Você está na página 1de 16

Dimensionamento de uma instalação colectiva

Caixas de
protecção
das saídas

Caixas de
barramentos

Caixa de
corte geral

http://www.prof2000.pt/users/lpa
Exemplo:

Dimensionar a coluna
montante e entradas de
um edifício para
habitações com as
características indicadas
na figura.

2
Cálculo da potência

Nº de colunas: 1
Nº de habitações: 8
Potência total: (4 x 10,35) + (4 x 17,25) = 110,4 KVA
Coeficiente de simultaneidade: 0,75
Potência de dimensionamento: 110,4 x 0,75 = 82,8 KVA 3
Cálculo da corrente de serviço (IB)

S = √3 Uc IB
IB = S / √3 UC
IB = 82 800 / (1,73 x 400)
IB = 119,7 A

4
Cálculo da secção do condutor
Intensidades admissíveis em canalizações eléctricas com três condutores
de cobre isolados (PVC) em condutas circulares (tubos) embebidas em
elementos da construção termicamente isolantes (Quadro 52-C3 – Parte
5 – Anexos das RTIEBT)
Secção nominal dos Correntes
condutores (mm2) admissíveis (A)
10 42
16 56
25 73
35 89
50 108
70 136
95 164
120 188

Considerando condutores isolados do tipo H07V-R instalados em tubo VD, a


secção a considerar será de 70 mm2 (IZ = 136 A).
É de notar que se verifica a condição IB < IZ (119,7A < 136A)
5
Diâmetro do tubo

(a) Para condutores de secção nominal superior a 16 mm2, os valores correspondentes a quatro e cinco
condutores consideram que, respectivamente, 1 ou 2 condutores são de secção reduzida (condutor neutro e
condutor de protecção).

O diâmetro do tubo VD será de 90mm (VD 90), já que vamos ter 5


condutores enfiados no tubo. 6
Protecção contra sobreintensidades
O dispositivo de protecção
seleccionado é o fusível do tipo
gG que garante protecção contra
sobrecargas e curto – circuitos,
como é exigido
regulamentarmente.
A intensidade nominal (In) do
fusível será de 125 A (valor
imediatamente acima da corrente
de serviço IB = 119,7 A).
A intensidade convencional de
fusão/funcionamento (I2) será de:
I2 = 200 A

O fusível respeita as condições de funcionamento contra sobrecargas ?

7
Protecção contra sobrecargas
1ª condição:
IB ≤ I n ≤ IZ → 119,7 A < 125 A < 136 A – condição verificada

2ª condição:
I2 ≤ 1,45 IZ → 200A ≤ 1,45 x 136
200A ≤ 197,2A – condição não verificada
Como a protecção contra sobrecargas não fica assegurada, em virtude de a
2ª condição não ter sido verificada, temos de seleccionar uma secção do
condutor imediatamente acima, ou seja, 95 mm2 (IZ= 164A)

1ª condição:
IB ≤ I n ≤ IZ → 119,7 A < 125 A < 164 A – condição verificada

2ª condição:
I2 ≤ 1,45 IZ → 200A ≤ 1,45 x 164
200A < 237,8A – condição verificada 8
Protecção contra curto - circuitos
Como o poder de corte de um fusível do tipo gG é de 100 KA e o poder de
corte previsível para uma alimentação eléctrica a partir da rede pública de
baixa tensão tem nas condições mais desfavoráveis, ou seja, na proximidade
de um posto de transformação valores típicos inferiores a 6 KA, então a regra
do poder de corte está verificada (Icc ≤ Pdc).

Como o fusível escolhido garante a protecção simultânea contra sobrecargas


e curto – circuitos, uma vez verificada a regra do poder de corte, é
dispensável a verificação da regra do tempo de corte √t = K x (S / Icc)

9
Cálculo da queda de tensão
Uma análise simplificada do cálculo da queda de tensão pode ser efectuado
considerando a situação mais desfavorável (e não a real) que corresponde à
alimentação de toda a potência no topo da coluna (15 metros).
Para esta situação, a queda de tensão será:
R = ρ L / s → R = 0,0225 x 15 / 95 → R = 0,004 Ω
∆u = R x I → ∆u = 0,004 x 119,7 → ∆u = 0,48 V
Como a queda de tensão máxima admitida regulamentarmente nas colunas é
de 1%, ou seja 1% de 400 V que é 4 V, a queda de tensão calculada (∆u =
0,48 V) é nitidamente inferior a esse valor.

10
Aparelho de corte do Quadro de Coluna

O aparelho de corte do Quadro de Coluna será do tipo interruptor


tetrapolar de corrente estipulada igual a 125 A e tensão estipulada
de 400V.

11
Características do Quadro de coluna
Quadro de colunas
(QC):
Caixa de corte geral:
GC (250A)
Caixa de barramento:
*
BBD (630A)
Caixa de protecção
de saída:
PD (1x250 A -
fusíveis APC
tamanho 1)

* xxD – duas saídas; xxT – três saídas

12
Características das Caixas de coluna
As caixas de coluna deverão ser previstas para a derivação de entradas
trifásicas, mesmo que, quando do seu estabelecimento, delas sejam
derivadas apenas entradas monofásicas.
Para as entradas trifásicas de 17,25 KVA (*) a corrente de saída será de:
S = √3 Uc I
I = S / √3 Uc
I = 17 250 / (1,73 x 400)
I = 25 A Caixas de coluna: CAD (32 A)
Para as entradas monofásicas de 10,35 KVA (*) a corrente de saída será de:
S= UI
I=S/U
I = 10 350 / 230
I = 45 A Caixas de coluna: CBD (63 A)

(*) A alimentação poderá ser monofásica para potências até 13,8 KVA (60 A) se não existirem receptores trifásicos.
13
Entradas
Canalização eléctrica (de baixa tensão) compreendida
entre uma caixa de coluna e a origem de uma instalação
eléctrica de utilização.
Segundo as Regras Técnicas das Instalações Eléctricas de
Baixa Tensão nas entradas (monofásicas ou trifásicas)
destinadas a alimentar locais residenciais ou de uso
profissional não poderão ser empregues canalizações com
condutores de secção nominal inferior a 6 mm2 nem tubos
de diâmetro nominal inferior a 32 mm.

Entradas trifásicas de 17,25 KVA → I = 25 A → secção dos 5


condutores: 4x6+T6 (IZ=31A) → tubo VD 32 mm.
Entradas monofásicas de 10,35 KVA → I = 45 A → secção dos 3
condutores: 2x16+T10 – (IZ=56A) → tubo VD 40 mm.

14
Condutores neutro e de protecção

Coluna montante:
Condutor neutro e de protecção (PE), cobre, 50mm2
15
Solução possível
Caixas de coluna: CBD (63 A)

Coluna montante: H07V-R 3x95+50+T50 - VD 90 mm

Entrada: H07V-U 2x16+T10 - VD 40 mm Entrada: H07V-U 5G6 - VD 32 mm

In = 125 A
Caixa de protecção de saída: PD (1x250 A)
Pdc = 100 KA

Caixa de barramento: BBD (630A)


Quadro de
In = 125 A
coluna (QC)
Caixa de corte geral: GC (250A)
Un = 400 V

Lucínio Preza de Araújo 16