Você está na página 1de 16

Traduções gregas

e afins

Emanuel Kolt e Jefferson Dantas


1º matutino
A septuaginta
Os lideres do judaísmo em Alexandria
produziram uma versão modelar do
antigo testamento em língua grega
conhecida pelo nome de septuaginta
(LXX), palavra grega que significa
setenta. Embora esse termo se aplique
só ao Pentateuco essa palavra viria a
denotar a tradução de todo o antigo
testamento.
Traduções gregas e afins

Devido a critica dos judeus nos primeiros


séculos em relação a septuaginta foram
escritos outras traduções gregas, as quais
são:
As varias versões
♦ Versão de Teodócio
♦ Versão de Áquila.
♦ Revisão de Símaco.
♦ Revisão de Héxaplas.
♦ Héxaplas de Orígines
Versão de Teodócio
Sua revisão é mais livre do que a
versão de Áquila, e algumas
passagens substituem algumas
das expressões antigas da LXX.
Revisão de Simaco
O objetivo do trabalho de Símaco
era produzir uma tradução
idiomática do texto para o grego.
Ele se preocupou com o sentido,
não com a tradução.
Hexáplas de Orígenes
Devido as divergências entre os
manuscritos e discrepâncias
existentes entre o texto hebraico e
da LXX, e das varias tentativas de
revisar as traduções gregas,
Orígines fez uma revisão para
unificar os textos hebraicos e
gregos.
Héxaplas de Orígenes
O Héxaplas (composto de seis partes),
dividia-se em seis colunas paralelas,
cada coluna continham uma versão
particular do antigo testamento. Ele
também produziu um trabalho separado
chamado Tétrapla, que eram os
próprios Héxaplas, em que ele omitia
que as colunas um e dois.
Por que existem tantas traduções?
As traduções dos textos bíblicos da
língua grega foram feitos
principalmente para que todos os povos
conhecessem a vontade de Deus,
assim como aconteceu no dia de
Pentecostes (At. 2:9-11).
TRADUÇÕES DO TEXTO
GREGO
♦ COPTA
♦ ETIOPE
♦ GOTICA
♦ ARMENIA
♦ GEORGIA
Copta
As primeiras da língua grega para o
copta, foram feita no Egito, estendendo
a influencia cristã para os egípcios
aborígines. Já no alto Egito
predominava o dialético saídico (séc. III
e IV), mas no baixo Egito predominava
o boaírico (séc. IV), no Médio Egito
existiam dois tipos de dialetos, que
eram o faiúmico e acmímico (séc. IV).
Etíope
Ao cristianismo chegar no Egito
também penetrou na Etiópia, sendo
necessária uma tradução bíblica para
aquele idioma, muitos estudiosos
acreditam que não foi se fez a tradução
do puro texto grego, mas que
continham variantes das traduções
coptas e árabes ou ate mesmo siríacas.
As traduções da bíblia etíope
começaram entre o século IV ao VII.
Gótica
Os escritos góticos pertencem às tribos
germânicas. A bíblia do grego para o
gótico foi traduzida pelo bispo Wulfila,
sendo criado por ele mesmo o alfabeto
gótico e a forma escrita dessa língua. O
gótico a semelhança do copta é uma
língua escrita que se formou com o
propósito de escrever as escrituras
sagradas na língua do povo. Os
manuscritos datam do século V e VI.
Armênia
Existem duas tradições básicas quanto a
tradução Armênia. A primeira diz que
Mesrobe (m.439), soldado que se tornou
missionário, criou um novo alfabeto a fim de
ajudar Saaque (Isaque o Grande, 390 – 439)
a traduzir a bíblia do texto grego. A segunda
tradição afirma que sua tradução baseou-se
num texto siríaco. Existem ainda 1300
versões armênias, por isso ela é chamada “a
rainha das versões”.
Geórgia (Ibérica)
O alfabeto georgiano, à semelhança do
armênio e do gótico, foi criado
expressamente para o registro da
bíblia, quando receberam a mensagem
no século IV.
FIM