Você está na página 1de 32

A reconciliação

A CAMINHO DO PERDÃO…
Premissa:
Reconciliação: sacramento difícil
• Expomos o nosso interior
- Quando se é autêntico vencemos a vergonha
• Abrimos o nosso coração
- Quando se ama a vida vencemos as dificuldades
• Gostamos de exaltar o nosso bem
- Mas temos receio e medo dos nossos fracassos
• Reconciliar-se não é só “dizer os pecados”
- Implica mudar de atitudes e de vida
1ª Convicção

A ALIANÇA DE DEUS COM A


PESSOA
Deus fez uma aliança com os homens
Uma Aliança de amizade e de responsabilidade
Deus convoca o Homem para a comunhão
A conversão é um apelo de ontem e de hoje
Para nós a Aliança começou no Baptismo,
reafirma-se no Crisma e é refeita em cada
2ª Convicção

O QUE É O PECADO?
• Não é simplesmente um erro
• Não é só um complexo de culpa
• É um acto assumido conscientemente
• É uma ruptura com Deus ou com os outros
• É recusa da Aliança com Deus
• É tudo aquilo que nos tira a paz
Objectivo

Tentar compreender o
sacramento da reconciliação
- misericórdia

As maneiras de o realizar foram múltiplas ao longo da


história.
Ontem foi de uma maneira, hoje é de outra, amanhã
poderá ser diferente.
Podemos entrar em discussão nesse ponto se houver
tempo, mas não é o fundamental
Lc 15,11-24
Jesus disse ainda: «Um homem tinha
dois filhos.
O mais novo disse ao pai: ‘Pai, dá-me
a parte dos bens que me corresponde.’
E o pai repartiu os bens entre os dois.
Poucos dias depois, o filho mais novo,
juntando tudo, partiu para uma terra
longínqua e por lá esbanjou tudo
quanto possuía, numa vida
desregrada.
Depois de gastar tudo, houve grande fome
nesse país e ele começou a passar
privações.
Então, foi colocar-se ao serviço de um dos
habitantes daquela terra, o qual o mandou
para os seus campos guardar porcos.
Bem desejava ele encher o estômago com
as alfarrobas que os porcos comiam, mas
ninguém lhas dava.
E, caindo em si, disse:
‘Quantos jornaleiros de meu pai têm pão
em abundância, e eu aqui a morrer de
fome!
Levantar-me-ei, irei ter com meu pai e
vou dizer-lhe:
Pai, pequei contra o Céu e contra ti; já
não sou digno de ser chamado teu filho;
trata-me como um dos teus jornaleiros.’
E, levantando-se, foi ter com o pai.
Quando ainda estava longe, o pai viu-o
e, enchendo-se de compaixão, correu a
lançar-se-lhe ao pescoço e cobriu-o de
beijos.
O filho disse-lhe:
‘Pai, pequei contra o Céu e contra ti; já
não mereço ser chamado teu filho.’
Mas o pai disse aos seus servos:
‘Trazei depressa a melhor túnica e vesti-
lha; dai-lhe um anel para o dedo e
sandálias para os pés.
Trazei o vitelo gordo e matai-o; vamos
fazer um banquete e alegrar-nos,
porque este meu filho estava morto e
reviveu, estava perdido e foi
encontrado.’ E a festa principiou.
Lc 15,11-24
Do fim para o início

Porquê a festa?

Porque voltou o filho?

Que mal fez o filho?

Porque deixou o filho a casa?


AS DIMENSÕES DO PECADO
Pessoal
- Afecta toda a nossa vida
- Prejudica a nossa dignidade humana
comigo

Comunitária / Social
outros
Prejudica as relações com os outros
- Vai trazer consequências para a
sociedade onde vivemos Deus

- Perda da harmonia com a criação


Deus
- Cortamos a relação
- Abandonamos a Aliança
ALGUMAS
CONSEQUÊNCIAS DO PECADO

• O pecado esvazia a vida


• Corta a relação com os outros e com
Deus
• Ausência da paz e tranquilidade
• Distancia-nos da Verdade
• Menos amor para dar...
Jesus propõe
a reconciliação

• “Convertei-vos e acreditai no
Evangelho”
• “haverá mais alegria no céu por
um pecador que se arrependa do
que por noventa e nove que não
precisam de arrependimento”
• “Zaqueu desce depressa, hoje
quero ficar em tua casa”.
O caminho do jovem
Pai pequei… que pecado? Qual a reacção do pai?
Corte das relações filiais. Morte simbólica
do pai. Herança antes da morte. Liberdade
Vou ter com meu pai… quando tomou consciência
do seu acto?
Na solidão, no abandono por todos, na
identificação com os porcos, animal impuro.
Ainda ele estava longe… quando é que o pai lhe
perdoou?
Desde que o filho partiu que ele espera
Abraçou-o… trazei o vitelo… quando é que o filho
soube do perdão do pai?
Nas palavras do pai. Na realização da festa
Reconciliação em Lc 15,11-24
O filho
• Acto de separação, divisão, morte simbólica
(perda da filiação)
• Perda da dignidade humana (deixa de ser tratado
como pessoa)
• Reconhecimento dessa perda leva ao
reconhecimento da origem, da falta
• Resolução de reaver um pouco dessa dignidade
(servo-filho)
• Voltar ao ponto original, não como antes mas
diferente
• Ouve a confirmação do perdão. Aceite como filho
• Entra na festa
Reconciliação em Lc 15,11-24
O Pai

• Deixa o filho em liberdade


• Sabemos que ficou sempre á espera. Induz-se o
perdão desde o início
• Corre ao encontro do filho. O filho sai sozinho
de casa, mas entra acompanhado.
• Não critica, não julga, não pede nada em troca
• Confirma o perdão há muito dado. Aceita o filho.
Para ele o filho nunca deixou de ser seu filho
• Organiza a festa
Realizar a reconciliação
Atitudes fundamentais da parte da pessoa

• Acto de divisão
• Reconhecer esse acto como perda da
nossa dignidade de filhos
• Resolução de querer reaver a dignidade
• Voltar e entregar-se nas mãos do outro
• Ser confirmado do perdão
• Entrar na festa
Necessário para haver reconciliação

• acto
• Reconhecimento do acto
• Resolução de voltar
• Abandono na vontade do outro
• Confirmação do perdão
• festa
Maneiras hoje

• “confissão” individual: - absolvição individual


- absolvição geral
• “confissão” colectiva: - absolvição geral
• “reconhecimento” culpa – absolvição geral
(celebração penitencial)
A NOSSA FRAGILIDADE
Todos nós experimentamos a fragilidade
Temos consciência que nem sempre fazemos o
bem
Formar a nossa consciência é missão de todos
Reconhecer a nossa culpa e já iniciar o
caminho para Deus
Dizer que somos pecadores, não é dizer que
estamos condenados
Fomos resgatados pela misericórdia de Deus
A CONFISSÃO, NÃO É:

- Um tribunal para sermos julgados


- Um momento para sermos
humilhados
- Para o padre saber a minha vida
- Para me sentir fraco e pecador
O que é a confissão?
Em latim confessar significa:
* “declarar”
- Manifestar publicamente que Deus é grande
e bom, Porque perdoa sempre
-Está sempre pronto a perdoar
* Acreditar que a mudança é possível
* Vencer o medo e recuperar a graça
PORQUE NOS CONFESSAMOS?

• Para restaurar a força do baptismo


• Recuperar a graça perdida
• Para reconhecer os nossos erros
• Oportunidade para experimentar a misericórdia de
Deus
• Meio de crescimento humano e espiritual
• Ser perdoado para poder perdoar
• Mediante a conversão abrimos caminhos novos
PORQUE NOS CONFESSAMOS?
• Reconhecemos que quebramos a harmonia
• Praticamos um acto de louvor
• A reconciliação do pecador é festa no céu
• Queremos acolher o amor de Deus
• Mediante a conversão e abrimos caminhos
novos
A MEDIAÇÃO
• Jesus Perdoa pela sua própria autoridade
• “Eu vos envio… recebei o Espírito Santo,
aqueles a quem perdoares os pecados, ser-
lhe-ão perdoados…”
• Diz Jesus a Pedro: “Tudo o que ligares na
terra será ligado no céu e tudo o que
desligares na terra será desligado no céu”
• Jesus confere aos Apóstolos o poder de
perdoar
• O padre perdoa em nome de Cristo
• O padre é o intermediário do perdão
COMO SE CONFESSAR?
O Exame de
Consciência
- Pensar nos aspectos positivos e negativos
- Fazer uma avaliação da nossa vida
É um confronto:
- Sincero e pleno com a lei moral
- Com as normas evangélica
- Com as Palavras de Jesus Cristo
A CONTRIÇÃO: Arrependimento

• Recusa clara e decidida do pecado


• Propósito de recomeçar a vida
• Com coragem:
- Usar os meios para evitar o pecado
- Recomeçar a nossa vida com alegria
- Estar atentos e tomar as decisões certas
ACUSAÇÃO DOS PECADOS
• Não só reconhecer os pecados, mas dizê-
los…
• Gesto do filho pródigo, volta para o pai e é
acolhido
• Entrega de si mesmo à misericórdia
O PERDÃO: Absolvição
• Deus que perdoa por meio do padre
• Imposição das mãos e o sinal da cruz
manifestam o perdão

O padre Diz:
Deus, Pai de misericórdia, que pela morte e
ressurreição de seu filho, reconciliou o mundo consigo
e enviou o Espírito Santo para a remissão dos
pecados, te conceda, pelo ministério da Igreja, o
perdão e a paz.
Eu te absolvo dos teus pecados, [+] em nome do Pai,
e do Filho e do espírito Santo.
O penitente responde: Amem.
CUMPRIR A PENITÊNCIA
• Consiste em reparar o mal realizado
• Agradecer o perdão recebido
• Sinal do arrependimento
• A penitência não é só rezar
• A reparação de um mal, uma atenção
solidária, um momento de silêncio, etc.
Viver o perdão
• Ter o sentido da gratidão
• Reconhecer interiormente o perdão
• Dar graças…
• Lutar sem tréguas pela nossa libertação
• Somos convidados a recomeçar