Você está na página 1de 11

Tiras ou tirinhas

Tira

pode

usar

-

ou

linguagem

tirinha

verbal,

-

é

um

não-verbal

ou

gênero

as

duas

discursivo

que (conjuga texto e

juntas

imagens) com o objetivo de narrar histórias dos mais variados gêneros e estilos. A tirinha surgiu da ideia de fazer histórias curtas, de forma que a leitura do texto fosse rápida, eficiente e bem-humorada. Predomina o emprego do discurso direto, principalmente, porque não há a presença do narrador. Nesse caso, o discurso direto torna a narração mais dinâmica, mais viva, mais intensa, associada sempre à

linguagem não-verbal.

São

publicadas

em

jornais, revistas, livros e sites, mas foi nas páginas dos

jornais que ela se consolidou como uma categoria estética de expressão e opinião

sobre o cotidiano, se utilizando dos personagens para nos representar.

Tirinha é classificada como uma ramificação dos quadrinhos visto que esses possuem algumas características similares, tais como recursos característicos da linguagem.

Uso de balões para indicar interação e pelos diálogos:

arredondado;

na forma de uma nuvem e com bolhas na direção de quem está pensando;

 

com contornos tracejados ;

 

em formato de explosão;

pontiagudos, etc.

Uso de apêndice linha, seta pontiaguda. Variadas formas e tamanhos da letra:

Letra tradicional ; Em negrito;

 

Itálico;

Letra em tamanho menor , etc;

Representação sonora; Recursos paralinguísticos ;

Onomatopéias.

 

Figuras cinéticas, indicando movimento.

Variantes linguísticas.

Esses

recursos

foram

criados

para

poder

se

aproximar

o

máximo

possível

de

elementos presentes na realidade, assim, as histórias ficam mais verossímeis.

Têm

como

característica

máximo 4 quadrinhos.

Têm como característica máximo 4 quadrinhos. o fato de apresentar, em geral, no
o fato de apresentar, em geral, no
o
fato
de
apresentar,
em
geral,
no

Geralmente tem um personagem fixo, em torno do qual agem outros com características específicas.

O tema é sobre algum aspecto da condição humana.

O contexto em que se insere esse gênero é geralmente comportamental, social ou político, o que exige dos leitores um conhecimento de mundo. Mesmo que se trate de personagens de épocas remotas, de países diferentes ou ainda de animais, representam o que há de universal na condição humana.

A estereotipia dos personagens facilita sua identificação por parte de leitores das mais diversas culturas.

As personagens das tirinhas apresentadas são Hagar, sua esposa Helga e seus filhos Hamlet e Honi.

Hagar é um guerreiro Viking, que frequentemente tenta invadir a Inglaterra e outros países. Embora respeitado profissionalmente (um dos maiores saqueadores e assassinos da Escandinávia), Hagar leva uma vida pessoal frustrada. Está sempre discutindo com a esposa Helga, que não está satisfeita com o padrão de vida que a família leva. Hagar é tanto um guerreiro feroz quanto um homem de família. Sua higiene pessoal é excepcionalmente deficiente e seu banho anual é um momento de celebrações.

As personagens das tirinhas apresentadas são Hagar, sua esposa Helga e seus filhos Hamlet e Honi.

Hamlet

é um jovem inteligente, limpo, obediente, estudioso e que e não mostra

nenhum interesse em se tornar um Viking, o que faz dele a vergonha da família.

Hamlet é um jovem inteligente, limpo, obediente, estudioso e que e não mostra nenhum interesse em

Honi é linda, doce, alegre e aos 16 anos de idade ainda não casou, o que faz dela

uma solteirona para os padrões da época. Ela também é uma guerreira Viking que, como seu pai, carrega sempre uma lança e escudo.

Hamlet é um jovem inteligente, limpo, obediente, estudioso e que e não mostra nenhum interesse em

É um tipo de texto lúdico pois pretende divertir o leitor. Pode fazer uso de metáforas e ambiguidade textual.

É um tipo de texto lúdico pois pretende divertir o leitor. Pode fazer uso de metáforas
É um tipo de texto lúdico pois pretende divertir o leitor. Pode fazer uso de metáforas

As tirinhas

fazem humor, tratando com ironia, satirizando e provocando reflexões,

tanto trivialidades do dia-a-dia quanto questões mais sérias do país e do mundo. Sua

intenção de entreter traz implícito o questionamento, a denúncia e mesmo a autocrítica.

As tirinhas fazem humor, tratando com ironia, satirizando e provocando reflexões, tanto trivialidades do dia-a-dia quanto

Na década de 1950, Charles Schulz já havia apresentado ao mundo Charlie Brown, um menino tão questionador quanto Mafalda, de Quino. O diferencial está no fato de que o pequeno Charlie Brown pensava nos seus problemas com reflexões de ordem filosófica e Mafalda trazia o elemento crítico aos problemas políticos e sociais de maneira muito sutil, mas ao mesmo tempo tão ácido e impactante.

N a década de 1950, Charles Schulz já havia apresentado ao mundo Charlie Brown, um menino
N a década de 1950, Charles Schulz já havia apresentado ao mundo Charlie Brown, um menino