Você está na página 1de 15

Seminário

de
Saúde Ocupacional
Tema: PAIR (perda auditiva induzida pelo ruído)
e Vibrações.

Centro de formação técnica El Shadai

Data – 18/03/2009

Professor – Vargas

Alunos – Mailson, Petrônio, Joseane, Adriana


Efeitos do Ruído

•O ruído é um fator de risco presente em várias atividades


humanas, fazendo parte do cotidiano da comunidade, no
ambiente doméstico e também na maioria dos processos de
trabalho.

•Sem dúvida alguma, a perda auditiva ou diminuição da acuidade


auditiva é a conseqüência mais imediata causada pela exposição
excessiva ao ruído e este risco da lesão auditiva aumenta com o
nível de pressão sonora e com a duração da exposição, mas
depende também das características do ruído e da suscetibilidade
individual.
•Mas, os efeitos do ruído não se limitam a isso. A exposição em excesso
ao ruído pode acarretar outros problemas de saúde ou piorá-los, além de
impactos na qualidade de vida do indivíduo exposto. Por exemplo,
aumento da pressão sanguínea, provocar ansiedade, perturbar a
comunicação, provocar irritação, fadiga, diminuir o rendimento do
trabalho, etc...

•Entre os danos no aparelho auditivo que a exposição a níveis excessivos


de ruído pode causar, citamos a Perda Auditiva Induzida pelo Ruído
(PAIR), o Trauma Acústico e o “Temporary Treshold Shift” (TTS) ou
Mudança Temporária do Limiar Auditivo.
PAIR – Perda Auditiva Induzida pelo Ruído

•Em ambiente ocupacional, também denominada por Disacusia,


Hipoacusia ou Surdez Ocupacional, é causada pela exposição
prolongada a níveis elevados de ruído.

•A perda auditiva induzida pelo ruído é indolor, gradual e seus


sinais são quase imperceptíveis (zumbidos no ouvido durante ou
após a exposição a níveis altos de ruído, dificuldade de manter
uma conversação normal, sensação dos sons estarem abafados).

•Com a destruição das células ciliadas da cóclea, a orelha interna


perde a capacidade de transformar as ondas sonoras em
impulsos nervosos e, conseqüentemente, é o fim da audição.
Infelizmente, não se conhece ainda a cura para células ciliadas
destruídas.
Fatores para a Perda da Audição

•Existem diversos fatores que podem levar à perda na audição,


além da PAIR ocupacional. No ambiente de trabalho, as diversas
combinações entre agentes físicos agressivos e agentes químicos
facilmente encontrados, tornam-se riscos à saúde dos expostos.
Por esse motivo, as Perdas Auditivas Ocupacionais não devem ser
restritas a Perda Auditiva Induzida por Ruído, pois podem ocorrer
casos de perdas auditivas ocupacionais e não ocupacionais sem
que haja, necessariamente, exposições ao Ruído.
•Causas patológicas, como rubéola, meningite, infecções do
aparelho auditivo.
Surdez hereditária
Trauma na cabeça
Drogas sototóxica: existem casos de problemas auditivos
relacionados ao consumo
de medicamentos, como por exemplo, certos antibióticos, anti-
depressivos, etc...
Agentes Químicos ototóxicos, que por si só ou quando
combinados ao ruído, podem causar danos à audição.
Como evitar que o ruído prejudique nossa
audição ?

Usar protetores auriculares que podem ser:

•Protetores auriculares tipo concha: o arco pressiona os


abafadores nos ouvidos.

•Protetores auriculares tipo plug de borracha: puxar a orelha para


cima e introduzir o plug no canal auditivo.

•Protetores auriculares tipo plug de expansão: moldá-lo com os


dedos e introduzir o plug que ele expandirá dentro do canal
auditivo.
LIMITES DE TOLERÂNCIA PARA RUÍDO
CONTÍNUO OU INTERMITENTE
NÍVE L DE R UÍ DO dB (A ) MÁ XIM A E XPOSIÇ ÃO DIÁ RIA PERM IS SÍ VEL
85 8 hor as
86 7 hor as
87 6 hor as
88 5 hor as
89 4 h or as e 3 0 mi nu tos
90 4 hor as
91 3 h or as e 3 0 mi nu tos
92 3 hor as
93 2 h or as e 4 0 mi nu tos
94 2 h or as e 1 5 mi nu tos
95 2 hor as
96 1 hor a e 45 mi nu tos
98 1 hor a e 15 mi nu tos
100 1 hor a
102 45 mi nut os
104 35 mi nut os
105 30 mi nut os
106 25 mi nut os
108 20 mi nut os
110 15 mi nut os
112 10 mi nu tos
114 08 mi nut os
115 07 mi nut os
Cuidados e recomendações de uso

•Não manuseie os protetores auriculares com as mãos sujas.

•Utilize os protetores auriculares durante toda a jornada de


trabalho.

•Após o uso, guarde os protetores auriculares na embalagem para


conservá-los em bom estado de uso.

•Quando os protetores auriculares estiverem sujos, lave-os.

•Troque os protetores auriculares quando estiverem danificados.


Protetor auricular tipo
Protetor Auditivo tipo concha
plug de expansão

Protetores auriculares tipo


plug de borracha
Vibração

•A vibração é um agente nocivo presente em várias atividades


laborativas do nosso cotidiano. As atividades de mineração e
florestal, a indústria química, de móveis, da carne, automotiva e
tantas outras submetem os trabalhadores às vibrações
localizadas (também denominadas de vibração de mãos e
braços ou de extremidades) e vibrações de corpo inteiro.

•As vibrações localizadas são transmitidas aos membros


superiores (e menos comumente aos membros inferiores)
através, principalmente, do uso de ferramentas manuais,
portáteis ou não.

•As vibrações de corpo inteiro são características em


plataformas industriais, veículos pesados, tratores,
retroescavadeiras e até mesmo no trabalho em embarcações
marítimas e fluviais e trens.
Tipos de vibração

•Vibração de mãos e braços: provocam danos neurológicos,


circulatórios modificação da força muscular e da destreza manual.

•Vibração de corpo inteiro: provocam ressonâncias nas vísceras e


solicitar particularmente os músculos e o esqueleto, diminuindo a
precisão dos gestos podem ocorrer problemas de equilíbrio.

•As vibrações de corpo inteiro têm despertado pouco interesse,


inclusive em nível internacional. No entanto, as vibrações de
mãos e braços têm sido exaustivamente pesquisadas.

•Os sintomas iniciais da síndrome da vibração de mãos e braços


incluem: branqueamento local, em um ou mais dedos de
quaisquer ou ambas as mãos expostas à vibração, dor, paralisia,
formigamento, perda da coordenação, falta de delicadeza e
inabilidade para realizar Tarefas delicadas.
Limites de tolerância

•As vibrações são tratadas no anexo nº 8 da NR-15 da Portaria nº


.214/78; o anexo não estabelece limites de tolerância,
direcionando (no caso de vibrações de extremidades) para a
norma ISO 5349 ou sua substituta. Atualmente, a ISO 5349 em
sua revisão de 2001, também não apresenta limite de tolerância,
mas sim um modelo de predição, em anos, para o aparecimento
de dedos brancos. Vários estudos contrariam os números da ISO
5349, afirmando que os dados não são conservadores e que em
menor tempo que o previsto na norma, os trabalhadores já
apresentam sinais de dedos brancos.

•Para fins de elaboração do PPRA, respeitando-se o contido no


item 9.3.5.1.c. da NR-9, uma vez que não há limites estabelecidos
no anexo nº 8 da NR-15, tampouco pela norma ISSO 5349, a
solução é a utilização dos limites da ACGIH.
Bibliografia

Sites:http://74.125.47.132/search?q=cache:ww5VNhh2dgAJ:www
.segurancaetrabalho.com.br/download/protecao-
henrique.ppt+prote%C3%A7%C3%A3o+auditiva&cd=1&hl=pt-
BR&ct=clnk&gl=br

http://www.brasilescola.com/fonoaudiologia/perda-auditiva-
induzida-por-ruido-pair.htm

http://www.google.com.br/search?q=cache:cjT-ybLINJwJ
:www.vendrame.com.br/downloads/exposicao_ocupacional_as_vibrac
pt-BR&ct=clnk&gl=br
fim