Você está na página 1de 16

LIVROS

APÓCRIFOS
“Palavra composta, derivada do grego que
significa “esconder de”. Os escritos
apócrifos são considerados de natureza
exotérica. Catorze livros, chamados
apócrifos, estão incluídos na versão do
antigo testamento, da Vulgata Latina.”
Dicionário de Religiões
PANO DE FUNDO:
 320 a.C. Povo palestino sob rigorosa
pressão política e social.
 Morre Pitolomeu V repentinamente e
Antíoco III decidiu anexar a Judéia a seu
domínio.
 Em 198 a.C. Síria derrotou o exército
egípcio e tomou posse de Judá.
 Os selêucidas (povo Sírio) haviam se
tornado protagonistas da cultura pagã
helênica e estavam propensos a introduzir
tradições gregas no judaísmo ortodoxo.
 Em 64 a.C. Pompeu atacou a Síria e a tornou
província romana.

 A resistência judaica às influências


helenizantes ocasionou tempo de repressão
e perseguição, que fizeram com que os
judeus ansiassem por libertação e que, em
pelo menos alguns, brotasse o interesse
pela possibilidade de um messias enviado
por Deus para remediar a situação.

 Os escritos apocalípticos lidaram


longamente com o problema da disputa
entre o bem e o mal, e com a expectativa de
um novo tempo, no qual Deus
recompensaria os fiéis com bençãos
espirituais.
 As personagens messiânicas que
apareciam nos escritos apocalíptico,
sobretudo nos livros apócrifos do novo
testamento, não raros eram
contrabalançadas por um anticristo,
ambos servidos por muitos notáveis
seres angelicais.

 Era um mundo literário e espiritual


formado parcialmente por fatos e
parcialmente por fantasias, constituindo
a fantasia um importante ingrediente
para a manutenção das expectativas dos
“menos estáveis emocionalmente”.
O que diz a Igreja Católica?
Os protestantes têm dificuldades
teológicas de admitirem a autenticidade
desses livros, pois apresentam de forma
bem clara certas doutrinas refutadas por
eles, como por exemplo, o purgatório, a
oração em favor dos mortos e a
intercessão dos santos.
No livro de Judas, irmão de Jesus,ele faz
citações de livros apócrifos;

Jerônimo aceitava os deuterocanônicos


(termo usado aos apócrifos após o
concílio de Trento) antes de visitar a terra
santa, após a visita foi influenciados pelos
rabinos a considerar somente os livros
aceitos pelos judeus da Jâmnia.
“A Igreja Católica resolveu a situação”
a partir dos concílios regionais de Hipona
(393), Cartago III (397) e Cartago IV
(418). Em 450 o papa Inocêncio I
reafirmou o cânon bíblico com todos os
deuterocanônicos numa carta ao bispo
Exupério de Tolosa.
O que dizem os protestantes:
 Como lembra o Frei Mauro Strabeli, "a Escritura
do Velho Testamento, considerada como original,
é a Bíblia hebraica, cujos livros foram como
´canônicos´ de início e sem nenhuma discussão".
- Ibidem, pág. 16.

 Esses livros não foram escritos por profetas,


pois era uma época de interrupção na sucessão
profética. Por isso, só os 39 livros eram
considerados divinos ou inspirados, argumenta o
respeitado historiador judeu Flávio Josefo,
nascido pouco depois da morte de Cristo. -
Resposta a Ápíon, Livro I, 8.
 Segundo Josefo, o cânon do Antigo
Testamento com 39 livros, foi fechado
entre 465 e 425 a.C..  E no ano 90 d.C., o
concílio jucaico de Jamni analisou os
demais sete livros, mas os rejeitou. -
Resposta àquelas Perguntas, pág. 53,
Editora Candeias.
 Além dos sete livros não fazerem parte do
cânon bíblico original, eles só foram
considerados como inspirados pela Igreja
Católica no Concílio de Trento, em 8 de
abril de 1546, sendo chamados
deuterocanônicos [ou canônicos de
segunda época]. - Dicionário de Teologia
Fundamental, pág. 124. Editora Vozes,
edição de 1994. A Igreja Católica
oficializou-os, objetivando deter o
movimento de Reforma Protestante
 “Jesus e os apóstolos só usaram
os 39 livros hebraicos originais”.
 Os judeus, aos quais Deus confiou no
passado a guarda das Escrituras e
Seus oráculos (Romanos 3:2), "só
aceitam como inspirados o cânon
hebraico de 39 livros. Eles rejeitam os
sete livros tidos como
deuterocanônicos." - Bíblia do
Pontífice de Roma, pág. 6.
 Jesus e os apóstolos só usaram os 39
livros hebraicos originais, pois eles
citaram 1.378 vezes o Antigo
Testamento, mas nenhuma só vez os
sete livros. Portanto, o escritor Josefo
estava certo ao afirmar: "Só temos 39
livros, os quais temos justa razão
para crermos que são divinos". -
 A Igreja cristã primitiva os rejeitou como
inspirados e canônicos, permitindo que fossem
lidos só como livros de edificação histórica. -
Manual Bíblico, pág. 358.
 Os Pais da igreja, tais como Atanásio, Gregório,
Hilário, Rufino e Jerônimo, adotaram o cânon
dos 39 livros hebraicos. - Bíblia do Pontífice de
Roma, pág. 6.
 Jerônimo, que traduziu a Bíblia hebraica para o
latim, entre 382 a 404 d.C. - a chamada Vulgata
Latina - tornou-se um defensor do cânon restrito
dos 39 livros hebraicos, e só traduziu o livro não
inspirado de Tobias para a Bíblia "Vulgata" por
ordem dos bispos. - Dicionário de Teologia
Fundamental, pág. 124, Editora Vozes.
Eles ensinam
erros doutrinários
e históricos
conforme
exporemos agora:
Alguns erros ensinados pelos sete livros não inspirados, que se Livros canônicos ou
chocam frontalmente com 66 livros canônicos da Bíblia. Escritura

1. Narração de um anjo mentindo sobre sua origem. Tobias 5:1-9 Isaías 63:8; Oséias 4:2

2. Diz que se deve negar o pão aos ímpios. Eclesiástico 12:4-6 Provérbios 25:21-22

3. Uma mulher jejuando toda sua vida. Judith 8:5-6 Mateus 4:1-2

4. Deus dá espada para Simeão matar siquemitas. Judith 9:2 Gênesis 34:30; 49:5-7

5. Dar esmola purifica do pecado. Tobias 12:9; Eclesiástico 3:30 1 Pedro 1:18-19

6. Queimar fígado de peixe expulsa demônios. Tobias 6:6-8 Atos 16:18

7. Nabucodonosor foi rei da Assíria em Nínive. Judith 1:1 Daniel 1:1

8. Honrar o pai trás o perdão dos pecados. Eclesiástico 3:3 1 Pedro 1:18-19

9. Ensino de magia e superstição. Tobias 2:9-10; 6:5-8; 11:7-16 Tiago 5:14-16

10. Antíoco de três maneiras. 1 Macabeus 6:16; 2 Macabeus 1:16; 9:28 Isaías 63:8; Mateus 5:37

11. Recomenda a oferta pelos mortos. 2 Macabeus 12:42-45 Eclesiastes 9:5-6

12. Ensino do purgatório ou imortalidade da alma. Sabedoria 3:14 1 João 1:7; Hebreus 9:27

13. O suicídio é justificado e louvado. 2 Macabeus 14:41-46 Êxodo 20:13


• "Os livros da Bíblia, a Igreja reputa-os
sagrados e canônicos, não porque
tenham recebido por ela (a Igreja),
aprovação ou autoridade: nem
somente porque contém a revelação
sem mistura de erros, mas sim porque,
tendo sido escritos sob a inspiração do
Espírito Santo, tem como autor o
próprio Deus, e como tais foram dados
a sua Igreja." - Bíblia Traduzida pelo
Pontífice Instituto Bíblico de Roma,
pág. 6.
“Pois profecia nunca foi
produzida
por vontade dos homens, mas os
homens santos por parte de Deus
falaram movidos pelo Espírito
Santo.”
II PEDRO
1:21