Você está na página 1de 16

Rotas comerciais na

Grécia Antiga

(século VIII a. C. )
A base da economia ateniense era o
comércio. A produção agrícola ficava a cargo dos
escravos.
A manutenção da escravidão na cidade foi
fundamental para o desenvolvimento da economia

Já em Esparta, a propriedade era


Estatal; a terra, dividida em lotes. Era proibida
a prática do comércio aos espartanos,
contribuindo para o monopólio comercial dos
estrangeiros.
A península grega, muito montanhosa e sem
rios, com poucas planícies, não se prestava à
agricultura extensiva nem à criação de gado. Mas a
cabra, apesar de destruir a vegetação e causar
erosão, era importante, pois sobrevivia em solos
pobres e rochosos, onde outros animais pereceriam.
Queijos de leite de cabra e de ovelha eram muito
consumidos e não se utilizava manteiga.
Cavalos e gado bovino eram
criados sobretudo na Tessália, na
Macedônia e Corinto, onde os solos
permitiam a existência de boas
pastagens.
O rebanho suíno era grande na Ática. ao
contrário dos hebreus e egípcios, os gregos
apreciavam a carne de porco .
Nas áreas férteis dos vales, cultivavam-se os
produtos básicos: a cevada, o trigo, a vinha e a oliveira.
A exploração das oliveiras, entretanto, era atividade
exclusiva dos ricos, uma vez que somente eles
dispunham do capital necessário.

Não se praticava a rotação de culturas, e as


técnicas agrícolas incipientes não garantiam o sustento
da população.
Alguns produtos do campo - vinho, azeite e lã -, bem
como os produtos dos artesãos urbanos - notadamente
cerâmica, esculturas e jóias -, eram vendidos por
mercadores gregos, que desenvolviam intensa atividade
em todo o mediterrâneo e podiam, em contrapartida, trazer
à Grécia cereais, queijo, carne de porco, vidro, tapetes,
perfumes e marfim.
A costa muito recortada da Grécia, em
relação à área de seu território, é mais extensa do
que a de qualquer outro país da Europa. A pesca
na civilização do Egeu era conseqüentemente uma
das principais atividades. Os motivos marítimos na
decoração dos utensílios, tradição ornamental pré-
helênica, revelam a importância econômica da
pesca.
O pão deixou de ser um simples alimento para
entrar no domínio da gastronomia. Os gregos
acrescentavam à massa do pão ervas, sementes
aromáticas, óleos vegetais e frutas.Os aromatizantes
mais comuns eram o cominho, sementes de papoula,
erva-doce, sementes de coentro, anis, passas,
alecrim, alcaparras, sálvia, alho e cebola.
Atenas exportava mel, prata, óleo, vinho cerâmicas,
esculturas, metal trabalhado, tecido, livros.

Importava grãos da Sicilia, do mar negro, do Egito,


de Chipre e da Itália, além de madeira, lã, linho, cobre,
tinturas, seda, temperos e marfim.
Principais rotas do comércio
Outras rotas comerciais
Minas de Prata
Grécia Atual