Efeitos giroscópios são efeitos inerentes a todos os corpos (massas) que giram.Rigidez Giroscópica . . Esses efeitos são caracterizados por duas maneiras que veremos a seguir.

Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Efeito Giroscópico É o efeito em que o eixo tende a permanecer sempre perpendicular ao plano de rotação da massa giratória. Esse efeito será tanto maior quanto maior for a rotação da massa. em torno do seu eixo. Rigidez Giroscópica - .

Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Rigidez Giroscópica .

Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Efeito Giroscópico Precessão Giroscópica depois do ponto de aplicação. É a força que atua 90º .

Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Efeito Giroscópico No helicóptero para compensar esta defasagem as tesouras rotativas adiantam o comando cíclico mecanicamente em 90º. Aplicação da Força 90º 180º Ação da Força 360º Sentido da rotação 270º . no ângulo 360º fazendo com que a parte dianteira do disco se inclinasse causando movimento à frente no helicóptero. Precessão Giroscópica - Neste caso a fora foi aplicada no ângulo 90º se tornou atuante 90º depois.

. O conjunto do rotor irá inclinar-se na direção do deslocamento.O menor ângulo de ataque ocorreu a 090°. O helicóptero sempre se desloca para onde tiver o seu maior batimento para baixo. b. simplesmente levamos nosso cíclico à frente. Neste simples comando vamos analisar o que ocorreu no disco do rotor. é preciso que tenhamos um menor ângulo de ataque a 90° antes ou seja: na posição de 90°.O maior batimento para baixo ocorreu a 360°. este comando é compensado automaticamente pelas tesouras do comando cíclico. a. d.O maior batimento para cima ocorreu a 180°.Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Direção de Deslocamento Para deslocarmos um helicóptero à frente (posição de 360°).O maior ângulo de ataque ocorreu a 270°. c. Para que desloquemos a 360°. Como citamos anteriormente. e o helicóptero irá se deslocar para essa direção. Rotor girando no sentido anti-horário.

Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Variação Angular das Pás .

Percebese o efeito quando o helicóptero atinge uma velocidade de aproximadamente 15 nós até 50 nós. Fora desses limites o arrasto parasita se torna muito elevado superando o ganho de eficiência do rotor. Por essa razão decolagens e pousos deverão ser efetuados com vento de proa para que se possa ter uma antecipação da melhor eficiência do rotor. Esse efeito pode ser entendido como ganho de potência ou de sustentação por causa do aumento do ângulo de ataque que nessa condição poderá ser agora diminuído. .Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Sustentação de Deslocamento Sustentação de deslocamento é o aumento da eficiência do rotor decorrente do deslocamento do helicóptero.

é mais pronunciado em baixas velocidades aproximadamente 15 nós no início da sustentação de deslocamento. Por isso. causando uma diferença no fluxo de ar desviado para baixo. Pelo fato de o ar atingir a parte posterior do disco de forma mais perpendicular e portanto. o ar atinge o rotor com menor ângulo na parte anterior do que na parte posterior. . Na prática esse efeito é percebido por uma vibração no início da decolagem. o ângulo de ataque na parte posterior será menor e também menor será a sustentação. o fluxo de ar induzido será maior ali do que na parte anterior. com maior ângulo. significando que a sustentação da pá atrás do disco será menor do que a da pá na frente do disco.Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Fluxo Transverso Com o deslocamento do helicóptero. Esse fenômeno é conhecido como efeito do fluxo de ar transverso.

pelas pás. formando deste modo um colchão de ar com maior densidade.Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Efeito Solo IGE (In Ground Effect)‫‏‬ OGE (Out Ground Effect)‫‏‬ Quando o helicóptero está pairando próximo ao solo. ao atingir o solo defletido para fora e para cima na direção das pás. o ar impulsionado para baixo. . diretamente abaixo do disco do rotor principal.

Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Efeito Solo Este efeito tem seu maior resultado uma distância de metade do diâmetro do rotor. .

. à tendência que o eixo do motor (mastro). logo a seguir a fuselagem toma uma atitude picada. a fuselagem tem a tendência de picar fazendo o mesmo com o rotor. tem de se alinhar perpendicularmente ao plano de rotação e vice-versa. Do mesmo modo.Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Efeito Pendular Chama-se efeito de pêndulo ou efeito pendular. se o centro de gravidade estiver muito para frente. Por exemplo: quando o rotor se inclina para frente.

fazendo com que haja um retardo na tendência da fuselagem acompanhar o disco do rotor e vice .Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Efeito Pendular A barra estabilizadora foi construída pela fabrica Bell Helicópteros. Ela é ligada ao rotor através de amortecedores hidráulicos que faz a acomodação entre a barra e o disco do rotor. presa ao mastro a 90° defasada com o rotor principal.com a finalidade de atenuar o problema do efeito pendular. .versa. Caso haja inclinação do disco do rotor a barra permanece em seu plano primitivo. É uma barra com pesos.

pouso ou mesmo no pairado dentro do efeito solo. . táxi.Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Ressonância com o solo São vibrações violentas que podem surgir durante o giro no solo. decolagem. É mais comum aparecer nos helicópteros que usam rotores articulados ou que possuam trem de pouso com amortecedores hidráulicos. Este efeito progressivo pode destruir um helicóptero em poucos segundos. Ela surge quando o centro de massa é descentralizado e isso ocorre quando a relação angular das pás é quebrada.

se houver potência suficiente. Se possível. 120º 116º 120º 122º 120º 122º . faremos a decolagem e tentaremos o pouso normal. utilizamos um gramado. ao invés de pousar no heliponto. Se o motor estiver com baixa rotação. diminuímos a aceleração e cortamos o motor o mais rápido possível.Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Ressonância com o solo Como correção.

se mantida a devida RPM. O rotor se manterá em auto-rotação quando. sem a utilização do motor. em vôo descendente. pelo sistema de roda livre. Fluxo de ar com potência 60 Kts RPM perdida jamais será recuperada! Fluxo de ar sem potênc ia 60 kts . devido ao novo vento relativo. de baixo para cima do rotor (fluxo de ar reverso).Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Auto-Rotação Auto-rotação é o recurso que possibilita ao helicóptero descer somente com a rotação do rotor. isto é.

Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Estol Ocorre quando as partículas de ar não conseguem mais manter a sustentação no aerofólio .

que provocará na pá que recua um aumento muito grande do ângulo de ataque para compensar a dissimetria de sustentação. . a pá que avança estará com uma sustentação muito grande.Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Estol de Pá O estol de pá ocorre na pá que recua estando o helicóptero com velocidade excessiva.

Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Estol de Pá A pá que recua irá estolar aproximadamente na posição 270º e terá seu efeito 90º após. ou seja na posição 180º. 90º 180º 360º 270º .

Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Estol de Pá O que irá ocasionar: .

Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Estol de Potência 0 estol de potência ocorre quando as pás do rotor ultrapassam o seu ângulo crítico. pela utilização brusca do comando de passo coletivo. o estol de potência pode também ser conseqüente de excesso de coletivo. Com o primeiro comando tem-se a diminuição do ângulo de passo e do turbilhonamento abaixo do helicóptero. Isso pode acontecer. por exemplo. . se toma completamente turbilhonado. Deve-se levar em consideração que o fluxo de ar. onde haverá perda da potência e da rotação (RPM) do rotor. Se o helicóptero entrar nessa área turbilhonada. o helicóptero não tem potência disponível para se manter em vôo ou recuperar determinada manobra A recuperação do estol de potência se faz pela diminuição do comando de passo coletivo das pás e pela colocação do comando cíclico para frente. com o segundo. escapa-se do fluxo de ar turbilhonado que está abaixo do helicóptero. Nessa situação. ao passar pelo rotor. ou durante uma recuperação rápida de descida numa área de baixa densidade. fatalmente as pás do rotor estolarão.

. o ar que está acima do rotor (ar turbilhonado) passa a fluir pelo rotor. provocando o estol das pás.Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Estol de Turbilhonamento Esse estol ocorre principalmente por ocasião de auto-rotações na vertical ou de descidas verticais rápidas e bruscas. Nesse caso. o fluxo de ar que passa pelo rotor de baixo para cima (fluxo de ar reverso) sofre uma inversão momentânea de sentido. O estol de turbilhonamento é semelhante ao estol de potência. com potência reduzida. o piloto ergue bruscamente o comando de passo coletivo das pás. durante uma autorotação na vertical. Quando. com potência reduzida. com a diferença de que o ar turbilhonado está na parte superior do disco. O mesmo processo ocorre nas descidas verticais.

Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Estol de Vórtice O estol vórtice é um redemoinho secundário que ocorre na região mediana do rotor. . •pouca velocidade de deslocamento. •ajuste insuficiente de potência à manutenção do fluxo de ar induzido pelo rotor. independentemente do vórtice que ocorre na ponta da pá. O vórtice é causado pela combinação de três fatores básicos: •elevada razão de descida (mínimo de 300 fpm).

. Isso fará com que o fluxo de ar reverso retorne pela parte central das pás. de baixo para cima do rotor. quando o helicóptero começa a descer rapidamente e com pouco deslocamento à frente. superando o fluxo de ar induzido nessa região. onde ainda há fluxo de ar induzido. a turbulência gerada poderá envolver todo o rotor e provocar o estol. dependendo da intensidade dos vórtices central e o de ponta de pá. Tal condição é mais freqüente durante aproximações com vento de cauda ou em áreas de turbulência. o fluxo de ar reverso. vence o fluxo de ar induzido na região central.Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Estol de Vórtice Pelo fato de o fluxo de ar induzido pelo rotor ser menor no centro do que na extremidade.

Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Estol Mach ou de Compressibilidade Este efeito ocorre na pá que avança. formando ondas de choque (compressão do ar) na cambra superior da pá. Atrás da onda de choque. Onda de choque 750m ph 675m ph 820m ph 675m ph . haverá um descolamento do escoamento provocando então o estol. A velocidade relativa aumenta na pá que avança até atingir o Mach supersônico. quando a velocidade máxima permitida para o tipo de helicóptero é ultrapassada. VNE (velocidade que não se deve exceder).

ou seja a 360° Tendo perdido a sustentação na proa haverá uma forte tendência de picar. a potência e sempre mantendo a rotação dentro dos limites. . reduzindo a velocidade. pelo efeito de precessão giroscópica o estol ocorrerá a 90° depois.Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Estol Mach ou de Compressibilidade Como a pá estola na posição de 90°. A recuperação se dá.

quando o helicóptero estiver em vôo pairado ou em baixa velocidade. Alguns fatores que podem levar a ocorrência deste tipo de estol são: fortes rajadas de vento. rápido deslocamento lateral ou giros muito rápidos. Este é percebido com uma forte guinada na direção está sendo compensado.Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Estol no Rotor de Cauda O Estol de Vórtice também pode ocorrer no rotor de cauda. . Tais fatores produzem o mesmo efeito de fluxo de ar reverso que ocorre no rotor principal.

. e durante manobras como o “Flare”. Esta condição é mais freqüente sobe a água em dias quentes.Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Estol de Altitude Com o aumento da altitude haverá diminuição da densidade do ar. assim tanto motor quanto rotor perderão eficiência operacional. onde a umidade é mais elevada.

Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Teoria de Vôo de Helicóptero .

Araújo FIM .Curso para Pilotos Privado e Comercial de Helicóptero Teoria de Vôo de Helicóptero Material elaborado por: Instrutor F.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful