Você está na página 1de 17

PSICOLOGIA MÉDICA

• Prof. Edson Gutemberg de Sousa


• edsongutemberg@digizap.com.br
• Celular 99850567
• Prof. João Luiz Alves
• J.lu.alves@hotmail.com
• Celular 99674055
• Prof. Ivanor Velloso Meira Lima
• ivanorlima@uol.com.br
• Celular 83-99099063

• Sejam bemvindos!
O Surgimento da
Psicologia
Justificativa Histórica
Produção Humana
História Pessoal
A história da Psicologia tem pelo menos
2000 anos
Na Grécia antiga a Filosofia se desliga da
Religião e a Psicologia se destaca como
ramo especial da Filosofia
É possível uma explicação racional do
homem, da vida e do universo?
“Conhece-te a ti mesmo”. A
razão é peculiar do homem.
Permite ultrapassar os instintos.
Teorias da consciência.

Sócrates . 469-399 a.C.


Quadro “A morte de Sócrates” Jaques-Louis David -1787
Teoria das Idéias. Definiu o
lugar da razão como sendo a
cabeça, onde se encontra a
alma do homem. A medula
ligaria a alma ao corpo.

Platão 429-347 a.C.


Teoria das Sensações.
Alma e corpo não podem
ser dissociados. “Da

 
Anima” pode ser
considerado o primeiro
tratado de psicologia.
                                     Alma vegetativa,
sensitiva e racional.

Aristóteles 384-332 a.C.


Afresco de Rafael “A escola de Atenas”-1511
Platão (esq.) e Aristóteles (dir.)
Retoma Platão fazendo a
separação corpo e alma

Santo Agustinho 354-430 d.C.


Santo Agustinho 354-430 d.C.
Retoma Aristóteles buscando a
distinção entre essência e
existência.

São Tomás de Aquino 1225-1274 d.C.


Renascimento (1400 – 1600) – há um
processo de valorização do homem e o
processo da construção do conhecimento
científico.
Período de grandes explorações
geográficas, transformação no sistema
econômico, desintegração do sistema
feudal. Está nas mãos do próprio homem
progredir para uma vida melhor e uma
comprensão mais exata do mundo.
René Descartes – mente e corpo.
Século XIX – A origem da psicologia
científica.
Tendências científicas e filosóficas que
culminaram na Psicologia Experimental:

•Fisiologia.
•Biologia.
•Abordagem atomística.
•Quantificação.
•Laboratórios.
•Empirismo.
•Associacionismo.
•Materialismo científico.
Conceito atual de psicologia.
Estudo da alma. É uma entidade metafísica,
inaccessível a observação direta.
Estudo dos fenômenos da consciência. Somente por
introspecção pode ser sondada.
Estudo do comportamento. Nem tudo pode ser
explicado através do comportamento.
“Conceber a psicologia sensu latu como o estudo
sistemático das manifestações da vida psíquica
normal, considerada esta tanto em sua estrutura
dinâmica imanente como em suas expressões
corporais, organísmicas e condições circundantes, é
assim, pois, a única perspectiva plausível, e, na
verdade, consentânea com a posição atual dessa
disciplina, dentro das coordenadas do pensamento
“O médico que, no exercício de sua atividade profissional,
qualquer que seja a especialidade a que se dedique, não
leva em conta a vida psíquica de seu paciente, abstraindo-
se do que representa, como ente humano que é, poderá
ser talvez um erudito, um hábil artífice, ou mesmo um
técnico adestrado e eficiente, mas não será jamais um
grande médico, no alto sentido da expressão”. (Nobre de
Melo)

Psicopatologia – Estudo das manifestações e mecanismos


psíquicos anormais, referentes ao homem enfermo da
mente em geral, formulando, pois, conceitos e princípios,
atinentes ao doente mental, enquanto geneticamente
considerado.
Psiquiatria – É uma prática médica, um ramo especializado
da medicina, voltado especificamente para o homem
enfermo da mente, em particular, ou seja, para o caso
clínico.
Psicologia Geral.
Psicologia Médica – psicologia da prática médica
Meta: Capacitação psicológica do médico.
Funções: Informativa e formativa
Características: Juventude, empirismo e
heterogeneidade.
França – introduzida em 1961. “contre-poids à la
l’orientation de plus en plus scientifico-technique de
l’étudiant en médecine”.
Em 1967, foi considerada pela OMS como “Ciência
Médica fundamental”, ou seja, como uma disciplina
que constitui uma base indispensável na formação
do estudante de medicina.
Situação no Brasil.
Nobre de Melo:

3. Psicologia aplicada à medicina.


4. Apoio à luta contra orientação exclusivamente
organicista, que leva a distorções.
5. Reformulação do conceito de saúde.
6. Excessivo apoio na tecnologia médica.
7. Oferece a perspectiva de uma visão global do homem.
8. Elo de ligação entre as ciências naturais e culturais.
9. Compreender o estar-enfermo.
10. Relação médico-paciente.
11. Anamnese biográfica pessoal.
12. Medicina integral da pessoa.