Você está na página 1de 16

A palavra inspiração significa:

Soprada por Deus


Que passou pelo hálito de Deus
É o processo mediante o qual os
escritos sagrados foram revestidos de
autoridade Divina no que concerne a
doutrina e a prática ( 2 Tm 3:16,17)
Este revestimento Divino foi dado
aos escritos e não aos escritores,
contudo, os escritores foram movidos
pelo Espírito Santo.
Os três elementos da inspiração
Deus que a origina, pois a
motivação primária dos escritos
inspirados é o desejo de Deus
comunicar-se como ser humano.
Deus faz uso do ser
humano para transmitir sua
mensagem.
As palavras dos profetas são
revestidas de autoridade
Divina, é a palavra de Deus.
Características dos escritos inspirados
A inspiração é verbal
Deus fala ao profeta, que por sua vez
emprega seu vocabulário e estilo
próprio.

A inspiração é plena

A inspiração não é apenas em


partes, mas total, pois Paulo diz:
“TODA a escritura é divinamente
inspirada”.
Característica dos escritos inspirados

A inspiração é inerrante

O que Deus proferiu é isento


de erro.
Evidências internas da inspiração
da Bíblia
A Bíblia se auto confirma

Testemunho do Espírito Santo

Capacidade transformadora da
bíblia
Unidade da Bíblia
A bíblia se auto-confirma

Pois fala com autoridade própria,


semelhante ao rugido de um leão.

O próprio Jesus ensinava “como tendo


autoridade” (Mc 1:22).

As palavras da Bíblia não precisam


ser defendidas, mas ouvidas, e assim
ela defende sua própria autoridade.
Testemunho do Espírito Santo

O Espírito Santo dá testemunho de que o


crente é filho de Deus (Rm 8:16).

O Espírito Santo afirma que a Bíblia é a


palavra de Deus (II Pe 1:20, 21).
Capacidade transformadora da Bíblia

“Porque a palavra de Deus é viva, e


eficaz, e mais cortante do que qualquer
espada de dois gumes, e penetra até o
ponto de dividir alma e espírito, juntas
e medulas, e é apta para discernir os
pensamentos e propósitos do coração”
(Hb 4:12).

Milhares têm experimentado esse


poder.
Unidade da Bíblia
Constituída de 66 livros
1500 anos para ser escrita
Cerca de 40 autores
Diversas línguas
È muito mais do mero acidente que a
Bíblia apresente espantosa unidade
temática
Essa unidade temática adveio de algo
que estava fora do alcance de seus
autores humanos
Evidências externas da inspiração
da Bíblia
Historicidade da Bíblia
Os artefatos arqueológicos e os
documentos escritos dão apoio a
história bíblica. Aliás , eles
comprovam a existência da escrita
nos dias de Moisés, a história e a
cronologia dos reis de Israel e até
mesmo a existência dos hititas, povo
até pouco tempo só mencionado na
Bíblia.
Testemunho de cristo
O senhor ensinou que a Bíblia é a
palavra de Deus.

O texto do evangelho revela que Jesus


era homem de integridade e de verdade.

Jesus ensinou que a Bíblia é inspirada.


Então segue-se que é verdade que a
Bíblia é inspirada por Deus.
A profecia
Até o presente momento nenhuma profecia
incondicional da Bíblia ficou sem
cumprimento.
Algumas delas feitas centenas de anos antes
de se cumprirem, concretizam-se literalmente.

A época do nascimento de Jesus (Dn 9).


As natureza de sua concepção e
nascimento (Is 17:14).
A explosão da instução e da
comunicação (Dn 12:4).
Algumas delas já foram cumpridas, outras se
cumprem nos nossos dias.
A influência da Bíblia
Nenhum outro livro têm sido tão
disseminado, nem exercido tão forte
influência sobre o mundo do que a
Bíblia.
A Bíblia já foi traduzida em mais de
1.000 línguas, abrangendo mais de
90% da população mundial.

A Bíblia apresenta ao homem os mais


elevados ideais que já pautaram a
civilização.
A indestrutibilidade da Bíblia

Diocleciano tentou exterminá-la (c.


303 d.C.), mas não conseguiu.

Prosseguem os ataque da parte de


alguns cientistas, de alguns psicólogos e
de alguns líderes políticos.

Mas o Senhor Jesus diz: “Passará os


céus e a terra, mas as minhas palavras
não passarão” (Mc 13:31).
A integridade de seus autores
Eram homens sadios mentalmente,
dotados de reconhecida integridade
moral.

Oferecem como evidência o fato de


haverem mantido com o Cristo ressurreto.

A honestidade dos escritores da Bíblia


constitui comprovante da autoridade
bíblica que reveste seus escritos.