Processo de Compras em Instituições Privadas e Governamentais – semelhanças e diferenças. Licitação – Lei 8666/93 / Pregão eletrônico.

Ana Cristina Ushijima

Administração Pública
No aspecto funcional a administração publica significa um conjunto de atividades do estado que auxiliam as instituições políticas de cúpula no exercício de funções de governo. Conforme Medauar (2003), sobre os olhos organizacionais a administração publica representa o conjunto de órgãos que produzem serviços, bens e utilidades a população, coadjuvando as instituições políticas no exercício das funções do governo. Ainda para Medauar (2003), a administração publica tem como dever atender as necessidades e interesses da população, multiplica-se em inúmeras variedades, cada qual com as características jurídicas e técnicas próprias. A administração publica desempenha, assim, um amplo e diversificado leque de atividades, para cumprir as tarefas ordenadas pela alta hierarquia. Conforme Muñoz (1971), administração significa o conjunto de manifestações da conduta humana que determina a distribuição e o exercício da autoridade publica, bem como o tratamento dos interesses públicos. É o padrão de ideias, atitudes, normas, processos, instituições e outras expressões humanas, que caracteriza a direção da sociedade por seu grupo de governantes.

Ética na Administração Pública Segundo Douglas (1964). A afinidade entre os lideres e o povo é recíproco. Os padrões do povo influenciam essas organizações e é difícil promover o desenvolvimento honesto em uma sociedade corrupta. a mais importante razão pela qual devemos elevar os padrões da política e o comportamento dos nossos servidores. .

a seguinte definição ampla de objetivos é sugerida: a) Suprir a organização com um fluxo seguro de materiais e serviços para atender a suas necessidades. Jessop. Farmer. . no tempo certo. ao preço adequado são muito superficiais e simplistas. c) Comprar eficiente e sabiamente. obtendo por meios éticos o melhor valor por centavo gasto. de fonte certa. (2000). desenvolvendo outras fontes de suprimentos alternativas.Objetivos de Compras Baily. na quantidade certa. Jones. ou para atender a necessidades emergentes ou planejadas. comentam que alguns objetivos da área de compras como comprar a quantidade de material correta. lembrando a necessidade de trabalhar com uma função eficaz na equipe gerencial. Para os propósitos atuais. b) Assegurar continuidade de suprimentos para manter relacionamentos efetivos com fontes existentes.

i)Proteger a estrutura de custos da empresa. g) Selecionar os melhores fornecedores do mercado. procedimentos e organização para assegurar o alcance dos objetivos previstos. k) Monitorar as tendências do mercado de suprimentos. h) Ajudar a gerar desenvolvimento eficaz de novos produtos. l) Negociar eficazmente para trabalhar com fornecedores que Buscarão benefício mútuo por meio de desempenho economicamente superior. j) Manter o equilíbrio correto de qualidade x valor. políticas. fornecendo informações e aconselhamentos necessários para assegurar a operação eficaz de toda a organização.Objetivos de Compras d) Administrar estoques para proporcionar o melhor serviço possível aos usuários e ao menor custo. f) Desenvolver servidores. . e) Manter relacionamentos cooperativos sólidos com outros departamentos.

(2002). Permitir que a organização tivesse uma posição competitiva. Trabalhar para que seja evitando os desperdícios e obsolescência de materiais por meio de avaliações e percepções de mercado. no preço e na fonte adequada. Comprar os materiais e os produtos pelo menor custo possível. Esta é a ação ideal que o departamento de suprimentos deve buscar e que a organização necessita para vencer e dominar o mercado.Objetivos de Compras Segundo Pozo. desde que estejam dentro das especificações predeterminadas pela qualidade. f) . Comandar os processos com o mínimo de investimentos em estoques. Procurar manter parceria com os fornecedores para que o crescimento de ambas seja o mais breve possível. na quantidade certa. mediante negociações justas e credibilidade. no tempo certo. A capacidade de comprar materiais e produtos na qualidade certa. Diante disso podemos dizer que as metas fundamentais de compras seriam: a) b) c) d) e) Permitir a continuidade de suprimentos para o melhor fluxo de produção.

em vez do tradicional “compras”.FUNÇÃO DE COMPRAS Hoje a função de compras é vista como parte do processo de logística das empresas. Por isso. e não para o todo. ou seja. Alt. como parte integrante da cadeia de suprimentos (supply chain). Martins. . um conceito voltado para o processo. voltado para as transações em si. muitas empresas passaram a usar a denominação gerenciamento da cadeia de suprimentos ou simplesmente gerenciamento de suprimentos. (2003).

Jessop. constataremos que eles gastam apenas parte de seu tempo em atividades administrativas e burocráticas. A ênfase em tais organizações tem evoluído além de simplesmente reagir às necessidades dos usuários. Baxi. Ford. Jones (2000). Hewlett Parkard e outras. Nissan. Farmer.Se examinarmos as responsabilidades dos compradores de organizações com uma função de compras bem desenvolvida – como IBM. A maior parte de suas atividades concentra-se no estabelecimento e no desenvolvimento de relacionamentos apropriados com fornecedores. FUNÇÃO DE COMPRAS . Baily. passando a uma abordagem pró-ativa que reflete mais amplamente a contribuição decorrente da administração dos inputs.

Jessop. sempre voltada para os aspectos econômicos e estruturais da organização. Jones (2000) os tempos mudaram. Farmer. mas agora. Para fazer frente às incertezas que predominam o mercado atual e aos novos paradigmas da economia globalizada. Observa-se na figura a seguir: FUNÇÃO DE COMPRAS .Compras é uma função administrativa. Para entender melhor a diferença entre os dois tipos. pois nos diversos estágios de sua interação organizacional tomam-se decisões quanto a quantidades. custos e credibilidade dos sistemas de fornecimento. Tempos atrás as compras eram reativas. tanto interno como externo. Pozo (2002) Conforme Baily. é de grande importância uma atuação com ampla abrangência das modernas técnicas de gestão e principalmente flexibilidade em face das variáveis ambientais. origem. elas devem ser próativa.

• Os problemas são responsabilidades do fornecedor. • O custo total e o valor são variáveis chave. • Compras contribui para o desenvolvimento dos mercados. • Preço é variáveis chave. • Ênfase no hoje. • Compras é importante função gerencial. • Compras evita material defeituoso.RECREATIVA • Compra é um centro de custo. • Os problemas são responsabilidade compartilhada. • Compras (e fornecedores) contribuem para as especificações. PROATIVA • Compras pode adicionar valor. . • Compras subordina-se a finanças ou à produção. • Sistema independente de fornecedores. • Os compradores respondem as condições do mercado. • Ênfase estratégica. • Compra recebe especificações. • Compras rejeita materiais defeituosos.

• Estoque excessivo = segurança. • A informação é valiosa se compartilhada. • Muitos fornecedores = perda de oportunidades. • Negociações ganha-ganha. • Informação é poder.RECREATIVA • As especificações são feitas por designers ou usuários. • Compradores e fornecedores contribuem para as especificações. • Negociações ganha-perde. • Excesso de estoque = desperdício. . PROATIVA • O sistema pode ser integrado aos sistemas dos fornecedores. • Muitos fornecedores = segurança.

a validade. entre tantos outros Preço Entrega Atrasos Negligência no trabalho Custos de manipulação Inspeção Treinamento Bens consumíveis Apoio . quanto tempo e onde estes produtos ficarão armazenados antes da sua utilização. a capacitação das pessoas para poderem armazená-los e conservá-los.CONCEITO DO ICEBERG PARA AS COMPRAS Como podemos observar muitas vezes o preço é um ponto que não deve receber tanta atenção quanto à quantidade de produtos a serem compradas.

O processo para compra deve ser assim seguido. por esse motivo é que os compradores do governo não devem agir livremente. ressalvadas algumas exceções previstas na lei 8666 de 21 de junho de 1993. é necessário que exista a assinatura de instrumento de contrato. é necessário fornecer a especificação completa do produto ou serviço a ser adquirido ou contratado. devendo ser divididas em quantas parcelas forem necessárias. . conforme Dias e Costa (2006).COMPRAS NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Na administração pública o processo de compra é necessário ser precedido pelo processo de licitação. pois. sempre que possível deverão. que imponha compatibilidade de especificações técnicas e de desempenho. Para Dias e Costa (2006). Para a aquisição de produtos ou serviços pela administração publica. seguir o principio da padronização. porém. na administração publica as compras. para a realização da compra. visando a economicidade. Deverão ser processadas pelo sistema de registro de preço. o que esta em jogo é o dinheiro público e. Às condições de pagamento e aquisição devem ser semelhantes às do setor privado. É importante que os compradores públicos estejam cientes de que. com uma ampla pesquisa de mercado.

. existe ainda mais uma a lei federal que complementa a lei 8. Diz que a despesa orçamentária obedecera a Lei 8.666 que é a lei 10.520 de 2002. como também o que pode ser comprado ou contratado sem licitação.595. da Constituição Federal. A lei 8.LICITAÇÃO No Brasil o processo licitatório teve o seu inicio em 1.666. com a denominação de Ordenações Filipinas. inciso XXI.666 tem como objetivo também apontar as modalidades de licitações para a realização das compras de produtos ou serviços no âmbito Federal. de 21 de junho de 1993 que regulamenta o art. que nada mais era que uma lei trazida de Portugal para que o governo pudesse realizar as compras públicas. 37. Conforme Slomski (2003). institui normas para licitações e contratos administrativos Públicos. Estadual e Municipal.

Como procedimento. é o ato de licitar ou fazer preço sobre coisas postas em leilão. licitação é “Ato ou efeito de licitar.O QUE É LICITAÇÃO Do latim licitatio. / Disputa entre os proponentes. . o que propicia igual oportunidade a todos os interessados e atua como fator de eficiência e moralidade nos negócios administrativos. desenvolve-se através de uma sucessão ordenadas de atos vinculantes para a administração e para os licitantes. Segundo a definição literária. em leilão. Licitação é o procedimento administrativo mediante o qual a administração Publica seleciona a proposta mais vantajosa para o contrato de seu interesse. para alienação ou adjudicação ao autor da melhor proposta.” Para Slomski (2003). Na qual será escolhida a proposta mais vantajosa para a situação. partilha judicial. hasta publica. ou concorrência administrativa. De acordo com a legislação nenhuma organização pública pode comprar ou contratar produtos ou serviços diretamente de empresas que não seja através de licitação. Com isso licitação pode ser definida como um processo administrativo que serve para escolher fornecedores de produtos ou serviços capacitados para atender a necessidade da organização pública.

inclusive de publicidade. compras. quem oferece melhores condições para realização de obras. Licitação é o conjunto de procedimentos administrativos legalmente estabelecidos. . através do qual a Administração Publica cria meios de verificar entre os interessados habilitados. serviços. já para as empresas públicas o significado muda para deve ser feito assim. Enquanto na administração privada é lícito fazer o que a lei não proíbe. concessões. alienações. na administração pública só é permitido fazer o que a lei autoriza. permissões e locações.O QUE É LICITAÇÃO Segundo Piscitelli (2002). Para as empresas privadas a lei significa pode ser feito assim.

do julgamento objetivo. da vinculação ao instrumento convocatório. Será processada e julgada em estrita conformidade com os princípios básicos da legalidade.PRINCÍPIOS DA LICITAÇÃO • O processo licitatório tem a finalidade de propiciar as entidades governamentais à realização de negócios de modo eficaz. da isonomia. da publicidade. do julgamento objetivo e dos que lhes são correlatos. (lei 8666/93 art. da impessoalidade.3º) . da publicidade. da legalidade. da igualdade. fazendo com que seja respeitado os princípios legais da constituição. ou seja. da impessoalidade. Slomski (2003) • A licitação destina-se a garantir a observância do principio constitucional da isonomia e a selecionar a proposta mais vantajosa para a administração. da vinculação ao instrumento convocatório. da moralidade e da probidade administrativa. da probidade administrativa. da moralidade.

de acordo com o art. AS MODALIDADES DE LICITAÇÃO São modalidades de licitação. a escolha poderá ser feita através no menor preço. a tomada de preços. o leilão.666/93: a concorrência. o convite.TIPOS DE LICITAÇÃO É a forma que será usada para definir com licitante será o vencedor para o fornecimento. o concurso. Conforme Piscitelli (2002). . da melhor técnica ou ainda no menor preço e da melhor técnica. 22 da Lei nº 8.

na compra ou alienação de bens imóveis. c) Adoção de concorrência ou leilão . b) Comprovação da necessidade ou utilidade da alienação. ressalvando os casos de aquisição derivada de procedimentos judiciais ou de dação em pagamento. qualquer que seja o valor de seu objeto. observando as seguintes regras: a) Avaliação de bens. em que poderão ser alienados por ato de autoridade competente. segundo Piscitelli (2002).Concorrência A modalidade da concorrência é cabível.

Tomada de Preço É a modalidade de licitação entre interessados devidamente cadastrados ou que atenderem a todas as condições exigidas para cadastramento até o terceiro dia anterior a data do recebimento das propostas observada a necessária qualificação. Convite Convite é a modalidade de licitação entre interessados do ramo pertinente ao seu objeto. Slomski (2003). Slomski (2003). cadastrados ou não. . escolhidos e convidados em numero mínimo de 3 (três) pela unidade administrativa.

Slomski (2003). igual ou superior ao valor da avaliação.Concurso É a modalidade de licitação entre quaisquer interessados para escolha de trabalho técnico.666/93. . conforme critérios constantes de edital público na imprensa oficial com antecedência mínima de 45 (quarenta e cinco) dias. 8. a quem oferecer o maior lance. da Lei n. ou para alienação de bens imóveis prevista no art. mediante a instituição de prêmios ou remuneração aos vencedores. 19. Leilão É a modalidade de licitação entre quaisquer interessados para a venda de bens moveis inservíveis para a administração ou de produtos legalmente apreendido ou penhorado. Slomski (2003). cientifico ou artístico.

muito mais rápida que as outras modalidades. contudo. Ela não é obrigatória.520 de 17 de julho de 2002).Pregão Eletrônico e Presencial • É a modalidade de licitação (instituída pela Lei n. o pregão pode ser definido de duas maneiras. Conforme Slomski (2003). mas deve ser a primeira opção na escolha da modalidade e é aplicável a qualquer valor estimado de contratação. 10. Consideram-se bens e serviços comuns. . por meio de especificações usuais no mercado. aqueles cujos padrões de desempenho e qualidade possam ser objetivamente definidos pelo edital. A modalidade Pregão. para aquisição de bens e serviços comuns. para os fins e efeitos desta lei. pregão presencial e/ou pregão eletrônico. nada mais é que uma forma alternativa de compra na administração pública.

Pregão Eletrônico Conforme Slomski (2003). por meio de propostas e lances que acontecem através da rede mundial de comunicação. É o ato da disputa pelo fornecimento de bens e serviços comuns. E realizado em sessão pública. . As empresas públicas conseguem preços baixos na compra de produtos de informática importados.Pregão Presencial É onde as propostas e lances para o fornecimento também de bens e serviços são feitos presencialmente em um local prédefinido pelos responsáveis pelo processo e também é aplicável a qualquer valor estimando de contratação.

pregão eletrônico. por causa do pregão eletrônico. somente pode ser utilizada para a aquisição de bens e serviços. (Revista EXAME. . (Revista EXAME. obras de engenharia.Pregão Eletronico Com a implantação da modalidade pregão eletrônico em 2005. que é para contratações de produtos ou serviços complexos. dentre eles. A modalidade de licitação.666/93. Existem casos onde o pregão eletrônico não pode ser adotado. edição 852 de 20/09/2005). onde vence o fornecedor que oferecer a melhor proposta no Comprasnet. de modo que seja possível a comparação rápida e simples entre eles. orçamento e gestão. edição 918 de 21/05/2008). foram economizados aproximadamente 3. Segundo o ministério do planejamento. Nesses casos deve utilizar o que diz a lei de licitações 8. o governo tem tido grandes economias nas comprar feitas por essa modalidade. portal eletrônico para se fazer lances no pregão eletrônico.2 bilhões de reais com os leilões reversos. sendo esses oferecidos por vários fornecedores.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful